Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Amigo de doleiro preso tem vínculo com família Sarney

Filho de José Sarney (PMDB) foi padrinho de casamento de Marco Antônio Ziegert, que estava com Youssef no dia da prisão

Responsável por entregar uma encomenda do doleiro Alberto Youssef a um assessor do governo Roseana, o corretor Marco Antonio de Campos Ziegert traz à tona seu vínculo com outro membro do clã: Fernando Sarney, filho do senador José Sarney e irmão da governadora do Maranhão. Segundo reportagem desta sexta-feira do jornal Folha de S. Paulo, Ziegert afirma que Fernando foi padrinho de seu casamento.

O corretor estava ao lado de Youssef quando o doleiro foi preso pela Polícia Federal durante a Operação Lava-Jato. No mesmo dia, segundo relatório da Polícia Federal, deixou em um hotel para Milton Braga Durans, assessor especial da Casa Civil do Maranhão, uma caixa entregue por Youssef. Dias depois, Durans retirou a encomenda.

Leia também:

PF liga doleiro a assessor do governo de Roseana

Operação Lava-Jato: os nobres clientes do doleiro

No documento da PF não há descrição sobre a profissão ou a ligação que Ziegert mantém com Youssef, preso sob a acusação de comandar um esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado 10 bilhões de reais. Procurado pelo jornal para comentar a relação que mantém com o clã Sarney, Ziegert afirmou que sua ex-mulher, Liane, é do Maranhão e conviveu na juventude com Fernando: “Eles tinham amizade na época de colégio. Fernando foi padrinho da parte dela porque estudaram juntos, só isso. Nada mais do que isso”. Ziegert alega que perdeu o contato com Fernando porque está separado há mais de quinze anos.

Procurado, Fernando Sarney confirmou a amizade de infância com Liane, ex-mulher do corretor. Ele afirmou que conheceu Ziegert na juventude por meio da antiga amiga: “Há muitos anos que eu não vejo o Marco, há mais de quinze, vinte anos”. Questionado sobre ter sido padrinho do casamento de Ziegert, Fernando acrescentou que não se lembra. “Sabe que não me lembro? Eu acho que não. Eu não me lembro, não. Faz muitos anos, eu acho que não fui padrinho, não. Eu não sei te afirmar”.

De acordo com o relatório elaborado por investigadores da PF, Ziegert e Youssef chegaram juntos ao hotel Luzeiros, onde o doleiro foi detido no dia 17 de março, na Operação Lava-Jato.

Amizade – Ziegert confirmou que mantém amizade com o doleiro há mais de vinte anos e afirma que ambos estavam em São Luís para tratar de negócios envolvendo um terreno para a construção de um hotel.