Blogs e Colunistas

22/01/2014

às 21:35 \ Corrupção, Democracia

Suécia não quer saber de sediar Olimpíadas porque o custo é muito alto

Fonte: BBC

A Suécia é, para a esquerda, o exemplo de socialismo que deu certo. Falso. Puro mito. A Suécia “deu certo” porque teve capitalismo liberal, e com isso se deu ao luxo de criar um enorme estado de bem-estar social. Faliu no começo da década de 1990. Reformou-se, ou seja, adotou mudanças liberais, privatizou, flexibilizou mercado de trabalho e por aí vai. Tem muito mais liberdade econômica que o Brasil, por exemplo.

Melhorou de situação. Mas o fardo do welfare state ainda é enorme. O país não vai de vento em popa como alguns pensam, e deixou até o keynesiano Paul Krugman perplexo recentemente, por conta da crise de endividamento. O país escandinavo enfrenta sérios problemas por conta do modelo estatizante com elevados gastos públicos. A ponto de ter rejeitado a candidatura para sediar as Olimpíadas em 2022:

Três argumentos centrais orientaram a decisão, confirmada na sexta-feira: para os políticos suecos a cidade tem prioridades mais importantes, a conta dos gastos para realizar o evento na cidade seria alta demais, e um eventual prejuízo com a organização dos Jogos teria que ser coberta com o dinheiro dos contribuintes.

“Não posso recomendar à Assembleia Municipal que dê prioridade à realização de um evento olímpico”, disse o prefeito de Estocolmo, Sten Nordin, em declarações publicadas neste sábado pelo jornal Dagens Nyheter. “Precisamos priorizar outras necessidades, como a construção de mais moradia na cidade.”

[...]

“Quando se trata de custos deste calibre, os cidadãos que pagam impostos exigem de seus políticos mais do que previsões otimistas e boas intuições. Não é possível conciliar um projeto de sediar os Jogos Olímpicos com as prioridades de Estocolmo em termos de habitação, desenvolvimento e providência social”, disse o secretário municipal de Meio Ambiente da capital sueca, Per Ankersjö, em artigo publicado quinta-feira no jornal Dagens Nyheter.

Deve ser terrível viver em um país desses! Ainda bem que estamos no Brasil, onde as prioridades já foram atendidas a contento, temos saneamento para todos, moradias decentes, infraestrutura de primeiro mundo, hospitais de ponta, escolas excelentes e tudo mais. Por isso podemos destinar recursos escassos para estádios novos até em Manaus! E ai de quem reclamar: um antipatriota que odeia o país e deveria se mudar para Miami.

O governo petista, de olho apenas nas eleições, resolveu importar milhares de escravos, digo, médicos cubanos. Seria o caso de perguntar: podemos importar políticos suecos para colocar no lugar dessa turma toda?

Rodrigo Constantino

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

40 Comentários

  1. Bottanelles

    -

    24/01/2014 às 0:26

    Rodrigo, excelente!
    .
    Se o POVO BRASILEIRO pensasse mais ou menos como o POVO SUECO, o BRASIL não seria mais ou menos parecido com a SUÉCIA?
    .
    Eu não entendo os que não entendem. Ou sou BURRO, ou os BURROS são eles.
    .

  2. Daniel Pereira

    -

    23/01/2014 às 21:50

    A Olimpíada não seria em 2024?

  3. Ronaldo Borges

    -

    23/01/2014 às 19:51

    As grandes diferênças da Suécia e do Brasil não estão somente nos políticos e sim nos 202 milhões de habitantes deste “bra ZIl, ZIL, ZIL, que precisa é de fu ZIL, ZIL, ZIL, para acordar e tornar este povo varo NIL, NIL, NIL, para acabar com este mar de lama que assola esta querida e amada Pátria e que humilha e envergonha os brasileiros honestos e trabalhadores, PORÉM, omissos, covardes, coniventes e EGOÍSTAS.”

  4. Roberto G Lobo

    -

    23/01/2014 às 16:54

    Simples assim …
    Um político brasileiro foi a China visitar um político chinês.
    Lá chegando, logo foram passear. O político chinês levou o político brasileiro para mostrar algumas obras. Tá vendo aquela usina nuclear ? (pergunto o político chinês) – Sim (respondeu o político brasileiro). Pois então, eu desviei desta obra 15% que agora estão na minha conta da Suíça (disse o político chinês). O político brasileiro ficou quieto como criança cagada.
    Noutro dia o político chinês foi retribuir a vista e viajou para o Brasil. O político brasileira já estava esperando com toda a comitiva que tem direito. Logo saiu com o político chinês para passear. Foram a um lugar a beira de um rio, então o político brasileiro perguntou… Está vendo esta ponte estaiada com 6 pistas ? Não (respondeu o político chinês. Pois então, não consegue ver nada pois desviei 100% para a minha conta na Suíça (respondeu o político brasileiro). O político chinês fez uma reverência oriental, colocou o rabinho entre as pernas e voltou para a China.

  5. Bruno Sampaio

    -

    23/01/2014 às 13:36

    A diferença entre políticos e estadistas. Torço MUITO para o Brasil ser eliminado logo no começo. Não me odeiem, sou um dos brasileiros que não gostam de futebol e acham que há MUITAS outras prioridades na frente. O gasto absurdo e a roubalheira maior ainda perigam de nos colocar na situação que a Grécia vive hoje.

  6. Douglas

    -

    23/01/2014 às 12:00

  7. roby

    -

    23/01/2014 às 11:25

    Para esclarecer esse imbróglio basta questionar: qual é o peso que terá o BNDES — ou seja, o dinheiro dos NOSSOS impostos — no financiamento a fundo perdido da Copa do Mundo e das Olimpíadas? É sempre muito fácil fazer mesura com o chapéu alheio (ainda mais se pensarmos que gerações de brasileiros hão de trabalhar para pagar por esses desmandos do lulopetismo).
    Gente fina é outra coisa. Outra coisa!

  8. Desterro

    -

    23/01/2014 às 10:52

    “Quando se trata de custos deste calibre, os cidadãos que pagam impostos exigem de seus políticos mais do que previsões otimistas e boas intuições” – Pergunto qual cidadão brasileiro faria isso? Por isso aqui jamais seria possível um caso assim.

  9. Felipe Bastos

    -

    23/01/2014 às 10:20

    Realmente o Carlos Beffa (22/01/2014) sintetizou muito bem. O problema do Brasil é o brasileiro. Não todos, mas o perfil do brasileiro médio: coletivista com síndrome de underdog.

  10. Messala

    -

    23/01/2014 às 10:02

    Enquanto tiver um cidadão brasileiro pensando: “queria tá no lugar daquele safado!”, o Brasil não tem jeito. A única solução para nosso país é através da educação, porque é preciso que a grande maioria da população perceba isso e tenha uma atitude digna diante isso. Por isso o governo não investe em educação. A educação nas escolas públicas no Brasil está FALIDA. Basta analisar o que nossos jovens querem da vida hoje em dia. Estudar? Nem pensar! Dessa forma a cabeça continua pequena, os sonhos minúsculos e a noção da realidade política nacional, inexistente.

  11. Oscar

    -

    23/01/2014 às 9:39

    A piada que a Suécia é o socialismo que deu certo escuto desde os anos 60.

  12. luiz

    -

    23/01/2014 às 8:49

    Eles não podem, mas nós podemos, afinal, temos uma saúde, escolas, transportes e segurança de primeiro mundo.
    PT, PARTIDO A ÉTICA E DA MORAL.
    FORA LULA, FORA DILMA, FORA PT.

  13. Ismael Pescarini

    -

    23/01/2014 às 8:45

    Carta, até um político Chinês, e corrupto, se importado, ficaria perplexo com o que se faz por aqui.

  14. Alessandro - Campinas

    -

    23/01/2014 às 8:41

    Infelizmente #vaitercopa! Mas a hashtag que vai dominar é #pagaotariocontribuinte. É o Brasil….

  15. Clovis

    -

    23/01/2014 às 8:13

    O comentário de Carlos Beffa (22/01/2014 ) disse tudo.

  16. luiz

    -

    23/01/2014 às 7:59

    Fico pensando, que tipo de país esses petralhas planejam. Quando vejo o que os sarneys fizeram no Maranhão, sinto nojo! E o que esses petralhas estão fazendo Brasil afora? Tudo que eles fazem é porco, leva ao atraso, piora a qualidade de vida das pessoas, a corrupção é gritante, o intervencionismo então, nem se fala e agora essa palhaçada estúpida de luta de classes. Eles tem um fetiche enorme com o atraso. Quando olham um pais desenvolvido devem se sentir muito mal. Que gente mais mixuruca. E os brasileiros? Que país nós queremos para nós? Este ano temos a chance de mudar tudo isso!

  17. o desPTtizador

    -

    23/01/2014 às 7:45

    Excelente texto, pela enésima vez Rodrigo!
    .
    Porém, em minhas férias, por ex., ao ver a massa de idiotas q insistem em trafegar pelo acostamento [na Rod. dos Tamoios], os imbecis q insistem em dar sinal de farol para avisar q tem polícia à frente [o PCC agradece], eu perco um tanto de minhas esperanças de q algo mude nessa terrinha linda! Tem como EXPORTAR o jeitinho brasileiro, para a Argentina de preferência, hehe?

  18. Poliana

    -

    23/01/2014 às 3:00

    Seu comentário está aguardando moderação
    Rodrigo e pessoal, por favor me digam se o que está acontecendo comigo, acontece o mesmo com vcs? Toda vez que curto algum poster daqui da veja, em geral do blog, a imagem da noticia sempre está uma mulher semi nua. Pelo que reconheci é uma que está no atual BBB. Além dessa imagem aparece tbm a do Hélcio Aguirra da banda Golpe de Estado.

  19. Diadema - Ainda estamos pagando a conta

    -

    23/01/2014 às 2:44

    Verdade. Eu mesmo me mudei para Dallas a um ano e meio e estou providenciando o mais rápido possível o meu Green Card.

  20. Rodrigo Alves Lemes

    -

    23/01/2014 às 1:06

    Sempre me jogam o “argumento” Escandinávia Quando combato comunistas. Este post e o link no início me ajudarão muito. Obrigado.

  21. Daniel

    -

    23/01/2014 às 0:23

    Isso é ficção científica para o Brasil. Daqui a uns 2000 anos a gente chega lá. Aí os suecos já estarão habitando outro planeta há séculos.

  22. Odilon Rocha

    -

    23/01/2014 às 0:23

    Rodrigo
    O LULA já entregou o ouro dizendo que “a Copa não pode dar errado só porque não temos hospitais”. Pode?

  23. fred oliveira

    -

    23/01/2014 às 0:18

    Excelente exemplo da Suécia. O brasil tem necessidades enormes, um imenso passivo social: não tem esgotamento sanitário, água tratada, saúde pública caótica, péssima educação e por aí vai…como gastar tanto com copa do mundo e, o pior, gastar tão mal. Obras atrasadas, nada de melhoria na mobilidade urbana, a sociedade brasileira quase nada vai se beneficiar dessa copa. Um fracasso. Que vai ter copa, vai, mas será horrível.

  24. Marcia Fernandes

    -

    23/01/2014 às 0:05

    Na Suécia o povo NUNCA votaria em um Barba 9 dedos tampouco viveriam de bolsa família. Quando a muitos anos atrás o Pelé disse que o brasileiro não sabia votar a esquerda festiva quase fusilou a ccriatura, mas ai esta a diferença eles sabem votar e nós não. ..

  25. edson

    -

    22/01/2014 às 23:19

    Agora meu jovem, por pior que seja o politico, ele ainda e melhor do que quem o elegeu.

  26. Lucas Fernando

    -

    22/01/2014 às 23:19

    Rodrigo,
    Nicolas Maduro criou o vice-ministerio das Redes Sociais, materia daqui da Veja hahahahaha

  27. edson

    -

    22/01/2014 às 23:04

    quem não esta gostando disso e o fabricante de cana cinquenta e um não vai vender nem uma aos Argentinos.

  28. RQ

    -

    22/01/2014 às 23:00

    Prioridades pontuais. Educação, saúde, bem estar da população, etc…

  29. Rod.

    -

    22/01/2014 às 22:57

    Rodrigo não sei se você assistiu o filme ” o aviador”, há uma cena em que o personagem de Di Caprio vai almoçar com a família da Katherine Heperburn, diga-se família rica. Em um dialogo a mãe da moça diz que todos na família são socialistas e nao ligam pra dinheiro. Vale a pena ver a resposta de Howard Hughes, típica família esquerda muito caviar!
    Comento: sim, eu vi. Era uma boa cena para colocar no livro…

  30. marciano

    -

    22/01/2014 às 22:48

  31. Rodrigo

    -

    22/01/2014 às 22:34

    Dica de filme: “A Culpa é do Fidel”, é a história de uma menina cujos pais tornam-se comunistas na França após visitar o Chile em 1970. A cena que discute livre comércio com os ‘camaradas’ amigos dos pais não tem preço. Se não viu, veja.

  32. Alberto

    -

    22/01/2014 às 22:33

    Pois é, só falta agora o PT querer sediar as Olimpiadas de Inverno de 2022 no Rio de Janeiro, já houve Jogos Pan-Americanos, vai ter Copa do Mundo e depois Olimpiadas em 2016. Já fico até imaginando vamos gastar bilhões para colocar neve artificial nos morros do Rio de Janeiro.

  33. Paulo

    -

    22/01/2014 às 22:32

    Rodrigo,

    Tentei achar alguma outra forma de contato com você que não fosse os comentários, mas não consegui.
    Meu nome é Paulo, sou brasileiro e estudante de Jornalismo nos Estados Unidos e gostaria de parabenizá-lo pelo trabalho que você vem fazendo na internet (e agora também nas livrarias. haha) de divulgação e propagação do pensamento liberal.
    Pelo que vejo o blog anda incomodando bastante gente e, para mim, num país como o Brasil, não há prova maior de sucesso.
    No meio acadêmico, entre as rodas de amigos, é muito complicado e difícil encontrar pessoas que pensem dessa forma. Aqui nos EUA, então, eu até me esquivo um pouco a exprimir meus ideais. As pessoas estão muito presas a um sentimento e uma máscara de bom mocismo que fica complicado você levantar uma ideia sequer sem que seja o vilão.
    Ainda sou jovem e tenho muito o que ler pra conseguir falar, argumentar e defender ideias da forma que você o faz, mas além de parabenizá-lo, queria também agradecê-lo. O Brasil e o mundo precisa de mais pessoas assim.
    O seu livro está aqui comigo, como lembrança das férias no Brasil, pra ser lido assim que as leituras técnicas derem uma folga.
    Um grande abraço.

  34. Carlos Beffa

    -

    22/01/2014 às 22:15

    Não adiantaria importar os políticos suecos, Rodrigo, o que precisamos é um padrão educacional e, principalmente, cultural suecos.
    O que precisamos é de vergonha na cara, cada cidadão, cada indivíduo, cada homem, mulher ou criança…
    Vergonha na cara, decência, ética, além de deixar a preguiça de lado e ir à luta… estudar e trabalhar com afinco e dedicação, abandonar a eterna inveja de quem “deu certo”, de quem conseguiu progredir.
    Enquanto o Brasil for o país, como dizia Tom Jobim, onde “sucesso é ofensa pessoal”, e for, ainda, o país das “minorias esperneantes”, do coitadismo, da segregação social por cor, raça, credo, sexo, preferência e/ou orientação sexual, e todas estas esquerdopatias que grassam pela nossa sociedade, não tenha dúvidas meu caro… nada vai melhorar.

  35. Regina

    -

    22/01/2014 às 22:05

    Excelente ideia!
    Vamos rifar nossos políticos (será que vai ter quem compre?) e importar políticos suecos!
    Para incentivar os eventuais interessados, poderiamos fazer uma promoção tipo “escolha 1- não precisa nem pagar! – e leve 3. Mas leve embora mesmo! Sem devolução!”
    Não ganhariamos dinheiro, mas deixaríamos de PERDER dinheiro…

  36. Raphael

    -

    22/01/2014 às 22:02

    Demais o artigo, vou estudar mais sobre o assunto já estava farto de esquerdistas falando sobre a escandinavia

  37. Rogério

    -

    22/01/2014 às 22:01

    Sem dúvida, os políticos suecos são ótimos, e são reflexos de seu povo cuja cultura evoluida pode se dar ao luxo de ter um Estado maior ou menor, não importa tanto, na Europa há essa alternância de expansão e contração do Estado sem comprometer tanto a qualidade de vida de seus cidadãos. Não dá para comparar com a vergonha que dá de nossos políticos, como quase todo mundo mal educados, oportunistas e corruptos. Essa copa do mundo é o absurdo dos absurdos, outro dia conversando com um cidadão aqui da cidade, inválido, que recebe uma pensão do INSS ( nessas horas o Estado faz diferença entre a vida e a morte) que contou-me que foi ao posto de saúde tratar os dentes, mas lá não fazem tratamento pois é caro. Então, pasmem, eles simplesmente arrancam o dente. Eu fiquei abismado e decidi não assistir essa copa do mundo, nadar contra essa corrente ufanista cada vez mais com menos sentido.

  38. André

    -

    22/01/2014 às 21:53

    É por isso que eles são ricos, eles poupam.
    Só precisam resolver o problema do multiculturalismo.

  39. Felipe

    -

    22/01/2014 às 21:50

    Políticos suecos realmente seriam melhores que os nossos.
    Mas se for pra importar algo da Suécia, prefiro que importem as enfermeiras! =P

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados