Blogs e Colunistas

Intrinseca

02/12/2010

às 7:00 \ entrevista

De olho em leitores, editora se ‘muda’ para o Facebook

Página que estará disponível a todos os usuários do Facebook nesta sexta

Nos últimos meses, a editora Intrínseca decidiu investir em um tema: Facebook. Primeiro, veio o lançamento do livro Bilionários por Acaso, que originou o filme A Rede Social, que estreia nesta sexta-feira nas salas brasileiras. Em janeiro, será a vez de O Efeito Facebook, uma análise das consequências da maior rede social do planeta. Entre os dois, a editora prepara uma ação inédita no mercado editorial: a partir desta sexta, a versão oficial de seu site estará alojada no próprio Facebook. Quem tentar acessar o tradicional endereço eletrônico da empresa (www.intrinseca.com.br), será redirecionado automaticamente para uma página da rede social. O objetivo da mudança: “A princípio, queremos interação. Tanto assim que não venderemos livros a partir da rede social”, diz Juliana Cirne, gerente de comunicação da Intrínseca. Confira a seguir a entrevista com ela.

Por que a editora escolheu o Facebook como novo site oficial?
A editora que ampliar sua participação na web – e tem o objetivo de falar com quem está em rede. Esses espaços virtuais são os melhores lugares para se criar esse envolvimento. Escolhemos o Facebook não apenas pelo fato de publicarmos dois livros sobre a rede, mas também pelo fato de que acreditamos que ele irá superar o Google nos próximos anos. A página oficial no Facebook será o novo carro-chefe digital da empresa. Nenhuma editora no mundo apresentou essa proposta antes.

Qual é o objetivo dessa estratégia?
Os leitores não terão apenas a chance de acompanhar o acervo da editora no Facebook, mas também comentar obras, o que não era possível no site da empresa. Não haverá moderação. Estamos com a política: “Falem bem, falem mal, mas falem conosco”. A princípio, queremos interação, tanto que não venderemos livros a partir da rede social.

E os leitores não cadastrados no Facebook?
Qualquer pessoa conectada à rede terá condições de acessar a página da editora no Facebook – não há a necessidade de ser cadastrado na rede. No entanto, na própria página, vamos destacar um link que leva o usuário a uma página fora do Facebook. É o caminho alternativo – e secundário – a quem não é adepto do Facebook.

Qual foi o custo do projeto?
Ao todo, foram 75 dias de criação, produção e execução, ao custo de aproximadamente 15.000 reais.

Qual é o público-alvo da editora?
É um público misto, mas em grande maioria jovem e feminino. Os maiores consumidores de livros estão entre 13 e 30 anos.

Você pensaram em uma estratégia no Orkut?
Temos páginas e perfis oficiais com bons resultados no Orkut e Twitter. Não entanto, o site de propriedade do Google não permite a criação do que vamos apresentar no Facebook. É uma rede social ainda muito fechada e que não propicia o uso de muitos recursos. Acreditamos que o Facebook seja o site ideal: teremos a chance de atingir um público que acreditamos consumir muita informação.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados