Blogs e Colunistas

22/01/2014

às 18:00 \ Política & Cia

Leonel Kaz responde à espantosa pergunta do ministro Aloizio Mercadante sobre o que é que museu tem a ver com educação

Museu é o lugar em que "a criança se educa, vivendo" como nos ensinou, desde 1929, o educador Anísio Teixeira, ao falar da escola (Ilustração: Cavalcante)

Museu é o lugar em que “a criança se educa, vivendo” como nos ensinou, desde 1929, o educador Anísio Teixeira, ao falar da escola (Ilustração: Cavalcante)

Texto publicado originalmente a 14 de junho de 2013

A espantosa pergunta feita pelo ministro — da Educação! –, Aloizio Mercadante, durante visita, dias atrás, a um dos museus da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife, mereceu uma educada e ilustrada resposta do jornalista, crítico de arte, gênio das artes gráficas e editor Leonel Kaz, curador de um dos mais interessantes e criativos museus do país, o Museu do Futebol, em São Paulo, e uma das pessoas mais cultas e inteligentes que conheço.

Tomara que Mercadante aprenda algo. Confiram:

Artigo publicado no jornal O Globo

O LUGAR DO MUSEU NA EDUCAÇÃO

“O que o museu tem a ver com educação?”

Essa pergunta do ministro da Educação, Aloízio Mercadante, na imprensa e repercutida na Coluna do Noblat (3/6) do Globo, merece algumas ponderações. Faço uma dezena delas:

1. Museu é lugar para se entrar de corpo inteiro, tridimensionalmente, com todos os sentidos despertos. Cada obra de arte ou objeto exposto nos convida a olhá-lo, a partilhar dele, a se entregar a ele. Esse é o caminho da educação de qualidade: permitir que a vida nos invada e que o objeto inanimado ganhe um vislumbre novo, a cada dia, em cada visita. O Grande Pinheiro, tela de Cèzanne no Masp, pode ser vista cem vezes e, a cada vez, será diferente da outra; o quadro, de certa forma, muda, porque muda o mundo e mudamos nós também.

2. Museu é lugar, portanto, de olhar de forma distinta para as coisas. E para os seres também. É lugar de aprender a olhar com outro olhar para o outro (que quase nunca o vemos), para a escola (que pode ser, a cada dia, diferente do que é habitualmente) e para a cidade (que tanto a desprezamos, porque parece não nos pertencer).

3. Museu é lugar de entrar e dizer: é nosso! Museus são lugares de coleções, e as cidades, também. Cidades são escolas do olhar, pois nos permitem colecionar tudo de nossa vida: os dias que passam, a família que reunimos, os amigos que temos e ainda os bueiros da rua e as janelas que vislumbramos em nosso caminho diário (elas falam de épocas diferentes, narram histórias distintas). A cidade é a história.

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) (Foto: O Globo)

4. Museu é lugar onde a cidade (a história) se reconta. Rebrota. Onde ela nos faz crer que, para além do mero contorno do corpo, existimos. Criamos uma identificação com aqueles fatos e pessoas que ali estão, que nos antecederam em ideias, pensamentos e sentimentos. Que ajudaram a criar “o imaginário daquilo que imaginamos que somos”, como definiu o poeta Ferreira Gullar. É dentro da plenitude deste imaginário que o Museu nos reaviva a memória e o fulgor da boa aula.

5. Museu é o lugar do mérito, onde peças e imagens entraram porque mereceram entrar, porque foram, em algum momento, singulares. Elas estão ali para nos apontar que cada qual que as visita pode ter sua singularidade, e que ninguém precisa ser prisioneiro dos preconceitos do mundo. Museu é onde a cultura aponta à educação que tanto um como o outro foram feitos para reinventar o modo de ver as coisas.

6. Museu é lugar para se abandonar a parafernália eletrônica, os iPads, iPhones e Ai-ais e permitir que obras e imagens que lá se encontram repercutam em nós. Num museu somos nós os capturados pelos objetos, somos nós o verdadeiro conteúdo de cada museu, com a capacidade de transformar e sermos transformados pelo que nos cerca.

7. Museu é lugar para criar um vazio entre o olhar que vê e o objeto que é visto. Um vazio de silêncio. Um vazio que amplia horizontes de percepção. Assim, o professor deixa de ser professor e passa a ser o que verdadeiramente é: um inventor de roteiros, um “possibilitador” de descobertas. É lugar de aluno, com a ajuda dos mestres, revelar potencialidades insuspeitas, tantas vezes esmagadas pelo caráter repressor das circunstâncias que o cercam.

8. Museu é lugar de experiência. Tudo o que é pode não ser: há uma mágica combinatória em todas as coisas, como as crianças nos ensinam. Tudo pode combinar com tudo, independentemente de critérios, ordenamentos, hierarquias. A ordem do museu pressupõe a desordem do olhar.

9. Museu é ainda lugar de coleções (embora a internet seja, hoje, o maior museu do mundo). Assim, o museu não é mais apenas um espaço físico, assim como a escola não o é. A cidade toda é uma grande escola. O Museu é uma de suas salas de aula.

10. Museu é o lugar em que “a criança se educa, vivendo” como nos ensinou, desde 1929, o educador Anísio Teixeira, ao falar da escola.

Leonel Kaz é curador do Museu do Futebol

(CLIQUE AQUI PARA CONHECER O ÓTIMO BLOG DE LEONEL KAZ NO SITE DE VEJA)

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

242 Comentários

  1. CELINHO

    -

    27/02/2014 às 13:38

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  2. kalil farid safatle

    -

    26/02/2014 às 10:25

    Aproveito o gancho para comentar a lastimavel situaçao do MASP.O espaço do vao livre e uma escoria revoltante. Falta de respeito total.

  3. Cristiane Rodrigues Ribeiro

    -

    25/02/2014 às 13:41

    O museu reflete aquilo que é importante para uma pessoa apenas ou para uma sociedade. Você deve ser responsável apenas pela sua opinião, e se um museu é interessante para você, visite-o e divulgue. Se não, não deprecie. Pois museu, independente de sua temática, serve para difundir educação e cultura. E discordo do moderador: erros de português também refletem a nossa educação e seriam evitados se os comentaristas gastassem um tempo maior em revisar seu texto antes de publicá-lo. Se não sabe como se escreve, consulte um dicionário.

    Se o pobre moderador fosse corrigir os erros de português de milhares de comentários, não faria outra coisa, Cristiane. Um blog hospedado em VEJA tem uma enorme quantidade de acessos. Este que você lê já passou, este mês, de dois milhões de acessos. Publiquei até agora cerca de 200 mil comentários, fora os milhares que deletei por falta de condições mínimas de civilidade para estarem aqui.
    Abraço

  4. henny schendel

    -

    22/02/2014 às 12:50

    Museu é o lugar onde se entra cru e se sai refinado.

  5. carlos rufino

    -

    19/02/2014 às 14:26

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  6. Jurandir antonio galvao

    -

    18/02/2014 às 14:36

    faz jus ao nome ,MERCADANTE num Pais a onde estão vendendo tudo , é negociável dentro da cúpula e somos apenas mercadorias nas mãos desse governo .

  7. Jurandir antonio galvao

    -

    18/02/2014 às 14:35

    faz jus ao nome ,MERCADANTE num Pais a onde estão vendendo tudo ,tudo é negociável dentro da cúpula e somos apenas mercadorias nas mãos desse governo .

  8. HELIO CAVALCANTI DE SIQUEIRA CAMPOS

    -

    18/02/2014 às 12:28

    Caríssimos : gostaria de apenas corrigir que ao invés de ministério da educação leia-se ministério da cultura, quando falo do fracionamento necessário dos museus ao seu vínculo ministerial. Eu sei que se criam numerosos ministérios, hoje são 39 (trinta e nove), mas esse seria realmente necessário e acredito que, ao contrário de diversos países, nunca vai sair do papel enquanto o pensamento educacional for atrasado….abçs e desculpe-me pelo engano..

  9. HELIO CAVALCANTI DE SIQUEIRA CAMPOS

    -

    18/02/2014 às 12:07

    Caros : como estudioso da matéria legislativa patrimonial e defensor de uma separação total dos museus da esfera do ministério da educação, por entender que tal posição apenas prejudica a grandeza dos museus, tal infeliz colocação não me espanta. Com certeza, um dia ela chegaria. Entretanto, o que me assusta é que além de que tal comentário (pergunta) tenha vindo de um ministro da educação, essa triste pergunta conota o fosso que existe e o despreparo das autoridades acerca do que realemnte representam os museus numa sociedade. Ora, concordo com o que foi exposto por Leonel Kaz e muitos dos felizes comentários pessoais, lembrando apenas que os museus representam o ápice educacional. No museu são colocadas todas as nossas conquistas sociais, tecnológicas, históricas e culturais. Está no topo da educação. Se os representantes maiores do Estado não conseguem vislumbrar isso e apoiar ao máximo os museus, tornando possível seu fracionamento do ministério da educação e criando um ministério apenas para tratar dos museus e sua legislação, só nos resta visualizar, indignados, a cegueira, miopia do próprio estado (minúsculo) que entende que apenas shows musicais devem ter apoio cultural !!! abçs…

  10. José Rodrigues

    -

    14/02/2014 às 11:00

    Esse é o Ministro da Educação que nós temos!
    Alguém, por favor, poderia perguntar a ele o que é que ele faz como Ministro da Educação?

  11. marcelo

    -

    10/02/2014 às 18:22

    Interessante e pragmatico a resposta! infelismente as esferas governamentais deveriam inserir cada vz mais a “abertura” desses educadores e educandos nos museus! ISSO SIM MUDA UM PAIS!!!!!!

  12. ALEXANDRA

    -

    10/02/2014 às 16:11

    Se você quiser saber por que razão seu comentário foi deletado, favor ler as regras para publicação da opinião dos leitores no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  13. Cláudia

    -

    10/02/2014 às 13:33

    De modo bastante visível, os Museus estão em movimento e já não são apenas casas que guardam marcas do passado, são territórios muito mais complexos, são práticas sociais que se desenvolvem no presente e que estão envolvidas com criação, comunicação, afirmação de identidades, produção de conhecimentos e preservações de bens e manifestações culturais! Os Museus contribuem para a valorização das pessoas, dos territórios e do patrimônio cultural. O Museu é um dos locais que nos proporcionam a mais elevada ideia do homem, são ponte entre culturas, são portas que se abrem para diferentes mundos! (lamentável ver uma matéria dessas)eu estou perplexa!

  14. Vera Von Groll Rangel

    -

    09/02/2014 às 12:13

    Quanta ignorância “Meu Deus”!

  15. jamerson

    -

    07/02/2014 às 22:47

    Certamente não há nenhuma empresa que trabalhe com museus que esteja superfaturando com alguma licitação fraudulenta!Mas isso é esperado dos poderosos, afinal ,,o museu mostra a história,, e aquele que busca aprender com ela, sabe muito bem como fazer um governo sucumbir! Os poderosos não querem que tenhamos conhecimento de suas manobras ,, pois aprenderam com governos corruptos de outros tempos!

  16. Maria Ivone da Silva

    -

    07/02/2014 às 19:22

    Tudo que foi dito foi fantástico. Museu é tudo, só é uma pena ter que ouvir opinião de elementos nos quais foram eleitos por nós e que nos decepciona o tempo todo…

  17. Maria Ivone da Silva

    -

    07/02/2014 às 19:17

    Tudo que foi dito foi fantástico. Museu é tudo, só é uma pena ter que ouvir opinião de elementos nos quais foram eleitos por nós e que nos decepcionam o tempo todo…….

  18. Frederico Rochaferreira

    -

    06/02/2014 às 16:12

    Caro Setti,Caro Kaz,

    Vivemos num país de valores tacanhos, de condutas vergonhosas em todos os setores. O jornalismo não se furta a esse circo dos horrores, quando publica notícias sem fonte. Caros, noticiar sem a devida prova dos fatos, mesmo que seja verdade aquilo que se noticia, é falsear a notícia, não é moral e não é ético, desacredita quem publica e o veículo que a publica e presta enorme desserviço aos cidadãos, induzindo outros tantos a reproduzirem e pensarem da mesma forma.

  19. suely campos prado

    -

    06/02/2014 às 14:13

    Tem muito mais, do que a política corrupta do país.

  20. jose maria de almeida

    -

    05/02/2014 às 9:16

    Talvez esta frase “O que o Museu tem a ver com educação?” deva ser imortalizada numa lápide e colocada ao lado do seu busto num MUSEU DE CERA de ACÉFALOS. Mas HITLER tamém disse: “O homem que não tem sentido na História, é como um homem que não tem ouvidos nem olhos.” Pelo menos ele tinha cérebro.

  21. Wilson Rocha

    -

    04/02/2014 às 19:23

    Fatos como esse “o que o museu tem a ver com educação?”, nos deixa perplexo e ao mesmo tempo, indignados, por ter a patética “interrogação” partido de um ministro da educação, personagem essa conceituada pelos seus “camaradas” como luminar no âmbiente político. Deixa-nos também desvanecidos por ver essa súcia que governa o país por 12 anos, já em pé de guerra para disputar a reeleição pesidencial, em outubro, considerando-se francos favoritos.

  22. Su

    -

    03/02/2014 às 18:46

    Gente, eu não sou petista, não defendo partido nenhum, odeio política exatamente por isso. Pq manipulam de todos os lados, mas só gente burra e ignorante sai acreditando em tudo q lê. http://blogdobranquinho.blogspot.com.br/2014/01/de-onde-noblat-tirou-frase-de.html

  23. Luciana Benfica Abrao

    -

    03/02/2014 às 8:54

    Uma das coisas mais emocionantes que vi na vida foi um grupo de pré-escolares franceses com cerca de 4 anos visitando o Louvre… Todos sentadinhos em frente a uma grande tela escutando o que a professora explicava sobre obra e autor e depois cada um desenhou a obra usando lápis e papel trazidos da escola!!!! Ahhhh os museus…

  24. Jefferson Leite

    -

    03/02/2014 às 7:40

    Museu é tão importante no Brasil, q esses dias passei em frente ao MASP, na Av. Paulista, e me envergonhei… vi ali nakela bonita avenida, a imagem do país de 3º mundo q somos, o museu mais importante do Brasil, em horríveis condições de manutenção. O MASP está mesmo velho e muito feio! Não tem cuidados!!!

  25. Oziel

    -

    03/02/2014 às 3:20

    Supondo que ele tenha dito essa frase. Ele estaria tecnicamente certo se estivesse falando do Ministério. Museu não tem nada a ver com educação, com o Ministério da Educação. Quem cuida de museus é o Ministério da Cultura. Quer saber sobre investimentos em museus? Tem que perguntar ao Ministério da Cultura, é lá que tem o orçamento para museus. O Ministério da Educação não tem nada a ver com o orçamento para museus. Complicado pesquisar sobre isso? Não estou defendendo o Mercadante, mas sou contra manipulação da ionformação, seja de que lado for.

  26. Edna Felix

    -

    02/02/2014 às 7:29

    Museus são necessário para que possamos ter acesso ao passado compreender o presente e vislumbrar nosso futuro.

  27. José Antonio Meira da Rocha

    -

    02/02/2014 às 0:26

    Mercadante nunca disse isto!

  28. Pedro Henrique Cunha Melo

    -

    01/02/2014 às 20:13

    O que nós brasileiros,podemos esperar de um governo que cultua ditaduras e tem pessôas desta qualidade como ministro,presidentes ignorantes e votos comprados através do bolsa votos e mais médicos que recebem 1 mas que o governo paga 10.

  29. norton

    -

    01/02/2014 às 17:45

    NÃO QUERO A COPA.
    Mais de 99% dos brasileiros vão assistir a Copa pela TV.
    Faz diferença se transmitida do Brasil ou por outro país?
    TAMBÉM NÃO QUERO AS OLIMPÍADAS.
    Quero que os bilhões sejam aplicados na educação, saúde, segurança, transportes …

  30. jeandopiau

    -

    01/02/2014 às 11:02

    Um museu é tão grande quanto a “desordem dos nossos olhares” e das nossas perguntas consciente e inconscientes, pertinentes e impertinentes. (jeandopiau)

  31. Jorge Medeiros

    -

    01/02/2014 às 9:40

    Complementando, livros tambem são educação.
    Se o chefe não lê, imagina o resto.
    Acabei de Ler Pós Guerra de Tony Judt – um show de história, analise e entendimento do nosso século.
    Me atraquei agora com “Natasha Dances”, de Orlando Figes, uma viagem sobre a cultura da Rusia, do século 17 ao 20.
    Um encanto de relato, com um background revelador sobre as origens, lá, da revolta de servos e camponeses contra os nobres mais ricos e opulentos que o mundo já gerou.
    Ainda assim, eram servos que compunham os elencos de teatros e orquestras, falando frances, ingles, alemão, como seus patrões

  32. Jorge Medeiros

    -

    01/02/2014 às 9:28

    Triste pais em que os assessores de uma presidente completamente despreparada se aconselha com pessoas ainda mais despreparadas/ ignorantes.
    Sem falar de recalques, ressentimentos, frustrações e ajustes de contas.
    É desanimador.
    E nem o voto tem ajudado.
    Nem falo de ganancia, embora possa estar presente.
    Tudo se resume numa ação entre amigos/militantes; independente de seu curriculo. capacidade intelectual, ou compromisso com seu pais.

  33. Jane Araújo

    -

    31/01/2014 às 19:10

    Incrivel é ver ministros tão ignorantes como Mercadante (ai, rimou, desculpe). E agora vai para a Casa Civil, a Casa Civil! Civil pressupõe do povo. Que povo é esse que tem ministros dessa estatura ***** e intellectual como um Mercadante. Alias, mercadante não é quem negocia o inegociável quando se trata de política? Dilma, que senhora tolinha, para não dizer algo mais constrangedor.

  34. norton

    -

    31/01/2014 às 15:01

    Caro Norton, eu até agora vinha fazendo vista grossa para seus comentários que, na verdade, constituem uma campanha pela internet, mas agora não dá mais. Neste blog não damos espaço para nenhum tipo de campanha, movimento, convocação ou abaixo-assinado. Assim, espero que seus próximos comentários sejam isto mesmo: comentários.
    Um abraço

  35. Fatima

    -

    31/01/2014 às 13:18

    Se o Ministro não sabe pra que serve museu,Quem INDICOU ELE A ministro da CULTURA sabe menos ainda,não tem noção nenhuma de EDUCAÇÃO.

  36. wesley de souza

    -

    30/01/2014 às 23:59

    “Precisamos de mais cultura (museu é cultura),e também de ministro da cultura, com cultura.”

  37. leandro

    -

    29/01/2014 às 20:18

    a pergunta é: o que esse ministro tem a ver com a educação?

  38. léia bichet

    -

    29/01/2014 às 13:47

    Se você quiser saber por que razão seu comentário foi deletado, favor ler as regras para publicação da opinião dos leitores no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  39. Lourival Coelho

    -

    29/01/2014 às 12:18

    Por que censurar meu comentário ? A cultura da corrupção é tradição dos políticos do nosso país . Museu para eles não é cultura .

    Não “censurei”. Omiti palavras que dariam, a você e a mim, um processo criminal.

  40. Lourival Coelho

    -

    29/01/2014 às 12:09

    Pelo visto , este ministro da Educação nunca visitou um museo . Cultura para ele é só a da ****** . Lamentável .

  41. Ruan Santana

    -

    29/01/2014 às 9:42

    Todos os museus tem a ver com educação sim, menos o do Futebol, que vai fazer a cabeça de muitos garotos, para depois se tornarem arrogantes jogadores idolatrados pela mídia.

  42. reginammteixeira

    -

    28/01/2014 às 23:39

    Como pessoas podem crescer sem nunca ter visitado um museu? A história da formação de um povo, cultura…não dá para compreender como um Ministro faz tal afirmação!

  43. Aires Elon Proietti e Silva

    -

    28/01/2014 às 20:48

    AGORA:
    como nao precisamos de museus,pois nao nos ajuda a ter consciencia de nos mesmos,do meio onde vivemos,nossas origens,lutas ,sonhos e desejos que nos fizeram existir como naçao. Nao nos mostra,nao ensina a riqueza que temos ,exemplo, na literatura,..Ja que investir em nossa “alma” de povo através de museus nao nos torna pessoas cultas,deixemos de lado o conhecimento e ,o governo investirà sempre mais em penitenciarias ( porque onde nao se investe em educaçao…).
    Ja que é perda de tempo educar,nesse caso,com nossa historia que nao esta so no passado mas também no presente,pois nos continuamos a fazer historia.

  44. Despetralhando

    -

    28/01/2014 às 19:13

    Seu comentário, grosseiro e contendo ofensas, foi deletado.

  45. Tatiana

    -

    28/01/2014 às 16:11

    Um ministro da educação dizendo um absurdo como este nos faz refletir. Creio que o interesse deste governo é que aumente o número de analfabetos funcionais, de pessoas incapazes de fazer uma análise crítica do que leem ou ouvem, de dependentes eternos do bolsa família que tem medo que qualquer mudança de governo lhes tire o benefício.

  46. LUIZA ALEXANDRE DO NASCIMENTO BEZERRA

    -

    28/01/2014 às 15:30

    CHUUUUUUUUUUUUUUUUPA, MERCADANTE.

  47. rosane

    -

    28/01/2014 às 14:09

    Quando ouço um homem que está à trabalhar pela educação falar assim, pergunto-me:Que país é esse? Esse tipo de declaração responde rapidamente a pergunta. Lamentável Sr. Mercadante.

  48. Marcia del Penho

    -

    28/01/2014 às 13:39

    Esse ministro não vai sair do governo, não? Tem gente que me critica quando falo que o governo FHC tinha os ministros mais capazes. Com tantos ignorantes como este ministro, o que se pode dizer?

  49. Maria das Dores Camara de Brito

    -

    28/01/2014 às 13:20

    Qual é mesmo a formatura do nosso Ministro de Educação?????Acho mesmo que os ministro atuais são nomeados pela fidelidade ao PT e não por competência. Temos o da Saúde coitado que nada entende da pasta. O do STE que não consegui passar para juiz depois de 3 tentativas e agora vai assumir o mais alto cargo do Superior Tribunal Eleitoral, indicado pela Presidente Dilma. A Marta Suplicy que só sabe falar besteira e gastar dinheiro com o desnecessário, e destrói o conceito de família que nós presamos e não abrimos mão. Coitada da Dilma está tão mau assessorada quanto seu amigo Lula com os aloprados.

  50. maria soares

    -

    28/01/2014 às 12:50

    Se o Sr Mercadante teve a coragem de fazer essa estúpida pergunta, entendemos que ele não deveria estar ministro da Educação! Mas como esses cargos são cabides de emprego….então…o que se há de fazer!!!!????????????

  51. ALDO AMARAL

    -

    28/01/2014 às 12:26

    Isso é o PT, Um Ex-presidente que não gosta de livros. Um Ministro da Educação que declara que museu nada tem haver com a Educação. BRASILEIROS ESTAMOS PERDIDOS.

  52. bereta

    -

    28/01/2014 às 11:31

    SR. NELSON VALENTE – Em maiúsculas apenas para chamar sua atenção, com a complacência do SETTI. Parabéns pelo comentário. Gostei do que li e me lembrei de que no Brasil, quando queremos diminuir, desqualificar ou destruir alguma boa ideia, dizemos:- ISSO É COISA DE MUSEU. Museu aqui tem sentido depreciativo, infelizmente.

  53. bereta

    -

    28/01/2014 às 11:21

    Caro Setti, brincadeiras de lado, quando li que o eminente Educador ANÍSIO TEIXEIRA foi seu paraninfo, um arrepio percorreu meu corpo. Por ser um homem comum, sem saberes acadêmicos, óbvio que não frequentei tais meios. Mas tive a felicidade de saber sobre aquele Mestre. Há pessoas que valorizam carros, objetos de luxo, ídolos midiáticos e coisas correlatas. Talvez por ter tido dificuldades no campo escolar, vi-me afastado do acesso a universidade. Isso talvez tenha aumentado em mim a percepção do valor do que é ter grau acadêmico, não qualquer um, mas aquele que é conferido aos alunos de boas universidades, excelências mesmo! Fiquei feliz por você, pode crer. Deus o ilumine cada dia mais.

    Muitíssimo obrigado, caro Bereta. Ter conhecido o professor Anísio e havê-lo tido como paraninfo foi de fato uma honra inesquecível. A morte desse grande homem, cercada de mistérios, é algo que ainda precisa ser apurado porque pode estar entre os crimes da ditadura militar.
    Abraço

  54. bereta

    -

    28/01/2014 às 11:12

    Caro Setti…. permita-me sugerir alguns itens obrigatórios num museu petista:-
    ….Original ou cópia autenticada de contratos de superfaturamento em obras públicas.
    ….Malas, valises, sacos, cuecas,envelopes ou o que quer que tenha sido usado como facilitador no transporte de moedas, utilizados durante o mandato petista.
    ….Fotos da Rose,aquela, companheira inseparável do Grande Líder, e, se comprovados, foto dos milhões que teriam sido levados a Portugal.
    ….Vídeos onde companheiros diretos ou da g r a n d e base aliada foram vistos embolsando dinheiro ou discutindo propinas. Não esquecer que sob o objeto exposto, deverá existir uma explicação aos visitantes, dizendo tratar-se de pessoas imbuídas do mais alto grau de patriotismo.
    ….Se possível, a reserva de espaço para aeronaves dos mais diversos modelos, jatos ou helicópteros, que transportaram componentes da “turma”. Com as mesmas explicações da sugestão anterior. Tudo pelo bem do país. Ou então, as pessoas que visitarem o museu haverão de pensar:-QUE CORJA DE CANALHAS. E todos sabemos que não foi assim, não é assim e não será assim. Existe neles patriotismo puro!
    Como não sou muito imaginativo, fico por aqui, mas se outras pessoas quiserem agregar novos itens, está aberto o espaço.
    Cultura, como se sabe, é fundamental. Vai que um dia alguém resolva estudar a fundo o motivo da destruição arrasadora de um país que não chegou a se-lo….Tudo pode acontecer. Pois não se estudam as pirâmides, não se gastou tanto tempo na interpretação dos hieróglifos egípcios? Não se escavam centenas de metros cúbicos de material para encontrar as razões da existência e do desaparecimento de civilizações? O Brasil e o que não restou dele talvez despertem nos estudiosos a mesma curiosidade ou interesse.
    Antevejo a descoberta de um busto semidestruído, onde se poderá ver parte de um rosto e logo abaixo do nariz, um respeitável bigode:- TODOS gritarão em uníssono- MERCADANTE !!! Ele será a nossa Pedra da Roseta…. o único elo de explicação possível para o desaparecimento do que teria sido a maior civilização de todos os tempos.

  55. Carlos Guilherme

    -

    28/01/2014 às 10:52

    Mercadante, certamente (e provavelmente não só por essa), passou a constar na lista do Febeapá. Esse tipo de gente ficaria bem num “MUSEU DA ESTULTÍCIA”… Pensando melhor, com essa “ascensão espantosa e fulminante do ****”, haveria espaço suficiente para a exposição de tantos exemplares?

  56. Laura

    -

    28/01/2014 às 10:06

    Essa frase é uma mentira deslavada, ele nunca disse isso!

  57. otavio clementino

    -

    28/01/2014 às 2:50

    Museu é História ,Cultura ,Escola .Museu é arte Aprendizagem é um livro aberto. Mercadante não sabe o que é isso mas do PT ele sabe.

  58. otavio clementino

    -

    28/01/2014 às 2:46

    Museu é História ,Cultura ,Escola .Museu é arte Aprendizagem é um livro aberto.

  59. José jorge leite soares

    -

    28/01/2014 às 1:09

    É uma toupeira, mesmo!

  60. Cesar Rik

    -

    27/01/2014 às 23:27

    Bem, se o mercadante fosse gente civilizada, não faria parte do partido da corja realmente aos poucos as mascaras deste individuos vão caindo.
    Fora PT e todos do políticos desonestos.

  61. Nelson Valente

    -

    27/01/2014 às 22:26

    Educação e cultura são uma espécie de irmãos xifópagos. Um não pode viver sem o outro. O MEC passou décadas cuidando dessas vertentes. Com isso, inspirou a criação de Secretarias Estaduais de Educação e Cultura. Houve harmonia e resultados.
    Quando o presidente Tancredo Neves, para atender a interesses políticos, resolveu desmembrar a Cultura da Educação, houve sérios prejuízos para a primeira delas, que passou a viver de migalhas no Orçamento da República.
    Se o cinema é atendido, não sobra nada para o teatro. Se há recurso para o balé, falta para a música. E o patrimônio histórico fica abandonado, como se o país desprezasse a sua memória. Não se faz nada mais por Ouro Preto, nem pelo centro histórico do Rio de Janeiro, muito menos pela pequena cidade de Marechal Floriano, em Alagoas. A razão? Absoluta falta de verbas (ou de mentalidade).
    Só há recursos para pagar o funcionalismo, mas não há projetos em andamento. A Biblioteca Nacional precisa urgentemente de obras. O Museu Nacional de Belas Artes tem 9 mil quadros em porões. Milhões de brasileiros jamais tiveram acesso a uma dessas preciosidades.
    De uma população de 200 milhões de brasileiros, quantos se encontram à margem do processo cultural, de que a educação faz parte?
    Seguramente, 40% desse total não têm acesso aos bens culturais. Não é difícil provar essa verdade, pois dados oficiais confessam a existência hoje de 28 milhões de analfabetos, a que se pode agregar 34 milhões de semi-alfabetizados, compondo um quadro inacreditável de marginalizados culturais (62 milhões de brasileiros).
    Como aplicar os paradigmas de cidadania a esse outro Brasil que não tem acesso à escola, aos museus, às bibliotecas e a todos os demais equipamentos culturais que marcam uma sociedade desenvolvida?
    Quando se trata de pensar educação e cultura, em nosso país, temos razões de sobra para perder o sono. As dificuldades são de quantidade e de qualidade, esta se perdendo em visões distorcidas de modernidade.
    Enquanto se discute se a primazia deve caber à cultura clássica ou à cultura popular, o que não tem sentido, nossos espaços disponíveis são subutilizados. Os museus fecham aos domingos e feriados, por falta de porteiros e guias, que não trabalham em fins de semana. Não há verba para isso. Com esta orientação fica difícil criar uma consciência da importância da nossa cultura, no espírito das novas gerações. O caminho para a solução passa necessariamente pela junção dessas duas vertentes, justificando a sigla MEC.

  62. Edvaldo

    -

    27/01/2014 às 21:34

    incrivel como ainda tem gente que acredita neles muitos obvio comprado pelo”social” todos que para faculdade e so se preocupa com politica nao aptrende nada a nao ser buscar algo que va lhe dar retorno,começao a querer demonstrar diferença e viram o tal ”socialista”depois qizem que lutaram contra a ditadura pra implantar outra pior que era a menina dos olhos do tal che que morreu tarde

  63. Hugo

    -

    27/01/2014 às 20:25

    Pois é, cara Yone. O pior é que uma asneira dessa é espalhada como verdade absoluta. Infelizmente a grande massa não procura a fonte da matéria e acaba ficando por isso mesmo.

  64. Yone

    -

    27/01/2014 às 19:12

    A frase nunca existiu (a não ser no blog de Ricardo Noblat de 03/06/2013, de onde foi apagada depois de ficar lá o tempo necessário para ser papagueada até hoje, como vemos aqui). Mas que importância têm os fatos, não é mesmo? O que importa é manter o nível de reprodução de asneiras pela Internet.

  65. Creusa Aparecida Baraldi Gaion

    -

    27/01/2014 às 18:06

    Museu é o que falta nas cidadezinhas pequenas, para enriquecer a Educação.

  66. Marlene Rodrigues

    -

    27/01/2014 às 17:59

    Museu com cara de educação para o PT. Umas das coisas que eles iriam reaprender é como roubar desde os primórdios da colonização. De uma coisa eu tenho certeza, são mais inteligentes que o PT.

  67. Romualdo P. Macieira

    -

    27/01/2014 às 15:32

    Esta é a educação q o PT quer para o nosso país. …Acredito q este sr. Desconhece q um país é feito de histórias. …

  68. Dinart Nepomuceno

    -

    27/01/2014 às 15:20

    Museu é lugar onde o nosso ministro deveria ir algumas vezes para ver se se ilustra.

  69. Antonio Carlos R. Serrano

    -

    27/01/2014 às 15:14

    Nada mais me espanta nesse aglomerado de pessoas incompetentes que estão dirigindo(???) o país…

  70. Gleisson

    -

    27/01/2014 às 14:40

    Se realmente esse comentário procede, é uma vergonha. Espero que essa informação tenha sido obtida fora de contexto e o nosso pensador maior sobre o rumo da Educação brasileira esteja mais atento sobre a Educação Moderna.

  71. Yone

    -

    27/01/2014 às 14:31

    Hugo, a frase estava realmente no blog Ricardo Noblat de 03/06/2013, mas foi apagada depois de ficar lá o tempo necessário para ser papagueada até hoje, como vemos aqui. Enfim, besteirol elevado à categoria de alta cultura é o que não falta na rede. E que Deus nos ajude.

  72. ewerton

    -

    27/01/2014 às 12:42

    Ah, relaxa e goza…

  73. Hugo

    -

    27/01/2014 às 11:16

    Procurando a fonte para tal tal afirmação, a mesma parece não existir. No site Fundação Joaquim Nabuco, é exposto que, no contexto apresentado, o ministro fala sobre a importância do museu para incetivar a produção de conheecimento, a educação.

    “A Fundaj deve produzir conhecimento relevante para contribuir com o desenvolvimento da Educação no Brasil. O foco da Fundaj tem que ser Educação e pensar grande, pois quem pensa grande, colhe grande. Essa instituição tem uma imensa vocação para formar os futuros gestores em Educação. Eu gostaria de ter uma fundação que ancorasse o MEC. Podemos fazer da Fundaj a nossa grande avaliadora de políticas públicas”
    http://www.fundaj.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2495:ministro-da-educacao-aloizio-mercadante-participara-da-1o-reuniao-em-2013-do-conselho-deliberativo-da-fundaj&catid=44:sala-de-impressa&Itemid=183

  74. Hugo

    -

    27/01/2014 às 11:03

    Eu realmente gostaria de saber de onde foi retirada a informação de que o mercadante fez esse comentário, que por sinal parece estar fora de contexto. No blog em que o autor utiliza como referência, não existe nenhuma informação sobre isso nas postagens da data informada. Fico aguardando um esclarecimeto.

  75. bereta

    -

    27/01/2014 às 10:03

    ….Em tempo, Setti, destaquei alguns nomes em maiúsculas não no sentido de gritar, mas só pela importância que lhes atribuo. Positiva ou negativa. Claro que ANISIO TEIXEIRA e CULTURA tem conotação positiva. Abraços.

    O professor Anísio, só pra você saber, foi o paraninfo da minha turma de formatura de Direito na Universidade de Brasília — uma honra que levarei comigo pelo resto da vida. Tempos suaves, aqueles da ditadura militar.
    Por causa dessa homenagem àquele que talvez tenha sido o maior educador do país em todos os tempos, e de outras, cortaram a luz do teatro em Brasília onde se realizaria a cerimônia, o reitor da Universidade não compareceu e uma tropa de choque da Polícia Militar tentou impedir a solenidade.
    Qualquer hora vou contar a história aqui no blog…
    Abraço

  76. bereta

    -

    27/01/2014 às 9:58

    Caro Setti, com todo o respeito que lhe dedico, você bateu duro demais! Foi buscar logo ANÍSIO TEIXEIRA? Poderia ter citado Paulinho da Força, Delúbio Soares, aquele outro do Land Rover, o próprio zé dirceu, enfim, uma gama de extraordinários pensadores, todos voltados para os grandes problemas que afligem nosso país. Você foi mauzinho com o MERCADANTE. Ele não merece isso. Afinal, é visível o esforço que ele desempenha para colocar o Brasil na vanguarda do atraso. Chegou até a defender uma tese sobre lula, quero dizer, deus! Já imaginou que luz irradia desse cabeça? O homem é um portento. Se falou que museus nada tem a ver com a CULTURA, devemos baixar humildemente nossas cabeças e ouvir o que mais ele tem a dizer. Não seja mau, Setti. Pegue leve. Abraço fraterno.

    Recado entendido, caro Bereta. Mas o texto não é meu, e sim de meu amigo e grande jornalista, crítico de arte, editor e intelectual Leonel Kaz.
    Abração

  77. Raul Ferreira Bártholo

    -

    27/01/2014 às 9:23

    O incrível…. as vezes acontece!

  78. sandovalsader

    -

    27/01/2014 às 8:14

    Desculpe-me. O que acontece é que este pessoal do governo irrita a gente….

  79. MANOEL PAES LEME

    -

    27/01/2014 às 1:00

    Gostaria de saber: quais os critérios na escolha de um ministro?

    Nos governos lulopetistas, os critérios se baseiam em que partido indica quem para que cargo — em troca de apoiar o governo no Congresso. A competência do indicado é um dos últimos quesitos examinados, se é que é examinado…
    Infelizmente!

  80. Alcymar Martins

    -

    27/01/2014 às 0:57

    Este blog não publica insultos, ofensas e xingamentos contra quem quer que seja. Críticas duras, sim, sempre. Baixarias e ofensas, não.
    Conto com sua compreensão.

  81. Ed Guimarães

    -

    26/01/2014 às 23:27

    No texto que escrevi, leia-se: Fui surpreendido…

  82. Ed Guimarães

    -

    26/01/2014 às 23:25

    Sou brasileiro, trabalho e vivo no Brasil. Estou hoje de férias em Londres, mas há dois dias estava em Paris onde visitei o Museu do Louvre. Mais do que alimentar o espírito e a mente com as fantásticas obras ali expostas, fiquei maravilhado ao ver grupos de crianças francesas, acompanhadas por professores que mais pareciam artistas, que falavam, gesticulavam, encenavam e contextualizavam cada peça contemplada. E os olhares dos pequeninos fitavam ora o professor, ora a escultura ou tela com uma expressão que nunca mais irei esquecer. Nesse momento minha esposa lamentou, assim como eu, o fato do mesmo entusiasmo não ser incentivado em nosso amado país. Foi surpreendido agora a pouco, ainda mais, ao ler tão absurda declaração e ao mesmo tempo tão pontual comentário. É lamentável quando nossos governantes ignorem tanto a importância do saber difundido de maneira ampla, quanto a necessidade de se atentar para problemas como o do descredenciamento da Universidade Gama Filho, no Rio de Janeiro, uma das mais tradicionais instituições de ensino superior, que formava médicos e mais médicos para o Brasil e que a mais de dois anos era motivo da peregrinação de acadêmicos a Brasília na tentativa de evitar que se chegasse a isso. Lamentável mesmo e também que o problema não seja apenas de falta de comprometimento com a educação e sim, falta de entendimento do que é educação, por parte do chefe maior da pasta no governo federal.

  83. Renato

    -

    26/01/2014 às 20:31

    E esse sujeito (Mercadante) ainda tem um doutorado pela UNICAMP, que se pretende uma das melhores universidades do Brasil… Imagina o resto.

  84. fabiao Vasconcelos

    -

    26/01/2014 às 18:14

    Educação ,entendido como um conjunto políticas públicas ,visando repassar conhecimentos capazes de tornar os cidadãos emancipados, é para mim o que deve fazer o ministério da educação. Pode ser feito de forma competente, um conjunto de políticas para educação que se aplicadas com seriedade pode melhorar dramaticamente a educação no Brasil.Repassar conhecimento de forma adequada,independe de museu.Museus, são muito importantes,como resultado da cultura de um povo. Mostrar a arte das pinturas,das músicas,das esculturas,a poesia, a prosa,enobrece o espírito através da contemplação.É muito necessário mas está inserido na cultura e a meu ver não faz parte de um plano educacional com o fim de emancipar os cidadãos.

  85. Ronaldo Barra

    -

    26/01/2014 às 16:32

    Obrigado pela atenção caro Ricardo Setti, às vezes as pessoas se indignam com estes petistas que ultrapasam os limites da convivência. A última é que a Dilma vai inaugurar o porto de Mariel em Cuba, onde o Brasil financiou ,sem retorno pelo BNDES, mais de 600 milhões de reais. É na realidade tirar comida da boca de milhões de crianças brasileiras, deixar pacientes graves sem atendimento, estradas esburacadas responsáveis por milhares de mortes nas nossas Brs, deixar bandidos assassinarem trabalhadores por falta de policiamento e crianças sem merenda escolar. Este político, Aloisio Mercadante, é criador de factóides ( dossiês) contra políticos sérios como José Serra e Fernado Henrique. Enfim é cúmplice de um bando de celerados que fazem do Brasil uma país menor e sem perspectiva para nossos filhos e netos. Estou pessoalmente interessado em erradicar estes maus políticos do PT que usam o lema fascista de que: os fins justificam os meios. Sou um ledor assíduo, devorador de livros,conheço a história do Brasil e universal e tenho a convicção do quanto é nefasto para o Brasil esta política do PT, hoje comandada pelo maior dos ******* Lula e pela completa **** presidente Dilma Roussef. Caro Ricardo não temos tempo a perder: ou o povo brasileiro pelo voto tira esta quadrilha sindicalista do poder ou **** ***** ***** ***** *****. Um abraço, do seu dileto leitor e admirador Ronaldo Barra.

    Obrigado por suas boas palavras a meu respeito, caro Ronaldo. Também sou um indignado. Mas não publico nada no blog que diga respeito a violência como “solução” para problemas.
    E sei que uma pessoa do seu nível pode perfeitamente fazer críticas ferinas e duríssimas sem usar xingamentos e ofensas.
    Um abração.

  86. BBR

    -

    26/01/2014 às 15:55

    Isto demonstra o preparo do “cumpanhêro” rsrs

  87. Marcio

    -

    26/01/2014 às 11:43

    Lamento haver deletado seu comentário, caro Marcio, mas ele não estava escrito em termos minimamente adequados à publicação.

  88. Leandro da Silva Costa

    -

    26/01/2014 às 10:39

    em qualquer empresa séria, ou pais sério, esse tal vegetal do Mercadante seria demitido e vc, Ronaldo, seria sondado para ocupar o cargo… parabéns, não quero que esse Mercadante aprenda com vc, pessoas como ele merece mesmo ficar na ignorância, pois pessoas como essas são sangue sugas, eles querem não aprender, mas sugar, absorver, sorver, como um vampiro suga o sangue das pessoas para encher o pote deles… um presidente sério de um país teria demitido um sujeito **** desses logo depois dele ter feito uma pergunta idiota dessas…..

  89. Sérgio R P Santos

    -

    26/01/2014 às 8:24

    Achei o artigo muito interessante e poético. Mas se o Aloísio pela própria cultura adquirida não sabe o papel do museu na educação, com certeza não conseguirá entender o texto acima. Vou portanto tentar traduzir numa linguagem que ele compreenderá:

    Aprender significa, guardar de modo indelével o que ouvimos, vemos, sentimos, provamos etc. Desta forma Mercadante, quando o professor na sala de aula explica uma determinada coisa, o aluno utiliza a audição para aprender, entretanto, o professor reforça, fazendo-o escrever, quando possui imagens ele faz o aluno ver, se há um objeto palpável ele o faz tocar, isso porque cada um dos sentidos reforçam aquilo que ele está explicando, de modo que se torne inesquecível. No museu todos os sentidos podem ser ativados fazendo com que o aprendizado seja efetivo. Mas aprender não se resume a escola. Todos os dias de nossa vida são um aprendizado e o museu é a maneira mais efetiva de se aprender, assim é visitado por adultos que buscam conhecimento ou apenas o contato com o belo. Quando eu estava ainda no quarto ano primário, fui em excursão para o museu do Ipiranga, ainda hoje me lembro fatos da história do Brasil que me foram contados ali e mais do que lembrar, me aguçou o interesse por saber mais. Pena que hoje um professor levar uma classe ao museu seja algo tão raro, será que esta dúvida do Mercadante também existia na mente dos seus antecessores?

  90. Ronaldo Barra

    -

    26/01/2014 às 1:45

    O ministro da Educação Aloisio Mercadante além de ser uma serviçal do PT é um **** e ignorante. Está no cargo mais pelo seu servilismo do que pela sua capacidade ou cultura. Dizem que obteve um mestrado ou doutorado através de ***** ******* dentro do perfil dos petistas que são o protótipo do desconhecimento e da falta de leitura. Quando estive no museu do Louvre na última vez, e já estive várias, vi crianças de 5 a 12 anos em frente,en face, das obras clássicas recebendo orientações dos professores de suas escolas. As crianças recebiam aqueles esclarecimentos de forma disciplinada e curiosa. Creio que o Mercadante nunca foi a um museu e quando se aventurou deve ter sido para participar de alguma reunião política como assistente e bajulador de algum político inexpressivo. Não conhece a história antiga, muito menos a medieval ou moderna. Só sabe, pelo visto, é receber pito do apedeuta e fazer o que lhe mandam. É, realmente, um pau mandado sem amor próprio ou auto estima. É na verdade um serviçal e por favor Ricardo Setti não suprima o que estou dizendo, pois este cidadão merece o escárnio do povo brasileiro. É, na verdade, o resultado final da digestão dos animais carnívoros.

    Tive, sim, caro Ronaldo, que suprimir ofensas. Criticar não é ofender. Só não deletei o comentário inteiro em atenção a um leitor assíduo e leal do blog.
    Abraço

  91. Carlos Gonçalves da Silva

    -

    25/01/2014 às 21:42

    Na minha crença, acredito que o Ministro da Educação cometeu um erro crasso em seu destaque sobre o papel do Museu quando negou-lhe a função de educar. O que então significa educar? O próprio vocábulo em sua origem latina quer dizer tirar de dentro do outro aquilo que lá existe. Portanto, tudo aquilo que estimule ao outro retirar de dentro de si o que lá existe é, a priori, educar. Instruir , diferentemente de (ex+ducere ou educere) tem como função (in+struere) construir de fora para dentro. No primeiro o “leit-motiv” é estimular o olhar de quem ver retirar de dentro de si a sua maneira de ver o mundo, de percebê-lo,senti-lo fora de mim,de utilizá-lo, usufruí-lo. Medir a minha existência e construir a minha história, na medida do possível, também a história dos meus pósteros de tal maneira que compreendamos nascemos todos no meio da nossa própria história. Ninguém começa do começo. No segundo, acumulamos em nosso banco de dados as informações que nos farão distinguir os objetos de nossas relações e avaliando seus significados para os nossos interesses. Portanto, educação-instrução são partes da mesma moeda como cara-corôa. Assim, o nosso olhar o mundo está em toda parte, inclusive na escola e não tão-somente nela.

  92. Jose Pessoa

    -

    25/01/2014 às 21:04

    Não me espanta a pergunta desse moço, afinal o que ele sabe de educação?

  93. Paulo Hernandes

    -

    25/01/2014 às 18:40

    Não consegui localizar a resposta do ministro à própria pergunta. É o famoso “outro lado”, do jornalismo honesto e responsável. Vcs. certamente agiram assim. Poderiam orientar-me como achar isso na matéria? Paulo Hernandes, Brasília-DF.

    Não sei se o ministro jamais respondeu às críticas sobre sua declaração. Honestamente, não sei.

  94. plinio miooranza

    -

    25/01/2014 às 17:21

    Educação é mais que um mercante. É mais que um menestrel. É mais que um bedel. Educação merece um ministro educado. Museu é a escola da história,da cidade e dos homens que nela vivem.

  95. Xico Júnior

    -

    25/01/2014 às 16:54

    Também convenhamos, com tantos museus existentes pelo País, mostram logo o MUSEU DO FUTEBOL. Será que não temos museus com conteúdo bem mais culturais, educacionais prá mostrar do que a mesmice que é o FUTEBOL, que aparece nas TVs todos os dias. Leonel Kaz bem que mereceu. Se o Leonel Kaz não tem outro museu mais interessante, mais importante e com maior e melhor conteúdo que não mostre esse que mais alienante do que CULTURAL, como é pretenciosamente colocado no texto.

    Você diz isso tudo certamente por não conhecer o genialmente organizado e interessantíssimo Museu do Futebol.
    Leonel produz há anos alguns dos melhores livros de arte do país e foi um operoso secretário estadual da Cultura do Rio de Janeiro.

  96. JORGE DE XERÉM.

    -

    25/01/2014 às 15:06

    Caro Jorge, lamento, mas ss regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  97. Marize Macedos

    -

    25/01/2014 às 14:22

    Infelizmente o problema é real!
    Trabalho com o Museu de Artes e Ciências em Aparecida do Rio Negro, uma pequena cidade há 63 Km de Palmas Tocantins. É uma instituição privada que tem projetos voltados para educação. Tenho enfrentado problemas de rejeição das escolas locais, devido os coordenadores e gestores pensarem que ao ir ao museu os alunos deixam de estudar e estão apenas em um passeio. Essa visão é extremamente inaceitável, mas é a realidade que enfrentamos.
    “Temos registros das atividades que desenvolvemos”.

  98. Adeneides

    -

    25/01/2014 às 13:52

    isso pra mim tb é novidade, pois trabalhei mais 25 anos em uma escola da rede publica, em varias escolas, e nunca vi nenhuma visita ao museu, periodo de 82 a 2010,

  99. Isabel Fonseca

    -

    25/01/2014 às 10:31

    Lamentável!!!Este é o nosso ministro da Educação!Por isso nossa Educação é do jeito que é e temos os políticos que temos!!!!Pena!Muita pena do povo brasileiro em especial a classe mais pobre!!

  100. C.A.Cró

    -

    25/01/2014 às 9:48

    Se o sr ministro da educação, não gosta de museus, porque então o governo federal liberou verbas (com suspeita de super faturamento) para a construção do museu do Lula, ops foi mal, do trabalhador, aqui em S. B. Campo?

  101. Rodrigo Gordo

    -

    25/01/2014 às 9:41

    O que Mercadante tem a ver com Educação?

  102. Thiago

    -

    25/01/2014 às 9:15

    Mas o que museu tem a ver com o MINISTERIO da educação mesmo?

  103. Marcos Faria

    -

    25/01/2014 às 8:17

    Fico triste, pois um comentário tão infeliz, me leva a acreditar que o Sr ministro “da falta de cultura”, nunca teve a oportunidade de visitar um museu e apreciar suas obras e informação. Bom… ao menos sabemos que não será construído um museu da ignorância. esse teria um acervo imensurável e precisaria. de muito espaço. <:0)

  104. sandovalsader

    -

    25/01/2014 às 6:56

    Não publico ofensas, caro Sandoval.

  105. gajjjego

    -

    25/01/2014 às 2:10

    Não publico comentários com o tipo de linguagem utilizado no texto que você enviou. Críticas, sim. Ofensas, xingamentos e coisas do tipo, não.

  106. Gabriel Birkhann

    -

    25/01/2014 às 1:09

    Não publico insultos, meu caro. Critique de forma civilizada e aí publico sem problemas.

  107. Gabriel Birkhann

    -

    25/01/2014 às 1:07

    Debate de intelectual versus um **** **** do petismo.

  108. Oliveira

    -

    25/01/2014 às 0:16

    Mercadante sabe falar? kkkkkkkkkk

  109. Nolan Leve

    -

    25/01/2014 às 0:02

    O ilustre ministro nos faz pensar e as vezes,até ter certeza, de que em seu crânio possa existir mais do que massa encefálica.

  110. waldemir

    -

    24/01/2014 às 22:36

    ministro do que mesmo?

  111. Vanessa Signorini

    -

    24/01/2014 às 22:02

    Museu é uma das mais produtivas experiências que os educandos podem vivenciar; fica na alma, na história, na lembrança dos então estudantes. Obras de arte enriquecem a alma. Talvez por isso o Ilustre Ministro da Educação desconheça a importância dos patrimônios históricos… ele não atuou como professor. E talvez estivesse ausente às visitas museológicas quando estudou – pra ser ministro!!

  112. Vanessa Signorini

    -

    24/01/2014 às 22:02

    Museu é uma das mais produtivas experiências que os educandos podem vivenciar; fica na alma, na história, na lembrança dos então estudantes. Obras de arte enriquecem a alma. Talvez por isso o Ilustre Ministro da Educação desconheça a importância dos patrimônios históricos… ele não atuou como professor. E talvez estivesse ausente às visitas museológicas enquanto estudante.

  113. Junia Magalhães de Almeida

    -

    24/01/2014 às 21:50

    E vocês ainda se espantam com perguntas do genêro vido de um Ministro Petralha? Basta lembrar dos conselhos da Marta Suplicy quando tivemos problema com os atrasos de vôos.

  114. Thales Ribeiro de Magalhães

    -

    24/01/2014 às 21:41

    Acho que o ministro não sabe ler, daí a pergunta de ignorante.Terá muita dificuldade de ler este texto esplêndido do Leonel Kas. Imagino agora o que ele tem em suas idéias quanto ao Ministério.

  115. jose paulelli

    -

    24/01/2014 às 21:19

    graças a DEUS no museu não tem BBB ufaaaaa

  116. MARIA DO CARMO GULMINI VENANCIO

    -

    24/01/2014 às 20:51

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  117. Dioglas José Martinuci

    -

    24/01/2014 às 20:51

    Seu comentário, além de mentir sobre a revista, era ofensivo ao colunista Leonel Kaz e foi deletado.
    Ah, diferentemente do que você imagina, VEJA paga muito bem a seus colunistas. Muuuuuito bem.

  118. Lenninn

    -

    24/01/2014 às 20:12

    Peço que critique sem xingar ou ofender. Não publico textos como o que você enviou e eu deletei.

  119. Ronaldo

    -

    24/01/2014 às 18:54

    Já teve um do mesmo partido, se não me engano, que disse que os cachorros são seres humanos como qualquer um. O que causa estranheza, se o Mercadante pergunta uma idiotice dessas? Ele é ministro da Educação e educação em nosso país é uma coisa bem ligth. Deixemos ele falar o que quiser. Quem liga?

  120. Socorro Lula

    -

    24/01/2014 às 16:59

    Eu não gosto de Museus,porque não consigo entender o que fez o pintor fazer aquela tela.Isso não quer dizer que sou burra ou ignorante.Prefiro um bom livro.
    Agora o Ministro da Educação não pode fazer uma pergunta dessa.

  121. ALCIDES

    -

    24/01/2014 às 16:52

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  122. Beto

    -

    24/01/2014 às 16:01

    Como isso deve ter repercutido la fora?
    Vergonha…

  123. Gilberto

    -

    24/01/2014 às 15:28

    Eu gostaria de acreditar que essa frase/pergunta tenha sido retórica, porque se não…

  124. Rachel Cedro

    -

    24/01/2014 às 15:07

    Estou com vergonha!

  125. Teuffel

    -

    24/01/2014 às 13:49

    Desculpe, Teuffel, mas não abrigamos ofensas e xingamentos no blog.

  126. Tuco

    -

    24/01/2014 às 12:53

    .
    .
    .

    Meu comentário, extremamente pertinente,
    é ceifado. Bonito, né? Dar a bunda a chutes
    é crime? É feio? Macula este espaço?
    Então avisem a Ilustre Colaboradora
    maria jose moura – 23/01/2014 às 20:57 para
    não mais dar a dela!
    Este espaço de há muito é o cafofo dos
    petralhas na Veja.
    Lamentável ser capitaneado por um menir do
    tão esfarrapado Jornalismo Brasileiro!
    Estou pasmo!

    .
    .
    .

  127. rubia

    -

    24/01/2014 às 11:38

    E o que tem um ***** a ver com um Ministério da Educação?!

  128. Angela

    -

    24/01/2014 às 10:53

    Em que contexto o Mercadante fez esta pergunta? Sabe-se que muito pode ser manipulado para o bem ou para o mal do que quer que se diga, dependendo dos interesses do interlocutor. Uma frase solta significa muito pouco. Se,de fato, o Ministro não vê ligação entre as duas coisas, sua visão sobre a educação parece um pouco estreita, mas tenho minhas dúvidas a esse respeito.

  129. fabio

    -

    24/01/2014 às 10:13

    Leonel Kaz, com 40 anos de jornalismo, ex-secretário estadual da Cultura do Rio de Janeiro, intelectual e crítico de arte respeitado, não iria escrever sobre “lorotas”.

    Essa foi a resposta que colocaram no meu comentário. Agradeço, e eu sei quem é Leonel Kaz. Mas vocês estão dizendo que eu tenho que basear na credibilidade do autor, que isso valida tudo. Isso é apelo a autoridade. Eu continuo sem saber de onde saiu tal afirmação do ministro. Só quero saber a fonte real e sob qual circunstância o ministro disse isso. Outras pessoas também estão questionando.

  130. Silvia

    -

    24/01/2014 às 8:32

    Infelizmente minha pergunta é: o que que o Brasil tem a ver com educação?

  131. Octavio Perelló

    -

    24/01/2014 às 0:45

    Tive oportunidade de conviver um pouquinho só com o Leonel Kaz quando trabalhei na assessoria de imprensa da Bradesco Seguros e Previdência. O bastante para conhecer a inteligência aguçada que o seu olhar arguto anuncia. Tem suas digitais o melhor projeto cultural financiado pela seguradora, que é a edição de grandes livros de arte que a cada edição (anual) contava os últimos cem anos de história do país pela ótica de uma expressão artístico-cultural do país. Acompanhei as edições “Cem Anos de Música”, “Cem Anos de Teatro” e “Cem Anos de Futebol”. Leonel é um dos sujeitos realizadores que admiro neste país.

  132. carlos matias

    -

    24/01/2014 às 0:26

    ministro da educação ??? … isto explica tudo…

  133. fabio

    -

    23/01/2014 às 23:26

    É lamentável um ministro fazer tal questionamento. O problema é que eu fui pesquisar e vi um monte de página sobre o caso e muita gente xingando, mas em nenhum lugar explicava porque ele disse isso, em que situação. Por acaso o ministro fez mesmo tal questionamento? Ou isso é mais uma daquelas lorotas espalhadas pela internet? Gostaria de saber.

    Leonel Kaz, com 40 anos de jornalismo, ex-secretário estadual da Cultura do Rio de Janeiro, intelectual e crítico de arte respeitado, não iria escrever sobre “lorotas”.

  134. Ana celia

    -

    23/01/2014 às 23:06

    Essa frase foi dita por ele de que forma? isso não foi deturpado?

  135. DMAXX

    -

    23/01/2014 às 22:05

    Quero saber o contexto da pergunta para saber porque ele respondeu isso. Tem como?

  136. maria jose moura

    -

    23/01/2014 às 20:57

    ministro Mercadante e um homem inteligente e tem dado certo como ministro do ministerio que estava ocupando ate esses dias que era o ministerio da educaçao e se for transferido para a casa civil tambem certamente vai dar certo, a paz do senhor a todos nos.

  137. Isabel Passos Maracaja

    -

    23/01/2014 às 19:03

    Essa inacreditável pergunta, feita pelo Ministro da Educação ( logo será Ministro Chefe da Casa Civil) , deixou explícita sua brutal ignorância quanto a Educação, além de, o porquê da situação lamentável da Educação no Brasil…..Que vergonha!…

  138. Yone

    -

    23/01/2014 às 18:57

    Essa frase jamais foi dita. Surgiu da cabeça de algum dos (des)informantes do blog de Ricardo Noblat de 03/06/2013, de onde foi apagada simplesmente porque não tinha fonte fiável. O que Aloizio Mercadante falou sobre museu na Fundação Joaquim Nabuco foi: “Se temos o único museu do MEC (o Museu do Homem do Nordeste, no campus da Fundaj), então que sua experiência seja replicada no resto do Brasil, formando uma rede de museus nas universidades…” Ou seja, o Ministério da Educação cuida de um único museu (porque os demais museus federais estão ligados ao Ministério da Cultura). A partir disso, a frase foi grossseiramente transformada em “educação não tem nada a ver com museu” ou “o que o museu tem a ver com educação?” Enfim, foi mais uma bobagem dessas que são tolamente repetidas na Internet por quem tem interesses que passam ao largo de qualquer compromisso com fatos.

  139. Yone

    -

    23/01/2014 às 18:54

    Essa frase jamais foi dita. Surgiu da cabeça de aluns dos (des)informantes do blog de Ricardo Noblat de 03/06/2013 simplesmente porque não tinha fonte. O que Aloizio Mercadante falou sobre museu na Fundação Joaquim Nabuco foi: “Se temos o único museu do MEC (o Museu do Homem do Nordeste, no campus da Fundaj), então que sua experiência seja replicada no resto do Brasil, formando uma rede de museus nas universidades…” Ou seja, o Ministério da Educação cuida de um único museu (porque os demais museus federais estão ligados ao Ministério da Cultura). A partir disso, a frase foi grossseiramente transformada em “educação não tem nada a ver com museu” ou “o que o museu tem a ver com educação?” Enfim, foi mais uma bobagem dessas que são tolamente repetidas por quem tem interesses que passam ao largo do compromisso com fatos.

  140. Saraiva

    -

    23/01/2014 às 18:27

    Como não chama-lo de burro, cabeçudo ou orelhudo?

  141. Thomas Oliveira

    -

    23/01/2014 às 18:15

    Para educação que eles querem concordo plenamente com ele!!! Muito mais interessante rolezinho no shopping para manter o povo burro e alienado ao governo destes hipócritas!!!

  142. Joaquim Rodrigues

    -

    23/01/2014 às 18:05

    Parabéns pela suas ponderações, quero crer que o ministro mercadante ao falar, ele talvez estivesse querendo usar suas expressões num contexto, eu não estava lá. Ele, o ministro não é nem um pacóvio, não que eu queira defende-lo é que vejo dos dois angulo.

  143. Claudio Picollo

    -

    23/01/2014 às 18:03

    Sr. Ministro: A interdisciplinaridade nos mostra, com mais de centenas de trabalhos publicados e defendidos, que museu tem a ver com Educação e muito. Não só com a museologia, mas com o Direito, Economia, Cinema, Teatro, Dança, Jornalismo, História, Geografia, Letras, Línguas Estrangeiras, Literatura, Economia, com as Licenciaturas, que deveriam ser obrigatórias para TODOS os cursos universitários do país, etc.
    Basta o senhor atentar para a metáfora do “olhar vigiado” e da “escuta vigada”, as duas grandes metáforas que englobam as categorias da Interdisciplinaridade Brasileira, o senhor, inteligente como é, perceberá que não há nada fragmentado, partido, esfacelado, especializado e principalmente, disciplinar. Olhar de maneira fragmentada é tacanho e burro, mas comodo tanto para aqueles que lidam com a educação disciplinarmente, como para aqueles professores que se acham prontos, ‘estrelas’ (cadentes/decadentes) diria eu, que dormem em berço esplêndido assim como a nossa famigerada Educação. A atitude interdisciplinar é um elemento faltante nos Ministérios, no governo como um todo, ( os motivos disto o senhor sabe melhor do que eu) e em vários setores da sociedade brasileira.

  144. Domingos Neto

    -

    23/01/2014 às 17:59

    Putz!!!
    O que dança tem a ver com música???
    O que fome tem a ver com comida???
    O que corrupção tem a ver com crime???
    O que o pt tem a ver com quadrilha???

  145. Cláudio Rúbio

    -

    23/01/2014 às 17:01

    a pergunta “O que o museu tem a ver com educação?” também inspirou Dissertação de Mestrado apresentada por FERNANDA SANTANA RABELLO DE CASTRO ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, como parte dos requisitos necessários à obtenção do título de Mestre em Educação, sob orientação do Professor Doutor Roberto Leher.

  146. luiz

    -

    23/01/2014 às 16:44

    O que se pode esperar de um bossal como esse? Se diz economista e na primdira hora determinou que o plano Real cracassaria. Se permite liderar pelo analfabeto e PeTIsta. Haja mediocridade e incomPeTência.

  147. Jesse James

    -

    23/01/2014 às 15:43

    Alguém citou o Ronaldo que disse que “Não se faz copa com hospitais”. Esse, pelo menos é um jogador de futebol que está organizando a copa. Um ministro da educação falar uma bobagem dessas é muito mais grave, em um país sério seria passível de ser destituído.

  148. Eduardo Carrilho Cruz

    -

    23/01/2014 às 15:18

    Agradeço ao Mercadante, que não gosta muito de Museus, por ele ter falado essa barbárie, pois assim pude ler um belo texto sobre o que é o Museu…
    O “outro” falou que a Copa não se faz com hospitais… e assim a gente vê como o Brasil está sendo levado… “entre as cochas” e cada um faz uma telha diferente, que não se enquadra… e ninguém e nada “fica protegido por esse telhado”

  149. Maricea Rezende Almeida

    -

    23/01/2014 às 15:14

    Excelente resposta, mas sera que o sr. Mercadante entendeu ? Alias o que um leigo pode fazer para melhorar a educacao ?

  150. Claudio Maroco Junior

    -

    23/01/2014 às 15:12

    O sr mercadante(minúsculo), como todo político profissional, primeiro não entende nada do cargo que ocupa, não por mérito, mas por politicagem, e segundo não tem interesse em Museus, porque são locais onde se cultuam o passado e as memórias de uma maneira geral, e no Brasil não é de interesse dos políticos que exita esta cultura, quanto menos nos lembrarmos do passado, melhor para quem não fez nada que se aproveite, até agora, um Povo sem memória é Povo mais fácil de ser enganado e manipulado.

  151. jose juca pinto de almeida

    -

    23/01/2014 às 14:43

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  152. Luiz Mario Lampert Marques

    -

    23/01/2014 às 14:38

    Museu não é lugar para Mercadantes!!

  153. Luiz Eduardo Paes Leme

    -

    23/01/2014 às 14:04

    Infelizmente as palavras de Leonel Kaz se assemelham a jogar pérolas aos porcos. Se tivesse exaltando lulla, o doutor em puxa-saquismo escreveria uma nova tese não com 10, mas com 95 artigos. Fosse um museu para colecionar as diatribes do chefe , mercadante(em minusculas, por sua insignificância) faria um poema a Rose.

  154. Angelo

    -

    23/01/2014 às 14:03

    Meu Deus!!!! isso é PT….para os petista não existe museu.. pois se existirem os museu o PT não tem história… só corrupção….

  155. Claudio - Curto e Grosso

    -

    23/01/2014 às 13:45

    Nos museus, nós estamos sendo e as obras são. Pra quem não conhece e não tem intimidade com o vernáculo ou pra quem tem intenções escusas, THE END, FIN, FINALE – ACABOU.

  156. Angelita

    -

    23/01/2014 às 13:39

    kkkkk mais um leigo na educaçao!

  157. Fernando C de Mello

    -

    23/01/2014 às 12:49

    Na cegueira monocrática das ideologias que visam somente o Uniforme e a Massa, com a supressão do Oposto; não cabe a percepção das nuances que fazem únicos os processos de Individuação. A eperiencia dos Museus é fundamental aos Sinestésicos, desconsiderados na maior prte das vezes pelos educadores visuais e/ou auditivos.
    Mas,é inaceitável que isso aconteça na cabeça de algum Ministro da Educação ou a algum homem público!
    Pobre população brasileira que não merece estes oportunistas estrupícios culturais que só estão aí para explora-la!

  158. Bruno Sampaio

    -

    23/01/2014 às 12:45

    EXcelente.

  159. Geraldo Laurentino

    -

    23/01/2014 às 12:17

    Isto é uma perguntade um ex-ministro da ciência e Tecnologia, da Educação e futuro Casa civil. Então não precisa dizer mais nada quando observamos a educação esfacelada e cada vez mais sem importância para nossos governantes.

  160. JOÃO BRITO

    -

    23/01/2014 às 12:02

    Depois que o lula detonou, triturou e passou com a máquina de asfalto em cima do senador aloísio mercadante, (no episódio do senador sarney no governo lula) o ilustre ex senador ficou desmiolado!

  161. Mas de quem ele é ou foi ministro de estado?

    -

    23/01/2014 às 11:48

    “Penas amestradas” eu não digo quem é porque minha mãe me deu a educação que falta em você.
    Não publico seu comentário não por criticar quem quer que seja, mas por conter ofensas e xingamentos, o que aqui não tem vez.

  162. Nelson Piffer Jr.

    -

    23/01/2014 às 10:48

    Claro que ele perguntou isso, é um ser desqualificado p/ qualquer cargo político; por isso fica ‘ pulando’ de ministério em ministério.

  163. Manoel Marlos Pereira Cavalcante

    -

    23/01/2014 às 9:58

    Prezado Manoel, entendo sua indignação, e compartilho dela, mas precisei deletar seu comentário porque ele estava repleto de grosserias e xingamentos, e isto eu não publico.
    Da próxima vez, vamos manter a linha, tá?
    Abraço

  164. marlala

    -

    23/01/2014 às 9:56

    Ele esta certo. Partindo do principio que nossos políticos não tem interesse na civilização, não há que se falar em educar uma criança. Para gostar de conhecer um Museu e suas histórias, é necessário gostar da educação. Desta forma, fica evidenciado que havendo educação o povo não permitira corrupção.

  165. Caio Frascino Cassaro

    -

    23/01/2014 às 9:27

    Prezado Setti:
    A pergunta é outra: O que é que Aloizio Mercadante tem a ver com educação? Aliás, o que é que Aloizio Mercadante tem a ver…com qualquer coisa?
    Abs

  166. Luciola Mello

    -

    23/01/2014 às 9:26

    Há muitas respostas que deveriam ser dadas às atuais autoridades em Educação.

  167. Rafael

    -

    23/01/2014 às 8:30

    A cada dia que passa desanimo mais com os PTralhas… tiveram uma oportunidade ímpar de entrarem para a história da humanidade ao elegerem o Lula em 2002 e o que fizeram com isso? Se igualaram a corja política que já dominava o país e pior: quiseram fazer mais mal ao país do que, até então, nenhum outro governo tinha feito.
    Um bando de cretinos. Fazendo uma alusão à doença cretinice, o PT revoluciona a ciência, mostrando que cretinice é contagiosa!

  168. ana maria elisa choueri

    -

    23/01/2014 às 7:49

    Engraçado… Não há nenhuma publicação, nenhuma jornal dizendo que o Mercadante disse tal coisa em sua visitia à Fundaj, há um ano (pois é, uma ano). Ao contrário, aliás, como pode ser visto no site da Fundaj. Outra coisa bem interessante: por que motivo a Veja republicou um artigo que foi originalmente publicado em junho do ano passado, e baseado em algo que não foi dito, de fato? Se quer saber o que foi dito na reunião da Fundaj, segue o link: http://www.fundaj.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2495:ministro-da-educacao-aloizio-mercadante-participara-da-1o-reuniao-em-2013-do-conselho-deliberativo-da-fundaj&catid=44:sala-de-impressa&Itemid=183

  169. Alessadro Correia da Silva

    -

    23/01/2014 às 6:30

    Só esta pergunta desqualifica o senhor Aluizio Mercadante do cargo que ele ocupa. Como um ministro da educação faz uma pergunta tão estúpida? Daí se tem uma ideia de como o governo petista é criterioso na escolha de seus ministros. Bela resposta de Leonel Kaz. Palavras de um verdadeiro mestre. Leia, senhor minhistro, e aprenda. Educação é coisa séria.

  170. Alessadro Correia da Silva

    -

    23/01/2014 às 6:27

    Só esta pergunta desqualifica o senhor Aluizio Mercadante do cargo que ele ocupa. Como um ministro da educação faz uma pergunta tão estúpida. Daí se tem uma ideia de como o governo petista é criterioso na escolha de seus ministros. Bela resposta de Leonel Kaz. Palavras de um verdadeiro mestre. Leia, senhor minhistro, e aprenda. Educação é coisa séria.

  171. eusebio henrique gatti

    -

    23/01/2014 às 6:25

    O sr. Leonel deveria perguntar prá esse ***** o que significa IRREVOGAVEL.

  172. Sidnei

    -

    23/01/2014 às 2:41

    Estava lendo um texto sobre a situação da Argentina. e comentava que a mesma encontra numa situação terrível,e para cambiar, vai nescessitar muitos anos de uma boa politica com ética. E vejo nisso o futuro do Brasil. Pois esses governantes sacam o dinheiro do povo para ajudar outros Países e a seus interesses, esquecendo do povo.E quando faltar dinheiro é só aumentar os impostos..Pergunto: até quando? Para sempre? |Será?

  173. Marluce

    -

    23/01/2014 às 2:38

    Grande lição de um Mestre! Incrivel este Ministério Petista, mediocres e ignorantes. Parece que uma macumba dar sustentabilidade a este governo!

  174. Maria de Lourdes

    -

    23/01/2014 às 1:52

    O que esse Mercadante sabe sobre Educação? Nada! Museu é cultura, história, consequentemente, Educação. O que esse cara está fazendo nessa pasta? Coisas de PT que quer se perpetuar no Poder a qualquer custo. Eles não querem um povo culto mas ignorante o mais possível para se vender com o Bolsa Família…

  175. RQ

    -

    22/01/2014 às 22:55

    Que Aloizio Mercadante tem a ver com educação ?? Nada !!! Afinal é uma pessoa sem conteúdo para o cargo que ocupa.

  176. moacir 1

    -

    22/01/2014 às 22:55

    Setti,
    Eu estava na Europa quando você publicou pela primeira vez este post.Era verão e em todos os museus que visitamos havia grupos e mais grupos de criancinhas.Lá no Rodin contei 5 galerinhas.Eles se comportam esplêndidamente.Ouvem com atenção as descrições das obras,questionam de forma pertinente,se encantam.
    Sabe uma coisa que me emociona,todas as vezes que assisto a uma flahshmob? As crianças cantando as lyrics da Ode a Alegria ou da Traviata.E os bebês
    apanhando o ritmo da música e da dança com as cabeças e as mãos.
    Começo a duvidar que viverei o suficiente para ver um Brasil civilizado.
    Seria necessário que se fizesse uma revolução na Educação.
    Esta é a grande desigualdade social deztepaiz- essa petista falta de edukassão.Um país dividido entre os que tem acesso à informação e aqueles que mesmo se tivessem não teriam capacidade de ler e interpretar um texto.
    Além de vergonha alheia pelo mentalmente prejudicado Ministro,sinto muito pena das nossas crianças.
    abc

  177. JOSÉ CARLOS DA SILVA

    -

    22/01/2014 às 22:49

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  178. Rosalvo Tadeu Passeri

    -

    22/01/2014 às 22:49

    O que eu não acredito é algumas pessoas acharem estranho esse pessoal do PT fazer perguntas desse tipo…..o que vocês esperam dessa ptzada?? coisa séria?

  179. marlene bieger

    -

    22/01/2014 às 21:07

    Afinal ele é ministro ele pode falar qualquer bobagem , agora nós professores não podemos nem exigir um salário digno…muito menos falar bobagem que somos processados..

  180. henrique rosa

    -

    22/01/2014 às 20:26

    PT nunca mais.

  181. Ilce Liger

    -

    22/01/2014 às 20:24

    O Museu (ao ar livre ou fechado) Senhor Ministro é o lugar no mundo onde podemos realmente admirar, constatar e compreender melhor nossa história. No Museu podemos “recriar” nas nossas mentes ambientações que já não existem senão nos livros que estudamos. Essa é uma relação direta com a EDUCAÇÃO!
    No Museu Senhor Ministro temos a oportunidade única de viajar em qualquer tempo e constatar que temos uma historia humana de luta e de evolução. Ele nos faz respeitar o próximo e aquelas culturas diferentes da nossa, que não nos permite deixar emergir o etnocentrismo, porque percebemos que podemos ser Iguais e diferentes.
    O Museu nos faz ter esperança de um mundo melhor, porque através deles percebemos a evolução das nossas tecnologias, dos nossos sentimentos, da nossa humanidade.
    O Museu é um espaço humano e democrático porque nos permite o acesso livre ao conhecimento, através do contato direto com nosso objeto de estudo, ele nos permite pensar por nós mesmos e não pelo que nos dizem.
    Sempre visitei Museus aqui no Brasil, e durante minha permanência na Itália e pelo mundo afora (já que sou cidadã italiana também), fiz longas viagens de Milão para outras cidades na Itália com um único intuito: Visitar alguma Mostra ou obra exposta em algum Museu.
    Sou autora de um livro de Moda (adotado por várias Universidades brasileiras) e no primeiro capitulo falo da “evolução estilística dos povos antigos” e para falar disso viajei e visitei muitos museus, que fazem parte do meu acervo pessoal de conhecimentos. Essa experiência de me confrontar ao vivo em museus com o objeto de estudo, devo confessar que é uma experiência única!
    Só posso imaginar que o Senhor não deva conhecer a definição do Estatuto do “International Council of Museums” que diz o seguinte: “É Uma Instituição permanente, sem fins lucrativos, ao serviço da sociedade e do seu desenvolvimento. Aberta ao público e realiza pesquisas que se relacionam com a evidencia material e imaterial das pessoas e do meio ambiente; adquire, conserva, comunica e, SOBRETUDO AS EXPÕE PARA FINS DE ESTUDO, EDUCAÇÃO E FRUIÇÃO.”
    E escrevo também como a Itália (país com o maior número de patrimônio cultural da humanidade) define MUSEU no código dos bens Culturais: “Estrutura permanente que adquire, catálogos, conserva, ordena e expõe o património cultural PARA FINS DE EDUCAÇÃO E ESTUDO“.
    Seria bom incentivar os brasileiros a frequentarem os Museus, porque com certeza num futuro, espero não tão distante, quem sabe nossas editoras não precisarão comprar tantos direitos autorais de autores europeus, norte americanos, porque lá os governos incentivam a pesquisa, a leitura, a VISITA AOS MUSEUS, isso gera ótimos alunos, ótimos pesquisadores, ótimos autores, ótimos livros e sem esquecer Senhor Ministro que traz conhecimento, tecnologia, democracia e divisas para o país!
    ILCE LIGER

  182. DIZ

    -

    22/01/2014 às 19:36

    O que Aloizio Mercadante tem a ver com a Educação??????

  183. waldemar

    -

    22/01/2014 às 19:19

    Este senhor herói da rendição, ou o irrevogável revogável! o que esperar de um petista; eles tem acapacidade de ser pior no dia seguinte!!!

  184. mauro

    -

    22/01/2014 às 18:50

    E o Mercadante é um expoentes mais destacados da “inteligencia” petista….como se isso fosse realmente possivel…

  185. Selma Gali Brusacatto

    -

    22/01/2014 às 18:44

    O……….,museu é lugar onde se aprende a respeitar os limites,você admira e não toca,você admira e não rouba,vocé admira e reconhece o trabalho alheio ,você admira e, como não tem capacidade pra tanto,curva-se diante de uma bela obra ,você admira e percebe que não precisaram de dinheiro ,mas sim de esforço,você admira e agradece por te levarem a uma viagem de magia e encantamento.Agora me responda ,distribuir cartilha ensinando a fazer sexo e como usar drogas tem a ver com educação ou com a promiscuidade?

  186. Candida Luz

    -

    22/01/2014 às 17:49

    Obrigada ser o guia da pela nova visão nova de museu. Aprendi muito lendo seu texto. Parabéns.

  187. Reni Martins

    -

    22/01/2014 às 17:46

    Bom, Mercadante vai ajudar na vitória de Dilma em 2014, apesar da imprensa direitista demo-tucana e da parte do judiciário de ética seletiva. E, em 2018 a volta triunfal de Lula.

  188. ROBERTO ORSINI

    -

    22/01/2014 às 15:59

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  189. Yone

    -

    21/01/2014 às 22:49

    “Rede Nacional”? Quando? De passagem: não estou defendendo nenhum partido. O que defendo é o mínimo de responsabilidade na veiculação de informação. No mais, sugiro ao senhor que não se irrite só porque não consegue identificar a fonte dessa bobagem. Console-se: ninguém conseguiu até agora. Cordiais saudações.

  190. Ricardo

    -

    30/11/2013 às 11:15

    Yone… ele falou em rede nacional esta frase. PONTO. Vai defender o PT no inferno.

  191. Yone

    -

    06/09/2013 às 1:37

    Afinal qual é mesmo a fonte dessa suposta frase de Mercadante? Vi que foi apagada do blog de Ricardo Noblat de 03/06/2013. Por quê? Começo a acreditar que a tal frase, que causou tanta comoção, não existiu ou, se existiu, foi, no mínimo, descontextualizada. O que Aloizio Mercadante falou sobre museu na Fundação Joaquim Nabuco foi: “Se temos o único museu do MEC (o Museu do Homem do Nordeste, no campus da Fundaj), então que sua experiência seja replicada no resto do Brasil, formando uma rede de museus nas universidades…” Ou seja, o Ministério da Educação cuida de um único museu (porque os demais museus federais estão ligados ao Ministério da Cultura). Parece que a frase foi grossseiramente transformada, por Noblat ou por algum dos seus (des)informantes, em “educação não tem nada a ver com museu” ou “o que o museu tem a ver com educação?” Enfim, foi mais uma bobagem dessas que circulam pela Internet e acabam ganhando status de verdade absoluta. Em proveito de quem?

  192. Mansur Assef

    -

    13/08/2013 às 11:13

    Caro Mansur, como venho lembrando incansavelmente para os amigos do blog, as regras para publicação de comentários — que têm chamada permanente na home page para que possam ser consultadas — vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  193. Leonel

    -

    05/08/2013 às 18:11

    Não me espantei. O que poderíamos esperar de um discípulo do Lula?

  194. Vanja Maria Lopes de Andrade Lima

    -

    02/08/2013 às 14:40

    Excelente essa explicação para o ignorante PTista Aloísio Mercadante. Aliás, qual desses PTistas não é ignorante??? SÓ SAIREMOS DO BURACO NESTE PAÍS ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO E COM GOVERNANTES DESTE TIPO….NÃO SAIREMOS MESMO!!!!
    A preocupação deles é a Bolsa-Voto, ops, Bolsa-família, pra poderem se reeleger e não deixar o poder bem como, as benesses e ganhos que ele traz!!!! Dinheiro dado em troca de voto, pois a exigência de frequentar as aulas NÃO é cobrada, pois os vereadores não permitem que se tire o benefício dos eleitores…. E nós pra onde vamos?

  195. Simone Lopes

    -

    02/08/2013 às 10:59

    Não gosto do PT e acho deplorável a maneira em que eles aparelham o Estado. Mas, não podemos ser injustos e falar bobagens. Eu, a princípio, tomei um susto ao ver o questionamento feito de maneira isolada, e fui procurar o contexto no qual o Ministro da Educação, Aloízio Mercadante, falou esta frase. A frase nasce no seguinte contexto: o ministro reflete sobre a necessidade dos diferentes equipamentos de cultura dialogar com a educação, questiona o fato do FUNDAJ/MEC dispor de apenas um museu e, como caminho argumentativo de reflexão, questiona “O que é que museu tem haver com educação?” Logo, o contexto demonstra que a argumentação não tem haver com a ausência de entendimento do ministro sobre o papel do museu na educação, mas uma proposta de reflexão sobre o abandono do museu na educação.

  196. Breno

    -

    01/08/2013 às 11:11

    Museu é um lugar que petista não entra por pura opção

  197. cida

    -

    01/08/2013 às 8:45

    será que o ministro vai saber o que é tridimensional ???????

  198. marcio

    -

    31/07/2013 às 17:31

    Seu comentário mal redigido e ofensivo foi deletado.

  199. Haroldo

    -

    31/07/2013 às 17:26

    Pobre de nós ou pobre ministro? Será necessário mais uma manifestação para pedir em pró dos museus que não foram incluídos nos pedidos de investimentos na educação? A impressão que se tem é que ler, assinar o próprio nome, contar até dez e quem sabe somar e subtrair sejam os projetos destinados a esse país a maior parte da população. Sim, porque não acredito que os herdeiros dos Sr Ministro não tenham visitado um museu para admirar e aprender mais sobre a cultura do próprio país ou outro, de um povo sei lá de onde ou civilização extinta.

  200. Lara

    -

    31/07/2013 às 16:30

    Para mim, museu é onde a história vive! Toda vez que entro em um é como se toda a história contida ali falasse comigo e me contasse visualmente como ocorreram as coisas. É de minha opinião que as pessoas aprendem mais quando todos os sentidos estão envolvidos e talvez, seja esse o medo do senhor Aloízio…É uma pena que nem o próprio ministro seja alguém educado…

  201. Elson Antônio da Silva

    -

    31/07/2013 às 10:45

    Gostaria de saber se os repasses federais aos Museus Nacionais provém do Ministério da Educação ou do Ministério da Cultura. Acho que está faltando conhecimento a todos nós.

  202. Celso Pimentel

    -

    31/07/2013 às 9:54

    Lembrando que a não ser pela Veja, não encontrei ainda nenhuma nota em outras revistas semanais nem áudio ou vídeo em outros sites. Somente a informação no site da própria Fundação, que diz:
    O ministro enfatizou que todos os produtos da Fundaj precisam dialogar sempre com a Educação. “Se temos o único museu do MEC (o Museu do Homem do Nordeste, no campus da Fundaj Casa Forte), então que sua experiência seja replicada no resto do Brasil, formando uma rede de museus nas universidades e motivando as escolas a ocuparem esses espaços”

  203. Celso Pimentel

    -

    31/07/2013 às 9:25

    O que aconteceu é que a pergunta foi retirada do contexto, colocada isoladamente, e todos passaram a vendê-la pelo preço que compraram.
    aqui ele mesmo explica, muito bem, o que museu tem a ver com educação… com todo o contexto a que tem direito:
    http://www.fundaj.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2495%3Aministro-da-educacao-aloizio-mercadante-participara-da-1o-reuniao-em-2013-do-conselho-deliberativo-da-fundaj&catid=44%3Asala-de-impressa&Itemid=183

  204. Celso Pimentel

    -

    31/07/2013 às 9:07

    Seja um profissional ético e coloca aê o vídeo ou a gravação!

    “Profissional ético” não precisa de vídeo ou gravação! Você vive em que século? No XIV?
    Getúlio Bittencourt só precisou de sua memória para a célebre entrevista do general-presidente Figueiredo em que dizia o famoso “prendo e arrebento” para quem se opusesse à abertura política que ele pretendia fazer.
    Você está delirando e não tem ideia do que é trabalhar em qualquer veículo de imprensa do planeta se acha que todos os jornalistas gravam tudo dos entrevistados. Já ouviu falar em memória e bloco de anotações?
    Sua defesa de uma nulidade como é o ministro Aloizio Mercadante é comovedora, mas para tanto está indo longe demais.
    E no dia em que eu precisara de lições de ética de alguém como você é sinal de que o mundo estará acabando.

  205. Celso Pimentel

    -

    31/07/2013 às 9:00

    Educado pra vocês são aqueles que não questionam e dizem amém para tudo que escrevem.

    Não, são aqueles que se comportam com civilidade. Você está tentando desmentir mais de 10 mil comentários críticos já publicados neste espaço.

  206. Celso Pimentel

    -

    30/07/2013 às 18:21

    Claro que é preciso, se fosse uma bobagem vocês não perderiam tempo publicando este tipo de matéria, ou vocês pensam que nós somos otários?

    Não penso que os leitores ou que você sejam otários. Agora, que você tem pouca educação, disso não tenho dúvida.

  207. Celso Pimentel

    -

    30/07/2013 às 18:15

    Tá Bom!

  208. Celso Pimentel

    -

    30/07/2013 às 17:05

    Num museu lá no Recife?
    Se não tiver um vídeo ou uma gravação, como vamos saber se a notícia não foi plantada?
    Grato

    Um jornalista sério como Leonel Kaz, que já foi secretário da Cultura do Rio de Janeiro, não comentaria uma “notícia plantada”.
    Quer dizer que é preciso vídeo ou gravação para alguém registrar uma bobagem dita por um político?
    Eu, em minha vida de repórter, em 99% das vezes, ou mais, não usei gravador.

  209. Celso Pimentel

    -

    30/07/2013 às 16:31

    Sou totalmente contra essa cambada de ladrão que se instalou no governo e parece que não querem sair mais, mas tb não poderia deixar minha opinião de que o Ministro Aluísio Mercadante é sim um homem culto.
    Por gentileza, poderia colocar o link da fonte desta informação ou o vídeo, se foi gravado?
    Muito Obrigado

  210. Antonio Luiz Rezende

    -

    29/07/2013 às 17:16

    Interessante notar que em nenhum lugar encontra-se a fonte desta afirmação supostamente feita pelo Ministro. Seria possível a confirmação desta fonte? Teria sito pronunciada mesmo pelo Ministro ou é estratégia pequena desta revista? Estarei aguardando uma merecida e simples resposta sobre essa fonte de informação. Obs.: não encontrei qualquer referência a este suposto pronunciamento a não ser na Veja! ficarei no aguardo!

    Eu deveria deletar seu comentário por ofender VEJA ao falar de uma suposta e inexistente “estratégia pequena desta revista”.
    Você encontrou, sim, referência a esse pronunciamento do ministro.
    Sabe onde?
    Em O Globo, que é de onde tirei o artigo de Leonel Kaz!!!

  211. Katia Pelli

    -

    29/07/2013 às 10:30

    ***Justin Case – 15/06/2013 às 0:39
    O que um Ministro da Educação tem em comum com um bibelô de cristal ?
    R: Ambos não sabem o que um museu tem a ver com educação.
    Podemos perdoar o bibelô de cristal pela sua ignorância, por se tratar de um objeto inanimado.
    Perdoar o Ministro da Educação fica difícil.***
    *
    *
    Essa foi uma das melhores resposta de igual nível com o ministro, pois só isso ele consegue entender, não adianta colocar dezenas de itens tentando explicar, pois que, nem ele, nem mais um monte deles vão entender!

  212. Ivan Claudio Guedes

    -

    28/07/2013 às 23:33

    É triste ver um ignorante em um cargo tão importante como o de Ministro da Educação.

  213. Izabela Lins

    -

    25/06/2013 às 1:36

    Se por uma infelicidade em algum museu no futuro se fizer referência à vida do ministro, aí sim seria muito deseducativo visitar esse museu! Inacreditável! Espera-se uma pergunta assim de alguém com pouco conhecimento, ou nenhum, mas de um ministro? Da educação? Não seria da “des”educação?

  214. João Saboia

    -

    18/06/2013 às 12:04

    BOA!!!!!!!!!!!!!!

  215. Corinthians

    -

    17/06/2013 às 20:22

    Não deixa de ser irônico alguém que acredita no socialismo achar que museu nada tem a ver com a educação.
    Afinal se ele for em um museu, vai aprender que a história já provou que o socialismo gera ditadura e pobreza…

  216. Lorena Carraro

    -

    16/06/2013 às 23:48

    Gostaria muito de ter a fala na íntegra, pelo menos o contexto da mesma. Além é claro que foi “falado” sem nenhuma referência na coluna do tal jornalista Noblat. Visto que essa fala me causiu muita estranheza. Mais que frase soltra, gostaria do contexto.

  217. Jeremias-no-deserto

    -

    16/06/2013 às 19:37

    Todo brasileiro deve ser tomado por uma imensa angústia e desalento quando se dá conta dessa fala de um ministro ( meu Deus!) da educação. É uma prova mais que palpável que esse indivíduo não tem a mínima credencial para governar o estado de São Paulo ou ser ministro de qualquer coisa que seja. De verdade, mesmo, o partido a que pertence está desgraçando o Brasil.

  218. Corinthians

    -

    16/06/2013 às 6:03

    É… o Brasil é esta porcaria por que vota desse jeito, fazer o que …

  219. Jota

    -

    16/06/2013 às 0:48

    Eis um bom resumo da ópera do que esse partido de mercadores tem a oferecer

  220. Kildare

    -

    15/06/2013 às 19:08

    É mais um inadequado a ocupar um importante cargo. Dos 39 ministros de Dilma, talvez NENHUM seja minimamente competente nos assuntos da área que comanda.

  221. SCF

    -

    15/06/2013 às 18:02

    Prezado ministro Mercadante, há um museu que serve para, por exemplo, mostrar sua ‘tese de doutorado’… O MUSEU DO CRIME, que exponha e eduque sobre o que as pessoas não devem praticar!

  222. fpenin

    -

    15/06/2013 às 16:15

    Museu: segundo meu velho Aurélio, trata-se de substantivo masculino que significa: “lugar destinado não apenas ao ESTUDO, mas também à reunião e exposição de obras de arte, de peças e coleções CIENTÍFICAS, ou de objetos antigos, etc.” Acho que o ministro da Educação ateve-se apenas ao et coetera. Santa Ignorância!

  223. Maria Augusta

    -

    15/06/2013 às 13:59

    Como se pode exigir qualidade no ensino, quando o ministro da educação é tão ignorante?! O que falta, não é dinheiro mas, sim, gente qualificada para ocupar o cargo.

  224. Bruno

    -

    15/06/2013 às 13:22

    Para quem votou no PT: estão vendo agora a m…. que vocês fizeram?

  225. moacir 1

    -

    15/06/2013 às 13:13

    Setti,
    Minha Nossa Senhora de Forma Geral da Dilma! Proteja
    o nosso Brasil! Esse Ministro Mercadante Ignorante
    é uma besta ao quadrado.Se cair de quatro ,não se levanta!
    Precisamos providenciar,com urgência,um Museu do PT,para lá embalsamar toda essa fauna.
    Abc
    abc

  226. BADERNEIRO a serviço do petismo

    -

    15/06/2013 às 12:35

    … Pois é, e esse cara é o ministro da educação do petê !!!!!!! E ainda quer ser governador de São Paulo !!!!!!!!!!!!!!

  227. Geová Elias

    -

    15/06/2013 às 11:27

    Se esse cidadão foi nomeado Ministro da Educação com esse nível de cultura imagine os outros 38. É por isso que o nosso Brasil esta de mal para pior.

  228. umacvirg

    -

    15/06/2013 às 11:12

    Caro amigo, entendo sua indignação, mas seu comentário contém ofensa pessoal. Não publico isso, tá?

  229. Geraldo de Freitas

    -

    15/06/2013 às 10:54

    Resta torcer para que o mercadante leia; e aprenda.

  230. fpenin

    -

    15/06/2013 às 10:43

    Por favor, Setti, esclareça-me: a pergunta – recuso-me a repetí-la- foi feita por uma pessoa que se intitula ministro da Educação? Não acreeedito! ‘Tá danado!!!

  231. Jayme

    -

    15/06/2013 às 9:31

    Museu é lugar de emoção.

  232. bereta

    -

    15/06/2013 às 9:26

    Com a pergunta, o “ministrinho” tem espaço garantido na prateleira dos objetos que, de nenhum valor que tem, pelo menos servem para mau exemplo. É muita pobreza num homem só. Céus!!! Não é possível que os parentes desse homem não morram de vergonha de seus atos. E pensar que Veja publicou dia desses que ele é o mais próximo consultor e orientador de dilma! Estamos perdidos. Há pessoas que morrem e se esquecem de deitar. Mercadante é uma delas.

  233. Vera Scheidemann

    -

    15/06/2013 às 6:07

    E o que o Mercadante tem a ver com educação ?!
    Vera

  234. Justin Case

    -

    15/06/2013 às 0:39

    O que um Ministro da Educação tem em comum com um bibelô de cristal ?
    R: Ambos não sabem o que um museu tem a ver com educação.
    Podemos perdoar o bibelô de cristal pela sua ignorância, por se tratar de um objeto inanimado.
    Perdoar o Ministro da Educação fica difícil.

  235. Virgínia Souza Pereira

    -

    15/06/2013 às 0:05

    É inacreditável que chegamos a esse ponto!!! Nunca na história destepaíz um Ministro da Educação representou tão mal a pasta que lhe cabe!!! Aliás, para ser mais correta, seu antecessor é de igual qualidade. Não é à toa que a educação brasileira apresenta resultados tão pífios!

  236. Thiago

    -

    14/06/2013 às 23:49

    O que museu tem a ver com educação? Simplesmente, tudo! A pergunta correta deveria ser: o que o Aluizio Mercadante tem a ver com educação?

  237. Reynaldo-BH

    -

    14/06/2013 às 23:38

    No regime do lulopetismo, onde “jornal dá azia” e onde “cheguei à presidência sem ler nenhum livro”, faz TODO o sentido!

  238. João Augusto

    -

    14/06/2013 às 23:29

    É terrível um ministro da educação fazer esta pergunta!!! Ele que vai a tiracolo com a presidanta prá baixo e prá cima, deveria ter visto, como são importantes em qualquer parte do mundo. É o referencial do povo. Nunca vai aprender!

  239. Justiceira

    -

    14/06/2013 às 23:17

    Num museu deveria estar o Mercadante, com sua ignorancia e ideias arcaicas…

  240. theo

    -

    14/06/2013 às 22:57

    E ele está no ministério da educação! O governo do Brasil vai muito bem.

  241. sidney

    -

    14/06/2013 às 21:39

    Setti
    Tinha que ser – ele – neeee !!!!
    Que tal acionarmos o Rei da Espanha para repetir aquela – BRONA FAMOSA – naquele que nao parava de falar bobagens e hoje ja nao esta mais entre nos neee !!!
    Sooo no Brasil mesmo neee ; que pena !!!
    Sabemos a que veio e a que esta !!!
    Baita abraco

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados