Blogs e Colunistas

06/02/2011

às 19:25 \ Política & Cia

Fernandinho Beira-Mar manda matar, vende drogas e fatura 1,5 milhão de reais por mês mesmo de dentro de um presídio federal “de segurança máxima”. Não perca a reportagem de capa de VEJA

Amigos, é de arrepiar os cabelos a reportagem de capa de VEJA que chegou aos assinantes e já a muitas bancas em todo o país, sobre o criminoso Fernandinho Beira-Mar.

PRESO E AINDA NO COMANDO, diz a chamada (principal título) da capa, com o subtítulo auto-explicativo: “Como Fernandinho Beira-Mar, o bandido mais perigoso do país, continua a traficar, matar, sequestrar e controlar territórios de dentro de sua cela”.

Ele já não tem celular nem controla sua quadrilha por recados à sua mulher (que cumpre pena em outra prisão), um dos 10 filhos ou um seu advogado, desaparecido desde 2007. Mas, preso no suposto presídio federal “de segurança máxima” em Catanduvas (PR), que tem uma série de restrições aos detentos, consegue se comunicar com o exterior por uma incrível mordomia de que dispõe, apesar da periculosidade que o fez merecer um total de 120 anos de cadeia por homicídio, tráfico de drogas e de armas: ele pode tomar banho de sol no pátio com outros detentos e também participa de visitas coletivas de parentes, durante as quais o monitoramento por microfones é ineficaz devido ao barulho ambiente.

Esse bandido terrível, de dentro de uma cela de concreto de 6 metros quadrados, consegue faturar 1,5 milhão de reais por mês.

Leia só este pedacinho do texto da repórter Laura Diniz e você terá uma boa ideia de mais essa barbaridade que ocorre “neste país”:

Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, não é um gênio do mal nem um criminoso dotado de poderes sobrenaturais, mas faz o diabo no cubículo em que está encerrado na Penitenciária Federal de Catanduvas (PR).

Sob as barbas do estado, planeja, determina e supervisiona a compra, a venda e a distribuição de centenas de quilos de cocaína e maconha por mês — quando não está ocupado ordenando assassinatos, sequestros e rebeliões.

Aos 43 anos, 15 dos quais passados na cadeia, Beira-Mar continua sendo o plenipotenciário líder do tráfico de drogas no país — e a prova viva e debochada da incompetência do sistema penitenciário brasileiro.

A reportagem ainda não está disponível na Internet.

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

44 Comentários

  1. joao alfredo

    -

    02/10/2012 às 20:08

    deboche é o que os políticos fazem com o erário…festas e farras às escâncaras…o exemplo deveria vir de cima…reforma política agora, combatendo as regalias dos políticos pícros de nosso País. Sem isso, esqueçam, o crime organizado vai preponderar. Além do que, sem reforma política, deixa claro o crime organizado estatuído por Lei.

  2. garaqui

    -

    25/05/2012 às 7:24

    Parabéns por um blog tão rico e tão variado.

  3. JANY

    -

    02/04/2011 às 20:58

    SE A LEI DO BRASIL MUDASSE COMO TRAFICO ERA PENA DE MORTE DIMINUIRIA O VALOR DE TRAFICANTES. ASSIM MESMO COMO AQUELE GAROTO QUE PARECE QUE PEGOU PENA DE MORTE POR MATAR A MADRASTA LÁ NO OUTRO PAIS NÃO ME RECORDO MAS ELE TINHA PAREÇE 9 ANOS PARECE SE A LEI DO BRASIL FOSSE MAIS PESADA NISSO NE TRAFICO MORTE ROUBO DIMINUIRIA A MALANDRAGEM NO MUNDO A CADEIA HOJE PARA OS DETENTOS É COMO UMA CASA EU SEI COMO É UMA CADEIA PORQ JA ENTREI É UMA MAMATA COME DE GRAÇA, TOMA BANHO DE GRAÇA VISITA SEDEX E ASSIM PORDIANTE ENTÃO OS TRAFICANTES AQUELES QUE MATAM ROUBAM NÃO ESTÃO NEM AI E AINDA POR CIMA A LEI PRENDE UM QUE MATA ROUBA TRAFICA DAQUI UNS 3 MESES SAI…AI NÃO DÁ NEGO ACUSTUMA…E MESMO PEGANDO ANOSSS PRA ELE É MESMA COISA DE UMA CASA TEM DE TUDO TBM…

  4. RJN

    -

    25/03/2011 às 7:49

    O nosso País precisa encarar a situação como pertencente a todos, chega de tentarmos encontrar culpados, politicos, empresários, etc, estes e todos nós somos frutos diretos ou indiretos desta absurda situação social.Aprendi que devemos combater guerra com guerra, porém devemos ser mais inteligentes e menos raivosos com nossa insustentavel situação, se reparar vai conseguir perceber que F.B-M é uma pessoa que age com sutileza em suas ações e com uma apropiação de idéias provindas de grandes pensadores, a leitura nos torna seres pensantes de embasados, a nossa luta é bem mais de que ter uma amumento no salário minimo ou quem sabe conquistar a copa do mundo,a utilização da capacidade de raciocinio infelizmente não sobrou a muitos porém existe meios de se alcançar um nivel, este que te concederá a capacidade de não perder tempo ouvindo as maravilhas de misturas ditas ou escritas por um maconheiro, já vi muitas mães se deliciarem ao ouvir os seus filhinhos falarem, apesar de tudo, criar um ser com embasamento ainda é a melhor maneira de afasta-ló de toda essa vida desejeda por muitos a capacidade de arrendar 1,5 milhão de dentro de 6M quadrados, por fim acredito que não mais tempo a perder o F.B-M está fazendo seus seguidores e nós estamos parados vendo tudo acontecer, há solução porém não há muitos pensantes em nosso meio.

  5. mario jose pereira da silva

    -

    21/02/2011 às 20:38

    eu acho que isso tudo acontece porquer,dentro da policia tem muito policial corrupido.eu queria saber o que vai ser de beira mar.ele ta preso ou tar souto.sera que isso nao vai acabar nunca,que brasil e esse.

    Caro Mario José, se você ler o post todo verá que Beira-Mar está preso, cumprindo pena, na penitenciária federal de suposta “segurança máxima” de Catanduvas, no Paraná. Mesmo assim, consegue se comunicar com o exterior, dar ordens, fazer “negócios” criminosos etc.

    Infelizmente.

  6. Claudilei

    -

    15/02/2011 às 18:07

    . Enquanto houver essa multidão de usuários dispostos a qualquer sacrifício para ter acesso à sensação de prazer que a droga lhes traz, existirão traficantes milionários, dispostos a corromper autoridades e a defender seus pontos-de-venda com unhas e dentes e metralhadoras.

  7. Getúlio Medeiros

    -

    14/02/2011 às 16:05

    Caro amigo Colunista Ricardo,

    Desculpe-me a reinclusão do comentário, porém senti a necessidade de editá-lo e como não consegui de outra forma, tive que fazer desta maneira.

  8. Getúlio Medeiros

    -

    14/02/2011 às 16:03

    Além da FAMOSA INCOMPETÊNCIA levantada nessa matéria, o Estado brasileiro, insiste em querer levar esse atual sistema FALIDO, com a barriga das emoções de aumentos salariais de seus parlamentares e do executivo também, da sustentação de suas mordomias e da política do “pão e circo” com relação a sociedade que nesciamente contribui para isso, mesmo ganhando muito insignificantemente com relação aos políticos, crendo fielmente que personagens políticos isolados sejam heróis da democracia que não existe neste país.

    O poder do tráfico de drogas é muito maior que o próprio traficante, que o próprio sistema que eles (os mafiosos) implantaram no mundo de outrora e que agora com a tão proclamada globalização se modernizou, evoluiu, cresceu economicamente e atualmente, pasmem, manda na economia mundial globalizada, ou seja, uma grande fatia da moeda que circula no mundo provém do tráfico de drogas, associada também ao tráfico de armas ilegais.

    Tem que haver uma verdadeira revolução em todo o sistema prisional, policial e de assistência aos vitimados por eles (os criminosos). Quando alguém é sequestrado, raptado, roubado, ferido, essa pessoa se sente diretamente impotente, invadida e com a nítida certeza de que quando não morre de fato, já morreu um pouco em sua natureza. Em vista disso há que se haver uma asistência mais efetiva por parte do Estado, a exemplo com o que acontece quando um infrator é acometido de um revide, quer seja por parte do Estado, ou da própria vítima, cujos os representantes dos Direitos Humanos entram em ação em prol daquele que de criminoso se torna vítima (criminologia).

    O cidadão que se encontra atualmente na prisão de segurança máxima federal do RN, já consumiu e consome muitos milhares de reais, já traficou e trafica muito mais, já matou, ameaçou, sequestrou, e esculhachou toda uma sociedade, e, o que é de mais absurdo e irritante é saber que mesmo preso, processado e condenado por diversos crimes, ainda se encontra no poder do tráfico internacional de drogas ilícitas nas barbas das autoridades do Estado brasileiro que não sabe, ao que parece, o que fazer com ele. Nesse caso, não seria melhor que houvesse a PENA DE MORTE????

    Essas mesmas autoridades que não sabem o que fazer com um indivíduo ‘poderoso’ como esse, que para mim, não passa de um criminoso e tem que ser tratado como tal, e, não como cidadão comum, pois não sou como ele, sou honesto e trabalhador, contribuinte e amparado pela Constituição do meu País, menos pelos representantes do Estado que insiste em não cumprí-la e equiparar o criminoso com o cidadão comum, inclusive dando-he precedência em diversas ações sociais, e, a presença desse indivíduo, assistência, preocupação, GASTOS EXCESSIVOS com a sua manutenção, suas movimentações, seus processos, enfim sua existência, e agora como brilhantemente declara e mostra essa matéria: “…manda matar, vende drogas e fatura 1,5 milhão de reais por mês mesmo de dentro de um presídio federal “de segurança máxima”.

    É OU NÃO É A DESMORALIZAÇÃO DESSE SISTEMA FALIDO???

    E ainda quando se fala em reestruturação e mudanças nos Sistemas Prisional e Policial, vem a turma do PT de Dilma e Lula, dizer que não tem como pagar…Acho que seria melhor entregar essas duas pastas ao FERNANDINHO…Quem sabe com os impostos somados ao seu faturamento que só cresce ao longo do tempo, ele não resolveria?

  9. Getúlio Medeiros

    -

    14/02/2011 às 16:01

    Além da FAMOSA INCOMPETÊNCIA levantada nessa matéria, o Estado brasileiro, insiste em querer levar esse atual sistema FALIDO, com a barriga das emoções de aumentos salariais de seus parlamentares e do executivo também, da sustentação de suas mordomias e da política do “pão e vinho” com relação a sociedade que nesciamente contribui para isso, mesmo ganhando muito insignificantemente com relação aos políticos, crendo fielmente que personagens políticos isolados sejam heróis da democracia que não existe neste país.

    O poder do tráfico de drogas é muito maior que o próprio traficante, que o próprio sistema que eles (os mafiosos) implantaram no mundo de outrora e que agora com a tão proclamada globalização se modernizou, evoluiu, cresceu economicamente e atualmente, pasmem, manda na economia mundial globalizada, ou seja, uma grande fatia da moeda que circula no mundo provém do tráfico de drogas, associada também ao tráfico de armas ilegais.

    Tem que haver uma verdadeira revolução em todo o sistema prisional, policial e de assistência aos vitimados por eles (os criminosos). Quando alguém é sequestrado, raptado, roubado, ferido, essa pessoa se sente diretamente impotente, invadida e com a nítida certeza de que quando não morre de fato, já morreu um pouco em sua natureza. Em vista disso há que se haver uma asistência mais efetiva por parte do Estado, a exemplo com o que acontece quando um infrator é acometido de um revide, quer seja por parte do Estado, ou da própria vítima, cujos os representantes dos Direitos Humanos entram em ação em prol daquele que de criminoso se torna vítima (criminologia).

    O cidadão que se encontra atualmente na prisão de segurança máxima federal do RN, já consumiu e consome muitos milhares de reais, já traficou e trafica muito mais, já matou, ameaçou, sequestrou, e esculhachou toda uma sociedade, e, o que é de mais absurdo e irritante é saber que mesmo preso, processado e condenado por diversos crimes, ainda se encontra no poder do tráfico internacional de drogas ilícitas nas barbas das autoridades do Estado brasileiro que não sabe, ao que parece, o que fazer com ele. Nesse caso, não seria melhor que houvesse a PENA DE MORTE????

    Essas mesmas autoridades que não sabem o que fazer com um indivíduo ‘poderoso’ como esse, que para mim, não passa de um criminoso e tem que ser tratado como tal, e, não como cidadão comum, pois não sou como ele, sou honesto e trabalhador, contribuinte e amparado pela Constituição do meu País, menos pelos representantes do Estado que insiste em não cumprí-la e equiparar o criminoso com o cidadão comum, inclusive dando-he precedência em diversas ações sociais, e, a presença desse indivíduo, assistência, preocupação, GASTOS EXCESSIVOS com a sua manutenção, suas movimentações, seus processos, enfim sua existência, e agora como brilhantemente declara e mostra essa matéria: “…manda matar, vende drogas e fatura 1,5 milhão de reais por mês mesmo de dentro de um presídio federal “de segurança máxima”.

    É OU NÃO É A DESMORALIZAÇÃO DESSE SISTEMA FALIDO???

    E ainda quando se fala em reestruturação e mudanças nos Sistemas Prisional e Policial, vem a turma do PT de Dilma e Lula, dizer que não tem como pagar…Acho que seria melhor entregar essas duas pastas ao FERNANDINHO…Quem sabe com os impostos somados ao seu faturamento que só cresce ao longo do tempo, ele não resolveria?

  10. Blumenau

    -

    12/02/2011 às 21:59

    Quem proteje esta besta? FARC? PT? E que presídio é este?
    E A NOSSA DIGNIDADE?
    Elle sabe muita coisa.COVARDES.Quando doer no rabo dos responsáveis elle vai desaparecer.

  11. Erika

    -

    11/02/2011 às 7:26

    O Brasil tem sistema penitenciario? isso e para dar risada.Caros leitores, se e que todos sabem dentro do presidio esse homem como outros bandidos perversos estao protegidos por policiais.Sou catolica mas as vezes penso que seria bom a execusao da pena de morte no Brasil . O Brasil gasta milhoes em dinheiro para sustentar esses “vagabundos”.Com esse dinheiro poderia investir em educacao, em contrucao de casas para familias carentes e outros.
    Em resumo, O Brasil nunca teve sistema penintenciario e nunca tera porque o estado e sua competencia permite as barbaridades cometidas por estes sujeitos
    .

  12. Ricardo

    -

    10/02/2011 às 15:55

    Catanduvas,presídeo de segurança máxima!
    Aquilo seve ser uma baderna:roda de samba,pizza,mulherada e claro,muito tráfico e ordens pra matar.Um bordel com grades.
    Onde estão os jornalistas chapa branca?Mudos evidentemente.

  13. Sergio L

    -

    10/02/2011 às 10:29

    Ao ler a reportagem, me convenço que todos do país Brasil estão habilitados a “ajudar” o facínora Beira Mar a perpetrar seus crimes!
    Em resumo, devemos desconfiar de todo mundo. Todos, se excessão, e em qualquer lugar, podem ser “afiliados” a qualquer facínora.
    Parece que não tem mais jeito.
    Os jovens que arrangem outra pátria.
    O gigante pela própria natureza deitado eternamente em berço explendido, já é saudade.

  14. Lilian

    -

    09/02/2011 às 12:00

    . Será que Fernandinho recebe o auxilio-reclusão?

    Auxílio-reclusão
    O auxílio-reclusão é um benefício devido aos dependentes do segurado recolhido à prisão, durante o período em que estiver preso sob regime fechado ou semi-aberto. Não cabe concessão de auxílio-reclusão aos dependentes do segurado que estiver em livramento condicional ou cumprindo pena em regime aberto.

    Para a concessão do benefício, é necessário o cumprimento dos seguintes requisitos:

    - o segurado que tiver sido preso não poderá estar recebendo salário da empresa na qual trabalhava, nem estar em gozo de auxílio-doença, aposentadoria ou abono de permanência em serviço;
    - a reclusão deverá ter ocorrido no prazo de manutenção da qualidade de segurado;
    - o último salário-de-contribuição do segurado (vigente na data do recolhimento à prisão ou na data do afastamento do trabalho ou cessação das contribuições), tomado em seu valor mensal, deverá ser igual ou inferior aos seguintes valores, independentemente da quantidade de contratos e de atividades exercidas, considerando-se o mês a que se refere:

    PERÍODO SALÁRIO-DE-CONTRIBUIÇÃO TOMADO EM SEU VALOR MENSAL
    A partir de 1º/1/2011 R$ 862,11 – Portaria nº 568, de 31/12/2010
    A partir de 1º/1/2010 R$ 810,18 – Portaria nº 333, de 29/6/2010
    A partir de 1º/1/2010 R$ 798,30 – Portaria nº 350, de 30/12/2009
    De 1º/2/2009 a 31/12/2009 R$ 752,12 – Portaria nº 48, de 12/2/2009
    De 1º/3/2008 a 31/1/2009 R$ 710,08 – Portaria nº 77, de 11/3/2008
    De 1º/4/2007 a 29/2/2008 R$ 676,27 – Portaria nº 142, de 11/4/2007
    De 1º/4/2006 a 31/3/2007 R$ 654,61 – Portaria nº 119, de 18/4/2006
    De 1º/5/2005 a 31/3/2006 R$ 623,44 – Portaria nº 822, de 11/5/2005
    De 1º/5/2004 a 30/4/2005 R$ 586,19 – Portaria nº 479, de 7/5/2004
    De 1º/6/2003 a 31/4/2004 R$ 560,81 – Portaria nº 727, de 30/5/2003

    Equipara-se à condição de recolhido à prisão a situação do segurado com idade entre 16 e 18 anos que tenha sido internado em estabelecimento educacional ou congênere, sob custódia do Juizado de Infância e da Juventude.

    Após a concessão do benefício, os dependentes devem apresentar à Previdência Social, de três em três meses, atestado de que o trabalhador continua preso, emitido por autoridade competente, sob pena de suspensão do benefício. Esse documento será o atestado de recolhimento do segurado à prisão .

    O auxílio reclusão deixará de ser pago, dentre outros motivos:
    - com a morte do segurado e, nesse caso, o auxílio-reclusão será convertido em pensão por morte;
    - em caso de fuga, liberdade condicional, transferência para prisão albergue ou cumprimento da pena em regime aberto;
    - se o segurado passar a receber aposentadoria ou auxílio-doença (os dependentes e o segurado poderão optar pelo benefício mais vantajoso, mediante declaração escrita de ambas as partes);
    - ao dependente que perder a qualidade (ex.: filho ou irmão que se emancipar ou completar 21 anos de idade, salvo se inválido; cessação da invalidez, no caso de dependente inválido, etc);
    - com o fim da invalidez ou morte do dependente.

    .
    Fonte: http://www.mpas.gov.br/conteudoDinamico.php?id=22

  15. Francisco

    -

    08/02/2011 às 22:25

    Eu que sou da fronteira do Brasil com o Paraguai já ouvi bastante do PATRÃO. Advinhem que é o tal patrão? Muitos morreram lá porque tinham dividas com o patrão ou porque queriam invadir a área do patrão.
    Alguns perderam a cabeça indicando claramente que jamais seriam o “cabeça”, alguns morreram sem o braço direito, indicando que jamais seriam o braço direito do patrão. Em muitos casos de assassinato sempre se escuta falar do “patrão”. Dúvidas? Visitem a fronteira e perguntem em voz baixa pra qualquer morador da região do lado do Paraguai.

  16. Marcus Fabris

    -

    08/02/2011 às 21:11

    Por mim esse facínora covarde e cruel já teria sido fuzilado em praça pública sem venda nos olhos.

    E não me surpreenderá que esse incêndio na Cidade do Samba seja coisa dessa bandidagem carioca em repressália a ação das Forças Armadas nas bocas-de-fumo, crack, cocaína, etc.

    A mim também não, caro Marcus.

  17. Diocleciano

    -

    08/02/2011 às 19:25

    Carlos Nascimento,
    Conforme foi mostrado o delegado Protógenes participou de várias investigações resultando em punição aos culpados. Mas a “casa caiu” para ele somente após o caso Daniel Dantas. É bom lembrar que Dantas tentou subornar a sua equipe colocando 1 milhão de reias à sua disposição. O que foi prontamente recusado. Foi condenado a 10 anos de prisão justamente por essa tentativa de suborno. E isso por si só já é prova de que o tal Dantas boa gente não é. Quem é inocente não precisa subornar ninguém, certo ???
    O delegado foi colocado para fora da PF, ao meu ver, justamente porque estava ‘mexendo’ com poderosos e também porque não era uma pessoa propensa a aceitar propinas, o que talvez tenha deixado os seus colegas corruptos da PF nervosos.
    O juiz que condenou o Protógenes – condenação absurda ao meu ver, afinal a culpabilidade do réu foi provada – é acusado de corrupção. Ali Masloum, o juiz, foi investigado naquela operação Anaconda por suspeitas de vender senteças. O Protógenes se mostrou honesto e, como se sabe, corrupto não gosta de gente honesta, daí, suponho, a condenação do delegado.
    Um dos motivos pela condenação do Protógenes, conforme foi divulgado aqui no blogue do Setti, foi ele supostamente ter espionado autoridades. Entre essas autoridades estariam José Dirceu, Dilma Roussef, José Serra… Ora, se isso aconteceu é sinal de que o Delegado agiu de forma apartidária, já que os supostos espionados pertenciam a vários partidos políticos.
    Ao contrário do que tentam insinuar, ele não tinha nenhuam aspiração política e não pretendia se candidatar a nenhum cargo político. Isso só aconteceu porque foi expulso da PF e também porque sofreu vários ataques da imprensa. Além de ter sofrido juntamente com familiares ameaças e atentado contra sua própria vida. Então a única forma de se defender e continuar sua luta contra os corruptos foi se lançar na vida pública já que seu cargo de delegado lhe foi injustamente tirado. Eu votei nele e espero não me decepcionar.
    Quanto à revista Veja e mais especificamente à editora abril, que vc diz ISENTA. Creio que não é bem assim. Não sei se vc sabia mas o grupo Abril, dono de Veja, mantém contrato com o governo do PSDB aqui em São Paulo. Os contratos são com a secretaria de Educação do Estado de São Paulo. No ano passado foram comprados exemplares da revista NOVA ESCOLA, pertencente ao grupo Abril, e enviados às escolas estaduais do estado; e sem licitação. Sem contar as propagandas que o governo do estado faz nas revistas pertencentes ao grupo. E esse patrocínio se reflete na cobertura que a revista Veja têm feito da administração tucana aqui em São Paulo; que não é nenhum pouco isenta e totalmente favorável ao PSDB. Só cego não consegue enxergar isso. Portanto isenção em relação a quê e a quem ???
    É preciso olhar as coisas além das aparências.

  18. Lilian

    -

    08/02/2011 às 19:17

    Setti,
    Lendo a reportagem sobre o traficante, fiquei surpresa com a reação dele, Fernando, determinar a capangas que surrassem o seu filho Marcelo e o avisassem de que no caso mantivesse o “hábito” de consumir maconha o “corretivo” iria repetir.
    O seu filho acabou numa clinica de desintoxicação.
    .
    Fernandinho não bebe, não fuma e tem aversão ao consumo de drogas.
    .
    E ainda encontramos seres humanos a favor da legalização de determinadas drogas ou seja lá que nome bonitinho, ou nomenclatura utilizada.
    Abraços!

  19. Maria

    -

    08/02/2011 às 16:09

    “Aos 43 anos, 15 dos quais passados na cadeia, Beira-Mar continua sendo o plenipotenciário líder do tráfico de drogas no país — e a prova viva e debochada da incompetência do sistema penitenciário brasileiro.” Este é o resumo da reportagem. O problema nõ é o Beira-mar, o problema é o Estado e sua incompetência. Governo Lula que dizia ser tão bom, o que fez com relação aos sistema penitenciário brasileiro? Nada!!!! Nem com relação ao Beira-mar, caso gritante, fez alguma coisa. Aí esta a prova, Beira-mar segue….

  20. zaira

    -

    08/02/2011 às 11:59

    Nossa!! perder tanto tempo falando de Fernandinho Beira Mar é jogar pérola aos porcos.

  21. carlos nascimento

    -

    08/02/2011 às 2:11

    Diocleciano,
    Em respeito ao contraditório que é o pilar da democracia, resolvo me manifestar em atenção ao seu comentário levado à efeito às 17:07 hrs de ontem, apesar de verificar que nem sempre os simpatizantes do atual governo, terem a mesma postura, pelo contrário, são sempre agressivos e passam muito das vezes do tom, mesmo assim,vamos lá.
    Quando reinvidico uma ação de Investigação aos moldes da operação “Mãos Limpas”, levado à efeito na Itália, desejo que ela seja realizada dentro dos ditames da Lei e, que agentes com biografias ilibadas sejam os seus condutores, não me parece o caso do agente indicado em seu comentário, o adjetivo utilizado no batismo da operação é claro – mãos limpas – vc com sua inteligência sabe do que estou falando, se o mesmo não tivesse cometido abusos e desvios inconfessaveis não teria sido condenado a 3 anos e 11 meses de cadeia, isso já é suficiente para o indeferimento de cargos à minha proposta, penso que o Delegado estava à serviço de outras causas, o seu projeto era ganhar notoriedade e, como ficou provado, chegou de forma estranha à eleição de Deputado Federal, não só isso, quando do debate Presidencial, êle estranhamente apareceu no estúdio de TV, com uma pasta contendo supostos documentos de intimidação ao candidato José Serra, só isso já demonstra o que êle representava quando das investigações que comandava na PF.
    Êle foi instrumentalizado para caçar não só Daniel Dantas, êle buscava tentar incriminar um possivel envolvimento de membros do PSDB, o tiro saiu pela culatra, essa é uma prática usual do PT, vc está lembrado do Promotor Luiz Francisco Fernandes de Souza, na era FHC, era o paladino utilizado para apertar os tucanos, depois disso, desapareceu, hoje está quieto e nunca emitiu qualquer voz sobre os ilicitos cometidos pelos petralhas, como vc é inteligente poderá entender o que estou dizendo.
    Ressalto que não sou defensor de Daniel Dantas, não tenho qualquer simpatia, acho que êle tem várias pendências que devem ser punidas pela Justiça Brasileira, que os ritos sejam cumpridos, sem os holofotes circenses que o agente queria utilizar para se promover.
    Quanto à VEJA, vc deveria se orgulhar de termos em nosso País uma revista da qualidade da mesma, vc também deveria se orgulhar de nela trabalhar grandes jornalistas, alto nível intelectual, com linha editorial que se mantém há várias décadas defendo o equilibrio democrático, preste atenção que a Abril Cultural em vários governos sempre fez denúncias importantes, desde sarney, collor, ITAMAR, FHC e agora lulla, o pau sempre cantou em cima dos ilicitos, não seria mas fácil para a Abril Cultural se calar e receber as gordas verbas de publicidade que geralmente os governos utilizam para calar divergentes, porém, meu caro Diocleciano, no mundo jornalistico o que valerá sempre é a CREDIBILIDADE, quem brincar com isso, estará liquidado, ai está o segredo do sucesso da VEJA e dos seus jornalistas, são respeitados pela coerência e tenacidade, não são infaliveis, cometem erros, mas posso lhe assegurar, o custo x beneficio para a DEMOCRACIA de suas atuações, o saldo é altamente positivo, sem a Abril Cultural a ERA DA MEDIOCRIDADE já teria nos dominado por completo.
    Carlos Nascimento.

  22. Diocleciano

    -

    07/02/2011 às 17:07

    Ao Carlos Nascimento,

    Também acho que deveria haver aqui no Brasil grandes operações com o fim de moralizar e colocar criminosos de colarinho branco na cadeia.
    Mas vc viu o que acontece com os profissionais da justiça que têm coragem de fazer isso???
    Veja por exemplo o que aconteceu com o delegado Protógenes, que teve a coragem de colocar na cadeia gente como Paulo Maluf, Celso Pitta, Naj Nahas, Lao Kin Chon, Idelbrando Pascol, Daniel Dantas…
    O que aconteceu ??? Ele simplesmente foi expulso da PF sob acusações absurdas e condenado por um juiz que é acusado de vender senteças.
    Além disso o Protógenes, que prendeu o banqueiro, e o Juiz Fausto Martins de Sanctis sofreram várias críticas por parte da imprensa que tentava desacreditar os seus trabalhos. E a revista Veja, que vc elogia, foi o principal veículo a tentar macular esses dois profissionais corajosos chamando-os de justiceiros.
    Então, como se vê, uma operação “mãos limpas” aqui no Brasil dificilmente ocorrerá porque quase todos, inclusive setores da imprensa, estão comprometidos mesmo é com a SUJEIRA.

  23. carlos nascimento

    -

    07/02/2011 às 16:06

    Ricardo,
    Então estamos ferrados, vc prega democracia, fica agarrado nas regras, que não funcionam, veja bem: “mãos limpas” é inviável por falta de ajuste Constitucional, “tolerância zero” idem, pela falta de estrutura de nosso sistema penal, pelo voto idem, os brasileiros elegem gente como “tiririca”, “romário”, “paulinho da força” e, outras nulidades, através da educação e pelo ensino educacional atual sómente daqui à um século -talvez – pois nem o Enem sabe auferir notas, pelos líderes da oposição nem pensar, um fica calado por omissão e o outro só pensa em sua vaidade pessoal, jornalistas com neurônio é impedido por questão de principios, os envagélicos só pensam nos dizimos e em suas redes de comunicação, o quê fazer então nesse País aniquilado moralmente ? Acho que seja à hora de arranjarmos um novo PALADINO, que nos traga INSPIRAÇÃO, acho que nenhuma Sociedade Civil se reorganizou sem sacrificio, é hora de SACRIFICIOS.
    Carlos Nascimento.

    Caro Carlos,
    Não acredito em líderes providenciais, messiânicos, que prometem — ou em que as pessoas acreditam que possa — resolver tudo. A coisa, assim, sempre termina mal. Acredito em processos políticos e históricos, e na construção de instituições.
    Abração

  24. Caio Frascino Cassaro

    -

    07/02/2011 às 14:45

    Caro Caio, não publico o comentário, como você pediu.
    Mas a correção está feita.
    Abraços

  25. Caio Frascino Cassaro

    -

    07/02/2011 às 14:12

    Prezado Ricardo:
    Voce e a Revista Veja, para variar, estão equivocados!!!! Este cidadão, ao contrário do que é insistentemente publicado em nossa imprensa, é na verdade um perseguido político. Assim como o grande humanista Cesare Batistti (Sim, este homem é um humanista: o que são quatro homicidios quando o que está em jogo é o bem da humanidade?), o “companheiro” Fernando (não o Collor – o Beira Mar), Elias Maluco, Nem, Marcola e tantos outros líderes ligados a esses grupos políticos denomminados CV ou PCC, são todos vítimas de uma conspiração de direita!!!!

    Grupos progressistas já contactaram o STF e o Congresso Nacional e encaminharão dossiês, elaborados pelos próprios heróis e seus advogados, obviamente de ilibada reputação, nos quais todos sem exceção se declararão inocentes, denunciando a discriminação que são vítimas por tentarem formas heterodoxas de distribuição de renda, como a importação de talco (de um tipo especial, que chega até a brilhar) e também ervas medicinais, além de medicamentos contra a depressão.

    Tudo, é claro, dentro da lei, pelo menos dentro da leitura particular feita pela lente moral desses paladinos de nossa sociedade. Liderando o movimento, estará o inefável Eduardo “Gardenal” Suplicy que, após a leitura dos dossiês (os quais entregará nas mãos da Presidente em exercício do Senada Martha “porque não devolveu o sobrenome” Suplicy), fará um discurso rápido de cerca de 4:30hs no qual pedirá a soltura destes pobres humanistas e reinvindicará a todos um emprego no Ministério da Pesca, aonde, junto com o “Cura” Medina, eles exercerão sua atividade predileta,- lidar com tubarões – da droga, naturalmente – piranhas, serpentes e outros bichos de forma tranqüila e segura.
    Só para encerrar o comentário, e agora falando sério, porque é que o Ministério da Justiça não pega a Penitenciária de Presidente Bernardes como modelo de concepção e de operação prisional? Quando o companheiro Fernando (o beira-mar, não o Collor) esteve lá, ficou pianinho, pianinho, chegando a dizer que não suportaria mais uma temporada naquelas condições. Ao contrário, gastam milhões do dinheiro do contribuinte para possibilitar a essas feras exercerem sua criminalidade de forma segura, pois, como demonstra a reportagem, nessas “Prisões-Peneira”, entra de tudo, de drogas a celulares, complementado por essa vergonha que é a tal visita íntima.
    Com a palavra, o Ministério da Justiça.
    Um abraço.

  26. Marcelo

    -

    07/02/2011 às 13:06

    Achei a reportagem bem decepcionante. A novidade ali, ao meu ver, é o uso de parentes de outros presos para transmitir ordens. E já sabíamos que nossa legislação é de orientação coitadista. Mas não merecia a reportagem de capa, não. Comprei a revista e me senti enganado.

  27. carlos nascimento

    -

    07/02/2011 às 12:21

    Ricardo,
    Me corrija seu eu estiver errado, me parece que vc tem origens italianas, alguns anos atrás ocorreu uma revolução na Justiça por lá, com as operações denominada “operação mãos limpas”, foi feito uma faxina e, muita gente foi presa, deram um choque geral no crime organizado, o pessoal da cosa nostra sofreu duro baque, vários politicos também foram parar na cadeia.
    O que impede de fazermos coisa similar no Brasil, já sei, vou antecipar sua resposta, o poder politico, temos que prender primeiro os chefões que estão em lugar CERTO e CONHECIDO, não é isso ?
    A revista VEJA é uma grande trincheira de Justiça, seus colunistas são baluartes, vc está incluso nesse time, não seria hora de levantarmos uma bandeira, não seria hora de tentarmos achar um PROMOTOR sério, que topasse levar adiante uma operação aos moldes das “operações mãos limpas”, talvez ai sim, pudesse começar uma Revolução no País, lugar de bandido é na CADEIA, falo dos verdadeiros bandidos – os chefões – Beira-Mar é apenas um instrumento de usufruto, um caixa 2 disponivel para financiar as imoralidades dos grandes imorais.
    Vc se habilita em conclamar uma REVOLUÇÃO que possibilite acharmos no JUDICIÁRIO quem queira de verdade realizar essa REVOLUÇÃO.
    Vamos lá, como dizia Geraldo Vandré: “esperar não é saber,quem sabe faz a hora não espera acontecer”.
    Carlos Nascimento.

    Caro Carlos,

    Sim, sou descendente de italianos pelo lado paterno e de judeus da Bessarábia (na época parte do império russo) pelo lado materno.

    A Itália realizou a operação “Mãos Limpas” porque sua Constituição e sua legislação confere poderes aos magistrados que os nossos não têm. Eles podem conduzir investigações, tomar essa iniciativa. E o processo criminal lá é mais simples e rápido do que aqui.

    Para termos algo semelhante no Brasil, precisaríamos mudar a Constituição e o Código de Processo Penal, que, aliás, já está sendo modificado e vai melhorar um pouco as coisas.

    Mas jornalista deve dar informação, comentar (no caso de colunista), apontar erros e acertos, questionar — e não liderar movimentos. Está fora do nosso papel.

    Abração e obrigado.

  28. Rodrigo

    -

    07/02/2011 às 11:54

    Brasil, meu Brasil brasileiro…

  29. Lilian

    -

    07/02/2011 às 11:18

    Setti,
    Esse bandido deve ter realizado “doação para campanha politica” porque estou com a sensação de que ele (Fernandinho) está livre, leve e solto no comando.
    Abraços!

  30. lillis

    -

    07/02/2011 às 10:30

    Quem será o “padrinho” de Beira-Mar?! Quem será o dono da banca cujo “gerente” é Beira-Mar?! No país sem lei para os poderosos, a quem interessa que as coisas mudem para ficar iguais?

  31. Patricia

    -

    07/02/2011 às 9:32

    Isso aqui é o verdadeiro EXEMPLO de direitos humanos para bandidos, traficantes, assassinos e afins… Não tem mais jeito – começa em Brasília e termina nisso aí… É revoltante. Mas pior do que isso é a passividade e falta de capacidade de indignação da maioria do povo brasileiro. É assustador viver num país assim.

  32. Lenise

    -

    07/02/2011 às 8:36

    Imagina este talento todo, fato inegável, trabalhando pelo exército brasileiro?

  33. Rosa Maria Pacini

    -

    07/02/2011 às 8:12

    Se o Beira-Mar continua agindo no mundo crime com tanta desenvoltura não se trata de “incompetência do sistema penitenciário brasileiro”, como afirma a repórter, no pedaço de texto postado aqui. Trata-se, na verdade, de corrupção descarada por parte dos funcionários deste sistema, portanto de cumplicidade criminal. E esta pelo jeito permeia todas as instâncias deste sistema, caso contrário há muito os cúmplices de Beira-Mar teriam sido não só defenestrados, mas,também, trancafiados como cúmplices, pois é o que são na realidade. É preciso fazer uma limpeza geral neste sistema em todas as instâncias, mas “pelo andar da carruagem” isto não ocorrerá num futuro próximo. Se é que virá a ocorrer algum dia. Na verdade, tal expectativa está mais próxima do repertório de crenças e esperanças da “velhinha de Taubaté” do que de uma hipótese plausível. E é lamentável e desalentador chegar-se a tal conclusão, Setti.

  34. Natal Santana

    -

    07/02/2011 às 8:00

    Eu li a reportagem ontem, Ricardo (aliás, fiquei lisongeado por ter um comentário meu publicado na Veja!) e fiquei estarrecido! O que mais espanta é o fato de uma reporter (não estou me referindo à sua competência, mas sim em termos de função) conseguir todas essas informações, levantar um fluxo de como Beira Mar age e a Justiça… não sabe! Outra coisa absurda é essa mania de “direitos humanos” referente a presos. Presos condenados e comprovadamente perigosos como é o caso, não poderia ter direito algum, exceto à vida e mesmo assim, desde que não coloquem em risco a vida de outros! Mas, essa turma da Terceira Região, entende que, ah, coitado: ele tem direito à privacidade, deve ter liberdade de conversar o que quiser e com quem quiser sem ser monitorado! Foi com esse argumento ridículo que cassaram a decisão do Juiz que determinou controle total de tudo que se referia ao Beira Mar. Esses tais Desembargadores querem apicar a presos perigosos, os mesmos direitos que o cidadão pagador de impostos tem, apesar de todos os crimes cometidos. Uma injúria! E finalmente, os tais “presídios de segurança máxima” do governo federal, via de regra, são todos de frouxidão máxima, como se vê!

  35. jfaraujo

    -

    06/02/2011 às 23:08

    Nem mesmo a estada de 1 ano no RDD foi suficiente para controlar o dom inacreditável de Beira Mar para o exercício talentoso e nato de sua profissão: o crime. Esse regime deveria ser estendido para a pena integral.

    Mas enquanto ele esteve em Bernardes, ficou quietinho, quietinho…

    Abraços

  36. Roberto de Paula

    -

    06/02/2011 às 23:01

    O ministro da Justiça, Cardozão, é representante do governo brasileiro no FORUM DE SÃO PAULO, esta organização fundada pelo PT abriga todas as organizações de esquerda da América Latina. As FARC também fazem parte do Fórum, são parceiros ideológicos do governo brasileiro, e são os maiores traficantes de cocaína da AL. Beira Mar, é o intermediário entre as FARC e os grupos criminosos do Brasil (PCC, CV, ADA). Você acredita que o governo federal vai combater o narcotráfico de frente e com seriedade?? E em Papai Noel, Cegonha, Coelhinho da Páscoa??

  37. elizio

    -

    06/02/2011 às 22:26

    Continuação do comentário das 22:18
    …será que não esqueceram de dar almoço para ela? E se por acaso, num momento de desespero o bandido tentar fugir e pular dentro do cercado?
    E aí chegando o avião, com o passageiro ilustre, com o grande comitê de recepção e, nós é claro, contribuintes, pagando por todos esses passeios.

  38. elizio

    -

    06/02/2011 às 22:18

    Caro Setti:
    tive uma oportunidade ímpar.
    Estava na Base Aérea de Campo Grande e, junto com o Sub-Comandante, andando para escolher um local determinado, funcional, para o evento “Portões Abertos”, quando nos deparamos com um aparato de guerra, dezenas de carros da polícia, dezenas de policiais fortemente armados e até atiradores de elite. Para irmos até o pressuposto local, eu e o sub-comandante tivemos que alongar nosso caminho, fazendo uma grande curva; dentro do quintal da Base, estava chegando uma pessoa mais importante (e que não era o Comandante ou Ministro da Aeronáutica) – era o Fernandinho Beira-Mar.
    Então, o sub-comandante, em seu território, deve pedir licença ao bandido, por onde deve andar.
    Mesmo indignado com a situação, como existe aqui o Esquadrão Onça e, esse esquadrão tem uma onça pintada num cercado, voltei-me ao Sub-Comandante e perguntei: será que a onça não está com fome? Será q

  39. João Máximo

    -

    06/02/2011 às 21:35

    Li a reportagem e cada vez mais acredito menos na justiça deste país. Um juiz determina o isolamento e em seguida outro libera. Li também sobre o processo do mensalão, cujo crime de formação de quadrilha vai prescrever pela demora da justiça. Neste ritmo todo o processo vai prescrever e os bandidos vão se alojando neste governo petista.

  40. Dexter

    -

    06/02/2011 às 21:32

    Oi Ricardo.
    Li a reportagem completa.
    Imediatamente me lembrei de seu post de 26/11/2010 cujo título era :”Nesse presídio bandidos cariocas veriam o que é bom para tosse.”
    Referia-se ao presídio de Presidente Bernardes-SP, único de segurança máxima no Brasil.
    Ou seja, apesar de termos pelo menos uma alternativa, ninguém encara. É o paraíso dos bandidos. De todas as categorias.
    E a conta vem sempre para nós.

    Que legal que você lembrou… Eu bem que disse…

    Eu já havia apontado problemas no presídio federal de Catanduvas, também.

    Quanto a Bernardes, da última vez em que chequei, havia mais de 50 vagas na barra pesada do Centro de Readaptação Presidente Bernardes (não confundir com a penitenciária existente na mesma cidade), que é onde o Fernandinho deveria estar. Lá não passa nem pensamento. O governador Alckmin anunciou a construção de novos presídios do mesmo tipo no Estado de São Paulo.

  41. sidney

    -

    06/02/2011 às 21:09

    Setti !!!!!
    Simplesmente – RIDUCULA/VERGONHOSA – a situacao !!!
    Infelizmente eeeee uma realidade – A CEU ABERTO – e nao vale a pena comentar mais.
    Que vergonha !!!!
    Abracos

  42. vera scheidemann

    -

    06/02/2011 às 20:44

    Triste, Ricardo, tristíssimo ! Uma reportagem
    dessas (e olhe que nem li a matéria completa) deixa
    a gente num desânimo profundo. Se foi possível
    chegar a todas essas informações para o artigo,
    por que (pergunta ingênua…) as autoridades
    competentes (ou incompetentes) também não as
    têm ? Por que ?????
    Um abraço desanimado.
    Vera

    Pois é, Vera…

  43. Diocleciano

    -

    06/02/2011 às 20:17

    Quem deveria está trancafiado em cadeia de segurança máxima são políticos corruptos que roubam dinheiro da sociedade. Que eu saiba Fernandinho Beira mar nunca roubou dinheiro público.
    Alías no Brasil traficantes de drogas têm os seus bens expropriados pela justiça com uma celeridade incrível.
    Por que o mesmo não se dá com os béns de políticos corruptos ??? Que é dinheiro público.
    Hein, Setti ???

  44. Zinha_09

    -

    06/02/2011 às 19:38

    Meu Deus! Mas não tem nem um homem de verdade que peite esse bandido e corte todas as suas mordomias dentro do tal presídio?

    Até qdo isso vai ser assim?

    Quem será,do presídio,que está em sua folha de pagamento p/ essa situação não mudar?

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados