Blogs e Colunistas

animação

24/04/2014

às 18:29 \ Tema Livre

VÍDEO: trilogia de animação mostra destinos alternativos para o lixo descartado nas ruas de Londres

A animação de uma empresa londrina mostra o que poderia acontecer a um cigarro descartado na rua

A animação de uma empresa londrina mostra o que poderia acontecer a um cigarro jogado no chão

A série Tiny Worlds é uma trilogia produzida pela empresa de efeitos especiais Rushes, baseada em Londres.

A ideia dos vídeos é mostrar de forma divertida o que poderia acontecer com o lixo jogado nas ruas da cidade quando ninguém estivesse olhando. Os elementos animados são todos desenhados a mão e animados em duas dimensões.

No vídeo abaixo, uma bituca de cigarro é abordada por um mini-submarino, escondido debaixo d’água em uma poça.

Clique aqui para ver a trilogia completa.

28/03/2014

às 19:00 \ Tema Livre

ÓTIMO VÍDEO: Dados emitidos por aparelhos de GPS de táxis londrinos Londres geram uma bonita dança de luzes

Táxis em ação em Londres, segundo seus aparelhos de GPS (Imagem: reprodução)

Táxis em ação em Londres, segundo seus aparelhos de GPS (Imagem: reprodução)

Até março de 2011 existiam exatos 22.600 táxis em Londres, de acordo com a autoridade de transporte do Reino Unido, em seu último levantamento publicado sobre o assunto.

E, considerando que anualmente o número quase sempre cresce – ainda segundo o mesmo informe -, é de se supor que hoje em dia circulem na metrópole 24 ou 25 mil dos mundialmente famosos táxis negros, também conhecidos como Hackney Carriages, que podem existir em modelos clássicos ou modernos.

O movimento frequente e frenético desta frota voluptuosa chamou a atenção da produtora de vídeo 422, de Bristol, Inglaterra.

Como parte de uma série que realizou com o intuito de mostrar grandes cidades – e até países – de cima, a partir de dados de satélite animados, a agência traçou um mapa em movimento dos deslocamentos de táxis londrinos.

Juntas e em ação, as milhares de idas e vindas em todas as direções da grande cidade formam, no vídeo Britain From Above – London Taxis (“Grã-Bretanha desde Cima – Táxis de Londres”) uma dança de luzes imprevisível, constantemente mutante e muito bonita.

Não se assustem com o anúncio em inglês dizendo que não dá para ver o vídeo. É só clicar na janelinha “Watch on Vimeo” que ele vai aparecer. Maravilhem-se:

 

11/03/2014

às 19:45 \ Tema Livre

VÍDEO: bebê já sai da barriga da mãe em busca de um iPad e faz um selfie com celular. É um ótimo comercial sobre a naturalidade das crianças diante da tecnologia

Acaba e nascer, e já procura no google como cortar o cordão umbilical

Acaba e nascer, e já procura no google como cortar o cordão umbilical

O bebê já sai da barriga da mãe em busca de um iPad, pega um celular e clica um “selfie”, arma um canal de livestreaming no YouTube e, para susto de médico, enfermeiros e pais, sai do quarto da maternidade usando a naavegação de um GPS.

Esse vídeo muito criativo é um anúncio da empresa de telefonia e internet 3g indiana MTS e sugere, com o filme Nascido para a internet, que os bebês hoje em dia são fixados na web desde a barriga da mãe.

Misturando filme com animação, o filme mostra o trabalho de parto e o nascimento desse bebê especialíssimo.

 

LEIAM TAMBÉM:

VÍDEO: Novo (e comovente) comercial da iPad Air é narrado por Robin Williams com versos do grande poeta Walt Whitman

VEJAM O VÍDEO — Adeus manobristas: Marca japonesa desenvolve sistema no qual carro procura vagas e estaciona sozinho

VÍDEOS DE ARRASAR: a tecnologia 3D faz até tanques de guerra “entrar” no estúdio de TV, como se fossem esmagar o apresentador

VÍDEO DE TECNOLOGIA ES-PE-TA-CU-LAR: a pessoa está numa entrevista de emprego — e de repente o mundo começa a acabar

13/11/2013

às 19:25 \ Tema Livre

VÍDEO DE ANIMAÇÃO: Em algum lugar, sem braço e sem abraço

Em algum lugar, sem braço e se abraço

Em algum lugar, sem braço e se abraço

Nem o grotesco choca nesta animação do canadense Nicolas Ménard.

Em Somewhere (Em algum lugar, em tradução livre), o astronauta deixa seu braço, a modo de abraço, a seu amor, que ficou solitário.

E o que não podia acontecer, acontece… Sem combustível, sem companhia, sem braço e sem abraço, o astronauta se vê só em um lugar estranho, em algum lugar…

A trilha sonora é de Rich Vreeland.

 

LEIAM TAMBÉM:

VÍDEO: Pôr-do-sol, trágico e belo

ÓTIMA ANIMAÇÃO EM VÍDEO: Para quem não viu, confiram como será o túnel entre Santos e Guarujá, em SP

Febre Lego: relembrando o sensacional clipe que inspirou a nova paródia de “Thriller”, de Michael Jackson

ANIMAÇÃO EM VÍDEO: Os “flash-mobs” são legais… mas nem sempre. Em enterros, por exemplo…

28/09/2013

às 18:00 \ Tema Livre

ÓTIMA ANIMAÇÃO EM VÍDEO: Para quem não viu, confiram como será o túnel entre Santos e Guarujá, em SP

Os estudos ambientais já estão prontos para o túnel de 762 metros de extensão que ligará Santos, o principal porto do Brasil, à estância balneária do Guarujá.

A obra inclui 950 metros de rampas e 4,5 quilômetros de obras adicionais, inclusive viadutos. O túnel propriamente dito será composto de seis módulos de concreto pré-moldado, a ser construídos em uma doca seca no Guarujá.

Quando governador de São Paulo, em 2010, José Serra (PSDB) chegou a prometer uma ponte entre as duas cidades e até mostrou maquete de como seria. Seu sucessor no cargo, porém, o também tucano Geraldo Alckmin, decidiu-se pelo túnel, que anunciou em 2011.

Segundo o secretário Estadual de Logística e Transportes, Saulo de Castro Abreu Filho, o túnel custará 2,4 bilhões de reais, as obras começarão em julho do próximo ano e deverão estar concluídas em 2018.

O governo garantiu que o trajeto será percorrido em 1 minuto.

13/09/2013

às 18:51 \ Tema Livre

VÍDEO DE ARRASAR: “Panta Rei” mistura cenas ao vivo com animação — num filme futurista e belo

Universo futurista de Ettore Biondo une animação e ação ao vivo

O universo futurista de Ettore Biondo une animação e ação ao vivo

Panta Rei, um filme de curta-metragem experimental do cineasta, ilustrador e artista gráfico do italiano de Nápoles Ettore Biondo, inova ao combinar animação e ação ao vivo em um filme dinâmico, futurista e plasticamente lindo de se ver.

A trilha sonora original é do compositor Constantin Philippou.

 

LEIAM TAMBÉM:

CURTA DE ANIMAÇÃO: O naufrágio nosso de cada dia

Animação: uma cidade inteira de papel

VÍDEO BEM CRIATIVO: em poucos minutos, a história da música ocidental — feita à mão

VÍDEO INTELIGENTE E DIVERTIDO: O que aconteceria se os animais comessem “fast food”?

Vídeo: “Paperman” — o curta de animação que usa técnica inédita e ganha o Oscar

14/06/2013

às 18:45 \ Tema Livre

Animação: uma cidade inteira de papel

Paper-city

A cidade de papel de Maciek Janicki (Foto: divulgação)

Nascido em Varsóvia, Polônia, e radicado em Londres, o diretor de arte Maciek Janicki divide o seu tempo entre a produção de cartazes, fotografias e vídeos de animação. Parte dos seus trabalhos é feita sob encomenda para grandes marcas automobilísticas (Suzuki) e de entretenimento (Disney XD).

Em seu portfólio, porém, figuram também criações mais artísticas, cuja divulgação na internet é ao mesmo tempo o meio e o fim. Entre as mais recentes está o sensacional curta de animação Paper City (“Cidade de Papel”), no qual simula um take cinematográfico aéreo de uma cidade composta por papel.

Segundo os créditos do vídeo, a “escultura” e a “arquitetura” da urbe foram concebida pelo próprio autor. Em outras palavras, ele cuidou da elaboração de cada, edifício, rua e praça em miniatura filmados. Ao som de música do projeto Misophone, estes componentes “urbanos” vão surgindo do chão enquanto a câmera passa.

“Esta delicada animação segue o surgimento charmoso de uma metrópole frágil”, diz Janicki. “Capturada por um helicóptero invisível, a narrativa se desdobra por estradas sinuosas, florestas em erupção e montanhas emergentes”.

Confiram:

http://www.youtube.com/watch?v=qHfQMcLMWS8

 

LEIAM TAMBÉM:

Vídeo e fotos da Miniatur Wunderland, o maior país em miniatura do mundo

Fotos e vídeo surpreendentes: perfeito e movimentado, o maior aeroporto do mundo — em miniatura

Vídeo para melhorar o seu dia e que é uma obra de arte: Veneza, do amanhecer à noite, em pouco mais de 3 minutos

Os hilários “caganers”, bonecos catalães que homenageiam todo mundo — de Sarah Palin ao candidato socialista ao governo ou ao casal Shakira-Piqué

29/03/2013

às 17:00 \ Livros & Filmes

DICA DE FILME: Pré-história da adolescência

Clã das Cavernas Os primitivos Croods: sobreviventes em um mundo povoado por feras tão exuberantes quanto perigosas

Clã das Cavernas Os primitivos Croods: sobreviventes em um mundo povoado por feras tão exuberantes quanto perigosas

Resenha de Jerônimo Teixeira, publicada em edição impresso de VEJA
PRÉ-HISTÓRIA DA ADOLESCÊNCIA

Em Os Croods, são os jovens que impulsionam a civilização 

Os Croods são sobreviventes. Todos os clãs da vizinhança foram devorados por animais selvagens — monstros gigantescos: estamos na pré-história — ou dizimados por doenças fatais, mas os Croods persistem, caçando durante o dia e buscando refúgio na sua caverna à noite.

A fórmula para a sobrevivência é resumida pelo patriarca Grug em uma palavra: medo. Tudo o que está do lado de fora da caverna deve ser temido. A mulher diligente, a sogra anciã, o menino pateta e até a bebê precocemente feroz seguem, obedientes, a cartilha paterna.

Grug só tem problemas com Eep, sua filha adolescente, cujo temperamento inquieto escapa de vez ao controle paterno quando a jovem faz amizade (ou algo mais) com Guy, criativo inventor de gadgets primitivos — entre eles, claro, o fogo.

Os Croods — Uma Aventura das Cavernas (The Croods; Estados Unidos; 2013), nova animação dos estúdios DreamWorks, é um elogio desmesurado à força vital da adolescência: caberá ao casal de garotos impulsionar humanidade a novos patamares culturais e tecnológicos.

A tensão entre um jovem inovador e os adultos aferrados à letra morta da tradição já aparecera com outro cenário — uma aldeia viking — em um filme anterior do mesmo estúdio, Como Treinar o Seu Dragão. O tema lá estava desenvolvido de forma mais eficiente, e com personagens mais cativantes. Projeto que andava quicando para lá e para cá na DreamWorks desde 2005, Os Croods não chega a justificar tanto tempo de elaboração. Tem, é verdade, sequências de ação velozes e divertidas, que vêm sendo comparadas aos ensandecidos jogos de presa e predador do Coiote e do Papa-Léguas.

Só que os personagens clássicos da Warner eram figuras desprovidas de psicologia. Os Croods, ao contrário, pretende envolver o público
em um drama familiar — que, por mais que se force a nota emocional repetidas vezes no final do filme, nunca se desenvolve a contento no
meio de tanta agitação. O aspecto mais criativo do filme está na fauna ancestral, em tudo diferente de A Era do Gelo, com seus verossímeis mamutes e tigres-dentes-de-sabre.

Esta é uma pré-história exuberante e fantasiosa, povoada de animais improváveis como cachorros com rabo de lagarto e até uma baleia terrestre.

12/08/2012

às 17:30 \ Tema Livre

Vídeo: confiram por que essa bela animação ganhou 27 prêmios internacionais

Lighthouse, de Po Chou Chi

"Lighthouse" ("O Farol"), do diretor taiwanês Po Chou Chi

 

Por Rita de Sousa

Falar dessa animação é tarefa difícil, quase banal. Talvez por isso Po Chou Chi, o jovem diretor, natural de Taiwan, radicado em Los Angeles, não usou nenhuma palavra em Lighthouse (em português, “Farol”).

Cheio de sutilezas e simbolismos, o filme trata delicadamente da relação entre pai e filho, do crescimento, de amor e respeito. Mostra, em pouco mais de 7 minutos, o crescimento, o aprendizado, a partida, o retorno e o envelhecimento. E o fim, que é também começo.

O Farol é a casa, o lar, o porto seguro, o sinalizador de que está tudo certo, o abraço do pai. Os barcos a um só tempo simbolizam as conquistas, mas também as indas e vindas. Cartas são escritas, o pai espera, as estações mudam, e o inverno chega. 

Tudo embalado, como a cereja do bolo, pelo delicado piano de Chien Yu Huang.

Po Chou Chi criou esta belíssima obra de arte na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), onde está atualmente fazendo seu mestrado em Belas Artes, o MFA, e ganhou com este curta 27 prêmios internacionais e participou de 50 festivais de cinema.

O reconhecimento não é uma novidade para ele: seu primeiro trabalho, o filme de animação 3D, A Gaveta da Memória (The Drawer of Memory), de 2006, já tinha levado diversos prêmios e sido aclamado em diversos países como Alemanha, Japão, China, EUA, Coreia e França.

O Farol, como não podia deixar de ser, foi dedicado aos pais de Po Chou Chi.

E a preciosa dica veio da muito querida amiga do blog Maria Regina Ribeiro Fortes.

12/05/2012

às 17:50 \ Tema Livre

Role de rir com o cartum animado: o elefantinho vê um jipe se aproximando e…

ATT15452174

Amigos, a malfadada caçada a elefantes na África protagonizada pelo Rei Juan Carlos, da Espanha, continua rendendo no país — especialmente no campo da piada.

Vejam esta genial animação digital, ou como quer que se chame. A interjeição do elefantinho ao ver o jipe que se aproxima um dia já foi palavrão, mas hoje é de curso comum até em horários da tarde na TV.

Pode significar desde um “meu Deus do céu!” até um “pqp” — em geral, mais este…

LEIA TAMBÉM:

Encrenca para o Rei: aparece uma princesa — que não sua rainha — na história da caçada na África

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados