Blogs e Colunistas

Lee Majors

14/11/2011

às 10:49 \ Atores Convidados, Séries Anos 2010-2019

Foto: Lee Majors e Shirley Jones em Raising Hope

Lee Majors e Shirley Jones em Raising Hope (Foto: Beth Dubber/Fox)

No dia 15 de novembro será exibido nos EUA o episódio “Burt’s Parents”, da série “Raising Hope“. Para os fãs de séries antigas, o episódio traz a participação de dois veteraníssimos da TV: Lee Majors e Shirley Jones.

[Spoilers] Na história, os pais de Burt chegam para passar o Dia de Ação de Graças com o filho e sua família. O problema é que eles estão bem de vida. Então, a única forma de impressioná-los é pegar uma casa emprestada. [Fim dos Spoilers]

Esta é a terceira série na qual Majors faz participação especial este ano. As duas primeiras foram “$#*! My Dad Says” e “Grey’s Anatomy”. Já para Jones, esta é a primeira em 2011.

Cliquem na foto para ampliar.

14/09/2011

às 12:38 \ Atores Convidados, Séries Anos 2010-2019

Lee Majors e Shirley Jones em Raising Hope

Lee Majors

Ele ficou famoso como Steve Austin, “O Homem de Seis Milhões de Dólares”, e ela ficou conhecida como a mamãe da família Partridge, na série musical dos anos de 1970, “A Família Dó-Ré-Mi”. Agora, os dois veteranos da telinha formarão um casal em sua participação na série “Raising Hope“.

Segundo o site TV Line, eles aparecerão em pelo menos um episódio interpretando os pais de Burt (Garret Dillahunt). Nenhuma informação sobre os personagens ou sobre a história foi divulgada ainda.

Desde o cancelamento de “Raven”, na década de 1990, Lee Majors, agora com 72 anos, vem fazendo participações especiais em séries de TV.

Shirley Jones

A mais recente foi na sitcom “ $#*! My Dad Says”, estrelada pelo amigo William Shatner, na qual ele interpreta um milionário. O ator também está no elenco da versão cinematográfica de “Big Valley”, série que lançou sua carreira na década de 1960. No momento o filme está em fase de pós-produção.

Este ano Majors fez sua estreia no circuito de Convenções, tendo participado de eventos realizados no Canadá, onde conversou com fãs e respondeu perguntas sobre as séries que estrelou.

Shirley Jones, hoje com 77 anos, vem nos últimos anos atuando em filmes. Em 2009 ela esteve em um episódio de “Ruby & the Rockits“, sitcom da ABC Family criada pelos filhos Ryan e Shaun Cassidy e estrelada por seu outro filho Patrick Cassidy e por seu afilhado David Cassidy, que na sitcom da década de 1970 interpretava seu filho Keith.

A segunda temporada de “Raising Hope” estreia nos EUA no dia 20 de setembro.

20/01/2011

às 13:08 \ Atores Convidados

Primeira Foto: Lee Majors e William Shatner em $#*! My Dad Says

Lee Majors (E) e William Shatner (D) (Foto Greg Gayne/Warner Television)

Esta é a primeira imagem divulgada da participação especial de Lee Majors na série estrelada por William Shatner.

O ex-homem de seis milhões de dólares interpreta Don Reger, um milionário que entra em conflito com o rabugento Ed (Shatner) no episódio que irá ao ar nos EUA no dia 3 de fevereiro.

Lee Majors tem feito várias participações especiais na última década, sendo visto em séries como “Son of the Beach”, “Jake 2.0″, “Will & Grace”, “Weeds”, “Arquivo Morto/Cold Case”, “The Game”, “According to Jim”, “Human Target”, “Community” e “Undercovers”.

O ator também está no elenco da versão cinematográfica de uma de suas séries: “Big Valley”, na qual interpretará o pai de Heath, personagem que interpretou na produção original dos anos de 1960.

“$#*! My Dad Says”  estreia no Brasil no dia 7 de fevereiro pelo canal Warner.

Lee Majors em $#*! My Dad Says

Lee Majors na festa do Golden Globe de 2011 (Foto Rodriguez/Getty)

Ontem à noite William Shatner divulgou em seu Twitter a informação de que o ator Lee Majors fará uma participação especial em sua sitcom, “$#*! My Dad Says“.

O episódio deverá ir ao ar nos EUA no dia 3 de fevereiro. Segundo o Hollywood Reporter, Majors interpretará um milionário arrogante que entra em conflito com Ed (Shatner).

Os dois atores, que se tornaram amigos na vida real, trabalharam juntos em pelo menos quatro ocasiões, quando Shatner teve participações especiais em três séries estreladas por Majors: “Big Valley”, em 1966, “Owen Marshall”, em 1971 e 1972, e “O Homem de Seis Milhões de Dólares”, em 1974.

A sitcom “$#*! My Dad Says”, versão televisiva de um perfil do Twitter, estreia no Brasil no dia 7 de fevereiro pelo canal Warner. A série, que está em sua primeira temporada registrando uma média de 10 milhões de telespectadores por semana, ainda não garantiu sua renovação.

04/08/2010

às 16:58 \ Pilotos de Séries

Novos Projetos e Pilotos

Os canais americanos já apresentaram oficialmente sua nova programação, que estreia nos EUA a partir de setembro. Mas muitos projetos de séries ainda estão em desenvolvimento, sendo que outros já conseguiram ganhar a encomenda de um episódio piloto. Esse primeiro episódio costuma ser utilizado para avaliação do conteúdo proposto. Caso o canal goste do resultado, uma série é encomendada. A partir daí, o piloto pode continuar o mesmo, ou poderá ser refilmado com outros atores, personagens ou até mesmo com mudanças no roteiro e rumo da história.

Entre os projetos que estão entrando ‘no forno’ está a nova proposta de Diablo Cody, roteirista do filme “Juno” e da série “The United States of Tara”, produção de Steven Spielberg para o canal Showtime.

O projeto foi oferecido ao canal aberto Fox, que encomendou a produção de um piloto para avaliação. Isso significa que a roteirista terá de cuidar o tipo de linguagem e personagens que irão compor a série, não podendo explorar situações e personagens no mesmo nível de “The United States of Tara”, produção para a TV a cabo. A comédia recebeu o título de “The Breadwinner”, com produção de Cody e Mason Novick para a Warner Brothers.

O contrato estabelece uma penalidade contra o canal Fox, caso a série não seja exibida. A Warner e a Fox não divulgaram oficialmente o projeto, que chegou ao público via The Hollywood Reporter e Variety, mas eles não têm informações sobre o enredo.

Muitos outros pilotos foram encomendados por outros canais. Entre eles,  “Reed Between the Lines”, para o canal a cabo BET, com produção de Tracee Ellis Ross, atriz da sitcom “Girlfriends”. Criado por Kellie Griffin, a história gira em torno da Dra. Carla (Ross), uma psiquiatra que tenta equilibrar sua vida profissional com a familiar.

Pelo Lifetime, existe um projeto, ainda sem título, a ser estrelado por Sherry Stringfield, de “Plantão Médico/ER”, que teve seu piloto encomendado. Criado por Josh Berman, de “Drop Dead Diva”, a produção é da Sony Pictures TV, e gira em torno da detetive da polícia, Molly Collins, que está à beira do divórcio. Enquanto tenta lidar com os problemas pessoais, ela investiga crimes na cidade de San Diego.  O canal também encomendou a produção dos pilotos de “Against the Wall” e “Exit 19″.

Tem também “Sherwood“, produção de Damian Kindler, Martin Wood e Amanda Tapping (todos de “Sanctuary”) para o canal SyFy, que faz uma releitura moderna da história de Robin Hood. Situada no Século XXIII, a série deverá apresentar um jovem que se une a um grupo de renegados para lutar contra a tirania em meio a naves espaciais. O roteiro é de Damian Kindler com produção da My Plastic Badgers. Lembrando que uma versão futurista de Robin Hood já foi produzida no Canadá em 1966 com a série animada “Super Robin Hood do Espaço“. Uma versão futurista de Robin Hood também está em desenvolvimento pela Warner para ser lançada no cinema.

O canal SyFy também tem mais seis projetos em desenvolvimento. Um deles é “Me and Lee“, com Lee Majors, já divulgado aqui. Os demais são “Ball and Chain“, de Andrew Miller, que gira em torno de Edgar e Mallory, um casal que, no dia em que termina seu relacionamento, é atingido por um meteorito, o qual dá à dupla poderes especiais que só funcionam quando eles estão próximos um do outro. Mas o meteorito também traz consigo forças malignas que desejam dominar a humanidade.

Orion“, aventura espacial sobre uma caçadora de relíquias que, juntamente com sua equipe, roubam artefatos valiosos para serem vendidos no mercado negro, enquanto são perseguidos por caçadores de recompensas. A série foi criada por Dirk Blackman e Howard McCain.

Legendary“, produção que deverá trazer Kevin Sorbo (Hércules) de volta à TV. A história traz Sorbo interpretando uma versão televisiva de si mesmo: um antigo astro de uma série de TV que é abordado por um fã para utilizar a força de seu famoso personagem na luta contra criaturas mitológicas que ameaçam Los Angeles. A série foi criada por Adam Karp e Royal McGraw. Recentemente, Sorbo tentou emplacar uma série no Canadá, com o título de “Wolf Canyon“, na qual interpretou um astro em decadência. O piloto chegou a ser exibido, mas o canal não encomendou a produção de novos episódios.

Zeros” é uma sátira na qual temos uma população de zumbis que ultrapassa a barreira que os separavam do mundo normal. Os ‘normais’ chamam a empresa Zombie Extermination and Removal Operations, conhecida por Zeros, para manter a paz, utilizando métodos pouco ortodoxos. Criada por David Kenin e Steve Brenner.

O último projeto divulgado pelo SyFy é “Human Relations“, sobre um rapaz que tem um trabalho temporário em uma agência de publicidade que lida com a Internet. Ele descobre que os demais funcionários da empresa são, na verdade, alienígenas com o plano de destruir a Terra.

A série foi criada por Scott Prendergast, mas a atriz Amber Benson, a Tara de “Buffy, a Caça Vampiros”, já andou reclamando que o projeto é muito parecido com outro que ela andou oferecendo à Warner Brothers, no início desse ano, com o título de “Drones”. Nem dá para o SyFy dizer que não sabia, porque o trailer do filme de Benson foi divulgado pelo canal em janeiro, com exclusividade. Confira abaixo:

Outro piloto encomendado, desta vez pelo canal FX, é uma paródia indireta à “Jornada nas Estrelas”. O título é “U.S.S. Alabama“, projeto criado, e a ser estrelado, por Robert Ben Garant e Thomas Lennon, ambos de “Reno 911″. Situada no futuro, a série apresentará a tripulação da USS Alabama, espaçonave que pertence às Nações Unidas, que está no último ano, de uma missão de sete anos, para preservar a paz entre os planetas de sua jurisdição, o Setor 187-G.

Visitando planetas hostis, conhecendo novas formas de vidas e desesperadamente procurando manter relações sexuais entre eles, a tripulação tenta cumprir com sua missão. O piloto faz parte da mudança de perfil do canal americano, que retorna às suas origens, oferecendo programas para um público predominantemente masculino.

Pela HBO existe um projeto de Will Ferrell para adaptar o livro “I Don’t Care About Your Band“, livro que narra a história da atriz e roteirista Julie Kalusner sobre os diversos relacionamentos sexuais que ela teve ao sair da adolescência. Se transformado em série, a produção poderá ser estrelada por Lizzy Caplan, de “Party Down”.

Outros projetos em desenvolvimento, mas ainda sem canais interessados, são: “Cop Withtout a Badge“, projeto oferecido por David Black, de “Lei e Ordem”, com base no livro de Charles Knapp sobre um ex-condenado que se torna informante da polícia; “Femme Fatales“, título provisório, com base na revista de mesmo nome que cobre o universo das produções B e suas atrizes. O projeto de Mark A. Altman (Castle) para a produtora Skinamax pretende apresentar histórias no formato noir, com episódios antológicos (sem atores ou personagens fixos) estrelados por personagens femininas fortes e sensuais.

Por fim, Ryan Murphy, criador de “Glee”, anunciou que está desenvolvendo uma nova série musical, especialmente para a atriz e amiga Kristin Chenoweth, que faz participações em “Glee”. Por isso mesmo, Ryan correu para avisar que não se trata de uma spinoff; a série deverá ser desenvolvida em torno de outro personagem e situação.

Aproveitando a postagem, o canal inglês Sky1 anunciou o cancelamento do projeto que daria um remake à série “Blake’s 7“, produção dos anos 70.

EUA: Steve Austin e Jamie Sommers Saem em DVD no Final do Ano

A Universal e a Time Life confirmaram os lançamentos das séries “O Homem de Seis Milhões de Dólares” e de sua spinoff, “A Mulher Biônica”, em DVD para o final desse ano…nos EUA! No Brasil, existe interesse da distribuidora Universal em trazer as séries, mas ainda não há previsão de lançamento.

Em postagem anterior, mencionei os problemas legais pelos quais as duas produções passaram, impedindo que fossem disponibilizadas em DVD. Após anos de disputa judicial e negociações, os direitos foram liberados (leia a respeito aqui).

A Universal definiu o dia 19 de outubro para lançar a série “A Mulher Biônica” nos EUA, 34 anos após sua estreia na TV. Estrelada por Lindsay Wagner e Richard Anderson, a série apresenta as aventuras de Jamie Sommers, uma ex-tenista profissional que, após sofrer um acidente de paraquedas, tem partes de seu corpo substituídas por membros biônicos. Agora, trabalhando para o governo, Jamie mantém uma identidade secreta como professora em uma base militar.  Ao todo, a série teve três temporadas com 58 episódios.

O lançamento de outubro será da primeira temporada com 13 episódios divididos em quatro discos, mais cinco histórias em crossover (cruzamento) com a série da qual originou-se, “O Homem de Seis Milhões de Dólares”, que formam os episódios “A Mulher Biônica” (duas partes), “A Volta da Mulher Biônica” (duas partes) e “Bem Vinda ao Lar Jamie”, que deu início à spinoff. O box também incluirá um documentário, “Bionic Beginnings, que traça a evolução da personagem e da produção da série, bem como entrevistas com a atriz, comentários de Kenneth Johnson (criador e produtor), o diretor Alan J. Levi e o roteirista James Parriott. Os Extras também incluem erros de gravação e galeria de fotos.

Já a série “O Homem de Seis Milhões” terá todas suas cinco temporadas lançadas de uma só vez em uma coleção completa, pela Time Life, no mês de novembro. A coleção inclui todos os episódios remasterizados, mais seus três telefilmes pilotos e os três telefilmes reunions produzidos nos anos 80 e 90. A coleção ainda trará oito horas de material Extra, com documentários e entrevistas com Lee Majors e Richard Anderson.

Tendo estreado em 1974, a série apresentava o astronauta Steve Austin (Majors), que sofre um acidente aéreo. Graças a um projeto experimental secreto do governo, Steve tem suas pernas, braço e olho direitos substituídos por membros biônicos. Agora, trabalhando como agente secreto do governo, Steve realiza missões quase impossíveis.

Após dois anos no ar, Steve ganha uma noiva, Jamie Sommers. Mas, em uma época em que os heróis não podiam manter uma relação fixa, a personagem foi morta ao final da história que a introduziu. O público exigiu e a personagem voltou, ganhando sua própria série.

As capas dos DVDs ainda não foram divulgadas. Abaixo, cenas das duas séries em documentário apresentado por William Shatner e o Robô de “Perdidos no Espaço”:

10/06/2010

às 2:35 \ Filmes, Versão Cinematográfica

Jessica Lange e Stephen Moyer no elenco de The Big Valley

A veterana Jessica Lange acertou sua participação na versão cinematográfica de “The Big Valley“. Segundo o Variety, ela interpretará a matriarca Victoria Barkley, personagem vivido por Barbara Stanwick na série dos anos 60. Jessica substitui Susan Sarandon, que chegou a negociar seu contrato, mas que, pelo visto, não deu certo.

Entre os filhos de Victoria, já estão confirmadas as participações de Stephen Moyer, famoso como o vampiro Bill em “True Blood”, que aqui será o advogado Jarrod, interpretado pelo falecido Richard Long na série dos anos 60. O rancheiro Nick Barkley será interpretado por Jason Alan Smith, em substituição à Peter Breck, ator que deu vida ao personagem na série.

Jason Alan Smith e Travis Fimmel

A filha Audrey, anteriormente vivida por Linda Evans, agora será interpretada por Lorraine Nicholson, filha do ator Jack Nicholson. Heath, o filho bastardo do marido de Victoria, será interpretado por Travis Fimmel, de “The Beast”. O personagem deu fama à Lee Majors, que agora aparece no filme como o marido de Victoria em uma breve participação (já que ela é viúva).

Lorraine Nicholson e Lee Majors

Também no elenco estão Bruce Dern e Richard Dreyfus atores que tiveram participações em episódios da série original. Não descobri se o filme irá trazer de volta o personagem Eugene Barkley, que apareceu apenas nos primeiros episódios, sumindo mais tarde como se nunca tivesse existido.

O filme tem roteiro e direção de Daniel Adams, e tem previsão de início de filmagens para o dia 26 de julho em Baton Rouge, na Louisiana. A história deverá apresentar a luta da família Barkley contra uma empresa de ferrovia que faz de tudo para adquirir suas terras.

Stephen Moyer

Stephen Moyer também está no elenco de outros cinco filmes. O ator já está na estrada há pelo menos 15 anos. Apesar de todos os trabalhos que fez, a maioria na Inglaterra, a fama internacional veio como o vampiro Bill em “True Blood”. Agora, o ator aproveita para fazer seu nome também no cinema. O interessante é ver que o ator está ‘atirando’ em todas as direções, já que não se sabe o que vai dar certo ou não. Assim, Stephen poderá ser visto em pelo menos seis gêneros de filmes diferentes: biográfico, thriller, ficção, fantasia, drama e faroeste.

São quatro filmes em fase de pós-produção: “Master Class“, adaptado e dirigido por Faye Dunaway, sobre a vida de Maria Callas, com base em uma peça de teatro; “The Caller“, thriller de mistério; “Ice“, ficção futurista;  e “Priest“, filme fantasia sobre vampiros que sequestram a sobrinha de um padre. Além de “The Big Valley”, o filme “The Double“, também está em fase de produção. Trata-se de um drama de ação com Richard Gere, que interpreta um ex-agente da CIA que volta à ativa unindo-se a um jovem agente do FBI (Topher Grace, de “That 70′s Show”) para caçar o assassino de um Senador. Stephen interpreta um espião russo.

Rumores Indicam que os Biônicos Podem Sair em DVD

Lindsay Wagner, Kenneth Johnson e Lee Majors nos bastidores
de produção do episódio que introduziu “A Mulher Biônica”



Os fãs de “O Homem de Seis Milhões de Dólares” e de sua spinoff “A Mulher Biônica” já podem começar a contar os dias e as moedas. Após uma longa batalha judicial a Universal teria finalmente chegado a um acordo com os envolvidos. Com isso, o estúdio já pode lançar ambas produções no mercado de DVD americano.

A informação ainda não foi oficializada pelo estúdio, tendo sido divulgada pelo site TV Shows on DVD, bem como pelo site de Kenneth Johnson, responsável pela adaptação do livro de Martin Caidin, para a TV. No site de Johnson a única informação que consta é sobre “A Mulher Biônica”, não há referências sobre a série estrelada por Lee Majors; quem informa que esta produção também será disponibilizada, é o site TV Shows on DVD.

As duas séries (e seus fãs) foram “vítimas” de uma longa batalha judicial pelos direitos autorais, que impediram o lançamento em novas mídias em território americano. Visto que os lançamentos no Brasil estão atrelados ao que pode sair nos EUA, nós também não tínhamos acesso às séries em DVD. Nesse período, foram lançadas as duas primeiras temporadas de ambas as séries na Inglaterra, e a primeira de “A Mulher Biônica” saiu na Alemanha, através de distribuidoras independentes. “O Homem de Seis Milhões de Dólares”, também conhecido como “Cyborg”, teve um total de 5 temporadas enquanto que sua spinoff, “A Mulher Biônica”, teve três.

Segundo o site TV Shows on DVD, a Universal já estaria negociando uma parceria com a Time-Line para disponibilizar as séries em DVD entre 2010 e 2011. A intenção é a de lançar ambas séries completas, provavelmente remasterizada, incluindo os telefilmes produzidos nos anos 80, um dos quais tem a participação da atriz Sandra Bullock. Em seu site, Kenneth Johnson declarou que está nesse momento se preparando para gravar uma entrevista e comentários de episódios sobre “A Mulher Biônica”. Os comentários serão feitos para os episódios “The Ghosthunter” e “Doomsday is Tomorrow”.




“O Homem de Seis Milhões de Dólares” é uma produção que teve como base o livro “Cyborg”; na história da série, temos um astronauta reconstruído artificialmente, com a substituição de ambas as pernas, braço e olho direito, por partes biônicas. A série produzida nos anos 70 fez muito sucesso, criando um marco na televisão, especialmente quando surgiu sua spinoff, a qual deu a um super-herói de TV uma paixão eterna, que não era essencilamente platônica. Steve e Jamie se tornaram um dos primeiros casais a ter uma história contínua apresentada em duas séries e concluída nos telefilmes dos anos 80.

Sendo uma série criada por Kenneth Johnson, “A Mulher Biônica” não estava diretamente presa na disputa, mas por utilizar o mesmo universo, ter várias referências à Steve Austin, personagem do livro, e episódios que se cruzam, a spinoff de “O Homem de Seis Milhões de Dólares” também sofria restrições para ser lançada em DVD. No entanto, essas restrições não impediram a produção de um  remake em 2007, o qual somente foi possível com a alteração da história e a eliminação por completo de Steve Austin da trama.

A disputa pelos direitos autorais teve início quando a Universal, por esquecimento ou desinteresse, não renovou seu contrato com os herdeiros de Martin Caidin. Estes, então, fizeram um acordo com a produtora Dimension, por volta de 2001 ou 2002, para a produção de uma vesão cinematográfica que a princípio seria estrelada por Jim Carrey. No entanto, o projeto foi para a gaveta, mas os direitos continuaram nas mãos da Dimension. Mesmo as séries sendo produções da Universal, o estúdio teria que ter a autorização legal para lançá-las em novas mídias. E, assim, se estabeleceu a disputa pelos direitos autorais que envolveram três conflitos de interesses: os dos herdeiros de Caidin, os da produtora Dimension, e os do estúdio Universal.

Agora é torcer para que a Universal Brasil tenha piedade de nós e lance as séries com a dublagem original e opção de aúdio em inglês!

Lee Majors em Human Target



Curioso em saber por onde anda Lee Majors, aquele que já foi o “Homem de Seis Milhões de Dólares”? Pois o ex-marido de Farrah Fawcett anda fazendo participações em séries de TV. Então, se você não costuma assistir às séries atuais porque só gosta de ver produções clássicas, repense seus conceitos, tal como ele, muitos outros atores que fizeram parte da nossa infância, estão fazendo o mesmo.

Só nessa década Majors já passou por participações em “Will & Grace”, According to Jim”, “Jake 2.0″, “Weeds”, “Cold Case”, “Community” e “The Game”. Agora, é a vez de “Human Target“, série da Fox com base em histórias em quadrinhos.

Majors fará participação no episódio de final de temporada da série, ao lado de Armand Assante, Amy Acker, de “Angel” e “Dollhouse”. O episódio deverá trazer informações sobre o passado de Christopher Chance (Mark Valley). Assante será um antigo chefe de Chance, e Amy interpretará uma personagem que foi essencial na sua mudança de vida. Mas não há informações sobre o personagem a ser interpretado por Lee Majors. Será que ele será papai?

Lee Majors e Jeffrey Meek em “Raven”



Lee Majors, praticamente, estrelou uma série por década, às vezes mais. Nos anos 60 esteve em “Big Valley“, que ganhará uma versão cinematográfica; nos anos 70 esteve em “Owen Marshall”, “O Homem de Shiloh” e “O Homem de Seis Milhões de Dólares”, série que o tornou, de fato, famoso; nos anos 80 foi a vez de “Duro na Queda” e, nos anos 90 ele esteve em “Raven”, interpretando um personagem que deve ter servido de inspiração para o roteirista Matt Nix criar Sam Axe (Bruce Campbell) de “Burn Notice”; não só a personalidade é a mesma, mas até o figurino!

(clique na imagem para ampliar)
Lee Majors e Richard Anderson em
“O Homem de Seis Milhões de Dólares”

04/02/2010

às 18:39 \ Séries Anos 1980-1989

Relembrando Duro na Queda


Click Here for Translation to English

Anos 80, década em que as séries de ação eram em geral leves, tinham muita pancadaria sem dor, os tiroteios não matavam ninguém e os bonitões usavam jeans justíssimos. Um bom exemplo desses tempos é Duro na Queda/The Fall Guy, criada por Glen A. Larson e produzida de 1981 a 1986. Seu elenco principal era composto por Lee Majors (Colt Seavers), Douglas Barr (Howie Munson) e Heather Thomas (Jody Banks).

O enredo era bem simples. Colt Seavers arrisca a pele nos estúdios como dublê e nas ruas como caça-prêmio. Para se esfolar no cinema, ele aguarda trabalho ao telefone. Quando este não chega, ele sabe que pode contar com algum acusado que fugiu depois da fiança ser paga, e por cuja captura ele sempre recebe uma bela recompensa. Esta é oferecida por Samantha Jack (Jo Ann Pflug), na primeira temporada, depois por Terri Michaels (Markie Post), e finalmente por Pearl Sperling (Nedra Voltz).

Em ambas as atividades ele é assistido por seu primo, Howie, um jovem aprendiz de dublê que começou dezenas de faculdades e não terminou nenhuma, e a dublê Jody. Juntos, eles percorrem todo o país no mais precioso bem de Seavers: sua pick-up personalizada.

O tema de abertura foi escrito por Glen A. Larson, Gail Jensen e David Sommerville, e interpretada por Lee Majors. A letra faz referência a sua ex-mulher, Farrah Fawcett, e mostra a queixa do dublê, que faz todas as cenas duras, mas são os astros que ficam com as garotas no final.


The Unknown Stuntman

Well, I’m not the kind to kiss and tell,
But I’ve been seen with Farrah.
I’ve never been with anything less than a nine, so fine.

I’ve been on fire with Sally Field,
Gone fast with a girl named Bo,
But somehow they just don’t end up as mine.

It’s a death defyin’ life I lead,
I take my chances.
I die for a livin’ in the movies and TV.
But the hardest thing I ever do
Is watch my leadin’ ladies
Kiss some other guy while I’m bandagin’ my knee.

I might fall from a tall building,
I might roll a brand new car.
‘Cause I’m the unknown stuntman that made Redford such a star.

I’ve never spent much time in school
But I taught ladies plenty.
It’s true I hire my body out for pay, Hey Hey.

I’ve gotten burned over Cheryl Tiegs,
Blown up for Raquel Welch.
But when I end up in the hay it’s only hay, Hey Hey.

I might jump an open drawbridge,
Or Tarzan from a vine.
‘Cause I’m the unknown stuntman that makes Eastwood look so fine.




Texto: Marta Machado (a convite de Fernanda Furquim)

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados