Blogs e Colunistas

24/02/2011

às 6:27

Molestados e molestadores escrevem o que pensam! Ou: depois de falar aos pais dos alunos de escolas particulares, falo agora aos diretores

Estou convencido de que abri uma espécie de Caixa de Pandora ao denunciar aqui que o Movimento Passe Livre está recrutando estudantes nas escolas particulares mais caras de São Paulo — gente que não tem nem mesmo noção de como funciona o sistema público de transportes —, usando a moçada cheia de disposição como massa de manobra de sua “luta”. Pior: muitos professores dessas escolas estão incitando os estudantes a participar de confrontos de rua e tentativas de ocupação de prédios públicos como forma de exercitar a “cidadania”. Na manifestação da semana passada, os vereadores do PT, diligentes como sempre, estavam lá dando suporte à “manifestação”. Quando rojões começaram a ser lançados contra o prédio da Prefeitura, a Polícia — que, no estado de democrático e de direito é a democracia de farda — reprimiu os “baderneiros do papai”. Cuidado com as camisetas da Hollister e os jeans da Diesel, crianças…

Ontem, eu me dirigi aos pais que pagam a farra. Hoje, dirijo-me aos diretores dessas escolas e coordenadores pedagógicos. Sim, vocês têm responsabilidades técnicas, profissionais e morais. É preciso saber a forma que o “discurso da cidadania” está tomando na sala de aula. “Educação crítica”, como dizem por aí, vá lá: partidarização da sala de aula é outra conversa e caracteriza, reitero, uma forma de assédio moral. O professor exerce  uma liderança intelectual em sala. Em muitos casos, torna-se uma referência. Já bastam as quantidades industriais de bobagem contidas nos livros didáticos, boa parte deles produzida também por prosélitos. Aulas de história, geografia, sociologia e filosofia são, com freqüencia, verdadeiros manuais de militância petista, em que a verdade costuma ser a primeira vítima. Se pouco se pode fazer — a dificuldade realmente é imensa — para evitar a distorção, o incitamento à ação direta tem como ser contido.

Os molestados
Uma verdadeira corrente resolveu invadir o blog. Um sujeito que se assina RFF admite que seus professores fazem pregação política em sala. Escreve (segue com a gramática que veio):

“Os professores que nos dão aula e ‘assediam nossas mentes com ideias petistas’ além de nos ensinarem o que é preciso para passar no vestibular, nos ensinam também a abrir nossas cabeças para além de nossas vidinhas de filhinhos de papai. Não somos menos favorecidos de sabedoria ou de opinião porque estudamos em escolas particulares. Até porque se o ensino público fosse decente em todos os aspéctos necessários, nós não precisariamos das benditas escolas particulares. Acho que o problema é mais embaixo né?!”

Eis aí. Trata-se de uma confissão. Em seguida, ele especula sobre a minha vida de nababo:
“Então não venha com esse humor cínico infantil, ridicularizando todos os estudantes e nos colocando em uma posição como se tentar mudar um pouco o país é a atitude mais imbecil, se olhe no espelho quando acordar e veja o quão triste é sua vida (…). Depois vá tomar seu belo café da manhã no qual sua empregada teve de acordar as 5h da manhã, pegar 3 ônibus e um trêm para prepará-lo. Quando terminá-lo, leve seus queridinhos filhos (…)  à escola (…) em seu carro que trocou mês passado. Depois vá para seu trabalho onde um homem irá abrir a porta para você, uma mulher irá colocar seu café importado na mesa. Ah! depois sente em sua deliciosa cadeira, ligue seu computador e faça mais uma de suas esdrúxulas ‘análises políticas’.”

Esse é um daqueles com a cabeça cheia da titica contra “a sociedade de consumo”, ainda um hit de 10 entre 10 esquerdistas pés-de-chinelo que infestam as salas de aula. Huuummm… Ele exagera um pouco. Acertou no meu café: de fato, é importado! E é pago com o mesmo dinheiro que paga o café dos petistas: O MEU. Fui muito sutil?

Outro abduzido, este se identifica como “Chico” — manda e-mail e tudo —, repete a cascata lulo-petista sobre a “mídia”. Vejam que primor:
“(…) quase toda a mídia de massa é comandada por indivíduos ou grupos que apoiam a direita e estão muito acomodados em sua riqueza sem ao menos considerarem as pessoas de classe social, mais baixas e, portanto, as mais afetadas pelo aumento da tarifa.
Nos primórdios do partido, o PT era sim um partido focado na esquerda com um discurso lindo e cheio de promessas, porém é impossível que a esquerda assuma o governo pela votação pois TODOS (ou quase todos) OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO ÀS MASSAS SÃO PRÓ DIREITA, por decorrência disso, para chegar ao poder foram provavelmente necessários acordos com quem possui enormes quantias de capital, pois elas mandam e desmandam nas mentes populares, que são, em sua maioria, alienadas devido o histórico de governos corruptos e defensores dos direitos da elite.”

O Chico também confessa o assédio moral:
“Em relação as manifestações contra o aumento da tarifa do ônibus, são realmente organizadas, em sua maioria, pela elite estudantil que realmente frequenta colégios caros. Porém não são jovens desocupados que resolvem badernar no centro, mas sim pessoas, que estão indignadas com a desigualdade social e com as péssimas condições de vida das outras pessoas. Serem pessoas ricas ou de classe média alta não significa não se importar com os mais pobres, é exatamente pela classe social avantajada dos manifestantes, que esperam ter mais aparição e com isso conquistar os direitos que todos devemos ter: liberdade para transitar para onde quisermos e isso deve também ser garantido pelo Estado.”

O truque consiste em fazer com que a garota e o garoto se sintam pessoalmente responsáveis — ou culpados — pelas mazelas do mundo. Não! Isso nada tem a ver com consciência e responsabilidade sociais. Trata-se apenas de uma variante rebaixada, vigarista e cretina de uma estupidez maior, que é a suposição de que a luta de classes move o mundo, uma idéia bastante ousada para… o século 19!

O Chico, tadinho, segue adiante, num comentário de um três quilômetros:
“Eu, assim como creio que a maioria dos manifestantes que são avantajados em relação à classe social a que pertencem, o que nos permite mais acesso a cultura dentre outros conhecimentos que constroem o caráter de alguém, não tenho a função nem vontade de abaixar o preço do ônibus para mim, mas para as outras pessoas que sofrem mais com questões financeiras a fim de pelo menos, em um mínimo grau aumentar a igualdade social que afinal de contas, toda população merece.”

Como se nota, ele só quer ser bom. É o menino bom dos homens maus…

Os molestadores
Até agora, citei trechos de comentários dos molestados. Agora eu os colocarei em contato com os molestadores. Um certo “Diego” escreve:

“Pelo menos um professor de filosofia conhece, baseado no bom senso ou, se preferires, razão, a noção de direito de opinar sem oprimir a opinião do outro. Se você tiver realizado as leituras fundamentais que qualquer pessoa desse mundo com voz na opinião pública deveria conhecer, com certeza terá lido Descartes. Se você leu Descartes, posso afirmar, com base na leitura do seu texto, que ou você discorda das idéias do pai da filosofia moderna ou você simplesmente as ignora motivado por alguma ideologia pessoal, pois não respeita a opinião do seu semelhante e a ataca com tréplicas que se fundamentam em falácias informais clássicas do medievo.”

Andei lembrando Paulo Francis esses dias e o faço de novo. Diante de textos assim, ele só pedia uma coisa: “chicote” — metafórico, claro (que peninha!). Descartes “pai da filosofia moderna”? “Falácias informais clássicas do medievo”? Esses analfabetos estão dando aulas para nossos filhos!!!

O Diego achou que não tinha barbarizado o bastante nos conceitos, já em língua trôpega, e decidiu exagerar:
“Se você puder ‘provar’ que os alunos (menores de idade) estão sendo incitados a participar dos protestos e não os aderindo por vontade própria, então me calarei; do contrário, use a propriedade singular que a natureza te concebeu, a razão, para opinar de maneira construtiva e não para desmerecer os argumentos dos outros por meio de chulas falácias informais.”

“Aderir” até suporta um objeto direto, mas não nessa acepção. O Diego precisa parar de molestar adolescentes e pegar correndo um livro. Qual livro? Qualquer um! Serve até um de poemas do neoesquerdista Gabriel Chalita!!!

O presunçoso
O Pedro — não publico o sobrenome, assim posso esculhambá-lo à vontade — resolveu posar (Emir Sader escreveria “pousar”) de sábio pra cima de mim:

“Vá ter você uma aula de História que te explique os princípios da revolução francesa pra depois vir falar alguma coisa a respeito de como a sociedade progride ou regride de acordo com a sua perspectiva absurda e hipócrita. Volte você à alfabetização e se desprenda do estruturalismo passando à decência. Absurdo é o Brasil ter de ver, publicada em uma revista de tão alto renome, a representação VIVA da ignorância que ronda os locais onde o poder está centrado. Eu sou um educador e não admito, definitivamente não admito que um profissional tão despreparado fale o que você está falando. Você, sim, é exemplo de vergonha. E espero que pai nenhum deixe filho algum ler esta maldita reportagem, sob o risco de crescerem jovens que venham a ser INSANOS como você.”

Esse é do tipo ignorante valente! Taí! Eu gosto da Revolução Francesa! É um dos temas que estudo regularmente. Se há tarado sanguinário cujo traseiro chuto com gosto é Robespierre. Ele até inspirou, pelo avesso, um artigo de quatro páginas que escrevi na última VEJA de 2010. Gosto tanto do período que chamo “A Marselhesa” de “banco de sangue em versos”…

O seu problema, Pedro, é menos a arrogância do que a ignorância. Eu poderia considerar que a salada que você faz entre a segunda e a terceira pessoas é só a opção pela informalidade. Mas não é, não! É coisa de gente xucra mesmo. O emprego da palavra “estruturalismo” em seu comentário evidencia que você não tem a menor noção do que está falando. Você é um “educador”? NÃO, PEDRO! VOCÊ É UMA PROVA DO QUE ESTOU DENUNCIANDO! Nunca antes na história do pensamento alguém havia oposto o “estruturalismo” à “decência”. É de tal sorte boçal que é irrespondível! E olhem que eu jamais fui um admirador dos estruturalistas — mas nunca me ocorreu chamá-los de “indecentes”. Você não sabe o que diz! Tire as duas mãos do chão e vá estudar. Renuncie a essa mistura desagradável de prepotência e burrice.

Para encerrar
Já o França decidiu apelar ao capeta para justificar as Santas Escrituras. Chamando-me de “esse cara”, escreve:

“Se esse cara se desse o trabalho de olhar o site do mec, veria que em determinada seção dele, há uma seção chamada “mobilização social pela educação”, dentro da qual vêm contempladas as bandeiras da diversidade, dos movimentos sociais do campo, dos pais de alunos, dos movimentos estudantis, das instituições sindicais e das confederações sindicais e patronais.”

Sentiram o cheiro, não? Esse é do tipo que considera que a escola é mero pretexto — apenas um lugar — para o exercício da militância. Imaginem! Ele vem me oferecer o MEC de Fernando Haddad como referência. Haddad é aquele agora ministro da Educação, antes suposto intelectual, que escreveu um livro provando as virtudes do sistema soviético pouco mais de um ano antes de a União Soviética acabar! Eu juro!

O França tenta nos explicar:
“Os mais enfezados (no melhor sentido que essa palavra pode ter) podem alegar que as manifestações ferem seu direito de ir e vir. Mas podemos comparar situações de exceção (como parar uma rua para uma manifestação) à impossibilidade completa de se locomover de uma parte a outra da cidade, enfrentada por boa parcela da população? E mais: há uma boa diferença entre falar dos movimentos sociais em sala de aula e obrigar os alunos a irem a uma manifestação. Ou seja, é do desejo do aluno aderir ou não a uma causa, bem como é facultado ao professor seu direito de opinião.”

Qual será a disciplina ensinada pelo bruto? Seja lá qual for, aposto que ele é do tipo que deixa de lado o conteúdo a ser ensinado para ministrar “aulas de cidadania”, como se fosse esse o seu papel. Bem, o vocabulário dele não engana, querem ver?
“Dando uma de showman, Azeredo conseguiu foi desmerecer os esforços de estudos e a inteligência de todo um grupo de trabalhadores da educação que simplesmente pensa diferente dele. E essa intolerância à diferença, caracterizada justamente pela maneira como se reporta à área de humanas, tratando-a como se pudesse ser ocupada por qualquer “idiota”, é que é lastimável e antidemocrática.”

O “Azeredo” sou eu! Chamou “professor” de “trabalhador da educação” já entrega o serviço. É militante do PT e e é sindicalista. Eu agora vou me identificar como “trabalhador do jornalismo”. Os médicos serão “trabalhadores da saúde”; os faxineiros, trabalhadores da limpeza; e os esquerdistas, aproveitadores do trabalho alheio!

Eis aí, leitores! O que vai acima, como vocês notam, são confissões de um crime continuado. E esse assunto está longe de acabar. Eu mal comecei.

Por uma escola sem partido!

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

391 Comentários

  • Rodrigo Mazzarella

    -

    1/3/2011 às 11:13 am

    Bom já que esses pobres coitadinhos da classe alta estão incomodados com a situação dos “menos favorecidos” e, para “ajudá-los”, resolveram fazer baderna como forma de um movimento estudantil organizado porque, não adotam um ou dois “menos favorecidos” e bancam a sua passagem. Pois se entendi bem vocês não utilizam transportes públicos.

  • Almirante Kirk

    -

    26/2/2011 às 12:44 pm

    RESPOSTA AO mequetrefe “Arepo”
    - 25/02/2011 às 16:57:

    Você sequer sabe se comportar em casa alheia!E este blog é uma extensão da casa do estimado Jornalista Reinaldo Azevedo!
    Discordar civilizada e educadamente das idéias do Jornalista Reinaldo Azevedo em seu blog é uma coisa;agora,fazer mofa de seus involuntários lapsos ortográficos,presentes em alguns textos,francamente,assim não dá!
    Não é educado criticar dessa maneira alguém que nos recebe de braços abertos em sua casa!
    Peço respeito para com o nosso anfitrião!
    Grato!
    Boa reflexão!

  • Peredo

    -

    26/2/2011 às 10:42 am

    Então está tudo certo pelos R$ 3,00 cobrados na passagem de ônibus.? É essa a sua opinião? As pessoas devem fazer o quê, encaminhar um ofício de indignação à prefeitura?

  • Danilo Reis

    -

    26/2/2011 às 10:08 am

    Os irmãos Kassab agora tem convênio com a Veja e difamador oficial. Cão que ladra não morde.

  • Leitor

    -

    25/2/2011 às 7:27 pm

    “O Chico, tadinho, segue adiante, num comentário de um três quilômetros”

    Não é uma sentença muito boa para quem se utiliza do português para desmerecer os argumentos dos outros.

  • Tulio

    -

    25/2/2011 às 6:17 pm

    “O Chico, tadinho, segue adiante, num comentário de um três quilômetros” Parece que o senhor também sofre com a concordância.

  • Arepo

    -

    25/2/2011 às 4:57 pm

    Caro Reinaldo,

    Não vou me dedicar a nossas discordâncias – são muitas -, mas me chamou a atenção ver que vc praticamente não argumenta contra aqueles que pretende vencer. A maior parte do tempo vc se limita a ridicularizar o que os outros disseram e frequentemente apontando deficiências no português. É verdade que, encontrados em textos escritos por professores, tais erros são ainda mais preocupantes – o que só mostra como a situação toda está complicada. Mas aí é que está o ponto: a situação está complicada por causa do que o Estado tem deixado de fazer. E como se pode retificar isso? Exigindo do Estado! E como a população pode fazer para exigir algo do Estado? Indo às ruas. Logo, não consigo entender a razão da sua condenação às manifestações contra o aumento das passagens. Entendo que o ponto principal do seu texto é o que vc vê como um proselitismo de esquerda, mas percebo também nele uma desqualificação da demanda que originou tal proselitismo neste caso. De fato, esse proselitismo talvez exista mesmo nas escolas, mas não vejo isso como tão problemático assim, embora não seja o ideal.
    Gostaria de saber de vc como seria possível um ensino imparcial. O seu texto não é. O meu também não. O de alguém pode ser?
    Por último, acho que vc poderia ter um pouco mais de compreensão em relação aos erros de português que os outros cometem. Muitas vezes são fruto da pressa e das emoções que movem as pessoas a escrever. Pior ainda são os que vc mesmo cometeu em seu texto, que imagino ter sido escrito refletidamente e com calma. É verdade que não são muitos, mas existem. Vou citar somente um: “a Polícia — que, no estado de democrático e de direito é a democracia de farda”, que contém dois erros. Um está na cara: “estado de democrático” e deve ter sido fruto de distração. O outro é a falta de uma vírgula após “direito”. Afinal de contas, simplificando a estrutura, “no estado democrático e de direito” é um elemento intermediário que divide a oração principal, que seria “(a polícia), que é a democracia de farda”. Logo, se divide a frase ao meio sem prejudicar-lhe o sentido, deveria vir entre vírgulas (tal como acabei de construir aqui) – achei melhor não ser muito sutil na explicação “for clarity’s sake”…

  • Almirante Kirk

    -

    25/2/2011 às 2:49 pm

    CORREÇÃO,”KUTUKA COMATAQ”
    - 25/02/2011 às 11:04:

    Provavelmente,você não é católico,o que explica equívocos como os seus!
    Deve-se tomar cuidados ao se acusar a Santa Igreja Católica Apostólica Romana!Atribuir à Igreja Católica,como INSTITUIÇÃO,ou seja,como ORGANIZAÇÃO milenar,responsabilidades que fogem à missão confiada a ela pelo próprio Jesus Cristo,fundador da Santa Igreja Católica Apostólica Romana,revela desconhecimento acerca do que FOI,É e REPRESENTA a MAIOR e MAIS ANTIGA organização caritativa e civilizacional já surgida no Universo!
    INFELIZMENTE,toda pessoa esclarecida sabe – e compreende – a Santa Igreja Católica sofreu e sofre – e sofrerá – ataques internos e externos,via infiltração de marxistas/socialistas/comunistas etc.,que tentam usá-la como caixa de ressonância para o movimento revolucionário!Por isso que todo católico tem o DEVER de estudar sobre as táticas e estratégias usadas pelos inimigos da Igreja Católica – e,por extensão,do Cristianismo!Desnecessário dizer que todos os eventuais membros do clero que abraçaram o esquerdismo estão AUTOMATICAMENTE excomungados!
    O maior perigo,dentre outros, é a eventual utilização da Igreja Católica,via infiltração de marxistas /socialistas/comunistas em regiões pobres,onde o devoto católico não tem como se proteger do veneno,doutrinariamente falando,posto junto com a comida,como é o caso envolvendo a HERÉTICA “Teologia da Libertação”*,por exemplo,dentre outros ardis e perversos expedientes** usados pelos marxistas culturais para engambelar os católicos de baixa ou precária formação cultural e doutrinal católicas!
    * – “Cardeal Ratzinger e a Teologia da Libertação”
    http://padrepauloricardo.org/audio/cardeal-ratzinger-e-a-teologia-da-libertacao/

    ** – “Marxismo Cultural”
    http://padrepauloricardo.org/audio/marxismo-cultural/

    Boa reflexão!

  • KUTUKA COMATAQ

    -

    25/2/2011 às 11:04 am

    Temos que lembrar que, por equívo, a Igreja Católica Romana “lotou” pequenas paróquias, a maior parte delas no interior do País, de ‘freis petistas’. Pode-se observar que a chaga está desaparecendo das cidades médias e maiores, e surgindo nas pequenas comunidades, onde as pessoas são mais suscetíveis às “lavagens cerebrais” que essa gente faz na cabeça dos incautos. Enfim, caso não possam ir às reuniões das associações de pais e mestres (cheias de petralhas), os pais devem enviar mensagens, imagino que por e-mail, às direções dos colégios externando tais preocupações. Sugiro redirecionarmos suas matérias;

  • AnÔnImA

    -

    25/2/2011 às 10:18 am

    A pergunta que fica entalada na garganta é: que espécies de indivíduos o Brasil terá daqui para a frente com toda essa doutrinação, com toda essa burrice, com toda essa visão torta dos fatos, com toda essa falta de amor pela verdade?

  • Claudio

    -

    25/2/2011 às 10:04 am

    Que bom saber que os filhos das “classes mais avantajadas” (que é isso?) estão preocupados com os pertencentes às “classes menos avantajadas”.
    Tio Rei não devia se irritar com eles, mas dar um incentivo para que a preocupação passasse à ações reais. Por ex: O RFF, que conhece tão bem a condição da empregada que acorda às 5h e utiliza 3 conduções, poderia ser incentivado a fazer greve de fome até que seus pais pagassem um salário digno à empregada, p.ex. o valor do teto da previdência, ou coisas mais simples, como verificar se o papai dele paga o vale transporte corretamente e, ele próprio, renunciar a uns McDonald’s e devolver à empregada os 6% que devem ser descontados do salário a título de VT (eu, particularmente, entrego os VT integral e não desconto do salário da minha). Poderia aproveitar e ver se o INSS é devidamente recolhido. Seria de bom alvitre que o RFF brigasse com os pais dele para que pagassem para os filhos da empregada frequentar a mesma escola que ele, a fim de que tivessem as mesmas oportunidades no futuro. Aliás, todos eles poderiam brigar para não mais estudar em escola particular, mas em escolas públicas, pois assim todos teriam as mesmas oportunidades, não é isso o que pregam os socialistas?
    Aos prof., o tio Rei deveria recomendar que não lecionassem mais em escolas particulares. Sim, pois as classes menos favorecidas necessitam mais de suas “luzes” nas escolas públicas e esse negócio de escola particular só mantém a separação de classes e eles se estando a trabalhar ali só alimentam alienadamente esse “sistema perverso”.
    Enfim, esquerdistas para inglês ver. Querem mudar tudo, desde que não os afete ou que lhes tragam mais benefícios. Fazem o que fizeram por mero descargo de consciência, para parecerem esclarecidos, pois é chique ser de esquerda e ser rico no Brasil, mesmo trabalhando duro, sempre foi pecado. Só querem fazer baderna para depois poder almoçar no McDonald’s, usar roupa de marca, viajar para Disneu, etc, com consciência tranquila e dizer “fiz algo pelo meu povo necessitado… Não sou desses daí, alienados, que nem ligam para o semelhantes.”.

  • Anónimo

    -

    25/2/2011 às 3:31 am

    é assustador o post mas não estou surpreso
    vi muito disso em minha época de colégio , nos anos 80, em escola pública no interior de Minas
    mas era uma escola pública, numa época em que havia uma coisa chamada URSS
    o que me espanta é essa mediocridade em pleno século 21, esse discurso tosco e ultrapassado
    em escolas caras e particulares de SP com jovens abastados com amplo acesso à informação, isso é um crime meu Deus
    Parabéns Reinaldo
    Vou salvar esse post nos meus favoritos e divulgar aos meus amigos

  • Raskol: ptralhismo, uma variante ebola do comunismo

    -

    25/2/2011 às 3:21 am

    Estranho é que nessas “aulas de cidadania” os madraceiros ptralheiros não discutam por que a URSS acabou ou quem foi Pol Pot ou quantos russos foram para os gulags morrerem de fome e frio ou quanto cubanos ainda estão na cadeia, mesmo depois de toda matança ou quantos são livres na Libia do socialista Kadafi, amigo de lulla ou quanta liberdade de imprensa existe na Coreia do Norte….
    Esses menimos molestados – e essa é a palavra! – não sabem o que falam.
    Mas posso lembrar que, ainda que menos agressivo, isso já existia lá por idos antanhos. Eu, que estudei no início dos anos 1970, tive professores com essa mesma intenção. Só depois de muito tempo e de leitura pude ver quantas coisas deixei de aprender e quantas outras bobagens lí por indicação de professores. E nem digo que o fizessem por mal. Vivíamos na ditadura e isso os tornava um pouco menos agressivos que os saderentos e marxilentos de hoje, que não suportam a democracia. Mas essa MOLESTAÇÃO mental iniciou-se naquela época, nos anos 1960.
    Pois os comunistas não achavam que podiam fazer uma revolução usando e manietando o jango? O povo nem sabia o que se passava. As manifestações eram coisa de meia dúzia de comunistas pedindo, com suas arruaças, uma ditadura e depois mais meia dúzia de dirceus pedindo que esta se aprofundasse nos anos de chumbo.
    Enquanto isso, o povo permeneceu trabalhando, estudando… até que nasceu o ptralhismo, uma variante muito mais perigosa do comunismo, pois usava como sua a linguagem dos cristãos e travestia-se no manto de liberdades dos liberais. Foi assim que eles conseguiram implantar a madraça mental que levou os brasileiros a elegerem o mandião manguaça51 e, agora, o poste mudo.
    Mas a dor de cotovelo deles é sp, onde eles gostariam de promover um terremoto e ainda não conseguiram.
    O objetivo desses fracassados da revolução que nunca houve é quebrar São Paulo, pois aqui ainda temos gente que acredita na democracia, na segurança pública, ao contrário do comunista ptralha da Bahia (manguaça wagner) que acabou com a segurança naquele Estado. Acho que os baianos devem estar sentindo muita falta dos Magalhães. Antes um corrupto liberal que um comunista prepotente à la Kadafi.

  • pericles

    -

    25/2/2011 às 12:44 am

    1 – Aulas de história, geografia, sociologia e filosofia são, com freqüência, verdadeiros manuais de militância petista, em que a verdade costuma ser a primeira vítima. Se pouco se pode fazer — a dificuldade realmente é imensa — para evitar a distorção, o incitamento à ação direta tem como ser contido.
    NÃO É DE HOJE! EM VEZ DE ENSINAR O CONTEÚDO DA DISCIPLINA FICAM ENSINANDO IDEOLOGIA PODRE. OS LIVROS DIDÁTICOS DESSAS DISCIPLINAS SÃO VERDADEIROS MANUAIS DE MARXISMO PARA A LAVAGEM CEREBRAL DOS ALUNOS.
    2 – Do Chico.
    O que ele quer dizer com “classe social avantajada dos manifestantes”? Será algo erótico? E onde há “aparição”? Fátima? Lourdes?
    Já para escrever é uma lástima! Concordância zero, sentenças longas e vai por aí.
    3 – Do Diego.
    Por isso que os alunos escrevem mal; porque os professores também não sabem. Só sabem ideologia de Hobsbawn, o máximo do século XIX!
    Mas ele gosta mesmo é da falácia: falácias informais clássicas do medievo, chulas falácias informais. Esse cara é louco!
    4 – Do Pedro.
    O que esse estruturalismo está fazendo aí?
    5 – Do França.
    Ele está falando do MEC (em maiúsculas) de D. Hadad, o Inepto? Então está certo! Lá deve haver mesmo “uma seção chamada mobilização social pela educação”.
    Esse França me lembra uma história. Diz-se do professor que quem não sabe, ensina. E do pessoal de humanas que quem não sabe nada, ensina a ensinar.
    6 – Ficou faltando um puxão de orelhas nos responsáveis pelas escolas! O que acontece se um aluno sai de casa e vai à escola, mas ao invés de estudo, vai participar de manifestações e volta para casa de cabeça quebrada. Quando os pais colocam os filhos em determinada escola, é porque existe com essa escola uma relação de confiança! Se ocorrer qualquer acidente os responsáveis pela escola são moral e legalmente responsáveis pelas conseqüências

  • martha

    -

    25/2/2011 às 12:08 am

    Reinaldo, você não deve perder tempo em mostrar como pensa essa petezada. Eles simplesmente não pensam. O que fica claro é que apesar de acharem que você é analfabeto,idiota, insano, etc. eles adoram ler o que você escreve porque estão sempre aqui. Melhor ignorá-los. Eles não são capazes de surpreender ninguém com as asneiras que escrevem. Os petralhas se deixam conhecer logo, mesmo quando tentam se disfarçar.

  • HENRICÃO

    -

    24/2/2011 às 11:43 pm

    na condição de trabalhador da leitura, me sinto na obrigação de prestar meu depoimento: este foi um dos melhores posts que eu li neste blog. divertidíssimo. muito bom!

  • Iossi

    -

    24/2/2011 às 11:19 pm

    Ninguém no Brasil pode com vc, Reinaldo. Garra e inteligência nunca foram tão próximas como em vc, parebés.

  • Ratoeira

    -

    24/2/2011 às 11:12 pm

    Um recadinho às mafaldas e remelentos: SEUS VAGABUNDOS, VÃO ESTUDAR E PAREM DE ENCHER O SACO EM NOME DO PT! Por que vocês não pegam o dinheiro do papai e não vão para Brasília RECLAMAR DO SALÁRIO MÍNIMO DE MISÉRIA QUE FOI APROVADO?

    SUA CAMBADA DE VAGABUNDOS!

  • Almirante Kirk

    -

    24/2/2011 às 10:29 pm

    AO “Snitram”:
    Parabéns pelos seus comentários!
    Aproveito o ensejo para sugerir um excelente e esclarecedor site: http://www.escolasempartido.org/

  • Almirante Kirk

    -

    24/2/2011 às 10:00 pm

    Subscrevo,caro “Pedro”
    - 24/02/2011 às 21:24!

  • ALBERTO SANTO ANDRE

    -

    24/2/2011 às 9:39 pm

    APENAS ATITULO DE INFORMACAO ,A UNICA ESCOLA DE NIVEL SUPERIOR QUE AINDA MANTEM ESTATUS FORA DO PAIS E O ITA,VISTO QUE NEM OS PROFESSORES E TAMPOUCO OS ALUNOS CONSEGUEM TER ESTA MEDIOCRIDADE LA ,VISTO QUE O REGIME E MILTAR.[DE CADA DEZ FORMANDOS DO ITA OITO SAO RECRUTADOS PELA NASA OU BOING]PORTANTO LA ESTA A CAPACIDADE QUE FALTA A ESTES MEDIOCRES.

  • Cristina

    -

    24/2/2011 às 9:35 pm

    Olá meu Rei e olá Dona Reinalda

    A escola em que minha filha estuda resolveu adotar o livro de filosofia escrito por Marilena Chaui. É simplesmente lamentável!!!! Além de ser mal escrito ele é confuso e carregado de “raciocínios” rocambolescos.
    Pior de tudo é que o professor é fã assumido da autora e impede que os alunos manifestem opiniões diferentes das dela! Para as colegas de minha filha a filosofia “é uma decoreba só” que “é melhor não precisa pensar”!
    Realmente o professor alcançou os objetivos da Disciplina!

    Abraços

  • ALBERTO SANTO ANDRE

    -

    24/2/2011 às 9:34 pm

    COM TODA A CERTEZA ,CASO TIVESSE ESTES ESTUDANTES COMO ESTAGIARIOS EM MEU RAMO DE MANUTENCAO ,COM TODA ESTA MEDIOCRIDADE FILOSOFICA QUE MOSTRARAM, EU TERIA QUE OS DISPENSAR ,VISTO QUE TECNICAMENTE TODOS OS QUE PASSARAM PELAS MINHAS MAOS, COM ESTES PENSAMENTOS MOSTRARAM SEREM AINDA MAIS MEDIOCRES TECNICAMENTE, TALVEZ SEJA POR ISTO QUE ESTAMOS TOMANDO UM BANHO NA AREA DE TI DE ESTUDANTES DA INDIA E CHILE ENTRE OUTROS.

  • Pedro

    -

    24/2/2011 às 9:24 pm

    O imbecil ainda cita Descartes para argumentar. Minha Nossa Senhora, esse idiota deve considerar a escolástica uma coisa muita atrasada, coisa medieval, seguindo a linha daquela falácia histórica chamada Idade das Trevas.

    Reinaldo, faça como o Olavo de Carvalho, não perca tempo com esses professores de botequim, manda eles tomarem naquele lugar que assim eles ficam quietos e param de encher o saco.

  • MLS

    -

    24/2/2011 às 8:52 pm

    E ainda estão espalhando pelos ônibus da cidade de São Paulo uns panfletos em que acusam o Serra (juntamente com o Kassab) pelo aumento. Será ignorância ou canalhice? Os dois!!!!…

  • Philemon

    -

    24/2/2011 às 8:43 pm

    Essa gente nunca viu pobre mesmo. Aqui na minha cidade há um movimento permanente contra o transporte coletivo privado. Em uma das últimas manifestações que essa gente promoveu haviam cartazes que conclamavam os usuários do transporte coletivo a irem (e naturalmente voltarem) do trabalho de bicicleta, para com isso levarem as empresas privadas ao colapso. Os filhinhos de papai e as filhinhas de mamãe que,provavelmente, nunca levantarem de madrugada para pegar no pesado acham que pedalar por quilometros diariamente, com calor, com frio, com chuva, como vento é a mesma coisa que curtir um passeio de “bike”. É uma gente horrível e o pior é que se multiplicam de maneira espantosa.

  • Guilherme

    -

    24/2/2011 às 8:42 pm

    Fazia tempo que eu não ria tanto de suas chineladas! Para de bater Reinaldo….

  • Yvonne Magrini

    -

    24/2/2011 às 8:30 pm

    Esses garotos não tem nada de revolucionários.
    Quem é a elite econômica do país atualmente ? Quem não corre risco de ficar desempregado ?
    Os espertinhos perceberam que a melhor maneira de garantir suas roupas de grife é aderir a um movimento fomentado por…petistas.
    Ah,como não vi,tem trilha sonora do Vandré nas manifestações ?

  • Sofia no mundo sul real

    -

    24/2/2011 às 8:13 pm

    VC conhece a piada do sujeito que depois de mil juras de amor e transar a noite toda com um travesti, sem o saber, levanta na manhã seguinte de ressaca e vê o malandro fazendo xixi em pé. E sem muito entender o que estava ocorrendo reclama, “amor, aquela 51 de ontem me deu uma baita dor no c.”.
    Alguns professores esquerdopatas molestadores de criancinhas são tão ignorantes e tontos que se fossem o sujeito da piada e o dito travesti se virasse de frente para elas com o salame na mão seriam capazes de dizer “oh! perdão entrei no banheiro errado”.
    Na atual conjuntura como na situação da piada, o remédio é chorar na cama que é lugar quente.

  • Marcos Amendola Zaidan

    -

    24/2/2011 às 8:07 pm

    Prezado Reinaldo,

    Lendo esse seu post,me deixou ainda mais feliz por ter iniciado a leitura do livro “A REVOLTA DE ATLAS’.
    Abçs

    Marcos Amendola Zaidan

  • schirley

    -

    24/2/2011 às 8:02 pm

    GENTE ! Li tudo outra vez saboreando cada letra, cada vírgula, cada ponto – claro que do tio Rei.
    Se com estas argumentações o Chico, o Pedro e a petralhada toda querem justificar e defender “igualdade social” começem a cobrar isso de quem aprovou este salário mínimo sem ganho real. Mas isso já é assunto para outra matéria.
    Rei, vc foi bárbaro.
    Movimento POR UMA ESCOLA SEM PARTIDO.

  • Leopoldo Dogher

    -

    24/2/2011 às 7:50 pm

    Bando de vagabundos!
    Professores do tipo França não estão apenas nas escolas particulares. Nas públicas, gente assim é o que não falta. A campanha pela prefeitura de São Paulo já começou. O PT já botou seu bloco na rua. É Marta de novo.

  • Corinthians

    -

    24/2/2011 às 7:37 pm

    CW – 24/02/2011 às 18:01
    Fico feliz de que exista pelo menos alguns qu não seguem a cartilha esquerdopata e se colocam para ensinar a matéria ao aluno.
    Parabéns.

  • Mycroft Holmes-Diogenes Club

    -

    24/2/2011 às 7:05 pm

    Caro Reinaldo: ao ponto!

    Quem tiver capacidade, por favor, transforme-se em vigia e tutor do ensino ministrado aos familiares e filhos de amigos…uma colaboração a título de ajuda, de reforço, curiosidade, querer bem, tio chato, tio crânio, tio legal etc e tal, não importa, eles tendem a evitar no início, por timidez ou aborrescência, mas acabam aceitando e interagindo. Homeschooling pode ser um exagero, mas é infinitamente preferível ao molestamento subliminar ou escancarado de hoje. Ao menos os pais e colaboradores precisam revisar as correções das lições de seus filhos feitas pelos professores, verificar erros de impressão, de cálculo, de escrita, de lógica etc em livros, apostilas e cadernos. Há absurdos inimagináveis nas coisas mais simples, podem comprovar… E a ideologia está escamoteada nos assuntos mais ingênuos…

  • Jose Preto de Oliveira

    -

    24/2/2011 às 6:50 pm

    Creio que esta discussão deve ser dicotomizada.
    1. proselitismo político em sala de aula, já foi definido precisamente como CRIME.
    2. o custo do transporte coletivo em São Paulo. Este assunto deve ser ampliado para âmbito nacional, pois o custo dos transportes em geral é muito alto no país. As razões deste alto custo devem ser discutidas em nível nacional, pois sabemos da indecorosa carga tributária que incide em todas as etapas da composição do valor da tarifa.

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ’0 which is not a hashcash value.

  • victor cavalheiro

    -

    24/2/2011 às 6:12 pm

    Um comentário… Nota dez!!

  • Orlando

    -

    24/2/2011 às 6:03 pm

    Tio Rei,
    que bom saber que a grande maioria dos jovens são centrados,e coerentes e que são assistidos por verdadeiros professores,e que não são manipulados,e sabem diferenciar o certo do errado.Se não fosse assim…coitado do Brasil.

  • CW

    -

    24/2/2011 às 6:01 pm

    Reinaldo e colegas, concordo com tudo que foi dito aqui. Só gostaria de lembrar e esclarecer , que a oposição a isso tudo ocorre, e só ocorre justamente dentro de sala de aula. Existem professores, a qual me incluo, que não foram abduzidos pela linha monolítica ideológica, pela visão monocular da história. Ainda existem professores, que enxergam o mundo com os próprios olhos e não com a lente distorcida de uma cartilha ou manifesto. Nó passamos por dois momentos no século 20,em que duas ideologias tentaram mudar a natureza humana, o nazismo e o comunismo. Infelizmente, o segundo estava do lado vitorioso na guerra, mas só no seu final. Ambos no início, caminhavam de mãos dadas, pois são gêmeos heterozigóticos. Perdemos uma grande e talvez única chance de matar dois monstros com uma bomba só!

  • Semperdestro

    -

    24/2/2011 às 6:01 pm

    Pior de tudo é que boa parte das nossas escolas está dominada por esse tipo de “trabalhadores em educação”. Não sabem escrever direito, seu pensamento é uma salada de conceitos mal coordenados. Como podem querer dar lições a alguém? São arrogantes, sem consciência da própria ignorância. Pobres dos seus alunos!

  • Fernanda

    -

    24/2/2011 às 5:56 pm

    Escola sem partido? Você não acha complexo a tarefa de dizer aos professores que deixem em casa sua própria opinião sobre o mundo, a vida, etc e tal? E a escola não detém a exclusividade sobre a formação do indivíduo. Eu cursei escola secundária durante a ditadura,e nem por isso por tornei partidária da mesma por causa das aulas de EMC e das promessas do “Brasil, país do futuro” sobejamente propagadas na ocasião.

  • sandro rocha

    -

    24/2/2011 às 5:52 pm

    Essas “marionetes de petralha” devem estar na rua SIM,
    pois como eles “estão indignados com a desigualdade social e com as péssimas condições de vida das outras pessoas” deveriam estão aos berros e com faixas na mão, fazendo passeatas, na frente do planalto e congresso LUTANDO POR UM SALARIO DE R$ 600,00 pelas “pessoas menos favorecidas”.
    Não vou pedir para “eles” lutarem por temas complexos, como exemplo:
    -Juros estratosféricos (que vai aumentar ainda mais)
    -PIB Decrescente
    -Inflação de volta
    -Aparelhamento do Estado
    -Escândalos FUNASA, FURNAS, ONGs, ENEM, Min dos Esportes, Casa Civil, Taxas de Sucesso, …
    -Melhor desempenho no IDH
    -Desindustrialização do Brasil
    -Infraestrutura em colapso
    -Reforma politica
    -Saude Publica
    -Segurança (menos Cabral)
    porque para muitos além de não terem tempo, não sabem do que se trata.
    Bras”vil”, um pais de TROUXAS!!!

  • LAFC

    -

    24/2/2011 às 5:49 pm

    Reinaldo
    Na realidade, mais do que abrir uma Caixa de Pandora, você tirou a tampa de mais um dos esgotos morais que infelizmente nos cercam. Prova disso é o mau cheiro inconfundível e característico das defuntas ideologias e esquerdopatias ainda em decomposição que dali exala.
    Parabéns pelo seu texto!

  • Rita Rafaeli

    -

    24/2/2011 às 5:39 pm

    guima
    -

    24/02/2011 às 17:32

    Rato vermelho detectado

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ’0 which is not a hashcash value.

  • guima

    -

    24/2/2011 às 5:32 pm

    vejam a vingança maligna de um homem maduro que não prepara nem o próprio café (importado): o cara ficou sentido com os e-mails da meninada e veio se vingar no blog… não esquece de XINGAR MUITO NO TWITTER

  • Humberto

    -

    24/2/2011 às 5:24 pm

    O mais engraçado é que eles reclamam do Reinaldo evocando o direito de pensar diferente, como se o simples fato do Reinaldo apontar as incoerências do pensamento deles raptasse-lhes o direito de pensar o que pensam.
    Acho que não percebem que são eles que querem calar qualquer divergência.
    Gente autoritária.

  • CW

    -

    24/2/2011 às 5:19 pm

    ….conto com todos. Cordialmente, Gervásio.

  • cef

    -

    24/2/2011 às 5:16 pm

    Ineteressante a falta de indignação desses “valentes” com o valor do novo mínimo, de onde os menos favorecidos, como dizem, devem tirar não só a passagem do ônibus, mas também alimentação, remédios, vestuário, educação, lazer…, que o mínimo, no mínimo, deveria garantir.

  • João Anaildo

    -

    24/2/2011 às 5:13 pm

    Nobre Reinaldo Azevedo,
    Nao me contive. Os riquinhos indignados com o preço da passagem de ônibus deveriam ir para a rua protestar contra o reajuste do salário miníno sem ganho real. Esse povo toma tanta botinada no queixo e não arreda. Isso me parece psicopatia, uma degenerescência da esquerdopatia.

  • PACATO

    -

    24/2/2011 às 5:04 pm

    Caro REInaldo. Quero aproveitar esse espaço e momento para fazer uma pergunta: Já que esses “defensores” da cidadania estão com tanta vontade,porque não fazer passeatas contra o salário de 545 reais;a volta da CPMF;falta de segurança pública,etc..?

  • margot

    -

    24/2/2011 às 5:03 pm

    Rei, querido: não fosse a credibilidade da fonte, me negaria a acreditar no que leio. Em pleno século XXI, quando se vive a pós-modernidade – quer dizer, um presente futurista ou um futuro presente, sei lá – professores se prestando ao papel de “doutrinar” rebeldes sem causa à baderna, Santo Deus!, que intelectos mesquinhos! É realmente preocupante “a onda” petista que se alastra pelos meandros da vida nacional… Mas você desconstitui, bonitinho, o dicurso falso deles. Isso é ótimo!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados