Blogs e Colunistas

17/05/2014

às 17:30 \ Tema Livre

Arte: corpos nus e muita delicadeza na pintura do artista hiperrealista Javier Arezabalo

javier-arizabalo-01

Publicado originalmente a 8 de setembro de 2012

O francês de Saint-Jean-de-Luz Javier Arizabalo, pintor hiperrealista, demonstra em sua obra um olhar carinhoso  para a velhice (veja as reproduções no final do post), mas é para as mulheres que guarda a maior porção de sua delicadeza.

Esculpe, com pincéis, corpos – nus – e tudo o que fazem parte de seu universo: sentimentos, esperanças, sonhos e prazeres.

Sua obra ostenta dupla entrega: a do próprio pintor, que dá vida a um imaginário latente, vívido, prazeirento e lânguido, e a do modelo, que confia que seu reflexo espelhe o que de melhor tem a oferecer.

Nas suas palavras: “A “arte” ou o “fazer” são por e para a vida humana; como tudo o que é real, o são por “razões” (sentido, vontade…). Faz tempo que utilizo a arte para curar-me, alimentar-me; resolvo os desejos a partir das imagens que re-presento, é maravilhoso”.

Arizabalo é um daqueles artistas que, por alguma razão, não dá títulos a seus quadros. Isso, naturalmente, não muda a qualidade de seu trabalho.

 

javier-arizabalo-04

-

javier-arizabalo-10

-

javier-arizabalo-09

-

javier-arizabalo-pais-basco-frances

-

-

javier-arizabalo-08

-

javier-arizabalo-14

-

javier-arizabalo-desnudo

-

javier-arizabalo-07

-

javier-arizabalo-02

-

javier-arizabalo-03

-

javier-arizabalo-06

-

javier-arizabalo-15

-

javier-arizabalo-05

-

javier-arizabalo-13

-

javier-arizabalo-11

 

 Leia também:

Pintura hiperrealista: o corpo da mulher, a paisagem urbana, objetos de cozinha, o quotidiano e até o absurdo em tinta, pincel e tela

A nudez feminina, a intimidade, a água — na pintura hiperrealista da americana Alyssa Monks

O que faz a foto de uma mulher nua sobre um pedestal, num blog de respeito como este?

Nudez, sexo, ousadia nos quadros hiperrealistas do americano Terry Rodgers

São fotografias em preto e branco? Não, são pinturas. Confira

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

34 Comentários

  1. Moacir 1

    -

    23/05/2014 às 0:30

    Granny,
    Não li o livro mas assisti o filme.Não chega aos pés do restaurante.Vai por mim. Uma cozinha toscana soberba mas com uma apresentação moderna.Que bom que vocês gostaram.E embora estejamos desfalcados de Passito, timtim per te com um Porto 30 anos.
    Como dizia Il Santo Bevitore:
    ” Ecco quel che sono veramente: cattivo, sbronzo…
    ma in gamba”! rsrsrs.
    Amanhã te respondo nas férias
    Un abbraccio

  2. Dulce Regina

    -

    20/05/2014 às 18:10

    Meu caro Moacir, que aula hein ? Parabéns pelo seu belíssimo comentarIo. Mais uma vez me rendo ao seu conhecimento. E por isso brindei hoje à você, com uma taça do Passito. Magnifico o museu de porcelana, o jardins, o restaurante e o almoço . Fiquei sabendo do livro e do filme ” Il Santo Bevitore ” .http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=la%20leggenda%20del%20santo%20bevitore&source=web&cd=10&ved=0CGAQtwIwCQ&url=http%3A%2F%2Fwww.youtube.com%2Fwatch%3Fv%3D4vX4kS8Xp4A&ei=-qd7U_zMK-XG7Ab94oFw&usg=AFQjCNEENS8r4BD9s_rNfymlyNUzkrnLbg&bvm=bv.67229260,d.ZGU

  3. marcelo cunha - rib preto/sp

    -

    20/05/2014 às 16:06

    Sensacional.

  4. Moacir 1

    -

    19/05/2014 às 18:57

    Prezado Setti,
    Ontem à noite fiquei olhando estes quadros ,tendo por eles mixed feelings.Tanto que resolvi não comentar. Entenda ,quando eu vou a uma exposição de arte ,geralmente vou rodeado de experts por todos os lados.Quando você se casa com uma arquiteta , no pacote estão todos os artistas plásticos,os designers e os fotógrafos do pedaço.Portanto – para garantir a paz social – eu entro mudo e saio calado.Mas hoje não resisti.
    Escrever é preciso.E a pauta já está quase indo para o arquivo…
    Os nus são belíssimos.Os corpos foram gloriosamente pintados.Os rostos tem muita expressão.As rugas são um poema.A mão é estupenda.Indizíveis a sombra e o brilho do metal naquele chaveiro.Frios e pegajosos os peixes.Perfeitas as dobraduras de pano e jornal.Mas as figuras humanas,o chaveiro e os peixes pintados não são reais —são pinturas.E a pintura moderna, a escultura moderna, não deveriam – na minha tosca opinião – fingir que reproduzem realidade mas, sim ,reinventá-la.
    Por isso,entre todos estes oleos aí ,prefiro a mulher de costas,com os braços cruzados atrás.INACABADA a não ser pelas mãos ,o traseiro e as coxas. Gosto da tela exatamente pela incompletude de parte da figura,deixada da cor do amarelo de cádmio, como se fosse um rascunho ganhando vida,ou um fantasma se corporizando ou um ser onírico se dissolvendo.Naquilo que não foi concluído ,a obra se torna pessoal,original e …humana, deixando de ser fotografia.
    O realismo é rompido por essa falta de acabamento, apesar do pintor ter sido realista ao ponto de dotar a pele da coxa aí com alguma famigerada – mas tão feminina – celulite!!
    Penso que os hiper realistas tem uma missão impossível : recriar de forma perfeita a realidade.Que pintor hiper-mega-realista conseguirá colocar ,por exemplo,o mar ,ou as montanhas, ou a torcida do Flamengo – ou do Corinthians? – todinha,num painel mesmo que ele tenha 100 metros quadrados?
    Então, embora eu geralmente goste nos realistas dos seus traços qualitativos e expressivos,da harmonia das superfícies, do equilíbrio renascentista da volumetria, dos mil tons de uma mesma cor,da anatomia opulenta da carne,do chiaro/scuro indescritível ,da tridimensionalidade de tirar o fôlego,da sensação de vida,eu tenho que ver, em algum momento, tais obras de arte divergindo do seu destino perfeito,da sua proposta de um realismo geral e irrestrito.Como vejo nessa Garota Interrompida aí.
    Por exemplo,o Ron Mueck,o tal escultor australiano bam-bam-bam que está – ou estava? – expondo no MAM. Suas esculturas são perfeitas.Tinha lá uma galinha que foi a galinha mais galinha que já vi na minha vida.Nos mínimos detalhes, lá estava ela pendurada no teto do museu ,uma galinha da gema , a não ser pelo tamanho.Pense numa galinha para 1.000 talheres! Ela era ENOOOORME.Como também o era um tal casal de idosos- uns verdadeiros Golias tomando sol numa praia. Já o garoto negro -
    i-m-p-r-e-s-s-i-o-n-a-n-t-e! – também era um moleque mais-que-perfeito,mas DIMINUTO. Um homo floresiensis! Um pigmeuzinho.Sabe como eu me senti ? Eu me senti numa viagem de volta ao passado,assistindo de novo às Viagens de Gulliver! Anão ou gigante,conforme a escultura à minha frente.Me diverti.
    Ou seja,o artista brincava de desmentir a realidade com a dimensão dos seus trabalhos perfeitamente realistas.Ao fazê-lo,
    reinventava-a.Pra mim ,isso é arte.
    Há que haver fantasia mesmo na real e espaço para sonho mesmo na exatidão.E não estou ficando surrealista,não. Afinal,”andamos todos à procura de espaço para o desenho da vida e em números nos embaraçamos e perdemos sempre a medida”…grande Cecília!
    Obviamente,que estou careca de saber que não entendo nadica de nada de arte pictórica contemporânea,embora bem que tenham tentado fazer a minha cabeça.
    Abraço

  5. Dulce Regina

    -

    19/05/2014 às 14:02

    Do lado de cá, respirando artes, cores e sabores…mato a saudade do nosso Brasil ( através do seu blog ), admirando estas lindas pinturas hiperrealistas. Sensacionais ! Abraços fiorentino, Dulce Regina

  6. Fernandez

    -

    18/05/2014 às 21:32

    Impressionante!

  7. wilson

    -

    18/05/2014 às 18:11

    99% dos pintores “modernos” não desenham nem um perfil, mas salpicar de borrões são ótimos.

  8. SergioD

    -

    18/05/2014 às 12:13

    Ricardo, uma amostra de como a fotografia pode traduzir beleza e sensibilidade. Ótimo post.
    Abraços.

  9. Vera Scheidemann

    -

    18/05/2014 às 10:33

    Os pintores hiperrealistas são mesmo incríveis !
    Isto, sim, é arte, não aqueles borrões e rabiscos que ninguém entende (mas não tem coragem de dizer) e valem milhões de dólares.

  10. machado

    -

    17/05/2014 às 22:42

    é brincadeira.

  11. PLINIO VICTOR LANGACITLA

    -

    03/03/2013 às 15:34

    BOA COISA,E BOM PENSAMENTO PARA TODOS

  12. Régis Laffite

    -

    02/11/2012 às 23:47

    Fantástica mostra do pintor basco francês Javier Arizabalo único em sua arte.

  13. JR PIT BOY CPF14933389861

    -

    27/10/2012 às 17:21

    A PAIXAO PELO PODER E CORRUPTORA O PODER REVELA O HOMEM…JR PIT BOY CPF14933389861 CRITICANDO POBRES QUE TOMAM O PODER…

  14. Alex

    -

    24/10/2012 às 21:01

    Essas pinturas são incríveis. Sem dúvida nenhuma eu compraria uma tela dessas pois admiro os artistas que conseguem atingir a perfeição.

  15. chato de plantão

    -

    16/10/2012 às 22:42

    Os conhecimentos sobre arte do autor do texto das 12:51, logo abaixo, são proporcionais aos seus conhecimentos sobre o uso da língua portuguesa, a julgar pelos graves erros conceituais e de concordância que foram cometidos.
    A definição de arte como “materialização do inconsciente”, como todo chavão, reduz muito a dimensão daquilo que pretende explicar. Aplica-se mais em relação a certas correntes artísticas, como o surrealismo, por exemplo, e aplica-se menos em relação a muitos outros movimentos artísticos.
    E comparar os artistas do “hiper-realismo”, que não são muito mais do que habilidosos retocadores de fotografias, aos maiores gênios da pintura, como Caravaggio ou Ingres, é das coisas mais estapafúrdias que já li! Mostra uma total falta de noção em relação aos artistas mencionados.

  16. Jeremias-no-deserto

    -

    16/10/2012 às 12:51

    Muito interessante ler alguns comentários do seu blog. Tem de tudo. Um por aqui, saiu-se com uma explicação política partidária do conteúdo, aproveitando a viagem para espinafrar o PSDB(!!!).Outro mais abaixo, preferiu uma imagem mais escatológica para explicar aquilo que não entende.Enfim, tem de tudo. Na verdade, arte é a materialização do inconsciente, é o pensamento tornado matéria e certamente, o processo reflete profundas raizes sociais e históricas de que produz arte. A arte contemporânea tenta materializar esses anseios com as ferramentas do seu tempo, usando até recursos digitais. Daí, o perfeccionismo hiper realista fotográfico dessa arte,cuja habilidade de “retratistas” superam até formalmente clássicos realistas do passado que ainda não dispunham dessas ferramentas de suporte como David, Caravaggio, Ingres, Millet e outros.

  17. palhaço carequinha

    -

    15/10/2012 às 12:27

    Teve um aí que disse que “a arte está nos olhos de quem vê e sente”. Mas que frase bonitaaaaaaaaaaa!
    Então se eu fizer um cocô e “ver e sentir” que ele é uma obra de arte, ele se transformará em uma! Isso é verdade, porque até fezes já foram exibidas em exposições de arte!
    Hoje em dia tudo é arte e todos são gênios!
    É ou não é, gente?
    Eiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!

  18. Iolanda Gomes

    -

    13/10/2012 às 19:11

    O surrealismo de Salvador foi a ponte para o hiperreamlismo desse gênio chamado de Javier. O mundo agradece e muito!

  19. Andreas

    -

    13/10/2012 às 4:08

    o blogueiro parece q gostou deste trabalho que NADA, absolutamente NADA acrescenta a arte, apenas faz uma viagem ao passado ultrapassado, e perde feio para muitos artistas que faziam uso do real em suas telas, basta ver a ultima exposição do Masp.

    Engraçado q este tipo de matéria atrai sempre o comentário do alienado de plantão, escrevendo sempre a mesma coisa, na pobreza do senso comum, parecem eleitores do psdb, adoecendo na poluição de sampa, cada vez pior, cada vez matando mais… vamos lá, se abriguem sob as asas de seu Telhada, na miséria de seus votos e realidade.

  20. Estéfani JOSÉ Agoston GRIFAO

    -

    06/10/2012 às 16:19

    Mulheres, a expressão da perfeição, produto do grande artista DEUS SUPREMO ARQUITETO.

  21. claudia abreu

    -

    02/10/2012 às 11:51

    Muito obrigado por mais essa beleza.
    Preciso disso depois de ler tanta iniquidade petista.
    abraços claudia

  22. Giuliano

    -

    26/09/2012 às 15:51

    A modelo “sarada” é que é a verdadeira obra de arte. Para que imitar a natureza dessa forma fria se já inventaram a fotografia? Considero arte e belo, sim, porém é técnica pura, não há poesia visual. E, sim, o pintor é francês, aí a mídia e o povo leigo dá valor. Prefiro o Vik Muniz que faz poesia com lixo e foto. Prefiro a maneira “tortuosa” da pintura de Van Gogh. Pintura é pintura, não fotografia.

  23. Gilberto Martins

    -

    25/09/2012 às 15:15

    Não entendo de arte, mas acredito que arte está nos olhos de quem vê e sente. A visão do crítico é sob o ponto de vista técnico, e a do leigo do ponto de vista do sentimento. Vendo os comentários abaixo, não acredito que o comentarista que se apresenta como crítico de arte tenha alguma sensibilidade. Até porque, o exemplo é inadequado e mal expresso. Ouvir e escutar são sinônimos. Sinceramente, não entendi.

  24. Rivaldo Andrade

    -

    21/09/2012 às 9:25

    Este é o verdadeiro artista. SUJAR UMA TELA DE QUALQUER MANEIRA E CHAMAR DE ARTE, É COMO OUVIR CHICO BUARQUE, E TER QUE ESCUTAR MICHEL TELÓ. Rivaldo(musico projetista e crítico musical)
    Brasília-DF.

  25. Nathalia

    -

    21/09/2012 às 8:55

    Estou de boca aberta, quantas expressões, quanta sensibilidade. Como é bom achar cultura ao alcance dos dedos em uma sexta feira tumultuada no Rio. Para alguém conseguir pintar algo tão detalhado, só pode ter um Dom, e para um leigo perceber este dom precisa ter uma alma! Obrigado Setti, pela oportunidade. Lindas obras!!

  26. Marcelo Jacobucci

    -

    18/09/2012 às 4:35

    A tela do busto de um homem apoiado em forquilhas é cópia servil de trabalhos de Salvador Dalí.
    Essas fotos mescladas com pinceladas são bonitas, mas sem originalidade alguma. E é preciso explicar ao público leigo, que esses trabalhos, como aqueles em que aparecem mulheres jovens e nuas, não surgiram em razão do uso apurado de técnicas de pintura, como muitos parecem pensar. Nem mesmo os maiores mestres, como Velázquez, Vermeer ou Jan van Eyck pintavam de forma tão realista.
    Não é pintura, e um post que mostre artistas trabalhando na metade de um quadro, com o devido respeito, não prova nada nesse sentido.
    Melhor chamar esses trabalhos pelo que são: obras de arte. Embora seja arte menor, um pastiche em que são usadas algumas pinceladas aliadas a fotografias e outros recursos tecnológicos. E isso retira a humanidade dessas telas, que se tornam frias e mecânicas, impressão esta acentuada pelos temas usados, que são requentados e monótonos para quem está acostumado com arte.
    Em suma, é kitsch direcionado para as massas.

  27. alcides jose pereira

    -

    16/09/2012 às 17:03

    mande esse pessoal ir ver a “origem do mundo” de courbert e isso há mais de 100 anos atras

  28. Sergio the original since 1ª Leitura

    -

    14/09/2012 às 22:26

    Maravilha!

  29. Alexandre Lima

    -

    14/09/2012 às 15:02

    Para mim são quadros de uma técnica impressionante!!! Como alguém consegue colocar em telas, com tal perfeição, o que o seu cérebro capta com a visão?

  30. NélsonX

    -

    09/09/2012 às 11:55

    Ricardo, eu acompanho esse teu blog, há tempos. Qto a estas pinturas, eu por maior força de vontade que possa ter, não acredito que sejam pinturas. É tão real(hiperealistas como vc diz), tão real, que chego a duvidar do que vejo. A pinturas das chaves, são perfeitas demais, se perfeição pudesse ser mais ainda. De qq forma eu te parabenizo por nos mostrar esse trabalho fabuloso. Mas que fica a dúvida, fica.. Abrs
    PS. o teu blog, é alegre, descontraido e crítico tb…parabéns…!!

    Caro NélsonX, há inúmeros pintores hiperrealistas consagrados. Claro que é pintura, hahahahaha. Já publiquei até posts de artistas na metade de um quadro, trabalhando.
    Mas cada um acredita no que quer, não é mesmo?
    Ainda bem que pelo menos você acha bonito.
    Um abração e obrigado pelos elogios ao blog.

  31. bereta

    -

    08/09/2012 às 19:02

    Já tentou pintar? Deixe de lado a modéstia. Imagine que seus quadros possam ter a mesma “luz” de seus artigos. Comer e coçar, é só começar. Pintar também. Minha velhinha começou sua carreira de copista com 80 anos. Claro que copista não é pintor. Mas precisa ver o que ela conseguiu com aquela idade. Você é bem mais novo que ela, está num país que valoriza o belo e tem tudo para obter êxito. Tente, meu caro. Sensibilidade não lhe falta. Não fora isso, não teríamos suas “telas” literárias quase todos os dias. Ou suas indicações sobre acontecimentos que nos sensibilizam. Obrigado pela explicação abaixo, Setti.

    Não sou capaz de desenhar nem um X que saia direito, caro Bereta…

    Obrigado pelas boas palavras a meu respeito e um grande abraço.

  32. bereta

    -

    08/09/2012 às 13:33

    Caro Setti….. não tenho conhecimento de arte para opinar sobre a obra. Porém, me pergunto ou dirijo a você a pergunta:- Não seria uma composição de foto e pintura? A perfeição é extrema! Isso não diminui em nada o trabalho, mas é que fica difícil imaginar que sejam pinturas. Ou seria uma nova técnica nos pincéis? Hiperrealismo… bem, com a palavra os entendidos. Mlas que é bonito, ninguém pode negar.

    Há artistas que trabalham sobre fotos, outros, não. Mas de todo modo o artista precisa dominar uma técnica extraordinária para conseguir os resultados, não é? Se eu me metesse a algo parecido, ficaria monstruoso e ridículo.

    Abração

  33. Marco

    -

    08/09/2012 às 12:56

    Dom Setti: E por falar em simplicidade, até agora, tu não me tranquilizou e nem me deu garantia, q o Coringão vai golear, hj. Estou começando a ficar preocupado… ( risos)
    Abs.

    Nunca conto vantagem antes. E o golaço do Hulk ontem, hein? Foi o melhor de um jogo medíocre, não?

    Abraço

  34. Marco

    -

    08/09/2012 às 12:51

    Dom Setti: Gostei do trabalho, são fotos q mostram despreocupação com a fama, o q querem mostrar é apenas a simplicidade do acontecimento.
    Abs.

    Epa! Não são fotos! São pinturas. Claro, são fotos, sim, mas de pinturas a óleo.

    Abração

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados