Fernanda Furquim Nova Temporada

Nova Temporada

Este é um espaço dedicado às séries e minisséries produzidas para a televisão. Traz informações, comentários e curiosidades sobre produções de todas as épocas.

sobre

Formada em Comunicação pela ULBRA, é jornalista e pesquisadora de séries de TV. Dentro deste tema, publicou o fanzine TV Land entre 1995 e 1997; a revista TV Séries entre 1997 e 2001 (que gerou um blog entre 2006 e 2010), e os livros Sitcom: Definição e História (2001) e As Maravilhosas Mulheres das Séries de TV (2008). Ministrou oficinas livres sobre a história da TV e das séries americanas.

Atores de ‘Pássaros Feridos’ se reencontram 30 anos depois

Por: Fernanda Furquim

Ver comentários (18)

(E-D) Richard Chamberlain, Rachel Ward e Bryan Brown durante coletiva de imprensa (Fotos: Getty)

Produzida em 1982 e exibida em 1983 pela rede ABC, a minissérie Pássaros Feridos foi um marco na história da TV americana. Adaptada por Carmen Culver e Lee Stanley da obra de Colleen McCullough, publicada em 1977, a minissérie teve um total de dez episódios exibidos em quatro noites.

Situada entre os anos de 1920 e 1962, a história acompanha a vida de Meggie (Rachel Ward) e o padre Ralph de Bricassart (Richard Chamberlain). Ainda menina, Meggie (Sydney Penny) vai morar com a família em Drogheda, uma fazenda de criação de carneiros na Austrália, de propriedade de sua tia, Mary Carson (Barbara Stanwyck). Lá ela conhece o padre Ralph, que se torna seu amigo e confidente.

Com o passar dos anos, Meggie cresce nutrindo um grande amor pelo padre. Por sua vez, Ralph também se vê apaixonado por Meggie, mas sua ambição fala mais alta. Desejando seguir carreira na igreja, ele troca Maggie pelo Vaticano. Ele assume o cargo de Cardeal e ela se casa com Luke (Bryan Brown), um tosquiador de ovelhas.

Anos mais tarde, quando Bricassart retorna à Austrália, ele reencontra Meggie, que a essas alturas deixou o marido. Nesse reencontro, os dois vivem um romance. Ele a abandona para voltar ao Vaticano sem saber que Meggie ficou grávida de um menino (Philip Anglim), que ao crescer decide se tornar padre.

Apesar da ameaça de boicote por parte de grupos conservadores que eram contra a exibição de uma história sobre um padre que quebra seus votos de celibato, a audiência da minissérie nos EUA chegou a registrar 41/59 de rating/share entre o público alvo do anunciante (veja como ler os números da audiência aqui), o que a transformou em uma das produções mais bem sucedidas da história da TV americana.

Após 30 anos de sua produção, os atores Richard Chamberlan, Rachel Ward e Bryan Brown se reuniram pela primeira vez para conversar sobre a minissérie durante uma coletiva de imprensa organizada pelo TCA – Television Critics Association. O evento foi realizado no último domingo em Beverly Hills.

Durante a conversa, Richard contou que se encontrou com Rachel uma vez, em um aeroporto da Tailândia. Foi em 2006, quando os dois trabalharam no telefilme Barba Negra. Eles não atuaram juntos, apenas se viram por dez minutos quando Richard chegou ao país e encontrou Rachel no aeroporto que, tendo filmado suas cenas, estava voltando para a Austrália onde vive com o marido, o ator Bryan Brown. Os dois se casaram em 1983 e estão juntos até hoje. O casal tem três filhos: Rosie, Joseph e Matilda, que também é atriz.

Entre os três, Richard continuou sendo o ator mais conhecido do grande público. Famoso pela série Dr. Kildare da década de 1960, ele estrelou diversas minisséries na década de 1980 que o levaram a ganhar o título de o Rei das Minisséries, tendo em vista que a maioria delas foi sucesso de público. Atualmente com 78 anos, Richard assumiu sua homossexualidade em 2003. Ainda atuando no cinema e na TV, embora com menor frequência, ele foi visto recentemente em episódios de Chuck, Brothers & Sisters, Leverage e Desperate Housewives. 

Já Rachel largou a carreira para se tornar diretora. Durante a conversa com os jornalistas, ela revelou ter recebido duras críticas por seu trabalho como atriz, o que a deixou insegura. Tendo feito mais alguns trabalhos nessa área, Rachel tomou a decisão de ir para trás das câmeras. Atualmente com 54 anos, ela ainda faz trabalhos esporádicos como atriz. A mais recente é a minissérie australiana Rain Shadow, produzida em 2007.

Seu marido, Bryan Brown, que está com 65 anos, manteve sua carreira de ator. Seu trabalho mais recente é a série The Good Wife, na qual fez participações especiais interpretando Jack Copeland, um oficial de justiça que, ao entregar uma intimação, desperta o interesse de Diane (Christine Baranski).

Bryan Brown e Cloris Leachman

Além dos atores de Pássaros Feridos, a coletiva também contou com as presenças de Louis Gossett Jr., que representou o elenco de Raízes, outro marco da TV americana. No palco também estavam Michele Lee e Cloris Leachman. O grupo se reuniu para divulgar a terceira temporada do programa Pioneers of Television, série documental da PBS que narra a história da TV americana.

Apresentando entrevistas com aqueles que fizeram história, o programa estreou em 2008 oferecendo quatro episódios dedicados aos formatos sitcom, variety, talk shows e game shows. Em 2011 o canal exibiu a segunda temporada, a qual cobre a trajetória da ficção científica, do faroeste, dos dramas criminais e dos programas infantis locais da TV americana em quatro episódios.

A terceira temporada da série estreia nos EUA em janeiro de 2013 com três episódios: Minisséries, Prime Time Soaps (a trajetória das séries com narrativa de novela) e Funny Ladies (destacando as atrizes que fizeram carreira na comédia). Pioneers of Television continua sendo uma produção inédita na TV brasileira, que não tem demonstrado interesse nesse tipo de programa. Mas, para quem desejar conhecer a produção, ela está disponível no mercado internacional de DVD.

Cliquem nas fotos para ampliar.

(E-D) Louis Gossett Jr., Michele Lee, Richard Chamberlain e Rachel Ward

Abaixo, trailer da minissérie Pássaros Feridos:

Voltar para a home
TAGs:

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

*

  1. ires maria de jesus

    assistir essa mine série no SBT, na época estava gravida, só soube o sexo depois que a criança nasceu,foi um lindo menino,hoje com 27 anos,não exitei,coloquei o dele de Hallf,depois que meu filho cresceu quis saber pq esse nome,então expliquei o motivo do nome dele.no awsap dele esta escrito Hallf de Bricassá.

  2. EVA LUCIA BOMFIM SILVA

    LINDA HISTORIA DE AMOR,FIQUEI APAIXONADA PELO PADRE E DORMIA PENSANDO NELE,TINHA UNS 9 ANOS,PARABÉNS,GOSTARIA DO REPRISE DE NOVO.PARABENS

  3. Dette

    Amei,essa história, chorei imenso, não me lembro ao certo o episodio, que foi. Gostava ver novamente.

  4. marcela

    amo essa serie nao canço de assistir

  5. soraia

    amei. essa minissérie. assisti duas vzs

  6. bebeto

    serie pássaros feridos comecei assisti essa serie tinha 10 pra 12 anos era criança, louca pra aquela atriz principal da serie, linda aquela mulher e assistia uma TV e preto e branco passava no sbt naquele tempo,do primeiro e do ultimo capitulo, adorava essa serie. deixara muita saudade, mais vejo alguns capitulo dessa serie pela internet , parabéns pelo elenco e produtores, grandiosa essa serie.

  7. SELUDA BRENTANO

    FOI A HISTÓRIA MAIS LINDA QUE ASSISTI, DEVE FAZER + OU – 33 ANOS

  8. Margarete

    Assisti a minissérie duas vezes. A história é linda!

  9. Soeli Machado

    EU LI OLIVRO PASSAROS FERIDOS HA 35 ANOS E ADOREI A HISTORIA E GOSTO MUITO AINDA DEVERIA SER REPRISADA

  10. Magda

    Foi bom revê-los!!!! Tenho os dvds e nunca me canso…Uma história linda demais.

  11. claudia pinheiro

    Realmente essa minissérie foi bem adaptada,e a história é linda,
    já li o livro e assisti a série…
    Emocionante!!!

  12. Lúcia Simões

    A história da minha vida! Vi pela primeira vez quando tinha dez anos e chorei muitas lágrimas pela tragédia desta história, que narra as escolhas, nem sempre fácies e acertadas, que temos de fazer na vida, em nome da sociedade. Eu mesma vivi a minha tragédia pessoal, muito semelhante à de Pássaros Feridos (só não era padre)e sei o quanto o canto do pássaro pode ser terrível para a nossa existência, quando o amor é tudo o que precisamos e não podemos vivê-lo.
    As palavras de Mary Carson, na véspera da sua morte, ditas com revolta a Ralf, embora nunca sejam recordadas, tornaram-se inesquecíveis para mim desde a infãncia. O nosso corpo envelhece, mas a alma mantém-se alerta, com todos os desejos incólumes para nos lembrar que o sofrimento, muitas vezes, quase sempre, suplanta a felicidade.
    a quem nunca leu o livro, recomendo que o façam, mas só se gostarem de histórias fortes e profundas. A série e a continuação Os Anos Perdidos serão meus para sempre. Apropriei-me desta história e jamais poderei viver sem ela.
    Sejam Felizes, se puderem e amem muito!

  13. Elvira

    Assisti Todas as vezes que o SBT transmitiu essa saga maravilhosa, “Pássaros Feridos” Ganhei o livro duas vezes, de pessoas diferente, li o livro, comprei as fitas de vídeo assisti inúmeras vezes e alguns ano atrás minha filha me presenteou com os DVD’s, assisti tudo de novo, é uma relíquia que tenho na minha estante com muito carinho. E quanto aos comentários a respeito que o Padre não deveria ter morrido no final, se tornaria uma ficção, porque vida real é assim, nunca é como esperamos que seja, tudo tem uma razão de ser, nada é por acaso e tudo acontece no tempo de Deus, na vida temos que aprender ganhar e perder. E se a saga era baseada em história real, infelizmente é assim, achei justo, embora respeito as outras
    opiniões, claro.

  14. Sandra Martini

    AMO ESTE FILME JA ASSISTE 5 VEZES ……..

  15. Marisa Lima

    Amo esse filme.Assistí a mini série, comprei o filme, já assistí mais de 5 vezes. Cada vez que assisto adoro ainda mais! Parabéns a todos que produziram essa maravilhosa Obra.

  16. rodrigo

    série muito boa,talvez uma das melhores que a tv americana já exibiu..essa atriz era muito bonita quando estreou passáros feridos!!!!

  17. SOCORO

    NAO GOSTEI DO FINAL

  18. SOCORO

    O AUTOR NAO DEVERIA TER MORTO
    O PADRE JA QUE A MEG TINHA PERTIDO O FILHO
    NAO FOI JUSTO
    OS DOIS TINHA DE TERMIAR JUNYINHOS