Blogs e Colunistas

21/07/2011

às 12:26 \ Consultório

Engenheiro elétrico ou engenheiro eletricista?

“Desde o início de meu curso de engenharia elétrica, soube que ‘engenheiro elétrico’ está errado, a única forma correta seria ‘engenheiro eletricista’. A explicação, talvez literal demais, seria por causa do adjetivo ‘elétrico’, que obrigatoriamente estaria indicando que somos seres humanos magicamente carregados eletricamente após recebermos nossos diplomas. Não vejo motivo para essa proibição, ou melhor, vejo que, se fosse assim, também seriam proibidos o ‘engenheiro mecânico’ e o ‘engenheiro eletrônico’. Mas concordo com o ‘engenheiro sanitarista’ em detrimento do ‘engenheiro sanitário’, mas apenas por senso estético. Qual é o seu veredicto?” (Kleber Weise)

Kleber tem razão. Só uma mente atacada pelo vírus do literalismo, que infelizmente tem se mostrado altamente contagioso (veja o caso de “risco de morte”), pode se incomodar com uma locução como “engenheiro elétrico” sob o argumento de que um indivíduo desse tipo daria choque.

O que ocorre nesse caso é simples: o profissional herda diretamente o adjetivo que distingue sua atividade, algo que todo mundo entende, sem a necessidade de lhe acrescentar novas sílabas pernósticas em nome da hipercorreção.

Como prova disso, são excelentes os exemplos de engenheiro mecânico e engenheiro eletrônico citados por Kleber (a ressalva do “engenheiro sanitarista” também é pertinente, pela razão exposta).

Na mesma linha, acrescente-se que, a não ser em casos de literalismo terminal, não passa pela cabeça de ninguém que o gerente financeiro seja feito de cifrões, o físico nuclear seja radioativo, o programador visual precise se vestir de forma chamativa (embora muitas vezes o faça), o jornalista esportivo seja um atleta e o guarda florestal corra risco de desmatamento.

Poderíamos ficar nisso o dia inteiro, mas não é necessário. Os exemplos acima bastam para ilustrar a tendência sintética que leva a língua a não gastar letras desnecessárias – no caso, atribuindo o mesmo adjetivo que define uma especialidade, como física nuclear, programação visual ou engenharia elétrica, aos profissionais que a exercem.

Ah, e no caso de alguém sentir falta de um argumento de autoridade: sim, o Houaiss abona “engenheiro elétrico”.

Se é verdade que os próprios engenheiros elétricos andam remando contra essa corrente profunda da língua, algo que eu desconhecia, deve-se reconhecer que têm esse direito. Mas é como tentar iluminar a grande São Paulo com quatro pilhas de tamanho médio.

*

Envie sua dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática etc. Toda quinta-feira o colunista responde ao leitor na seção Consultório. E-mail: sobrepalavras@todoprosa.com.br

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

32 Comentários

  1. Junnyor

    -

    28/04/2014 às 17:06

    não entendi nada.

  2. rodrigues

    -

    18/12/2013 às 19:32

    gostaria de saber sobre engenheiro eletricista

  3. Abrahão Gomes da Silva

    -

    05/06/2013 às 10:25

    Elétrico ou eletricista, pra mim tanto faz. já fui tratado pelos dois, e até por outros mais exoticos. O importante é o bom salário que me pagam para exercer minhas funções de Elétrico ou Eletricista. O resto é resto ou falta de…

  4. Mario

    -

    15/05/2013 às 14:45

    O termo está regulamentado ao órgão competente desta categoria de profissionais.
    Aos leigos à engenharia em Geraldo ou aos que se julgam entendidos, que insistem em comparar as expressões ‘engenheiro mecânico’ e ‘engenheiro elétrico’, uma pergunta: vocês levam o carro com pane elétrica a um “elétrico” ou a um eletricista?
    Então, já entenderam porque se define a profissão como engenheiro eletricista?
    Ok!

  5. MuitoLoko

    -

    09/05/2013 às 17:58

    Infelizmente quem diz que não somos elétricos esta equivocado, e a bioquímica esta aí para provar que eletrecidade está em praticamente todas as reaçoes do nosso corpo.. então todos somos elétricos, de uma forma ou outra =p

  6. Logan

    -

    10/04/2013 às 0:30

    esta questão tem a ver com a etimologia do sufixo -ista, geralmente atribuidos a agentes.No caso eng eletricista quem lida com eletricidade (atua com). Ao passo que o termo eletrico é atribuido a tudo aquilo que utiliza eletricidade para promover a ação.Jamais veremos: “carro eletricista”, “forno eletricista”, “cafeteira eletricista”, etc, pois nessa linha estes itens não são agentes, mas sim dependentes da eletricidade.

  7. Péricles

    -

    31/03/2013 às 20:02

    O Correto é: Engenheiro na área de Elétrica,Engenheiro na área de Mecânica. Quando dizemos engenheiro elétrico estamos aplicando um termo impróprio.É importante aprendermos a utilizar corretamente o nosso Idioma.

  8. Daniela

    -

    20/02/2013 às 20:01

    Tenho um caso pior: “Feminino de músico
    O músico toca muito bem.

    Como colocamos esta frase no feminino? Pois bem, nada mais simples. O feminino de músico é música.

    A música toca muito bem.

    Realmente não estamos muito habituados a usar a palavra música enquanto profissão, mas para além de designar a melodia executada, também serve para designar a mulher que a executa.”

  9. Renan Kovalczuk

    -

    24/12/2012 às 17:11

    Engenheiro Elétrico fica esteticamente desagradável.
    Porém, Engenheiro Eletricista pode ser confundido com Eletricista, de nível técnico.
    Se for analisar, prefiro não ser confundido com um profissional de nível técnico.

  10. Mario

    -

    09/12/2012 às 11:48

    Senhores, uma dúvida!

    Quem faz Engenharia elétrica com ênfase em eletrônica, também recebe o título de Engenheiro eletricista?

    Obrigado.

  11. Vitor Mascarenhas

    -

    23/11/2012 às 14:42

    Como os amigos disseram acima, o eletricista é um técnico em instalações elétricas, daí faz sentido a formação superior ser Engenheiro Eletricista. Porém chega a ser pejorativo comparar uma formação tão ampla, que vai além da eletrônica, telecomunicações, automação com algo que representa só um pouco como instalações elétricas. A própria sociedade vê dessa maneira, remar contra a maré é complicado, e muitos engenheiros não fazem questão de defender essa titulação justamente para não perder o brio.

  12. Luiz Caldeira

    -

    06/11/2012 às 16:38

    Quando me formei fiquei muito orgulhoso de ser um engenheiro eletricista e gostava bastante do nome. No meu primeiro ano de formado, estava acompanhando a execução de uma obra e um senhor me procurou e disse:
    - “Me falaram que você é engenheiro elétrico, preciso de um orçamento para….”
    - “Engenheiro Eletricista!” corrigi.
    - “Engenheiro Eletricista? Não! Quero um Elétrico mesmo. O negocio lá é coisa complicada.”
    - “Não! É a mesma coisa. O nome certo é Engenheiro Eletricista” tentei explicar.
    Esse senhor ficou com cara de desconfiado, acho que pensou que eu estava com conversa fiada. Logo já desconversou e foi embora sem nem pegar orçamento.
    Bem…já no primeiro ano de formado percebi que o Conselho de Engenharia tinha inventado um nome nada comercial e muito pouco intuitivo para nossa profissão. Desgostei bastante do nome “Engenheiro Eletricista” e hoje acho que o Conselho ao invés de simplificar para a sociedade, vem complicando muito nossa vida com esse nome que venhamos e convenhamos não nos ajuda em nada. Nadar contra a corrente da língua portuguesa, e da benigna intuição de seus usuários não vem sendo muito vantajoso para a Engenharia Elétrica.
    Outro grande problema que vejo no uso deste nome no mercado é que, por intuição, profissionais de outras áreas não imaginam a pesada formação em eletrônica e telecomunicações de um “Engenheiro Eletricista”. Isto por pegar emprestado o nome de um profissional que só trabalha com sistemas elétricos (instalações). Hoje não vejo nenhuma vantagem na escolha deste nome pelo conselho, acho esta escolha infeliz e torço para que um dia mude.

  13. Carlos

    -

    23/10/2012 às 11:58

    Sem dúvida que o correto é Engenheiro eletricista, como nosso colega Wagner citou é uma forma de não ser confundido com um profissional de nível técnico, um eletricista por exemplo. Na minha opinião acho irrelevante essa discussão a menos que o nome que se dá ao profissional traga algum constrangimento, sou engenheiro elétrico ou eletricista, chame do que quiser, os dois identificam a minha profissão.

  14. Luiz Grilo

    -

    10/10/2012 às 13:18

    Eu sempre observei essa questão da seguinte forma: acrescenta-se à palavra engenheiro a terminação técnica referente a sua profissão. Por exemplo, os mecânicos são os técnicos em mecânica, portante como os eletricistas são os técnicos em elétrica, então seriamos engenheiros eletricistas.

  15. Wagner

    -

    22/08/2012 às 16:42

    Muitos engenheiros usam o Engenheiro ELÉTRICO por vergonha de serem comparados com eletricistas, afinal ele fez um curso superior, não pode ser comparado com alguém, geralmente, sem instrução. Ou seja, é fruto do preconceito.

  16. Lopes

    -

    12/04/2012 às 11:56

    É porque colocaram em minha carteira de trabalho Engenheiro de Eletrica I, gostaria de saber com o colunista se esta errado.
    Pior ainda foi ser cadastrado no site da empresa como Eng.Elétrico, sera tao dificil o pessoal de RH comprrenderem.

  17. Isac

    -

    02/04/2012 às 13:31

    Como dito por Lauro mais abaixo: seria mais fácil se voltássemos ao início do século XX, em que médicos, bacharéis de direito e engenheiros eram todos chamados por doutores, por uma simples posição social, já que na época somente aqueles da elite faziam tais cursos. Mas isso ficou na cultura brasileira até hoje e somente para os 2 primeiros cursos, o que teoricamente está errado, já que para ser literalmente chamado de doutor precisa ter um mestrado e um doutorado, alguém que tenha feito pelo menos duas pós-graduações “stricto sensu”.

  18. Isac

    -

    02/04/2012 às 13:24

    Como futuro engenheiro eletricista, concordo que deveria ser desta maneira como sai no diploma, ao invés de engenheiro elétrico. Até porque, fica estranho caso seja conjugado no feminino: engenheira elétrica, algo muito próximo de engenharia elétrica. A exemplo do engenheiro sanitarista, fica esteticamente e foneticamente melhor engenheiro eletricista. Sem mais, simples assim.

  19. Brenno

    -

    02/04/2012 às 11:32

    Concordo com o Sr. Otávio. Se o registro no CREA está como Eng. Eletricista deve permanecer assim, pois foi regulamentado.

  20. Richard

    -

    29/11/2011 às 8:12

    Nilson, vc chama distância de metragem ou quilometragem? Massa de gramagem ou quilogramagem? Então acredito que aprenderem a usar duas palavras simples como tensão e corrente não seja tão dificil, pra largar essas atrocidades de “voltagem” e “amperagem”

  21. Marcelo

    -

    23/09/2011 às 14:55

    Achei excelente a discussão em torno da dúvida. E sacar que o literalismo pode levar o acometido a pensar que um “guarda florestal corra risco de desmatamento” é simplesmente genial…

    Gostaria de acrescentar que o adjetivo “elétrico”, como outros tantos adjetivos de origem grega terminados em iko, significa antes de mais nada “relativo à eletricidade”, enquanto seu uso (por extensão) como “movido por eletricidade” é mais específico, e além disso o adjetivo “elétrico” nem sequer significa “carregado eletricamente” (o adjetivo para isso é “eletrizado”). Deve ser por isso que o Houaiss, que tinha bastante coisa na cabeça, endossou o uso comum “engenheiro elétrico”.

    Numa linha mais “estética” e descartando todo literalismo, a minha sensação quando ouço o termo “engenheiro eletricista” é que deve se tratar de um técnico eletricista que preferiu adotar uma denominação mais pomposa… :-)

  22. Nilton

    -

    23/08/2011 às 17:29

    Sergio, outra questão defendida pelos engenheiros que não gostam de ser chamados de elétricos é o uso errado de voltagem, no lugar de tensão. Eu acho uma grande besteira, mas tem gente que tem arrepios quando escuta a palavra.

  23. Diogo

    -

    01/08/2011 às 23:18

    Muito bom também é o pessoal de microbiologia: eles se referem a si próprios como microbiologistas sob a alegação de que microbiólogo é um biólogo pequenininho (juro).

  24. Danielle

    -

    24/07/2011 às 15:10

    A mesma polemica se da com os estatisticos. Comumente somos chamados de estatisticos/estatisticas, mas o feminino tb significa tanto a area quanto, por exemplo, os valores das distribuicoes. A Doris, do CONRE 3, consultou a ABL e eles disseram que o termo correto eh estaticista, mas me parece bizarro e muito similar a esteticista (sempre tem um mane de RH que confunde, aprendi Probabilidade e Inferencia pra limpar poros de dondoca). Abs, Danielle.

  25. Alexandre

    -

    23/07/2011 às 22:47

    Se um engenheiro eletricista já é um profissional importante, imagine se ele fosse elétrico!

  26. Luany Wagner de Souza

    -

    23/07/2011 às 12:19

    Há eu gosto de Engenheiro Eletricista, acho q faz mais referência a pessoa.

  27. otávio augusto

    -

    21/07/2011 às 22:07

    O correto é engenheiro eletricista porquê é assim que o crea registra quem estudou engenharia elétrica, eletrônica, mecatrônica e redes. São todos engenheiros eletricistas. Segundo a lei que regulamenta a profissão de engenheiro

  28. Jiiiiiiiiis

    -

    21/07/2011 às 21:33

    Olha só, gostei, sou engenheira eletricista!

  29. Rubens

    -

    21/07/2011 às 21:31

    Ontem mesmo me questionaram sobre isso, precisamos contratar uma empresa e um dos requisitos ela que ela tivesse no quadro um engenheiro elétrico… E Tem gente discutindo ainda a titulação comigo…

  30. Lauro

    -

    21/07/2011 às 18:56

    Façam como os bachareis em direito se entitulem doutores

  31. Renzo Orchiucci Miura

    -

    21/07/2011 às 16:26

    Caros,

    Vou acalorar e contextar o argumento proposto, penso que na realidade o nome provém de atividades anteriores, como por exemplo o
    técnico que trabalha com mecânica é o mecânico, o técnico que trabalha com saneamento é o sanitarista, e por fim o técnico que trabalha
    com eletricidade é o eletricista e por isso a classe de engenheiro que trabalha com eletricidade deve se nomear engenheiro eletricista e
    não elétrico.

    Um grande abraço.

    Renzo.

  32. Alvaro Augusto

    -

    21/07/2011 às 14:52

    Até que enfim um argumento baseado no bom senso!

    [ ]s

    Alvaro Augusto
    Engenheiro Elétrico

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados