Blogs e Colunistas

19/01/2011

às 6:05

Trapalhadas no Enem custam uma demissão; nova presidente do Inep é conhecida deste blog. E é também um espanto!

E as trapalhadas no Enem renderam uma demissão e uma nomeação. A educação poderia ter sido premiada com a substituição. Mas sai perdendo de novo. Vamos ver.

O MEC de Fernando Haddad aprontou mais uma, como todos viram. Além de milhares de alunos não conseguirem se inscrever no sistema unificado de distribuição de vagas (SISU), os que conseguiam tinham seus dados pessoais tornados públicos, um problema recorrente no sistema de “Deformática” da pasta. Estudantes afirmam que era possível alterar as informações, o que o ministério nega. Ocorre que ninguém acredita nem no que o MEC nega nem no que afirma.  Haddad sai de férias depois de amanhã, no último dia das inscrições, que tiveram de ser prorrogada. É a única boa notícia. Sempre que um ministro como ele está sem trabalhar, o serviço rende mais. Continuemos.

A bagunça no INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), autarquia responsável pelo Enem, custou a cabeça de seu presidente, Joaquim Soares Neto. Ficou no cargo apenas um ano. Em 2009, caiu Reynaldo Fernandes, depois que houve vazamento das provas, que tiveram de ser refeitas. Em 2010, além de vazamento, houve erro na confecção dos gabaritos. Para o lugar se Soares Neto, foi nomeada Malvina Tania Tuttman, reitora da Universidade Federal do Estado do Rio (UniRio).

Os leitores deste blog conhecem Malvina Tânia. Eu a homenageei no dia 17 de agosto do ano passado com um post bastante eloqüente já no título: Mais um exemplo da “nova era democrática”: a barbárie intelectual da universidade. Ou: como formar ignorantes orgulhosos e patriotas. No dia 11 daquele mês, Celso Amorim, o Megalonanico, conferia uma aula inaugural. O vídeo, longo, está (aqui). A então reitora fez duas intervenções verdadeiramente estarrecedoras, uma apresentando o ministro; outra saudando a sua palestra. E aproveitou para lembrar que seu mandato iria até 2012 e que ela estava na área. Foi atendida.

Reproduzo alguns trechos, comentados, da fala da “intelectual” que agora vai cuidar de uma das autarquias mais importantes do órgão máximo da educação brasileira. Leiam com atenção e pensem se desse mato sai coelho ou jumento. É espantoso! E também é a prova de que a sabujice rende benefícios. Eu poderia me abster de comentários como os que seguem se Malvina estivesse sendo nomeada, sei lá, para distribuir sopão. Mas, se é para um órgão ligado à educação, trata-se de um dever profissional. A gramática da “professora doutora magnífica” rivaliza com a de Dilma Rousseff nos transes da ventura sintática e nos dons do pensamento truncado. Numa ousadia realmente digna de nota, Malvina diz que Celso Amorim contribuiu para elevar até a auto-estima dos “nossos irmãos estrangeiros”. Não tentem identificar, em sua fala, sujeito, verbo, complemento, aquelas coisas antigas que caracterizavam os discursos de “magníficos” do passado. Isso passou. Malvina é expressão de uma parcela da universidade brasileira desta “nova era”. Teria dificuldade para trabalhar em telemarketing. A ela:

(…) Celso Amorim, um dos homens deste país que, atualmente, vem imprimindo e mostrando a seriedade desse país não só para fortalecer a auto-estima nossa, do povo brasileiro, mas, em especial, dos nossos irmãos estrangeiros, que, por meio de uma política governamental importante de relações exteriores e, sem dúvida alguma, falava há pouco com o ministro, por conta da capacidade, da força, da história de vida do ministro, do embaixador Celso Amorim, o nosso país, hoje, não só por isso, mas também por isso, tem um reconhecimento e um valor importante internacional. (…) Uma das pessoas que eu considero (…) um dos nomes mais representativos da história deste país
Bem, é o que costumo chamar de “sintaxe na fase da miséria”. A vontade de agradar é tal que a gente nota até uma certa aerofagia, uma emoção verdadeiramente genuína. Imagino a excitação intelectual desta senhora. E vocês já perceberam o vício de linguagem da “companheira”, não? Essa história de “auto-estima” é peça de resistência de todas as campanhas oficiais – e das estatais. Será que Malvina sabe que Celso Amorim perdeu todos os embates em que se meteu, sem uma só exceção?  Eu acho que não. Isso não significa que pudesse dizer coisa diferente se soubesse, mas acho que ela ignora mesmo…
(…)
O ministro, ele não ficará historicamente lembrado, já que estamos numa aula inaugural de história, apenas por sua passagem neste momento político do nosso país, mas enquanto aquilo que ele representa como brasileiro que se orgulha de ser brasileiro e que leva esse orgulho para fora dos muros, das fronteiras do nosso país.
Esse “o ministro, ele” – a anteposição de uma espécie de aposto do sujeito – é um dos vícios de linguagem que mais me irritam e que, vênia máxima, viu, magnífica?, considero índice de ignorância e de pensamento vago. É coisa típica desses pastores televisivos. E o que dizer disto: “O ministro ficará lembrado enquanto aquilo que ele representa…”? Paulo Francis, nessas horas, costumava apelar ao chicote – metafórico, claro…
(…)
E posso lhe [a Amorim] dizer que, além da satisfação de estar reitora neste momento político importante do nosso país, onde as universidades têm recebido um justo olhar para aquilo que ela produz de importante, de ciência para esse país, e isso tem acontecido, nós podemos ter um marco importante, antes de 2003 e depois de 2003, e, por isso, eu posso me orgulhar de estar reitora neste momento, desde 2004, ministro, e completarei o meu mandato até 2012…
***Interrompo aqui, mas o trecho abaixo é seqüência deste, sem corte. Amorim já entendeu, eu acho. O mandato dela vai até 2012… ENTENDEU, AMORIM??? Ninguém pode dizer que ela não está se esforçando para dar vôos maiores. Malvina, como perceberam pediu um cargo e levou. Sigamos:

, mas eu quero também lhe cumprimentar e lhe dizer da grande satisfação de Malvina Tuttman, cidadã brasileira, estar, neste momento, sentada ao lado de um grande homem, um homem que fortalece o nosso país, um país que vem crescendo e que irá, se ainda não surpreendeu, irá surpreender não só alguns brasileiros incrédulos, mas Irá surpreender o mundo.
Ah, apareceram os “brasileiros incrédulos”, aquela gente nefasta que insiste em não acreditar nas verdades eternas do petismo e do governo. A gente nota que Malvina é mesmo entusiasmada. Não lhe basta falar como reitora, não! Ela quer dar seu testemunho pessoal, falar também como “cidadã”, evidenciando que seu engajamento não é apenas profissional. Ela está nessa de corpo e alma mesmo.  Dona Malvina poderia “cumprimentá-LO”, mas “lhe cumprimentar” jamais! A língua é democrática, magnífica! Oferece pronomes oblíquos tanto para verbos transitivos diretos como para os indiretos. Se a senhora servisse cafezinho na Uni-Rio, eu não lhe faria tal cobrança, mas como é a reitora…
(…)

Encerrando

A fala de Malvina é uma colcha de retalhos de bordões oficiais e das muitas mistificações do petismo. Até nos vícios, repete a linguagem “companheira”. Seu discurso é a expressão daquela maçaroca de bobagens entre nacionalistas e patrióticas, que mal escondem o viés militante.

A universidade é o local da pesquisa e do pensamento, não da justificação do poder. Por mais que os centros de excelência, no mundo democrático, sejam integrados ao establishment, essa integração se dá na esfera dos valores, de uma cultura votada para o progresso, para a diversidade e para a tolerância. Servilismo ao governo de turno é outra coisa. É patente na fala da “magnífica” a satanização do passado, a exemplo do que faz o governo que Celso Amorim representa, com o seu discurso recheado de clamorosas imposturas. Ok, dona Malvina não precisa concordar comigo. Mas há um modo decoroso até mesmo de puxar o saco.

Imaginem: esse “bobajol” está sendo cotidianamente repetido nas salas de aula Brasil afora, especialmente, como é o caso, nos chamados cursos da área de humanas. E depois nos perguntamos por que a escola brasileira é tão ruim. Eis aí: Malvina dá a receita para a formação de ignorantes orgulhosos e patriotas.

*

Texto originalmente publicado às 14h49 de ontem
Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

239 Comentários

  • ZILDA ALVES

    -

    27/1/2012 às 11:52 am

    Indgnação em ouvir criticas do órgão. Sou servidora efetivada dele há quase trinta anos. Aqui trabalhamos entre 12 e 15 horas por dia.Se há bagunça…… não são nossas, até porque cumprimos ordem, ou seja carregamos o piano. Nunca sabemos o que faz o 1º escalão. Esperamos que a Casa Civil e ou o titular da pasta saiba!!!! Agora dizer que o nosso Instituto é uma bagunça!!!! Desrespeito total conosco. Zilda

  • Alberto Moreno

    -

    3/6/2011 às 1:47 pm

    Apreciei grandemente ler o texto e vários dos comentários. Convido os demais leitores a observarem o que tem feito os jornalistas da TV Globo, inventaram o “duplo sujeito” e dizem o tempo todo: o ministroele, a ministraela, o expresidentelulaele, e até mesmo essa estação de tremela…

  • Kennedy S. S.

    -

    8/5/2011 às 12:52 pm

    Realmente é uma vergonha para nosso País, eu, estudante de ensino médio, não cometo tais erros. E ainda temos que respeitá-la. Obrigado por nos abrir os olhos do que vem acontecendo neste país.

  • S. F.

    -

    25/1/2011 às 10:57 pm

    Afinal de contas, a reitora Malvina falou de improviso ou leu algo escrito? Todos sabemos que na oralidade algumas regras da língua culta vão para o ralo abaixo. Um exemplo de assassinato linguístico escrito: lê-se numa placa, nos jardins da sede da Petrobras, no centro do Rio de Janeiro, a sentença: “não pise na grama” quando o correto é, de acordo com a gramática tradicional: “não pise a grama”. Com a palavra os puristas do idioma!

  • Christina A. P. Prati de Aguiar

    -

    21/1/2011 às 9:57 pm

    Seu texto me foi enviado porque sou professora de língua portuguesa e adoro o que faço. Mas é penoso, Reinaldo,motivar os alunos a fazerem uso de nossa língua (e de seu aprendizado) de forma inteligente e criativa quando tudo parece induzir ao contrário a partir,principalmente do atual “poder”.Professores, no entanto,vivem das realizações em doses contínuas,ainda que menores do que gostariam . Obrigada pela defesa de nosso idioma, nossa maior identidade.

  • Maitê

    -

    20/1/2011 às 6:23 pm

    Rei, o ainda ministro adiou POR DOIS DIAS suas férias… Hummm! Sair de férias num bombardeio desse? Acho que não volta não!!!!

  • Gaúcho

    -

    20/1/2011 às 4:00 pm

    Viu Amorim?? O mandato dela vai até 2012…2012, relembrando, 2012…

  • Domingos Morano

    -

    20/1/2011 às 2:36 pm

    ELA COM CERTEZA, FEZ A REDAÇÃO DO ENEM. O TÍTULO: COMO SER REITORA SENDO ANALFABETA.

  • maria

    -

    20/1/2011 às 11:37 am

    so posso dizer que vergonha
    aos poderosos o reino

  • Sexagenario de plantão

    -

    20/1/2011 às 9:14 am

    Chega a ser irritante, ter-mos de conviver-mos com esses(a) babões de ovos ptralhas, essa gentinha ñ tem um pingo de se mancol nem desconfiometro sem exeções todos ptralhas pra se firmarem tem de serem um lambes botas personalidade é um dos sentimentos que lhes faltam, vivem suas vidas todo tempo se abaixando mostrando o “olho do ceu” achando que merecem cargos ñ por meritos mas por puxa saquismo no que eles são bons todos os ptralhas são babões de ovos

  • Marinho

    -

    20/1/2011 às 8:52 am

    Falar o que para esta demente?O governo petista continua com sua tarefa de produzir burros neste país.O dia que o brasileiro acordar deste pesadelo, já seraá tarde.

  • luizjr

    -

    20/1/2011 às 12:28 am

    Nunca é demais insistir: as nossas universidades estão atulhadas disso aí. Pseudo-intelectuais, militantes comunopetistas, de miolo mole, cuspindo idiotices na nossa cara como se fossem teses dignas de um tratado de dialética. Petismo é igual a câncer cerebral, se não te matar, te deixa idiota.

  • A

    -

    20/1/2011 às 12:25 am

    http://twitter.com/luizclaudioufv

    E olha quem vai comandar a SESU!!!

    http://arqbruno.blogspot.com/2009_03_01_archive.html

    REINALDO,

    COMO envio mensagens diretas?

  • Lucia s

    -

    19/1/2011 às 11:59 pm

    Portanto está explicado porque eu, pobrezinha de mim, abandonei a profissão de professora de História, diante das bobagens que nos obrigam a engolir…
    A debilidade mental anda solta e saltitante no país petista boçal, ignorante e feliz de ser assim.

  • Célio Maia

    -

    19/1/2011 às 9:28 pm

    O exame do ENEM seria justo se não houvesse a prova de redação. É na correção da redação que se cometem os maiores disparates contra os candidatos. Quem foi aluno conhece muito bem a variedade de espécimes de professores, e também de corretores de redação. Eles não deixam de ser um espelho do povo. Há o prof. Carrasco, que não dispensa nem pingo nos is; o prof. Catarata, que não enxerga tudo; o prof. Dick Vigarista, que apronta cada barbaridade; o prof. Pinguço, que só corrige prova depois de tomar umas e outras; o prof. Soneca, que corrige tudo de olhos fechados; o prof. Fominha, que quer faturar alto corrigindo rápido; o prof. Papai Noel, que tem piedade dos alunos; e outros mais… Dessa babilônia resulta uma inaceitável discrepância nas notas, mesmo que cada prova seja corrigida por dois professores distintos. Universidades experientes e cuidadosas costumam dispor os professores em pares, segundo a concorrência. Por exemplo, as provas de redação de candidatos ao Curso de Medicina são corrigidas pelos mesmos dois carrascos, enquanto as do Curso de Estatística tem dois papais noeis na correção. Como a manutenção da redação é importantíssima, o ENEM jamais conseguirá desatar esse nó, em razão da quantidade gigantesca de candidatos. Para que não se descubram as incongruências enraizadas no modelo, só resta mesmo impedir que o candidato tenha acesso às provas.

  • niki vanderval

    -

    19/1/2011 às 9:21 pm

    Pobre Funasa!

  • Vera

    -

    19/1/2011 às 9:18 pm

    Gente vamos pensar um pouquinho só: a quem interessa essa confusão toda em relação no ENEM, aos que perderem seus cursos e suas faculdades, onde exploravam pessoas “pobres” que pagam seus cursos técnicos e faculdades, de propriedade de muitos empresários sem escrúpulos e que não duvidem muito se eles não estão pagando “rackes”, (desculpem não sei se é assim que se escreve a palavra), para fazer esta confusão toda. Vocês da imprensa, são bastante inteligentes, e me desculpe a franqueza, dependendo do blog, só vê o que interessa. Muitos tentam fazer a opinião publica. Pergunto, se ele não tivesse fechado esses cursos todos, será que ele estaria sendo alvo? Tenho cá minhas dúvidas.

  • Maitê

    -

    19/1/2011 às 7:30 pm

    Rei! Só uma pergunta: o que a madama presidenta está esperando para solicitar ao haddad que peça demissão? Agora que o mollusco confessou que tem falado escondido com ela dá pra entender QUEM ele está plantando no puder: só porcaria! Eu quase me animei com os elogios que espoucam de muitos lados, mas, já está mais do que evidente a baixaria que vai ser esse governo! Tudo para elle voltar nos braços do povo! Oh Deus, a gente não merece!

  • Luís Lander

    -

    19/1/2011 às 7:20 pm

    Ignorantes orgulhosos, patriotas, e VOLUNTÁRIOS para todo o tipo de sandice! A bem da verdade o PT é o verdadeiro pioneiro quando se fala em meritocracia! Sempre que um destes ignorantes motivados praticam atentados contra a democracia, logo ali vem a recompensa! Honra ao mérito!

  • Franklyn George da Silva

    -

    19/1/2011 às 7:07 pm

    Reinaldo, premiar a imcompetência é hábito neste governo, no DPRF, o Diretor-Geral foi mantido no cargo depois de oito anos. Esse se deu melhor até que o babalorixá da banânia. E o prêmio é justamente pelo fracasso de realizar dois concursos públicos, o primeiro visava a contratação de 340 PRF´s para os Estados do PA e MT, a tentativa de fraude foi descoberta antes da realização da prova. No segundo concurso foi para a contratação de 750 PRF´s para todo o Brasil e dessa vez, ouve a tentativa de fraude, o concurso foi suspenso pelo MPF depois o MPF disse que não houve tentativa e hoje há um imbroglio juridico entre a banca do concurso, a FUNRIO que nos ultimos concursos que realizou teve problema em quase todos, inclusive fazia parte da tentativa de fraude do ENEM em 2009. E que inclusive tinha como diretor alguem ligado ao ex-ministro Tarso Genro e o DPRF que anulou o contrato com a FUNRIO antes do termino da investigação do MPF. Agora o órgao está impedido de realizar concurso para novos PRF´s enquanto a PRF está à mingua com falta de agentes em vários Estados do Brasil afora, principalmente no Nordeste e em Minas Gerais, onde os indices de acidente e a criminalidade correm soltas, enquanto há diversos postos da PRF com somente 1(um) policial de plantao, que arrisca sua vida e não pode oferecer segurança aos usuários da rodovia e a população desses locais.

  • Wilsonn

    -

    19/1/2011 às 7:01 pm

    Tudo muito LAMENTÁVEL ! Perfeito o último parágrafo ! Toneladas de bobagens sendo diariamente despejados na cabeças dos calouros, particularmente nos cursos de humanas. Quanta perda de tempo e energia !

  • Wilsonn

    -

    19/1/2011 às 6:41 pm

    Desculpe, Reinaldo, mas não encontrei outro espaço mais adequado. Sei que aqui o meu comentário será publicado.
    Atenção vocês paulistanos: o que leva um bibliotecário classe I da prefeitura ter uma aposentadoria de 14.695,28/mes ? http://deolhonascontas.prefeitura.sp.gov.br/pub/listaservidores/admdireta_apos/SMC_APOS.pdf
    Com todo respeito aos profissionais dessa área, se no Brasil fizermos uma auditoria nas aposentadorias do governo ( nos três níveis ), respaldada na moralidade, certamente surgiriam recursos para prover creches a milhões de crianças carentes.

  • tonyrj

    -

    19/1/2011 às 6:32 pm

    E assim, de INEPtos em inePTos, lá vem o Brasil, descendo a ladeira.

  • Irene

    -

    19/1/2011 às 5:34 pm

    Machiavelli dizia que Poder corrompe. O “corroi” é meu.rs

  • Irene

    -

    19/1/2011 às 5:32 pm

    Pois é, como diria Machiavelli, o poder corrompe e corroi mentes. Credo, onde iremos parar?

  • BARÃO

    -

    19/1/2011 às 4:47 pm

    DEVIA CHAMAR MALVINDA !!!!!!!!!!!!!

  • adorovoce

    -

    19/1/2011 às 4:39 pm

    http://www.whopopular.com/Reinaldo-Azevedo

  • JODY

    -

    19/1/2011 às 4:32 pm

    Você se lembra do samba do crioulo doido? pois é o betialógico tomou conta do governo.S.Ponte Preta, tinha ou teria a verdadeira noção do que é este governo. Não há siquer noção de futuro científico, estrutura sólida que leve a nação a acompanhar o mundo, nem estão preocupados com isto. O que eles desejam é que o povo permaneça como está, para que tenha noção nem conhecimento, pois como mais imbecil, ignorante é mais fácil de conduzirm, só que o mundo não para e balisar uma nação ´so por $$$$, não leva a nada, Esqueçamos o que passou, vamos lutar por dias melhores, temos que visualizar uma Nação que acompanhe o mundo e não que fique na retaguarda.Vamos lutar e demonstar a IMBECILIDADE DESTES GOVERNANTES, PELO MENOS MOSTAR.

  • Artupa

    -

    19/1/2011 às 4:05 pm

    Sou professora do ensino fundamental há vinte e cinco anos e realmente,os professores oriundos de universidades,principalmente públicas estão doutrinados. Não pensam, não raciocinam, não interpretam!! É uma leva de professores ignorantes e analfabetos funcionais, com o mesmo discurso raso..Dá medo!! Ainda bem que estou prá me aposentar. Nunca mais quero entrar dentro de uma escola!!

  • mariva

    -

    19/1/2011 às 3:25 pm

    Será que o Curriculum desta “mestra” é falso ou verdadeiro?
    O da Ogra Dilma é falso. Então tá. Fazer o que? Quanto mais o povo é cabestrado e ignorante mais serão produzidos “políticos” com as qualidades que temos desde 2003. Precisa comentar mais alguma coisa?

  • O JUSTICEIRO

    -

    19/1/2011 às 3:08 pm

    Os professôres das escolas públias desse pobre e cuitado Brasil,estão todos elienados e manipulados pelo petismo esquerdista,para alienarem e manipularem o máximo que poder,o pouco que ainda não deixaram-se levar pela a mentirada nojenta,ridícula,asquerosa,nefasta e perversa dessa quadrilha petista,que cometem qualquer absurdo para se manter no poder.Na minha casa,e nos meus vizinhos e onde eu chego,não perco oportunidade de esclarecer a verdade para os que ainda estão cegos,e você,estar fazendo alguma coisa?

  • mariva

    -

    19/1/2011 às 2:55 pm

    Reinaldo, este “gerúndio” é um chute no s…..É frases de telemarkting e fala corrente da “cumpanheirada”. Nossos universitários estão falando assim, com raras excessões. Sem contar com esse “nacionalismo tupiniquim” que dá dó de ouvir. Pobre jovens abobalhados pelos professores abobados e manipulados do “partido”. Vamos abrir os olhos, porque por muito menos Hitler fez um estrago no mundo.

  • Marconi França

    -

    19/1/2011 às 2:55 pm

    PIORAR NÃO VAI!ESPEREM DEPOIS DO CARNAVAL, QUANDO O BRASILEIRO SÉRIO COMEÇAR A PERCEBER QUE O “SER SUPREMO” DILMA, TODA-PURA, DER O AR DA GRAÇA EM DISCURSOS FABRICADOS PARA PETISTAS… A COISA NÃO ANDAR, VAMOS AMARGAR QUATRO ANOS DE BESTEIRAS.

  • DoceExilio

    -

    19/1/2011 às 2:54 pm

    Parece ate brincadeira, uma reitora com essa linguagem, temos e que fazer piada mesmo.
    Celso amorim perfeito imbecil e ainda por cima vassalo de governo corrupto.
    Mas fique certo que todos voces estao nos livros de historia, ilustrando a ” Era da Mediocridade” que o Brasil ira sobreviver.. Aff!

  • Anônimo

    -

    19/1/2011 às 2:48 pm

    Completamente fora do assunto.
    Gente! vcs souberam do acidente automobiliístico que o comediante Shaolim sofreu na Cidade de Campina Grande-PB? o estado de saúde dele é grave e corre o risco de amputar o braço esquerdo.
    Motivo: Um caminhão entrou na contra-mão e o atingiu.
    Rezem por ele.
    Obrigado!

  • wild

    -

    19/1/2011 às 2:47 pm

    Ontem vi uma entrevista dela no jornal nacional, figura estranha mesmo !!

  • Rastro do Annos Petralha

    -

    19/1/2011 às 2:44 pm

    Esse é o nível dos novos “intelequituais” que se junta à nova classe social “V” de vadios, ambos extraídos pelo “annos petralha”. Jamais acredite nem no que um petralha nega nem no que afirma.

  • Cristina

    -

    19/1/2011 às 2:42 pm

    Alguém me explica por favor quem são os corretores das redações do ENEM, das mais de 3.500.000.000 de redações corrigidas e avaliadas em menos de 60 dias? Se estes tiverem 100% da capacidade de D.Malvina, estou apavorada, coitadinha da minha filha…

  • ivne

    -

    19/1/2011 às 2:40 pm

    Eu sou uma brasileira crédula:”-Creio,porque é absurdo.”

    Aproveito para sugerir que o concurso COMBO seja retirado do blog.Afinal,quanto menos atenção certas pessoas receberem,melhor.
    Espere que ele abra a verborragia represada de novo,o que infelizmente não tarda,aí faça seu excelente trabalho de dissecação.

  • Sereno

    -

    19/1/2011 às 2:36 pm

    Porque há tantos incompetentes em governos socialistas?

    Ora, basta ler o livro de Mikhail Voslenski “Nomenklatura – Como Vivem As Classes Privilegiadas Na União Soviética” para saber.

    Os grandões do partido, se tiverem que escolher alguém para exercer um cargo importante, e tiverem como candidatos, de um lado, Einstein, e de outro lado, Stupidov, fatalmente escolherão Stupidov (desde que ele seja bajulador), por não representar um risco às próprias regalias.

    Ou seja: Einstein, no caso, poderia vir a desejar o lugar dos chefões.

  • marcelo h.

    -

    19/1/2011 às 2:34 pm

    “Esse “o ministro, ele” – a anteposição de uma espécie de aposto do sujeito – é um dos vícios de linguagem que mais me irritam”

    Onde assino?
    É um vício generalizado, parece demonstrar insegurança na pessoa que está falando. Muito irritante!

  • Sofia Maria

    -

    19/1/2011 às 2:29 pm

    É inconcebível que uma reitora se comunique desta forma.Que palavreado é este?É a dilmilíngua?Esta mulher é uma jumenta,nada mais do que isto.Quando penso no nível degradante,baixo, que a PTralhada deixou a Educação e Cultura(sem mencionar os demais aspectos para não perder o foco)com estes aparelhamentos políticos,não posso deixar de comparar com meu tempo de universidade durante o regime militar.De que adiantou tanta luta para,30 anos depois,vivermos esta degradação generalizada?Malditos PT e lulla!Quando Golbery os “apadrinhou” para que acabassem com os comunistas da época,não podia nem imaginar que eles acabariam é com o Brasil todo.

  • Fedorento

    -

    19/1/2011 às 2:19 pm

    As Universidades públicas estão se transformando rapidamente na mesma porcaria que o ensino público básico,
    mais alguns(?)anos de pt/sindicato/corporativismo e pronto!
    Professores/funcionários com dedicação exclusiva dão
    3,4 horas SEMANAIS, um escárnio,e assim vai!Tudo isso na cara da gente…os alunos reclamam e nada acontece.
    Esses grupos se acham donos das universidades e do PAÍS.

  • wilton santana

    -

    19/1/2011 às 2:19 pm

    PT no poder por mais 4 anos = emprego do reinaldo garantido por mais 4 anos!

  • maria britto

    -

    19/1/2011 às 2:10 pm

    Imagine um elemento desses a frente da Usina Nuclear de Angra 3…
    O absurdo já é por si só, com essa daí, ou quem a indicou, o que é pior ainda, já estaríamos mortos no RJ e em SP.

  • Felipe ( RJ)

    -

    19/1/2011 às 2:09 pm

    Parece preconceituoso, mas não.
    Olhem bem a foto da Da Malvina e me digam agora,na seca,se Vcs contratariam uma pessoa assim !!
    Existe um certo pudor e noção de ridículo que embora não possa ser descrito em palavras, é percebido instantaneamente por quem tem bom senso; e pessoas públicas precisam tê-lo! Não é o caso da Da Malvina !!

  • Heli Roberto da Silva

    -

    19/1/2011 às 1:57 pm

    Tio Rei, que história é essa na Folhaonline com este título:”Anatel terá acesso total a dado sigiloso de telefones”.,Será que agora o lulo-petismo, além de abolir o sigilo fiscal também o fará com o sigilo das ligações telefônicas?O que isso?
    Ah, por favor não publicar este comentário.
    FORMIGA-MG -

  • Andrea Freire

    -

    19/1/2011 às 1:57 pm

    ops! finalizando: …acertar carecas por aí!

  • Andrea Freire

    -

    19/1/2011 às 1:56 pm

    Queda da Bastilha Já! Claro, patrocinada pelos brasileiros incrédulos.
    Eles se esquecem de que, mesmo incrédulos, ainda são brasileiros. Tratam como se fossem estrangeiros xiitas que deveriam ser exterminados do solo tupiniquim. Deveriam se lembrar que o governo, supostamente democrático, é para todos, incrédulos ou não.
    Quanto a não falar coisa com coisa: ela e a Dilma certamente estuaram na mesma escola e certamente também perderam aulas de português/gramática. Vai ver ficavam praticando tiro de bolinhas de papel, para, no futuro, acertar

  • MariaC

    -

    19/1/2011 às 1:49 pm

    O que dizer? Desalentador.
    Se Sua Magnificência é figura tão inspiradora como será o corpo docente?
    Vi de perto o “ambiente” da USP ano passado. É de sair gritando.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados