Blogs e Colunistas

Além da Imaginação

‘Além da Imaginação’ terá versão em quadrinhos

Uma das mais importantes séries de todos os tempos está preparando sua volta. A Dynamite Entertainment fechou um contrato com a CBS para lançar a versão em quadrinhos de Além da Imaginação. Não se trata de uma adaptação dos episódios, mas de novas histórias que serão escritas por J. Michael Straczynski (Babylon 5 e Cult), que já colaborou com roteiros para o remake da série, produzido na década de 1980.

Straczynski

Criada por Rod Serling, a série surgiu da necessidade do roteirista e produtor de escapar da censura imposta pela TV da época.

Conhecido por seus roteiros de teleteatros, Serling estava frustado em ver seus textos alterados para atender os interesses de diversos grupos e empresas. Acreditando que com uma série de ficção científica ele teria mais liberdade de discutir questões sociais e políticas, ele criou Além da Imaginação, produção que definiu o gênero até então mais explorado por séries infanto-juvenis.

A série influenciou diversas gerações de roteiristas que a utilizam como referência até hoje. Mais informações sobre a produção aqui. Atualmente, episódios da série estão disponíveis no site de streaming Netflix.

A Dynamite lançará três histórias independentes a cada quatro edições. Cada história será ligada por um tema ou personagem ou um local. Por exemplo, uma situação vivida por um determinado personagem é apresentada em uma história. Este personagem poderá aparecer na história seguinte para introduzir uma nova situação vivida por outro personagem.

A Dynamite ainda não divulgou uma data de lançamento. Quem for para a Comic Con de San Diego, poderá encontrar Straczynski, que participará do evento.

22/12/2012

às 10:33 \ Pilotos de Séries, Remakes, Versão Televisiva

Novos projetos e pilotos – Dezembro 2012 – Parte 3

ABC

The Returned – Projeto de Aaron Zelman (The Killing) que adapta a obra de Jason Mott, que será lançada em 2013. Inspirada em um sonho que Mott teve com sua mãe, a história retrata um fenômeno de caráter mundial. Pessoas já falecidas retornam para suas famílias com a mesma aparência que tinham quando morreram. Entre eles, um menino de oito anos em torno do qual gira a história. Pelo pouco que foi divulgado, parece que o projeto segue a linha de Les Revenants, da França. A produção é da Plan B, empresa de Brad Pitt, em parceria com a Brillstein Entertainment e a ABC Studios.

Justin Bieber Project – Desenvolvido por Ben Nedivi e Matt Wolper, o projeto é uma sitcom sobre a vida do cantor Justin Bieber antes dele se tornar famoso. Vivendo com sua família, um jovem sonha em se tornar um cantor. A produção é da ABC Studios.

You’re Not Doing It Right – Projeto de Ben Stiller com roteiro de Michael Ian Black, que também irá estrelar a produção. Adaptada da obra de Black, a história gira em torno de uma família.

Between Two Kings – Projeto de Ben Stiller e Jeff Kahn sobre um pai solteiro que vai morar com seu próprio pai, quando a saúde deste começa a declinar.

John Leguizamo Project – Desenvolvido por Chris Sheridan (Family Guy), o projeto é inspirado na vida do ator John Leguizamo, que deverá estrelar a série, caso ela seja produzida. Na história, um homem tenta manter o equilíbrio entre sua vida em família e seu trabalho.

ABC Family

Recovery Road – Projeto da Pilgrim Studio que ainda não tem um roteirista. Trata-se de uma adaptação da obra de Blake Nelson, publicado em 2011. Na história, uma adolescente se interna em uma clínica de reabilitação para livrar-se da dependência do álcool e aprender a controlar seu temperamento. Lá ela se apaixona por outro paciente.

Juliet Immortal – Projeto de Stacey Jay, que adapta seu próprio livro, publicado este ano. A história é estrelada pelos personagens Romeu e Julieta, criados por William Shakespeare. Julieta Capuleto não se suicidou. Em busca da imortalidade, Romeu sacrificou Julieta. Esta, por sua vez, é presenteada com a imortalidade. Agora, tentando preservar o amor verdadeiro, Julieta se torna embaixadora da Luz. Sua missão é salvar as almas dos românticos e inocentes. Mas, após 700 anos, ela se apaixona novamente, o que leva Romeu a fazer de tudo para destruir esse amor.

AMC

We Hate Paul Revere – Projeto de sitcom criado por Ethan Sandler e Adrian Wenner (Whitney). Situada no período colonial americano, a história acompanha a vida de dois irmãos que moram em Boston, onde antagonizam com o ativista Paul Revere, um industrial que se coloca a favor da revolução americana.

Bravo

Death Becomes Her  - Projeto de Robert Zemeckis, Jack Rapke e Jackie Levine que pretendem adaptar o filme A Morte Lhe Cai Bem, de 1992. Estrelado por Meryl Streep, Goldie Hawn e Bruce Willis, o filme apresenta a rivalidade entre duas mulheres que disputam as atenções do mesmo homem. Ao descobrirem uma forma de se manter jovens para sempre, elas se tornam reféns dos efeitos colaterais da poção. A produção do projeto que poderá dar ao filme uma versão para a TV é da Universal Cable em parceria com a Lupara Productions.

Moguls – Projeto de Charles Randolph e Sharyn Rothstein sobre um milionário que mantém uma empresa de comunicações, e sua relação com a família e colegas de trabalho.

CBS

The Twilight Zone – Projeto de Bryan Singer que pretende ser uma nova versão da série clássica Além da Imaginação, de Rod Serling. No momento, Singer e a CBS TV Studios, que detém os direitos da série original, buscam por um roteirista. Trazendo uma situação diferente por episódio, Além da Imaginação abordou questões de fé, familiares, morais, éticas e políticas que cercam a humanidade frente aos avanços tecnológicos e transformações sociais. Mais informações sobre a produção aqui. A série já teve duas novas versões produzidas, sem o mesmo sucesso ou reconhecimento. A primeira foi na década de 1980, pela própria CBS, e a segunda em 2002, pelo antigo canal UPN. Além da Imaginação era uma série autoral e pioneira, por mais que se tente reproduzi-la, nunca será a mesma coisa.

Mom - Projeto de Chuck Lorre (Two and a Half Men, The Big Bang Theory e Mike & Molly), Eddie Gorodetsky e Gemma Baker, que ganhou a encomenda de um episódio piloto para avaliação. Na história, uma mãe solteira, que recém se livrou da dependência ao álcool, tenta reconstruir sua vida em Napa Valley. A produção do projeto é da Warner Brothers TV.

CW

Sherwood – Projeto de Tze Chun e Dan Jinks que pretende apresentar uma nova versão para a lenda de Robin Hood. Situada no ano de 1072, na Inglaterra, a história acompanha a vida de uma jovem nobre que se une ao bando de Robin quando seu namorado é aprisionado por engano pelos normandos.

Dave Channel

Undercover - Dave, o pequeno canal a cabo britânico que este ano ofereceu a décima temporada de Red Dwarf, encomendou a produção de um episódio piloto de Undercover, projeto de série criado por Sacha Alexander, Simon Dean (Miranda) e Andy Milligan. Trata-se de uma sátira ao gênero policial, na linha de Police Squad A Touch of Cloth. Na história, Chris é um ex-guarda de trânsito que agora trabalha como policial infiltrado em uma organização criminosa americana formada por uma família. Metrossexual e extremamente analítico, Chris tem a tendência de exagerar. Para piorar a situação, ele se envolve com os membros da organização, passando a considerá-los como sua própria família. O projeto vem sendo desenvolvido há dois anos, mas apenas agora foi divulgado. A produção é da Bonafide Films em parceria com a Baby Cow.

Discovery Channel

Klondike – Projeto de minissérie de Paul Schureing (Prison Break), que adapta a obra de Charlotte Gray, Gold Diggers: Striking It Rich in the Klondike. Situada na década de 1890, a história acompanha a vida de Bill e Epstein, dois amigos de infância que decidem participar da corrida do ouro no território de Yukon, no Canadá. Lá eles se unem a mais quatro pessoas que têm o mesmo objetivo. Juntos, eles tentam sobreviver aos obstáculos que encontram pelo caminho. Se for encomendada, esta será a primeira produção ficcional do canal, que até o momento vem oferecendo documentários e reality shows. A produção do projeto é da Scott Free Television em parceria com a eOne Television.

E!

Gallerina – Projeto de Michelle McGarth, Mark Waters e Mike Tollin. A história apresenta a vida de uma mulher que trabalha em uma galeria de artes em Los Angeles. Tentando provar sua capacidade profissional, ela precisa lidar com seu chefe conquistador e com sua mãe, uma conhecida benfeitora das artes.

Fox

Linda Green – Projeto de Alex Borstein que adapta a série britânica criada por Paul Abbott (Shameless) e Nicola Shindler, ambos envolvidos com o projeto. Produzida entre 2001 e 2002, a sitcom britânica narra a vida de uma mulher de trinta e poucos anos que durante o dia trabalha como vendedora de carros e à noite se apresenta como cantora de nightclubes. Neste meio tempo, ela tenta manter suas relações de amizade e amorosas. A versão americana é situada em Boston e gira em torno de cinco amigos de trinta e poucos anos vivendo os altos baixos de suas relações e trabalhos. Se produzida, a série americana será uma dramédia com uma hora de duração. A produção é da BBC Worldwide Productions em parceria com a Sony Pictures Television.

Projeto de Lyonne, Barnow e Firek – Desenvolvido por Natasha Lyonne, Alex Barnow e Marc Firek, o projeto de sitcom narra a vida de Stella (Lyonne) que, recém saída de uma clínica de reabilitação, se vê obrigada a morar com o irmão conservador e sua família. A produção é da 3 Arts em parceria com a Sony Pictures TV.

 FX

Tyrant – Projeto de Howard Gordon (Homeland), Gideon Raff (Hatufim) e Craig Wright (A Sete Palmos). A história acompanha a vida de uma família americana que é obrigada a trabalhar em um país do Oriente Médio, o qual passa por turbulências políticas e sociais. A produção do projeto é da 20th Century Fox em parceria com a Teakwood Lane.

HBO

Laughs Unlimited – Projeto de Oren Moverman e Anthony Swofford sobre soldados que retornam do Oriente Médio apresentando sinais de estresse pós-traumático. Billie Crown, uma médica militar que serviu no Afeganistão, retorna para os EUA onde descobre que seu marido entrou com um pedido de divórcio e custódia da filha. Omitindo seu diploma de médica, ela decide se unir à polícia de Sacramento, onde poderá manter contato com sua filha. Mas a vida de policial a leva a reviver situações traumáticas o que a torna ‘uma bomba relógio’. Para relaxar e passar o tempo Billie se reúne com amigos e colegas de trabalho no bar Laughs Unlimited, que dá título à série.

People in New Jersey – Projeto de comédia criado pro Bruce Eric Kaplan, Jason Reitman e Lorne Michaels. A história acompanha o estilo de vida de pessoas que vivem em New Jersey, apresentados pelo ponto de vista de um casal de irmãos.

Projeto de Grant, Condon e Haigh – Desenvolvido por David Marshall Grant, Sarah Condon e Andrew Haigh, o projeto de sitcom é uma adaptação do curta Lorimer, de Michael Lannan, que assina o roteiro do projeto. Na história, três amigos gays de trinta e poucos anos vivem em São Francisco onde compartilham experiências e os altos e baixos de seus respectivos relacionamentos. O projeto ganhou a encomenda de um episódio piloto para avaliação.

Stick Fly – Projeto de Lydia Diamond, Alicia Keys e Nelle Nugent, que adapta a peça da Broadway escrita por Diamond. Na história, durante um final de semana em Martha’s Vineyard, dois irmãos afro-americanos decidem apresentar suas namoradas às suas famílias, o que leva à descoberta de segredos,preconceitos, hipocrisia e adultérios.

NBC

The Fosters – Projeto de Sindy McKay e Gary Anthony Williams (Weeds), que poderá estrelar a série, caso ela seja produzida. A história gira em torno de um homem e seus filhos adotivos. A ABC Family também tem um projeto em desenvolvimento com o mesmo título.

Showtime

The Vatican – Projeto de Paul Attanasio (House) e Ridley Scott (The Good Wife) que ganhou a encomenda de um episódio piloto para avaliação. Depois de abordar os bastidores da igreja católica no século XV, o Showtime quer agora investigar a situação da igreja nos dias atuais. Se o Vaticano não fizer nada para impedir e a série conseguir ser produzida, a história apresentará o jogo político, as conspirações e a luta pelo poder que cercam a igreja católica atualmente, em contraste com as questões da espiritualidade. A intenção dos produtores também é a de abordar os mistérios que existem em torno dos milagres reconhecidos pela instituição. A produção é da Sony TV.

Starz

Human Error – Projeto de Philip Gawthorne, Adam Schroeder e Ray Donovan. Trata-se de uma história de ficção científica situada no futuro próximo, período em que formas humanas artificiais estão sendo introduzidas no meio social. Quando um detetive humano da polícia forma dupla com um deles, os dois passam a investigar um caso aparentemente simples, que se desdobra em uma conspiração de grandes proporções.

Turf – Projeto de Patrick Macmanus que pretende dramatizar o nascimento da música Hip Hop em meio à violência das gangues no bairro do Bronx de Nova Iorque, na década de 1970.

TNT

Hit – Projeto de Jamie Foxx e Robert Port (Numb3rs) sobre dois amigos, ex-jogadores de futebol do colégio que, anos mais tarde, passam a trabalhar juntos para um departamento especial da polícia de Miami. Conhecido como Hit (High Impact Team), o departamento tem a missão de solucionar crimes hediondos.

USA

DarkNet – Projeto de Rene Balcer (Law & Order: Criminal Intent). A história gira em torno de dois agentes do FBI especializados em crimes cibernéticos que descobrem uma conspiração para mudar o rumo da evolução humana. A dupla é formada por uma jovem que teve sua irmã sequestrada por um predador cibernético e por um ex-hacktivista que foi recrutado pelo FBI depois de cumprir pena. A produção do projeto é da Universal.

Projeto Descartado

Kings of Van Nuys – O canal ABC decidiu descartar pela segunda vez o projeto que daria à série britânica Only Fools and Horses uma versão americana. Desenvolvido por Steven Cragg e Brian Bradley, o remake ganhou a produção de um episódio piloto em 2011 para disputar uma vaga na grade da Temporada 2012-2013. Mas, quando o canal selecionou os projetos que seriam transformados em série, Kings of Van Nuys foi descartado. Em agosto de 2012, o canal decidiu resgatar o projeto, encomendando um segundo episódio piloto para avaliação. A história acompanhava a vida de dois irmãos, Dan (John Leguizamo) e Rodney (Dustin Ybarra), e do avô (Christopher Lloyd). Os três de moral questionável atuam no mercado negro realizando diversos tranbiques enquanto sonham com o dia que se tornarão milionários. Também no elenco estavam  BJ Bales (Happy Endings) como Trigger, um vigarista inimigo de Dan e Rodney; e Wendi McLendon-Covey (Reno 911), como Ruby, ex-esposa de Dan.

02/12/2012

às 10:47 \ Séries Anos 1950-1959

‘Além da Imaginação’ estreia no Netflix

Rod Serling

Este mês o site Netflix incluiu Além da Imaginação em seu catálogo de streaming. Com isso, os fãs podem matar as saudades da série enquanto a nova geração tem a oportunidade de ser apresentada a um clássico da TV americana. A série é oferecida em inglês com legendas em português.

Infelizmente, apenas quatro das cinco temporadas produzidas foram oferecidas até o momento. Estranhamente, a quarta temporada não foi incluída. Esta temporada é a que traz um número menor de episódios. Enquanto as demais contam com a média de 29 a 36 episódios, a quarta traz apenas dezoito por ter estreado na midseason.

Clássico da década de 1960, Além da Imaginação é considerada o marco inicial da ficção científica nas séries de TV, muito embora outras produções desse gênero já tivessem sido exibidas quando ela estreou em 1959.

Tal como I Love Lucy estabeleceu o formato sitcom, a série criada por Rod Serling definiu a abordagem que seria explorada pelos seriados de ficção: questões sociais, familiares, morais, éticas e políticas x avanços tecnológicos e modernidade. A forma como o ser humano se relaciona com a tecnologia e a fé.

Burgess Meredith no episódio 'Time Enough at Last'

Até então, as séries de ficção eram voltadas para o público infanto-juvenil, mantendo uma narrativa didática e de aventura. Produções como Um Passo Além fugiram do formato estabelecido, mas se prendiam a um único conceito. Além da Imaginação ampliou o olhar para todas as questões que afligem o ser humano em uma sociedade em constante mudança.

Com cinco temporadas e 156 episódios, a série influenciou (e ainda influencia) gerações de roteiristas e produtores que buscam nos episódios de Além da Imaginação inspiração para suas produções.

A série não traz efeitos visuais fantásticos ou cenas de lutas e perseguições, que podem ser acrescentadas a qualquer roteiro. Ela traz o drama que leva os personagens a viverem diversas situações consideradas… além da imaginação.

Sem enredo ou personagens fixos, a série conta com histórias diferentes a cada episódio, apresentados por Serling, seu criador e responsável por cerca de 80% dos roteiros.

Entre os episódios que se tornaram clássicos estão Where is Everybody?, Time Enough at Last, Third From the Sun, The Monsters Are Due on Maple Street, A World of His Own,  The Eye of the Beholder, Nick of Time, The Invaders, The Midnight Sun, Five Characters in Search of an Exit, Nothing in the Dark, To Serve Men, Nightmare at 20.000 Feet, People Are Alike All Over, The After Hours, The Masks, A Stop at Willoughby, Walking Distance, entre outros.

Cliquem nas fotos para ampliar.

30/06/2011

às 18:13 \ Produtores, Versão Cinematográfica

Rod Serling Poderá Ter Filme Biográfico

Rodman Edward Serling, mais conhecido como Rod Serling

Esta demorou, vamos torcer para que se concretize!

Para a nova geração de fãs de séries, “Além da Imaginação” é mais famosa que seu criador, Rod Serling, que ao longo dos anos foi, de certa forma, eclipsado por Gene Roddenberry, criador de “Jornada nas Estrelas”, um nome mais conhecido pelo público atual.

Mas muito antes de Roddenberry sequer sonhar em ter sua própria série, Serling já fazia nome na TV através dos teleteatros. Com uma carreira bem sucedida e cansado de ver seus textos censurados e reescritos, Serling trocou os teleteatros pela ficção científica.

Com “Além da Imaginação”, produzida entre 1959 e 1963, ele elevou o conceito de ficção científica da TV que, até então, era explorado por séries infantis, com algumas exceções mal sucedidas. Ao explorar situações políticas e sociais dentro do gênero,  a série conquistou o reconhecimento crítico, fazendo surgir outras produções na mesma linha.

Praticamente todos os temas relacionados à condição humana x as mudanças sociais foram explorados na série, utilizada como referência para futuros roteiristas de TV, até os dias de hoje. Assim, Serling foi transformado no ‘pai da ficção científica na TV’.

Ele bem que tentou ir para o cinema, mas seus trabalhos nessa área limitam-se a poucos roteiros. Entre eles, o mais conhecido é a adaptação de “O Planeta dos Macacos”, produção de 1968, do livro de Pierre Boulle. Mas o roteiro ficou tão longo que precisou ser reescrito por Michael Wilson para encurtar o tempo de duração.

Após anos ‘esquecido’ pela mídia, Serling é resgatado por Andrew Meieran, através da produtora Bureau of Moving Pictures, que adquiriu os direitos de produção da biografia de Serling. Segundo o site Deadline, o roteiro do filme está a cargo de Stanley Weiser, de “Wall Street”. A co-produção é de Carol Serling, viúva de Rod.

O filme deverá iniciar com o período em que Rod atuou como paraquedista e boxeador durante a 2ª Guerra Mundial. Ele também fez parte de um esquadrão de demolição nas Filipinas. Suas experiências na guerra deixariam no futuro escritor marcas profundas sobre o valor da vida e a proximidade da morte, temas constantemente explorados por Serling em seus roteiros.

Fumante inveterado, sedentário e apreciador de carne vermelha, Serling teve problemas cardíacos o que o levou a passar por uma cirurgia em 1975 para implantar um marcapasso. Infelizmente, o produtor e roteirista não resistiu à operação, vindo a falecer aos 50 anos de idade. Na época, ele já estava afastado da TV, atuando como professor universitário, dando aulas de roteiro.

Nova Versão Cinematográfica de Além da Imaginação

Já faz um bom tempo que Leonardo DiCaprio vem desejando produzir versões cinematográficas de episódios da série de Rod Serling, “Além da Imaginação“.

Em julho de 2008 foi divulgado um acordo entre sua empresa, a Appain Way, com o estúdio Warner Brothers, para produzir filmes com base em episódios selecionados. O primeiro deles foi “A Caixa/The Box“, com base no episódio escrito por Richard Matheson, o qual foi produzido para a versão da série nos anos de 1980.

Agora, o site Deadline divulga que Jason Rothenberg foi contratado pelo estúdio para adaptar vários episódios ao mesmo tempo para um único filme, tal como foi feito em 1983, quando lançaram a primeira versão cinematográfica da série. Rothenberg substitui Rand Ravich, roteirista e diretor contratado pela Warner em 2009 para levar a série novamente aos cinemas.

A informação ainda não foi confirmada pelo estúdio. Se produzido, o filme deverá ser lançado em 2012.

02/10/2009

às 13:23 \ Séries Anos 1950-1959

Juntem-se a Nós em uma Região Além da Imaginação

Há uma quinta dimensão além daquelas conhecidas pelo Homem. É uma dimensão tão vasta quanto o espaço e tão desprovida de tempo quanto o infinito. É o espaço intermediário entre a luz e a sombra, entre a ciência e a superstição; e se encontra entre o abismo dos temores do homem e o cume dos seus conhecimentos. É a dimensão da fantasia. Uma região Além da Imaginação.

Com estas palavras, Rod Serling introduzia os episódios de sua série Além da Imaginação/The Twilight Zone. Nessas estórias sobre o fantástico, o surreal, o macabro, ele transportava seu público a uma região onde o inimaginado era possível e o surpreendia com um final inesperado. O tom em geral sugeria cautela com relação ao que parecia real ou seguro.

À revista TV Guide de novembro de 1959, Serling apresentou a nova série como “uma antologia de meia hora, que mergulha no estranho, no bizarro, no inesperado. Ela sonda a dimensão da imaginação, preocupando-se com o bom gosto e com o público adulto, que há muito tem sido considerado ignorante.”

Essa região além da imaginação dava a Serling a chance de discutir sobre assuntos que de outra forma jamais teriam passado pela censura das redes ou pela aprovação dos patrocinadores. Misturando ficção científica, terror, fantasia e suspense, ele conseguiu falar sobre os temas do momento em horário nobre. Para burlar essa censura, ele negava, em entrevistas, que sua série abordaria questões sociais ou políticas, seria apenas diversão bem elaborada para telespectadores inteligentes.

Nada disso pode parecer inovador para o público de hoje, acostumado a fórmulas semelhantes usadas em diversas séries, como Twin Peaks, Arquivo X, Lost ou Fringe. Mas nenhuma delas surgiu do nada, tiveram o caminho aberto e pavimentado por produções como Além da Imaginação, e suas contemporâneas One Step Beyond e The Outer Limits, as primeiras a abordar o sobrenatural, universos paralelos, premonições, o improvável.

Em 1958, ele fez sua primeira tentativa com um roteiro intitulado The Time Element, no qual um homem (William Bendix) sonha com o ataque a Pearl Harbor, mas é ignorado ao avisar o exército. Embora a CBS tenha comprado o roteiro, preferiu engavetá-lo, pois não via nenhum potencial. Mais tarde, Bert Granet, produtor de Westinghouse Desilu Playhouse, esbarrou no texto e se interessou. Porém, antes de produzi-lo, solicitou alterações, pois o departamento de defesa dos Estados Unidos era cliente do patrocinador (Westinghouse), e não ficaria bem apresentar seu cliente de forma negativa. Por isso, o homem passa a informação à imprensa em vez de ao exército.

O filme foi ao ar dia 24 de novembro de 1958 e teve muito sucesso, atraindo a atenção de mais fãs do que os outros programas da CBS. A rede então decidiu dar uma chance a Serling, que escreveu um segundo piloto, Where is Everybody, cuja estreia foi dia 2 de outubro de 1959. Earl Holliman interpreta um homem perdido em uma cidade deserta, onde no entanto escuta automóveis, sente cheiro de café fresco e vê cinzeiros com fumaça. Logo, o pânico toma conta dele e o público descobre que tudo não passou de uma alucinação provocada por um teste do programa espacial para determinar as limitações humanas em uma viagem simulada à lua.

Na versão original, o piloto tinha 35 minutos sem comerciais, pois incluía uma mensagem de Rod Serling com o objetivo de promover o produto entre anunciantes. Inicialmente, a narração seria feita por Westbrook Van Voohris, mas como ele era muito pomposo, Serling e a CBS cogitaram contratar Orson Wells. Seu preço, porém, foi recusado pelo anunciante General Foods.

O estilo pioneiro de Serling logo conquistou a aprovação do público e da crítica. Para manter esse nível, seu contrato com a rede estipulava que pelo menos 80% dos roteiros fossem escritos por ele. Sua rotina diária era rigorosa, dedicando cerca de 18 horas à série. Dos 156 episódios, produzidos ao longo das cinco temporadas, 92 foram escritos por ele. Raramente usava máquina de escrever, preferindo ditar rascunhos, que depois eram datilografados. Ele então fazia ajustes, e em no máximo dois dias, o roteiro ficava pronto. Como ele conseguia? De acordo com um colega, Serling tinha insônia e mantinha um gravador perto da cama. Enquanto tentava dormir, ele ia registrando as idéias que lhe vinham à cabeça. Com exceção do episódio The Chaser, todos os roteiros da primeira temporada foram escritos por Serling e seus colaboradores Charles Beaumont e Richard Matheson.

Gig Young em “Walking Distance”

Como vencer a competição, era provavelmente uma de suas preocupações, pois foi apenas em novembro que os níveis de audiência convenceram os patrocinadores, General Foods e Kimberly-Clarke, que o produto era comercial o suficiente para se manter no ar. Prova disso foram os prêmios recebidos pela 1ª temporada. Um Emmy de melhor roteiro e um Hugo Award de melhor série dramática para Rod Serling, e um Producers Guild de melhor roteiro para seu associado Buck Houghton.

A segunda temporada começou com um episódio baseado em fatos reais. Em King Nine Will Not Return, um piloto da 2ª Guerra se acorda em um deserto na África e tenta desesperadamente descobrir o que aconteceu com sua tripulação. O fato por trás dessa estória envolvia um avião B-24, cuja tripulação só foi encontrada 15 anos após ter sofrido um acidente.

Robert Cummings em “King Nine Will Not Return”

Nessa temporada, a Colgate-Palmolive substituiu a Kimberly-Clarke, e mais tarde a Liggett & Myers tomou o lugar da General Foods. Nessa mesma época, James Aubrey assumiu a direção da CBS e achou que a série era cara demais. Por isso, exigiu que a produção realizasse sete episódios a menos do que na primeira temporada, e que seis deveriam ser filmados em videotape. Assim mesmo, alguns dos episódios mais aclamados foram produzidos nesse período e novamente, Serling levou para casa um Emmy de melhor roteiro. George T. Clemens recebeu o Emmy de melhor fotografia, e novamente a série recebeu o Hugo Award de melhor série dramática.

Aos poucos, Serling, Beaumont e Matheson começaram a contratar mais escritores, e ao time juntaram-se George Clayton Johnson, Montgomery Pittman e Earl Hamner Jr. Até mesmo Ray Bradbury deu sua contribuição, no episódio I Sing the Body Electric, em 1962 . Mas no começo da terceira temporada, Serling, então com 37 anos, começou a demonstrar fadiga. Houve indicações ao Emmy, mas a série só ganhou, novamente, o Hugo Award de melhor série dramática.

Peter Falk em “The Mirror”

 

No outono de 1962, a série demorou para encontrar patrocínio para a 4ª temporada, por isso a CBS a substituiu pela comédia Fair Exchange em setembro. Certos de que a série havia sido cancelada, o produtor Buck Houghton aceitou uma oferta da Four Stars Production, enquanto Serling começou a dar aulas na Antioch College. Então, em novembro, a CBS trouxe Além da Imaginação de volta para substituir Fair Exchange. Como a comédia tinha uma hora de duração, os novos episódios teriam de preencher o espaço, fórmula que não agradou a Serling. Para substituir Buck Houghton, Herbert Hirshman foi contratado. Sua primeira determinação foi criar uma nova sequência de abertura.

Serling entre Bob Mitchel, Milton Parsons e David Bondem “The New Exhibit”

 

A contribuição de Serling às estórias foi reduzida. Como produtor executivo, sua presença em Los Angeles tornou-se mínima. Uma doença cerebral também reduziu a participação de Beaumont, e assim foram encomendados mais roteiros a Earl Hamner Jr. e Reginald Rose. A próxima alteração foi Hirschman, que juntou-se à NBC para produzir a série Espionage. Para substituí-lo, Bert Granet foi chamado. Sob seu comando, a série recebeu indicações ao Emmy e ao Hugo Award, e conseguiu retornar ao formato de meia hora.

A quinta temporada começou com novos patrocinadores, American Tobacco e Procter & Gamble. Beaumont retirou-se completamente e Bert Granet foi substituído por William Froug, com quem Serling já havia trabalhado em Playhouse 90. As alterações propostas por Froug não tiveram boa aceitação. Ele ignorou bons roteiros encomendados por Granet e contratou Richard deRoy para reescrever o trabalho de George Clayton Johnson. De acordo com Johnson, a revisão tornou o texto trivial.

Billy Mumy em “In Praise of Pip”

 

Embora essa temporada não tenha recebido nenhum prêmio ou indicação, apresentou um episódio baseado em um filme francês intitulado La Rivière du Hibou, que recebeu um Oscar de melhor curta em 1964. O filme é uma adaptação narrada do conto An Occurance at Owl Creek Bridge, escrito pelo contista americano Ambrose Bierce, no século 19. O filme foi comprado por Serling, reeditado para Além da Imaginação e recebeu uma narração diferente para explicar a novidade. Serling o introduz dizendo “a apresentação desta noite é tão especial e única que, pela primeira vez em cinco anos de Além da Imaginação, vamos oferecer um filme rodado na França por outras pessoas (…) um estudo assustador do incrível, escrito pelo mestre do incrível, Ambrose Bierce (…).” A série Lost também fez uso desse conto no episódio The Long Con. Quem tiver curiosidade, pode ler o conto traduzido aqui ou em inglês aqui. Pode também assistir a An Occurance at Owl Creek Bridge no vídeo abaixo.

Em janeiro de 1964, a CBS anunciou o cancelamento da série, aparentemente por razões financeiras. Pouco depois, Serling vendeu seus direitos a CBS, abandonando todos os projetos envolvendo o sobrenatural, até retornar com A Galeria do Terror/Night Gallery, em 1969.

A idéia foi reaproveitada no filme The Twilight Zone: The Movie (1983) e em outras duas séries como o mesmo título em 1985 e 2002. Atualmente a produtora de Leonardo DiCaprio (Appian Way) tem um projeto em andamento e ainda sem título para um novo filme a ser lançado em 2011. Leiam em nossa postagem sobre esse assunto.

Para homenagear os 50 anos da série, o canal Syfy americano fará uma maratona de 15 episódios hoje. Outras celebrações também foram planejadas em Binghamton, NY, onde Serling cresceu, na Ithaca College em NY, onde ele lecionou de 1967 a 1975, e na Antioch College em Ohio, onde foi aluno, conheceu sua esposa, Carolyn Kramer, e onde lecionou. Para saber mais sobre o universo Rod Serling e sobre as celebrações a sua obra, visitem a página da Rod Serling Memorial Foundation.

Façam uma visita a essa região além da imaginação com um vídeo e a galeria de fotos.

Cliquem nas imagens para ampliar.

Texto: Marta Machado (a convite de Fernanda Furquim)

30/06/2009

às 23:20 \ Curiosidades, Séries Anos 1950-1959

TV dos Anos 50 Ganha Selos


A partir de agosto, muitos fãs de televisão vão optar pelo correio tradicional em vez do e-mail, pois o serviço postal americano lançará uma coleção de 20 selos comemorativos com ícones da TV. Dia 11 daquele mês às 11h30, o público poderá participar da cerimônia de lançamento, que terá lugar no Leonard H. Goldenson Theatre, em Nothr Hollywood, Califórnia.



A coleção batizada de Early TV Memories vai homenagear, entre outros, Rod Serling (The Twilight Zone/Além da Imaginação); Clayton Moore e seu cavalo Silver (Zorro, o Cavaleiro Solitário/The Lone Ranger); Milton Berle; Lucille Ball e Vivian Vance (I Love Lucy); William Boyd e seu cavalo Topper (Hopalong Cassidy); Ed Sullivan; Raymond Burr (Perry Mason); Alfred Hitchcock; e Jackie Gleason e Art Carney (The Honeymooners).




Texto: Marta Machado (a convite de Fernanda Furquim)

25/06/2009

às 1:28 \ Versão Cinematográfica

Filme da Warner é Versão de Além da Imaginação

Quem acompanha este blog a mais tempo deve se lembrar deste post. A Warner e a Appian Way, que pertence ao ator Leonardo DiCaprio, estavam na ocasiação pesquisando entre os episódios produzidos para a série “Além da Imaginação/The Twilight Zone”, histórias que pudessem adaptar para o cinema. Pois encontraram a primeira.

O próximo filme de Cameron Diaz que estréia em breve nos cinemas americanos é uma adaptação do episódio “Bottom, Bottom”, escrito por Richard Matheson e exibido no remake da série “Além da Imaginação produzido nos anos 80, o qual produziu novas histórias além de refilmar antigos roteiros.

No episódio, Mare Winningham e Brad Wright formam um casal que recebe uma caixa de um estranho. Este lhe diz que se apertarem o botão que está na caixa, ganharão muito dinheiro, mas alguém, em algum lugar, morrerá por isso.

No filme “The Box”, que será lançado pela Warner por volta de setembro ou outubro, Norma e Arthur Lewis formam o típico casal do subúrbio que recebem anônimamente uma caixa com a qual poderão ganhar um milhão de dólares caso apertem o botão da caixa. No entanto, causarão a morte de uma pessoa em algum lugar do mundo, alguém que eles não conhecem. Eles têm agora 24 horas para decidir se apertam o botão.

O filme é dirigido por Richard Kelly, que também adaptou a história de Matheson, e estrelado por Cameron Diaz, James Marsden, de “Ally McBeal”, e Frank Langella.

25/07/2008

às 19:10 \ Versão Cinematográfica

Warner Prepara Filmes com Base em Episódios de Além da Imaginação

A Warner Brothers e a Appian Way, que pertence ao ator Leonardo DiCaprio, estão pesquisando entre os episódios produzidos para a série “Além da Imaginação/The Twilight Zone”, histórias que possam adaptar para o cinema.

Em 1983, a Warner lançou uma versão da série para o cinema na qual apresentou quatro segmentos que eram um remake de episódios. Dirigidos por Joe Dante, John Landis, George Miller e Steven Spielberg, esta versão cinematográfica ficou marcada como sendo responsável pela morte do ator Vic Morrow, de “Combate”, e duas crianças orientais. Eles participaram de uma cena, dirigida por Landis, que se recusou a utilizar dublês, na qual um helicóptero caiu e decapitou-os com sua hélice. Landis, alguns produtores e técnicos foram levados a julgamento mas foram considerados inocentes da acusação de negligência.

Desta vez, a idéia é produzir uma história de narrativa contínua e não em segmentos. Criada, produzida e apresentada por Rod Serling, a série antológica estreou em 1959 trazendo para a ficção científica uma abordagem mais adulta, com temáticas políticas, sociais e psicológicas. Até então, a ficção científica na TV era voltada para o público infantil com abordagens didáticas. Algumas tentativas de levar a ficção para o mundo adulto, como “Tales of Unexpected” ou “Um Passo Além/One Step Beyond”, não tiveram o mesmo sucesso. “Além da Imaginação” abriu as portas para novas produções de ficção que seguiram o caminho de Serling em relação a este tipo de abordagem, como foi o caso de “Jornada nas Estrelas/Star Trek”, no final dos anos 60, com a qual Gene Roddenberry deu continuidade à proposta de Serling.

Com uma equipe de roteiristas como Richard Matheson, Charles Beaumont, George Clayton Johnson, Earl Hamner Jr., que mais tarde criaria a série “Os Waltons”, além do próprio Serling, entre outros, “Além da Imaginação” é um marco na história das séries de TV americana. Nos EUA, a série completa já foi lançada em DVD pela independente Image Entertainment.

Atualmente, a Warner já produz um filme com base em história de Richard Matheson, que foi originalmente adaptada para o remake de “Além da Imaginação” nos anos 80, chamado “The Box”. Nele temos um casal que recebe uma caixa na qual existe um botão. Se apertarem o botão, eles ganharão um milhão de dólares, mas alguém, em algum lugar do mundo, irá morrer em conseqüência deste ato. O filme é dirigido por Richard Kelly e estrelado por Cameron Diaz, James Marsdem, de “Ally McBeal”, e Frank Langella. Previsão de estréia para 2009.

26/03/2008

às 21:15 \ Produtores, Séries Anos 1950-1959

Roteiro Censurado de Rod Serling Ganha Nova Chance

Escrito em 1955 por Rod Serling, “Noon on Doomsday” terá uma leitura a ser realizada durante uma Conferência em homenagem ao criador e principal roteirista da série “Além da Imaginação”. Esta é a primeira vez que o texto será apresesentado da forma como Serling desejava. O evento ocorre no próximo sábado, dia 29 de março, no Ithaca College onde Serling lecionou um curso de roteiro para a televisão entre os anos de 1967 e 1975, ano em que faleceu.

“Noon on Doomsday” teve como base a história verídica de Emmett Till, um garoto negro de 14 anos, que vivia em Chicago e foi linchado no Mississippi por assoviar para uma mulher branca durante uma visita que fazia à parentes. Os dois homens acusados de seqüestrar e assassinar Emmett Till foram inocentados apesar de, posteriormente, terem admitido o crime.

Impressionado com a história do rapaz, Serling escreveu um texto com base nesse fato, para ser apresentado no Teleteatro “The United States Steel Hour”. Quando a notícia foi divulgada pela imprensa, provocou protestos de grupos racistas, em especial a dos membros da White Citizens Council, uma organização sulista da supremacia branca. Com receio de sofrer boicotes e prejudicar sua imagem, a patrocinadora do programa, a US Steel, juntamente com a rede ABC, censurou vários diálogos e alterou totalmente sua ambientação. Quando foi ao ar em 1956, o texto estava tão diferente que nem Serling conseguia reconhecê-lo. “Noon on Doomsday” foi estrelado por Albert Salmi, Jack Warden, Phillip Abbott e Everett Sloane.

Agora, situada na Nova Inglaterra, a história apresentava o assassinato de um judeu estrangeiro que visitava a cidade. A palavra “linchar” foi excluída dos diálogos e o assassino se transformou em um garoto, de uma boa família americana que, em um momento de insanidade, matou o judeu.

Serling tentaria produzir seu roteiro novamente em 1958, agora sob o título de “A Town Has Turned to Dust”, para o teleteatro “Playhouse 90″, da CBS. Mas os executivos da emissora reescreveram o roteiro de Serling, transformando o garoto negro em um garoto mexicano, que se apaixona por uma mulher branca, casada com o dono de uma loja. No elenco do teleteatro estavam Mario Alcalde, James Gregory, William Shatner e Rod Steiger. Esse texto foi refilmado em 1988. A nova versão, estrelada por Ron Pearlman e Stephen Lang, é situada em um deserto, em um tempo futuro não definido, onde um nativo americano é morto por um xerife alcoólatra.

Durante anos Serling lutou para ter o texto produzido em sua íntegra, mas sem sucesso. Serling foi um dos primeiros roteiristas da TV americana a escrever sobre questões de seu tempo e suas implicações na sociedade e na condição humana. Foi justamente a frustração de Serling em relação à censura que sofria que o fez investir na criação e produção de uma série de ficção científica com a qual pôde abordar questões que não foram censuradas por se passar em um lugar …além da imaginação.

Rod Serling fala sobre escrever para a TV:

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados