Blogs e Colunistas

Parks and Recreation

NBC renova quatro séries

'Chicago PD'

‘Chicago PD’

O canal NBC encomendou as novas temporadas de Parks and Recreation, Chicago PD, Chicago Fire e Grimm. Elas se unem a The Blacklist, que teve sua renovação anunciada em dezembro.

Entre as renovações, Chicago PD é a única novata. Spinoff de Chicago Fire, produção de Dick Wolf (Law & Order), a série foi criada por Michael Brandt e Derek Haas. A história acompanha os trabalhos de dois grupos da polícia de Chicago que atuam no Distrito 21. Um dos grupos é formado por policiais que atuam nas ruas e o segundo é o grupo que forma a Unidade de Inteligência, encarregada de investigar crimes graves, como aqueles cometidos por organizações criminosas e traficantes, além de casos que envolvem assassinatos com grande repercussão na imprensa.

Ainda exibindo os episódios de sua primeira temporada, a série vem registrando a média de  8.9 milhões de telespectadores, com 2.5% entre o público alvo.

A renovação de Parks and Recreation para sua sétima temporada já era esperada. No início do ano, durante coletiva com a imprensa, Bob Greenblatt, diretor de programação da NBC, disse que a sitcom retornaria para a Temporada 2014-2015. Chicago Fire ganhou sua terceira temporada e Grimm chega à sua quarta temporada.

O futuro das demais séries do canal deverá ser decidido em maio. Além destas renovações, o canal já tem aprovada a produção da primeira temporada de Tooken, Mr. Robinson, Emerald City, Shades of Blue, bem como das minisséries The Slap, remake de produção australiana, The Bible A.D: Beyond the Bible, Heroes: Reborn e Rosemary’s Baby. Além disso, a NBC também é coprodutora da série canadense Working the Engels, que já estreou em seu país, e adquiriu os direitos de exibição da série sueca Welcome to Sweden, criada e produzida por Greg e Amy Poehler.

Confiram aqui a lista de pilotos que disputam um espaço na grade do canal para a Temporada 2014-2015.

Fotos do elenco de ‘Parks and Recreation’ – 6ª Temporada

31/07/2013

às 19:37 \ Séries Anos 2000-2009

Rob Lowe e Rashida Jones deixam o elenco de ‘Parks and Recreation’

Rob e Rashida em 'Parks and Recreation' (Foto: NBC/Universal)

A sexta temporada de Parks and Recreation marcará a despedida de Rob Lowe e Rashida Jones. Segundo o Hollywood Reporter, a dupla deixará a série no 13º episódio. No final da quinta temporada, os personagens de Lowe e Rashida planejavam ter um filho.

Na série, Lowe interpreta Chris Traeger, personagem introduzido no final da segunda temporada. Esta é a segunda terceira produção da qual Lowe deixa o elenco. As outras foram The West WingBrothers & Sisters. Nenhuma explicação foi dada até o momento para justificar a saída do ator mas, segundo o Deadline, a NBC já estaria procurando um novo projeto de série para Lowe estrelar. O ator também está no elenco de outros projetos, entre eles a minissérie To Appomattox, produção independente em oito episódios situada no período da Guerra Civil, na qual ele interpreta Ulysses Grant. A minissérie ainda não tem um canal onde será exibida.

No caso de Rashida, que interpreta a enfermeira Ann Perkins, melhor amiga de Leslie (Amy Poehler), sua saída pode estar ligada ao fato dela estar montando sua própria produtora, em parceria com o ator Will McCormack (In Plain Sight).

A sexta temporada de Parks and Recreation estreia nos EUA no dia 26 de setembro.

NBC define datas de estreias e retornos de suas séries

Depois da CBS, foi a vez da rede NBC divulgar as datas em que suas série estreiam ou retornam com novas temporadas para a Fall Season, período que inicia no mês de setembro, nos EUA.

Nos dia 23 e 26, a NBC inicia a exibição da primeira temporada de The Blacklist e The Michael J. Fox Show, respectivamente. Estas são as duas grandes apostas do canal nos gêneros drama e comédia.

A primeira é estrelada por James Spader (Justiça Sem Limites, The Office) e a segunda marca o retorno do astro da trilogia De Volta Para o Futuro, em bases regulares a uma série de TV. Como bem se lembram, Michael J. Fox se lançou ao sucesso com a sitcom Caras e Caretas/Family Ties, da década de 1980.

Chicago Fire retorna com sua segunda temporada no dia 24 de setembro. No dia seguinte, é a vez de Revolution e de Law & Order: SVU. No dia 26 de setembro, juntamente com The Michael J. Fox Show, a rede NBC estreia a sexta temporada de Parks and Recreation, e a quinta de Parenthood.

Ironside, o remake de Têmpera de Aço, estreia no dia 2 de outubro. No dia seguinte, é a vez das sitcoms Welcome to the Family e Sean Saves the World, com Sean Hayes (Will & Grace). A terceira temporada de Grimm começa a ser exibida nos EUA no dia 25 de outubro, seguida da estreia de Drácula, com Jonathan Rhys Meyer.

Em novembro o canal define cancelamentos das novas séries que não conseguiram atrair audiência entre setembro e outubro. Geralmente elas são substituídas por reprises de produções já consagradas.

A NBC ainda não definiu as estreias de About a Boy, Growing Up Fisher (ex-Family Guide), Chicago PD, Crossbones, Undateable, Believe Night Shift (ex-After Hours) e Crisis, que ficaram para a Midseason de 2014.

No vídeo, novas imagens de Drácula divulgadas pelo canal britânico Sky que exibirá a série no Reino Unido.

09/05/2013

às 17:58 \ Séries Anos 2000-2009, Séries Renovadas

‘Parks & Recreation’ é renovada para sua sexta temporada

Sem surpresas, a NBC renovou a série Parks and Recreation para sua sexta temporada. O anúncio oficial somente será feito no dia 13 de maio, durante o Upfront do canal, mas o ator Nick Offerman, intérprete do personagem Ron Swanson na série, confirmou em seu perfil do Twitter a renovação anunciada pela imprensa americana.

Criada por Greg Daniels e Michael Schur, a série estrelada por Amy Poehler foi inicialmente divulgada como uma spinoff de The Office. Ao longo dos anos, ela conseguiu se estabelecer como uma das melhores comédias americanas atuais da rede aberta, embora a audiência não seja tão alta.

Em sua quinta temporada, Parks and Recreation registrou a média de 3.31 milhões de telespectadores com 1.6% entre o público alvo, ao vivo.

08/11/2012

às 16:38 \ Atores Convidados, Séries Anos 2000-2009

‘Parks & Recreation’ recebe a visita de Joe Biden

O Vice-Presidente americano Joe Biden terá uma rápida participação no episódio de Parks and Recreation que irá ao ar nos EUA no dia 15 de novembro. Segundo a revista EW, ele será visto logo no início do episódio.

Para  Leslie (Amy Poehler), o homem ideal teria que ter o cérebro de George Clooney e o corpo de Joe Biden, homem por quem ela é apaixonada há anos. Por isso, Ben (Adam Scott) decide promover o encontro entre Leslie e seu exemplo de homem ideal. O encontro ocorre na sala cerimonial da vice-presidência, no prédio adjacente à Casa Branca. Na cena também aparece a equipe de funcionários do gabinete de Biden. Como toda fã que se preze, Leslie perde o controle ao ficar frente a frente com seu ídolo.

As filmagens da cena foram feitas em julho, no mesmo dia em que foi anunciada a indicação de Amy ao prêmio Emmy deste ano. Segundo Mike Schur, produtor de Parks and Recreation, a maior dificuldade que eles encontraram foi conseguir manter a participação de Biden em segredo por tanto tempo. Embora tenha sido filmada há cerca de três meses, a produção não poderia exibir o episódio antes das eleições americanas, caso contrário sua participação poderia configurar como campanha ou apoio da série à reeleição de Obama e Biden.

Confiram abaixo o início da cena com Biden.

 

Atualização de elenco: ‘The New Normal’, ‘Vegas’, ‘Red Widow’, ‘The Neighbors’, ‘Last Resort’, ‘Parks & Recreation’, ‘Grey’s Anatomy’, ‘Hart of Dixie’, Hannibal’, ‘Switched at Birth’ e ‘Touch’

Tania Raymonde

The New Normal – Os atores Sterling Sulieman (Pretty Little Liars) e Jackie Hoffman terão participações na nova série de Ryan Murphy (Glee e American Horror Story). A história gira em torno de David (Justin Bartha) e Bryan (Andrew Rannells), que formam um casal gay tentando ter um filho através de uma mãe de aluguel (Georgia King). Sterling terá participações recorrentes interpretando Clint, irmão de Rocky (NeNe Leakes), assistente de um dos rapazes que formam o casal; e Jackie será Frances, a mãe de David. Ela terá participação no quinto episódio, podendo retornar ao longo da temporada.

Vegas - Esta é uma nova série do canal CBS que estreia no dia 25 de setembro nos EUA. Trata-se de um faroeste moderno. Situada na década de 1960, a história é inspirada na vida de Ralph Lamb, responsável por modernizar o departamento de polícia, bem como seu laboratório criminalista, além de criar o primeiro grupo da SWAT da cidade de Las Vegas. Ele também foi responsável por enfrentar a máfia que controlava os Cassinos na época. A série contará com as participações recorrentes de Vinessa Shaw e Michael Wiseman (The Closer). Vinessa será a esposa do mafioso Vincent (Michael Chiklis) e Michael interpretará Joey Rizzo, braço direito de Angelo Lombardi (Jonathan Banks, Breaking Bad), um gângster de Chicago.

Red Widow - Esta é a versão americana da série holandesa Penoza. Adaptada por Melissa Rosenberg (da franquia Crepúsculo), a história gira em torno de Martha Walraven (Radha Mitchell), viúva de um criminoso assassinado (Anson Mount de Hell on Wheels em participação especial), que é forçada a assumir a função do marido no comando do crime organizado, no qual também atuam seu pai e seu irmão. Os atores Pedro Pascal (visto em The Good Wife) e Fernanda Andrade (vista em Sons of Anarchy) terão participações recorrentes na série que estreia na midesason americana. Ele será Joe Crumb, um tatuador que está apaixonado por Kat Lazarev (Jaime Ray Newman). Já Fernanda será Eva Ramos, uma ex-agente que é viciada em drogas.

The Neighbors – A nova série da ABC gira em torno de uma família que, ao se mudar para o subúrbio, descobre que todos os vizinhos são na verdade alienígenas vivendo na Terra. A atriz Katherine Tokarz terá participação recorrente interpretando Mary Lou Retton, uma das alienígenas.

Last Resort – A nova série de Shawn Ryan (The Shield) gira em torno da tripulação de um submarino americano que, com 24 ogivas nucleares, se estabelece em um posto avançado da OTAN depois que o capitão se recusa a obedecer ordens da Casa Branca. O ator Michael Gaston (Unforgettable) terá participações recorrentes interpretando o pai de Kylie (Aurumn Reeser), proprietário de uma empresa que fabrica armas e um homem com muita influência em Washington.

Lukas Haas em 'Touch'

Parks and Recreation – O ator Jon Glaser terá participações na quinta temporada da série interpretando um vereador que bate de frente com Leslie Knope. O personagem será introduzido no terceiro episódio da temporada.

Grey’s Anatomy – A atriz Tessa Ferrer entrou para o elenco recorrente da nona temporada da série, na qual deverá interpretar uma das estagiárias do hospital.

Hart of DixieMircea Monroe (Episodes) volta a fazer participações na série na qual ela interpreta a ex-esposa de Wade (Wilson Bethel).

Hannibal – A atriz Hettienne Park terá participações recorrentes nesta série que adapta a obra de Thomas Harris. Ela interpretará Beverly Katz, uma agente que trabalha na equipe de  Jack Crawford (Laurence Fishburne), um agente do FBI que caça um assassino em série canibal.

Switched at Birth – A atriz Tania Raymonde (Lost, Death Valley) terá participações recorrentes na nova temporada da série na qual interpretará Zarra, uma artista de rua que se torna amiga de Bay (Vanessa Marano). A personagem será introduzida no segundo episódio.

Touch – A segunda temporada da série estrelada por Kiefer Sutherland contará com a participação recorrente de  John Boyd (visto na oitava temporada de 24 Horas) e Dileep Rao. O primeiro será Kase, um pesquisador amigo de Calvin (Lukas Haas). Já Rao será Vikash Nayar, um acionista da Aster Corps.

Cliquem na segunda foto para ampliar. 

15/08/2012

às 18:15 \ Atores Convidados, Séries Anos 2010-2019

Lucy Lawless em ‘Parks and Recreation’

Famosa como Xena, a Princesa Guerreira, a atriz Lucy Lawless terá participações em dois episódios da quinta temporada de Parks and Recreation. Ela interpretará Diane, uma mãe solteira que se envolve com Ron (Nick Offerman).

A informação foi divulgada pela própria atriz em seu perfil do Twitter e confirmada pela imprensa. Já faz algum tempo que os produtores tentam conseguir a participação de Lucy na série. Em entrevistas, ela revelou que chegaram a lhe oferecer o papel de uma das Tammys, ex-esposas de Ron. Mas a atriz não pôde aceitar porque na época estava envolvida com a produção de Spartacus, na qual interpretou Lucrécia.

O primeiro episódio de Parks and Recreation com Lucy será exibido nos EUA no dia 4 de outubro.

18/09/2011

às 13:02 \ Emmy Awards, Opinião

Emmy 2011 – Séries Cômicas

Chegou o grande dia da TV americana. A cerimônia do Emmy será realizada esta noite, com a entrega dos prêmios para as principais categorias. O evento será exibido no Brasil pelo canal Warner, a partir das 21h.

Entre as categorias mais importantes desta noite está a de Melhor Série Cômica. Esta é uma competição que provoca muita discórdia entre os fãs, desde a seleção dos indicados até o resultado final. Isto porque a definição do que é engraçado é relativo. Se para alguns o escracho e o deboche é algo hilário, para outros não tem um pingo de graça. O mesmo vale para o humor ingênuo, para a ironia ou para a comédia física.

Durante anos o humor físico foi utilizado como linguagem universal da comédia, já que está isento de tradução e trocadilhos. Não é à toa que “Mr. Bean”, interpretado por Rowan Atkinson, faz mais sucesso internacionalmente que “Black Adder”, outra produção estrelada pelo mesmo ator, que considero seu melhor trabalho até hoje.

A comédia depende da identificação. Se o telespectador não identifica a situação ou os personagens, não se envolverá e, consequentemente, não achará graça. No meio da informática, por exemplo, existem milhões de piadas que não são compreendidas por metade do mundo, a não ser que estejam relacionadas ao uso diário e básico de um computador. Neste caso, mais pessoas terão condições de compreender o humor e achar a piada engraçada.

Acostumados ao humor da cultura americana, são poucos brasileiros que recebem  de braços abertos as sitcoms britânicas, por exemplo. E, em muitos casos, o tema abordado tem que ser mais facilmente identificável. O mesmo vale para sitcoms de outros países, cuja cultura é menos conhecida, e que se tornam totalmente bizarras.

Enfrentando a dificuldade de agradar ‘gregos e troianos’, a categoria de Melhor Série Cômica traz entre os concorrentes as séries “Modern Family”, “Parks and Recreation”, “30 Rock”, “The Office”, “The Big Bang Theory” e “Glee”.

Notem que os concorrentes são todos representantes da TV aberta, sendo “The Big Bang Theory” a única sitcom tradicional (produções filmadas em estúdio, com três câmeras e a presença de um público).

Da lista, três são voltadas para o humor mais adulto e duas são dedicadas ao humor  juvenil, enquanto apenas uma explora as relações familiares, trazendo uma mistura dos dois.

Nesta lista, a série com melhor desenvolvimento é “Modern Family“. Trazendo personagens e situações bem enraizadas, ela vai além da necessidade de se fazer uma piada a cada três minutos. “Modern Family” tem como base a graça das relações e das situações propostas e não da piada fabricada para que uma determinada situação se torne engraçada.

Neste ano, “Modern Family” concorre com um pacote de seis episódios bem equilibrado, os quais valorizam cada uma das três famílias apresentadas na série. Apenas um deles é mais voltado para os personagens masculinos adultos: “The Old Wagon”. O destaque fica por conta do episódio “The Kiss”, que explora a relação gay, oferecendo um discreto, porém significativo, beijo entre dois homens, além de questionar a falta de demonstrações de afeto entre membros da mesma família.

Na disputa, “Parks and Recreation” é a produção que tem mais potencial para enfrentar “Modern Family”. A série vem crescendo ao longo de suas temporadas, trazendo textos mais seguros e melhores oportunidades para os personagens coadjuvantes, muito embora as histórias ainda sejam centradas na figura de Leslie.

Ao contrário de “Modern Family”, esta série se apóia na fabricação de situações que forçam o surgimento de piadas. Com isso, a temporada teve altos e baixos.

O pacote de episódios que representa a produção não é tão consistente quanto o de “Modern Family”, mas ainda assim é forte. No destaque está o episódio “Harvest Festival”, que explora mais a cultura de uma cidade do interior, ao apresentar os personagens organizando uma feira municipal.

A seguinte na lista é “30 Rock”, que já teve dias melhores. Ao meu ver, a série ainda não se desgastou, mas seus textos revelam um certo cansaço e acomodação. Inteligente, irônica e nonsense, a série tem a vantagem de abrir seu leque de opções para diversos temas, não ficando centrada no ambiente no qual é situada: os bastidores de produção de um programa humorístico.

Transitando entre política, cultura, questões sociais e pessoais, a série conquistou o Emmy três vezes. Começou a perder espaço depois que “Modern Family” estreou e, a partir de então, parece que perdeu a confiança em seu próprio potencial. Repetindo-se ou restrigindo-se, a temporada de “30 Rock” também teve altos e baixos.

Os episódios que representam a série nesta corrida pelo Emmy variam entre fraco e excelente. Um dos episódios que nem deveria ter sido incluído é aquele que foi transmitido ao vivo. Na história, Liz está triste porque ninguém se lembrou de seu aniversário de 40 anos. Este foi um dos mais fracos da temporada, trazendo um enredo pobre e produção que fugiu à estética e proposta da série. Se era para escolher um episódio que registrasse um momento, talvez tivesse sido melhor escolher o centésimo episódio da série. Entre os selecionados pelos produtores, o que melhor representa “30 Rock” neste ano é “Double-Edged Sword”, no qual Liz discute com Carol a forma como ele comanda um avião, que nem levantou vôo ‘por problemas técnicos’; enquanto isso, Jack e sua esposa tentam voltar para os EUA antes que sua filha nasça no Canadá.

Seguindo a lista, temos “The Office”, série que já poderia ter sido cancelada, mas que continuará em produção com um novo ator, agora que Steve Carell deixou o elenco.

Ao contrário de “30 Rock”, “The Office”, ao meu ver, já se desgastou. Com poucos episódios que resgatam seus tempos áureos, os roteiros sobrevivem por uma ou outra situação que ainda vale a pena.

A série consegue se manter graças à sua boa construção de ambiente e personagens. Mesmo assim, nesta temporada ela não conseguiu oferecer nenhum episódio realmente bom para representá-la na corrida pelo Emmy. No pacote oferecido pelos produtores destaca-se o episódio “Good-Bye Michael”, que faz dobradinha com “Garage Sale”, completando a história proposta.

Deixei no final dessa lista as duas séries que representam o humor mais juvenil: ingênuo, sujeito a restrições de temas que podem ser abordados, os quais terão, obrigatoriamente, desenvolvimento limitado.

“The Big Bang Theory” é uma sitcom tradicional e uma das características desse formato é que os personagens não podem evoluir demais. Eles têm a obrigação de ficarem presos às suas características originais, que são tratadas como caricaturas.

Isso não quer dizer que o formato é descartável. “Tudo em Família”, da década de 1970, é ao meu ver o exemplo perfeito de como a caricatura pode ser bem explorada, garantindo uma bela trajetória para os personagens. Para os fãs mais jovens, temos como exemplo a série “Friends”.

No caso de “The Big Bang Theory”, além de ser tradicional ela também é uma produção que explora um tema segmentado: a vida de um grupo de nerds.

Nem todo mundo se interessa por esse universo ou se identifica a ponto de achar graça. Me parece que essas limitações levaram a série a um rápido desgaste de sua própria proposta. Com isso, apelou para histórias sobre trocas de casais, com idas e vindas de relacionamentos, os quais estão, desde o início, fadados a não darem certo (com exceção de Howie e Bernadette).

Esta temporada da série se apoiou totalmente nesse tema, com poucos episódios que exploram o ‘mundo nerd’. Na seleção dos produtores, foram escolhidos episódios que retratam essas duas abordagens, sendo que o destaque fica para “The Engagement Reaction”, que retrata a junção dos dois temas: a reação da mãe de Howie à notícia de que o filho ficou noivo. O episódio gira em torno das conversas e especulações do grupo de nerds sobre o assunto.

Por fim, temos “Glee”. Esta é uma produção que teve um bom começo. Tal como “Batman” fez na década de 1960, que satirizou o universo dos super-heróis e da sociedade da época, “Glee” parecia se propor a oferecer uma sátira ao comportamento e à cultura do adolescente americano dos dias atuais.

Mas o sucesso deve ter subido rapidamente à cabeça dos roteiristas, que logo mudaram o rumo da série na segunda metade de sua primeira temporada.

Tentando se levar a sério, os episódios de “Glee” estão cada vez mais dedicados à tarefa de criar ícones que representem o adolescente na TV, levantando bandeiras e retratando temáticas com abordagens moralistas…’e ai daquele que não gostar!’

Com esta abordagem, a série está mais próxima de produções vistas em canais como Disney ou Nickelodeon, as quais já têm uma categoria própria: Melhor Série Infanto-Juvenil. Mas, por sua popularidade e por ser exibida em horário nobre da rede aberta, ela aparece disputando as categorias principais do Emmy. Seguindo a proposta adotada pela série, o episódio que se destaca no pacote oferecido pelos produtores para a corrida pelo prêmio é “Never Been Kissed”, no qual são tratados temas como o bullying homofóbico, situação que estaria provocando nos EUA o suicídio infantil.

Em função dos temas abordados por “Glee”, alguns veículos americanos acreditam que ela tenha uma chance de levar o prêmio. O fato de ter ganho o Emmy de Melhor Elenco em Comédia apenas reforça esta ideia. De minha parte, torço por “Modern Family”, série que, acredito, levará o prêmio pelo segundo ano seguido.

As respostas serão dadas esta noite!

Vídeos: Cenas que Deram Errado em Diversas Séries

Fringe

Castle

Criminal Minds

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados