Admar Gonzaga, ministro do TSE, é acusado de agressão pela esposa

Após desentendimento na quinta-feira, Élida Matos registrou ocorrência baseada na Lei Maria da Penha; advogado do casal diz que ela pediu retirada da queixa

A esposa do ministro Admar Gonzaga, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), registrou uma queixa na polícia acusando o marido de agressão, praticada na noite de quinta-feira. Élida Souza Matos chamou a Polícia Militar após uma discussão na residência do casal, no Lago Sul, em Brasília, e foi levada à 1ª Delegacia de Polícia do Distrito Federal, onde foi feito um registro de violência doméstica com base na Lei Maria da Penha.

A informação foi revelada pelo jornal Metrópoles. Segundo a publicação, Elida disse aos policiais que o magistrado causou-lhe um ferimento no olho, atirou enxaguante bucal contra ela e a agrediu verbalmente. A polícia confirmou a VEJA o registro da ocorrência, mas disse que não divulga informações de casos referentes a violência doméstica.

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay,  divulgou uma nota em nome do casal na tarde desta sexta-feira, em que eles lamentam e se desculpam com familiares e amigos e dizem que o ocorrido “não passou de um desentendimento, com exasperação de ambos os lados”. Conforme a nota, que pede respeito à intimidade e à privacidade dos casal, o caso está sendo tratado pelo próprio casal em âmbito familiar.

Segundo Kakay – que disse ser amigo dos dois -, Élida já registrou uma retratação na 1ª DP. “A ocorrência foi feita no calor dos acontecimentos e ela decidiu que queria apresentar imediatamente a retratação”, afirmou o advogado, que acrescentou que Gonzaga acompanhou a esposa na ida à delegacia. “Esperamos agora o arquivamento”.

Dilma-Temer

O ministro Admar Gonzaga participou do julgamento terminado no último dia 9 que absolveu a chapa Dilma-Temer da acusação de abuso de poder econômico e político nas eleições de 2014. O magistrado, nomeado para o TSE pelo presidente Michel Temer (PMDB) em março, deu o seu voto contra a cassação da chapa.  O tribunal não se pronunciou sobre o caso.

Veja a íntegra da nota do advogado do casal:

O casal Élida Souza Matos e Admar Gonzaga Neto lamenta profundamente e pede desculpas a seus familiares e amigos pelo incidente ocorrido, que não passou de um desentendimento, com exasperação de ambos os lados. Esclarece ainda que o fato noticiado pela imprensa está sendo tratado pelo próprio casal estritamente no âmbito familiar e que buscará o melhor entendimento e o pleno resguardo da integridade de ambos. Nesse momento delicado, pede a todos e todas compreensão e que respeitem a intimidade e a privacidade do casal.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Armin Warkentin

    Que coisa feia, seu Admar !

    Curtir

  2. Cesar8002UTB

    Não nega a natureza de quem segue o Temer, que era vice do Dilma e amigão do Lula.

    Curtir

  3. Joao Campos Neto

    Escroque e covarde.

    Curtir

  4. Severino de Araújo Ferreira

    O homem que bate numa mulher é um covarde.

    Curtir

  5. fabricio carlo giuseppe Bianchi

    Vai ver que ele, ministro daquele TSE submisso ao verme juridico de seu chefe, Gilmar, disferiu um soco no olho de “sua amada esposa”.
    mostrou a conta bancária, submisso de Gilmar

    Curtir

  6. Marli Wayand de Sa Marques

    Na historia da Igreja Católica, não existe nenhum santo com nome AECIO

    Curtir