Blogs e Colunistas

Estádio Plácido Castelo

03/04/2012

às 14:47 \ Política & Cia

Estádio da abertura da Copa só tem 30% das obras executadas. Oito das doze arenas têm menos de 50% das obras realizadas

 

O futuro estádio do Corinthians, sede da partida de abertura da Copa: só das obras prontas (Foto: estadao.com.br)

Da Agência Estado

O Ministério do Esporte divulgou nesta terça-feira um balanço sobre as obras em estádios para a Copa do Mundo de 2014. Faltando 800 dias para o início da competição, oito das doze arenas têm menos de 50% das obras realizadas. Os números divulgados são mais otimistas do que os do Tribunal de Contas da União (TCU), que coloca apenas dois estádios com obras além da metade.

O levantamento oficial do governo tem como base visitas feitas pela equipe de monitoramento do Ministério do Esporte e informações recebidas de representantes das sedes. De acordo com estes dados, o estádio Castelão, em Fortaleza (CE), é o que tem as obras mais avançadas, com 60,4%. Na sequência aparecem Belo Horizonte (MG) e Salvador (BA), ambos com 55%, e Brasília (DF), com 54%. Para o TCU, porém, apenas Fortaleza e Salvador estavam neste patamar superior à metade.

O Estádio Plácido Castelo, o Castelão, em Fortaleza, em foto recente: o mais adiantado (Foto: opovo.com.br)

Os mais atrasados são o Beira-Rio e a Arena das Dunas, em Natal

Os estádios com andamento mais atrasado são o Beira-Rio, em Porto Alegre (RS), com 20%, e a Arena das Dunas, em Natal (RN), com 20,5%. Palco da abertura da Copa, o Itaquerão, em São Paulo (SP), tem 30% das obras executadas, de acordo com o balanço do governo. Estádio da final, o Maracanã, no Rio de Janeiro, tem 39% de execução.

Estão ainda abaixo dos 50% a Arena Pernambuco, em Recife, 32%, a Arena da Amazônia, em Manaus (AM), 38%, e a Arena Pantanal, em Cuiabá (MT), 43%. Os números do governo em relação a Curitiba (PR) fogem do padrão.

Em vez de dar um total de obras executadas, o governo optou por informar que a parte do estádio em reforma está com o andamento de 52% enquanto as novas instalações, que incluem parte da arena, centro de imprensa e estacionamento, têm apenas 11% de execução.

O balanço do governo federal é mais otimista do que o divulgado pelo TCU para 11 das 12 sedes, apesar de os dois levantamentos se referuren a março. Apenas no Beira-Rio, onde as obras estão paradas, ambos concordam que o andamento é de 20%. A maior divergência de dados acontece em Brasília, onde o governo vê execução de 54% das obras e o TCU somente 42,5%.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados