Blogs e Colunistas

25/10/2013

às 4:49

O homem como porco do homem. Ou: Quando a imprensa estimula a delinquência

O que é um “ativista”, além de ser o contrário de um “passivista”? Bem, o ativista é um adepto do “ativismo”. O Houaiss traz várias boas acepções para a palavra. Leiam.

ativismo houaiss

Na semana passada, os ditos “ativistas” fizeram aquela barbaridade no Instituto Royal. Nesta quarta, dia 23, li no G1, alguns outros interromperam uma aula prática de medicina na PUC de Campinas para registrar — isto é, filmar, em sinal de protesto — o uso de cinco porcos para treinar a técnica da traqueostomia, que salva vidas mundo afora todos os dias, em especial a dos alérgicos, como eu, que podem ter um choque anafilático, com edema de glote, e morrer sufocados. Os inimigos não delirem de satisfação só com o meu caso. Pensem que poderia ser um filho ou irmão de vocês. Entende-se com mais facilidade. A necessidade de eventualmente ter de recorrer a um procedimento assim talvez seja o que mais assombre os médicos se eles pensarem no assunto. Até porque, na maioria das vezes, a traqueostomia é uma emergência, realizada fora de salas cirúrgicas, sem as condições consideradas mínimas para intervenção tão drástica.

Foi invasão mesmo. Leio na reportagem que Flávio Lamas, presidente do Conselho de Defesa dos Animais de Campinas, apoia a ação. E ele afirma com aquela certeza que confere a irresponsabilidade de quem jamais terá de fazer uma traqueostomia: “O ato foi para mostrar a crueldade com o animal. Existem outros modelos, como simuladores e filmagens, que podem ser utilizados de forma didática. É uma mudança que precisa ser feita”.

Eu sempre fico muito impressionado com a arrogância dos ignorantes. Não há simulação possível que possa substituir determinadas experiências. Fosse assim, um cirurgião se tornaria um especialista sem jamais ter tocado no corpo de bicho ou de gente. Fico aqui a me perguntar: qual é a hipótese de Lamas para que a Faculdade de Medicina da PUC, então, recorra aos porcos? Maldade? Perversidade? Gosto de ver sofrer os animais? Paixão por cortar corpos? Fico aqui a me perguntar por que o sr. Lamas se considera moralmente superior ao professor que ministrava as aulas e aos alunos que estavam ali para aprender.

O mesmo vale para os beagles. Por que diabos o Instituto Royal, sob supervisão de órgãos competentes, fazia o teste de drogas nos cães se supostos modelos de computador poderiam, com eficiência, substituí-los? Com frequência, determinadas drogas, mesmo depois de amplamente testadas, saem de circulação porque, a despeito de todos os cuidados, acabam implicando riscos considerados excessivos.

Um médico que não faça a sua primeira traqueostomia num porco haverá de fazê-la pela primeira vez num humano, numa criança, numa mãe, num pai, em alguém que tem construída uma rede de afetos, que tem uma história, que tem memória ou, então, um longo futuro pela frente. Se não for num porco, então o homem será o porco do homem.

Há algo de profundamente perturbado e perturbador nessa visão moral do mundo. A PUC-Campinas diz seguir todas as determinações do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal. O professor que conduzia o trabalho registrou Boletim de Ocorrência no 11º Distrito Policial.

O erro da imprensa
O vídeo, curto, foi tornado público pelos ditos “ativistas”. O G1 o reproduz, com o seu logotipo. Cabe, entendo, um questionamento ético. Chegou a hora de a imprensa se perguntar se deve estimular — porque é inegável que a publicação provoca tal efeito — esse tipo de comportamento. O que se vê, ainda que rapidamente, não é bonito: um porco esticado, com a barriga para cima, tendo a traqueia perfurada, com o inevitável fio de sangue. Ora, qual é o propósito de tal exibição?

É claro que essa divulgação representa uma vitória para aqueles que, afrontado a lei, afrontado o regulamento da universidade, afrontando a autoridade do professor em sala de aula, afrontando o bom senso, invadiram uma sala de aula. Outros, agora, procurarão seguir o seu exemplo. Não tardará, a ciência brasileira haverá de ficar refém dos militantes da, como é mesmo?, “Frente de Libertação Animal”. Práticas e discursos irresponsáveis, como as dos deputados tucanos Ricardo Trípoli (federal-SP) e Fernando Capez (estadual-SP), estimulam a delinquência.

Volto à palavra
“Ativismo”? Em qualquer das acepções das palavras, mesmo naquela que fala em “revolução”, se os supostos “ativistas” ganhassem, o perdedor seria principalmente o homem — e também os bichos, ao menos os domésticos, já que um veterinário também estaria proibido de “aprender” tendo como modelo o próprio animal.

Não, senhores! Isso não é “ativismo”. Chamem-se essas coisas pelo nome que elas têm: crime. Se os cientistas, desde já, não se manifestarem de maneira firme e clara; se a Polícia, país afora, não for extremamente severa no cumprimento da lei; se a imprensa não sair dessa retórica “nem-nem”, esse tipo de vandalismo vai crescer.

Uma questão ao jornalismo
Digamos que um criminoso decidisse filmar o sequestro de, atenção!, uma personalidade pública, registrando detalhes que, de outro modo, ninguém teria. Pergunto: seria o caso de levar ao ar esse filme? Um espertinho poderia tentar sair do “sim” ou “não” afirmando um “depende”… Como? “Ah, se ajudasse a esclarecer o caso e fosse no interesse da vítima, sim…” Errado! O bandido sabe melhor do que você, espertinho, o que é bom para ele e para a sua causa. Divulgar as imagens seria entrar como mais um elo na cadeia do crime.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

198 Comentários

  • Angèlìka

    -

    28/10/2013 às 4:23 pm

    E o BRASIL…quem defende?!
    Ninguém, porque estão todos ocupados – saqueando-o.

  • Sérgio

    -

    26/10/2013 às 8:27 pm

    A solução para este problema seria usar criminosos que cometeram crimes hediondos nas pesquisas.
    Seria uma solução mais humana, deixem os animais inocentes em paz.

  • Eduardo

    -

    26/10/2013 às 11:09 am

    Esse pessoal não deveria comer carne animal, porque deveria achar crueldade criar o animalzinho e matar para comer. No entanto, nem se importam com a matança diária de humanos no Brasil por negligência do governo.

  • luis Antonio Pereira

    -

    26/10/2013 às 11:08 am

    A solução para fim de toda essa baderna é retirarmos o P.T. do poder. É o único que está ganhando com essa situação. Vçs já viram algum pronunciamento dos aPedeuTas condenando este caos instalado no País?

  • ney

    -

    26/10/2013 às 10:49 am

    As consequências do analfabetismo funcional institucionalizado neste país já começa render seus frutos. Um bando de iletrados, com a pecha de defensores de animais, massa de manobra de interesses escusos, tomam atitudes da ignorância frente a evolução da ciência. Não vai demorar aparecer, após mais de um século, a revolta da vacina de Oswaldo Cruz, mostrando o quanto o analfabetismo instalado neste país é resistente e de difícil erradicação.

  • pagador de impostos

    -

    26/10/2013 às 9:38 am

    Desta vez Discordo do Reinaldo…Acho sim que estes inocentes cachorrinhos lindos estão sendo mal tratados ….conheço tantas pessoas que poderiam ocupar o lugar deles, só assim fariam um enorme bem pela humanidade. Poupem estas gracinhas, pois há um enorme contingente de pessoas nefastas que bem poderiam ocupar o lugar deles, começando por muitos petistas!!

  • Watson

    -

    26/10/2013 às 1:25 am

    O pior burro é o burro com iniciativa. Esses ativistas são assim.

  • Renata

    -

    26/10/2013 às 12:30 am

    Quando eu fazia faculdade de geologia e não havia verbas para fazermos aulas práticas em campo, estudando cortes de terreno e afloramentos rochosos verdadeiros, um diretor da universidade (externo ao curso) sugeriu que estudássemos por maquetes…

  • Jack

    -

    26/10/2013 às 12:07 am

    Aliás, não vejo razão para a Folha não ampliar o seu espaço. O Gaspari, aos domingos, tem meia página para falar um monte de asneira. Meia página para você é dever cívico, Reinaldo.
    Por favor, só não deixe o jornal. Acredito firmemente que você veio para ser uma eterna pedra no sapato dos esquerdistas bobalhões.

  • Jack

    -

    26/10/2013 às 12:05 am

    Excelente, Reinaldo. Essa coluna, devo dizer, cairia muito melhor na Folha de ontem. Pena que o espaço é curto. De todo modo, confio na sua capacidade e sei que, nas próximas colunas, com o leitor já introduzido à sua perspicácia, conhecimento e estilo que sobram aqui serão transportados para o jornal.

  • José Caetano da Silva Filho

    -

    25/10/2013 às 11:52 pm

    Vi que a prefeitura, decidiu suspender a Licença do Instituto Royal. Será que também vão cassar a da PUC-Campinas. Gostaria de ver esses “neo-ativistas”, invadirem as “biqueiras” do tráfico, para impedir que os animais “dependentes químicos”, continuem morrendo e sendo maltratados. Será que eles não se compadecem dos usuários de Crack. Aind aacho que tem coisa por trás disso.

  • Santana*100

    -

    25/10/2013 às 10:52 pm

    Reinaldo, só tem um jeito de resolver estes e outros problemas causados por grupelhos esquerdistas vagabundos…. O Brasil está indo para o “inferno”! baixamos à guarda para estes vagabundos.

  • Charles A.

    -

    25/10/2013 às 10:47 pm

    Acho que us cupanherus dos animais deveriam invadir logo um frigorífico,um açougue , uma fábrica de salsichas,linguiça calabresa e presunto,e comemorar depois com um rodízio de churrasco com tender ,linguiça,lombo ,bacon .Afinal,presunto é presunto.O problema é a traqueostomia ou os porcos? Eu acho que o problema são os invasores que estão preferindo carne humana…

  • samuel

    -

    25/10/2013 às 10:32 pm

    Também não precisa formar MAIS MÉDICOS. Basta pegar um cortador de Cana de Cuba (me antecipo a Dilma e digo não é racismo) e carimba-lo de MÉDICO e está resolvido a parada kkk
    No fundo esses problemas fazem parte da mesmo abandono da racionalidade…

  • Jorge Aguiar Vicente Viana

    -

    25/10/2013 às 10:24 pm

    Exemplo como estes servem também para outros casos em que ativistas se julgam juízes e invadem terras, empresas, acham que podem decidir o que se pode plantar no brasil, como na vez que destruíram um experimento com eucalitos.

  • Nali

    -

    25/10/2013 às 10:21 pm

    Acho que esses “ativistas” deveriam assistir ao filme “A escolha de Sofia”. Talvez repensem seus conceitos.

  • roxana filetti

    -

    25/10/2013 às 10:06 pm

    Quando as aulas de anatomia começaram a usar cadáveres – não tenho muita informação a respeito – foram combatidos de forma irracional e radical. Havia toda ordem de tabus quando se iniciou o estudo da anatomia humana. Foi considerada uma profanação do sagrado corpo humano e seus adeptos perseguidos. Cada era, sua crença, seu tabu e,claro, sua descrença.

  • Brasigois Felicio

    -

    25/10/2013 às 10:05 pm

    No Brasil onde submetido à ditadura do politicamente correto ativismos e ativistas estão na moda. E eles existem em todas as modalidades e para todos os gostos.Abundam e prejudicam. Temos ativistas que são verdadeiros saltimbancos.O caso da invasão ao laboratorio Royal demonstra a que ponto chegou tal modismo. O Brasil tem uma conterrãnea nossa presa em uma cela na Russia, por excesso ou overdose de ativismo. Atualmente nossa valente defensora do oceano dos oceanos da terra encontra-se entretida em ler Machado de Assis – coisa que certamente jamais o fez. Talvez não tivesse tempo para tanto, em suas aventuras politicamente corretas. Na frieza da cela russa, exposta à curiosidade publica, ela pode chegar à conclusão de que por l[a as coisas são diferentes, e as leis são para valer – não como no Brasil, onde leis são para inglês ver.

  • Leniéverson Azeredo

    -

    25/10/2013 às 9:28 pm

    Soube que o Alvará do Instituto foi suspenso. Isso é uma lástima, uma verdadeira marca do atraso a qual (ativistas) querem. Tem jeito, Reinaldo?

  • Marçal Hokama

    -

    25/10/2013 às 9:21 pm

    Reinaldo, isso me lembra o caso da Escola Base… Mas adaptado a realidade das mídias sociais. As coisas estão andando rápido demais, versões desencontradas, muita emoção e pouca razão… Está faltando a reflexão antes de tomar posições precipitadas. Deixo o link para as pessoas recordarem do caso -> http://noticias.r7.com/educacao/fotos/quase-20-anos-apos-injustica-historica-ex-funcionarios-da-escola-base-ainda-ensinam-o-brasil-20130328.html

  • Itiel Monteiro de Lucena

    -

    25/10/2013 às 9:11 pm

    O maior culpado neste episódio dos beagles é o governo brasileiro. Existe hoje no Brasil um exagerado protecionismo aquelas pessoas que resolvem infringir as leis. Costumamos ouvir na mídia televisiva a frase “sensação de impunidade”, o que é uma grande mentira, pois não é sensação, é impunidade mesmo. As pessoas não temem as leis porque sabem que elas são frágeis, a justiça é lenta, livrou o flagrante e responde o crime em liberdade, a sociedade tem memória curta, e logo esquece o ocorrido,etc. Além do mais mesmo que seja condenada a pessoa terá inúmeros benefícios.

  • Humberto

    -

    25/10/2013 às 8:23 pm

    Uma coisa que eu me pergunto: Por qual razão eles não fazem os mesmos protestos e invasões nos terreiros de macumba espalhados pelo Brasil? Ao que consta, animais são sacrificados nesses lugares sem nenhum propósito que não seja o de “trazer o marido de volta” ou “fazer a amante do marido cair doente”.

  • Desconhecida

    -

    25/10/2013 às 8:04 pm

    é um absurdo. por causa de uns vândalos, que se acham superiores, donos da razão e pensam que são maioria o instituto Royal foi lacrado por 60 dias. Se a grande maioria da população fosse a favor dos pensamentos deles, a petição teria milhões de votos, e para ser valida uma pessoa não poderia votar mais de uma vez (como os ativistas fazem.

  • José Mesquita de F. Barbosa

    -

    25/10/2013 às 7:42 pm

    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11794.htm

    Não se tem notícia de a CEUA do Instituto Royal tenha feito denuncia.

  • conceicao

    -

    25/10/2013 às 7:28 pm

    REINALDO QUE GENTE ASQUEROSA ESTES MENSALEIROS DITADORES PETRALHAS!SABE O QUE ESTÃO FAZENDO EM MINAS GERAIS? ESTÃO ORGANIZANDO UM PLEBISCITO CONTRA O ALTO CUSTO DA ENERGIA ELETRICA,MAS O FOCO PRINCIPAL COM CERTEZA É DENEGRIR A IMAGEM DE AÉCIO NEVES.

  • Sergio G

    -

    25/10/2013 às 7:25 pm

    Fiquei a imaginar como esses valentes praticam sexo, já que existem outros modelos, como simuladores e filmagens, que podem ser utilizados…

  • Guilherme

    -

    25/10/2013 às 7:00 pm

    Muitos desses “ativistas” têm tatuagem. Será que eles vão proibir de surgirem novos tatuadores? Afinal, tatuadores começam praticando em porcos e não em humanos…

  • WALDIR

    -

    25/10/2013 às 6:54 pm

    CARO REINALDO AINDA BEM QUE TEMOS PESSOAS QUE SÃO FORMADORES DE OPINIÃO COMO VOCE,FACA UM MANIFESTO VIA VEJA PARA COLOCAR TODOS OS QUE INVADIRAM O INSTITUTO ROYAL POR QUE A CIENCIA NÃO PODE SE PERDER POR CONTA DE UMA MEIA DUZIA DE ARRUACEIROS QUE SÓ QUERIAM SEUS QUINZE MINUTOS DE FAMA E CONSEGUIRAM AGORA CADEIA E PRONTO POIS A CIENCIA NÃO PODE ESPERAR .

  • Leto Esher

    -

    25/10/2013 às 6:22 pm

    Caro Reinaldo,
    Lendo seu texto lembrei-me de um artigo escrito pelo Nelson Rodrigues (veja só que fonte!) a respeito da “opinião pública” publicado no Correio da Manhã em28/3/1967 sob o título “Memória nº 27″, onde em seu parágrafo 8 informa citando um amigo – Nepomuceno – de seu velho pai – que “A opinião pública é louca! Louca!”.. Mais a frente no parágrafo 9 escreve “E para demonstrar a loucura da opinião pública, Nepomuceno falava da vacina obrigatória. Ouvi a mesma história uma cem vezes. Mais tarde, fui ler, nas velhas coleções da Biblioteca Nacional, o que acontecera na época. E, de fato, toda a cidade se levantara a favor da peste contra a vacina; a favor das ratazanas contra Oswaldo Cruz; a favor da varíola contra a saúde”. Atitude idêntica ao que fizeram os atuais “ativistas/ manifestantes” com respeito às pesquisas do Instituto Royal.

  • A Montanha Pariu um Rato

    -

    25/10/2013 às 5:53 pm

    Tomas Pig Lupus Hobbes na matilha ignara

  • Bira

    -

    25/10/2013 às 5:37 pm

    Só falta agora criar o Telecurso 3000 Terceiro Grau.

  • Tânia SP

    -

    25/10/2013 às 5:16 pm

    Que vergonha deste País!!! Sinto vergonha sim, de ser brasileira, onde “brucutus” invadem laboratórios, universidades e o povo ignorante e alienado ainda aplaude.

  • ney andrade

    -

    25/10/2013 às 5:05 pm

    Reinaldo enquanto este país tendencioso e atrasado chamadoBrasil, que imita o que tem de ruim (black bloc) em ouros países, não copiar a Russia no diz respeito a segurança, e enquadrar esses invasores sem vergonha como fora feito com ativista do green peace ficaremos a deriva com esta corja de terrorista que surgiu por aquí.

  • Nélson

    -

    25/10/2013 às 4:57 pm

    Na medicina veterinária,toda a aula prática de cirurgia, técnica cirúrgia é feita em animais, geralmente cachorros. Na primeira aula de anatomia, começa-se estudando num corpo de cavalo mumificado. Qual é o problema. Um indivíduo desses dizer que existem programas que substituem a análise em animal. Esse cara não sabe o que diz. No máximo é formado em ciências humanas.

  • Sibila

    -

    25/10/2013 às 4:28 pm

    Sobre pesquisas cientificas:
    Eu acho que os animais racionais deviam “encomendar” aos membros da casa da mãe joana uma lei, uma PEC, sei lá o que, que estabelecesse a obrigatoriedade de constar nas bulas dos remédios algo assim “para este medicamento existir foi necessário experimentos com ….(colocar a espécie de bicho: cachorro, gato,rato, porco, macaco, asno, pulga, rinoceronte, etc, etc).
    O doente decide se toma ou não, oras.
    Será que papais e mamães ativistas negariam remédio ou vacina para o seu bebê fofinho?
    Deixem de ser hipócritas, senhores!

    A propósito: Não assisti “o chá das cinco” entre brasileiros e chineses, mas gostaria de saber se o greenpeace fez protesto no dia do leilão do campo de Libra.

  • Rods

    -

    25/10/2013 às 4:14 pm

    REI.
    QUEREMA APOSTAR QUE ESTA RIDICULARIA SERÁ OBJETO DE DISCUSSÃO NAS CAMPANHAS QUE SE APROXIMAM4,E SOB O PALÍO DOS DIREITOS DOS ANIMAIS???
    SE ESTÁ DANDO CERTO COM O MANTRA DOS DIREITOS HUMANOS, QUE VIROU ATÉ MATÉRIA EM CURSO EM ACADEMIAS DE POLÍCIA, IMAGINEM COM OS AMINAIZINHOS.
    SIMPLES, ELE MEXE COM OS SENTIDOS DOS IDIOTAS ÚTEIS QUE VOTARÃO MASSIVAMENTE NA MALTA.
    Rods

  • João Marcelo

    -

    25/10/2013 às 4:14 pm

    Reinaldo
    Uma sugestão: substitue “porco” por “suíno”. Fica parecendo que o suíno é um animal sujo, o que não é verdade. Hoje os suínos são criados em instalações que priorizam muito boas condições de higiene, para que não fiquem expostos a inúmeros agentes patogênicos que se encontram na sujeira, nas suas fezes. Nós, veterinários, costumamos dizer que “porco” é o proprietário e criador que não oferece condições mínimas de higiene para que os suínos possam desenvolver melhor seu potencial zootécnico ( produzir carne de qualidade em um menor espaço de tempo possível).

    Um forte abraço de um leitor assíduo !!

  • André Luiz

    -

    25/10/2013 às 4:07 pm

    David Eduardo Luzetti Filho a resposta para isso é bem fácil: 1º Essa conversa de que usar animais é mais barato que usar tecnologia é conversa fiada, mentira pura. Quando se compra um computador para simulações o único gasto é a aquisição do equipamento e uma EVENTUAL manutenção. Agora pense no custo que é gerir um biotério, você tem padrões de higiene e segurança a serem atingidos, tem o cuidado veterinário dos animais, alimentação, e constantemente a aquisição de novos animais. É um custo enorme e constante, sem retorno imediato. Acredite, se houvesse a chance de banir esses testes e usar só a tecnologia, isso seria a primeira coisa que os laboratórios fariam!
    2º Simuladores e programas de computador não conseguem ser 100% exatos. Pois a quantidade de variáveis em um teste pode ser imensa, por essa razão eles são apenas a primeira fase dos testes. Após a simulação virtual sempre é feito o teste com animais.

  • Guilherme

    -

    25/10/2013 às 4:04 pm

    Já virei seu fã e acompanho todos os posts!! Juntos remando contra a corrente do mal vamos seguindo!! Agora sentar no bar pra beber cerveja e comer torresmo eles gostam né….

  • Fernando C de Mello

    -

    25/10/2013 às 3:57 pm

    Os corruptos querem dar mamadeira a seus bebes antes de nascerem ! Por isso toda essa polemica diversiomista sobre cães, canis, animais e ciencia !
    Atençao corruptos ativos, passivos e acobertadores, sem esperneio: A criança tem que nascer e só depois mamar nas tetas do Estado !

  • PALCOSCENICO

    -

    25/10/2013 às 3:56 pm

    NÓS JÁ ESTAMOS SENDO GOVERNADOS PELOS PORCOS.

    –NADA HÁ DE DIFERENTE NOS MÉTODOS PETISTAS DOS QYE OS UTILIZADOS PELOS porcos em “A REVOLUÇÃO DOS BICHOS”.

    – Os pobres continuam a ser enganados e trabalham cada vez mais para conseguir comer. Os idosos e aposentados, como já restou provado, são um estorvo para DILMA E lula, POIS, ALÉM DE A GRANDE MAIORIA NÃO VOTAR NO PI (devido a sua carga de experiência), ainda continuam a receber as aposentadorias que o governo DIMA E LULA “GOSTARIAM DE TRANSFERIR PARA ELEITORES PETISTAS SOB A FORMA DE BOLSA FAMÍLIA PARA ETERNIZAR-SE NO PODER, sejam eles FAMÉLICOS ou NÃO;

    – Como restou provado no último tumulto causado pela CEF que a PARCIAL Secr.de DIREITOS HUMANOS CULPOU A OPOSIÇÃO, 60% daquelas pessoas nãopoderiam estar recebendo a BOLSA.
    -
    - Vejam foto comentada sobreeste ponto em http://www.flickr.com/pietro_mascagni

  • PALCOSCENICO

    -

    25/10/2013 às 3:32 pm

    O mais popular dos porcos brasileiros e uma porca lançada por aquele, além do porco rábula, resolveram reviver o conto de GEORGE ORWELL. Assim como os porcos de “The Animal Farm”, são perversos, cruéis, maus e vingativos. No nosso caso o são com os idosos da antiga Classe Média que estão se aposentando ou já se aposentaram nos governos petistas. Estão gradativamente levando-os à fome, à bancarrota e à penúria. Isto é feito maquiavelicamente através da maquiagemdos índices de inflação, expurgados criminosamente, apenas porque queriam obrigá-los a votar em LULA e DILMA com apoio do rábula Temer. Este é um BURGUÊS ELITISTA que odeia o povão, mas vive mamando nos recursos do governo e colocando ricos amigos, em cargos de alto escalão (aos milhares) em troca do seu apoio ao PT. É um homem covarde para com os brasileiros pobres e idosos. Vejam foto comentada de desa trica, a caráter, em: http://www.flickr.com/photos/pietro_mascagni

  • Rafael

    -

    25/10/2013 às 3:31 pm

    Quem der uma olhada no site da Folha de São Paulo verá asfotos do dia da invasão e roubo (termos mais apropriados) dos beagles. Não há uma única foto que mostre um cão ferido, desnutrido, sujo, mutilado, nada, mas nada que indique maus-tratos. O que realmente colocou em risco estes animais foi o “resgate”, ato que os deixará sem os cuidados necessários, pois mesmo que sejam levados a veterinários estes desconhecerão por completo seu histórico, se tomavam alguma medicação no instituto e que não poderia ser suspensa, se dependiam dedieta especial ou se só poderiam consumir determinado tipo de ração, se são alérgicos etc.

  • Marcelo

    -

    25/10/2013 às 3:29 pm

    Reinaldo, você já assistiu “Os 12 macacos”?

  • Ney S. Monteiro

    -

    25/10/2013 às 3:28 pm

    Ah, e em relação a vacinas e medicamentos que a abstinência seja extensiva a filhos e pais.
    Vamos ver se são suficientemente “machos” para bancar isso.

  • Ney S. Monteiro

    -

    25/10/2013 às 3:26 pm

    Reinaldo, ativismo com ativismo se cura.
    Vamos ser ativistas monitorando esses “ativistas”.
    Para serem coerentes devem se abster de usar vacinas e medicamentos que foram testados em animais.
    As “princesas” devem se abster deusar cosméticos.
    Vamos lá, todas de cara lavada.

    E quando ficarem doente procurem um pajé para lhes curar com ervas da floresta.

  • Rafael

    -

    25/10/2013 às 3:11 pm

    A massa é realmente impressionante: por ocasião da votação da liberação de pesquisas com células-tronco humanas no STF, muita gente começou a atacar a religião chamando-a de “obscurantista”, termo particularmente usado por uma geneticista de São Paulo que acabou virando a queridinha da mídia. A ciência, para a mídia e parte significativa da população, virou sinônimo de racionalidade e busca do bem-estar humano. Agora, esta mesma ciência começa a ser atacada pela massa, que a acusa de “medieval”, “cruel”, “atrasada”, “sádica” etc. Os cientistas que tanto defendiam a ciência por ocasião da celeuma envolvendo embriões humanos agora botam o rabinho entre as pernas e não defendem as experiências com animais (que eles mesmos fazem no dia a dia)com medo da turba.

  • David Eduardo Luzetti Filho

    -

    25/10/2013 às 2:50 pm

    Salve, Reinaldo!
    Meu nome é David, sou professor de Filosofia.

    Primeiramente, quero parabenizá-lo pela coluna do senhor. Sou visitante diário. Sou grato pela coragem do senhor em marchar contra a corrente.

    Diante deste texto (o qual concorda em gênero, número e caso[no caso latino, rs])fico pensando nas respostas dos ativistas à pergunta do senhor:

    “Por que diabos o Instituto Royal, sob supervisão de órgãos competentes, fazia o teste de drogas nos cães se supostos modelos de computador poderiam, com eficiência, substituí-los?”

    Um militante disse-me: “Ora, por causa dedinheiro! É mais caro usar tecnologia do que usar os animais, indefesos”.

    Gostaria que o senhor pudesse dizer algo sobreisso, mesmo que seja em meu e-mail, de modo particular!

    Abraço!

  • Sempre Crítico

    -

    25/10/2013 às 2:48 pm

    Com certeza muitos desse acéfalos que participaram disso sentam seus traseiros à tardinha e noite nos botecos beber cerveja e comer TORRESMINHO DE PORCO. Querem defender animais? Porque não vão à África tomar as presas da boca dos leões e crocodilos?

  • Marcos F

    -

    25/10/2013 às 2:46 pm

    Aqueles “que não perdem um post teu” mesmo não gostando, gostariam muito de ver o Marcola matando aquele político principal que tanto estava na sua agenda. Pelo bem!
    Eles não medem nada.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados