Blogs e Colunistas

O Homem de Seis Milhões de Dólares

18/01/2014

às 16:03 \ Séries Anos 1970-1979, Versão Televisiva

40 anos de ‘O Homem de Seis Milhões de Dólares’

‘Steve Austin. Astronauta. Um homem semi-morto. Senhores, nós podemos reconstruí-lo. Temos a capacidade técnica para fazer o primeiro homem biônico do mundo. Steve Austin será este homem. Muito melhor do que era. Mais forte, mais rápido’.

Este era o texto de abertura da série O Homem de Seis Milhões de Dólares que estreou no dia 18 de janeiro de 1974, há 40 anos, pela rede ABC.

Na história, Steve (Lee Majors) é astronauta que sofre um acidente enquanto testa um novo modelo de avião. Gravemente ferido, ele é levado à sala de cirurgia onde é submetido a uma operação que substitui seu olho e braço direito, bem como as duas pernas, por partes biônicas. Seus novos membros lhe dão a capacidade de enxergar a longas distâncias, bem como uma visão infravermelha, além de ser capaz de correr em alta velocidade. Embora sinta-se como um monstro de Frankenstein, Steve acaba cedendo às exigências do governo que gastou seis milhões de dólares para trazê-lo de volta à vida. Assim, ele se torna um agente que cumpre missões para a OSI.

A série surgiu do livro Cyborg, escrito por Martin Caidin. Com roteiro de Howard Rodman, que utilizou o pseudônimo de Henri Simoun, o projeto foi oferecido pela Universal à rede ABC. O canal não gostou muito do roteiro e pediu que ele fosse reformulado. Quando Rodman se recusou, o estúdio chamou Steven Bochco, na época um roteirista iniciante que estava sob contrato da Universal, para reescrever o roteiro. Bochco não entendeu porque teria que refazer o texto, visto que ele parecia ser muito bom do jeito que estava. Mas acabou aceitando a tarefa quando o próprio Rodman ligou e lhe pediu que acatasse as mudanças exigidas pelo canal. Dizem que a ABC queria diluir a ênfase aos conflitos morais para favorecer as cenas de ação, entre outras mudanças.

Sem creditar o trabalho de Bochco, a ABC estreou o telefilme Six Million Dollar Man no dia 7 de março de 1973. Apesar de ter conquistando uma boa audiência, o canal não estava satisfeito com o conteúdo para encomendar uma série. Eles gostavam da ideia, mas não estavam entusiasmados com a forma como ela foi posta em prática. Assim, dois novos telefilmes foram encomendados. Glen A. Larson foi chamado para escrever o roteiro do primeiro, que recebeu o título de Wine, Women and War, o qual foi ao ar no dia 20 de outubro de 1973. Este era uma adaptação do segundo livro de Caidin, Operation Nuke. O terceiro telefilme trouxe uma história original escrita por Larry AlexanderAlan Caillou e exibido no dia 17 de novembro de 1973. Considerados o segundo e o terceiro piloto da série, estes telefilmes trouxeram, a pedido da ABC, mudanças significativas em relação ao primeiro. A principal delas foi a de transformar Steve Austin em uma espécie de agente 007.

Apesar dos dois telefilmes terem conquistado uma boa audiência, a ABC ainda não estava satisfeita com o resultado. Mesmo assim, encomendou a produção da primeira temporada da série, encarregando o roteirista e produtor Harve Bennet de reformular o projeto. Bennet tinha 40 dias para estruturar a série e produzir os quatro primeiros episódios antes da estreia na segunda quinzena de janeiro de 1974.

A versão de Bennet humanizou novamente o personagem, abandonando os ares de James Bond. Steve ganhou um histórico familiar e um passado, com o qual o público poderia se identificar. Também tornou o personagem mais leve, aceitando melhor sua nova vida, chegando ao ponto de demonstrar um certo senso de humor. Outra mudança que Bennet fez foi nas cenas em que Steve aparece correndo. Inspirados nos comerciais de jogos esportivos, nos quais os jogadores aparecem em câmera lenta, Bennet decidiu utilizar imagens de Steve correndo em câmera lenta para identificar a utilização dos biônicos. Ele também incluiu um som característico sempre que o olho e o braço biônico entram em ação.

No primeiro telefilme, Steve trabalha para Oliver Spencer, interpretado por Darren McGavin. Oliver era mais insensível e distante, chegando ao ponto de perguntar para o Dr. Wells se seria possível manter Steve inconsciente entre as missões que ele realizaria para o governo. Quando a série foi encomendada, McGavin já estava envolvido na produção de Kolchack. Assim, ele foi substituído por Richard Anderson, que interpretou Oscar Goldman. Este era um homem mais político e amigável, capaz de negociar seus interesses e ceder quando achasse necessário.

Já o personagem do Dr. Rudy Wells, responsável pelos implantes e manutenção dos biônicos, foi interpretado por três atores diferentes. Martin Balsan interpretou o personagem no primeiro telefilme. Quando os dois telefilmes seguintes foram produzidos, o ator não estava mais disponível, sendo substituído por Alan Oppenheimer, que continuou interpretando o personagem nas três primeiras temporadas da série. Sendo contratado por episódio, a presença do ator dependia de sua disponibilidade. Assim, ele foi substituído por Martin E. Brooks, que foi contratado como parte do elenco da série.

Jaime Sommers e Steve Austin

Em 1975, Majors pediu para os produtores para dar ao personagem um interesse romântico. Reza a lenda que ele estava interessado em dar à sua esposa Farrah Fawcett uma oportunidade de interpretar a namorada de Steve Austin. A atriz já tinha feito uma participação especial em dois episódios da série, exibidos em 1974. Mas, em seu lugar, os produtores chamaram Lindsay Wagner. Assim surgiu Jaime Sommers, que se tornaria a Mulher Biônica. A intenção dos produtores era a de mostrar ao público o lado sentimental de Steve, bem como explorar seu passado.

Jaime é uma antiga paixão de infância que se torna tenista profissional. Em um episódio dividido em duas partes, Jaime visita sua cidade natal onde reencontra Steve, com quem inicia um relacionamento. Mas um acidente de paraquedas a deixa à beira da morte. Steve implora a Oscar que a submeta a uma cirurgia biônica e, assim, seu ouvido e braço direito, bem como as duas pernas, são substituídos. Mais tarde, o corpo de Jaime rejeita os membros biônicos, levando-a à morte. Todos achavam que este seria o fim de Jaime, mas o público se manifestou e exigiu seu retorno.

Em um novo episódio, novamente dividido em duas partes, Steve descobre que Jaime foi submetida a uma experiência, que a trouxe de volta à vida, mas comprometeu sua memória. Sem se lembrar de seu passado, ou de quem ele é, Jaime passa a trabalhar para o governo. Os dois tentam realizar uma missão juntos, mas os flashes de lembranças que ela tem de seu relacionamento com Steve lhe causam problemas. Temendo que seu esforço para se lembrar do passado possa lhe causar uma nova hemorragia, Oscar e Rudy decidem afastar Jaime de Steve. Esta é a desculpa para que a personagem estrele sua própria série, independente das histórias produzidas para O Homem de Seis Milhões de Dólares.

Steve e Oscar Goldman

Steve e Oscar Goldman

Durante a produção de O Homem de Seis Milhões de Dólares, os produtores também introduziram um menino biônico, interpretado por Vincent Van Patten. Na história, Andy é um rapaz que sofre um acidente o que o leva a ser submetido a uma cirurgia de implantes biônicos. Mas, quando o governo percebe que o rapaz não é capaz de controlar seus poderes, decide neutralizar a super força dos biônicos, deixando que o rapaz tenha uma vida normal.

Majors aceitou a história do menino biônico mas, quando os produtores decidiram introduzir um cão biônico, o ator bateu o pé e se recusou a filmar a história. Assim, o cão biônico foi transferido para a produção de A Mulher Biônica.

Após cinco temporadas, a série começou a perder o interesse do público, o que levou ao seu cancelamento em 1978. Sobrevivendo nas reprises, Steve e Jaime se tornaram heróis de novas gerações, levando a Universal a produzir três telefilmes reunions: The Return of the Six Million Dollar Man and the Bionic Woman (1987), Bionic Showdown (1989) e Bionic Ever After? (1994), no qual Steve e Jaime finalmente se casam. Por curiosidade, o segundo telefilme foi produzido com a intenção de ser o piloto de uma nova série. Na história, Steve e Jaime ajudam os jovens Jim e Kate a utilizarem seus membros biônicos. Kate era interpretada pela então desconhecida Sandra Bullock.

Com a boa receptividade dos telefilmes, a Universal pensou em dar à série uma versão cinematográfica. Kevin Smith chegou a escrever um roteiro, mas o filme não foi produzido. Em 2003 surgiram rumores de que uma versão poderia ser produzida com Jim Carrey ou Leonardo DiCaprio no papel principal. O que também não aconteceu. Em 2006, o intérprete de Oscar Goldman revelou durante uma entrevista na Comic Con que a produção de um filme estava dependendo de uma disputa travada entre a Miramax e a Universal pelos direitos autorais.

Esta disputa teve início quando a Universal, por esquecimento ou desinteresse, não renovou seu contrato com os herdeiros de Caidin. Estes, então, fizeram um acordo com a produtora Dimension, entre de 2001 e 2002, para a produção de uma versão cinematográfica. Apesar do projeto ter ido para a gaveta, os direitos continuaram nas mãos da Dimension, que na época era de propriedade da Miramax. Esta disputa também impediu que a Universal lançasse a série em DVD, pois o estúdio teria que ter a autorização legal para lançá-la em novas mídias.

A disputa foi definida em 2010, quando a Universal, em parceria com a Time Life, lançou O Homem de Seis Milhões de Dólares e A Mulher Biônica em DVD, nos EUA. Apesar disso, não há, até agora, informações de que um filme seja produzido.

Outras séries que completam 40 anos de produção este ano são Kolchak, Planeta dos Macacos, O Elo Perdido, Police Woman, Capitão Marvel, Rhoda, Chico and the Man, Nakia, Os Pioneiros, Arquivo Confidencial e Happy Days.

‘O Homem de Seis Milhões de Dólares’ ganha sexta temporada em HQ

SixMillionDollarManHQO Homem de Seis Milhões de Dólares, também conhecida como Cyborg, é uma produção da década de 1970 que teve cinco temporadas com um total de 99 episódios. A série ainda gerou a spinoff A Mulher Biônica, estrelada por Lindsay Wagner, com três temporadas e 58 episódios.

Estrelada por Lee Majors, O Homem de Seis Milhões de Dólares apresentou as aventuras de Steve Austin, um ex-astronauta que, após sofrer um acidente aéreo, tem ambas as pernas, o braço e o olho direito substituídos por partes biônicas. Mais forte e mais rápido, capaz de enxergar a longas distâncias ou no escuro, Steve se torna um agente secreto que trabalha para a OSO – Office of Special Operations, sob o comando de Oscar Goldman (Richard Anderson).

A série se tornou um clássico cultuado por gerações, o que levou à produção de seis telefilmes que reuniram os atores em novas aventuras. Em 2010, a Universal americana lançou a série completa em DVD (infelizmente a Universal brasileira não tem interesse em disponibilizar a série no Brasil). Em 2011, a Dynamite lançou uma HQ que era a adaptação do roteiro de Kevin Smith para uma versão cinematográfica planejada em 1998, a qual nunca foi produzida. Nesta versão, o artista Jonathan Lau não utilizou o rosto de Majors para criar seu Steve Austin, que viveu aventuras situadas no Século XXI.

Agora a própria Dynamite anuncia o lançamento de novas aventuras em HQ com O Homem de Seis Milhões de Dólares, que dará à série sua sexta temporada. Com o rosto de Majors, o personagem da HQ viverá aventuras situadas na década de 1970, dando continuidade à narrativa apresentada na TV. Com texto de James Kuhoric e capa de Alex Ross, a história terá início do ponto onde a série encerrou. Vale lembrar que a produção televisiva apresentava uma história por episódio, mas mantinha uma continuidade em relação à vida de Steve e seus relacionamentos com Jaime e com o trabalho.

Na primeira história, Steve enfrenta Maskatron, um andróide, mestre em disfarces, que não apareceu na série de TV. Ele foi criado pela empresa Kenner, fabricante de brinquedos, quando ela lançou uma linha de produtos inspirados no programa.

A produção televisiva era uma adaptação de Cyborg, obra de Martin Caidin publicada em 1972. Em 2014, a série completará 40 anos de sua estreia. O lançamento da sexta temporada em HQ tem como objetivo celebrar o aniversário de O Homem de Seis Milhões de Dólares. A HQ terá versões impressa e digital com lançamento previsto para fevereiro de 2014.

Nova Versão de o Homem de Seis Milhões de Dólares em HQ

Em 1998, a Universal planejava uma versão cinematográfica da série “O Homem de Seis Milhões de Dólares“, também conhecida como “Cyborg”. Produzida na década de 1970, a série fez muito sucesso com o público da época, chegando a gerar uma spinoff (“A Mulher Biônica”) e versões em quadrinhos.

Com roteiro de Kevin Smith, o filme nunca foi produzido. O estúdio desistiu do projeto, que chegou a ter os nomes de Chris Rock e Jim Carrey cotados para substituir Lee Majors, ator que estrelou a série.

No início deste ano, Smith anunciou em entrevistas que seu roteiro foi adaptado para as Histórias em Quadrinhos, dando ao “Homem de Seis Milhões de Dólares” uma nova incursão nesta área. Com texto de Smith em parceria com Phil Hester, arte de Jonathan Lau e capa de Alex Ross, a HQ será lançada em setembro nos EUA, pela Dynamite Entertainment, com o título de “The Bionic Man”.

Na série, Steve Austin é um astronauta que sofre um grave acidente. Tendo ambas as pernas, o braço e o olho direito substituídos por membros biônicos, ele passa a trabalhar para o governo realizando missões que os agentes comuns não conseguiriam completar. A nova HQ coloca a história de Steve Austin no século XXI. A intenção da editora é também lançar as aventuras de Jaime Sommers com HQs de “A Mulher Biônica”.

Confiram quatro capas de “The Bionic Man” divulgadas pela editora. Cliquem nas imagens para ampliar.

EUA: O Homem de Seis Milhões de Dólares, Série Completa em DVD

Sonho de consumo! Cresceu nos anos de 1970? Assistia às séries estreladas pelos biônicos? Então pegue um lenço e chora! Mas chora muito porque os corações das distribuidoras brasileiras são de aço!

Quando lançaram a série completa de “Battlestar Galactica”, eles não incluíram “Galactica” (a original dos anos de 1970), mesmo com o rio de lágrimas derramado! Mas quem sabe, se a choradeira for maior pode formar um oceano! ‘Água’ suficiente para trazer para o Brasil a série completa de “O Homem de Seis Milhões de Dólares”, que será lançada nos EUA no dia 23 de novembro.

Apesar de ter sido produzida pela Universal, a série está saindo em DVD pela Time Life/Warner. A empresa adquiriu os direitos de distribuição nessa mídia, bancando a remasterização do material.

Distribuídos em 40 discos, o box traz todos os episódios produzidos além dos três pilotos, os crossovers com “A Mulher Biônica” e os reunions (incluindo o último que tem a Sandra Bullock como a nova mulher biônica). O lançamento ainda traz mais de 17 horas de material bônus: entrevistas exclusivas com Lee Majors, Lindsay Wagner e Richard Anderson, entre outros; comentários em áudio e 17 minidocumentários. Além de “Bionic Breakdown”, um vídeo interativo que permite o telespectador clicar no olho, braço ou pernas de Steve Austin, para conhecer detalhes sobre os implantes biônicos.

Para aqueles que tiverem interesse em importar, a venda é exclusiva do site da Time Life. O box custa $239.95 + despesa postal + taxas.

Os fãs da “Mulher Biônica” também estão comemorando. A Universal lançou o primeiro box da série no dia 19 de outubro, conforme divulgado aqui.

Confiram o vídeo da divulgação:

Trecho da entrevista com Lee Majors:

EUA: Steve Austin e Jamie Sommers Saem em DVD no Final do Ano

A Universal e a Time Life confirmaram os lançamentos das séries “O Homem de Seis Milhões de Dólares” e de sua spinoff, “A Mulher Biônica”, em DVD para o final desse ano…nos EUA! No Brasil, existe interesse da distribuidora Universal em trazer as séries, mas ainda não há previsão de lançamento.

Em postagem anterior, mencionei os problemas legais pelos quais as duas produções passaram, impedindo que fossem disponibilizadas em DVD. Após anos de disputa judicial e negociações, os direitos foram liberados (leia a respeito aqui).

A Universal definiu o dia 19 de outubro para lançar a série “A Mulher Biônica” nos EUA, 34 anos após sua estreia na TV. Estrelada por Lindsay Wagner e Richard Anderson, a série apresenta as aventuras de Jamie Sommers, uma ex-tenista profissional que, após sofrer um acidente de paraquedas, tem partes de seu corpo substituídas por membros biônicos. Agora, trabalhando para o governo, Jamie mantém uma identidade secreta como professora em uma base militar.  Ao todo, a série teve três temporadas com 58 episódios.

O lançamento de outubro será da primeira temporada com 13 episódios divididos em quatro discos, mais cinco histórias em crossover (cruzamento) com a série da qual originou-se, “O Homem de Seis Milhões de Dólares”, que formam os episódios “A Mulher Biônica” (duas partes), “A Volta da Mulher Biônica” (duas partes) e “Bem Vinda ao Lar Jamie”, que deu início à spinoff. O box também incluirá um documentário, “Bionic Beginnings, que traça a evolução da personagem e da produção da série, bem como entrevistas com a atriz, comentários de Kenneth Johnson (criador e produtor), o diretor Alan J. Levi e o roteirista James Parriott. Os Extras também incluem erros de gravação e galeria de fotos.

Já a série “O Homem de Seis Milhões” terá todas suas cinco temporadas lançadas de uma só vez em uma coleção completa, pela Time Life, no mês de novembro. A coleção inclui todos os episódios remasterizados, mais seus três telefilmes pilotos e os três telefilmes reunions produzidos nos anos 80 e 90. A coleção ainda trará oito horas de material Extra, com documentários e entrevistas com Lee Majors e Richard Anderson.

Tendo estreado em 1974, a série apresentava o astronauta Steve Austin (Majors), que sofre um acidente aéreo. Graças a um projeto experimental secreto do governo, Steve tem suas pernas, braço e olho direitos substituídos por membros biônicos. Agora, trabalhando como agente secreto do governo, Steve realiza missões quase impossíveis.

Após dois anos no ar, Steve ganha uma noiva, Jamie Sommers. Mas, em uma época em que os heróis não podiam manter uma relação fixa, a personagem foi morta ao final da história que a introduziu. O público exigiu e a personagem voltou, ganhando sua própria série.

As capas dos DVDs ainda não foram divulgadas. Abaixo, cenas das duas séries em documentário apresentado por William Shatner e o Robô de “Perdidos no Espaço”:

Rumores Indicam que os Biônicos Podem Sair em DVD

Lindsay Wagner, Kenneth Johnson e Lee Majors nos bastidores
de produção do episódio que introduziu “A Mulher Biônica”



Os fãs de “O Homem de Seis Milhões de Dólares” e de sua spinoff “A Mulher Biônica” já podem começar a contar os dias e as moedas. Após uma longa batalha judicial a Universal teria finalmente chegado a um acordo com os envolvidos. Com isso, o estúdio já pode lançar ambas produções no mercado de DVD americano.

A informação ainda não foi oficializada pelo estúdio, tendo sido divulgada pelo site TV Shows on DVD, bem como pelo site de Kenneth Johnson, responsável pela adaptação do livro de Martin Caidin, para a TV. No site de Johnson a única informação que consta é sobre “A Mulher Biônica”, não há referências sobre a série estrelada por Lee Majors; quem informa que esta produção também será disponibilizada, é o site TV Shows on DVD.

As duas séries (e seus fãs) foram “vítimas” de uma longa batalha judicial pelos direitos autorais, que impediram o lançamento em novas mídias em território americano. Visto que os lançamentos no Brasil estão atrelados ao que pode sair nos EUA, nós também não tínhamos acesso às séries em DVD. Nesse período, foram lançadas as duas primeiras temporadas de ambas as séries na Inglaterra, e a primeira de “A Mulher Biônica” saiu na Alemanha, através de distribuidoras independentes. “O Homem de Seis Milhões de Dólares”, também conhecido como “Cyborg”, teve um total de 5 temporadas enquanto que sua spinoff, “A Mulher Biônica”, teve três.

Segundo o site TV Shows on DVD, a Universal já estaria negociando uma parceria com a Time-Line para disponibilizar as séries em DVD entre 2010 e 2011. A intenção é a de lançar ambas séries completas, provavelmente remasterizada, incluindo os telefilmes produzidos nos anos 80, um dos quais tem a participação da atriz Sandra Bullock. Em seu site, Kenneth Johnson declarou que está nesse momento se preparando para gravar uma entrevista e comentários de episódios sobre “A Mulher Biônica”. Os comentários serão feitos para os episódios “The Ghosthunter” e “Doomsday is Tomorrow”.




“O Homem de Seis Milhões de Dólares” é uma produção que teve como base o livro “Cyborg”; na história da série, temos um astronauta reconstruído artificialmente, com a substituição de ambas as pernas, braço e olho direito, por partes biônicas. A série produzida nos anos 70 fez muito sucesso, criando um marco na televisão, especialmente quando surgiu sua spinoff, a qual deu a um super-herói de TV uma paixão eterna, que não era essencilamente platônica. Steve e Jamie se tornaram um dos primeiros casais a ter uma história contínua apresentada em duas séries e concluída nos telefilmes dos anos 80.

Sendo uma série criada por Kenneth Johnson, “A Mulher Biônica” não estava diretamente presa na disputa, mas por utilizar o mesmo universo, ter várias referências à Steve Austin, personagem do livro, e episódios que se cruzam, a spinoff de “O Homem de Seis Milhões de Dólares” também sofria restrições para ser lançada em DVD. No entanto, essas restrições não impediram a produção de um  remake em 2007, o qual somente foi possível com a alteração da história e a eliminação por completo de Steve Austin da trama.

A disputa pelos direitos autorais teve início quando a Universal, por esquecimento ou desinteresse, não renovou seu contrato com os herdeiros de Martin Caidin. Estes, então, fizeram um acordo com a produtora Dimension, por volta de 2001 ou 2002, para a produção de uma vesão cinematográfica que a princípio seria estrelada por Jim Carrey. No entanto, o projeto foi para a gaveta, mas os direitos continuaram nas mãos da Dimension. Mesmo as séries sendo produções da Universal, o estúdio teria que ter a autorização legal para lançá-las em novas mídias. E, assim, se estabeleceu a disputa pelos direitos autorais que envolveram três conflitos de interesses: os dos herdeiros de Caidin, os da produtora Dimension, e os do estúdio Universal.

Agora é torcer para que a Universal Brasil tenha piedade de nós e lance as séries com a dublagem original e opção de aúdio em inglês!

Lee Majors em Human Target



Curioso em saber por onde anda Lee Majors, aquele que já foi o “Homem de Seis Milhões de Dólares”? Pois o ex-marido de Farrah Fawcett anda fazendo participações em séries de TV. Então, se você não costuma assistir às séries atuais porque só gosta de ver produções clássicas, repense seus conceitos, tal como ele, muitos outros atores que fizeram parte da nossa infância, estão fazendo o mesmo.

Só nessa década Majors já passou por participações em “Will & Grace”, According to Jim”, “Jake 2.0″, “Weeds”, “Cold Case”, “Community” e “The Game”. Agora, é a vez de “Human Target“, série da Fox com base em histórias em quadrinhos.

Majors fará participação no episódio de final de temporada da série, ao lado de Armand Assante, Amy Acker, de “Angel” e “Dollhouse”. O episódio deverá trazer informações sobre o passado de Christopher Chance (Mark Valley). Assante será um antigo chefe de Chance, e Amy interpretará uma personagem que foi essencial na sua mudança de vida. Mas não há informações sobre o personagem a ser interpretado por Lee Majors. Será que ele será papai?

Lee Majors e Jeffrey Meek em “Raven”



Lee Majors, praticamente, estrelou uma série por década, às vezes mais. Nos anos 60 esteve em “Big Valley“, que ganhará uma versão cinematográfica; nos anos 70 esteve em “Owen Marshall”, “O Homem de Shiloh” e “O Homem de Seis Milhões de Dólares”, série que o tornou, de fato, famoso; nos anos 80 foi a vez de “Duro na Queda” e, nos anos 90 ele esteve em “Raven”, interpretando um personagem que deve ter servido de inspiração para o roteirista Matt Nix criar Sam Axe (Bruce Campbell) de “Burn Notice”; não só a personalidade é a mesma, mas até o figurino!

(clique na imagem para ampliar)
Lee Majors e Richard Anderson em
“O Homem de Seis Milhões de Dólares”

Miscelânia

Lauren Grahan: (foto) A Lorelai de “Gilmore Girls/Tal Mãe, Tal Filha”, assinou um contrato com a rede NBC para estrelar uma nova série criada especialmente para ela.

Psych: A série do canal USA foi renovada para uma terceira temporada. Nenhuma informação sobre o futuro de “The 4400″ que encerrou sua quarta temporada ontem à noite nos EUA.

The Oaks: A nova série a ser produzida pela Fox e criada por David Schulner, apresenta três gerações diferentes de famílias que viveram em uma casa mal-assombrada. As histórias irão retratar períodos diferentes da casa. Uma das famílias é um casal interpretado por Shannon Lucio, de “The O.C./Um Estranho no Paraíso”, e Matt Lanter, que recém perderam seu filho em 1968. A segunda família, formada por quatro pessoas, vivem na casa em 1988 e a terceira, é uma mulher grávida que vive na casa em 2008. Parece seguir a linha do filme “If These Walls Could Talk”.

Alyssa Milano: (foto) A Phoebe de “Charmed/Jovem Bruxas” fará participações regulares em alguns episódios da série “My Name is Earl“. Ela interpretará Billie, namorada de Frank (Michael Rapaport), ex-colega de cadeia de Earl. Ao conhecer Earl, ela se inspira em mudar sua vida seguindo o exemplo dele. Uma versão feminina do personagem.

Scrubs: A sétima e última temporada da série irá trazer um final para os personagens do Sacred Heart Hospital. Um dos pesonagens fixos irá sair, a irmã gêmea de Laverne aparece e o nome do zelador será revelado no último episódio.

Rachel Bilson: (foto) A atriz de “O.C./Um Estranho no Paraíso” fará participação em um episódio de duas partes da nova série de Josh Schwartz, criador de “The O.C.”, trata-se de “Chuck“, uma comédia sobre um jovem espião que estréia nos EUA em 24 de setembro. Bilson irá interpretar o interesse romântico de Chuck (Zachary Levi).

William H. Macy: O ator irá estrelar sua própria série. Trata-se de “Family Man” um novo drama da TNT. A série que está sendo preparada para o ano que vem trata de um pacato pai e esposo que à noite aventura-se com seus amigos para assaltar casas e lojas. No elenco também já estão confirmadas as presenças de Annie Potts, de “Desingning Women” e “Joan of Arcadia”, como sua esposa, Jennifer Aspen, Brendan Sexton e Sean O’Bryan. A produção é da Sony em associação com a Storyline Entertainment.

Cyborg – O Homem de Seis Milhões de Dólares: Ao que tudo indica o remake de “A Mulher Biônica” provocou a retomada da produção do filme de “Cyborg, o Homem de Seis Milhões de Dólares”. O diretor Terry Zwigoff está no comando do filme que será produzido pela New Line. Na história, um famoso astronauta sofre um acidente de carro e precisa ter partes de seu corpo substituídas por membros biônicos.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados