Blogs e Colunistas

09/08/2011

às 16:20 \ Dicas, Segurança

Keyloggers: evite ‘escutas’ virtuais da internet

Grampos telefônicos voltaram à moda após os escândalos envolvendo o jornal britânico News of the World e seu proprietário, o magnata da mídia Rupert Murdoch. O recurso, utilizado para captar informações sem o conhecimento das “fontes”, infelizmente não é a única forma de conseguir dados sem o consentimento das pessoas. No mundo dos computadores, por exemplo, existem programas conhecidos como keyloggers, capazes de registrar tudo o que o usuário digita no teclado – algo valioso para criminosos digitais, espiões industriais e até para pais que querem monitorar o que seus filhos fazem na rede.

Basicamente, o keylogger é um aplicativo de detecção de botões pressionados em um teclado. Com ele, é possível recuperar senhas, números de cartões de crédito e até conversações realizadas em programas de mensagem instantânea e redes sociais. A instalação dessa ameaça pode ser feita de duas formas: por uma pessoa que tenha acesso irrestrito a seu computador ou pela instalação de um programa contaminado – que pode chegar por e-mail ou programas baixados na internet.

Uma vez dentro da máquina, a “escuta” passa a capturar as informações e a transmiti-las para um endereço específico, previamente configurado pelo criminoso. Tudo isso é feito sem que o usuário perceba alterações no comportamento da máquina. Existem diversos tipos de keyloggers espalhados pela rede com os mais diferentes recursos, sendo que muitos deles são capazes até de fazer capturas periódicas do que se passa na tela do computador.

As versões mais comuns da ameaça, transmitidas pela internet, podem ser detectadas pela maioria dos antivírus no mercado – desde que eles estejam devidamente atualizados e ativos. No entanto, alguns programas específicos – instalados diretamente na máquina – podem passar em branco pelos sistemas de segurança por não serem identificados como ameaças. Nesse caso, a descoberta desses programas fica mais difícil e deve ser feita manualmente pelo usuário.

Como evitar o keylogger:
1. Ao sair da frente do seu computador em locais públicos ou no ambiente de trabalho, mesmo que por alguns instantes, deixe-o travado. Para isso, pressione ao mesmo tempo as teclas ALT, CTRL e Delete ao mesmo tempo (no caso do sistema operacional Windows). Em seguida, escolha a opção “Bloquear este computador”. Para acessar a máquina novamente, o usuário precisará inserir sua senha de acesso

2. Manter o antivírus atualizado deve ser uma prática de segurança constante para qualquer usuário ou empresa. Além de detectar diversos keyloggers, ele também auxilia na eliminação de outras pragas virtuais

3. Um bom firewall pode auxiliar na descoberta e interrupção da transmissão de dados do keylogger – que frequentemente pede acesso à rede. Esse sistema de defesa desconfia e pede a confirmação do usuário, que pode facilmente detectar o programa malicioso

4. Teclados virtuais podem ser úteis na hora de digitar dados ou informações muito importantes. Assim como os sistemas utilizados em bancos on-line, eles emulam o teclado físico na tela e são acionados pelo mouse

5. Outra opção mais prática consiste em digitar de forma aleatória senhas e números de cartão de crédito. Após digitar a sequência, copie e cole as letras e números com a ajuda do mouse

6. Fique sempre atento aos “vilões” da internet como criminosos digitais, espiões industriais, inimigos políticos, colegas de trabalho que querem puxar seu tapete, parentes desconfiados e namoradas ciumentas.

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

4 Comentários

  1. Marcos Santana da Silva

    -

    22/08/2011 às 9:53

    Sempre a mesma conversa…. Antivírus atualizado, não deixar a máquina desbloqueada… bla, bla, bla…..

  2. João Roberto Moraes

    -

    17/08/2011 às 0:01

    Conteúdo muito útil,principalmente para quem não é do ramo.

  3. Igor

    -

    14/08/2011 às 10:38

    Ótimas dicas, mas gostaria de saber se há como o Windows bloquear o computador automaticamente após certo tempo (programado) sem utilizar a máquina?

  4. Anderson

    -

    09/08/2011 às 20:48

    Muito boa essa materia. uma boa é tambem contantemente mudar de senha, anotar as mesma em um .DOC protegido para que sempre que tiver que digitar usar CTRL+C e CTRL+V na hora de “Logar” em algum site e/ou jogo.

    Ja sobre a confiança, As namoradas ciumentas nao sao boa coisa nao, vai que poe um Kaylogger pra saber se voce trai ou nao?

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados