Blogs e Colunistas

Arquivo da categoria I Fórum CLP

08/06/2010

às 12:55

Para Gilmar Mendes, Poder Judiciário tem muito a contribuir para os avanços institucionais

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, disse no I Fórum CLP que o Poder Judiciário tem papel fundamental a cumprir no avanço institucional do Brasil.

Ele defendeu o aprofundamento das metas de qualidade criadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para não só acelerar as análises e aumentar a percepção de segurança jurídica, mas também para reduzir o estoque de processos.

De forma complementar, defendeu o que chamou de ‘desjudicialização’, ou seja, o estímulo a resolução de conflitos por meio da conciliação; o fortalecimento dos órgãos de Defesa do Consumidor; a melhoria das agências reguladoras; entre outras medidas.

Segundo Gilmar Mendes, o Poder Judiciário tem obtido êxito ao espalhar as boas práticas que têm procurado adotar não só nas instâncias primárias e secundárias, ‘contaminando’ também outros Poderes.

08/06/2010

às 10:07

2º dia do Fórum CLP começa com debate sobre a construção do ‘verdadeiro líder’

O diretor acadêmico do Centro de Liderança Pública (CLP), Carlos da Costa, abriu o segundo dia do I Fórum CLP com uma palestra sobre os passos necessários à criação de um líder transformador. Um dos focos do evento é desenvolver estratégias para estimular o surgimento de novas e verdadeiras lideranças no atual contexto politico brasileiro.

O líder, segundo da Costa, é mais que um profissional de perfil técnico. É um visionário. Ele não só precisar ter uma visão coerente e íntegra de seus objetivos, mas também  tem de persistir, a despeito de todas as contrariedades, na comunicação desta visão. Para isso, tem de possuir valores sólidos e uma idéia clara do que precisa ser alterado no modelo mental das pessoas, convencendo-as que, apesar dos custos da transformação, haverá beneficio em sua implementação.

Por fim, o verdadeiro líder é aquele que consegue consolidar e institucionalizar transformações, como fez, segundo o executivo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. “Nosso desafio é grande, pois liderança se aprende, muito mais que numa sala de aula, com a prática e a reflexão”, finalizou.

Agora, os participantes do Fórum vão se dividir para sessões fechadas de debate sobre os seguintes temas: “Justiça e Estado de Direito”, “Previdência Social” e “Infra-Estrutura”.

07/06/2010

às 17:46

Haddad pede priorização de reformas

O diretor-presidente do Insper e do Grupo Ibmec, Claudio Haddad, defendeu a priorização de reformas com baixo custo político, com implementação mais rápida e a com retornos significativos no médio prazo.

Entre as mudanças mais viáveis estão a adoção de uma Lei de Responsabilidade Fiscal federal, a reforma da Previdência, a adoção de um choque de gestão pública, intervenção para diminuir a burocracia e a reformulação das políticas educacionais.

Ficarão para os próximos anos a discussão de temas de enorme complexidade, que exigem mudanças constitucionais, como as reformas política, tributária e trabalhista.

(Por Benedito Sberberi)

07/06/2010

às 15:52

EIU defende atuação de bancos públicos no crédito


Em sua apresentação, a diretora-geral para América Latina da Economist Intelligence Unit (EIU), Justine Thody, surpreendeu ao defender a ampliação da atuação da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil no provimento de crédito para baixa renda e no apoio aos pequenos e micro empreendedores.

O presidente-executivo de operações da Bunge, Pedro Parente, chamou a atenção da platéia na sessão em que debatiam os problemas para o inusitado da situação. “Não tenho nada contra os bancos públicos, mas é muito simbólico que logo a Economist esteja defendendo isso”, afirmou.

Justine explicou que a grande indústria bancária ainda não cumpre suficientemente bem essa função. Além do mais, acrescentou, “a grande crise global nos ensinou que existem benefícios na atuação pública em alguns segmentos”.

(Com Benedito Sverberi)

07/06/2010

às 15:30

Diretora do EIU diz que Brasil deve se comparar com China e Índia


Justine Thody. diretora-geral para a América Latina da Economist Intelligence Unit (EIU), fez uma exposição que arrancou aplausos da platéia. Ela sintetizou o enorme número de avanços institucionais necessários à conquista de um desenvolvimento econômico realmente sustentável, a ampliação do potencial de crescimento do PIB brasileiro e a melhoria da competitividade nacional num ambiente de negócios global.

“O Brasil tem de parar de olhar para a América Latina, que, infelizmente, foi deixada para trás. Comparar-se aos pares latino-americanos só serve para transmitir a ilusão de que o país já avançou muito e está bem. Na verdade, todos têm de se conscientizar que, em termos globais, o Brasil virou um competidor, com potencial, mas de porte médio. É preciso avançar porque o país pode muito mais. E, quando decidir se comparar, tem de olhar detidamente para a Índia e a China”.

(Por Benedito Sverberi)

07/06/2010

às 15:10

Parente defende debate profundo sobre reformas

Pedro Parente, ex-ministro do governo Fernando Henrique Cardoso e atual presidente-executivo de operações da Bunge, defendeu uma discussão mais profunda sobre as reformas, que vá além do debate sobre o custo político das decisões. Ele participa nesta segunda-feira do I Fórum CLP – Centro de Liderança Pública.

Segundo ele, algumas reformulações são urgentes, como a da atual estrutura de representatividade política. “Não sei até quando as pessoas de São Paulo e Minas Gerais, que são os estados mais prejudicados, vão aceitar essa atual sub-representatividade”.

É urgente também, na avaliação dele, a adoção de medidas amplas e coordenadas para melhorar a infra-estrutura física do país, bem como resolver a defasagem educacional. “Estes são pontos que já afetam sobremaneira a nossa competitividade”, acrescentou.

(Por Benedito Sverberi)

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados