Blogs e Colunistas

Henry Calvin

Cuidado, Comandante! Zorro Chegou!

De volta de seus estudos na Espanha, Don Diego de la Vega chega ao oprimido pueblo de Los Angeles munido de astúcia e um disfarce, determinado a atormentar o tirano Comandante Monastario, enquanto arrebata os corações de belas señoritas. Essa aventura começa hoje com o lançamento do elegante e destemido Zorro em DVD.


e temporadas

A história dessa popular série teve início em 1950, quando o escritor Johnston McCulley, criador do personagem, vendeu os direitos de Zorro ao empreendedor Mitchell Gertz. Já que o potencial do personagem parecia ter sido completamente explorado no cinema, a idéia de Gertz era aproveitá-lo no veículo do momento: a TV. O plano, no entanto, só começou a florescer dois anos mais tarde. Nessa época, Walt Disney estava procurando financiamento para seu famoso parque (Disneylândia) e viu em Zorro a chance de arrecadar fundos para o empreendimento, com os lucros da produção de uma série. Assim, em fevereiro de 1953, ele e Gertz assinaram um contrato e foram oferecer o projeto às redes. Mas quando os executivos exigiram um piloto, Disney desistiu da ideia, pois não queria investir sem ter a certeza da venda de seu produto.

Guy Williams e Johnston McCulley

Foi somente em 1957, quando a marca Disney não deixava dúvidas sobre sua lucratividade, que a série saiu do limbo. Graças ao sucesso de Davy Crockett, Disney pôde negociar um financiamento para seu parque, oferecendo Zorro novamente. Para vender a ideia, ele reuniu-se com representantes dos patrocinadores, AC (Divisão da General Motors) e 7Up (fabricante de refrigerante), e lhes apresentou uma maquete com os personagens em miniatura, enquanto descrevia a trama e os personagens. Eles ficaram impressionados.

Walt Disney e Guy Williams

Com o acordo fechado, a questão seguinte era o ator para o papel principal. Como substituir Tyrone Power? Diversos atores famosos na época testaram para o papel, incluindo Hugh O’Brian (The Life and Legend of Wyatt Earp e Controle Remoto/Search), Jack Kelly (Maverick), Dennis Weaver (Gunsmoke e McCloud), Henry Darrow (Chaparral/The High Chaparral) e David Janssen (O Fugitivo/The Fugitive). No final, a disputa ficou entre dois atores pouco conhecidos: um figurante de 32 anos e um modelo elegante de 33. Disney queria o figurante, mas após semanas de discussões, o produtor e roteirista Norman Foster conseguiu convencê-lo a contratar o modelo Guy Williams para o duplo papel de Zorro/Don Diego de la Vega, enquanto o figurante, Britt Lomond, seria seu principal antagonista, o inescrupuloso Comandante Enrique Sanchez Monastario.

Monastario e Don Diego (clique para ampliar)

Para interpretar Bernardo, foi contratado o ator Gene Sheldon, cuja experiência com pantomima foi essencial para o papel do leal criado mudo de Don Diego. Seu pai, Don Alejandro, foi interpretado pelo veterano George J. Lewis, que curiosamente já fora Zorro no seriado de aventuras da Republic Pictures, Zorro’s Black Whip, em 1944. Finalmente, o corpulento cantor de ópera, Henry Calvin, ficou com o papel do simpático Sargento Garcia.

Bernardo

Don Alejandro

Sargento Garcia

Enquanto o elenco era selecionado, o estúdio trabalhava na construção dos cenários. O custo era altíssimo, mas a qualidade do produto final justificava as despesas. Além destas, havia ainda a produção dos episódios. Quando Disney começou a pensar na série em 1950, o custo médio de um episódio de uma hora era de aproximadamente 13 mil dólares. Agora, Disney iria despender cerca de 80 mil por episódio de 30 minutos. O custo dos primeiros 39 episódios ficou em mais de 3 milhões.

Entre as despesas estava também o esgrimista Fred Cavens, contratado para treinar Guy Williams e acompanhar o desempenho dos demais atores. Cavens já tinha mais de 70 anos quando se juntou à produção de Zorro. Com décadas de experiência em cinema, ele sabia muito bem como o tempo era limitado e era mestre em repassar para os atores exatamente o que o roteiro exigia. Apesar dos treinos, acidentes aconteciam. Depois que Guy Williams acidentalmente feriu Britt Lomond acima do olho, com a espada, o período para a coreografia foi estendido, o que aumentou de três para cinco dias o tempo para completar cada episódio.

Guy Williams e Fred Cavens

(clique para ampliar)

Outro profissional contratado foi o músico Vicente Gomez, que tentou ensinar Williams a cantar e tocar violão. Infelizmente, essa arte Williams não conseguiu dominar. Assim, quando Diego fazia uma serenata, Williams era dublado por Bill Lee, cuja voz também é ouvida na canção tema. Esse tema foi composto por George Bruns e escrito por Norman Foster.

Com o sucesso, veio a comercialização do produto, através da venda de trajes, espadas, chicotes, jogos, gibis e tudo que realizasse as fantasias da garotada. Parte desses lucros foi para Guy Williams, pois de acordo com seu contrato, ele tinha direito a 2,5% de qualquer mercadoria referente a Zorro. Ao final dos 13 primeiros episódios, o estúdio preparou uma edição desses segmentos e a lançou no exterior como filme, em 1958, com o título de A Marca do Zorro/The Sign of Zorro. As novas plateias também adoraram o herói, o que garantiu a venda da série em outros países.

A segunda temporada viu a saída de Britt Lomond, quando Monastario é finalmente derrotado, e a entrada de vários outros personagens, inclusive o distraído Cabo Reyes, interpretando por Don Diamond, e de personagens femininos. Com a entrada das damas, o estúdio respondia às críticas, dando a Diego um interesse romântico. Jolene Brand foi então contratada para ser a rica señorita Anna Maria Verdugo.

Sargento Garcia e Cabo Reyes

Anna Maria Verdugo

Outra jovem señorita a cruzar o caminho de Diego foi Anita Cabrillo, interpretada por Annette Funicello. O personagem não tinha nenhum interesse por Diego, mas a atriz de O Clube do Mickey/Mickey Mouse Club, assim como a maioria das jovens naquele tempo, estava apaixonada por Guy Williams. Como presente no seu aniversário de 16 anos (data que para nós corresponde aos 15), ela ganhou várias participações na série.

Anita Cabrillo

(clique para ampliar)

Outra mudança significativa foi a liberdade que os roteiristas ganharam para compor suas tramas, pois cada estória poderia ter um número menor de episódios, ao contrário da primeira, que tivera 13. Dessa forma, se os fãs perdessem uma semana, ainda poderiam acompanhar a série na seguinte. Logo, foi feita uma nova compilação, dessa vez intitulada Zorro, The Avenger, destinada apenas ao mercado no exterior.

Para promover a série, o elenco saía em viagens e fazia apresentações no parque, Disneylândia. Como em qualquer apresentação ao vivo, os atores estão sujeitos ao inesperado. Britt Lomond conta em seu livro Chasing After Zorro que, em uma dessas apresentações, Zorro deveria sair vitorioso em seu cavalo após desarmar Monastario. Porém, ao pular no cavalo, ele acabou caindo no chão em uma poça de lama. Depois desse incidente, Williams decidiu não cavalgar nas apresentações seguintes. Em outra, a calça de Lomond rasgou atrás durante um golpe contra Zorro.

Guy Williams e Britt Lomond em um dos eventos

(clique para ampliar)

“Em meados de 1959, Walt Disney começou a manifestar sua preocupação com relação ao tratamento dado pela rede americana ABC a seus dois programas de maior audiência, O Clube do Mickey e Zorro. (…) a emissora passou a vender espaços comerciais a qualquer tipo de produto, preocupando Disney com relação à audiência essencialmente infantil. Nessa mesma época, a emissora começou a comprar os direitos autorais de todos os programas exibidos por eles, acreditando que teriam mais lucro se fossem donos únicos de toda a sua programação. Como Zorro e O Clube do Mickey pertenciam a Walt Disney, sendo apenas um terço de propriedade da ABC, a emissora ofereceu-se para comprá-los. Walt negou-se a vender, a emissora então cancelou os dois programas e uma batalha judicial teve início.” (Revista TV Séries, Ano II, nº 13, Julho/1998)

Durante a disputa, Disney apresentou quatro episódios de uma hora no programa Disneylândia: El Bandido, Adios El Cuchillo, The Postponed Wedding, com Annette Funicello, e Auld Acquaintance, com Ricardo Montalban. Ele também manteve Guy Williams na folha de pagamento por mais dois anos. Porém, quando a questão legal finalmente terminou, ele concluiu que o público já não tinha mais interesse em Zorro.

Annette Funicello
em “The Postponed Wedding”

Texto: Marta Machado com base em texto de Fernanda Furquim publicado na Revista TV Séries Nº13

Disney Finalmente Lança DVD do Zorro…nos EUA



Os eternos fãs da série “Zorro” estrelada por Guy Williams terão finalmente a chance de tê-la em DVD. Segundo o site TV Shows on DVD, A Walt Disney Studios Home Entertainment anunciou hoje que pretende lançar em DVD as duas temporadas produzidas entre 1957 e 1959 em celebração aos 50 anos do final da série. Os DVDs deverão chegar às lojas do mercado americano no dia 3 de novembro.

Os episódios serão lançados no formato original em preto e branco, restaurados e remasterizados em alta definição. O lançamento dividido em duas latas terá edição limitada, com numeração e certificados de autenticidade. Trata-se de um lançamento dentro do formato Walt Disney Treasures Limited Edition.

Guy Williams e Britt Lomond



Cada lata trará um jogo de seis discos com material Extra que inclue introdução do crítico e historiador de filmes Leonard Maltin e dois especiais de uma hora de duração cada. Cada lata sairá pelo preço sugerido de $59,99 dólares.

“Zorro” foi a primeira série produzida pela Disney para a televisão. A Disney foi o primeiro grande estúdio a chegar à TV em 1950, seguida pela Warner que chegaria em 1955. Inicialmente, a Disney produzia apenas programas especiais sobre os bastidores de seus filmes para o cinema. Desejando completar o financiamento para a construção de seu parque temático, hoje conhecido como Disneylândia, Walt Disney fez um acordo com a rede ABC através da qual produziu e exibiu seus programas.

Walt Disney e Guy Williams


Por isso, estreou em 1954 o programa Disneylândia, cujo lucro o ajudou a finalizar a construção de seu parque. O sucesso do programa, que exibia desde documentários até aventuras estrelada por Fess Parker como Davy Crockett, fez com que Walt Disney decidisse produzir dois novos programas: “Mickey Mouse Club”, um programa infantil de variedades que estreou em 1955, e “Zorro”, sua primeira série ficcional para a TV, que estreou em 1957.

Infelizmente, estes dois últimos foram alvo de discórdia entre o estúdio e o canal ABC. Visto que a emissora coletava os lucros dos produtos agregados, Walt Disney entrou com um processo contra o canal exigindo participação na venda destes produtos. Durante este período, um acordo foi feito entre as duas partes, o qual determinou o cancelamento da série “Zorro” e a continuidade do programa “O Clube do Mickey”.

Na esperança de que, ao final da disputa contratual, ele pudesse retomar a produção do Zorro, Disney manteve os atores e equipe sob contrato e chegou a produzir dois telefilmes os quais foram exibidos dentro do programa “Disneylândia”, que também manteve-se no ar nesta época. Mas, após a finalização do processo em 1961, Disney percebeu que a época do “Zorro” já tinha passado e seguiu em frente com outras produções.

Henry Calvin e Gene Sheldon



No entanto, “Zorro” sobreviveu nas reprises, tornando-se uma das séries mais lembradas pelo público que acompanhou as produções de Walt Disney ao longo dos anos. Em 2006 o estúdio chegou a lançar nos Estados Unidos as duas temporadas da série, em versão colorizada, mas para venda exclusiva aos membros do Disney´s Movie Club e, ainda assim, em edição limitada.

Ao estrear o canal Disney no Brasil, a série fazia parte da grade de programação, exibida na versão colorizada e sem intervalos comerciais. Neste período, todos os episódios foram redublados tendo em vista que, segundo a distribuidora, a versão original da dublagem tinha sido perdida.

Ainda não há nenhuma informação sobre este lançamento no Brasil.Abaixo, trecho do episódio piloto com Guy Williams (Diego), Henry Calvin (Garcia), Gene Sheldon (Bernardo) e Britt Lomond (Monastário)

Zorro, o Musical

Com base no livro de Isabel Allende, o musical “Zorro” terá sua estréia no dia 13 de março na Inglaterra. Matt Rawle interpreta o papel título ao lado de Adam Cooper que interpreta Ramon, e Aimie Atkinson, como Luísa.

A trilha sonora foi composta pelo grupo The Gipsy Kings que utilizará antigas e novas composições, entre elas, “Bambeleo,” “Baila Me” e “Djobi Djoba”. O musical também terá danças flamencas e números acrobáticos aéreos, além da já esperada luta de espadas.

O livro de Allende foi lançado em 2005, “Zorro: A Novel”, e narra as origens do Zorro, o herói mascarado que tem Don Diego de la Vega, como sua identidade secreta. A produção do musical está a cargo da própria autora.

O personagem Zorro foi levado para a televisão por Walt Disney em 1957-1959, com um total de 82 episódios. Estrelada pelo ator Guy Williams (foto à direita), a série ainda tinha no elenco os atores Henry Calvin, Don Diamond e Britt Lommond, entre outros. O personagem foi criado em 1919 por Johnston McCulley. O livro de Allende é uma releitura da origem da lenda, que tem como pano de fundo a história da Califórnia e da Espanha.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados