Blogs e Colunistas

06/05/2012

às 7:41

PF flagra 22 citações a ex-número 2 da Delta

Por Alfredo Junqueira, no Estadão:
A estratégia da construtora Delta de jogar sobre seu ex-diretor Cláudio Abreu toda a responsabilidade pelos desvios identificados na Operação Monte Carlo esbarra no farto material de investigação que a Polícia Federal tem sobre outros integrantes da cúpula da empresa.

 

O inquérito, que tramita na 11.ª Vara Criminal Federal de Goiás, mostra que Carlos Pacheco, diretor executivo licenciado da Delta – o número dois da construtora -, e Heraldo Puccini Neto, responsável pela empresa na Região Sudeste e considerado foragido da Justiça, mantiveram contato frequente com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e outros integrantes de sua organização entre março e agosto do ano passado.

A PF também identifica referências ao dono da empresa, Fernando Cavendish – que se licenciou da presidência do conselho da construtora há dez dias -, em conversas de Cachoeira com Abreu e com o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO).

Nas gravações feitas pela PF, Pacheco é citado em pelo menos 22 diálogos do contraventor e de seus aliados. Dois encontros foram agendados entre ele e Cachoeira, indicam gravações realizadas em junho e julho do ano passado. Em 15 de junho, o ex-vereador de Goiânia Wladimir Garcez informa a Cachoeira que está chegando na casa do contraventor “acompanhado de Cláudio, Heraldo e Pacheco”.

Pacheco também teria se oferecido como sócio de Cachoeira na compra de um terreno. Em 15 de agosto de 2011, Abreu leva um suposto recado do diretor ao contraventor: “Falei que você tava comprando. Ele tá querendo entrar com você na compra da área”. Cachoeira propõe parcerias na construção de imóveis do Programa Minha Casa, Minha vida: “Fala lá com o Pacheco, vê se ele tem interesse”.

O contraventor também demonstra intimidade ao falar do número dois da Delta. Em conversa com Abreu no dia 1.º de junho de 2011, Cachoeira manda: “Amanhã, você dá uma cacetada no Pacheco porque não entrou nada viu? Tudo atrasado, tudo atrasado”. No dia seguinte, Cachoeira pede a Abreu que mande um avião a Brasília para levar Demóstenes ao encontro de Pacheco em Goiânia.

Além da Monte Carlo, Pacheco agora tem de prestar esclarecimentos em ação proposta pelo Ministério Público Federal no Tocantins sobre o suposto uso de documentação falsa para que a Delta participasse de licitações para prestação de serviços de limpeza urbana.
(…)

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

4 Comentários

  • Erasmo MOraes Oliveira

    -

    7/5/2012 às 9:21 am

    Caro Reinaldo , A Polícia Federal que É Tão Elogiada pela sua EFICIÊNCIA até pela oposição , porque ficou calada com o Caso Cachoeira /Waldomiro até este Ano ,porque até hoje não sabe de onde veio o Dinheiro do Dossê do Mercadante …porque não consegue Entregar o Relatório do caso ERENICE , sera porque era Sec. Executiva da Dilma ?.

  • CIDADÃO COMUNIZADO PELO PT

    -

    6/5/2012 às 6:22 pm

    O BRASIL vive uma ditadura comunista-cubana-e-mensaleira, se não bastasse o impune mensalão, existem exemplos mais simples, como as mortes políticas e sem bolsa-ditadura, de CELSO DANIEL e TONINHO DO PT. O mundo “civilizado” em crise econômica irreversível reconhece a “democracia nestepaiz” só porque dependem dos juros altos recebidos aqui, se esses mesmos investidores estrangeiros cobrassem essas taxas de juros absurdas e isentas de impostos nos seus países de origem, eles pegariam prisão perpétua por crime de usura e sonegação de impostos. O trabalhador nativo banca esses juros altos, descontados nos seus aviltados salários e por meio da maior carga de impostos do mundo, o salário-mínimo estabelecido pelo comunismo do apedeuta é muito inferior aos R$ 2.350,00/mês calculados pelo DIEESE, valor considerado na Constituição Federal, como necessário para o trabalhador viver com o mínimo de dignidade. Uma ditadura do PT sanguinária com 50.000 homicídios/ano, segundo a ONU. Sendo assim, 8 anos de apedeuta são 400.000 cadáveres na conta do PT, por absoluta falta de política de segurança pública, aliás, nestepaiz existem 500.000 mandados de prisão não-cumpridos porque a polícia obedece ao governo e não prende bandidos. O apedeuta não defende os mensaleiros, elle defende a si próprio, pois não dá para imaginar que altos companheiros, assessores da presidência, seguranças da família do apedeuta, todos agiam sem ordem do petralha-mor. Alguém já viu quadrilha sem chefe, um subordinado direto e tratado como braço-direito do ditador, Zéca-dica-de-róbar, promovido a chefe nos processos. O apedeuta sabe que a condenação dos 38 mensaleiros sem chefe seria o fim do PT, nem a sua morte bem próxima devido à doença terminal, evitaria o confisco dos bens de muitos companheiros, inclusive familiares do apedeuta beneficiados com verbas públicas. A CPI/CPMI da cachorrada que investiga a DELTA, empresa criminosa e braço do mensalão, cujo testa de ferro é o zéca-dica-de-róbar, empresa que recebe bilhões do PAC para cooptar gente dos três poderes da república, a fim de transformar o mensalão numa atividade “lícita” sob a falsa idéia de que petralhas róbam para o bem do BRASIL. Um verdadeiro ASSÉDIO ÉTICO pra cima de juízes, procuradores, políticos, polícia e qualquer um que possa ser cooptado para defender o mensalão petista. A PF, COAF, os operadores dos computadores inteligentes do governo que detectam qualquer movimentação financeira desde que o rôbo não seja de petralhas, o TCU, MPF, STF, CGU, a imprensa com honestidade de propósitos, são alvo de constante ASSÉDIO ÉTICO e CALÚNIAS, pelos comunistas petralhas e seus milionários aliados já cooptados. Na prática, os brasileiros não tem SEGURANÇA PÚBLICA e morrem em assaltos e assassinatos nas ruas, crimes cometidos por marginais livres da cadeia e fichas criminais extensas, porque o dinheiro dos nossos impostos só servem para mensalão e políticas tendenciosas, o PAC é uma mera desculpa para irrigar as deltas da vida com bilhões.

  • Donato

    -

    6/5/2012 às 8:27 am

    E quando a Operação Las Vegas vier a público, quantas gravações surgirão citando o “PJ ou caneta”, em estreitas vinculações à quadrilha. Em almoços e encontros onde “eram ordenadas” reportagens para sair no Radar ou Veja OnLine, com o intuito específico de atender interesses do Cachoeira?

  • jgomes

    -

    6/5/2012 às 8:26 am

    Reinaldo,
    Seria realmente ótimo para o País, se esta CPMI mostrasse
    as entranhas do nosso submundo político. Pelo simples fato da
    referida CPMI estar funcionando ( ainda lentamente),já começam
    a aparecer as ramificações da quadrilha.Espero sinceramente que ela fuja das amarras que esbirros do apedeuta tentam lhe
    impor.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados