Blogs e Colunistas

Fluminense rebaixado

21/09/2012

às 17:00 \ Tema Livre

FUTEBOL: no décimo Brasileirão por pontos corridos, Palmeiras pode ser o 12º campeão a cair para a Segundona.Relembre os outros campeões rebaixados na última década

Luan-Palmeiras

O temperamental Luan, em partida do Palmeiras contra o Sport, no Pacaembu, no dia 6 de setembro: o Palmeiras pode engrossar uma tenebrosa estatística (Foto: Alex Silva - AE)

Com todos os problemas do Brasileirão – a organização a cargo da suspeitíssima CBF, o calendário apertado por causa dos Estaduais, a subserviência excessiva aos interesses da parceira Rede Globo, os absurdos da cartolagem -, não dá para negar que se trata de um certame dificílimo e imprevisível. O Palmeiras, que não consegue sair da zona de rebaixamento e, desesperado, enfrenta amanhã o Figueirense em Florianópolis, que o diga.

Grêmio-rebaixado

Manchete do jornal Correio do Povo sobre a queda do Grêmio, a primeira vítima dos pontos corridos, rebaixado em 2004 (Reprodução: galaticosonline.com)

A “culpa” por ser tão surpreendente e disputado – ao contrário de campeonatos chatíssimos como o Espanhol ou o Português, por exemplo – é, em grande parte, da fórmula dos pontos corridos. A mesma que tanta polêmica causou ao ser implantada em nosso país a partir do Campeonato Brasileiro de 2003, e que em sua décima edição aparece totalmente consolidada, um verdadeiro sucesso de público e crítica.

Atlético-Mineiro-rebaixado

Atleticano chora o rebaixamento do Galo em 2005 (Foto: mg.superesportes.com.br)

O fim do comodismo da fórmula dos “mata-matas”

Sem a possibilidade de se acomodarem em meio à disputa – até 2002, uma equipe poderia se classificar tranquilamente em oitavo lugar na primeira fase e depois disputar os mata-matas até a final -, os clubes precisam literalmente suar a camisa ao longo dos seis meses e meio nos quais disputam 38 partidas.

São obrigados a demonstrar o mínimo de regularidade. Tanto os que aspirarem ao título quanto os que se contentarem com a classificação à Libertadores ou à Sul Americana, ou até mesmo os que precisam simplesmente evitar o inferno da Segundona no ano seguinte.

Corinthians-rebaixado

O inconsolável Betão, capitão do Corinthians rebaixado em 2007 (Foto: Paulo Pinto - AE)

Desempenho desastroso dos grandes é sintomático

E é bastante sintomático que, justamente no décimo aniversário do Brasileirão por pontos corridos, um gigante do futebol tupiniquim como o Palmeiras esteja correndo sério risco de protagonizar mais uma queda à Segunda Divisão.

Ou melhor, “mais uma” não: para os numerólogos de plantão, salta aos olhos de que o possível (provável?) rebaixamento do Alviverde da Zona Oeste paulistana seria o décimo de um clube que ostenta o honrosíssimo título de Campeão Brasileiro a ocorrer em torneios de pontos corridos.

Vasco-rebaixado

O Vasco também fez sua torcida sofrer ao cair em 2008 (Foto: vascominhapaixao.blogspot.com)

Esta assustadora média de um campeão rebaixado por ano, impossível de ser encontrada em qualquer outra liga futebolística de respeito, é mais um aviso escancarado aos clubes de que alguma(s) coisa(s) eles não estão fazendo direito.

Que tal, por exemplo, planejar a longo prazo? Por que não dar maiores garantias aos treinadores, verdadeiros reféns da incompetência dos dirigentes e da selvageria tolerada das “torcidas” organizadas? Onde fica o investimento nas categorias de base?

A lista dos campeões rebaixados

Deixo aos leitores estas perguntas, mas também relembro a lista abaixo com os outros nove casos em que ganhadores do campeonato criado em 1971 sucumbiram à “pauleira” do novo regulamento de disputa.

(Tudo isso sem contar os vexames pré-pontos corridos de equipes como Fluminense – que na década de 1990 naufragou em três rebaixamentos, um deles para Série C, só voltando definitivamente à elite no “tapetão” –, o próprio Palmeiras, que despencou em 2002, em companhia de outro campeão, o Botafogo. Nem menciono, também, os grandes que vêm desesperadamente escapando da degola na hora H nos últimos torneios)

2004 – GRÊMIO (campeão em 1981 e 1996) e GUARANI (campeão em 1978)

2005 – ATLÉTICO MINEIRO (campeão em 1971) e CORITIBA (campeão em 1985)

2007 – CORINTHIANS (campeão em 1990, 1998, 1999, 2005 e 2011)

2008 – VASCO (campeão em 1974, 1989, 1997 e 2000)

2009 – CORITIBA (campeão em 1985)

2010 – GUARANI (campeão em 1978)

2011 – ATLÉTICO PARANAENSE (campeão em 2001)

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados