Blogs e Colunistas

01/08/2013

às 20:39

Projeto de lei sancionado por Dilma é legalização branca do aborto?

A presidente Dilma Rousseff sancionou, sem vetos, a lei que regulamenta o atendimento, na rede pública de saúde, às mulheres vítimas de violência sexual. Será que se trata de uma legalização branca do aborto? Trato do assunto no próximo post.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

52 Comentários

  1. Hildebrando Rocha dos Santos

    -

    10/10/2013 às 10:18

    Não poderia ser diferente. Os esquerdistas usam e abusam das táticas “materiais e intelectuais” para, veementemente, dizimarem os valores morais tradicionais das famílias e do Cristianismo, eis que, são diabólicos essencialmente materialistas. Anticristo. O povo brasileiro não pode se deixar enganar com tanta facilidade, precisa acordar imediatamente, enquanto é tempo. Nunca escolher esses animais irracionais desespirituais para nos governarem. São contra o capitalismo, favoráveis ao capital (de Estado), de onde com facilidade o subtraem para depositá-lo em local seguro em outras paragens (paraízos)

  2. katia maria dos santos

    -

    13/08/2013 às 15:42

    Primeiramente vejo muitas falhas neste projeto, quando uma mulher é estuprada e é atendida numa rede de saúde ela toma um coquetel pra não contrair o vírus da HIV e para não engravidar então não vejo a necessidade dessa lei, acho que isso é uma brecha para abrir a porta do aborto “legalizado” atendimento sempre teve o que não tem é médicos capacitados para atender essa demanda.

  3. Ribeiro

    -

    10/08/2013 às 12:02

    Sem comentário, Para quem entende meia palavra basta.

  4. Francisco Cleudimar

    -

    06/08/2013 às 18:46

    E se for?

  5. jorge wanderley

    -

    04/08/2013 às 11:45

    Dilma, A Burra, tentou e tentou demasiadamente com a polidez notória que a caracteriza, colar no Santo Padre para montar uma propagandazinha vigarista para combater a fome. Querem rematerializar o finado fome zero da enganação. Agora, imaginaram, uma espécie de combo by petralha, Não deu certo… Lula foi simplesmente ignorado… Nem o cancer o ajudou a receber uma adiantada extrema unção… O Papa não é idiota! Aliás, um artigo de Juan Arias http://internacional.elpais.com/internacional/2013/08/01/actualidad/1375375071_523489.html destaca a informação, já atestada por Simon Wiesenthal – famoso caçador de nazistas, de que o Vaticano tem o melhor serviço de informação e segurança do mundo. O pt pensa que todos são feitos à sua imagem fétida e semelhança vagabunda e rasteira.

  6. Anticomuna

    -

    03/08/2013 às 1:00

    Reinaldo. Concordo PLENAMENTE com NATY.O mais é balela e conversa fiada abrindo caminho escancarado para a LEGALISAÇÃO COMPLETA DO ABORTO(ou ASSASSINATO DE INOCENTES INDEFESOS!).

  7. Adriano

    -

    02/08/2013 às 19:04

    “Polícia é suspeita nº 1 do sumiço de Amarildo”, diz Maria do Rosário. Lá vai a ministra jogar as coisas ao ar sem provas novamente… http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/para-direitos-humanos-policia-e-suspeita-n-1-do-sumico-de-amarildo

  8. Macicley

    -

    02/08/2013 às 18:58

    Acho isso ridículo, uma mulher abortando esta acabando com uma vida. O que deveria ser feito era a mulher que foi estuprada ter a opção de doar o filho para outra pessoa ou para aquelas instituições que doam e que cuidam de crianças abandonadas.

  9. elouquisa

    -

    02/08/2013 às 16:07

    Rei,nós já temos no Brasil leis e normas muito boas contra o estupro!Sem essa nova lei,uma mulher que fosse obrigada a manter relações sexuais com um homem e engravidasse em tal ato de violência já poderia optar por um aborto!Não faz sentido nenhum essa lei que ignora um BO e um exame de corpo e delito!Desta maneira qualquer mulher que chegar grávida a um hospital e apenas falar que foi obrigada a manter relação sexual com algum homem(qualquer homem,até que fosse seu marido!) poderá optar pelo aborto!Pelo menos foi isso que eu entendi.

  10. mulher

    -

    02/08/2013 às 16:04

    Ninguem pensa na mulher, em seus sentimentos, ela que é a mais prejudicada. Além de ser ESTUPRADA, é obrigada a carregar o filho do estuprador em seu ventre…a gravizez é pra seu um momento lindo na vida de uma mulher, mas ao invez disso, se torna uma tortura durante 9 meses, na verdade a vida toda.

  11. helena

    -

    02/08/2013 às 14:50

    É o mínimo que o estado deve fazer para cumprir os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres que sofrem violência sexual.

  12. marcelo da silva

    -

    02/08/2013 às 11:49

    Lenr Richardson, legal sua opinião. Ser estrupador é questão de genética, né? Impressionante.

  13. Naty

    -

    02/08/2013 às 11:36

    liberação do aborto eu acho que é uma safadeza, também quem é a favor já nasceu. Deixando bem claro que um aborto é um assassinato qualquer e o que deveria existir era prisão pra quem o cometesse, se não quer a criança tem várias famílias loucas pra adotar, o bebê é inocente e só Deus quem dar a vida, porém, só ele tem o direito de tirá-la e o sangue desses pequeninos serão cobrado de cada um que comete ou se tornam cúmplices desse ato vergonhoso.

  14. diegooh

    -

    02/08/2013 às 10:51

    Se ja mataram uma juiza,bebezinhos é mel na chupeta. cade o amarildo…

  15. Lenr Richardson

    -

    02/08/2013 às 10:38

    Li alguns dos comentários para perceber o conflito de pensar e fé… em meu ponto de vista concordo com a maioria dos comentários: “ o aborto é violencia…“ porém não encontrei nenhum comentário adimidindo que o RAPE [estrupo] é ato igual ou maior que o aborto. O aborto é um procedimento feito para prevenir uma ser concebido de violência ser parte de uma sociedade que acredita tanto a violência é inadmitível. È melhor previnir um ser vir ao mundo que possa ser outro eturpador, do que deixar este ser vir ao mundo para ser condenado pela sociedade e talvez ser “confined in jail for life tiem…“ a opção é sua, qual é correta?

  16. Wesley

    -

    02/08/2013 às 10:25

    Discordo – Não é legalização branca e legalização Vermelha.

  17. Antonio Augusto Carvalho

    -

    02/08/2013 às 7:37

    Sim, é legalização descarada do aborto! E o primeiro índice será o de estupros que vai aumentar significativamente.

  18. Flavio de Oliveira Rodrigues

    -

    02/08/2013 às 3:18

    Não gosto de Dilma e muito menos do governo dela e do PT, mas pelo que li e vi até agora desse projeto, não vejo motivos para critica-lo. Ele pode até ajudar na diminuição dos abortos (considerando a visão da ciência que a gravidez começa quando o embrião se fixa ao útero), pois as vitimas de estupro sendo atendidas e tomando a pílula do dia seguinte no prazo de 3 dias, impede que a gravidez se inicie. O difícil mesmo vai ser o SUS por em prática essa lei, já que nem o básico como comprimidos para doenças crônicas (pressão, diabetes) eles conseguem fornecer, imagina pílula do dia seguinte.
    Claro que muitos, como Marcos Feliciano e outros pastores políticos, vão tentar se aproveitar disso pra aparecer mais na mídia e obter vantagens.

  19. Patrícia de Sampa

    -

    02/08/2013 às 2:16

    Acho que ninguém, em sã consciência, é a favor de matar bebês. Mas, se esse bebê for a consequência de um estupro, e se a vítima achar que não tem estrutura para criar essa criança, o melhor mesmo é que ela procure evitar a gravidez. Pior é se ela for casada: qual marido irá criar uma criança que lhe faz lembrar a todo o momento do estupro de sua mulher?

  20. Bruno Sampaio

    -

    02/08/2013 às 1:20

    Calma, Reinaldo… Não li a lei, mas mulheres vítimas de violência sexual devem ser atendidas por hospitais e delegacias públicas!

  21. Mag

    -

    02/08/2013 às 0:45

    Reinaldo.

    O procedimento no SUS, hoje em dia, já é uma legalização do aborto. Basta chegar, dizer qua a gravidez é resultado de estupro e se faz o aborto. A única exigência é assinar um papel garantindo que está dizendo a verdade. Não precisa de BO, nada, basta isso. Se o médico, por convicções pessoais, se recusar a fazer deve indicar outro médico que faça. Soube hoje que a coisa já vem sendo feita assim.

  22. Duldante

    -

    02/08/2013 às 0:28

    Parece que Dilma acabou de acabar-se, pela causa… Era descartável como qualquer um o é no movimento revolucionário. Mas deixa seu legado de horrores.
    -
    Nunca duvidei de que fosse esse monstro incapaz, falso, sádico e perverso.
    -
    E a certeza de que Lula vai voltar já faz aumentar a circulação na internet das piadinhas sobre o sujeito.

  23. lena

    -

    02/08/2013 às 0:18

    Essa canalhada só sabem aprovar essas leis esdruxulas que dão cabo a vida, que descaracterizam a família original, só se adiantam para aprovarem e sancionar essas bandalheiras, agora por ordem no barraco Brasil, onde saúde é caótica, educação um vexame, e a roubalheira, demagogia e cretinice são latentes, ninguém faz nada para mudar esse quadro, pra isso eles não tem pressa não, esse é o Brasil anarquista que esses imbecis governam, que nojo!

  24. Eleotário

    -

    01/08/2013 às 23:51

    O Congresso aprovou em 4 de julho passado, um projeto de lei que, na prática, legalizava o aborto no Brasil. O projeto de lei tramitou em regime de urgência e, em pouco mais de dois meses, foi aprovado por unanimidade, em quatro votações relâmpago, na Câmara e no Senado, SEM QUE A MAIORIA DOS PARLAMENTARES TIVESSE TEMPO PARA TOMAR CONHECIMENTO DO TEOR E VERDADEIRA IMPORTÂNCIA DO ASSUNTO.
    O texto do projeto evita propositalmente mencionar a palavra aborto, embora seja disto que o projeto trate. A palavra aborto foi cuidadosamente omitida e o projeto foi tramitado em um regime de urgência conscientemente planejado para que os parlamentares, inclusive os que são totalmente contrários ao aborto, não pudessem perceber o verdadeiro alcance da proposta senão depois de definitivamente aprovado (http://www.sobralemalerta.com/2013/07/congresso-aprova-lei-que-na-pratica.html)
    A iniciativa de aprová-lo em regime de urgência partiu do Dr. Alexandre Padilha, Ministro da Saúde do governo da presidente Dilma Rousseff. Cabe lembrar que a presidente assumiu um compromisso com o povo brasileiro, durante as eleições de 2010, de que NÃO LEGALIZARIA O ABORTO no país.
    Comissão Pró-vida do Regional Sul I da CNBB e outras lideranças protocolam, em Brasília, pedido de veto total ao PLC 03/2013:
    http://padrepauloricardo.org/blog/tag/12-pe-paulo-ricardo
    Cumpriu-se, assim, como que na calada da noite, o compromisso de Lula firmado em 2006. Vejam o histórico:
    http://www.olavodecarvalho.org/textos/mensagem_aborto.html

  25. Meia Verdade

    -

    01/08/2013 às 23:47

    E no minimo curioso….Ibope solta pesquisa sobre as instituicoes…..forcas armadas a frente dos meios de comunicacao….disparado a frente dos politicos e partidos……sera que estamos satisfeitos com essa democracia feita para meia duzia?

  26. nice

    -

    01/08/2013 às 23:41

    Finalmente você voltou…Estava em férias? Sobre a matéria, realmente parece um começo para legalização do aborto.

  27. palm

    -

    01/08/2013 às 23:39

    Mas isso eles já fazem, na prática, há muito tempo… Talvez faltasse o papel.

  28. Rodesilud

    -

    01/08/2013 às 23:14

    Não há dúvida de que estão dando o famoso jeitinho brasileiro para questões espinhosas.

  29. Rodrigo Lorenzi

    -

    01/08/2013 às 23:10

    Dilma a tarada por abortos.

  30. Marli

    -

    01/08/2013 às 23:05

    Sem hipocrisia Reinaldo.
    Qualquer pessoa hoje, compra na esquina de casa a “pílula do dia seguinte”. Compra-se até pela internet. Pesquise e o sr. verá.

  31. sofia

    -

    01/08/2013 às 22:57

    ** onde se lê estrupador, lê-se estuprador.

  32. Raimundo Pantaleão

    -

    01/08/2013 às 22:56

    Considero que o uso da pilula deve ser uma opção da mulher e não do papa ou de governo.A religião deve ser uma opção pessoal e não deve interferir na coletividade e na vida de quem não é religioso

  33. Fora PT/PMDB!!!

    -

    01/08/2013 às 22:53

    QUINTA-FEIRA, 1 DE AGOSTO DE 2013
    Emir Sader tem contrato milionário com a EBC. Na pessoa jurídica, o que é proibido por lei.
    http://coturnonoturno.blogspot.com.br/2013/08/emir-sader-tem-contrato-milionario-com.html
    QUINTA-FEIRA, 1 DE AGOSTO DE 2013
    A pessoa jurídica do Emir Sader, sociólogo predileto do PT, não está habilitada a prestar serviços para a EBC. Hora da CGU entrar em ação.
    http://coturnonoturno.blogspot.com.br/2013/08/a-pessoa-juridica-do-emir-sader.html

  34. Ellen

    -

    01/08/2013 às 22:53

    O Aborto é cruel e violento!
    Que os jovens reflitam e não se escondam em leis que não anulam o ato.

  35. Fora PT/PMDB!!!

    -

    01/08/2013 às 22:39

    01/08/2013
    MULTIDÃO PROTESTA CONTRA OMISSÃO DO MP EM RELAÇÃO A SÉRGIO CABRAL
    http://diariodopoder.com.br/noticias/multidao-protesta-contra-omissao-do-mp-em-relacao-a-sergio-cabral/

  36. Thales

    -

    01/08/2013 às 22:34

    Talvez até não seja. Mas o problema não é esse, mas sim: 1) alguém entra com algum pedido no STF para que considere essa “profilaxia da gravidez” como sendo aborto; 2) o STF, passando por cima do Legislativo, para variar, concorda; 3) o aborto é aprovado não pelo povo nem por seus representantes, mas sim pelo Judiciário, em mais um golpe tecnocrático. O que está ocorrendo é o uso de uma verdadeira tática fabiana pelos pró-aborto.

  37. Rapadura

    -

    01/08/2013 às 22:33

    Caríssimo.
    Vida por vida, prefiro que seja morto alguém reconhecidamente culpado por falhas éticas e morais (os atuais mandatários da nação, por exemplo, depois de se lhes oferecer todas as possibilidades de defesa) a permitir que se mate alguém com pelo menos 50% de chance de se tornar um adulto ético e moral, sem lhes permitir sequer qualquer chance de defesa…

  38. sofia

    -

    01/08/2013 às 22:31

    Que tristeza realmente a maneira em que anda a humanidade, quer a todo custo se lançar ao abismo, um País libera de vez a maconha, o outro o Aborto. Quem é o assassino no Brasil passa a ser a vitima nesse desgoverno miserável, isso quer dizer que, o estrupador fica livre por ai a praticar novos crimes e o indefeso que é o feto é extirpado como endo o criminoso. É isso a lei do quanto pior, melhor. O que a dilmona fez não passou de insulto ao Santo Pontificie por saber que a igreja católica é veementemente contraria a morte,pois sempre lutara para a vida, pela vida. É para sentir enjoo por causa do cheiro desse enxofre em que esta exalando o mundo.

  39. S. Lincoln

    -

    01/08/2013 às 22:24

    Pobre país! Triste povinho liderado por ‘çumidades’…

  40. Antonio

    -

    01/08/2013 às 22:21

    Depois de fazer um discurso político na recepção ao Papa essa guerrilheira de araque vem com esse projeto abortista. O Papa deve estar decepcionado com essa senhora e o povo brasileiro cristão também.

  41. Ellen

    -

    01/08/2013 às 22:19

    É uma ofensa o Estado ditar, ou se intrometer em questões individuais.
    Cidadão com boa consciência já é dotado pela Divina Providência por leis superiores como norte.
    Agora para quem não tem um norte…
    *** “Quando a cabeça não pensa o corpo padece” ****

  42. Anónimo

    -

    01/08/2013 às 22:19

    vejam o artigo do jornalista Fabio Pannunzio de hoje, será esse o motivo de ter sido agredido hoje pelos manifestantes?

    os personagens que encontramos atrás do pseudônimo “black block” é muito conhecido por todos, na média os famosos velhos jovens estudantes alternativos de humanidades , de meia e avançada idade e sem futuro cerebral

    http://www.pannunzio.com.br/
    Perfil do vândalo: arruaceiro médio, segundo a polícia, faz parte da elite

    Fábio Augusto Morales Soares é mestre e doutor em em História Social pela USP. Tem 30 anos de idade, é solteiro e dá aulas como professor substituto na PUC de Campinas. A rigor, seu invejável curriculum não tem pontos de intersecção com o da massoterapeuta Diana Parisi Dias de Moraes, 28 anos, uma ativista social cujo perfil no Facebook é utilizado para a convocação à participação em atos de hostilidade à mídia convencional e em apoio aos moradores da Favela do Moinho, na Barra Funda, em São Paulo.
    É possível que Natini Pérola de Barros Oliveira, uma estudante de 24 anos de idade, não conheça o professor Fábio Augusto nem a massoterapeuta Diana Parisi. Mas é certo que se relacione com Jorge Eduardo Hechert, 27 anos de idade, também estudante, igualmente solteiro, com quem divide um apartamento no Largo do Paissandu, no centro de São Paulo. Mas todos eles estavam no mesmo lugar, na mesma hora e, segundo a Polícia Militar, fazendo a mesma coisa: depredando concessionárias de veículos, agências bancárias, pichando prédios e ônibus, apedrejando policiais na Avenida Rebouças.
    Os nomes dos quatro constam do boletim de ocorrência lavrado na noite do último dia 30 pelo Décimo-quarto Distrito Policial, em Pinheiros, São Paulo. Juntamente com os de 16 outras pessoas flagradas pela PM ‘vandalizando’ tudo o que estava ao alcance de suas mãos, martelos, pedras e latas de spray de tinta.
    O grupo era estimado em cerca de 200 pessoas por observadores da polícia. Os manifestantes atendiam a uma convocação da página do Black Bloc, que se autointitula uma estratégia anarquista que não dá suporte a nenhum tipo de bandeira política. Mas tem servido para a arregimentação de vândalos que migraram das redes sociais para as ruas, pagando carona nas manifestações.
    A lista dos que depredaram patrimônio público e privado — e foram liberados depois de fichados — é composta por 15 nomes e permite construir um perfil médio desse novo persoangem. A primeira constatação possível é a de que não se tratam de alienados políticos, não se enquadram na categoria marxista do lumpemproletariado e bem poderiam ser classificados como “eites”– na acepção lulopetista do termo.
    O arruaceiro médio tem 23 anos de idade, é branco, mora em um bairro central e, na maioria dos casos, já passou por alguma universidade. Todos se declaram solteiros — apenas o companheiro de Natini se diz “convivente”. Apenas dois declararam ter a pele parda. Nenhum é negro.
    A maior parte do grupo de supostos vândalos é formada por estudantes sem qualquer outro tipo de atuação profissional. São seis casos entre os 15 detidos que foram autuados em flagrante e liberados em seguida. Mas há dois professores, um bancário, um empresário, um editor, um estoquista, um operador de telemarketing, a massoterapeuta e outro que não declarou em que trabalha.
    Três dos 15 acusados de vandalismo têm curso superior completo. Outros nove declaram não ter ainda terminado o ensino superior. Os que já passaram por alguma faculdade, portanto, representam 75% dos que foram presos em flagrante. E metade mora em bairros ricos da cidade de São Paulo. Na relação de endereços fornecidos há bairros como a Vila Madalena, Vila Mariana e o Centro.
    Quanto aos meios utilizados para a depredação, o personagem proeminente é justamente a massoterapueta Diana Parisi. Com ela foram apreendidos um martelo, um cabo de madeira, um rolo de fita adesiva e peças automotivas. A PM também apreendeu toucas ninjas, bandanas e latas de spray.
    O blog tentou falar com as pessoas citadas neste post. O professor Fábio Augusto Soares e Diana Parisi não atenderam. Natini afirmou que não iria fazer comentários. O companheiro dela, Jorge Hechert, ligou em seguida. Ele confirmou ter participado do protesto e disse que foi vítima de uma arbitrariedade, pois não esteve em nenhum ato violento.
    Abaixo, você vai encontrar a relação de nomes e a qualificação dos indiciados. O Blog não vai divulgar a fac-símile do boletim de ocorrência para não devassar os endereços e telefones dos acusados, que constam do documento.
    Antero Augusto Martins Filho,18,solteiro,Estudante,Tremembé,branco,segundo grau completo
    Bruno Dias Ferreira,24,solteiro, sem profissão,Vila Nova Cachoeirinha,pardo,superior incompleto
    Diana Parisi Dias de Moraes,28,solteiro,masso-terapueta,Belém,branca,superior completo
    Diego Gonçalves da Silva,24,solteiro,bancário,Moóca,parda,superior incompleto
    Fábio Augusto Morales Soares,30 solteiro,Professor,Parque das Uiversidades – Campinas,branca,superior completo
    Fernando Correa de Sá,24,solteiro,empresário,Vila Dom Pedro,branca,superior incompleto
    Guilherme Magalhães Chelles,18,solteiro,Estudante,Vila Galvão,branca,superior incompleto
    Henrique Montezano Lopes,18,solteiro,Estudante,Jardim dos Bichinhos,branca,segundo grau completo
    Jorge Eduardo Hechert,27,convivente,Estudante,Largo do Paissandu,branca,superior incompleto
    Natini Pérola de Barros Oliveira,24,solteiro,Estudante,Largo do Paissandu,branca,superior incompleto
    Raael Loureço de Albuquerque,19,solteiro,estoquista,Itaquera,pardo,primeiro grau completo
    Rodrigo Ferreira Viana,20,solteiro,Estudante,Ermelino Matarazzo,branca,superior incompleto
    Thiago Rosa Vignoto,23,solteiro,Editor,Vila Invernada,branca,superior incompleto
    Victor Leite de Oliveira,21,solteiro,Professor,Vila Mariana,branca,superior incompleto
    Wilson Fernandes Raposo,26,solteiro,Operador de telemarketing,Jardim Londrina,branca,superior completo

  43. Rodolfo

    -

    01/08/2013 às 21:57

    Beijou a mão do Papa e na semana seguinte sanciona sem vetos um projeto ABORTISTA!
    Esse pessoal perdeu a VERGONHA NA CARA há tempos! Se é que algum dia tiveram alguma!

  44. Anónimo

    -

    01/08/2013 às 21:56

    Manifestantes agrediram fisicamente o jornalista Fabio Pannunzio agora a pouco, ele cobria a “manifestação na Paulista”. Vejam que gente do bem,não… e ainda de quebra eles tem a cara de pau de se manifestarem contra a a polícia militarizada, pela democracia e pelos direitos humanos. Eis os podrões revolucionários.

  45. Anónimo

    -

    01/08/2013 às 21:52

    Reinaldo
    e os “manifestantes” profissionais de SP e do RJ, velhos conhecidos (MPLdoPt,Mídia Ninja Petista, Punks do Psol, vadias fundamentalistas, Mafaldinhos(as) da USP-PUC etc.), que agora se denominam black blocks para dificultarem e diminuirem o risco de serem desmascarados e tbém facilitarem o trabalho da imprensa cumpanhera$$$… mais uma forçação de barra hoje (estão protestando com uma pauta carioca)mas aos poucos vão impondo sua pauta, veja só já está marcada uma manifestação dia 14 contra o governador Alckmin, parece piada… adivinha quem está a frente…sim eles o MPL da Fefelech de novo, de novo, de novo, de novo…

  46. Adriano

    -

    01/08/2013 às 21:19

    E não se esqueça do Drauzio Varella, que chamou de “fascismo em nome de Deus” o ato de se opor à tal lei…

  47. Futurologista...

    -

    01/08/2013 às 21:15

    Sr. Reinaldo, bom retorno.
    entendo da mesma forma. Quantas jovens sairão pelo País fazendo aborto após uma noitada, acusando uma violência não consentida. Recentemente, no RGS, uma ‘de menor’ (13anos), saía tranquilamente com o namorado de 25 anos. Quando estava prestes a ser desmascarada inventou um estupro; porém, foi esclarecido pela polícia a mentira.
    Agora, com a pílula do dia seguinte não importa mais, o aborto já terá acontecido.
    Triste Brasil, sem educação, e sem governo.

  48. invasores Câmara Porto Alegre

    -

    01/08/2013 às 21:12

    Vejam fotos, nomes, cargos e partidos dos novos vermelhos – a “juventude” do PT, PSOL e PSTU – será a nova “revolução cultural” vermelha à caminho ?

    http://polibiobraga.blogspot.com.br/2013/08/veja-quem-e-e-quem-representa-cada-um.html

  49. Arthur

    -

    01/08/2013 às 21:09

    Aproveita e fala também da omissão ‘branca’ do Papa, sobre o assunto. Muito triste.

  50. Alzira

    -

    01/08/2013 às 21:05

    Bem-vindo de volta a estas paragens, Rei! Folgamos em tê-lo de volta.

  51. NG

    -

    01/08/2013 às 20:48

    Nossa familia é toda pró-vida mas não consideramos a pilula do dia seguinte como aborteira. Pela literatura, ela é equivalente a 5 pilulas anticoncepcionais comuns e no máximo, impedirá a fecundação do óvulo pela superdosagem hormonal. Inclusive há médicos que sugerem engolir as 5 pilulas, na falta dessa.

  52. Edu Martignago

    -

    01/08/2013 às 20:43

    Ela não só legaliza o aborto com legaliza a bagunça generalizada na medicina.
    Onde está no currículo de enfermeiros e farmacêuticos a matéria que fala de diagnostico e tratamento de doenças!
    Hipócrates está de luto!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados