Blogs e Colunistas

28/05/2014

às 19:00 \ Política & Cia

Leonel Kaz responde à espantosa pergunta do ministro Aloizio Mercadante sobre o que é que museu tem a ver com educação

Museu é o lugar em que "a criança se educa, vivendo" como nos ensinou, desde 1929, o educador Anísio Teixeira, ao falar da escola (Ilustração: Cavalcante)

Museu é o lugar em que “a criança se educa, vivendo” como nos ensinou, desde 1929, o educador Anísio Teixeira, ao falar da escola (Ilustração: Cavalcante)

Publicado originalmente em 14 de junho de 2013

Campeões-de-audiência

A espantosa pergunta feita pelo ministro — da Educação! –, Aloizio Mercadante, durante visita, dias atrás, a um dos museus da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife, mereceu uma educada e ilustrada resposta do jornalista, crítico de arte, gênio das artes gráficas e editor Leonel Kaz, curador de um dos mais interessantes e criativos museus do país, o Museu do Futebol, em São Paulo, e uma das pessoas mais cultas e inteligentes que conheço.

Tomara que Mercadante aprenda algo. Confiram:

Artigo publicado no jornal O Globo

O LUGAR DO MUSEU NA EDUCAÇÃO

“O que o museu tem a ver com educação?”

Essa pergunta do ministro da Educação, Aloízio Mercadante, na imprensa e repercutida na Coluna do Noblat (3/6) do Globo, merece algumas ponderações. Faço uma dezena delas:

1. Museu é lugar para se entrar de corpo inteiro, tridimensionalmente, com todos os sentidos despertos. Cada obra de arte ou objeto exposto nos convida a olhá-lo, a partilhar dele, a se entregar a ele. Esse é o caminho da educação de qualidade: permitir que a vida nos invada e que o objeto inanimado ganhe um vislumbre novo, a cada dia, em cada visita. O Grande Pinheiro, tela de Cèzanne no Masp, pode ser vista cem vezes e, a cada vez, será diferente da outra; o quadro, de certa forma, muda, porque muda o mundo e mudamos nós também.

2. Museu é lugar, portanto, de olhar de forma distinta para as coisas. E para os seres também. É lugar de aprender a olhar com outro olhar para o outro (que quase nunca o vemos), para a escola (que pode ser, a cada dia, diferente do que é habitualmente) e para a cidade (que tanto a desprezamos, porque parece não nos pertencer).

3. Museu é lugar de entrar e dizer: é nosso! Museus são lugares de coleções, e as cidades, também. Cidades são escolas do olhar, pois nos permitem colecionar tudo de nossa vida: os dias que passam, a família que reunimos, os amigos que temos e ainda os bueiros da rua e as janelas que vislumbramos em nosso caminho diário (elas falam de épocas diferentes, narram histórias distintas). A cidade é a história.

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) (Foto: O Globo)

4. Museu é lugar onde a cidade (a história) se reconta. Rebrota. Onde ela nos faz crer que, para além do mero contorno do corpo, existimos. Criamos uma identificação com aqueles fatos e pessoas que ali estão, que nos antecederam em ideias, pensamentos e sentimentos. Que ajudaram a criar “o imaginário daquilo que imaginamos que somos”, como definiu o poeta Ferreira Gullar. É dentro da plenitude deste imaginário que o Museu nos reaviva a memória e o fulgor da boa aula.

5. Museu é o lugar do mérito, onde peças e imagens entraram porque mereceram entrar, porque foram, em algum momento, singulares. Elas estão ali para nos apontar que cada qual que as visita pode ter sua singularidade, e que ninguém precisa ser prisioneiro dos preconceitos do mundo. Museu é onde a cultura aponta à educação que tanto um como o outro foram feitos para reinventar o modo de ver as coisas.

6. Museu é lugar para se abandonar a parafernália eletrônica, os iPads, iPhones e Ai-ais e permitir que obras e imagens que lá se encontram repercutam em nós. Num museu somos nós os capturados pelos objetos, somos nós o verdadeiro conteúdo de cada museu, com a capacidade de transformar e sermos transformados pelo que nos cerca.

7. Museu é lugar para criar um vazio entre o olhar que vê e o objeto que é visto. Um vazio de silêncio. Um vazio que amplia horizontes de percepção. Assim, o professor deixa de ser professor e passa a ser o que verdadeiramente é: um inventor de roteiros, um “possibilitador” de descobertas. É lugar de aluno, com a ajuda dos mestres, revelar potencialidades insuspeitas, tantas vezes esmagadas pelo caráter repressor das circunstâncias que o cercam.

8. Museu é lugar de experiência. Tudo o que é pode não ser: há uma mágica combinatória em todas as coisas, como as crianças nos ensinam. Tudo pode combinar com tudo, independentemente de critérios, ordenamentos, hierarquias. A ordem do museu pressupõe a desordem do olhar.

9. Museu é ainda lugar de coleções (embora a internet seja, hoje, o maior museu do mundo). Assim, o museu não é mais apenas um espaço físico, assim como a escola não o é. A cidade toda é uma grande escola. O Museu é uma de suas salas de aula.

10. Museu é o lugar em que “a criança se educa, vivendo” como nos ensinou, desde 1929, o educador Anísio Teixeira, ao falar da escola.

Leonel Kaz é curador do Museu do Futebol

(CLIQUE AQUI PARA CONHECER O ÓTIMO BLOG DE LEONEL KAZ NO SITE DE VEJA)

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado

256 Comentários

  • Sidnei

    -

    4/6/2014 às 11:38

    Não podemos esperar muito de alguém, que faz tudo para se manter junto ao poder.
    Eles querem o povo cada vez mais alienado, para serem massa de manobra.

  • Ronaldo força

    -

    1/6/2014 às 22:34

    Este político já foi tudo no governo petista e posa como grande intelectual. É conhecido como doutor do Google e tem desempenho pífio em todos os cargos que ocupou. Na realidade, não enxerga um centímetro a frente do nariz e seu conhecimento de economia é muito parecido com o desempenho na propaganda do controle de preços do plano Sarney,que apoio vergonhosamente. Não está com nada!

  • razumikhin

    -

    31/5/2014 às 18:51

    Para quem tem como líder e ídolo um sujeitinho 100% ****, que levou pau depois de um ano e meio de etudos no curso primário (1o.grau), fundamental, e nunca mais leu um único livro na vida, para que serveria um museu? Qual a serventia de um prédio cheio de coisas velhas e mofo? Os únicos museus possíveis seriam o de Karl Marx, o do Kim Jong II e do de Hugo Chavez. Cuba? Está juntando dinheiro para compar o prédio e o mausoleu do Museu de Fidel Castro. Museu para quê? Hein? Museu para o Lula..? Hmmmm.. Muzeu duz cumpanhêru… Hmmmm

  • blindado

    -

    30/5/2014 às 10:25

    Breve o acervo do PT estará disponível em algum museu de absurdos, aberto a visitações da criançada, para que possam conheçer o período das maiores roubalheiras e de políticos ****** e incompetentes do Brasil.

  • Kitty

    -

    29/5/2014 às 22:31

    Só de uma mente atrofiada de tanto conviver com a mediocridade que poderiam ter sido proferidas palavras tão néscias..Museus têm sim muito a ver com educação, sr. ministro!. Quero lembrar ao homem sem visão, que nos museus estão a história de outras épocas evocando povos e civilizações antigas, com suas maneiras de viver e pensar. São espaços que atiçam a fértil imaginação dos mais jovens , capazes de oferecer uma experiência, ao mesmo tempo, educativa e divertida. Nessas instituições que abarcam as artes, ciências, tecnologia no desenvolvimento da sociedade..Se não fosse pelos museus nunca saberíamos como viveram, seus costumes, inventos, implementos agrícolas usados em tempos passados pelas civilizações que nos precederam.Haja ignorância do ministro Aloisio Mercadante. Pensar que foi ministro da Educação, dá para acreditar?//Um forte abraço-Kitty

  • Alvaro

    -

    29/5/2014 às 21:28

    É muito esperar que o Sr. MercadANT* entenda a importância cultural de um museu. Afinal, o moço bigodudo é ********* petista o que quer dizer que, por definição, é um perfeito ****** que só entende de incompetência e corrupção.

  • FIDEL CASTRO

    -

    29/5/2014 às 19:43

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme relembrei aos amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • Paulo Marcelo Farias Moreira

    -

    29/5/2014 às 11:00

    Em vista de acontecimentos e pronunciamentos recentes poderíamos perguntar:
    O que o metrô tem a ver com futebol?
    O que o transporte público tem a ver com o torcedor?

  • bereta

    -

    29/5/2014 às 9:20

    Os inimigos da cultura criaram um depreciativo para museu quando trouxeram a público a expressão ‘QUEM GOSTA DE VELHARIA É MUSEU”. Assim, muita gente associa objetos antigos a mau gosto, a coisa imprestável, a coisa que deve ser evitada, como se tudo o que é novo seja bom, saudável e útil. E quanto se trata de pessoas idosas, então, nem é bom falar. Velho é para asilo e ponto final. A destruição sistemática da memória se faz de forma sutil (as vezes nem tanto), graças a percepção de que a grande maioria das pessoas não é dada ao exercício do pensamento. Já viram certos animais carnívoros quando se alimentam? Engolem nacos inteiros, sem mastigar. Assim somos nós. Depois reclamamos que a comida não nos “caiu” bem no estômago. Mas aí é muito tarde. Permitimos que mercadantes da vida deitem falação sobre coisas sublimes e as tomamos como verdadeiras. Ainda bem que nesse blog 242 pessoas antes de mim fizeram comentários contra esse estado de coisas. Não li todos eles, mas presumo que sejam contra aquele elemento nocivo ao bem estar comum. Ele, sim, poderia ser peça de museu, museu de cera.

  • Alan XY

    -

    29/5/2014 às 4:37

    Muito bom!
    Se fosse possivel criar o museu da corrupção não faltaria “obras” a serem abrigadas. Imagine a pessoa mergulhar no mundo fantástco das propinas e desvio do dinheiro público, conhecer as estratégias dos mais bem sucedidos “emprendedores” dessa área. Seria sucesso absoluto!

  • Gil Santos

    -

    29/5/2014 às 0:04

    Já dizia o lider maior desse senhor que estudar não é necessário, pois ele, um semianalfabeto, recebeu como primeiro diploma o de presidente do Brasil. Agora me vem esse outro petista dizer que museu não tem nada a ver com educação. Infelizmente, nem todos podem chegar a ter um cargo no governo, por isso milhões de brasileiros tem que ralar muito e estudar para tentar conseguir uma melhoria da vida.

  • Virgínia Souza Pereira

    -

    28/5/2014 às 21:41

    A resposta de Kaz foi fantástica! A pergunta do Mercadante, patética!!! E pensar que foi ministro da EDUCAÇÃO!?

  • brasileiro

    -

    28/5/2014 às 20:32

    Infelizmente no caso do Sr. Mercandante e jogar perolas aos porcos. No pais do “nois pega peixe” e em que o grande lider se vangloria por nunca ter ido a escola, nao ha espaco para a cultura. Espero estejamos no fundo do poco, mas tenho duvidas …

  • Antonio Fernando Noceti Bahia

    -

    28/5/2014 às 20:23

    O tal ministro não tem noção de nada. Se tivesse valor teria sido ministro da Fazenda algum dia, mas não foi. Mostra-se incompetente, muito mais ainda como ministro da Educação.
    Quanto ir a museus, tenho boas lembranças:
    Quando eu tinha 15, 16 anos, estudava na Escola Industrial Silva Freire no Engenho de Dentro, onde tem o tal Engenhão, Rua Dr. Padilha. Nós matávamos aula para ir à Quinta da Boa Vista para tomar banho no lago, fugir da polícia com as roupas na mão e, o que era muito legal, era visitarmos o Zoológico e, principalmente, visitar o Museu (Paço Imperial). Quanto aprendi na época de jovem! Só tive a ganhar.

  • CELINHO

    -

    27/2/2014 às 13:38

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • kalil farid safatle

    -

    26/2/2014 às 10:25

    Aproveito o gancho para comentar a lastimavel situaçao do MASP.O espaço do vao livre e uma escoria revoltante. Falta de respeito total.

  • Cristiane Rodrigues Ribeiro

    -

    25/2/2014 às 13:41

    O museu reflete aquilo que é importante para uma pessoa apenas ou para uma sociedade. Você deve ser responsável apenas pela sua opinião, e se um museu é interessante para você, visite-o e divulgue. Se não, não deprecie. Pois museu, independente de sua temática, serve para difundir educação e cultura. E discordo do moderador: erros de português também refletem a nossa educação e seriam evitados se os comentaristas gastassem um tempo maior em revisar seu texto antes de publicá-lo. Se não sabe como se escreve, consulte um dicionário.

    Se o pobre moderador fosse corrigir os erros de português de milhares de comentários, não faria outra coisa, Cristiane. Um blog hospedado em VEJA tem uma enorme quantidade de acessos. Este que você lê já passou, este mês, de dois milhões de acessos. Publiquei até agora cerca de 200 mil comentários, fora os milhares que deletei por falta de condições mínimas de civilidade para estarem aqui.
    Abraço

  • henny schendel

    -

    22/2/2014 às 12:50

    Museu é o lugar onde se entra cru e se sai refinado.

  • carlos rufino

    -

    19/2/2014 às 14:26

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • Jurandir antonio galvao

    -

    18/2/2014 às 14:36

    faz jus ao nome ,MERCADANTE num Pais a onde estão vendendo tudo , é negociável dentro da cúpula e somos apenas mercadorias nas mãos desse governo .

  • Jurandir antonio galvao

    -

    18/2/2014 às 14:35

    faz jus ao nome ,MERCADANTE num Pais a onde estão vendendo tudo ,tudo é negociável dentro da cúpula e somos apenas mercadorias nas mãos desse governo .

  • HELIO CAVALCANTI DE SIQUEIRA CAMPOS

    -

    18/2/2014 às 12:28

    Caríssimos : gostaria de apenas corrigir que ao invés de ministério da educação leia-se ministério da cultura, quando falo do fracionamento necessário dos museus ao seu vínculo ministerial. Eu sei que se criam numerosos ministérios, hoje são 39 (trinta e nove), mas esse seria realmente necessário e acredito que, ao contrário de diversos países, nunca vai sair do papel enquanto o pensamento educacional for atrasado….abçs e desculpe-me pelo engano..

  • HELIO CAVALCANTI DE SIQUEIRA CAMPOS

    -

    18/2/2014 às 12:07

    Caros : como estudioso da matéria legislativa patrimonial e defensor de uma separação total dos museus da esfera do ministério da educação, por entender que tal posição apenas prejudica a grandeza dos museus, tal infeliz colocação não me espanta. Com certeza, um dia ela chegaria. Entretanto, o que me assusta é que além de que tal comentário (pergunta) tenha vindo de um ministro da educação, essa triste pergunta conota o fosso que existe e o despreparo das autoridades acerca do que realemnte representam os museus numa sociedade. Ora, concordo com o que foi exposto por Leonel Kaz e muitos dos felizes comentários pessoais, lembrando apenas que os museus representam o ápice educacional. No museu são colocadas todas as nossas conquistas sociais, tecnológicas, históricas e culturais. Está no topo da educação. Se os representantes maiores do Estado não conseguem vislumbrar isso e apoiar ao máximo os museus, tornando possível seu fracionamento do ministério da educação e criando um ministério apenas para tratar dos museus e sua legislação, só nos resta visualizar, indignados, a cegueira, miopia do próprio estado (minúsculo) que entende que apenas shows musicais devem ter apoio cultural !!! abçs…

  • José Rodrigues

    -

    14/2/2014 às 11:00

    Esse é o Ministro da Educação que nós temos!
    Alguém, por favor, poderia perguntar a ele o que é que ele faz como Ministro da Educação?

  • marcelo

    -

    10/2/2014 às 18:22

    Interessante e pragmatico a resposta! infelismente as esferas governamentais deveriam inserir cada vz mais a “abertura” desses educadores e educandos nos museus! ISSO SIM MUDA UM PAIS!!!!!!

  • ALEXANDRA

    -

    10/2/2014 às 16:11

    Se você quiser saber por que razão seu comentário foi deletado, favor ler as regras para publicação da opinião dos leitores no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • Cláudia

    -

    10/2/2014 às 13:33

    De modo bastante visível, os Museus estão em movimento e já não são apenas casas que guardam marcas do passado, são territórios muito mais complexos, são práticas sociais que se desenvolvem no presente e que estão envolvidas com criação, comunicação, afirmação de identidades, produção de conhecimentos e preservações de bens e manifestações culturais! Os Museus contribuem para a valorização das pessoas, dos territórios e do patrimônio cultural. O Museu é um dos locais que nos proporcionam a mais elevada ideia do homem, são ponte entre culturas, são portas que se abrem para diferentes mundos! (lamentável ver uma matéria dessas)eu estou perplexa!

  • Vera Von Groll Rangel

    -

    9/2/2014 às 12:13

    Quanta ignorância “Meu Deus”!

  • jamerson

    -

    7/2/2014 às 22:47

    Certamente não há nenhuma empresa que trabalhe com museus que esteja superfaturando com alguma licitação fraudulenta!Mas isso é esperado dos poderosos, afinal ,,o museu mostra a história,, e aquele que busca aprender com ela, sabe muito bem como fazer um governo sucumbir! Os poderosos não querem que tenhamos conhecimento de suas manobras ,, pois aprenderam com governos corruptos de outros tempos!

  • Maria Ivone da Silva

    -

    7/2/2014 às 19:22

    Tudo que foi dito foi fantástico. Museu é tudo, só é uma pena ter que ouvir opinião de elementos nos quais foram eleitos por nós e que nos decepciona o tempo todo…

  • Maria Ivone da Silva

    -

    7/2/2014 às 19:17

    Tudo que foi dito foi fantástico. Museu é tudo, só é uma pena ter que ouvir opinião de elementos nos quais foram eleitos por nós e que nos decepcionam o tempo todo…….

  • Frederico Rochaferreira

    -

    6/2/2014 às 16:12

    Caro Setti,Caro Kaz,

    Vivemos num país de valores tacanhos, de condutas vergonhosas em todos os setores. O jornalismo não se furta a esse circo dos horrores, quando publica notícias sem fonte. Caros, noticiar sem a devida prova dos fatos, mesmo que seja verdade aquilo que se noticia, é falsear a notícia, não é moral e não é ético, desacredita quem publica e o veículo que a publica e presta enorme desserviço aos cidadãos, induzindo outros tantos a reproduzirem e pensarem da mesma forma.

  • suely campos prado

    -

    6/2/2014 às 14:13

    Tem muito mais, do que a política corrupta do país.

  • jose maria de almeida

    -

    5/2/2014 às 9:16

    Talvez esta frase “O que o Museu tem a ver com educação?” deva ser imortalizada numa lápide e colocada ao lado do seu busto num MUSEU DE CERA de ACÉFALOS. Mas HITLER tamém disse: “O homem que não tem sentido na História, é como um homem que não tem ouvidos nem olhos.” Pelo menos ele tinha cérebro.

  • Wilson Rocha

    -

    4/2/2014 às 19:23

    Fatos como esse “o que o museu tem a ver com educação?”, nos deixa perplexo e ao mesmo tempo, indignados, por ter a patética “interrogação” partido de um ministro da educação, personagem essa conceituada pelos seus “camaradas” como luminar no âmbiente político. Deixa-nos também desvanecidos por ver essa súcia que governa o país por 12 anos, já em pé de guerra para disputar a reeleição pesidencial, em outubro, considerando-se francos favoritos.

  • Su

    -

    3/2/2014 às 18:46

    Gente, eu não sou petista, não defendo partido nenhum, odeio política exatamente por isso. Pq manipulam de todos os lados, mas só gente burra e ignorante sai acreditando em tudo q lê. http://blogdobranquinho.blogspot.com.br/2014/01/de-onde-noblat-tirou-frase-de.html

  • Luciana Benfica Abrao

    -

    3/2/2014 às 8:54

    Uma das coisas mais emocionantes que vi na vida foi um grupo de pré-escolares franceses com cerca de 4 anos visitando o Louvre… Todos sentadinhos em frente a uma grande tela escutando o que a professora explicava sobre obra e autor e depois cada um desenhou a obra usando lápis e papel trazidos da escola!!!! Ahhhh os museus…

  • Jefferson Leite

    -

    3/2/2014 às 7:40

    Museu é tão importante no Brasil, q esses dias passei em frente ao MASP, na Av. Paulista, e me envergonhei… vi ali nakela bonita avenida, a imagem do país de 3º mundo q somos, o museu mais importante do Brasil, em horríveis condições de manutenção. O MASP está mesmo velho e muito feio! Não tem cuidados!!!

  • Oziel

    -

    3/2/2014 às 3:20

    Supondo que ele tenha dito essa frase. Ele estaria tecnicamente certo se estivesse falando do Ministério. Museu não tem nada a ver com educação, com o Ministério da Educação. Quem cuida de museus é o Ministério da Cultura. Quer saber sobre investimentos em museus? Tem que perguntar ao Ministério da Cultura, é lá que tem o orçamento para museus. O Ministério da Educação não tem nada a ver com o orçamento para museus. Complicado pesquisar sobre isso? Não estou defendendo o Mercadante, mas sou contra manipulação da ionformação, seja de que lado for.

  • Edna Felix

    -

    2/2/2014 às 7:29

    Museus são necessário para que possamos ter acesso ao passado compreender o presente e vislumbrar nosso futuro.

  • José Antonio Meira da Rocha

    -

    2/2/2014 às 0:26

    Mercadante nunca disse isto!

  • Pedro Henrique Cunha Melo

    -

    1/2/2014 às 20:13

    O que nós brasileiros,podemos esperar de um governo que cultua ditaduras e tem pessôas desta qualidade como ministro,presidentes ignorantes e votos comprados através do bolsa votos e mais médicos que recebem 1 mas que o governo paga 10.

  • norton

    -

    1/2/2014 às 17:45

    NÃO QUERO A COPA.
    Mais de 99% dos brasileiros vão assistir a Copa pela TV.
    Faz diferença se transmitida do Brasil ou por outro país?
    TAMBÉM NÃO QUERO AS OLIMPÍADAS.
    Quero que os bilhões sejam aplicados na educação, saúde, segurança, transportes …

  • jeandopiau

    -

    1/2/2014 às 11:02

    Um museu é tão grande quanto a “desordem dos nossos olhares” e das nossas perguntas consciente e inconscientes, pertinentes e impertinentes. (jeandopiau)

  • Jorge Medeiros

    -

    1/2/2014 às 9:40

    Complementando, livros tambem são educação.
    Se o chefe não lê, imagina o resto.
    Acabei de Ler Pós Guerra de Tony Judt – um show de história, analise e entendimento do nosso século.
    Me atraquei agora com “Natasha Dances”, de Orlando Figes, uma viagem sobre a cultura da Rusia, do século 17 ao 20.
    Um encanto de relato, com um background revelador sobre as origens, lá, da revolta de servos e camponeses contra os nobres mais ricos e opulentos que o mundo já gerou.
    Ainda assim, eram servos que compunham os elencos de teatros e orquestras, falando frances, ingles, alemão, como seus patrões

  • Jorge Medeiros

    -

    1/2/2014 às 9:28

    Triste pais em que os assessores de uma presidente completamente despreparada se aconselha com pessoas ainda mais despreparadas/ ignorantes.
    Sem falar de recalques, ressentimentos, frustrações e ajustes de contas.
    É desanimador.
    E nem o voto tem ajudado.
    Nem falo de ganancia, embora possa estar presente.
    Tudo se resume numa ação entre amigos/militantes; independente de seu curriculo. capacidade intelectual, ou compromisso com seu pais.

  • Jane Araújo

    -

    31/1/2014 às 19:10

    Incrivel é ver ministros tão ignorantes como Mercadante (ai, rimou, desculpe). E agora vai para a Casa Civil, a Casa Civil! Civil pressupõe do povo. Que povo é esse que tem ministros dessa estatura ***** e intellectual como um Mercadante. Alias, mercadante não é quem negocia o inegociável quando se trata de política? Dilma, que senhora tolinha, para não dizer algo mais constrangedor.

  • norton

    -

    31/1/2014 às 15:01

    Caro Norton, eu até agora vinha fazendo vista grossa para seus comentários que, na verdade, constituem uma campanha pela internet, mas agora não dá mais. Neste blog não damos espaço para nenhum tipo de campanha, movimento, convocação ou abaixo-assinado. Assim, espero que seus próximos comentários sejam isto mesmo: comentários.
    Um abraço

  • Fatima

    -

    31/1/2014 às 13:18

    Se o Ministro não sabe pra que serve museu,Quem INDICOU ELE A ministro da CULTURA sabe menos ainda,não tem noção nenhuma de EDUCAÇÃO.

  • wesley de souza

    -

    30/1/2014 às 23:59

    “Precisamos de mais cultura (museu é cultura),e também de ministro da cultura, com cultura.”

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados