Na VEJA.com: O picadinho institucional de Cármen, Janot e Joesley

É evidente que todos estamos de acordo quanto à luta implacável contra a corrupção. Mas isso não pode se confundir com vale-tudo contra o estado de direito

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Marly Camargo

    ReinaldoXXXXXXXXXX na cascuda xucra!

    Curtir

  2. Mas, para o Temer dar voz de prisão para o Joesley teria também de ter outro gravador. Ou só a palavra seria suficiente…….O Ministério da Saúde adverte: Bufunfa Exorbitante faz mal…. Noutro dia achei uma palava que vou explorar o significado, shutzstaffel. Depois eu conto.

    Curtir

  3. Marcus Cezar Meyer Sukevicius

    Para mim está claro que toda esta porcaria foi pensada exclusivamente para um “Volta Lula”. É a forma mais garantida do ex-presidente ficar fora do alcance do juiz Sergio Moro e se safar da cadeia porque não poderá ser julgado por fatos que antecedam o seu novo mandato. E, uma vez no poder, ninguém mais o tirará de lá porque haverão emendas constitucionais para que ele posa disputar as eleições até o final de sua miserável vida!

    Curtir

  4. E toda essa urdidura tão bem narrada por você tem, na entrevista da ministra na Globo, a “cereja do bolo” onde ela “se coloca” à disposição do país como capacitada politicamente para o cargo. Engraçado mas vendo os seus comentários vis-à-vis com o dos seus colegas jornalistas lembro sempre das questões de “leitura e interpretação de textos”. A maioria fica sempre na primeira parte.

    Curtir

  5. Roberto Aguiar Lins

    A veja perde eu melhor jornalista político, ainda resta Augusto Nunes, mas até quando? Pobre imprensa brasileira, mas um País que tem uma OAB e uma imprensa fajutas igual a nós não pode deixar de ser a republiqueta de imbecis que nos transformaram.

    Curtir