Blogs e Colunistas

Lynda Carter

03/11/2013

às 11:44 \ Atores, Por Onde Andam?

Lynda Carter fala sobre sua luta contra o alcoolismo

LyndCarter2013A atriz Lynda Carter, também conhecida como A Mulher-Maravilha, gravou uma entrevista para o programa Oprah: Where Are They Now?, que irá ao ar esta noite nos EUA pelo canal OWN. Na conversa, ela fala sobre sua vida depois da produção que a lançou ao estrelato na década de 1970.

Sonhando em seguir carreira de cantora, Lynda integrou diversas bandas quando ainda era adolescente. Com vinte e um anos, ela ganhou um concurso de beleza que a levou a disputar a coroa no Miss World. Pouco depois Lynda começou a fazer participações como atriz em séries de TV e telefilmes, chegando ao papel que a tornou famosa em 1975. Informações sobre a produção de A Mulher-Maravilha aqui.

Em 1977, ela se casou com seu empresário, Ron Samuels, união que terminou em divórcio em 1982. Segundo a atriz, ela começou a beber durante o período em que esteve casada com Samuels.

Em 1984, ela se casou com o advogado Robert Altman, com quem teve dois filhos e com quem ainda vive. O álcool se tornou um problema para a atriz no início da década de 1990, quando seu marido foi acusado de fraude bancária. Durante todo o processo, ela buscou apoio na bebida. Depois que Altman foi declarado inocente, Lynda se internou em uma clínica de reabilitação.

Esta não é a primeira vez que a atriz fala abertamente sobre seu problema com o álcool. Em 2008, ela concedeu algumas entrevistas nas quais falou sobre seu processo de recuperação.

Nos últimos anos, Lynda vem se dedicado à carreira de cantora. Seu CD mais recente é Crazy Little Things, lançado em 2011. Aos 62 anos de idade, a atriz e cantora realiza turnês pelos EUA. Mas a música não a afastou definitivamente da TV. Ela ainda faz algumas participações, mesmo que esporádicas, como atriz. No dia 7 de novembro, irá ao ar nos EUA sua participação em um episódio de Two and a Half Men, na qual interpreta sua versão ficcional.

Lynda em 'Two and a Half Men' (Foto: CBS)

Lynda em ‘Two and a Half Men’ (Foto: CBS)

 

26/08/2013

às 16:37 \ Atores Convidados, Séries Anos 2000-2009

Lynda Carter em ‘Two and a Half Men’

Lynda Carter no programa de entrevistas 'Today' (Foto: NBC)

Os fãs da eterna Mulher-Maravilha poderão revê-la em Two and a Half Men. Segundo a revista EW, Lynda Carter terá participação em um episódio da 11ª temporada da série, que estreia nos EUA no dia 26 de setembro.

Ela fará uma versão ficcional de si mesma quando Alan (Jon Cryer), fã da atriz desde criança, tem a oportunidade de conhecê-la pessoalmente.

Desde a década de 1990, quando Hawkeye foi cancelada, Lynda teve poucas participações em episódios de outras produções. Ela foi vista em Hope & Faith, Law & Order: SVU, Lei e Ordem e em Smallville, onde interpretou a mãe de Chloe. A atriz esteve no elenco de vários telefilmes, alguns dos quais produzidos por sua empresa, a Potomac Productions.

Com 62 anos de idade, Lynda vem se dedicando à carreira de cantora. Em 2009, ela lançou o CD At Last e, em 2011, foi a vez de Crazy Little Things. No dia 25 de outubro, ela fará um concerto no Lincoln Center de Nova Iorque. No dia seguinte, ela se apresentará no Mohegan Sun, em Uncasville, Connecticut.

Lynda Carter Ainda é a Mulher-Maravilha

Lynda Carter

Como já divulgado, a série que traria de volta à telinha a heroína dos quadrinhos não foi aprovada pelo canal NBC, ficando restrita ao episódio piloto, estrelado por Adrianne Palicki. Com isso, Lynda Carter, atriz que estrelou a série dos anos de 1970, continua sendo a “Mulher-Maravilha” da TV.

A expectativa criada pela imprensa em torno do remake fez parecer que a produção da série era algo certo. Mas, logo de início o projeto assinado por David E. Kelley já despertava reações negativas dos fãs que, tendo acesso às informações sobre o roteiro, não aprovaram várias propostas do projeto.

Entre as mudanças, o novo uniforme, que foi apontado pela imprensa americana como um dos principais fatores que teriam levado o projeto a ser rejeitado.

Mas o que de fato deu errado?  Com certeza não foi o tema. A ideia de ter uma heroína na TV vai ao encontro do perfil das novas séries americanas, a maioria delas centrada no universo feminino. Muitos acreditam que o fracasso de séries como “The Cape” e “No Ordinary Family”, bem como a queda de audiência de “Heroes”, teria feito com que as produções estreladas por super-heróis perdessem lugar nas grandes redes. Para esses, o único canal que poderia exibi-los atualmente seria o CW, voltado para o público jovem, que apresentou ao longo de uma década a série “Smallville”.

Outros acreditam que o problema da nova série seria o fato dela ser situada em um ambiente diferente daquele para o qual a heroína foi concebida. No entanto, essa abordagem já tinha sido feita anteriormente, tanto nos quadrinhos quanto na TV, e aceita pelo público.

Quando a série da década de 1970 foi produzida, ela retratou a história dos quadrinhos em sua primeira temporada, situando a heroína durante o período da 2ª Guerra Mundial. A audiência foi boa mas, mesmo assim, a rede ABC decidiu cancelar a produção. Resgatada pela CBS, a série ganhou uma nova roupagem, levando a heroína aos tempos atuais.

Adrianne Palicki como Diana Themyscira

Influenciada pela série “As Panteras”, a produção da Mulher-Maravilha transformou Diana Prince em uma espécie de panterinha, ou anjo de Charlie, vestindo-a como uma modelo de capa de revista, capaz de realizar diversas tarefas como agente secreto. Assim, sua transformação em heroína era praticamente desnecessária. Nesse formato, a série durou mais duas temporadas.

Curiosamente, o remake de “A Mulher-Maravilha” surgiu no mesmo ano em que outro canal (neste caso a ABC) anunciou a nova versão de “As Panteras”, que teve sua produção aprovada.

Deixando o visual de lado e a ideia de colocá-la ou não em um ambiente contemporâneo, o que parece ter saído errado foi o roteiro. É público e notório que Kelley não consegue desenvolver bem suas personagens femininas. Que me desculpem os fãs de “Ally McBeal”, mas o forte de Kelley são os personagens masculinos. “Harry’s Law”, que está em produção, é estrelada por um personagem que foi concebido para ser um homem, sendo transformado em mulher quando a produção contratou Kathy Bates. No entanto, a concepção de sua personalidade permaneceu inalterada.

Me parece que as personagens mulheres de Kelley são normalmente concebidas como homens. Quando concebidas como mulheres, elas são fracas e inseguras, tornando-se incapazes de se definir dentro de seu próprio universo.

Quem teve acesso ao roteiro do episódio piloto de “A Mulher-Maravilha”, versão 2011,  não se entusiasmou. Segundo divulgado, a proposta e seu desenvolvimento seriam fracos.

Uma das versões do novo uniforme da Mulher-Maravilha, com Adrianne Palicki

Na história, a heroína se divide em três personagens: Diana Prince, Diana Themyscira e a Mulher-Maravilha. O mundo sabe que Diana Themyscira, uma empresária bem sucedida, é a Mulher-Maravilha.

Sua corporação explora a imagem da heroína vendendo bonecos e produtos diversos. O lucro da venda é utilizado na produção de veículos e outros artefatos para que ela, como heroína, possa combater o crime.

Para ajudá-la, ela conta com o apoio de um grupo formado por jovens nerds conhecido como “The Animals”, que trabalha na área de novas tecnologias.

Mas nem todos estão a favor da Mulher-Maravilha, visto que Diana Themyscira é obrigada a comparecer no Senado para defender a constitucionalidade de seus atos como heroína (esse tipo de discurso não faltaria em um roteiro de David E. Kelley, famoso por suas séries de tribunais).

Já Diana Prince é uma jovem comum, conservadora, solitária, que vive em um apartamento de um quarto. Utilizando lentes de contatos que escondem a verdadeira cor de seus olhos, Diana Prince prende seus cabelos em coque e usa óculos. Assim, ninguém a identifica como sendo Diana Themyscira/Mulher-Maravilha.

Vivendo fora da Ilha Paraíso, Diana passa pelo processo normal de envelhecimento. Por isso, como Diana Prince, a personagem busca uma vida normal, algo que ela se arrepende de ter dispensando quando, há quatro anos atrás ela, como Diana Themyscira, terminou seu relacionamento com Steve Trevor, o amor de sua vida, porque uma heroína não tem tempo para romances.

Enquanto isso, Veronica Cale, executiva da Big Pharma, empresa farmacêutica, tem uma ambição na vida: criar super soldados que irão destruir a Mulher-Maravilha e conquistar o mundo…para ela.

Lynda Carter, a Mulher-Maravilha

Essa era a proposta da nova série, rejeitada pela NBC. Testes de audiência levaram o canal a acreditar que a produção não seria bem aceita pelo grande público. Um risco que o canal não poderia correr.

Há anos a NBC vem registrando baixa audiência em sua programação. A queda é significativa e preocupante para uma emissora que ainda não descobriu uma forma de sair do quarto lugar da audiência americana.

Assim, o público continua com Lynda Carter como referência televisiva da Mulher-Maravilha. Não que a produção da década de 1970 represente o que há de melhor em matéria de séries de super-heróis, mas o público infanto-juvenil da época se divertia com as aventuras da heroína.

Exibindo ótima forma física para quem está chegando aos 60 anos de idade, Lynda Carter foi vista recentemente ao ser entrevistada no programa “The Wendy Williams Show”‘, no qual comentou sobre a série que estrelou na década de 1970.

Na época, existiam poucas oportunidades para uma atriz estrelar uma série de TV, Assim, quando iniciaram as inscrições para os testes de uma produção estrelada por uma super-heroína famosa nos quadrinhos, ‘choveram’ candidatas. Entre elas, Farrah Fawcett, Cheryl Ladd, Jaclyn Smith, que ficariam conhecidas como “As Panteras”; e Lindsay Wagner, que se tornaria “A Mulher Biônica”. Segundo Lynda, as quatro sempre disputavam papéis com ela, por terem o mesmo perfil.

Lynda lamenta que a nova série não tenha sido aprovada. Em sua opinião, a heroína merecia uma chance para conquistar uma nova geração de fãs.

Fernanda Furquim: @Fer_Furquim

Atualmente investindo em sua carreira de cantora, Lynda compareceu ao programa para divulgar seu novo CD, “Crazy Little Thing”. Confiram a entrevista no primeiro video. No segundo, Lynda interpreta a música “Crazy Little Thing Called Love”:

21/10/2010

às 15:03 \ Atores, Teatro

Atores de Séries no Teatro

Miss Abigail’s Guide to Dating, Mating & Marriage – A atriz Eve Plumb, que foi uma das crianças da série produzida nos anos de 1970, “The Brady Bunch”, está no elenco dessa montagem. A peça, escrita por Ken Davenport e Sarah Saltzberg, com base no livro de mesmo título, estreia no Downstairs Cabaret Theater, de Nova Iorque, no dia 24 de outubro. A pré-estreia ocorreu no dia 7 de outubro. Eve interpreta Miss Abigail, uma ‘expert’ em relacionamentos que viaja pelo mundo na companhia de seu assistente, Paco, ensinando às pessoas como se comportar durante os primeiros encontros, noivado e no casamento.

Lombardi – Esta é uma nova peça que estreia hoje, dia 21 de outubro, no Square Theatre, em Nova Iorque. No elenco estão Dan Lauria, de “Anos Incríveis”, e Judith Light, de “Ugly Betty” e “Who’s The Boss?”.  Escrita por Eric Simonson, com base no livro biográfico “When Pride Still Mattered: A Life of Vince Lombardi”, de David Maraniss, a peça é situada ao longo de uma semana do ano de 1965. Sob o ponto de vista de um jornalista, Michael McCormick (Keith Nobbs), que prepara uma matéria sobre Lombardi para a revista Look, a peça apresenta o trabalho do consagrado treinador de futebol e a forma como se relacionava com a esposa e tratava os jogadores, interpretados por Bill Dawes, Robert Christopher Riley e Chris Sullivan. Promo da peça no vídeo abaixo:

How To Succeed in Business Without Really Trying – O ator John Larroquette, de “Justiça Sem Limites/Boston Legal”, está na nova montagem desse musical, que terá pré-estreia em 26 de fevereiro de 2011, com estreia em 27 de março, no Al Hirschfeld Theater, de Nova Iorque. Ao seu lado, Daniel Radcliffe, famoso pelos filmes de “Harry Potter”.  Larroquette será J. B. Biggley, presidente de uma empresa que contrata o jovem Finch (Radcliffe). O musical, já transformado em filme na década de 1960, gira em torno de um lavador de janelas que, seguindo as instruções de um livro, busca se tornar um executivo de uma empresa.

Wicked Cool – A eterna Mulher Maravilha, Lynda Carter, apresenta-se entre 9 e 13 de novembro no Feinstein’s Loews Regency, em Nova Iorque, com seu show acústico. O repertório não foi divulgado.

One Night Joan – Outra lenda da televisão, Joan Collins, de “Dinastia”, também se apresenta com seu show de cabaré, entre os dias 16 e 27 de novembro, no Feinstein’s Loews Regency, de Nova Iorque. No show, a atriz divide com o público curiosidades e segredos de sua vida e carreira.

Leap of Faith - A atriz Brooke Shields, de “Suddenlly Susan”, está no elenco dessa adaptação musical do filme “Fé Demais Não Cheira Bem”, com Steve Martin, lançado em 1992. A montagem estreou no dia 11 de setembro e fica em cartaz até o dia 24 de outubro no Ahmanson Theater de Los Angeles. Na história, o golpista Jonas Nightingale (Raul Esparza), que se faz passar por ministro itinerante, chega a uma pequena cidade do Kansas onde inicia os preparativos para aplicar seu novo golpe. Mas as coisas se complicam quando ele conhece a garçonete Marva (Brooke). No filme a personagem foi interpretada por Lolita Davidovich. Promo do musical no vídeo acima.

Deathtrap – A peça de Ira Levin estreou no dia 21 de agosto  no Noël Coward Theatre de Londres. No elenco estão Simon Russell Beale, “Spooks”, Estelle Parsons, de “Roseanne”, Claire Skinner, de “Outnumbered”, e Jonathan Groff, de “Glee”. A peça, escrita em 1978, traz uma história em dois atos e seis cenas, estrelada por cinco personagens. Já adaptada para o cinema, estrelada por Michael Caine e Christopher Reeve, a história gira em torno de um autor teatral que está tendo problemas para escrever sua próxima peça. Após amargar alguns fracassos, ele entra em desespero. Então ele conhece um jovem autor que lhe apresenta um texto. Surpreso pela qualidade do trabalho, ele passa a imaginar uma forma de roubar a obra. O trailer divulgado tem uma estética cinematográfica como podem conferir no vídeo acima.

Love, Loss and What I Wore - Desde que estreou em outubro de 2009, a montagem traz um elenco rotativo. Entre os dias 6 e 31 de outubro, os fãs de “Agente 86″ poderão conferir a atriz Barbara Feldon no elenco. A intérprete da agente 99 na série dos anos de 1960 está ao lado de Erin Dilly, Tovah Feldshuh, Aisha de Haas e Ashley Austin Morris na leitura . A montagem está em cartaz no Westside Theatre de Nova Iorque.

Dick Van Dyke – Step in Time! A Musical Memoir - O veterano ator e dançarino contará a história de sua vida em um show musical. A pré-estreia será no dia 8 de dezembro, com estréia no dia 16 do mesmo mês, no Geffen Playhouse de Los Angeles. A montagem ficará em cartaz até o dia 16 de janeiro de 2011. O astro da sitcom “Dick Van Dyke Show” e da série “Diagnosis Murder” terá a companhia dos atores Eric Bradley, Bryan Chadima e Mike Mendyke, três cantores que formarão um quarteto com Van Dyke.

A Life in the Theatre - Patrick Stewart, de “Jornada nas Estrelas: A Nova Geração”, retorna aos palcos com essa peça ao lado de T.R. Knight, de “Grey’s Anatomy”, que substituiu Joshua Jackson, de “Fringe”, como já divulgado aqui. A história gira em torno de dois atores, um veterano e um iniciante, que conversam nos bastidores de um teatro. Inicialmente entusiasmado em trabalhar ao lado de uma lenda, o jovem aceita de bom grado os conselhos do ator. Mas quando começa a conquistar seu próprio espaço, ele descobre que terá de aprender a lidar com o ego de seu mentor. A peça de David Mamet estreou no dia 12 de outubro e ficará em cartaz no Gerald Schoenfeld Theatre até o final do ano. Com a montagem, o ator se colocou à disposição do site da Broadway para responder perguntas dos fãs, que deverão se enviadas até o dia 27 de outubro. Abaixo, trecho da peça e, no segundo vídeo, a chamada exibida na TV.

01/10/2010

às 19:53 \ Pilotos de Séries, Remakes, Versão Televisiva

David E. Kelley Prepara Remake de A Mulher Maravilha

Alguém esperava por essa? David E. Kelley, famoso por suas séries de tribunais, vai investir no gênero de super-heróis.  Depois de ter adaptado a inglesa “Life on Mars”, Kelley assumiu o projeto que levará a Princesa Amazona de volta à TV.

“A Mulher Maravilha” originou-se nos quadrinhos chegando à TV na década de 70, lançando a carreira de Lynda Carter, xeroquinho da personagem.

Há quase dez anos, a Warner vem tentando lançar um filme nos cinemas estrelado pela heroína. Vários nomes foram ligados ao projeto, entre eles Joel Silver e Joss Whedon. Tudo indica que a versão cinematográfica ainda está em desenvolvimento mas, agora, correrá em paralelo com o projeto da série de TV.

Segundo The Hollywood Reporter, a Warner produzirá uma adaptação moderna do clássico da DC Comic com Kelley responsável pelo roteiro e pela produção. A série deverá ter como base as histórias dos quadrinhos, que surgiram em 1941. Ainda não há nenhum canal de TV envolvido. A Warner não confirmou a informação até o momento.

Esta é a segunda tentativa de se produzir uma nova série com a personagem. Na década de 90, o sucesso de “Lois & Clark: As Novas Aventuras do Superman” levou a Warner a encomendar um roteiro escrito por Deborah Joy LeVine, responsável pela produção estrelada por Clark Kent.

08/12/2009

às 21:34 \ Atores, Eventos

Mel Brooks é Homenageado em Washington


Mel Brooks, uma lenda no cinema e na TV, foi homenageado no 32º Kennedy Center Honors, no The John F. Kennedy for the Performing Arts, em Washington D.C., dia 6 de dezembro. Presentes no evento, além do próprio presidente Barack Obama e da Primeira Dama, estavam vários famosos, como Carl Reiner (The Dick Van Dyke Show), Carol Burnett (The Carol Burnett Show), Jane Krakowski (30 Rock), Lynda Carter (A Mulher Maravilha/Wonder Woman), Donald Sutherland (Dirty Sexy Money) e Harvey Keitel (Life on Mars). A cerimônia foi gravada e deve ser transmitida pela CBS dia 29 de dezembro às 21h.

(clique para ampliar)

Carl Reiner com a esposa e Carol Burnett


Jane Krakowski e Lynda Carter


Donald Sutherland e Harvey Keitel com a esposa

02/04/2007

às 11:00 \ Atores Convidados, Séries Anos 2000-2009

Imagens de Lynda


Quem é fã de Lynda Carter, a Mulher Maravilha, e de Smallville, já está sabendo que a atriz irá interpretar a mãe de Chloe na sexta temporada.

O episódio Progeny em que ela faz sua participação na série irá ao ar nos EUA no dia 19 de abril, mas algumas imagens já foram liberadas ao público. Nessas fotos vemos
Lynda como Moira Sullivan, mãe de Chloe, que estava internada em um hospital para doentes mentais.

O video abaixo é um trailler do episódio, Lynda aparece muito rápido nas imagens.

14/02/2007

às 12:31 \ Atores Convidados

Mulher-Maravilha em Smallville


Os fãs da eterna Mulher-Maravilha, Lynda Carter, terão motivos para comemorar. A atriz terá participação em um episódio da série Smallville que retrata os dias de Clark Kent quando adolescente. Carter não fará nenhuma super-heroína com braceletes e laço da verdade, mas a mãe da personagem Chloe, Moira Sullivan, que retorna à vida da filha após anos de ausência. Segundo episódios anteriores, foi mencionado que Moira estava internada em um hospital psiquiátrico. Sua personagem fará a primeira aparição em um episódio do dia 12 de abril, nos Estados Unidos.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados