Blogs e Colunistas

23/02/2011

às 22:45

Rejeitado o destaque do DEM de R$ 560

Pronto! Por 54 votos a 19 e 4 abstenções, rejeitado o destaque de R$ 560, do DEM.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

6 Comentários

  • anonimo

    -

    24/2/2011 às 11:39 am

    É um absurdo! Neste regime ditatorial, a maioria que venceu as eleições ganha da minoria, que apanhou nas urnas! Onde vamos parar?

  • magoo

    -

    23/2/2011 às 11:14 pm

    A oposição deveria bater na mesa e peitar a governANTA, que no tempo da propaganda eleitoral o velhaco e falecido vivia dizendo que recebeu uma herança maldita e que deixaria uma herança bendita, que nuncaantesnaistoriadessepaíz os brasileiros foram tão felizes, por acaso isso que esta acontecendo que qualquer um que tivesse um pouco de percepção nos números manipulados que o mantega soltava não condiziam com a realidade macroeconômica.
    Falta peito ou o telhado não a resiste uma pedrinha?

  • Sherlock

    -

    23/2/2011 às 10:53 pm

    Rei,

    A última vez (e talvez uma das poucas) que vi uma votação empolgante no Senado foi pela derrubada da CPMF.
    Depois daquela, nunca mais… hoje, é enfadonho ver os oposicionistas torcendo para que o governo tente voltar com a CPMF para eles repetirem o ato: mas algo me diz que desta vez o desfecho será diferente.

  • Alexandre

    -

    23/2/2011 às 10:51 pm

    Meus Deus, toda votação será assim durante 4 anos, daí para pior.

    Estamos fritos.

  • Aprendiz de Lógico

    -

    23/2/2011 às 10:48 pm

    “Justiça social” é uma expressão oca e sem sentido, além de geradora de injustiças reais individuais. Justiça real, autêntica, é dar a cada um o que lhe é devido, segundo o mérito (recompensa) e o demérito (punição) de cada um. “Justiça social” é uma locução inventada pelas esquerdas como sinônimo de “igualdade social” que, por sua vez, é um eufemismo para “socialismo”.

    Acreditar em “justiça social” é apoiar, consciente ou inconscientemente, o socialismo, o comunismo.

    Estudantes e profissionais sérios do Direito, não se deixem enganar com esse palavrório dos esquerdistas inimigos da liberdade individual!!!

    Digam não à “justiça social”!!!!!!

    Está lançada a campanha:

    PELA LIBERDADE INDIVIDUAL, DIGA NÃO À “JUSTIÇA SOCIAL”!!!!!!

  • Anônimo

    -

    23/2/2011 às 10:46 pm

    Com a palavra o traíra Lulécio!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados