Blogs e Colunistas

01/03/2014

às 14:00 \ Tema Livre

FOTOS: 22 rainhas de bateria do Carnaval passado — para relembrar e alegrar as pupilas masculinas

Tatiane Mineratto -- Gaviões da Fiel

Tatiane Mineratto — Gaviões da Fiel (Foto: Andre Lessa / AE)

É Carnaval, tempo de festa, alegria, samba e muito brilho, além, é claro, das mulheres sensacionais que tomam conta dos desfiles — e da TV.

Aqui vai uma seleção de algumas dessas belezas — as rainhas de bateria das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo e do Rio. As fotos das musas de São Paulo vêm antes porque o desfile no Sambódromo paulistano já começou ontem e termina hoje. No Rio, essas gatas aparecem no sambódromo da Marquês de Sapucaí amanhã, domingo, dia 10, e depois de amanhã, dia 11, segunda-feira.

SÃO PAULO

Andréia Gomes, Tom Maior

Andréia Gomes, Tom Maior — SP (Foto: Eduardo Tavares / G1)

-

Valeska Reis -- Império da Casa Verde

Valeska Reis — Império da Casa Verde (Raul Zito / G1)

-

Viviane Araújo -- Mancha Verde

Viviane Araújo — Mancha Verde (Foto: VEJA.com.br)

-

Valéria de Paula -- Acadêmicos do Tucuruvi

Valéria de Paula — Acadêmicos do Tucuruvi (Foto: Divulgação)

-

Rosimeire Rocha -- X9 Paulistana

Rosimeire Rocha — X9 Paulistana (Reprodução Facebook)

-

Milena Nogueira -- Águias de Ouro

Milena Nogueira — Águia de Ouro (Foto: Thiago Duran / AgNews)

-

Ellen Roche -- Rosas de Ouro (Foto: Orlando Oliveira)

Ellen Roche — Rosas de Ouro (Foto: Orlando Oliveira)

-

Deborah Caetano -- Nenê de Vila Matilde

Deborah Caetano — Nenê de Vila Matilde (Foto: Leo Franco / AgNews)

-

Cris Cuozzo -- Unidos de Vila Maria

Cris Cuozzo — Unidos de Vila Maria (Foto: Camargo Foto Studio C)

-

Camila Silva -- Vai-Vai

Camila Silva — Vai-Vai (Foto: Divulgação)

-

Aline Oliveira -- Mocidade Alegre

Aline Oliveira — Mocidade Alegre (Foto: Mocidade Alegre)

 

RIO DE JANEIRO

Viviane Araújo - Salgueiro

Viviane Araújo — Salgueiro (Foto: Roberto Moreyra)

-

Sabrina Sato -- Vila Isabel

Sabrina Sato — Vila Isabel (Foto:  Sebastião Moreira / EFE)

-

Raíssa Oliveira -- Beija Flor

Raíssa Oliveira — Beija Flor (Foto: Renato Rocha Miranda / TV Globo)

-

Patrícia Nery -- Portela

Patrícia Nery — Portela (Foto: Marcos Serra Lima / EGO)

-

Juliana Alves -- Unidos da Tijuca

Juliana Alves — Unidos da Tijuca (Foto: Henrique Oliveira / RJ News)

-

Gracyanne Barbosa -- Mangueira

Gracyanne Barbosa — Mangueira (Foto: Wilton Júnior / AE)

-

Cris Vianna -- Imperatriz Leopoldinense

Cris Vianna — Imperatriz Leopoldinense (Foto: Raphael Mesquita / Rio News)

-

Carla Prata -- Grande Rio

Carla Prata — Grande Rio (Foto: Rodrigo Queiroz)

-

Camila Silva -- Mocidade Independente

Camila Silva — Mocidade Independente (Foto: Daniel Ramalho / Terra)

-

Bruna Bruno -- União da Ilha

Bruna Bruno — União da Ilha (Foto: Getty Images)

Este post está fechado para comentários

18 Comentários

  • CRITICOAM

    -

    14/2/2015 às 23:44

    É impressionante como a mulher brasileira perdeu seu valor moral, o que se v~e hoje em dia são apenas bundas de fora e muita safadeza, a pergunta é, quem não gosta de ver mulheres, mesmo sem escrúpulo algum, nua ou mostrando o rabo, e todas sabem disso e por isso não se vê mais fotos recatadas de mulheres apenas fios dentais minúsculos e genitálias expostas é só colocar preço e pronto fature. Na atual conjuntura, onde todo ser que se diz brasileiro questiona a situação de corrupção e crime envolvendo políticos e dirigentes o que se percebe é na verdade uma grande hipocrisia de um povo medíocre e pobre de conhecimento que somente, desculpa a expressão”gozam com o pênis dos outros”pis se quer possuem opiniões verdadeiras sobre os assuntos que discutem, o que, diga-se de passagem, e´deplorável e só demonstra a falta de cultura, se não vejamos: é comum se falar de corrupção e quem é que não fura a fila quando no transito, quem não possuí um gato de luz ou água em sua casa , quem não sonega ou permite a sonegação, quem não aceita ou oferece propina para se dar bem em alguma coisa seja ela o mais desprezível, quem não compra mercadoria pirata e ainda se acha mais esperto, quem nõ adere a rede globo como melhor emissora acatando todas as sus apologias ao que é criminoso e permitem que seus filhos assistam com forma de educação,quem de tão correto e inteligente que é assina um programa da estirpe do big brother brasil que é intitulado de reality show, mas na sua essência não é educativo, interativo, humorístico,drama ou merda nenhuma a não ser mera prostituição de pessoas sem caráter que se expõe ao ridículo por dinheiro, e é recorde em audiência, esse é o povo brasileiro. Outro aspecto é sem dúvida a falsa concepção de sofrimento pela tão famigerada inflação que assola o pais, e o que se vê é milhões de foliões engordando as contas dos capitalistas que só lucram com as grandes despesas efetuadas nas festas carnavalescas, e que propagam grandes publicidades nas redes sociais e meios midiáticos divulgando festas de todas as formas chamando os bestas que sem perceberem colaboram e coadunam com todo o desperdício do dinheiro ganho com suor e muitas vezes honestamente, e se houver questionamento ainda vai haver quem o condene por ser ante brasileiro pois quem não gosta de samba bom sujeito não é, vamos respeitar tamanha leseira incutida na cabeça do povo que por deficiência cultural aceita tal brocardo.Hoje vivemos uma inversão de valores notório onde o que é certo é visto de um modo errado e o que é errado é admirado por todos, mas ninguém assume, apenas aceitam, o que se vê é professores velhos comendo akunas novas, e viciado vendendo maconha aos nossos filhos e muito pais querendo a liberação por ser viciado, as pessoas descumprem s leis naturalmente e quando se quer impo-las a discriminação e certa, ninguém obedece o limite de velocidade e se alguém obedece o buzinaço é intenso sem falar no xingamento, o ladrão assalta a mão armada e chama sua vitima de vagabundo, a droga corre souto pelas ruas e o combate´contra quem não usa, pois 90 % da sociedade é noiada,nos hospitais os medico traçam as enfermeiras e técnicas de enfermagem nos consultórios e ainda as chamam de marmitas, na justiça leva quem pagar o maior preço, e isso é geral, pois o que se vê é que a teoria esta longe de ocorrer na pratica pois o sistema quem faz são os magistrados que se intitulam deuses, e assim por diante. Diante do exposto, só nos resta sentir pena de um povo tão escasso de sabedoria e medíocre com sigo mesmo que reclama de corrupção mas é corrupto na sua essência, fala mal da inflação porem colabora com ela em tudo, alega que todo politico e ruim e sempre vota neles, fala que o pais e inseguro mas colabora naturalmente pra marginalidade aumentar, porque acabar,nunca ocorrera pois faz parte do sistema, prega insatisfação com a atual gestão mas milhares dessas pessoas lotaram os estádios na epoca da copa pagando caríssimos preços por ingressos e nem percebem que os grandes aumentos dos impostos, combustíveis, taxas e etc são consequências dos 28 bilhões gastos pela fifa e CBF QUE É INSTITUIÇÃO PRIVADA e muito lucrou com tudo isso, e quem vai pagar é o povo que vive na folia, no futebol e no samba, parabéns ao povo brasileiro que tanto sofre e apanha sem largar o osso, retrato de uma cultura inicialmente projetada com mazelas e falcatruas, não se poderia esperar outra evolução. Um forte abraço.

  • livia

    -

    16/3/2014 às 2:06

    parabens vivianne araujo.mais uma vez vc deu um show e uma aula para as outras rainhas de bateria.que muitas entram na avenida com incentivo de ser igual a vc.mas vc e unica.parabens!!!!

  • geraldo

    -

    5/3/2014 às 22:03

    O voto não é nada mais do que uma outorga de mandato para alguém nos representar. Questiono, como deferir mandato a alguém em que você não confia mais, no caso os políticos. Seria justo nessa situação compelir você a votar(outorgar mandato) uma vez que o voto é obrigatório?

    Sou contra o voto obrigatório, que obviamente distorce os resultados porque um imenso número de cidadãos vota contrariado e provavelmente não faz escolhas criteriosas.
    Mas, no caso que você menciona, basta anular o voto ou votar em branco — algo que eu igualmente combato, porque se não escolhermos bons representantes nas eleições, nada vai mudar neste país.
    Abraço

  • Dulce Regina

    -

    5/3/2014 às 21:26

    As minhas pupilas femininas, elegem Andreia Gomes e Viviane Araújo. Elas são esculturais. Querido Setti, não gosto de carnaval, mas já assiti desfile no sambódromo, e realmente o show é magnifico. Um povo, que tem a capacidade de realizar um evento desta dimensão, tem tudo na mão para ser livre, feliz e independente. Vamos à LUTA, povo brasileiro ! Precisamos de um País melhor !

  • VASCAINO.

    -

    4/3/2014 às 21:43

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • VASCAINO.

    -

    4/3/2014 às 21:36

    AAs regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • MANUEL VELAZQUEZ

    -

    3/3/2014 às 22:28

    TODAS MUY BONITAS, mas eu fico com a mais linda, Juliana Alves. Sou de Asunción Paraguay.

  • Jones

    -

    1/3/2014 às 18:43

    Se tivéssemos esse poder de mobilização em manifestações como a do carnaval já seríamos uma “Suécia”.

  • HENRIQUE PEREIRA

    -

    25/9/2013 às 19:59

    VIVIANE ARAUJO meu sonho de consumo, como dormir???, após este colirio.

  • Tuco

    -

    12/2/2013 às 19:47

    .

    VAraújo: imbatível!


    .

  • elizabeth correa

    -

    12/2/2013 às 18:28

    Setti,

    Beldades como Cris Vianna, Ellen Roche, Camila Silva, Carla Prata e Juliana Alves fazem a gente roer o cantinho da unha de inveja. Enquanto outras como Gracyanne…meu Deus!!!

  • ORF

    -

    12/2/2013 às 16:03

    Ricardo, temos algo importante em comum: gostamos de mulher bonita e pouco vestidas. Mas temos que admitir que no carnaval elas ficam endemoniadas, verdade? Grande comentario do Milton Simon Pires, parabens pela visao e pela expressao. ORF

  • Fã do Diogo Mainardi

    -

    12/2/2013 às 11:13

    Sou homem mas devo admitir, elas tem muita celulite

  • Milton Simon Pires

    -

    11/2/2013 às 22:30

    Prezado Ricardo, existem correções a fazer..
    Entre relativismo moral e “do multiculturalislmo” cabe uma vírgula. Também há que se mudar a parte “com ” Fanon e Regis Debray por COMO Fanon e..

    abraço,

    Milton

  • Milton Simon Pires

    -

    11/2/2013 às 22:04

    Salgueiro e Che Guevara – Quando a Ignorância encontra o Mal

    Toda vez que um jornalista independente consegue escrever algo que chegue a chamada “grande imprensa brasileira” criticando o Carnaval, a ignorância do povo e sua avidez eterna por mitos, a resposta é a execração pública. Criticar a maior festa popular brasileira argumentando que o país tem problemas urgentes de educação, segurança e saúde tornou-se um clichê tão batido que desde a ala das baianas até o Departamento de Filosofia da USP sabem que trata-se de coisa que “não dá em nada”.
    Trazida para o país pelos portugueses, a celebração que hoje é sinônimo de jogo do bicho, tráfico de drogas e turismo sexual confunde-se com a própria história do Brasil. Do meio intelectual partem os mais variados discursos em sua defesa. Todos eles fazem a apoteose do relativismo moral do multiculturalismo e do respeito pelas chamadas “manifestações populares”. Sua fundamentação filosófica é rasa, pueril, patética e, antes de tudo, desonesta porque confunde verdade com consenso e vê – sempre – na manifestação das massas o caminho da beleza e da justiça.
    Os professores deste grande centro acadêmico petista – a Universidade Brasileira – apelam preferencialmente para Freud e Foucault quando em suas teses buscam justificativas para a histeria coletiva que toma conta do maior país católico do mundo, segunda pátria do espiritismo e nação de todas as raças. Bobalhões sustentados pelo CNPq, acreditam na folia dos loucos como discurso dos marginalizados, fala dos oprimidos, e razão dos descamisados capazes de se opor à “fala” dominante – é a arma de guerra contra a “Ordem do Discurso”.
    Segundo país em extensão da América do Sul, na Argentina (para sorte deles) não existe Carnaval, mas da terra de Borges, do tango e de Maradona nasceu aquele que mais tarde enfeitaria as paredes dos quartos de pelo menos quatro gerações. Foi lá que, em 1928, veio ao mundo um futuro colega meu de profissão – o médico Ernesto Rafael Guevara de la Serna. Crescendo em bairros da classe média alta de Buenos Aires como Palermo, San Isidro e Recoleta, esse futuro assassino jamais realizou-se no trabalho nem no amor. Partiu em uma viagem de motocicleta – hoje celebrada por Hollywood – em que os delírios de gente com Fanon e Regis Debray substituíram o LSD da geração hippie.
    Por Guevara, não é só a elite da universidade brasileira que chora até hoje. Choram os parentes e familiares daqueles que ele fuzilou em Guanahacabibes, por aqueles que ele matou no Congo, em Serra Maestra e na Bolívia, e lamentam-se neste momento em Havana os familiares de pacientes com AIDS, homossexuais e doentes psiquiátricos internados por Fidel nos campos que o “doutor” criou em Cuba.
    Falar mal do “Tchê” (apelido que faz lembrar que sou gaúcho.rss) é quase pecado no Brasil de 2013, mas não um pecado qualquer. Trata-se de violar aquilo que a ralé da intelectualidade tupiniquim chama de “bom senso” e cerrar fileira com os que ofendem as focas do Alasca, a “religião” do aquecimento global, a apologia do casamento gay… consiste em fazer oposição à apoteose do aborto e da eutanásia no país das emergências com pacientes sujos de fezes e urina, deitados às vezes entre ratos e baratas, e é quase como defender a volta do DOPS e do DOI-CODI.
    Ontem eu estava de plantão. Sempre dormindo e comendo mal, assitia numa lancheria próxima ao hospital o desfile da escola de samba “Salgueiro” (ou seja lá qual for o nome completo) quando uma ala (é esse o nome?) inteira apareceu literalmente vestida com roupas homenageando o ex-guerrilheiro. Imediatamente me lembrei da Alemanha na década de 1920 apresentada por Ingmar Bergman em o “Ovo da Serpente” – filme em que David Carradine vagava numa Berlim empobrecida, histérica e inflacionada. Caminhava numa cidade de cabarés, de prostitutas, de uso de heroína e de pessoas sendo espancadas em becos escuros em nome de uma “Nova Alemanha”. Mal sabia o mundo, assim como mal sabe o Brasil, aquilo que estava por vir; não imaginava aquilo que pode acontecer quando a ignorância encontra o mal.

    Porto Alegre, 11 de fevereiro de 2013
    cardiopires@gmail.com

  • aurinalma

    -

    11/2/2013 às 18:40

    linda aviviane araujo, a mais bela de todas.

  • Adriana

    -

    11/2/2013 às 16:27

    Não ha rainha de bateria mais femenina, bela e guerreira como a VIVIANE ARAUJO

  • Marco

    -

    9/2/2013 às 16:04

    Don Setti; Com todo respeito as demais, mas Rainha de bateria para mim, não tem para ninguém, é arte pura, somente para lindas morenas e mulatas.
    Abs.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados