Blogs e Colunistas

assalto a bancos

07/02/2014

às 10:00 \ Política & Cia

Ascensão e queda da maior quadrilha da cidade de São Paulo

Monstro e Charuto: eles assaltaram 62 bancos (Foto: Reprodução)

Monstro e Charuto: eles assaltaram 62 bancos (Foto: Reprodução)

Reportagem de João Batista Jr., com colaboração de Maurício Xavier e Silas Colombo, publicada em edição impressa de VEJA São Paulo

62 BANCOS, 18 MILHÕES E 1 CAMARO (AMARELO)

Monstro e Charuto lideravam o maior bando do país especializado em assalto a bancos. Atuavam com a ajuda de funcionários das instituições e um policial militar. Em todas as ações, nunca esconderam o rosto nem deram um tiro

- Eu sou dou entrevista se ganhar um dinheiro, não tem jeito.

- Mas entrevista não é paga.

- Eu só falo se me der o que eu ganhava pelos B.O.s que fazia, meio milhão de reais.

- Bom, sendo assim não teremos a entrevista.

- Cuidado com o que você vai colocar na revista. Olha aqui (apontando para muque direito) o tamanho do meu braço.

O diálogo travado entre a reportagem e o assaltante de bancos Rolídio Brasil de Souza Gama, conhecido como Monstro, de 42 anos, se deu na em um cubículo de três metros quadrados dentro do Departamento Estadual de Investigação Criminais (Deic), na Zona Norte de São Paulo.

É lá que o bandido está retido ao lado do comparsa Claudio Alexandre da Silva, o Charuto, de 38 anos.

Em cenas captadas pelo circuito de câmeras das agências, MOnstro ameaça uma vítima (acima) e, na sequência, ao lado dos comparsas, saqueia o cofre

Em cenas captadas pelo circuito de câmeras das agências, MOnstro ameaça uma vítima (acima) e, na sequência, ao lado dos comparsas, saqueia o cofre

Monstro tinha acabado de fazer a barba e, na conversa-relâmpago, não escondeu um sorriso de canto de boca, como alguém debochado e orgulhoso do que faz. Ele e Charuto formam uma dupla da pesada. São os cabeças do maior bando de assaltantes de bancos da capital paulista em termos de produtividade.

Nos próximos dias, os bandidos vão receber “visitas” de funcionários e gerentes de instituições financeiras roubadas nos últimos anos em São Paulo. Muitos desses profissionais estiveram sob a mira das armas .40 da gangue e irão até lá fazer reconhecimento.

Monstro foi preso no dia 2 de janeiro em Boiçucanga, no município de São Sebastião, no Litoral Norte, pelo delegado Marco Antônio Desgualdo, do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade). » Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados