Blogs e Colunistas

James Gandolfini

25/09/2013

às 18:20 \ Minisséries, Remakes

Robert De Niro substituirá James Gandolfini na minissérie ‘Criminal Justice’

Robert De Niro (Fotos: Getty)

Quando James Gandolfini (The Sopranos) faleceu em junho deste ano, o ator deixou inacabada a produção da minissérie Criminal Justice, versão americana de série britânica. Na época, Gandolfini tinha finalizado apenas as filmagens do primeiro episódio.

Com isso, o futuro da minissérie ficou em aberto, aguardando uma decisão da HBO de engavetar a produção ou substituir o ator. Segundo o Deadline, a HBO decidiu substituir Gandolfini e dar continuidade à produção.

O personagem de Gandolfini será agora interpretado por Robert De Niro em seu primeiro trabalho no formato seriado. Até hoje, De Niro teve apenas participações especiais em episódios das séries Extras e Um Maluco no Pedaço/The Fresh Prince of Bel Air.

Criada por Peter Moffat,  série original, exibida no Brasil pelo canal GNT e pelo + Globosat, apresenta uma história por temporada. O remake americano chegou a ser desenvolvido como série de TV mas, após assistir ao primeiro episódio estrelado por Gandolfini, a HBO decidiu transformar o projeto em minissérie. Situada em Nova Iorque, a minissérie adapta a história vista na primeira temporada da série britânica.

Na versão britânica, Ben Coulter (Ben Whishaw) é um jovem acusado de matar uma moça com quem passou a noite. Sem lembrar do que aconteceu, Ben passa pelo processo judicial.

Na versão americana, Naz (Rizwan Ahmed) é um jovem americano de origem paquistanesa acusado de matar uma jovem. Jack Stone (DeNiro), um desleixado advogado de ‘porta de cadeia’, se apresenta como seu defensor. No elenco também estão Bill Camp, como o detetive que investiga o caso; Peyman Moadi e Poorna Jagannathan, como os pais de Naz.

James Gandolfini em março de 2013

A minissérie terá sete episódios produzidos pela HBO em parceria com a BBC Worldwide Productions e a Film Rites. Com a entrada de De Niro, sua produtora, a Tribeca Films, também entra como produtora.

Esta é uma grande oportunidade para De Niro que há seis anos vem tentando se estabelecer na TV, através de sua produtora. Em 2008, a Tribeca Productions fechou um contrato com a rede CBS para desenvolver novas séries para o canal.

Depois de vários projetos rejeitados, a produtora conseguiu a aprovação de NYC 22, série cancelada em 2012 com apenas uma temporada produzida. De Niro também desenvolveu projetos para o Showtime, parceiro da CBS, mas nenhum deles foi aprovado.

A coprodução de Criminal Justice poderá ser a porta de entrada do ator para o mundo da televisão. Isto, e o fato dele estrelar a minissérie, que poderá ser a primeira de muitas.

As filmagens de Criminal Justice terão início em março de 2014. Ainda não há uma previsão de estreia da minissérie.

23/06/2013

às 13:39 \ Atores, Séries Anos 1990-1999

Gandolfini, para sempre Tony Soprano

A morte de James Gandolfini esta semana na Itália fez o público lembrar que o sucesso de A Família Soprano/The Sopranos se deve ao carisma e ao talento do ator. Criada em torno de Tony Soprano, a série dependia de alguém que pudesse estabelecer rapidamente seu personagem.

Tudo começou em 1995, quando David Chase (Arquivo Confidencial) decidiu criar uma série que retratasse a relação que ele tinha com sua própria mãe. Na história, inicialmente concebida como uma comédia/dramédia, Tony seria o chefe da máfia de New Jersey que, ao internar a mãe em um asilo, começa a se sentir culpado por abandoná-la. Na tradição italiana, os filhos cuidam dos pais até o fim da vida. Assim, sua crise de consciência o leva a procurar um terapeuta.

Esta era a ideia central que foi oferecida a diversos canais da rede aberta. Ao ler o enredo, os diretores de programação da época criticavam o fato de que um mafioso precisaria da ajuda de um terapeuta (o filme A Máfia no Divã ainda não tinha sido lançado nos cinemas).

Passando o projeto de canal em canal, Chase conseguiu despertar o interesse da Fox, que encomendou o roteiro do episódio piloto para avaliação. No entanto, o canal, que surgiu para ser mais audacioso em sua programação, chegou à conclusão de que não desejava ter uma série sobre uma família mafiosa em sua grade. Sem opções, Chase se voltou para os canais a cabo.

Nesta época, Oz – a Vida é uma Prisão fazia sucesso junto a crítica. A boa receptividade da comédia The Larry Sanders Show estimulou a HBO a investir em séries dramáticas que pudessem atender seu público acostumado às produções cinematográficas exibidas pelo canal. Assim, o objetivo da HBO era o de oferecer séries com ‘ares’ de cinema. Oz abriu esta porta, incentivando roteiristas e produtores a levarem seus projetos para o canal. Chase foi um deles.

Acreditando que a proposta de Chase tinha consistência de personagens e enredo, Carolyn Srauss, diretora do departamento de entretenimento do canal na época, levou o projeto para os demais executivos da HBO. A maior preocupação era a de que o público não aceitasse um personagem como Tony. Agora desenvolvida como uma série dramática, a história acompanharia a trajetória de um homem de meia idade que conseguiu conquistar tudo o que queria na vida, mas ainda assim passa pelo inevitável autoquestionamento e pela queda, retratando o perfil dos EUA e da geração baby boomer.

A produção da série dependia da escolha do ator certo para interpretar Tony Soprano, já que sem ele a história não existe. O roteiro, a direção e a estética poderiam ser impecáveis, mas se o ator que desse vida ao protagonista não conseguisse atingir o mesmo nível, A Família Soprano se transformaria em apenas mais uma produção sobre a máfia.

(E-D) Gandolfini, Steven Van Zandt e Tony Sirico

Entre os atores que disputaram o papel estão Anthony LaPaglia (Without a Trace), Steven Van Zandt (que ficou com o personagem Silvio Dante), Michael Rispoli (que ficou com o personagem Jackie Aprile) e John Ventimiglia (que ficou com Artie Bucco). Ilene Landress, produtora executiva da série, era uma das responsáveis por conduzir os trabalhos em torno dos testes de atores para o papel. Ela já tinha ouvido falar de Gandolfini, conhecido do meio por interpretar bandidos e sujeitos grosseiros. Mas, segundo Landress em entrevistas da época, ela percebeu em sua atuação a sensibilidade necessária para definir o personagem.

Contratar Gandolfini, um nome desconhecido do grande público e com uma aparência que não poderia ser classificada como galã, foi uma grande ousadia do canal. Resumindo, era tudo ou nada. Gandolfini correspondeu às expectativas da HBO e dos produtores. Quando A Família Soprano estreou em 10 de janeiro de 1999, a crítica destacou seu trabalho como referência da qualidade da série. Para o ator, o personagem foi um grande desafio. Inicialmente a carga de trabalho, na qual ele filmava a média de dezesseis horas por dia e decorava diariamente quatro a cinco páginas de diálogos (em que Tony conversa com a terapeuta), fez com que o ator entrasse em pânico diversas vezes.

Depois que o piloto foi produzido, Chase e os demais produtores e atores ficaram aguardando a decisão da HBO. Enquanto o canal avaliava o resultado para decidir se aprovaria ou não a produção da série, Chase chegou a elaborar o plano B. No caso da HBO decidir não aprovar A Família Soprano, ele imploraria de joelhos para que um segundo episódio pudesse ser produzido com o objetivo de finalizar a situação para que a história pudesse ser exibida como telefilme. O plano B foi descartado quando o canal telefonou ao produtor encomendando mais doze episódios para a primeira temporada.

Com a exibição da série, vieram as indicações a prêmios como Emmy, Golden Globe, WGA Awards e Peabody. A Família Soprano e Sex and the City abriram as portas para a produção seriada da TV a cabo no circuito de prêmios, quando se tornaram as primeiras séries a levar o Emmy (até então, apenas telefilmes e minisséries tinham levado o prêmio). Em 2004, depois de ser indicada três vezes, a série derrotou a favorita The West Wing, que vinha ganhando nesta categoria nos últimos quatro anos.

Em sua história, A Família Soprano ganhou o Emmy de melhor produção apenas duas vezes. Além de The West Wing, a série também perdeu para O Desafio/The Practice24 Horas. Por curiosidade, Joseph, da TNT, foi a primeira minissérie de um canal a cabo a ganhar o Emmy em sua categoria, em 1995; enquanto Da Terra à Lua foi a primeira da HBO a levar o prêmio nesta categoria em 1998.

Gandolfini e Edie Falco em cena de 'A Família Soprano'

A série chegou ao fim em 2007, com a exibição de um último episódio que gerou polêmica. Tal qual ocorreu na década de 1960, quando O Prisioneiro apresentou sua conclusão, A Família Soprano encerrou sua trama com uma situação que ficou em aberto, permitindo que o público fizesse sua própria interpretação dos fatos apresentados. Na opinião de Chase, não havia motivos para dar ao público uma explicação ou uma recompensa. Vamos considerar que acompanhar a série já é uma grande recompensa para aqueles que procuram algo de qualidade na TV.

Nos anos seguintes, muitos alimentaram a esperança de que um dia um filme fosse produzido para que o público pudesse ter uma ideia concreta sobre o que aconteceu com Tony naquela noite em que ele foi jantar com a família. A morte de Gandolfini colocou um ponto final na história.

Nos últimos anos de vida, Gandolfini trabalhou em diversos filmes, geralmente interpretando o coadjuvante, algo que ele dizia preferir. Mas é como Tony Soprano que ele será para sempre lembrado.

Ele deixa em aberto o remake de Criminal Justice. Esta é uma série britânica que foi transformada em minissérie americana pelo canal HBO. O ator chegou a filmar o primeiro episódio, que serviu para avaliação do canal. Ainda não há informações sobre se a HBO pretende dar continuidade a esta produção com outro ator ou se ela será cancelada. Outro projeto no qual Gandolfini estava trabalhando (desta vez apenas como produtor) era Taxi-22, remake de série franco-canadense. Originalmente oferecido para a HBO, que a rejeitou, o projeto foi resgatado pela CBS, que já anunciou que dará continuidade ao seu desenvolvimento para avaliação.

Com a ajuda de pessoas importantes do governo americano, a família de Gandolfini conseguiu acelerar o processo de liberação do corpo do ator para ser trasladado para os EUA. Ele chegará na segunda-feira, dia 24, e será enterrado na quinta-feira, dia 27 de junho.

Em nota divulgada à imprensa, Michael Kobold, amigo e porta voz da família, agradeceu a ajuda do governo americano, em especial a de John Kerry e o Departamento de Estado, bem como aos funcionários do Departamento do Estado italiano, que trabalharam dia e noite para ajudar na liberação do corpo; além do apoio do ex-Presidente Bill Clinton, da ex-Secretária de Estado Hillary  Clinton, da Vice Consulesa Patricia Hill e demais funcionários da Embaixada Americana em Roma. Kobald também estendeu os agradecimentos da família à HBO e à United Airlines.

Cliquem nas fotos para ampliar. 

21/06/2013

às 12:19 \ Atores, Falecimentos, Séries Anos 1990-1999

Autópsia confirma a causa da morte de James Gandolfini

James Gandolfini

Um porta voz da família de James Gandolfini confirmou esta manhã que a causa da morte do ator foi de fato uma parada cardíaca provocada por causas naturais. Nenhuma substância química foi encontrada em seu corpo.

Uma nota oficial divulgada à imprensa por Michael Kobold, amigo de Gandofini, diz que: ‘James veio à Itália para passar as férias com a família. Ele teve um ótimo dia. Visitou o Vaticano e jantou em seu hotel na companhia de seu filho, enquanto aguardava a chegada de sua irmã. Hoje recebemos o resultado da autópsia que definiu a causa da morte como parada cardíaca, provocada por causas naturais. Segundo a autópsia, mais nada foi encontrado em seu sistema. Estamos todos devastados por sua perda. James era um marido devotado um pai amoroso para seus dois filhos, um irmão e um primo com quem sempre se podia contar. Agradecemos a todos pela privacidade neste momento difícil’.

Gandolfini faleceu na quarta-feira, dia 19 de junho, aos 51 anos de idade. Segundo vem sendo divulgado pela imprensa americana, depois que voltou para o hotel, ele passou mal enquanto estava no banheiro. Sendo socorrido pelo filho de treze anos, que pediu ajuda ao gerente, o ator foi levado ao hospital ainda com vida onde, após várias tentativas para ressuscitá-lo, teve sua morte declarada pelos médicos que o atenderam.

O funeral do ator será realizado em Nova Iorque em data ainda a ser definida. Segundo Kobold, o processo de liberação do corpo pode levar até dias úteis (a partir da divulgação da autópsia) em virtude da burocracia italiana. A expectativa é a de que o governo italiano consiga acelerar o processo.

'A Família Soprano'

A morte de Gandolfini elevou a venda de DVDs da série A Família Soprano/The Sopranos produção da HBO estrelada por Gandolfini. Ela se tornou uma das séries mais vendidas pelo site Amazon nos dois últimos dias e uma das mais baixadas pelo site iTunes, da Apple. No Brasil, a HBO  começa a exibir a partir de hoje uma maratona de episódios selecionados de A Família Soprano e de alguns filmes estrelados pelo ator.

Confiram a lista dos títulos, as datas e os horários, lembrando que a série completa já foi lançada em DVD no Brasil.

Cliquem nas fotos para ampliar.

HBO

22 de junho –  a partir da meia noite

Maratona de 10 episódios selecionados de A Família Soprano:

1ª temporada: Episódios 1 e 5
2ª temporada: Episódio 13
3ª temporada: Episódios 4 e 11
4ª temporada: Episódios 9 e 13
5ª temporada: Episódios 3 e 12
6ª temporada: Episódio 21

22 de junho – 16h45

Cinema Verité – Telefilme

HBO SIGNATURE

11 e 13 de julho –  Cinema Verité

21 a 23 de julho – Maratona de 10 episódios selecionados de A Família Soprano

HBO GO  - SKY

A partir de 20 de junho

Todas as temporadas da série A Família Soprano, e os filmes In the Loop (spinoff cinematográfica da série britânica The Thick of It) e Cinema Verité estarão disponíveis em uma área especial do site para os assinantes SKY que possuem acesso à HBO GO.

Em breve:

Stories USA e Alive Day Memories: Home From Iraq, documentários produzidos pelo ator.

HBO On Demand  - NET Now

De 22 de junho a 10 de agosto

In the Loop, Cinema Verité, Stories USA, Alive Day Memories: Home From Iraq e A Família Soprano (1ª temporada: Episódios 1 e 5;  2ª temporada: Episódio 13; 3ª temporada: Episódios 4 e 11; 4ª temporada: Episódios 9 e 13; 5ª temporada: Episódios 3 e 12; 6ª temporada: Episódio 21).

19/06/2013

às 20:46 \ Falecimentos

Morre James Gandolfini, ator da série ‘A Família Soprano’

Esta é uma notícia que pegou os fãs de surpresa. Segundo o Variety, o ator James Gandolfini faleceu hoje (19/6) aos 51 anos de idade. Acredita-se que ele tenha sido vítima de uma parada cardíaca. O ator estava passando as férias na Itália, onde participaria do 59º Taormina Film Festival na Sicília.

Representantes da HBO confirmaram a informação. Em nota divulgada à imprensa, o canal disse: ‘estamos em estado de choque e sentindo uma imensa tristeza pela perda de um querido membro de nossa família. Ele era um homem especial e um grande talento mas, o que é mais importante, também uma pessoa amável que sempre tratou a todos com respeito, não importando sua posição. Ele tocou a vida de muitos que o conheceram ao longo dos anos com seu humor, seu entusiasmo e sua humildade. Nossos pêsames para sua esposa e seus filhos neste momento terrível. Sua ausência será profundamente sentida por todos nós’.

O ator ficou conhecido por estrelar a série A Família Soprano/The Sopranos, produção que marcou a história do canal HBO.

Gandolfini estava se preparando para voltar à TV com a minissérie Criminal Justice, remake de uma série britânica, encomendada pela HBO. O ator chegou a filmar o primeiro episódio. Gandolfini também desenvolvia para a CBS o projeto de série Taxi-22, remake de produção canadense.

James Joseph Gandolfini Junior nasceu no dia 18 de setembro de 1961 em Westwood, New Jersey. Seu pai era um pedreiro que nasceu na Itália e sua mãe servia merenda na escola. Visto que ela cresceu no país do marido, era comum os dois falarem em italiano em casa. Depois de se formar em Comunicação pela Universidade de Rutgers, onde trabalhou como porteiro do campus, Gandolfini começou a se interessar pela carreira de ator.

Ele ainda trabalhou como bartender e gerente de night club, bem como outros empregos, antes de se dedicar à carreira artística. Em 1992, ele fez sua estreia na Broadway com a montagem Uma Rua Chamada Pecado/A Streetcar Named Desire, estrelada por Jessica Lange e Alec Baldwin. Pouco antes, em 1987, ele começou a fazer participações menores em filmes para o cinema. Ele foi visto em produções como O Último Boy Scout, Uma Estranha Entre Nós, Amor à Queima Roupa, Maré Vermelha, O Nome do Jogo, A Jurada, A Mexicana, O Sequestro do Metrô 123, Corações Perdidos, O Homem da Máfia e A Hora Mais Escura, entre outros. Seu último filme é Animal Rescue, previsto para ser lançado em 2014.

Na TV, ele foi visto em um episódio de Gun e nos telefilmes Doze Homens e uma Sentença, remake de clássico da televisão, e Cinema Verite. Sua única série foi A Família Soprano/The Sopranos, na qual interpretou Tony Soprano, mafioso de New Jersey que passa por uma crise pessoal, a qual o leva a procurar uma terapeuta. Com esta série, ele foi indicado a seis prêmios Emmy de melhor ator, tendo ganho três. Ele também foi visto no filme In The Loop, spinoff cinematográfica da série britânica The Thick of It.

Ainda para HBO, Gandolfini produziu os documentários Alive Day: Home From Iraq e Wartorn: 1861-2010, bem como o telefilme Hemingway & Gellhorn.

Entre 1999 e 2002 Gandolfini foi casado com Marcella Wudarski, com quem teve um filho, Michael. Em 2008 ele se casou com a modelo Deborah Lin, com que teve uma filha, Liliana, nascida em outubro de 2012.

Adendo (21/06/2013): segundo vem sendo divulgado pela imprensa americana, Gandolfini passou seu último dia de vida na companhia do filho de treze anos. Na volta ao hotel, ele passou mal enquanto estava no banheiro. Sendo socorrido pelo filho, que pediu ajuda ao gerente, o ator foi levado ao hospital ainda com vida onde, após várias tentativas para ressuscitá-lo, foi declarado morto. O corpo passará por uma autópsia antes de ser levado aos EUA, onde será enterrado.

Cliquem nas fotos para ampliar.

(E-D) Tony Sirico, Steven Van Zandt, Gandolfini, Michael Imperioli e Vincent Pastore em 'A Família Soprano'

24/06/2010

às 3:19 \ Filmes

Atores de Séries em Filmes

Matt Smith nos bastidores do filme “Christopher and His Kind”

Jessica Biel (Sétimo Céu/7th Heaven), Neve Campbell (O Quinteto/Party of Five) e Alfred Molina (Ladies Man) – Jessica será a cantora Anna Tessieri Giro em “Vivaldi“, filme de época produzido por Raffaella De Laurentiis, sobre o romance proibido entre Antonio Vivalvi (Luke Evans), compositor, padre e violinista, e sua musa, Anna. Desse envolvimento nasce a belíssima obra “The Four Season”. Alfred Molina será o compositor Giuseppe Tartini, enquanto que Neve será Norina. Biel também vai participar de “The Tall Man“, do diretor francês Pascal Laugier, seu primeiro filme em inglês, no qual será uma mulher em busca do filho sequestrado. As filmagens começam em Setembro, em Vancouver, Canadá.

Matt Smith (Dr. Who, versão 2010) – Será o romancista inglês, Christopher Isherwood, no telefilme para a BBC2, “Christopher and His Kind”, em fase de pós-produção. O roteiro de Kevin Elyot retrata os primeiros anos de formação do escritor, época em que saiu da Inglaterra para morar em Berlin, na Alemanha. Homossexual, Christopher vivenciou a liberdade sexual que existia na Alemanha no período pré-2ª Guerra Mundial, sobre a qual retrataria em sua obra, sendo a mais famosa “Goodbye to Berlin” (1939), transformado no musical “Cabaret” (1966). Matt Smith também estará no filme “Womb”, para o cinema, sobre uma mulher que tenta clonar o falecido marido.

Eric Pierpoint (Missão Alien/Alien Nation), John Kassir (Contos da Cripta/Tales From The Crypt) e Adelaide Kane (Neighbors, série australiana) – Estão em “Donner Pass, terror sobre um grupo de adolescentes que aceita um convite para passar uma noite em uma cabana nas montanhas. Enquanto conversam, não percebem que a neve logo os deixará isolados e sem alimentos. O filme está em fase de pós-produção e deve estrear em 2011.

Ian McShane (Deadwood e Kings) – O ator está no elenco de “Piratas do Caribe: On Stranger Tides”, estrelado por Johnny Depp (Anjos da Lei). Ele será o Barba Negra, que enfrenta Jack Sparrow e o Capitão Barossa (Geoffrey Rush) na busca pela fonte da juventude. Falando em Johnny Depp, essa é a primeira foto oficial de seu filme com Angelina Jolie, “The Tourist” (foto acima). O ator interpreta Frank, um americano em visita à Itália, onde conhece Elise (Jolie), uma misteriosa mulher que o envolve em uma situação de perigo.

Jack Scalia (Operação Devlin/The Devlin Connection; Pointman), Jennifer O’Dell (O Mundo Perdido/The Lost World), Bill Smitrovich (O Desafio/The Practice), Mario Van Peeples (Rude Awakening) e Cloris Leachman (Mary Tyler Moore; Phyllis; Vivendo e Aprendendo/The Facts of Life) – Estão em The Second Time, sobre um professor e um padre que vão a uma cidade na Carolina do Norte em busca de um livro religioso, supostamente capaz de mostrar o passado, presente e futuro das pessoas. O filme está em fase de pré-produção.

Chace Crawford (Gossip Girl) – O ator entrou para o elenco do filme “Peace, Love and Misundertandig“, ao lado de Jane Fonda e Catherine Keener. A história gira em torno de uma advogada (Keener) que retorna à casa de sua infância depois que seu marido pede o divórcio. Chace interpretará o rapaz que se envolve com a filha da advogada.

Summer Glau (Terminator: The Sarah Connor Chronicles) – A atriz entrou para o elenco de “Knights of Badassdom” filme sobre jogadores que libertam um demônio e precisam encontrar uma maneira de livrarem-se dele.

Jennifer Garner (Alias), Nick Nolte (Pobre Homem Rico) e Helen Mirren (Prime Suspect) – O filme “Arthur, um Milionário Sedutor” conta a história de um playboy bêbado forçado a casar com Susan, filha de um milionário, mas que acaba se apaixonando por uma garçonete. O remake terá Russel Brand no papel de Arthur, anteriormente interpretado por Dudley Moore, já falecido. No papel de Susan, originalmente interpretado por Jill Eikenberry (Nos Bastidores da Lei), teremos Jennifer Garner; já a atriz Helen Mirren assume o personagem do mordomo, que no original foi interpretado por John Gielguld. Greta Gerwig será a garçonete, papel que foi de Liza Minelli (Arrested Development). Nick Nolte interpretará o pai de Susan, anteriormente interpretado por Stephen Elliott, ator convidado em dezenas de séries.

Adam Scott (Party Down), Rashida Jones (Parks and Recreation), Paul Rudd (Sisters e Friends) e Elizabeth Banks (Scrubs) – Os atores estão no elenco de “My Idiot Brother“, sobre um jovem e sua relação com três irmãs ambiciosas. Rudd também está no elenco de “Wanderlust“, no qual reencontrará sua antiga colega de “Friends”, Jennifer Aniston. No filme, eles interpretam um casal novaiorquino atingido pelos problemas econômicos. Assim, os dois são obrigados a mudar-se para a casa de um irmão do personagem de Rudd, que vive na Georgia. No caminho, eles encontram uma comunidade nudista que fuma maconha e participa de orgias. Identificando-se com os valores da comunidade, eles decidem ficar por ali mesmo.

Stanley Tucci (Crime em 1º Grau) e Neal McDonough (Desperate Housewives) – Os atores estão no elenco da versão cinematográfica de “Capitão América: The First Avenger“. Tucci interpretará o Dr. Abraham Erskine, cientista que controla um programa que pretende criar super soldados. Neal será Dum Dum Dugan, agente da S.H.I.E.D. que persegue o Capitão América (Chris Evans).

Robert Downey Jr. (Ally McBeal) e Sam Raimi (produtor de Spartacus: Blood and Sand) – Raimi será o diretor de “O Mágico de Oz/Wizard of Oz“, versão em 3D, no qual Downey interpretará o mágico. A história é um prelúdio do clássico da literatura transformado em filme de sucesso em 1939. A nova versão mostrará como o mágico ganhou sua fama. O  personagem chega à Oz em um tornado, onde suas ações levam o povo a acreditar que ele sabe tudo sobre qualquer coisa.

Zach Galifianakis (Bored to Death) – Se você cresceu nos anos 60 ou 70 com certeza já assistiu à “O Incrível Mr. Limpet/The Incredible Mr. Limpet”, filme que iniciava com atores, passando para sequencias de animação. A história girava em torno de um homem frustrado com sua vida, que sonhava ser peixe. Um dia, ele tem seu desejo realizado. A partir desse ponto, o filme se tornava desenho animado. Pois a Warner planeja um remake e estaria negociando com Zach para estrelar a nova versão, assumindo o personagem anteriormente interpretado por Don Knotts. O remake terá animação em CG.

Amanda Seyfried (Big Love), Michael Shanks (Stargate SG-1) e Michael Hogan (Battlestar Galactica) – Os atores estão no elenco de “Red Riding Hood”, filme que adapta o conto de “Chapeuzinho Vermelho”. Na história, Amanda interpreta uma jovem que se apaixona pelo filho de um carpinteiro, para desgosto de sua família. A caminho da casa de sua avó, ela precisa atravessar uma floresta onde encontra um lobisomen.

Lauren Graham (Gilmore Girl e Parenthood) – A atriz entrou para o elenco do filme “Pânico/Scream 4″, ao lado de Courtney Cox (Friends e Cougar Town), Neve Campbell (O Quinteto/Party of Five), Hayden Panettiere (Heroes) e Lake Bell (Justiça Sem Limites). Na história, passaram-se dez anos desde os últimos acontecimentos do primeiro filme da franquia. A produção deverá chegar aos cinemas americanos em abril de 2011.

J. Edgar Hoover em duas versões:
jovem e na época que foi diretor do FBI

Clint Eastwood (Rawhide/Couro Crú) – A Warner Brothers assumiu o projeto da Universal para produzir um filme sobre a vida de J. Edgar Hoover, famoso diretor do FBI. O roteiro é de Dustin Lance Black do filme “Milk” e da série “Big Love”, com direção de Clint Eastwood. Leonardo DiCaprio (da primeira versão televisiva de Parenthood) será Hoover. A história deverá fazer referências aos rumores sobre a homossexualidade de Hoover. Tendo Leonardo no papel principal, o filme poderá retratar o período anterior ao qual ele foi diretor do FBI, época em que perseguiu gays em sua luta para limpar a sociedade civil das ameaças subversivas.

Taylor Schilling (Mercy) e Grant Bowler (Ugly Betty) – Os atores estão no elenco do filme “Atlas Shrugge”, dirigido por Paul Johansson, com base no clássico da literatura publicado em 1957. A história gira em torno de Dagny Taggart (Taylor) uma milionária que luta para manter sua ferrovia. Grant interpretará Reardon, um industrial que antagoniza com Taggart.

Eva Longoria Parker (Desperate Housewives) – A atriz tingiu os cabelos de ruivo para atuar no filme “Tales from the Town of Widows”, com base no livro de James Canon. Ela interpreta Rosalba, líder de um grupo de mulheres em uma vila na América Latina, que assumem o comando do local depois que os maridos partem para a Guerra Civil. Mas, quando eles retornam e desejam reassumir suas posições na sociedade, acabam enfrentando a resistência das mulheres que não desejam voltar aos papeis de simples esposas. No elenco também está Christian Slater (The Forgotten).

Gillian Anderson (Arquivo X) – Em 2008, a produtora da atriz comprou os direitos de “Gellhorn: A Twentieth Century Life”, livro que retrata a vida de Martha Gellhorn, jornalista e escritora, esposa de Ernest Hemingway, em quem ele se inspirou para escrever o livro “Por Quem os Sinos Dobram”. O filme, que será estrelado por Gillian, ainda está em fase de adaptação de roteiro, assinado por Sharman MacDonald. É possível que ele seja lançado no mesmo período que estrear “Hemingway and Gellhorn“, produção de James Gandolfini (A Família Soprano), no qual ele interpretará Hemingway, ao lado de Nicole Kidman, que dará vida à sua esposa Martha. A direção desse filme está a cargo de Philip Kaufman, com roteiro de Barbara Turner e Jerry Stahl.

Jason Momoa (Stargate Atlantis) – A foto abaixo é a primeira imagem de Jason no papel de “Conan, o Bárbaro“,  produção com base em personagem dos quadrinhos.

James Gandolfini Prepara Seu Retorno Pela HBO

Famoso por interpretar Tony Soprano na série da HBO “A Família Soprano”, o ator James Gandolfini negocia seu retorno em um novo projeto do canal. James deverá ser o produtor executivo da versão americana de “Taxi 0-22″, série franco-canadense que será adaptada por Dave Flebotte. Ainda não há informações sobre a presença de James Gandolfini como ator.

O projeto está sendo oferecido às emissoras americanas desde 2009, quando chegamos a divulgá-lo em nossa lista de Pilotos 2009-2010. Na época, ele ainda não tinha um canal interessado, nem tampouco contava com a presença de James Gandolfini, seja no elenco ou na produção.

Patrick Huard na série original

A série original é uma comédia de meia hora criada por François Camirand e estrelada por Patrick Huard, para o canal TVA de Montreal no Canadá. A história gira em torno de Roatien Dubois Jr. II, um motorista de táxi politicamente incorreto, que durante o trajeto entre o ponto de origem ao local de destino, trava uma conversa com seus passageiros a qual pode girar em torno de qualquer assunto. De opiniões fortes, geralmente tendenciosas e machistas, Roatien seria uma versão moderna de Archie Bunker, da série dos anos 70, “Tudo em Família”. Além dos passageiros, Roatien precisa lidar com seu filho de 20 anos, que se revela gay.

“Taxi 0-22″ estreou em janeiro de 2007 e já está em sua quarta temporada no Canadá. Para a versão americana, também fazem parte da equipe de produtores Mark Armstrong, Dennis Erdman, Patrick Huard e Francois Flamand, além de James Gandolfini, através de sua empresa a Attaboy Films.

Tony Ramos e Vladimir Brichta em “Faça Sua História”

A maioria dos episódios apresenta situações restritas ao ambiente do táxi, nas quais temos a câmera que capta os diálogos entre o motorista e o passageiro. É claro que esse estilo de série não é novidade, mas se a situação lhe parece familiar, é porque já deve ter assistido às séries brasileiras “Faça Sua História”, produzida pela Globo, com Stepan Nercessian no piloto e Vladimir Brichta nos episódios; ou “Táxi Brasil”, do canal Brasil, produção de 2001 com Marcelo Scorel; ou ainda à “Dona Santa”, série dos anos 80 da Bandeirantes, com Nair Bello.

No entanto, o mais curioso disso tudo é o fato do colunista Michael Schneider, do Variety, divulgar que a série franco-canadense já tenha sido adaptada para outros países, citando o Brasil. A matéria não informa o título da série brasileira que seria uma adaptação, mas, levando em consideração o enredo e a data, parece que se trata de “Faça Sua História”, exibida a partir de dezembro de 2007. O curioso é que a série brasileira não traz qualquer informação sobre uma origem canadense, muito pelo contrário, é apontada como criação de João Ubaldo Ribeiro e Geraldo Carneiro. Mas, se não for essa série, a qual produção o Variety estaria se referindo?

Abaixo, cenas de um episódio da série original em francês:

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados