Blogs e Colunistas

maracutaias

15/04/2014

às 11:59 \ Política & Cia

A charge de SPONHOLZ: “Cenas que gostaríamos de ver”

a charge

06/02/2013

às 17:35 \ Política & Cia

RENAN CALHEIROS: Benza Deus! Ele mal assumiu, e já aparecem maracutaias promovidas pelo filho deputado — em proveito próprio e do pai

Renan Filho: parecido com o pai não só fisicamente (Foto: Agência Câmara)

Quando a gente acha que chegou num determinado limite, certos políticos conseguem ultrapassá-lo — sempre no pior sentido.

Vejam, no texto abaixo, a quantidade de barbaridades encerradas em poucas linhas — e envolvendo o ilustríssimo sr. deputado federal Renan Filho (PMDB-AL), tão parecido com o pai fisicamente quanto, agora se vê, em matéria de comportamento como homem público, e o excelentíssimo sr. senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado e, consequentemente, do Poder Legislativo brasileiro, o Congresso Nacional.

Meus comentários ao texto vão entre colchetes. Vejam só:

O deputado federal Renan Filho (PMDB-AL) tem usado recursos da verba indenizatória – ou seja, dinheiro público – para pagar a advogados que atuam para ele próprio e o pai, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), recém-eleito para presidir o Senado – em causas privadas. [Esta é a maracutaia número 1.]

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, escritórios alagoanos que representam a dupla em demandas particulares, nas justiças comum e Trabalhista, já receberam ao menos 190.000 reais do gabinete do parlamentar, na Câmara desde fevereiro de 2011.

Em janeiro, o site de VEJA revelou que Renan Calheiros usa sua verba de gabinete para alugar a sede do PMDB em Alagoas. [Maracutaia número 2. Enquanto vários partidos pagam com seus próprios recursos, Renan lança mão dessa artimanha para que o dinheiro dos nossos impostos resolva o problema da sede do PMDB de Alagoas. É o fim da picada!]

O aluguel é pago ao seu próprio suplente [maracutaia número 3; vejam mais um dos absurdos que envolvem os suplentes de senadores] - que omitiu ser dono do imóvel à Justiça Eleitoral.[maracutaia número 4.]

As verbas indenizatórias são recursos distribuídos aos deputados para custear a atividade parlamentar, como passagens aéreas, telefone, correio e aluguel de escritórios políticos. Os valores variam de 23.000 reais para deputados do DF até 34.200 reais para os de Roraima.

Com sede em Maceió, o escritório Omena Barreto Advogados Associados é contemplado, mensalmente, com 10.000 reais da cota do deputado. Nos registros da Receita Federal, a empresa foi fundada em maio de 2011, mesmo mês em que se iniciaram os repasses do gabinete. [Que coincidência, não? Dá para dizer, sem susto: maracutaia número 5.]

De lá para cá, o valor já pago pela Câmara aos advogados soma 170.000 reais.

Se vocês quiserem ler tudo sobre essas e outras maracutaias dos Renans, não percam esta reportagem do site de VEJA.

08/04/2012

às 19:03 \ Política & Cia

Salve-se quem puder: Senado vai escolher novo presidente do Conselho de Ética — e Renan Calheiros será decisivo na história

Renan: peso fundamental na escolha do presidente da Comissão de... Ética (Foto: Agência Senado)

Vejam, amigos, na matéria abaixo da Agência Senado, como a política produz ironias: o Senado vai começar a decidir nesta terça-feira, 10, quem irá presidir o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa — e figura central nesta escolha será o senador Renan Calheiros (PMDB-AL).

Justamente ele que, envolto numa formidável nuvem de maracutaias inicialmente divulgadas por VEJA, em maio de 2007, precisou renunciar em novembro à presidência do Senado, que então exercia, para escapar da cassação do mandato — por falta de ética e de decoro parlamentar.

Salve-se quem puder, e vamos em frente.

Da Agência Senado

Com o cargo de presidente ainda vago e às voltas com o pedido de investigação do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado tem reunião marcada para a terça-feira (10).

A escolha do novo dirigente para o colegiado depende de negociações entre os líderes partidários e dentro do PMDB, segundo informou o líder do partido na Casa, Renan Calheiros (AL).

O parlamentar alagoano disse que vai levar à análise da bancada peemedebista a sugestão do nome de Wellington Dias (PT-PI), feita pelo bloco de apoio ao governo no Senado (PT/PCdoB/PSB/PDT/PRB).

Renan: a preferência é por um nome do PMDB

De todo modo, assinalou, por enquanto a preferência é por um nome do próprio PMDB, agremiação a quem cabe a indicação para a presidência do conselho, conforme o acordo de repartição dos cargos firmado no princípio da legislatura atual, em fevereiro do ano passado.

O assunto também deve ser objeto de consultas aos líderes partidários. Renan não explicou se essa consulta será informal ou se dará na reunião de líderes, que normalmente ocorre às terças no final da manhã ou início da tarde.

O anúncio do nome de Wellington foi feito em Plenário pelo líder do Bloco, senador Walter Pinheiro (PT-BA). O objetivo, destacou, é agilizar a recomposição do conselho. O cargo de presidente está vago desde setembro do ano passado, com o afastamento do senador João Alberto (PMDB-MA), que pediu licença para assumir cargo no governo do Maranhão.

Diante do que ele chamou de “dificuldade” do partido na escolha de um nome para assumir o posto, o bloco liderado pelo PT decidiu sugerir o nome do parlamentar piauiense, que está representando o Senado numa missão à Suíça.

Caso Demóstenes

Uma das atribuições do novo presidente do Conselho de Ética será decidir se acolhe representação do PSOL para apuração de denúncia de quebra de decoro parlamentar por parte de Demóstenes, que se desligou do DEM depois de anunciado um processo de expulsão contra si.

Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal autorizou abertura de inquérito para investigar as relações entre Demóstenes e o empresário Carlinhos Cachoeira, preso acusado de explorar uma rede ilegal de jogos. Conforme o próprio DEM, há fortes indícios de que o senador por Goiás representou interesses de Cachoeira no Congresso e no Poder Judiciário.

– Em nome do bloco, venho pedir a completa apuração de todos os crimes, não só a apreciação da quebra de decoro, mas a apuração de todo o processo. É preciso recompor o conselho na próxima terça para apurar, avaliar e punir os responsáveis todos os crimes cometidos – ressaltou Walter Pinheiro.

O líder do PT enfatizou ainda que o corregedor da Casa, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), com apoio do presidente José Sarney, solicitou à Procuradoria-Geral da República que tanto a Corregedoria quanto o Conselho de Ética possam ter acesso às informações já reunidas sobre o caso.

24/03/2012

às 19:01 \ Política & Cia

Ligações com malfeitor são um terremoto para o senador Demóstenes e podem decretar o fim de sua carreira

Demóstenes: fatos lamentáveis para quem viam no senador um opositor firme e confiável ao lulo-petismo; sua carreira está por um fio (Foto: VEJA)

Fugindo a seu estilo, o senador Demóstenes Torres (GO), líder do DEM no Senado, está fugindo da imprensa e repassando seu advogado criminalista a quem o procura sobre as novas revelações feitas por VEJA sobre suas estreitas relações com o contraventor Carlinhos Cachoeira, acusado pelo Ministério Público, entre outras coisas, de formação de quadrilha para manter negócios ilegais.

Cachoeira foi recentemente condenado à cadeia em outro processo.

O senador Demóstenes, até há pouco palmatória do mundo em relação ao lulalato e ao governo Dilma, e baluarte da oposição, está numa encruzilhada: ou dá explicações extremamente convincentes sobre a relação entre um homem da lei — ele é promotor de Justiça de carreira — com um malfeitor que seguidamente lhe presta favores, ou não apenas seu papel crucial na oposição vai-se evaporar, como sua própria carreira política marcha para o cadafalso.

Demóstenes, que não hesitava em apontar seu dedo acusador para maracutaias alheias, agora precisa desesperadamente ser convincente para explicar as próprias. Sua credibilidade está sendo afetada por um terremoto.

Os fatos são lamentáveis para tantos brasileiros que via no senador um opositor firme e confiável.

Para calar a boca de quem criticou VEJA

E serve, também, para calar a boca de pessoas de má-fé que, com insistência, acusavam mentirosamente VEJA e seus blogueiros de “esconder” erros (quem sabe até crimes — é uma hipótese) do líder do DEM.

Desde o começo, VEJA revelou a ligação do senador com o violador da lei.

28/10/2011

às 17:28 \ Política & Cia

Me expliquem, que eu quero entender!

O novo ministro Aldo Rebelo: porque sempre tem que ter comunista no Ministério do Esporte? Que mistério é esse? (Foto: Agência Brasil)

Tudo bem, o deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP), ex-presidente da Câmara dos Deputados, figura teoricamente mais “respeitável” dos comunistas do B, é o novo ministro do Esporte. As aspas em “respeitável” as coloco em razão de post anterior sobre o deputado.

Assume segunda-feira.

Mas…

1) Onde é que está escrito que comunista do B é especializado em esportes? (Especializado em maracutaias com a burocracia governamental que lida com o esporte já sabemos que é).

Onde quer que o PT vença uma eleição — para a Presidência, para governos estaduais, para prefeituras –, não tem dúvida: o camarada ou a camarada que vai cuidar da Secretaria de Esportes ou similar será um “quadro” do PC do B.

Que mistério é esse?

De onde é que o PT tirou essa bobagem — de que o PC do B é “bom” em esporte?

Por que essa insistência em deixar com os comunistas ex-linha chinesa, ex-linha albanesa essa área, especificamente?

Não custa lembrar que o Ministério do Esporte está há quase nove anos em mãos do PC do B.

A troco de quê?

2) Por que o governo Dilma e o PT dão tanta colher de chá ao PC do B?

Os comunistas, sabemos todos, têm uma representatividade social insignificante, são um bando de sem-votos que só conseguem eleger seus gatos pingados montado no cangote de algum outro partido, preferencialmente o PT, em alianças, tanto é que dispõem de apenas miseráveis 14 deputados entre os 513 que compõem a Câmara.

Somente raquíticos 2,72% dos representantes do povo. Assim mesmo com expedientes como o de aliar-se, em São Paulo, ao PR do palhaço Tiririca que, sozinho, carregou consigo dois deputados comunistas, inclusive o notório delegado Protógenes.

Que peso eleitoral na eleição da presidente Dilma é capaz de justificar que o partido detenha um Ministério, não bastasse os cargos gordos que ocupa, como — repito, e repetirei sempre — o controle da estratégica Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em cuja direção geral está aboletado há seis anos e meio o ex-deputado comunista Haroldo Lima, um feroz adversário da iniciativa privada, do empresariado e do lucro numa agência governamental que lida, o tempo todo, com concessões e outros contratos com grandes empresas privadas.

Me expliquem, que eu quero entender!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados