Blogs e Colunistas

ferrolinera

11/12/2011

às 17:30 \ Tema Livre

Genial: como carregar carros elétricos com energia da freada de trens

Ferrolinera-Adif

Uma estação "Ferrolinera": o carro elétrico estaciona e é recarregado pela energia da freada do trem. Acima, o painel fotovoltaico (Foto: Adif)

Quem se interessa por um transporte mais “verde” vai gostar de conhecer as Ferrolineras, novo e mundialmente pioneiro projeto da Adif, órgão administrativo da rede ferroviária espanhola controlado pelo Ministério de Fomento.

Em primeiro lugar, porque trata-se de uma ideia que une dois meios já considerados mais sustentáveis, por exemplo, do que os automóveis convencionais: o trem e o carro elétrico.

Em segundo, porque investe em uma inovadora proposta tecnológica que vem ganhando força em países europeus, como a Suíça, por exemplo: transformar a freada do trem em energia.

Com a novidade de que, no caso das Ferrolineras, o acúmulo energético serve para abastecer os veículos elétricos. Desta forma, os cidadãos podem combinar o uso diário de carro e trem, e ainda assim afetar pouco o meio ambiente.

Como funciona

O sistema opera mais ou menos da seguinte maneira: durante a freada do trem, seu motor age como um alternador, gerando energia ao invés de só consumi-la. Parte desta energia é aproveitada por outros trens, transferida pelo próprio sistema de cabos, e o restante passa por um motor de volante de inércia especialmente desenvolvido pela Adif.

ministério-do-fomento-Espanha-Adif-motor-de-volante-de-inércia

O presidente da Adif, Antonio González Marín (esq.) e o ministro do Fomento espanhol, José Blanco, apresentam o motor de volante de inércia (Foto: Ministério do Fomento da Espanha)

Tal motor se ativa, acelera e acumula energia cinética (de movimento), logo transformada em eletricidade, que é então armazenada em uma estação de recarga de carro elétrico. Os automóveis, ali, podem carregar suas baterias.

Aproveitamento de energia geralmente desperdiçada

A Adif estima que pode aproveitar, a cada freada, os cerca de 8% de energia que, segundo a própria empresa, costumam ser desperdiçados em dispositivos convencionais. Desta maneira, calcula poder obter 170 Gwh (Gigawatts-hora) por ano, o suficiente para recarregar milhares de carros elétricos. Uma freada, dizem os responsáveis, poderia gerar energia para entre dez e vinte veículos.

Os criadores das Ferrolineras também contemplam a utilização de energia solar nos momentos em que não haja nenhum trem circulando. Para isso os estacionamentos onde ficariam as bases de recarga também seriam dotados de painéis fotovoltaicos.

Em fase de testes

Embora o protótipo do sistema já esteja pronto, ainda não há previsão para seja oficialmente implantado. A batida de martelo do Ministério do Fomento depende de uma série de testes, entre os quais o funcionamento em caráter de exposição que, até fim deste ano, será ativado em duas estações de trem em Málaga, no sul da Espanha.

Caso provem ser tão eficientes e viáveis como parecem, as Ferrolineras teriam sinal verde para funcionar, de acordo com o plano inicial da Adif, em 1.500 estações espalhadas pelos 13 mil quilômetros da malha ferroviária espanhola. A prioridade do ótimo programa dependerá também de como se desenvolverá a crise da dívida pública que afeta a Espanha.

A companhia não divulga números sobre as despesas do empreendimento, mas garante ser uma alternativa barata por gerar energia sem gastar nada.

Assista a um vídeo demonstrativo de uma estação Ferrolinera aqui.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados