Sobre Imagens - VEJA.com

Fotojornalismo, história da fotografia e algumas ideias sobre a imagem fotográfica.
Editado por Alexandre Belém
Brasileiros

Boris Kossoy

28/09/2010 às 0:01

Boris Kossoy, hoje com 69 anos anos, é um autor indispensável em qualquer estante de livros sobre fotografia. Seu trabalho acadêmico formou professores, teóricos, pesquisadores e fotógrafos. Agora, um livro mostra o outro lado de sua atividade, o do praticante: Boris Kossoy – Fotógrafo (Cosac Naify, 2010).

Kossoy é autor da primeira tese de doutorado sobre a história da fotografia no Brasil: Hercules Florence – A descoberta isolada da fotografia do Brasil (Edusp, 2006). O trabalho provou que em 1833 a fotografia já era testada na cidade de Campinas pelo francês Florence. Esse fato ficou oculto por mais de 140 anos.

Os livros Fotografia & História (Ateliê Editorial, 2001), Realidades e Ficções na Trama Fotográfica (Ateliê Editorial, 2002) e Os Tempos da Fotografia – O Efêmero e o Perpétuo (Ateliê Editorial, 2007) compõem uma trilogia essencial para a compreensão do fazer fotográfico e suas linguagens. Dicionário Histórico-Fotográfico Brasileiro (IMS, 2002) é a maior referência sobre a atividade fotográfica no Brasil e a expansão da fotografia no final do século 19.

Kossoy começou a fotografar ainda garoto (Foto 1) e, em 1971, teve um ensaio publicado com prefácio de Pietro Maria Bardi: Viagem pelo Fantástico (Kosmos Editora), cujas imagens se aproximavam do surrealismo. Dali em diante, ele mesclou em sua trajetória  registros do cotidiano – da época em que morou em Nova York – e cenas de diversas cidades do Brasil e do mundo.

Boris Kossoy: Fotógrafo resume esse trajeto e difunde a produção fotográfica de quem conseguiu fazer e pensar a fotografia como poucos.

Alexandre Belém

1 Avenida São João – São Paulo, 1955. (Boris Kossoy)

2 A agonia do Sr. Frank (da série Viagem pelo Fantástico) – Mirante da Serra, Itapecerica da Serra, SP, 1973. (Boris Kossoy)

3 A clínica (da série Viagem pelo Fantástico) – São Paulo, 1973. (Boris Kossoy)

4 O Maestro (da série Viagem pelo Fantástico) – Caieiras, SP, 1970. (Boris Kossoy)

5 Portrait do senhor Américo (da série Viagem pelo Fantástico) – Mirante da Serra, SP, 1973. (Boris Kossoy)

6 Surpresa na estrada (da série Viagem pelo Fantástico) – Periferia de São Paulo, 1970. (Boris Kossoy)

7 Viaduto (da série Viagem pelo Fantástico) – São Paulo, 1970. (Boris Kossoy)

8 Sem título (da série Cenas de New York I) – Nova York, 1971. (Boris Kossoy)

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário. » Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

17 Comentários

  1. riva stolear - 26/09/2013 às 20:22

    boris,esse foi o único modo de me comunicar com v oce,portanto gostaria de saber se voce tem interesse q em que eu doe á sua coleção,minha coleção de programas de teatro e concertos do municipal,dos anos 50 e 60,alguns autografados,outros com comentarios da turma do clac do teatro,da época.eu entraria em c ontato com voce e faço chegar pessoalmente ás suas mãos.por favor, entre em contato pelo meu email ou telef. 32210577

  2. Cristiane - 14/09/2013 às 17:30

    Maravilhosas as fotos tiradas com mais de 30anos de existência, principalmente as que nos remete à cidade de São Paulo, para hoje revermos o antes e depois é no mínimo o MAXIMO….

  3. Carolina da Costa - 24/01/2012 às 19:11

    Os livros de Kossoy são inspiradores e imprescindíveis para aqueles que investigam as inúmeras aplicações da fotografia. Parabéns pelo trabalho prof. Kossoy!

  4. Teresinha - 04/12/2011 às 16:40

    Deve ser muito bom deixar para o mundo um trabalho que serve de referência.
    As fotos são lindas, agora o ensaio de Viagem pelo Fantástico é muito divertido – parece que gostava de assustar com bom humor.

  5. jorge borges - 26/04/2011 às 11:42

    poderia passar horas a fio olhando essas belas fotografias. pena que possuimos a tecnica de aprisionar imagens a tão pouco tempo. pense, se isso existisse a mais tempo.

  6. francisco - 25/04/2011 às 15:13

    Belém belo blog, confesso que esta e a segunda vez que entro nele.

  7. Margarete Ross - 19/04/2011 às 15:37

    Série Fantástica…
    Abraço,
    Margarete

  8. PEDRO GIRARDI - 11/11/2010 às 21:41

    FOTOS DIFERENTES E QUE NOS CHAMAM A ATENÇÃO

  9. Bruno de Paula Assunção - 29/10/2010 às 18:09

    Há, imersa nos elementos surrealistas das fotografias, sempre uma sensação de desconforto e melancolia.

  10. Deise Oliva - 07/10/2010 às 10:24

    Boris Kossoy além do pioneirismo oferece visões sobre a história da fotografia no Brasil que são indispensáveis para a compreenção dos processos que “nos” trouxeram até aqui. É impossível compreender a fotografia brasileira sem passar por ele. Ótimo post.

  11. Rosa Cláudia - 04/10/2010 às 19:43

    Belém, li e vi com muita satisfação o seu trabalho, por se referir ao Kossoy como uma referência sobre a história da fotografia. As fotografias que você postou são fascinante. Parabéns

  12. Márcia Mendes - 30/09/2010 às 15:19

    Belém, parabéns pelo teu trabalho! Ele é vital para a divulgação de informações tão enriquecedoras sobre a fotografia.
    Abraços!

  13. Claudio Versiani - 30/09/2010 às 7:11

    Caro Belém,
    parabéns por mais este espaço, muito bom! Kossoy é o máximo!
    Gde ab.

  14. Bettini - 29/09/2010 às 14:51

    Muito bom Belém!

    O Blog está ótimo!

  15. Nario Barbosa - 28/09/2010 às 13:44

    Falar de Boris Kossoy é falar na fotografia contemporânea brasileira.A fotografia exerce seu papel, de autor registrando um passado que esta presente em seus trabalhos.

  16. ANTONIO DE JESUS - 28/09/2010 às 11:56

    .

    As fotos do mestre carregam em si uma forte dramaticidade reforçadas pelo preto e o branco. (Cascavel – PR)

  17. luiz brasileiro - 28/09/2010 às 8:17

    Sou fotógrafo amante da arte de fotografar e o mestre Boris Kossoy é sem sombra de dúvida um ícone desta arte de registrar um instante, que é único. E ele prova com suas criações que há de ter sensibilidade para transferir o que os olhos veem para um papel