Blogs e Colunistas

06/02/2012

às 20:53 \ Política & Cia

“Agência Brasil”, em gesto raro, reconhece que errou — e mostra como — ao noticiar mortes na desocupação de Pinheirinho. Só faltou, mesmo, pedir desculpas

A Polícia Militar de SP em ação na reintegração de posse do terrenho em Pinheirinho, em São José dos Campos (Foto: exame.abril.com.br)

Amigos do blog, rara, raríssima — e exemplar, sobretudo em se tratando de um ente público — a atitude da Agência Brasil, braço do complexo estatal federal de informações, de reconhecer que errou ao informar que tinha havido mortos na operação de reintegração de posse realizada pela Polícia Militar de São Paulo em um terreno invadido em Pinheirinho, distrito de São José dos Campos (SP), no dia 23 passado.

Boa a nota em que a agência explica o que houve, aponta onde errou e se propõe a rever procedimentos para esse tipo de perigosa desinformação não se repita.

Para ser perfeita, só faltou pedir desculpas ao público e às entidades prejudicadas, a começar pelo governo do Estado de São Paulo.

Leia a nota, intitulada Agência Brasil reconhece erro em notícia sobre mortes no Pinheirinho:

Brasília – A Agência Brasil errou no processo de apuração, edição e publicação da notícia OAB de São José dos Campos diz que houve mortos em operação no Pinheirinho, no dia 23 de janeiro.

A notícia foi publicada com base em entrevista concedida à TV Brasil pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São José dos Campos, Aristeu César Pinto Neto.

No entanto, não houve a devida checagem da veracidade da informação sobre supostos mortos na operação de reintegração de posse da área conhecida como Pinheirinho.

A entrevista foi gravada por uma equipe da TV Brasil que se deslocou para São José dos Campos, mas a parte que denunciava a morte não foi utilizada no noticiário televisivo por falta de confirmação ou comprovação.

No entanto, a reportagem da Agência Brasil em São Paulo teve acesso à íntegra da gravação e considerou a informação relevante e suficiente para ser publicada, tendo em vista o advogado ter se apresentado como representante de uma instituição respeitável.

A Agência Brasil, embora tenha atendido a exigência de identificação da fonte da informação, não seguiu os demais procedimentos da boa prática de apuração, como recomenda o Manual de Jornalismo da Radiobrás, que ainda está em vigência.

“”O jornalismo deve procurar o equilíbrio. O equilíbrio é o cuidado de ouvir os principais envolvidos e de apurar os aspectos mais importantes da notícia, para reportar os acontecimentos com objetividade. Ao apurar um fato, o jornalista deve analisar o interesse de cada pessoa ou grupo a ele relacionado. Tem que se perguntar quem é o afetado pela notícia e ir além da velha agenda de fontes, trazendo novos interlocutores para comentar o tema.

Ouvir sempre dois ou mais lados distintos de uma questão é fundamental para a equidade e para o desenvolvimento do trabalho de qualidade que a Radiobrás se propõe a fazer. Fontes da sociedade civil organizada devem ser consultadas e cidadãos não organizados devem ser considerados. A edição tem que se estruturar de maneira igualitária e seguir o bom senso. Cada personagem deve ocupar um tempo proporcional a sua importância relativa dentro da notícia. Quem foi criticado deve ter chance de responder”, diz o texto.

O Manual de Jornalismo da EBC, que está em fase de revisão, é claro ao exigir rigor nesse tipo de apuração. “Toda denúncia deve ser confirmada antes de ser publicada. A apuração de uma denúncia deve manter o seu caráter jornalístico, ou seja, a intenção de buscar informação para o cidadão não se confundir com a atuação da polícia, do Ministério Público ou de qualquer outro ente oficial de investigação. Se a denúncia tiver origem no trabalho do Jornalismo da EBC e não estiver publicizada por qualquer outro meio, deve-se conceder ao denunciado um prazo até 24 horas para sua manifestação”, diz o texto.

Neste caso, a denúncia estava publicizada, não apenas em redes sociais, mas até na imprensa internacional, que, antes mesmo da Agência Brasil, já mencionava a suposição de mortes. No entanto, a gravidade da denúncia requeria ao menos outra fonte fidedigna que a corroborasse.

Faz-se necessário assegurar aos nossos leitores que não houve má-fé da Agência Brasil ao publicar a matéria. Tampouco houve submissão desta agência a qualquer interesse de natureza política. O que ocorreu foi um erro jornalístico diante de uma situação de poucas e controversas informações em uma situação tumultuada.

A gravidade dos fatos e a urgência em noticiar informações sobre o assunto também levaram outros veículos a noticiar a possível ocorrência de mortes no conflito de Pinheirinho. É o caso do jornal britânico The Guardian, que informou ter recebido informações da mídia social que tratavam o despejo como um “massacre” e sobre a ocorrência de mortes não confirmadas.

“Ao longo do domingo [22], sites de mídia social estavam cheios de relatórios apocalípticos de um suposto “massacre” na comunidade. Um e-mail, enviado aos meios de comunicação internacionais, afirmou que havia relatos de que pessoas haviam sido mortas. A maior rede de TV do Brasil, a TV Globo, descreveu o despejo como “uma operação de guerra”, publicou o jornal britânico, na segunda-feira (23), às 15h27.

A matéria da Agência Brasil foi publicada às 17h30.

As informações controversas, no entanto, não justificam a falta de rigor nos procedimentos de apuração da notícia. No mesmo dia, às 22h15, a Agência Brasil publicou a matéria Terreno do Pinheirinho deve R$ 16 milhões em impostos, diz prefeitura de São José dos Campos, na qual o prefeito do município, Eduardo Cury, negava a ocorrência de mortes.

No dia seguinte, a Agência Brasil publicou uma reportagem com a negação da existência de mortes. A matéria Autoridades negam que tenha havido morte durante desocupação em São José dos Campos foi publicada às 14h01 de terça-feira, dia 24.

Para evitar o mau entendimento do leitor, a Agência Brasil ainda anexou à primeira matéria, que tratava da possibilidade de mortes, o link da segunda, que desmentia a informação. Além disso, cuidou de acrescer à primeira matéria uma explicação sobre o ocorrido.

A Agência Brasil reconhece, no entanto, que uma vez publicada uma informação, mesmo de uma fonte supostamente crível, sem a devida checagem, foi cometido um erro de difícil reparação. Ampliado pelo fato de o título da notícia não ter deixado claro que a informação era do presidente da Comissão de Direitos Humanos, e não da OAB.

Reconhece também que a tentativa de correção do erro no noticiário seguinte foi insuficiente. Deveria ter sido enfatizada para alcançar a mesma amplitude da denúncia incomprovada.

Por isso, a Agência Brasil está reorientando seus profissionais e revendo seus procedimentos internos para evitar que erros como esse ocorram novamente em seu noticiário.

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

43 Comentários

  1. Corinthians

    -

    12/02/2012 às 0:37

    Pedro Luiz Moreira Lima – 11/02/2012 às 10:27
    Bom fim de semana para você também.
    Bom, as perguntas permanecem, assim como os argumentos (até por que não acusei o desembargador aposentado de ser de partido nenhum). Acho que como adendo ao meu último comentário só posso colocar que fico feliz de ele ser um desembargador aposentado, por que decidir contra a letra da lei não é algo que eu espero.
    Mas quem sabe um dia terei as respostas para as perguntas que fiz ? Acho difícil por que aí acaba a mágica dos protestos, não é mesmo ?
    Quanto ao fato de ser da maioria, só apontei isso por que você colocou o artigo dizendo-se que “não está sozinho”, como que em um desabafo de solidão… fico feliz de saber que você está em paz consigo mesmo – nunca achei que fosse diferente.

  2. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    11/02/2012 às 10:27

    Amigo Corinthians:
    Coloquei o artigo de um Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo – nada do PSTU,nada do PT um homem da lei – Juiz e Desembargador – publicado em nenhum órgaõ de Partidos Politicos e sim na Folha de São Paulo.
    Se nada esclaresse – ao menos tomou conhecimento que a Justiça como diz o Desembargador – ” Não é Monolítica.”
    Quanto a estar com a MAIORIA,só posso dizer estou com aquilo que acredito e sempre acreditei e em paz comigo mesmo.
    Bom fim de semana para vc.
    Pedro Luiz

  3. Corinthians

    -

    11/02/2012 às 1:10

    Pedro Luiz Moreira Lima – 10/02/2012 às 18:36
    Quase achei que estavam usando seu nome incorretamente, afinal este artigo em nada esclarece ou responde o que foi colocado anteriormente.
    1) Os invasores pacíficos eram liderados por pessoas do PSTU que cobravam taxa para que os pobres morassem em terreno invadido, como se essa liderança fosse dona do território. Isso é correto ?
    http://www.youtube.com/watch?v=kVe_UxICXjY&feature=player_embedded
    2) O que quer dizer “não houve mortes (finalmente o reconhecimento, diga-se de passagem, depois de tantas mentiras) por que a população era pacífica ?” Quer dizer que o correto seria a população pegar em armas e ir contra a força policial, que cumpria uma decisão judicial ? Talvez fosse esse o desejo de desembargadores e defensores públicos, depois de que sua incompetência e partidarismo foram tornados públicos, assim com mortos poderiam então fazer sua pregação. Mas também devo colocar aqui de novo os links do povo pacífico:
    http://2.bp.blogspot.com/-gl2JhYBkd-I/TylHwyFfxBI/AAAAAAAAJlk/gTGKGZ3wikQ/s1600/O%2BMassacre%2Bde%2BPinheirinho%2BA%2Bgrande%2BMENTIRA.jpg
    http://1.bp.blogspot.com/-QAm-tsVHIB4/TyLQhXPnvtI/AAAAAAAAGx0/t5dwS0K-uho/s640/resist%25C3%25AAncia-no-Pinheirinho.jpg
    3) É mais falácia, ainda mais de um desembargador, querer ele ser a pessoa a definir o que é “função social” da propriedade. Recomendo a ele ler o Artigo 182 para ver o que é definição de “função social” antes de escrever bobagens como esta.
    Isso para ficar no Pinheirinho e nas mentiras partidárias que vemos espalhadas repetitivamente por aí, principalmente por pessoas que deveriam saber um pouco sobre o que é estado de direito e sobre a lei. Vergonha é ver que além de mentir existem desembargadores e defensores públicos que são contra a aplicação da lei.
    Podemos voltar agora as perguntas de cunho ideológico que nunca são respondidas por aqueles que se consideram lutar por uma ideologia…
    - Por que quem invadiu o terreno teria preferência para ganhar um pedaço de terra sobre quem mesmo sendo pobre, sem casa e ganhando menos que um salário mínimo nunca invadiu nada ?
    - Por que a lei tem que ser cumprida em alguns casos e não em outros ? O que qualifica alguém para ser tratado como ente superior à lei ? O que qualifica uma área para ser tratada como soberana para não ter o poder público – que é representado também pela polícia, bombeiros, judiciário ?
    - Por que o caso do Pinheirinho, onde houve uma reintegração de posse depois de 8 anos, com ordem judicial e acompanhamento é criticada como uma ação violenta (imagine você sem seu carro por 8 anos por que foi tomado pela causa social, e a reintegração de posse só se dá depois deste período e ainda tem que escutar que como faz tempo, a reintegração de posse não deveria ocorrer), enquanto que na Brasilândia, Fazenda Sálvia, e tantas outras terras da União o governo federal retira os invasores sem ordem judicial e com muita violência, vários feridos e pessoas que ficaram cegas não faz parte da ideologia ?
    - Por que Cuba não é colocada como ditadura, mas a ditadura militar brasileira de 1964 sim ? Por que aceitam-se partidos comunistas, mas não partidos fascistas ou nazistas ? O que afinal define uma ditadura ?

    P.S. Você não está sozinho não, na verdade você é maioria.

  4. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    10/02/2012 às 18:36

    Grande Corinthians:- Grande abraço e não estou tão sozinho assim.
    Artigo do Desembargador Jose Osorio de Azevedo jr,publicado na Folha de São Paulo no dia 09/02/2012 na pag 03 – Tendencias e Debates.

    Ainda o Pinheirinho
    “Os fatos são conhecidos: uma decisão judicial de reintegração de posse sobre uma favela. A ocupação começou em 2004, por pessoas necessitadas de moradia.
    Segundo a Folha, a proprietária obteve reintegração liminar em 2004. Durante um imbróglio processual, os ocupantes permaneceram. Em 2011, uma nova decisão ordena a reintegração. Foi essa a ordem que o Poder Executivo cumpriu no dia 22 de janeiro, com aparato policial, caminhões e máquinas pesadas.
    A ordem era, porém, inexequível, pois, em sete anos, a situação concreta do imóvel e sua qualificação jurídica mudaram radicalmente.
    O que era um imóvel rural se tornou um bairro urbano. Foi estabelecida uma favela com vida estável, no seu desconforto. Dir-se-á que a execução da medida mostra que a ordem era exequível. Na verdade, não houve mortes porque ali estava uma população pacífica, pobre e indefesa.
    Ninguém duvida da exequibilidade física da ordem judicial, pois todos sabem que soldados e tratores têm força física suficiente para “limpar” qualquer terreno.
    O grande e imperdoável erro do Judiciário e do Executivo foi prestigiar um direito menor do que aqueles que foram atropelados no cumprimento da ordem.
    Os direitos dos credores da massa falida proprietária são meros direitos patrimoniais. Eles têm fundamento em uma lei também menor, uma lei ordinária, cuja aplicação não pode contrariar preceitos expressos na Constituição.
    O principal deles está inscrito logo no art. 1º, III, que indica a dignidade da pessoa humana como um dos fundamentos da República. Esse valor permeia toda a ordem jurídica e obriga a todos os cidadãos, inclusive os chefes de Poderes.
    As imagens mostram a agressão violenta à dignidade daquelas pessoas. Outro princípio constitucional foi afrontado: o da função social da propriedade. É verdade que a Constituição garante o direito de propriedade. Mas toda vez que o faz, estabelece a restrição: a propriedade deve cumprir sua função social.
    Pois bem, a área em questão ficou ociosa por 14 anos, sem cumprir função social alguma. O princípio constitucional da função social da propriedade também obriga não só aos particulares, mas também a todos os Poderes e os seus dirigentes.
    O próprio Tribunal de Justiça de São Paulo já consagrou esse princípio inúmeras vezes, inclusive em caso semelhante, em uma tentativa de recuperação da posse de uma favela. O tribunal considerou que a retomada física do imóvel favelado é inviável, pois implica uma operação cirúrgica, sem anestesia, incompatível com a natureza da ordem jurídica, que é inseparável da ordem social. Por isso, impediu a retomada. O proprietário não teve êxito no STJ (recurso especial 75.659-SP).
    Tudo isso é dito porque o cidadão comum e o estudante de direito precisam saber que o direito brasileiro não é monolítico. Não é só isso que esse lamentável episódio mostrou. Julgamento e execução foram contrários ao rumo da legislação, dos julgados e da ciência do direito.
    Será verdade que uma decisão tem de ser cumprida sempre? Só é verdade para os casos corriqueiros. Não para os casos gravíssimos que vão atingir diretamente muitas pessoas indefesas.
    Estranha-se que o governador tenha usado o conhecido chavão segundo o qual decisão judicial não se discute, cumpre-se. Mesmo em casos menos graves, os chefes de Executivo estão habituados a descumprir decisões judiciais. Nas questões dos precatórios, por exemplo, são milhares de decisões judiciais definitivas não cumpridas.”
    Desembargador Jose Osorio Azevedo jr
    Desembargador aposentado 78 anos do Tribunal de Justiça de São Paulo e Professor de Direito Civil desde 1973

  5. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    10/02/2012 às 14:53

    AQmigo de blogue Corinthians:
    Estão tá!
    AQbrção
    Pedro Luiz

  6. Corinthians

    -

    10/02/2012 às 1:06

    Pedro Luiz Moreira Lima – 09/02/2012 às 17:48
    Pedro,
    Na verdade este post realmente me deixou um pouco mais feliz. Por que deu ainda mais razão aos meus argumentos – e nem precisou de muita coisa, logo no início fica o vazio de reconhecer Cuba como uma ditadura. Quando tiver disponibilidade financeira, não se esqueça de verificar o por que Cuba tem tantas inovações tecnológicas e tantas descobertas científicas, além de escritores renomados, hospitais de nível reconhecido, entre outros. Claro, todos os números devem vir da democracia Cubana, aquela de partido único, e que uma pessoa precisa pedir permissão para sair do país. Onde não há presos políticos, onde há liberdade de expressão, instituições saudáveis, enfim…
    Só isso bastaria para encerrar o caso, mas fomos brindados ainda com argumentos como:
    “O governo da Italia era o Partido Democrata Cristão – apesar na época ser dito como uma perfeita democracia – hoje os fatos e a história mostraram que a perfeição quando NUA era horrivel.Torturas,mortes nas prisões da Italia de militantes de esquerda eram comuns, e não eram esporadicas – foram diversos casos para se afirmar que foram comuns.As leis foram alterdas e dentro de uma visão de direitos humanos – eram inaceitaveis e por fim os militantes de extrema direita ficaram sob proteção da “LEI” ou “Não achados.”” – como se isso tornasse Battisti inocente, ou então fizessem com que o tratado de extradição fosse apagado…
    “Um fato importante e essencial – a MAFIA infiltrada em toda a cupula do governo e dos partidos, e aí tanto de esquerda,centro e direita – e seus principais dirigentes presos pelas Mãos Limpas – o Vaticano se safou o Banco Ambrosiano e a LOJA P-2, pela simples força de ser Vaticano – enfim esgoto para tudo do que lado.” – resumindo, basicamente seu argumento é, já que alguns não foram punidos, que não se puna ninguém, correto ? Por que aqui argumentação da inocência de Battisti não vimos…
    Aí o que acho mais interessante – depois de “defender” as leis brasileiras para dar asilo ao Battisti, defende que estas mesmas leis sejam quebradas no caso da Cutrale… sim, por que aos olhos da lei, a Cutrale ainda é dona do terreno e o Incra não conseguiu provar o contrário.
    Claro que ainda fica a pergunta – por que os vândalos do MST tem mais direito àquelas terras do que a filha do gari que trabalha para pagar aluguel ? Essa realmente ninguém vai responder…
    A IDEOLOGIA não morreu – só morreu a maioria de seus defensores.
    Sim Pedro, por que ideologia é defender idéias – por exemplo, a idéia de que ditaduras são ruins, isso pode ser considerado uma ideologia.
    A coisa descamba para o PARTIDARISMO quando alguém se diz contra ditaduras, mas só se manifesta/critica as ditaduras que considera de direita, e não as de esquerda. A coisa se perde no PARTIDARISMO quando alguém se diz a favor do estado de direito e do cumprimento de decisão judicial, mas vive a achar que o estado de direito é transgredido quando a lei é mantida – e claro, isso somente quando contra governos de oposição (ou teríamos tido já alguma opinião sobre a Fazenda Sálvia ou Brasilândia – sempre tão coincidentemente esquecidos nos comentários)…
    Realmente não havia melhor maneira de reforçar minha argumentação.

  7. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    09/02/2012 às 17:48

    Caro Corinthians:
    Se tivesse disponibilidade financeira gostaria de conhecer Cuba e Venezuela – lógico que iria conhecer os pontos turisticos e tambem ver os sistemas de educação,saude e mesmo politico para decidir se são Inferno/Céu/Purgatorio.
    As opiniões são sempre de amor e ódio – não quero ter uma defição entre dois extremos – é o que tenho a dizer sobre esses dois paises.Espero por melhor situação finceirae acredite amigo – se uma dia for – terá uma visão honesta de minha parte.
    Ao Battisti – seu asilo no Brasil esta dentro das leis brasileiras,foram tantos julgmentos e hoje acho que não paira nenhuma duvida juridica sobre o assunto.Seu julgamento na Italia: foram tantos pontos obscuros, é necessario que eu vá aos googles da net e mostrar um a um.Acho que não é necessario, a mim os pontos obscuros foram suficientes em acreditar na inocencia de Battisti e colocar em duvida no caso, a Justiça Italiana.
    O governo da Italia era o Partido Democrata Cristão – apesar na época ser dito como uma perfeita democracia – hoje os fatos e a história mostraram que a perfeição quando NUA era horrivel.Torturas,mortes nas prisões da Italia de militantes de esquerda eram comuns, e não eram esporadicas – foram diversos casos para se afirmar que foram comuns.As leis foram alterdas e dentro de uma visão de direitos humanos – eram inaceitaveis e por fim os militantes de extrema direita ficaram sob proteção da “LEI” ou “Não achados.”
    Escrevo os fatos cima de memória de vários artigos lidos – uma boa voltar e pesquisar os fatos acontecidos na Italia por todos nós – a história não se esconde para sempre.
    Um fato importante e essencial – a MAFIA infiltrada em toda a cupula do governo e dos partidos, e aí tanto de esquerda,centro e direita – e seus principais dirigentes presos pelas Mãos Limpas – o Vaticano se safou o Banco Ambrosiano e a LOJA P-2, pela simples força de ser Vaticano – enfim esgoto para tudo do que lado.
    Hoje na Folha de São paulo saiu um artigo do Dembargador José Osório de Azevedo jr – 78 anos,Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo e prof de Direito Civil desde 1973 – Pag A3 – Tendencias e DEbates – 09/02.2012.
    Vou transcreve-lo e pedir ao Setti para fazer um POST – “Ninguem duvidada exequibilidade fisica da ordem judicial,pois todos sabem que soldados e tratores têm força física suficiente para “LIMPAR” qualquer terreno.
    O grande e imperdoavel erro do judiciario e executivo foi prestigiar um direito menos do que aqueles que foram atropelados no cumprimento da ordem.” um pequeno trecho do artigo do Desembargador.
    A Cutrale invadiu terras publicas destinadas a Reforma Agraria pelo INCRA – destruiu a mata nativa e fez sua plantação de laranjas,não sou jurista mas crime ecologico,crime de frauderuade,crime de ivasão de terras publicas – mais tarde a Cutrale reconheceu seus atos ilegais, a imprensa deu um destaque rapido e os agricultores do MST de terras destinadas a Reforma Agraria os criminosos?e expulsos?
    Amigo sem certeza a Cutrale ainda esta la – dessa vez com a Justica Federal,Legislativo Federal e Executivo Federal no apoio do – Sagrado Direito de Grandes Propriedade RURAIS e URBANOS – das UDRs rurais e urbanas – viu Reynaldo BH? o jargáo sáo deles.
    Quando se diz IDEOLOGIA MORREU – náo sei a exata defini;áo de IDEOLOGIA mas em minha visáo e a procura,o sonho de uma vida justa e humana – se citar o nazismo,o fascismo náo considero ideologia e sim algo doentio, do MAL – se citar o COMUNISMO,SOCIALISMO náo sou um teorico para defender – mas os teoricos MARXISTAS e SOCIALISTAS náo os confundem com Stalins e cia.
    E isso que quando falo de assuntos NACIONAIS tiro o PARTIDARISMO e uso apenas a BANDEIRA DO BRASIL – sáo tentos os nosso problemas que se formos debater com visóes partidarias e vendo simplesmente a chegada ao PODER – pergunto que funcáo sera o uso do PODER?
    Um vez acusaram Francisco Juliáo, das Ligas Camponesas,um homem extraordinario – repondeu mais ou mmenos assim- ~sou agitador sim! agitar e vida,quem náo se agita morre…achar para colocar aqui.
    Tentei responder a todas suas indagacóes e espero ter sido claro – náo peco que concorde – acredito nelas.
    Abra;áo
    Pedro Luiz

  8. Corinthians

    -

    09/02/2012 às 1:49

    Pedro Luiz Moreira Lima – 08/02/2012 às 1:28
    Você pichou muros contra a ditadura “fascista” civil-militar de 1964 ? Parabéns.
    Desculpe se parece pouco, é que soube da história do brigadeiro aqui pelo blog do Setti mesmo, e fico extremamente estonteado em vê-lo defendendo absurdos e que a lei seja quebrada, justamente da mesma maneira que a lei foi quebrada prejudicando o brigadeiro.
    Fico estarrecido com a defesa que foi feita do Battisti, depois dizendo que foi baseada somente em reportagens – desconsiderando a lei brasileira, a recomendação do STF e o tratado de extradição que temos com a Itália, uma democracia.
    Não Pedro Luiz, eu não cobro que você defenda ditaduras – nenhuma deve ser defendida. O que cobro é justamente o contrário, que ao invés de se esconder falando em ideologia, largue o partidarismo e critique o que realmente tem que ser criticado – seja a ditadura fascista ou comunista. Um dia você me disse que nós tínhamos em comum chamar ditaduras de ditaduras – eu discordo, não acho que você chame ditaduras de ditaduras – só as chama assim se forem de direita, por que não me lembro sinceramente de ver nenhuma crítica à Cuba (nem de chamar Cuba de ditadura).
    Que seja coerente, e não defenda que um grupo que não é eleito por ninguém, não respeita a lei por não ter CNPJ, tenha o direito de invador terras – que apesar de você dizer que não são da Cutrale – também deve ser com base em reportagens – que pelo menos que respeite a decisão do juiz. E que se for defender a desapropriação de terras para reforma agrária, que não dê preferência ao agitador de plantão que contra a lei invade terras, e que sim elas sejam divididas entre todos os que realmente precisam – seja do MST ou não.
    Que largue o partidarismo e pare de criticar somente quando algo ocorre em região ou governo considerado de oposição, e tenha coerência de criticar a polícia que sim, com evidências abusou da força deixando pessoas cegas, ao invés de inflamar as mentiras como mortos do Pinheirinho, inexistentes.
    Que tenha coerência para, enfim, exercer a ideologia, e não partidarismo. Por que se dizer contra ditaduras, mas apoiar o que ocorre na Venezuela e em Cuba é partidarismo, e não ideologia. Por que criticar desocupações em SP mas se calar sobre as desocupações promovidas sem ordem judicial pelo governo federal, é partidarismo, e não ideologia. Por que apoiar que certas pessoas tenham direito à um terreno, mesmo que ache elas devam ter prioridade por ter invadido enquanto outras tentam juntar um mínimo para viver de aluguel sem desrespeitar a lei devam esperar, mas sem criticar que o líder destas pessoas (que vive em outro lugar diga-se de passagem) e cobre uma taxa para estas pessoas viverem em terreno invadido – isso é partidarismo, e não ideologia.
    E isso está muito longe de querer um Brasil melhor, e de ser contra ditaduras.

  9. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    09/02/2012 às 0:23

    Uma nota de cidadnia da PM do Maranhão aos brasileiros.
    Pedro Luiz
    MOMENTO HISTÓRICO NO MARANHÃO.
    POLICIAIS EM GREVE ADMITEM E PEDEM DESCULPAS POR ABUSOS COMETIDOS CONTRA MOVIMENTOS SOCIAIS, APÓS MANIFESTAÇÃO DE APOIO DA POPULAÇÃO E DE VÁRIOS SEGMENTOS DA SOCIEDADE.
    ENQUANTO ISSO GOVERNO DO ESTADO AMEAÇA À TODOS COM O EXÉRCITO E FORÇA NACIONAL NAS RUAS.
    http://hugo-freitas.blogspot.com/2011/12/documento-historico-em-carta-aberta.html
    DOCUMENTO HISTÓRICO: Em “Carta Aberta à População”, Policiais Militares pedem desculpas por excessos históricos

    Uma visita inesperada de cerca de 100 manifestantes quilombolas à sede da Assembleia Legislativa, onde estão acampados os militares grevistas desde o último dia 23/11, se constituiu num momento histórico nas relações entre policiais e integrantes de movimentos sociais.

    Os quilombolas foram à AL demonstrar seu apoio ao movimento de PMs e bombeiros, que reivindicam melhores salários e condições dignas de trabalho há uma semana.

    O ato de união se deve a um manifesto emitido pelos militares, no dia 29/11, no qual a classe reconhece ter cometido abusos contra organizações populares.

    Por meio de Carta Aberta, os policiais militares pediram desculpas aos quilombolas, assim como aos indígenas, homens e mulheres do campo, além de lamentarem o passado turbulento de conflitos entre militares e os agrupamentos sociais.

    Confira, na íntegra, a carta aberta dos militares à população:

    Carta aberta à população brasileira

    Hoje, quando a nossa categoria está em greve em todo o Maranhão, está chegando a São Luís grupos de quilombolas e de lavradores sem terra. Eles, que após sucessivos acampamentos, vem novamente à nossa capital, desta vez para tratar com o presidente nacional do INCRA.

    Sabemos que, historicamente, a relação entre a Polícia Militar e as organizações populares em nosso país não é boa. Porém, neste momento importante da história, onde lutamos por dignidade e melhores condições de trabalho, achamos oportuno falar desta outra luta, travada pelos homens e mulheres do campo. Primeiro, temos que lamentar pela violência, oriunda dos conflitos de terra. Infelizmente ela acontece e nós, ao longo do tempo, tivemos nossa parcela de responsabilidade neste problema. Admitimos os nossos excessos e, agora, pedimos desculpas por eles.

    Por outro lado, agora, quando grande parte da sociedade maranhense está sendo solidária conosco, queremos também deixar clara a nossa solidariedade com a luta dos quilombolas, dos índios, dos sem terra! Somos o mesmo povo, vítimas da mesma opressão, da mesma exploração que se alastras pelos quatro cantos do Maranhão!

    É importante, antes de tudo, reconhecer que nós somos todos irmãos!

    Hoje, nós estamos acampados na Assembléia Legislativa, querendo condições de trabalho para sustentar nossas famílias, enquanto eles querendo a terra, também para comer e sustentar os seus filhos. É nosso desejo que – nesta circunstância absolutamente atípica – se possa tentar inaugurar um novo momento entre os servidores públicos militares do Maranhão e as organizações sociais do campo e da cidade.

    Achamos importante dar este exemplo para o Brasil, mostrando o verdadeiro valor do nosso povo, a grandeza da nossa gente e gritando bem alto que hoje, no Maranhão, não se consente mais esperar!

    São Luís, 29 de novembro de 2011
    Associação dos Servidores Públicos Militares do Maranhão

    Hugo Freitas

  10. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    08/02/2012 às 23:01

    Ô ReynaldoBH:
    Quem esta chamando voce de bicha,quem esta falando mal das “menininhas do colegio Sion” talvez não saiba é um maneira de nós cariocas brincarmos um com o outro -”Tá parecendo menininha do Sion” ou “Tá cheio de não me toques.”
    Não sou homofóbico – nascemos com a nossa sexualidade definida – Hétero/Homo.
    Certa vez na R.Figueirrdo Magalhães (RJ COPA),estavamos conversando,rapazes e moças,quando apareceu a figura simpatica e muito querida por todos -Evandro de Castro Lima – figura carimbada no Carnaval do Rio e disputava os famosos concursos de fantasia do Municipal,seu principal concorrente era outra figura querido e amado também por todos no Rio – Clovis Bornay.
    Quando o Evandro de Castro Lima aparecia, era um papo alegre,engraçado e cheio de tiradas fantasticas – numas dessas passou por nós uma pessoa toda delicada,rebolativa e cheia de suspiros – comentario do Evandro:”Hummmmm Bicha!Ai! muito mais, Bicha e ainda Louca!” a risada foi geral e foi a primeira vez que ouvi o termo “BICHA LOUCA.”
    Assim terrmino – sua filha é ótima assim como todas que estudaram no Sion ou não – “menininha do Sion” não é e nunca foi um termo pejorativo as moças que estudaram/estudam no tradicional colégio de freiras – apenas um jargão do bom humor carioca e comentario entre nós os homens de dizer “tá cheio de não me toques.”
    Termino mesmo – minha resposta anterior a voce – era para dizer – Bobagem Voce Sair – e fazer o uso do bom humor – quanto mais debates mais ABUNDANTES será a sabedoria – melhor parar me dira que chamo a SABEDORIA de ter “muita bunda.”Não leva o ultimo comentario a ferro e fogo – ABUNDANTE não é palavrão
    Pedro Luiz
    Termino tmbém por aqui.

  11. Luiz Pereira

    -

    08/02/2012 às 19:20

    Reinaldo – BH, boa tarde,

    Eu, se fosse vc, não deixava de postar por aqui. Apenas, sempre que julgar que qq debate foge ao escopo principal, ignore quem o admoesta.
    Sair, de certa forma significa se render – como parece fazer a tímida oposição política brasileira.
    Sair, significar dar espaço. E dar espaços, quaisquer espaços, a tendências que visam sufocar a liberdade de opinião (e que no futuro, se bem sucedidas, sufocarão até os que hj são seus).
    Lembremo-nos de Churchill. Ele nunca foi enganado nem por Hitler e tampouco por Stalin. Achava até Stalin chefe de um regime mais perigoso a longo prazo. Mas, no calor da guerra, disse que se Hitler invadisse o inferno teria uma palavra boa para o diabo. E a teve, considerando que Stalin era um diabo em figura de gente.
    Postando nossa opiniões – contra a mistificação, contra uma pessoa como Lula que luta para apagar o mensalão (tenho orgulho de ter votado em FHC. Ele nunca se disse perfeito e reconheceu que houve corrupção em seu governo. Porém, nunca a estimulou) – damos sinal de vida.
    O Brasil vai superar os Zédirceus, o Joões Paulo Cunha, os Collors e sarneys revigorados por Lula, vai superar a falsa gerente Dilma e o traficante de influência Lulinha (quando PHC quis se meter a lobista FHC deu-lhe um passa fora).
    No entanto, para que haja essa superação é preciso que nossas vozes existam colocando no ar, nos posts, idéias que confrontem as de quem preside hj o país.
    att

  12. Reynaldo-BH

    -

    08/02/2012 às 18:22

    Parece que a coisa não acaba. Serei breve. Não nutro mágoas por ninguém. Mágoa é sentimento que se sente só e faz mal a si mesmo. Assim sendo, pulemos esta parte.
    Não sou “menininha”. E menos “menininho do Sion”. Você errou acertando. Minha filha pode ser, na sua visão, uma “menininha do sion. Estudou durante anos no colégio do Sion onde Dilma estudou. Bem, tenho imenso orgulho dela. Faz duas faculdades, vai estudar na Espanha (Barcelona) em 2013 por 6 meses, é leitora voraz e participante ativa de movimentos sociais. E é sim uma “menininha do Sion”. Estranho não é?
    Biquinhos… deixa prá lá. Reduzir desconfortos a isto, não cabe em minhas visões de mundo.
    Bichas loucas. Ainda ninguém me chamou (idem a você).
    Não sou e não acuso alguém de ser.
    Mas estes assuntos sexuais, resolvo na cama com minha companheira. Prefiro assim. Assim, passo.
    E sem querer ter a dita última palavra (nunca encontrei assunto nenhum que tenha efetivamente uma “última palavra”) só peço: fiquemos por aqui.
    Agradeço.

  13. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    08/02/2012 às 17:27

    Reynaldo BH :
    Copiei todas as suas argumentações e ao lado as minhas discordancias.
    A palavra “SAGRADO” DIREITO A PROPRIEDADE é o termo sempre utilizado pelas UDRs e afins – não considero “Sagrado” e sim “PECAMINOSO” as grande extenções agraria e urbanas obtidas pela PISTOLAGEM,FRAUDES – lembra a CUTRALE?aqueles laranjais estavam em TERRAS PUBLICAS e ainda RESERVDA PARA A REFORMA AGRARIA – o MST LEGITIMAMENTE OCUPOU UMA TERRA PUBLICA DESTINADA A REFORMA AGRARIA e a CUTRALE? essa sim INVADIU E APOSSOU DO QUE NÃO ERA SEU – mesmo assim utilizaram o termo de “SAGRADO” DIREITO A PROPRIEDADE – o ESTADO DE DIREITO??? retirou os SEM TERRA do MST e a CUTRALE CONTRA O VERDADEIRO ESTADO DE DIREITO continua lá!mas apesar de não gostar do termo,continuo a utilizá-lo ironicamente contra Barões de grande terras agrarias e urbanas – como os “NOSSOS SAGRADOS” DIREITOS DE PROPRIEDADE. A nossa JUSTIÇA ELITISTA,LEGISLATIVO ELITISTA,EXECUTIVO ELITISTA e apoiados por FORÇA ARMDAS e FORÇAS PARAMILITARES defendem do que chama ESSE “ESTADO DE DIREITO” e esse jamais será meu ESTADO DE DIREITO por mais LEGAL e JURIDICAMENTE DENTRO DA LEI na DEFESA de “SAGRADOS” DIREITOS sempre na contramão do VERDADEIRO ESTADO DEMOCRATICO,JUSTO e HUMANO.
    Leia e releia todas sua criticas e verá as minhas as suas – não aceitando seus PETRALHAS(UTILIZOU,SIM!) não nesses mais em outros sim,LULOPETISMO e outros.Enquanto o POST do blogue era sobre TERRAS,PRIVATIZAÇÔS,FORÇAS ARMADAS – jamsi partdarizei os temas e sempre continuo a insistir em DEBATES POLITICOS – como DIREITOS HUMANOS,COMISSÂO DA VERDADE,QUESTÂO MILITAR NO BRASIL,REFORMA AGRARIA E URBANA,AS PRIVATIZAÇÔES e quantas queiram colocar – mas nunca dentro de linhas tipo – “LULOPETISMO”,”PETRALHAS” e alguns extrapolam “VÁ PARA CUBA,COREIA DO NORTE,CHINA…”aí ReynaldoBH é não querer debater e sim DESQUALIFICAR O DEBATE.
    Abrços e se estiver magoado – releia tudo que escreveu e reveja”LULOPETISMO”"PETRALHAS”"CHAPAS BRANCAS”… quando o assunto era de POLITICA e NÃO POLITICA PARTIDARIA – existe um ditado popular -” quem bate esquece,quem apanha não” MAGOA quem vem de lá,MAGOA que vem de cá.
    Lamento sua decisão de sair mas é a sua e RESPEITO, agora sem BIQUINHOS já não somos “MENININHAS DO SION” o termo não tem nada haver com a Presidenta(o) Dilma, e sim do tipo”Estou mais magoado que voce” – assim nos chamarão não apenas de BICHAS – pior de BICHAS LOUCAS!
    Abração
    Pedro Luiz

  14. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    08/02/2012 às 16:43

    Contra Petista:
    Olha lamento dizer – PIOU, errado!
    Os argumentos de minhas discordancias politicas com o Reynaldo Bh saõ puramente politico e não pessoal.
    Estupidez é considerar vozes discordantes – coloco os argunentos do Reynaldo BH e os debato – e em nenum momento cometi um ATO DE ESTUPIDEZ contra ele.
    ReynaldoBH é enfático em seus pontos de vista e também o sou,simples assim!
    Escrever mal ou bem – é julgamento de cada um, aqui dou minha opinião sem querer ser Machado de Assis, ou irá contra a educação e ética dos blogues na procura de meus eventuias erros de portugues que devem ser muitos?isso é usado como tática de desqualificação do debate.
    Tenho apenas um fonte de renda e nela o PT não esta.
    Quanto sua preferencia pelo texto de ReynaldoBH é legitimo,agora vamos as quetões de educação:
    1 – me chamar de RADICAL não me ofende – existem interpretações para a palvra RADICAL e nenuma delas é ofensiva – agora “O TAL” Pedro Luiz,aí é o se chama de “ESTUPIDEZ” – me apresento como Pedro Luiz Moreira Lima, nome completo daí dispensa o termo “O TAL” é deselegante e estupido.
    Contra Petista – se quer debater pela visão de eu ser PETISTA é bobagem – VOTO no PT e nos demais partidos com exceção do PMDB,PTB,PSDB,DEM e outros que possuem a mesma vião economica e politica – aí voce procura os blogues diretamente ligados ao PT e seja contra!
    Ser contra minha visão de politica,economia,social,de time… seja benvindo assim como os que discordam de mim da mesma maneira dos que concordam.
    Agora sem “O TAL” e “ESTUPIDEZ”,tá bom?
    Pedro Luiz

  15. Reynaldo-BH

    -

    08/02/2012 às 14:28

    Pedro Luiz,
    1 – Não vou polemizar.
    2 – Nunca individualizei críticas a ninguém, do tipo “você é isso ou aquilo.” Nem com outro comentarista qualquer.
    3 – Jamais pedi censura. Fiz questão de deixar isto claro.
    4 – Minha decisão de sair é somente para não ter que usar o espaço daqui para me defender de avaliações definitivas.
    5 – Chapa branca não é termo criado por mim. É de uso de muitos blogueiros. Petralhas jamais usei. Acho um rótulo ofensivo. Prefiro lulopetismo.
    6 – Ninguém tem que temer “minha censura’ e menos ainda do Setti. Aliás, ele está fora disto. Sou sim amigo dele e do Augusto Nunes. O que muito me orgulha. Jamais usei disto – uma identidade cultural e até de vida – para agredir alguém ou pedir censuras e coisas do gênero. O espaço é dele (assim como o do AN, idem) e ambos são provas que jamais ultrapassei a linha pela empatia que tenho com os dois. E a falta desta, me faz não estar em outros blogs.
    7 – Jamais disse ter vomitado ao escrever um texto. Minhas crises deste mal são de outra natureza. Nada agradável.
    8 – Quanto ao meu espírito autoritário é só mais uma (e espero que última) visão que você expõe de mim.
    9 – Debater não é agredir. antes, argumentar.
    10 – Continuo a tratá-lo do mesmo modo que sempre tratei. Quando me dirijo A VOCÊ especificamente, chma-o de amigo: de ter um humanismo acima dos padrões tristemente normais dos dias de hoje; de ser honesto de princípios. Talvez seja meu lado autoritário que – não sei por que – não se manifesta contigo. (E nem com o (a) Alcione, etc e tantos outros de quem discordei. Mas que nunca foram agressivos em respostas).
    Saio por que simplesmente cansei deste debate infrutífero. De ser rotulado de direitista, traidor de meu próprio passado, autoritário, defensor de barbáries, distante da “alta política”, etc. Chega?
    A mim me basta a resposta do amigo Setti ao meu post de saída: compreende minhas razões.
    (Talvez por que me conheça melhor do que você me conhece).
    E por favor, paremos por aqui.
    Respondi este último comentário seu pelas novas acusações. (espírito autoritário).
    Reynaldo.
    PS: não me julgue como se estivesse escrevendo exclusivamente para você. Quando assim é, cito. Meus exemplos de Hitler, Mussolini, Lênin e outros não foi para sua comparação. Eles são figuras históricas…. Foi para embasar argumentos.

  16. Contra Petistas

    -

    08/02/2012 às 11:16

    Estrenado aqui ni blog que leio sempre. O radical do tal de Pedro Luiz devia pegar o boné e ir ofender os outros em outro lugar. Os textos do Reinaldo-BH são excelentes e nunca li nenhuma ofensa dele para ninguém. Se for perguntado a quem le quem prrefere todo mundo cvai escolher o estilo do Reinaldo do que a estupidez deste Pedro que deve ser empregado do PT. E escreve mal. Peço ao Reinaldo que não saía e pulamos as agressões do Pedro.

  17. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    08/02/2012 às 1:28

    Amigo Corinthians.
    Sou brasileiro como voce – moramos no Brasil,temos visáo diferentes politicas,ideologicas,socias mas como voce seu desejo de um Brasil melhor e igual ao meu,nem menor e nem maior.
    Combati a ditadura fascsita civil militar de 1964 dentro do que podia fazer.
    Luto e continuo lutando pelo que considero um Brasil mais justo e humano e náo considero governo em quem votei como Ditadura.
    Discordo sim, aqui e ali mas o apoio.
    A Ditadura Fascista Civil Militar de 1964 – combati e mesmo algumas vezes na clandestinidade ao pichar muros.
    Na Nova Republica discordei de todos sem precisar de clandestinidade e hoje sinto conforto em apoiar os governos em quem votei como o de Lula e Dilma.
    Náo me cobre de apoiar Ditaduras, nunca fez parte de minha vida.
    Abra;áo
    Pedro Luiz

  18. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    08/02/2012 às 1:12

    Reynaldo Bh
    Todos aqui defendem suas ideias,todos aqui tiveram vitorias,derrotas,alegrias,tristezas,frustacóes.
    Todos aqui tëm familias,exemplos – em nada diferente de voce.
    Aqui temos aposentados,na ativa,empregados,desempregados,ganhando bem,mal ou mais ou menos – nada diferenciamos de voce.
    Todos aqui tivemos chefes simpaticos,antipaticos,bons,ruins,honestos, desonestos – nada diferenciamos de voce.
    Voce acusa os outros – proselitistas!petralhas!colericos histericos!…e outros adjetivos – discordar de voce e CALAR SUA VOZ?TENTATIVA DE RICULARIZAR VOCE?
    Agora me acusa de IMPLANTAR DITADURA? pelo simples fato de DISCORDAR de VOCE?
    PROSELITISMO,CHAPA BRANCA,COLERICOS HISTERICOS,PETRALHAS sáo suas palavras aos que náo aceitam as suas VERDADES ABSOLUTAS?
    Nunca pedi CENSURA a VOCE!NUNCA PEDI CEN SURA A NINGUEM!
    Minha DEMOCRACIA e a DEMOCRACIA do DEBATE,e a DEMOCRACIA da DISCORDANCIA principalmente o DIREITO de PENSAR DIFERENTE – sem chamar chamar os outros de PROSELISTISMO,COLERICOS e HISTERICOS,CHAPAS BRANCAS e PRINCIPALMENTE o TAL DE PETRALHAS como ponto final de qualquer debate.
    Voce cita Lenin,Czaristas,Mussoline,Hitler quem mais me compara?
    Na parte de votar – votei em Brizola,Lula( em todas as vezes) e agora Dilma e idolatrar DITADORES? – USEI A ARMA DA DEMOCRACIA,O VOTO!USO DA ARMA DA DEMOCRACIA NO LIVRE DIREITO DE CONCORDAR E DISCORDAR em ESPACOS DEMOCRATICOS E LIVRE COMO O DO SETTI e TANTOS OUTROS.
    Náo sou TORQUEMADA e NÄO SOU O DONO DA VERDADE se quer sair daqui e por sua vontade.Para mim sua opiniáo e táo valida como a minha,do Corithians e irei sempre quando achar discordar, como todos aqui fazem – náo diferente de voce.
    Quanto ao Setti – e o unico que mesmo discordando naó exerco o debate – PQ? MANTEM um espaco de absoluta liberdade de expreessáo, educacáo e civilidade – nao temo sua CENSURA e NUNCA SENTI ISSO AQUI POR PARTE DO SETTI.
    Tenho ao Setti um respeito absoluto e hoje uma amizade mesmo sem nos conhecermos – Náo conseguiria, discordo com os concordantes e em outra ocasióes discordo com os discordantes do Setti.
    Ao sair dessa maneira e chamando os outros de IMPOR PENSAMENTO UNICO( a mim principalmente)demonstra um VERDADEIRO ESPIRITO AUTORITARIO ou NÁO?
    Pedro Luiz

  19. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    08/02/2012 às 0:12

    REYNALDO BH – “Faltou um pequeno detalhe: o dr. ARISTEU PINTO é o ADVOGADO de uma das partes, ou seja, dos que ocupavam o Pinheirinho. Óbvio que estes moradores precisam e devem ter um advogado. É certo que este advogado seja o mais atuante possível na defesa dos interesses de seus constituintes.
    Mas é nojento, vergonhoso, imoral e antiético que um advogado se preste a: mentir sobre fatos acontecidos, apresentar-se como representante da OAB (que não é! Quem fala pelas seccionais é sempre o presidente da mesma) e que oculte ter interesse na causa (reintegração de posse).
    O Dr. Aristeu PERDEU a ação que determinou a desocupação (e me eximo de entrar no mérito). E resolveu fazer uso do proselitismo barato aliada a uma histérica e raivosa acusação, como defesa FORA dos tribunais.”
    Proselitismo? o que quer dizer de proselitismo politico? As suas opinióes sáo o que, pecas de alta filosofia? dos outros proselitismo?
    Mentiu em relacáo a dizer que houve mortes – tem certeza?coloca sua máo no fogo pela violencia da policia?viu os tiros,as pistolas apontadas?ainda náo se ouviu a parte violentada em seus direitos minimos – foram ouvidos?uma auditoria foi feita? Náo! palavras apenas da POLICIA e EXECUTIVO.
    Diz que o advogado náo pertence a OAB – tem PROVAS FATOS para compravar sua acusacáo?E mesmo náo sendo náo pode advogar?
    VOCE DIZ – O Dr. Aristeu PERDEU a ação que determinou a desocupação (e me eximo de entrar no mérito). E resolveu O Dr. Aristeu PERDEU a ação que determinou a desocupação (e me eximo de entrar no mérito). E resolveu fazer uso do proselitismo barato aliada a uma histérica e raivosa acusação, como defesa FORA dos tribunais.
    Perdeu a causa e CALE-SE?Perdeu a causa,Se MANDA?Perdeu a causa,VA LAMBER SABÄO?
    Perdeu a causa mas e UM CIDADÄO como voce,Setti e eu e os demais aqui.Defender sua causa so dentro de tribunais?Defender sua causa e co0mo? VOCE DIZ –
    O Dr. Aristeu PERDEU a ação que determinou a desocupação (e me eximo de entrar no mérito). E resolveu fazer uso do proselitismo barato aliada a uma histérica e raivosa acusação, como defesa FORA dos tribunais.
    Proselitismo barato?histerica e raivosa acusacáo?defender uma causa so em tribunais?
    Suas defesas náo e proselitismo,náo raivoso,náo e histerico – SOMENTE DOS OUTROS QUE SÁO?
    VOCE AFIRMA – Uma vergonha. Espera-se que os blogs chapa-brancas e os raivosos e coléricos comentaristas das redes sociais (que chamavam Alckmin de assassino, pediam julgamento em Cortes Internacionais, afirmavam que a PM havia sido instruída para matar, etc) tenham a hombridade e honestidade de dizer algo em contrário.
    Quem saó os Chapas Brancas Colericos e Raivosos?todos que te contrariam?todos que pensam diferente de voce?assim quem quer ser o DONO DA VERDADE e VOCE – o resto para voce e – PROSETISMO,CHAPA BRANCA,COLERICOS RAIVOSOS – se colocar como um GHANDI atacando e acusando os outors? ou náo?
    FINALMENTE VOCE DIZ – Praça de guerra está montada em Salvador na Bahia. E de modo justo! Apoio as providências do Governo da Bahia (que é do PT mas poderia ser até do XPTO!) em defesa da legalidade e estado de direito. Está cumprindo decisão judicial. Como o governo de SP cumpriu em São José dos Campos.
    Não se lê uma ÚNICA PALAVRA na mesma linha do que foi dito, histericamente, a poucos dias sobre SP.
    Seria um avanço intelectual, caso fosse uma admissão das regras do estado de direito.
    Mas não é! É vigarice intelectual barata e abjeta. Aos “nossos”, tudo. A “eles”, as ofensas que beiram o nazifascismo!
    Enfim, nada melhor do que um dia após o outro, com algumas novidades no meio.
    Reynaldo.
    PS: ouviremos um silêncio profundo que a mim, será mais esclarecedor que as sandices doentias ditas anteriormente!
    O que chama de PRACA DE GUERRA? as cenas de repressáo no Pinheirinho foi o que?filme da Xuxa?refilmagem de XANADU? um lado uma populacáo CIVIL,DESARMADA e outro lado uma Policia usando a sua violencia peculiar contra os POBRES E OPRIMIDOS com a SUPERVISÁO de UM JUIZ(?!)comandando a acáo.
    Foi cumprida a LEI!VIVA O ESTADO DE DIREITO cumpriu seu papel na defesa da LEI e da ORDEM em dedtrimento da HUMANIDADE e DIREITOS HUMANOS.
    Na Bahia uma corporacáo militar pratica atos de barbarie e terrorismo, com armas do Estado,com treinamanto do Estado para um justo movimento de melhorias de trabalho?
    Comparar o motim barbaro e terrorista da PM baiana e movimentos de Cidania, por reforma agraria nos campos e reforma urbana nas cidades VOCE DIZ – Seria um avanço intelectual, caso fosse uma admissão das regras do estado de direito.
    Mas não é! É vigarice intelectual barata e abjeta. Aos “nossos”, tudo. A “eles”, as ofensas que beiram o nazifascismo!
    NAZIFASCISMO DE QUEM,CARA PALIDA?

  20. Luiz Pereira

    -

    07/02/2012 às 23:20

    Setti, boa noite,

    Reynaldo – BH, solidarizo-me com vc.

    Abs

  21. wilson

    -

    07/02/2012 às 22:33

    Setti a próxima patranha da petralhada vai ser a
    acusação que a PM usou cassetetes de mogno da
    amazonia.

  22. Reynaldo-BH

    -

    07/02/2012 às 17:26

    Tenho como norte de vida – profissão de fé – meus valores que não foram adquiridos somente em leituras e influências familiares. Que são – e no meu caso foram – essenciais. Foi o que vivi, a experiência da paternidade, a certeza da finitude e o balanço que faço de ter sido honesto para comigo em todos os momentos. Paguei preços elevados. Aliás, continuo a pagar pois não sou aposentado e preciso trabalhar para sobreviver. E consto de uma “lista negra” de pretensos opositores aos atuais donos do poder. Mesmo – para orgulho meu – sendo um profissional com algumas titulações. Não importa. Ainda sobrevivo.
    Democracia para mim é luta diária. A tentação do absolutismo presente nas doutrinas/filosofias e visões presentes nos séculos XIX e XX levou à tentativa do pensamento único em todas as vertentes. Não me importa quem esteja por trás ou à frente destas ideologias. Toda e qualquer ditadura parte do princípio da supressão de vozes discordantes. Algumas usando a violência pura e simples, com torturas e homicídios. Outras, com a insidiosa campanha das acusações que impedem o debate ou desprezam (e ridicularizam) o debatedor.
    Não se encontra UM ÚNICO exemplo histórico que uma ditadura tenha sido implantada sem a tentativa fazer desaparecer vozes discordantes.
    Seja com o “grande exército proletário” de Lênin que caçou não só opositores históricos ( os czaristas) como até mesmo os mencheviques que eram aliados antes da revolução de 1917. Daí, os expurgos. Idem na Itália fascista e Mussolini, onde até os anarquistas foram perseguidos e obrigados ao exílio. Idem o partido Nacional-Socialista de Hotler, que perseguiu comunistas, democratas, atores, músicos, etnias, etc.
    No Brasil quem se esquece do “Ame-o ou Deixe-o?” como delimitador de quem era a favor e os opositores, todos criminalizados?
    No Oriente Médio, onde tribos perseguem outras tribos na tentativa de calar oposições, ou pior, denominações religiosas tentam impor dogmas e comportamentos À custa de demonização de pretensos infiéis?
    O discurso muda (a forma) mas o resultado esperado (o conteúdo) é o mesmo. Até na AL temos esta formatação de ditaduras. Umas de 50 anos, outras ainda incipientes.
    Por isso minha aposta pessoal no Estado de Direito, liberdade de associação, respeito irrestrito às leis, Poder Legislativo independente que traduza as forças sociais e altere leis (ou as proponha), Judiciário altivo e sem jamais ser instrumento de grupo social algum, Executivo auditado pelo Legislativo e delimitado pelo Judiciário, são essências. Daí deriva valores outros, tão importantes quanto os outros, básicos. Liberdade de imprensa, ausência de censura, direito a greves e reinvindicações, etc. completam o cenário.
    É nisto que eu creio.
    Não tenho mais idade de propor diatribes sem consequências. Apontar o erro é absolutamente essencial. Apontar caminho ao erro, necessário. Quando digo que sou a favor de manifestações reivindicatórias não avanço na defesa do uso de qualquer estratégia que fuja do arcabouço legal. Este é injusto? Usemos a força popular e organizada para alterar estas leis! E não somente para alterar leis que visem impedir do Judiciário de atuar, em “defesa” da não punição de legisladores ou políticos. Assim tem sido feito.
    Não se faz uma ÚNICA reforma no Brasil esteja o governo que estiver no poder. Reforma política? O atual projeto atende aos desejos do PT de indicar dirigentes para as “cabeças de lista”! Reforma Previdenciária é necessária? Sim, e agora é o PSDB que busca impedir, somente para dificultar o trabalho do governo do PT. Reforma fiscal? Nem PT nem PSDB desejam ou querem: reduzem a carga fiscal dos governos centrais e estaduais!
    Assim por que não buscar nas ruas – para estes temas – as mudanças que são essenciais? Seria porque é mais fácil (e mediático) invadir ou fazer greves com armas nas mãos?
    Isto tudo é só para reafirmar minha crença na democracia PLENA onde posições são expostas, debatidas, votadas e acatadas pela maioria. Simples assim.
    Pois bem, dentre estes valores está meu repudio ABSOLUTO por qualquer tipo de censura.
    Aqui neste espaço, jamais fui censurado nem vi censuras a quem quer que seja, exceto a quem utiliza o blog para postar palavrões ou ameaças. Neste caso, não é censura: é respeito aos outros comentaristas que leem e participam.
    Deste modo, uso a regra dos “incomodados que se mudem”.
    Meu caso não é uma regra a ser “aplicada” em terceiros casos. É absolutamente pessoal.
    Não pretendo mais postar comentários por aqui. O cansaço que sinto das ofensas é grande. Acusações que partem de quem me conhece, mesmo que distante a muito tempo. Rótulos agressivos. Derivações do assunto do post para aspectos pessoais, me colocando com representante de uma facção que jamais fiz parte. Nem desta nem de outra qualquer.
    Cada comentário meu deriva não para a discussão do que esta em tela, mas sempre resvala para acusações de comportamentos nunca genéricas, mas com destino certo: eu. Saco!
    Como sou viciado no espaço, continuarei a postar músicas e comentários no espaço das músicas do Daniel. E de outros genéricos.
    Pensei muito nisto.
    A tática funcionou. Em tempos passados iria entender a tentativa de calar quem pensa diferente como mais uma prova da falta de liberdade que todos vivemos.
    Hoje, é só um imenso cansaço para não admitir que o resultado é o mesmo: calar alguém. No caso, eu. Mesmo não tendo sendo o objetivo, o resultado é o mesmo.
    Quem sabe um dia entendam que a forma afeta o conteúdo. Como escrevi acima.
    Mesmo nas melhores intenções existem atitudes que demonstram um viés que jamais concordei ou concordarei.
    Não vou acusar quem de mim discorda. Acuso a poderosos de qualquer calibre. Estejam onde estiverem: de Sarney a José Dirceu, de Renan, a Ideli, de Alckmin a Agnelo Queiróz, de Sérgio Cabral a Anastasia, de quadrilheiros a mensaleiros, de Serra a Lula, etc.
    De quem foi perseguido e hoje idolotra ditadores, acusa adversários, esquece do passado e vive mentindo com dados falsos da realidade brasileira, como Dilma.
    A outros jamais nominei acusações nem demonizei dados pessoais.
    Minha briga é outra.
    Eu ainda me dou ao direito de escolher amigos.
    E liberdade maior, inimigos.
    Não quero exercer nenhum destes direitos por aqui.
    Assim FUI!
    Grande abraço a todos.

    Amigo Reynaldo,

    Você, sua sensatez, sua experiência, sua dignidad, sua coragem e seu bom texto farão uma imensa falta aqui.

    Mas compreendo perfeitamente suas razões, e como!

    Lamentando, mando um abração.

  23. Corinthians

    -

    07/02/2012 às 16:57

    Pedro Luiz Moreira Lima – 07/02/2012 às 13:09
    Sei que seu comentário foi direcionado ao Reynaldo-BH, mas mesmo assimgostaria de tecer meus comentários, e repetir algumas perguntas (algumas já feitas pelo Reynaldo-BH):

    Estes são os humildes sem armas, xingamentos e pedras ?
    http://2.bp.blogspot.com/-gl2JhYBkd-I/TylHwyFfxBI/AAAAAAAAJlk/gTGKGZ3wikQ/s1600/O%2BMassacre%2Bde%2BPinheirinho%2BA%2Bgrande%2BMENTIRA.jpg
    http://1.bp.blogspot.com/-QAm-tsVHIB4/TyLQhXPnvtI/AAAAAAAAGx0/t5dwS0K-uho/s640/resist%25C3%25AAncia-no-Pinheirinho.jpg
    Por que os humildes sem terra, dos movimentos “sociais” tem que pagar taxa de R$ 10 a R$ 30 para o “líder” do movimento que não por acaso é do PSTU ?
    Você coloca:
    “Policiais com fuzis atirando contra a população – absoluta certeza de que eram balas de borrachas?”
    Sim, havia um juiz acompanhando a ação da polícia, assim como os incompetentes defensores públicos. Apesar de alardearem falsas mortes, que incluiu crianças, uma tática grotesca e vil, nunca alardearam feridos à bala – afinal precisariam de mais evidências do que supostos desaparecidos. Não há.
    Por que não há citações à Brasilândia, ou então à desocupação na Fazenda Sálvia que ocorreu sem ordem juducal ? Por que não há indignação contra a violência policial no Piauí (onde um estudante ficou cego) ou no Espirito Santo ?

    Dizer que a polícia é uma instituição que defende somente os Barões de Terras me responde, junto com o fato de sua incapacidade de criticar outras ditaduras que não as consideradas de “direita”, que sua concepção de democracia é muito equivocada, além é claro de satisfazer todo o banditismo.
    Os defensores públicos, que foram incompetentes em seu trabalho, não são bandidos. Só são mentirosos – quando colocam que haviam mortos, quando colocam que a justiça federal tinha precedência sobre a estadual. E são partidários quando entram no mérito do executivo, como orçamento da cidade e governo do estado, como se decisão judicial devesse ser descumprida.
    O pior é ver que tem muita gente que acha que mentiras fazem bem para o povo.
    http://www.youtube.com/watch?v=kVe_UxICXjY&feature=player_embedded

  24. Reynaldo-BH

    -

    07/02/2012 às 16:10

    Ao Pedro Luiz.
    Amigo, cansei. Nada ou ninguém altera suas verdades imutáveis. Estou mesmo cansado, sem ataques. Não debatemos. Você acusa, acusa, acusa. Agora eu defendo o que combatíamos. OK. Assim é se lhe parece. Você como dono da verdade e com a certeza inabalável dos que tudo sabem e a todos julga já formou sua opinião. Não cou usar este espaço para me defender daquilo que você acha que sou nem para te atacar. Continuo onde sempre estive: na defesa do estado de direito. Só lhe peço um favor pessoal: não use mais o “sagrado” direito a o que quer que seja: de propriedade ou agora, de capital . Parece que um dia eu tenha dito isto. Se no aspecto político você nunca me respeito ou respeitará, no aspecto pessoal (até pelo momento que eu particularmente vivo) gostaria que o sagrado fosse preservado. É algo que a mim tem um valor enorme para estar na vala das coisas do dia a dia. Talvez seja um sacrifício para você. E não foge do tema: sacrifício vem a ser “sagrado ofício”.
    Reynaldo.
    PS: é estranho ser chamado (embora não me referisse a você em momento algum, você é que se viu no meu comentário)de raivos e colérico, não é? Eu sei que é. Tenho sido chamado deste modo a 9 anos. Por não ser adepto do pensamento único. O resto, é resto mesmo.
    PS2: você talvez leia mais depressa do que escreve. Defendi o direito inalienável dos sem-tetos tyer advogados. E continuo onde sempre estive: existem advogados (Sobral, Fragoso, Baleeiro, Evandro, etc) e advogados (Sérgio Naia, o viciado em crack que defendia o goleiro Bruno, os que vivem de providências legais para bicheiros e traficantes, os que são mensalistas dos PCCs e Comandos Vermelhos, etc). Era a isto que me referia. Releia, Pedro. E veja que só expus que um advogado (do segundo grupo) usou a mídia para mentir após ter perdido, em Tribunal, a causa que defendia.
    PS3: na mesma linha. releia, com calma… Não acusei o governo da Bahia. Aliás, sou até voz disssonante. Defendi a ação do Governador. O fato dele ter efendido greves similares no passado é assunto POLÍTICO. A Justiça tem que estar acima disto. E o Governador tem que respeitar ordem judicial. Seja este governo ou qualquer outro. releia, com calma.
    Não é só a visão destes fatos que nos separam. É todo o resto. Eu não agrido ou sou deselegante. Eu não julgo opositor como sub-ser. Eu não imponho minhas visões. Eu respeito o estado de direito. Eu não prego rótulos em você. Eu não uso seu passado para cobrar seu presente, pois o meu passado anda comigo todos os dias (Basta ver a foto de quem me faz falta na estante da sala). Eu não julgo o cumprimento de ordens legais pelo partido do governante. EU não exagero nos fatos para dar maior credibilidade aos mesmos, visto que entendo que não precisam: já são graves por si.
    Por fim, eu não vomitei escrevendo isto. Pelo que peço desculpas a você. Sugiro Plasil, ou mais eficiente, pule o que escrevo. Não leia. Assim seu enjoo não se manifestará.

  25. Razumikhin

    -

    07/02/2012 às 15:36

    TV Brasil é o c@r@140! TV PT!

  26. Renato

    -

    07/02/2012 às 15:27

    Interessante e louvável. Mas, e quanto às empresas privadas que erram, e muito, e jamais vêm a público para corrigir as falhas? E, em geral, mesmo quando são obrigadas a publicar “direito de resposta”, protelam o máximo possível,se valendo de juízes amigos, sempre dispostos a conceder liminares. São sérias? É claro que não.

  27. Valdomiro

    -

    07/02/2012 às 15:19

    É, então… palmas para o Reinaldo Azevedo que ficou absolutamente sozinho na apuração do que realmente ocorreu. O dano, inclusive o moral, está feito. E a EBC livre para politicar novamente.

  28. bene

    -

    07/02/2012 às 13:50

    Lembro-me de um ator da Globo que espalharam que era homossexual e ganhou o apelido de Cenoura.
    Tudo desmentido mas ficou na história.
    Para os canalhas o que vale é fazer o estrago naqueles que não comem no mesmo cocho. Depois diz que se enganou , não sabia ou foi traído.

  29. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    07/02/2012 às 13:09

    Reynaldo Bh:
    Eu sou um dos “coléricos e raivosos” sem ser de redes sociais que pedem a todos responsaveis por Crimes Contra a Humanidade em Tribunais Nacionais e Internacionais e entre eles as violencias SEMPRE cometidas pelo Judiciario,Legislativo e Executivo contra a pópulação brasileira sem teto,sem terras…como no caso Pinheirinhos,Pontal de Paranapanema,Carajás e tantas pelo Brasil afora.
    Minha indignação é pela VIOLENCIA e o uso CRIMINAL do “Estado de Direito” em defesa dos “Sagrados” Direitos do Lucro e dos Barões de Grandes Terras Rurais e Urbanas.A sua indignação é “pelas denuncias de mortes” feitas por varias entidades de movimentos sociais.
    A sua cegueira “colerica e raivosa” o impedem de ver ou não quis ver – Policiais com fuzis atirando contra a população – absoluta certeza de que eram balas de borrachas? policiais apontando pistolas contra a população – atiraram? – voce em sua ABSOLUTA CERTEZA diz NÃO!
    daqui a pouco estará repetindo as mesmas palavras de nosso ciclo militar “querem manchar nossa imagem no exterior,dizendo que aqui se pratica torturas e assassinatos.” Quanta diferença de INDIGNAÇÃO nos separam.
    Comparar o que esta havendo na Bahia, com que acontece constantemente na repressão aos Movimentos Sociais e Populações Pobres em nossoa campos de cidades só posso dizer: a cegueira “colérica e raivosa” partidaria o ensandeceu.
    Na Bahia policiais de armas na mão – ARMAS DO ESTADO – para defesa da população são utilizadas contra a população DESARMADA – num movimento até justo por melhorias de trabalho – mas está sim fora da legalidade!não por justiça de melhores condições de trabalho, e sim pelo USO da FORÇA de ARMAS e TREINAMENTO de COMBATE que só podem ser usadas na defesa da população e Instituições e usadas para Terror para conseguir melhores condições de trabalho.
    Do outro lado populações lutam por terras para plantar e terras para morar – sem armas e apenas como defesa Gritos,Xingamentos e Pedras.Eles querem CIDADANIA e o ESTADO DE DIREITO que VOCE defende os NEGA! sim na Defesa dos “SAGRADOS” Direitos do Lucro e dos Barões de Grande Terras Rurais e Urbanas – seu entendimento de Legalidade e Estado de Direito, como nos separam!
    Pedro Luiz
    PS – para culminar os advogados dos Movimentos Sociais e dos Pobres e Humildes viram bandidos – quanta difrença do ReynaldoBH de antigamente – o que pedíamos era um VERDADEIRO ESTADO DE DIREITO JUSTO E HUMANO e voce hoje defende o que combatíamos.

  30. Kitty

    -

    07/02/2012 às 11:42

    Ricardo fico feliz que os danos morais de uma noticia falsa foram reparados.No entanto,o que foi noticiado erroneamente é, de um tamanho de um bonde, e, a desculpa oh! assim de pequenina!Politicamente falando, as imagens periodísticas do “bonde” ficaram bem registradas na retinas das pessoas….e serão sempre mostradas sem as desculpas penduradas, sem contar, claro, com a má intenção dos exploradores de plantão!Um abraço da Kitty

  31. brasil 2022

    -

    07/02/2012 às 10:51

    Recomendo aos jornalistas o livro do mestre Clovis Rossi “O que é jornalismo” e de Cremilda MEdina” Noticia um produto a venda.
    E como base filosófica HUBERTO ROHDEN (PARA TODOS OS JORNALISTAS, a maioria nem sabe o dia do jornalista!) o livro EDUCAÇÃO DO HOMEM INTEGRAL, ed. Martin Claret. Vai melhorar muito, alê faculdades!

  32. Woner Protásio

    -

    07/02/2012 às 9:02

    Convenhamos, reconheceram o erro por uma razão muito simples: não existiam os mortos que noticiaram. Se se tratasse de outro fato qualquer, que não dependesse de comprovação material tão contundente, teriam agido da mesma forma?

  33. Marcondes Witt

    -

    07/02/2012 às 7:24

    Caro Ricardo,
    A imprensa em geral, quando erra, normalmente o faz com uma pequena nota na área de carta dos leitores, ou uma pequena correção na reportagem subsequente que trate do tema. Sem o mesmo estardalhaço, e sem pedido de desculpas também.

  34. Corinthians

    -

    07/02/2012 às 2:57

    Falavam de 5 mortes no Pinheirinho… acharam todos vivos, alguns até tratados na rede de saúde pública. Tiveram que se desmentir.
    Claro a PM de São Paulo, o governo de São Paulo e até o prefeito de São Paulo foram demonizados pelas mortes inexistentes. Vídeos no YouTube de “coisas que só eu vi”… e mesmo assim, mesmo com a EBC se desmentindo, a mentira continua.
    Greve de polícia na Bahia – 86 mortos e contando. Governador foi para Cuba com a greve declarada. Índice de 37,7 mortos a cada 100 mil habitantes. Antes disso uma cozinheira ficou cega em um show do Olodum agredida por policiais em uma confusão.
    Não há nenhuma crítica à PM da bahia, nem ao governo da Bahia, nada. Nenhuma nota do Ministério dos Direitos Humanos, ninguém acionou a ONU…
    Partidarismo é isso aí…

  35. Corinthians

    -

    07/02/2012 às 2:51

    Ué, cadê os defensores dos direitos humanos que alardeavam mortos agora ? Será que não é hora de falarmos do estudante cego do Piauí ou da cozinheira cega da Bahia em ações da PM ?

    P.S. Desculpas de uma agência oficial, do governo petista ? Se isso acontecer aposto que vai der em 21 de dezembro de 2012, quando os maias previram o fim do mundo…

  36. toninho malvadeza

    -

    07/02/2012 às 2:17

    O responsável pela noticia falsa e tendenciosa foi demitido ? Não ? Então vai continuar fazendo politicagem ao invés de jornalismo.

  37. Pedro Luiz Moreira Lima

    -

    07/02/2012 às 0:36

    ReynaldoBH:
    Vou muito além do seu comentario – pedimos desculpas por pedir justiça merecemos sermos mortos,torturados,desaparecidos.
    Advogados,Jornalistas,Medicos,Militares,Cidadãos que lutam por um mundo melhor e mais justo pedem desculpas pelo trabalham que deram para a formação da Repressão – Morte aos Drs Aristeus,morte a todos esses CANALHAS, ESSES “SANDICES DOENTIAS” – VIVA A SAUDE DO “SAGRADO” DIREITO DO GRANDE CAPITAL E DOS GRANDES BARÕES RURAIS E URBANOS.
    Um dia faxinaremos esses que não aceitam a MODERNIDADE – como entidade de ÉTICA e CIVILIDADE – In MONEY WE TRUST! Abaixo a Inteligencia e Viva a Morte!
    Uber Alles!
    PS – tive que vomitar após escrever essa nota.
    Pedro Luiz

  38. Marcioz

    -

    07/02/2012 às 0:30

    Parabéns a Agência Brasil. Merece menção de destaque positivo, em meio a tantas notas negativas que lemos diariamente.

  39. Carlos

    -

    07/02/2012 às 0:20

    Só que agora, o estrago já foi feito. Só revisaram o erro porque foram criticados. Já,já estarão dando outras notícias falsas.

  40. ixe

    -

    06/02/2012 às 22:14

    A farsa foi pro espaço.
    Mas as dezenas de mortos na BADERNA de Salvador está aí pra todo mundo – e é o mundo mesmo – ver.
    Os incomPTentes, do alto de toda a incomPTência e soberba – batem cabeça na chacina soteropolitana ao mesmo tempo em que montam um farsa mentirosa sobre mortos inexistentes em Pinheirinho.
    Que gente é essa ?

  41. Reynaldo-BH

    -

    06/02/2012 às 21:48

    Faltou um pequeno detalhe: o dr. ARISTEU PINTO é o ADVOGADO de uma das partes, ou seja, dos que ocupavam o Pinheirinho. Óbvio que estes moradores precisam e devem ter um advogado. É certo que este advogado seja o mais atuante possível na defesa dos interesses de seus constituintes.
    Mas é nojento, vergonhoso, imoral e antiético que um advogado se preste a: mentir sobre fatos acontecidos, apresentar-se como representante da OAB (que não é! Quem fala pelas seccionais é sempre o presidente da mesma) e que oculte ter interesse na causa (reintegração de posse).
    O Dr. Aristeu PERDEU a ação que determinou a desocupação (e me eximo de entrar no mérito). E resolveu fazer uso do proselitismo barato aliada a uma histérica e raivosa acusação, como defesa FORA dos tribunais.
    Até a nota do canal oficial do Governo Federal, agora, faz referência a um suposto “massacre” (assim mesmo, entre aspas).
    Uma vergonha. Espera-se que os blogs chapa-brancas e os raivosos e coléricos comentaristas das redes sociais (que chamavam Alckmin de assassino, pediam julgamento em Cortes Internacionais, afirmavam que a PM havia sido instruída para matar, etc) tenham a hombridade e honestidade de dizer algo em contrário.
    Não é só a Agência Brasil que deve pedir desculpas.
    Gilberto Carvalho (o que falou em “praça de guerra”) e Dilma (com a “barbárie”) também o façam.
    Praça de guerra está montada em Salvador na Bahia. E de modo justo! Apoio as providências do Governo da Bahia (que é do PT mas poderia ser até do XPTO!) em defesa da legalidade e estado de direito. Está cumprindo decisão judicial. Como o governo de SP cumpriu em São José dos Campos.
    Não se lê uma ÚNICA PALAVRA na mesma linha do que foi dito, histericamente, a poucos dias sobre SP.
    Seria um avanço intelectual, caso fosse uma admissão das regras do estado de direito.
    Mas não é! É vigarice intelectual barata e abjeta. Aos “nossos”, tudo. A “eles”, as ofensas que beiram o nazifascismo!
    Enfim, nada melhor do que um dia após o outro, com algumas novidades no meio.
    Reynaldo.
    PS: ouviremos um silêncio profundo que a mim, será mais esclarecedor que as sandices doentias ditas anteriormente!

  42. carlos nascimento

    -

    06/02/2012 às 21:43

    Ricardo,
    peço-lhe um favor, transmita ao seu colega de redação – Reinaldo Azevedo – meus cumprimentos, graças a sua crítica e intervenção, a Agência Brasil – leia-se Nelson Breve – reconsiderou e admitiu o erro de informação.
    Bravo Reinaldo, um herói quase solitário em defesa da verdade.
    Abraços
    Carlos Nascimento.

  43. Fernando Marés de Souza

    -

    06/02/2012 às 21:00

    E Agência Estado não corrigiu as suas informações incorretas sobre Pinheirinho – incluindo aí os 338 quilos de cocaína que noticiaram terem sido apreendidos no Pinheirinho. E todos os outros veículos – incluindo a Veja – que publicaram a informação incorreta também não.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados