Blogs e Colunistas

30/08/2010

às 19:54

Lula e Cabral transformam favela em atração turística; gringo, agora, vai pagar para subir o morro e ver as habilidades do nosso povo amestrado

Juro que não é sem certa vergonha, constrangimento mesmo, que escrevo o que vou escrever. Não que eu me sinta pessoalmente representado por essa gente, mas, legalmente, sou, fazer o quê? Trata-se do governo do meu país. Já conversamos aqui sobre o que significa a tal “polícia pacificadora” de Sérgio Cabral. Curiosamente, ela não prende bandido. Das três, uma: ou eles se convertem, ou só mudam de lugar, ou ficam onde sempre estiveram, mas vivendo de forma “pacificada” com a policia, entenderam? Nesse caso, a UPP — Unidade de Polícia Pacificadora — seria nada mais do que uma UPTD: Unidade de Polícia para o Traficante Decoroso. O trabalho é convencer a bandidagem a não ficar exibindo armas no morro, o que atrai a atenção da imprensa… Ou Cabral exibe os bandidos presos ou convertidos, ou não resta dúvida do que está em curso no Rio. Mas essa introdução é só para situar o tema. A minha pegada neste texto é outra.

Lula esteve hoje no morro Dona Marta. Para quê? Para, acreditem, lançar um programa chamado Rio Top Tour. O Ministério do Turismo adotou a Unidade de Polícia Pacificadora do local, e se promoverão excursões de turistas para conhecer uma “favela pacificada”. É um troço asqueroso!

Fico aqui a imaginar o que não estaria escrevendo a imprensa bem-pensante do Brasil se um programa como esse tivesse surgido na cachola de um tucano: “Olhe, tenho uma idéia genial! Por que a gente não ‘pacifica’ os traficantes do morro e depois exibe a exuberante miséria dos morros cariocas aos estrangeiros, demonstrando que, de fato, aquela gente é pobre, mas é, acima de tudo feliz?”

Imagino o que não escreveria Elio Gaspari — este “amigo do povo”, espécie, assim, de um Carlos Lacerda que descobriu tardiamente a literatura política de de Marat —, usuário daquela metáfora tão encantadora para descrever a luta de classes brasileira: “andar de cima e andar de baixo”. Nesse caso, seria legal porque, vejam só, a turma “de baixo”, mas que é o “andar de cima”, vai subir o morro para ver a “turma de cima”, que, não obstante, é o “andar de baixo”. Sempre achei que essa metáfora do Gaspari ainda acabaria se encontrando com a dialética. Aconteceu!!! Ele não deve escrever nada a respeito porque está ocupado em provar que o DEM não gosta do povo. Quem gosta é Lula.

Imaginem os discursos indignados no Congresso dos petistas: “Estão exibindo os pobres como se estivessem num circo”. E, com efeito, não falta muito para tanto. Os morros estão cheios de ONGs que já ensinam o povo a fazer o que o povo já sabe fazer: bater lata,  criar versos com rima e sem solução, “quebrar tudo” no funk, puxar um sambinha…  Na cabeça desses iluminados, muitos deles com grana que vem de fora, pobre tem de ser é artista. Agora, o palco será o próprio morro.  A pobreza passa a ser um ativo, não é? Assim como um pedinte expõe uma chaga na perna para pedir a esmola, os morros brasileiros terão de exibir a sua carência para despertar a curiosidade do turista.

Lula discursou, numa quadra esvaziada, para menos de 100 pessoas. E ameaçou:
“O que foi feito aqui pelo governo do Estado do Rio é um exemplo que está sendo seguido por outros Estados, e eu acho que é um exemplo que a gente vai conseguir implantar nos próximos anos em todo o território nacional”.
É isso aí: Lula, com efeito, pacificou os pobres. Transformou-os em atração turística. Em breve, os americanos, os europeus e mesmo os nativos com grana poderão subir o morro para ver essa curiosa espécie nativa, que brota naquelas encostas. Há anos critico certos “pensadores” brasileiros que vêem os miseráveis como uma variante antropológica. Há até quem defenda que eles têm direito, assim, à sua própria cultura…

Vocês sabem que este blog tem paixão também pela história — contra o esforço dos petistas de derreter o cérebro dos vivos. Um dos clássicos do samba-protesto, celebrizado primeiro na voz de Nara Leão, foi  “O Morro (Feio Não É Bonito). Era um dos hinos da esquerda descolada. A letra é esta, cheia de ironia:

Salve as belezas desse meu Brasil
Com seu passado e tradição
E salve o morro cheio de glória
Com as escolas que falam no samba
Da sua história

Feio, não é bonito
O morro existe
Mas pede pra se acabar
Canta, mas canta triste
Porque tristeza
E só o que se tem pra contar
Chora, mas chora rindo
Porque é valente
E nunca se deixa quebrar
Ah, ama, o morro ama
Um amor aflito, um amor bonito
Que pede outra história
Salve as belezas desse meu Brasil
Com seu passado e tradição
E salve o morro cheio de glória
Com as escolas que falam no samba
Da sua história

Feio, não é bonito
O morro existe
Mas pede pra se acabar
Canta, mas canta triste
Porque tristeza
E só o que se tem pra contar
Chora, mas chora rindo
Porque é valente
E nunca se deixa quebrar
Ah, ama, o morro ama
Um amor aflito, um amor bonito
Que pede outra história

No áudio abaixo, vocês podem ouvir a música a partir dos 59 segundos, na voz de Elis Regina. Sigo depois.

Voltei
É claro que se trata do retrato de um tempo em que as esquerdas viam o povo com paternalismo. Desse caso, fica evidente o olhar compadecido do “homem consciente”, que acredita que haverá a grande virada da história, quando, então, aquele “povo” vai se libertar etc. É claro que era um visão estúpida do processo social e político — e que teve um desfecho trágico. Mas havia ali, concedo, certa boa-fé essencial, ainda que aqueles crentes na “revolução” fossem vítima da má consciência esquerdista.

O feio, definitivamente, se transformou numa coisa “bonita”. A polícia de Cabral adestra o narcotraficante, ensinando-lhe regras de bom comportamento. E Lula adestra o povo do morro, transformando-o em atração turística. Quando os gringos se cansam do nosso sambinha ou do nosso funkinho, vão procurar os leões e as zebras da África do Sul, os pandas da China e os dragões de Comodo.

É o que certa vagabundagem intelectual no Brasil tem chamado de “nova era democrática”. A esquerda brasileira é uma impostura particular dentro de uma fraude geral.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

132 Comentários

  • Felipe Junkes Corrêa

    -

    31/8/2010 às 5:00 pm

    Vai trabalhar Lulla !!!

  • Reinaldo Cozer

    -

    31/8/2010 às 4:54 pm

    Prezado Reinaldo

    A proposta é absurda e surreal, se voce fosse discipulo de Kafka ou Ionesco seria um prato cheio, mas o seu texto segue uma mesma linhagem com o eterno compromisso da verdade. Ah! escutar sambas cantados por Elis e Jair Rodrigues é pra la de bom, mas ver no dia 03 de Outubro o novo CD “Dois na fossa ” com Dilma e Lulla não tem preço.
    Abraços

  • Weimar

    -

    31/8/2010 às 1:46 pm

    “EU ACHO…”

    Lula acha, Dilma acha, eles acham. Sempre. Nós não achamos nada. Diacho! É muito achado dessa gente.

    Lula gosta de ximbira e é da terra do xaxado, e isto poderia explicar, ou só rimar. Mas, enxerido, pergunto eu: “Por que a Dilma também acha tanto?” É muita xeba e xenhenhém achando tanto, mas o fiofó, no final das contas, acho eu, é do povo.

    Weimar

  • Gustavo

    -

    31/8/2010 às 1:33 pm

    Tio Rei!
    Só falta o Min. do Turismo abrir um pacote turístico para Europeus, Americanos e Asiáticos de temporada à caça nos morros espalhados pelo eixo Rio-São Paulo como se fosse uma caça aos Leões da Africa do Sul – Chamada “Está aberta à caça de Índios Brasileiros: pobres miseráveis, pessoas sem oportunidades na vida que não faz diferença no desenvolvimento da economia nacional”. Deus tenha piedade de todos os cidadãos brasileiros (todas as raças, credos e cor) ACORDA BRASIL!!!

  • jo

    -

    31/8/2010 às 12:55 pm

    Tá ai um gancho bom pra detornar o meliante: “Lulla acha que pobre é atração de circo pra gringo”!! Pô, pelo jeito não sobrou dignidade alguma pro brasileiro! Mais uma “obra” do desgoverno Lulla: depois da bolsa esmola, bolsa verbinha publicitária estatal, bolsa BLOG-Nassif-Botinhas cor-de-rosa, Bolsa “erois-da-lutcha”, Lulla lança a “bolsa favela-circo amestrado” para gringos!! Isso sim é “pograma soççiau”!!!

  • leo

    -

    31/8/2010 às 12:02 pm

    Da dupla Ignácio e Cabral:

    Este é o samba de uma nota só
    te preto e pobre não tenho dó
    burguês aqui não tem nenhum
    a nota do nosso samba é “pum”

    Este é o samba de uma nota só
    no povo em geral a gente dá um nó
    vai ficar mais feio do que feio está
    pobre não adestrado a gente chega e “pá”

    Esta é a dupla Ignácio e Cabral
    mandando pro Brasil um salve geral
    co’a Dilma em quatro notas cês vão sambá
    quem este samba não dança, vai “ra-ta-ta-tá”.

    (desculpe, foi o melhor que consegui hoje)

  • Ricardo Alexandre da Silva

    -

    31/8/2010 às 11:21 am

    Reinaldo:

    Bom dia!

    A iniciativa é absurda, não há dúvida. Pobre do país no qual floresce uma ideia assim.

    Não entendi, contudo, a referência irônica a Elio Gaspari como um “Carlos Lacerda que descobriu tardiamente a literatura política de Marat”.

    A ironia, parece-me, pressupõe certa reserva ao grande líder udenista. Elio Gaspari seria um demagogo, tal qual Lacerda, mas que, à diferença deste, teria lido Marat e se transformado em “amigo do povo”, oposto, portanto, ao “inimigo do povo” demonizado pelas esquerdas.

    Se for isso, então me parece que Lacerda foi injustiçado. Se não for, apenas me enganei.

    Saudações,

    Ricardo.

  • Jmendes

    -

    31/8/2010 às 10:45 am

    Gringo já visita favela, aqui no Rio, de forma organizada, faz pelo menos uns 8 anos. Provavelmente mais.

  • Jmendes

    -

    31/8/2010 às 10:43 am

    Eu voto no Cabral. E digo mais, este negócio de turismo em favela sempre existiu, inclusive na Rocinha, que é dominada por traficantes. O gringo gosta de fazer favela-tur. Se o gringo quer, então tá. Cabral é o melhor governador que o Rio teve, desde que o Brizola iniciou a destruição do estado.

  • Antonio Ahmed Jamal

    -

    31/8/2010 às 10:42 am

    Uma coisa é querermos sempre o melhor para o nosso povo. Outra, totalmente diferente, é querermos moldá-los ao que entendemos como “bom” para eles. Favela é cultura, já se incorporou às nossas características. Para mais, leia os livros “Carnavais, Malandros e Heróis”, de Roberto da RMatta, e “O Povo Brasileiro” de Darcy Ribeiro. Dois profundos conhecedores da alma brasileira.

  • O.Geid

    -

    31/8/2010 às 10:28 am

    É. E certas espécies brasileiras ficariam melhor se expostas em jaulas…
    Se poderia dizer: “nunca antes neste planetinha se exibiu um molusco marítimo enjaulado…”

  • Antonio Ahmed Jamal

    -

    31/8/2010 às 10:25 am

    Sobre as UPP’s, o papel da polícia não é apenas repressivo como muitos imaginam. Mas também persuasivo e dissuasivo, na medida em que se coloca uma unidade militar em uma favela, obviamente que a criminalidade cairá vertiginosamente, como de fato vem caindo. Esse projeto não é de hoje, não é do Cabral, vem da época quando Luis Eduardo Soares foi sub-secretário de segurança, do qual também participei como aluno de políticas públicas na área de segurança.

  • Assad

    -

    31/8/2010 às 10:23 am

    Reinaldo, Vc Supera Sempre!!!

  • P Mike Paulista

    -

    31/8/2010 às 10:20 am

    Brasileiros,
    O jeito lula pt de governar,
    ao invés de tirar os Brasileiros da favela, dar-lhes condições mais Dignas, que é o Mínimo que teria de fazer, ainda quer a Polícia lá,
    Políciais aguardem o que os espera,
    qto descabimeneto!!!

  • Antonio Ahmed Jamal

    -

    31/8/2010 às 10:13 am

    Há mais de uma década, o turismo por favelas cariocas já vem sendo praticado. Foi um filão de mercado surgido espontaneamente, devido a curiosidade natural dos estrangeiros que desembarcam na cidade. Pessoalmente, eu repudio desordem, principalmente a urbana, pois minha natureza é citatina. Mas se eu fosse um turista alemão, por exemplo, acostumado com limpeza, ordem e organização, obviamente que iria querer conhecer o exótico e o diferente. Se o Lula fundou essa tal empresa turística, foi apenas um meio de tentar capitalizar politicamente. Na favela da Rocinha, lugar onde nunca fui, sabe-se que lá vai do forró ao samba de raiz, do Soul ao Funk. E turista gosta disso. E os moradores ainda saem lucrando com a visita.

  • Ana Maria Maria

    -

    31/8/2010 às 9:41 am

    Quem precisa ser “amestrado” é o Lula urgente!!! Os gringos agora vão pagar para entrar no morro. Arre que barbaridade!Será que é para o caixa do PT?Povo do Morro do Rio de Janeiro, vocês não são animais para ser visitados,como num zoológico, não aceitem isso, eles tem que lhes dar segurança e prender bandidos. A nossa constituição nos dar o direito de ir e vir, e liberdade de expressão, que é isso que esse bando quer tirar de vocês.Deus se és brasileiro, sente e chore!!!

  • Renata

    -

    31/8/2010 às 8:53 am

    Já adestraram os índios para serem atração turística pra gringo ver. Agora adestram os pobres…

  • DROGA, MANIA NACIONAL

    -

    31/8/2010 às 8:19 am

    Perfeito! Esta sua dissertação é mais uma excelente fonte de pesquisa para quem deseja conhecer o perfil canalha de mentes doentias como as de Elio Gaspari, Sérgio Cabral e do campeão dos campeões do embuste e da ignorância Lullalau. É mais uma das suas irrebatíveis argumentações que ficarão bem arquivadas no meu computador e na minha memória. Irei mostrá-las aos meus descendentes. O brasileiro que desconhece a sua história está definitivamente condenado a repetir as aberrações do passado.

  • Anónimo

    -

    31/8/2010 às 7:30 am

    É aqule avelha história: se vc não consegue resolver o problema, transforme-o em algo bom e engane o povão.

  • Anti comuna

    -

    31/8/2010 às 7:12 am

    É por isso que a miséria no Brasil nunca vai acabar. Os poplíticos demagogos e safados tentam transformar favela em coisa boa, assim como uma bela atração turística. E nosso povo, que adora se sentir bajulado, acha lindo, como se favela tivesse alguma beleza, perpetuando sua existência. O povo favelado deveria repudiar essa atitude do governo, pois que mora ali, vai acabar virando macaco de circo pra turista ver. Bando de tontos.

  • Marcus Meyer

    -

    31/8/2010 às 6:46 am

    Tudo muito lógico. Lula está tentando o primeiro passo para legalizar o tráfico de dorgas nos morros cariocas. Vocês não acharam que ele iria gastar uma dinheirama em estradas na Bolívia para melhorar o escoamento da produção de entorpecentes para depois perder toda a carga nas mãos da polícia, não é mesmo? É só vasculhar quem financia estes políticos e vocês irão achar dinheito do PCC, CV, FARC, Cartéis Bolivianos…

  • cleide bragliollo

    -

    31/8/2010 às 4:50 am

    É isso aí Reinaldo.
    Com o modelo de política de segurança de Cabral exportado para todo o Brasil e com o “poste” Mercadante eleito em S.Paulo, também poderemos ter o nosso programa “SP ‘top-top’ Tur”, que organizará visitas de turistas ao território de Campo Limpo, Grajáu e extremos da Zona Leste.
    Não poderá ser tão ampliado quanto no Rio, já que aqui favelas e zonas de guerra existem em número bem mais reduzido, por culpa desse PSDB que não coopera…
    Mas o paulista não vai deixar isso acontecer por aqui.
    “Porque é valente
    E nunca se deixa quebrar “

  • Recifense

    -

    31/8/2010 às 3:59 am

    A proposta é simples, cínica e cruel: O governo faz acordo em que os traficantes trabalham em silencio e sem incomodar a cidade, e em troca o governo garante o acesso dos clientes (turistas) aos fornecedores sem qualquer impecilho. Estará sendo iniciado o turismo do pó!

  • ricardo

    -

    31/8/2010 às 3:40 am

    assombroso! repudio essa ideia desde a época em que transformaram favelas em “comunidades”…e acredite, muita gente passou a ter orgulho de morar nos morros a partir dai, mesmo nada tendo mudado a não ser o termo para designar um dos maiores absurdos desse país…

  • Jeremias-no-deserto

    -

    31/8/2010 às 2:36 am

    Concordo com seu leitor La Résistance, embora não seja fácil admitir o tom derrotista que se abate sobre nós todos que ainda temos um mínimo de dignidade e consciência política.Conheço pessoas que viveram em situação insuportàvelmente pior que a do Brasil atualmente, mas que tiveram a coragem inaudita de reagirem à dominação da besta fera e conseguiram a vitória final. Vivemos sob a égide da pluralidade democrática e seus princípios, os quais nos obrigam a aceitar que uma maioria despolitizada, semi analfabeta, desinteressada dos bastidores da política acabe justamente sendo a indutora das mundanças e o verdadeiro centro da decisão do poder em nosso país.Bastou um breve período de bonaça econômica e algumas benesses recebidas, para que esse povão mergulhasse a nós todos, que já havíamos conquistado a duras penas um pequeníssima parcela do bem estar social em uma nova aventura que se avizinha como trágica para toda a população.

  • jefferson

    -

    31/8/2010 às 2:20 am

    Sempre achei isso uma safadeza desse povo de ong, por que não sobem o morro para dar aulas de reforço de matemática, português, física e química? isso sim seria útil para a população carente que não tem bons professores pois estão ocupados demais fazendo greves.

  • Elah

    -

    31/8/2010 às 2:01 am

    Que vergonha, meu Brasil! Não bastasse todos os temores e sofrimentos de quem é obrigado a viver miseravelmente em uma favela, e agora, ainda querem transformar aquelas pessoas em atração circense! É lamentável e indigno!
    Quanto ao Lula, está fazendo o papel do bêbado chato que não vai embora mesmo depois que a festa acabou…um mala-sem-alça!

  • Marcjaguar

    -

    31/8/2010 às 1:50 am

    Mestre

    Depois ainda querem que fiquemos indignados quando o Marombeiro Sessentão “Rambo Stallone” diz que aqui no Brasil ele vem, explode coisas, dá tiro p/ todos os lados e no final ainda agradecem a ele e lhe dão um macaco…

    Diga lá se o sujeito tem ou não razão? O Mulla e o Cabralóide só estão pegando carona nesse estereótipo muito bem definido pelo Rocky, o Lutador…

    Abraços, Reinaldo!

  • Twittesoteric

    -

    31/8/2010 às 1:44 am

    Os vídeos do @votoserio acabaram de sair do forno : http://www.youtube.com/votoserio

  • raissapedra

    -

    31/8/2010 às 12:59 am

    É com tristeza que manifesto meu pensamento,não pelo seu texto que traduziu uma triste realidade não só do Rio mas de todo o Brasil A EXPLORAÇÃO DA POBRESA PELOS POLÍTICOS.
    Lula,Dilma,Cabral,Eduardo Paes quando sobem o morro é para
    fazer política e com tudo já acordado entre os promotores da visita e os representantes das Comunidades,grande parte
    deles cabos eleitorais.É revoltante essa iniciativa de expor a miséria das pessoas para turistas,pois pensa ele que as pessoas moram do morro por opção,para terem uma linda vista?Que todos os moradores são traficantes e bandidos? Mostra não ter o menor conhecimento da realidade
    dos morros cariocas para propor um absurdo desses.O morro
    cantado pelos poetas,sambistas romantícos é uma coisa e o morro do dia-a-dia outra muito doida.Querem fazer com os
    morros cariocas o que fazem com a falta de água nordeste, criando instituições de combate as secas,que nada mais são
    do que fonte de rendas para os coronéis?
    ÍNDIO DA COSTA ESTA É PARA VOCÊ,BATE COM GOSTO!!!

  • Pensador

    -

    31/8/2010 às 12:46 am

    Reinaldo, você acertou o alvo – UPTD!!! É sabido que nas favelas com UPTD o “arrego” permanece. No Morro Dona Marta, por exemplo, é de R$ 20 mil por semana.
    Realmente não se vê mais traficantes armados(acordo deles com o governo Cabral), mas o comércio de drogas continua. Por que a imprensa não faz reportagem investigativa para comprovar isso? Qualquer morador, sob o anonimato, comprovará tal situação. Lembre-se dos R$60 mil no caso recente de São Conrado.

  • Renato Villar

    -

    31/8/2010 às 12:34 am

    Olha a farsa das UPP’s sendo desmantelada Reinaldo.
    Dá só uma olahda na manchete do jornal o dia de 6ª feira passada.
    Bandidos roubam carros e aterrorizam moradores em acesso ao Dona Marta
    A REPORTAGEM NA ÍNTEGRA SEGUE ABAIXO:
    http://odia.terra.com.br/portal/rio/html/2010/8/bandidos_roubam_carros_e_aterrorizam_moradores_em_acesso_ao_dona_marta_106276.html

  • Ney

    -

    31/8/2010 às 12:30 am

    Não me parece longe o dia em que irão instalar um pavilhão de tiro-ao-alvo nas favelas para treinarem a pontaria dos marginais e evitarem, assim, as tais balas perdidas.
    As soluções nesse governo são sempre as mais estapafúrdias.

  • Cris Caça Petralhas

    -

    31/8/2010 às 12:26 am

    Em fila:

    silvinha
    -

    30/08/2010 às 20:44

    augusto
    -

    30/08/2010 às 20:47

    #

    montenegro
    -

    30/08/2010 às 20:49

    MODERADOR AGRADECE E COMENTA:
    Cris, e você acredita que as três baratas saíram do mesmo buraco! Era um ninho!

  • Cris Caça Petralhas

    -

    31/8/2010 às 12:09 am

    Um petralha cheio de graça!

    Le Corbeau
    -

    30/08/2010 às 22:32

  • Luiz Eduardo

    -

    30/8/2010 às 11:44 pm

    Tudo faz muito sentido. É mais fácil deixar o pobre onde está e botá-lo como totem turístico, assim como dá muito trabalho ensinar a escrever e interpretar direito. E vamos nos fechando em nossa mediocridade…

    Ah sim: o Rio Top Tour pretende levar os incautos pra conhecer os esquecidos subúrbios daqui do Rio ou eles não são pacificados o suficiente?

  • LCMarques

    -

    30/8/2010 às 11:22 pm

    Lembrei do filme Maverick, com Mel Gibson, onde ele se passa por um indio para ser caçado pelo Embaixador Russo, em troca de dinheiro. Atração surrealista.

  • anonimo

    -

    30/8/2010 às 11:11 pm

    A licitação da DataFalha, ops, da gráfica da Falha de São Paulo (exame do ENEM) foi suspensa novamente pela justiça, mas cabe recurso.

    Próxima pesquisa da candidata virá com quantos % a mais??

  • joseph dias . neto

    -

    30/8/2010 às 11:09 pm

    REINALDO, COM TODO RESPEITO QUE VOCE ME MERECE, ACHO QUE ESTÁ SEMEANDO EM SOLO ÁRIDO….

    MELHOR FARIA PARA O PAÍS, PARA A DEMOCRACIA À BEIRA DO ABISMO, SE EM VEZ DE FICAR APLACENTANDO A IRA DOS DESCONTENTES COM SEUS TEXTOS, BEM ESCRITOS POR SINAL, JUNTASSE OS JORNALISTAS, EMPRESÁRIOS, MEMBROS DAS ENTIDADES EMPRESARIAIS E CIVIS E RELIGIOSSAS PARA QUE ESSA VISÃO QUE TEM DO QUE É MELHOR PARA O PAÍS, COM A QUAL CONCORDO, POSSA TER RESSONÂNCIA, OBJETIVIDADE E CONSEQUENCIA, EM VEZ DE FICAR APENAS LIMITADO NESTE PEQUENO ESPAÇO, LIDO POR POUCAS PESSOAS…..

    UM ABRAÇO..

  • Fred

    -

    30/8/2010 às 11:00 pm

    Esse pessoal do pt parece aqueles liliputianos, sem empáfia ou falsa modéstia, acham-se.
    Mas são apenas seres pequenininhos, em tudo que defendem.
    Uma caricatura do Brazil, hoje.

  • Ziu

    -

    30/8/2010 às 10:58 pm

    Reiandlo,
    Pobre de verdade é Lula e Cabral, dois indigentes morais e intelectuais que não se deram conta que o engodo não dura para sempre.
    No momento em que os hipossuficientes economicamente, mas ricos na percepção da malandragem, se derem conta do engodo a que foram submetidos por estas figuras, quero ver quem será o pobre nesta história.
    Vai faltar pedra, granito, cascalho… Corra Lula, corra Cabral, corra…

  • Nelson

    -

    30/8/2010 às 10:57 pm

    Tio Rei, artigo irretocável, exceto, na minha humilde opinião, pela parte referente a mudança de localidade dos bandidos. Isto me parece uma boa estratégia; a bandidagem atualemnte está se concentrando no Complexo do Alemão, Jacarezinho, Rocinha/ Vidigal, etc., e não há espaço para todos. Só entra quem tem seu próprio fuzil. Acho a experiência das UPPs positiva. Por ter parentes em comunidade, tenho de frequentar uma favela carioca quase que semanalmente. O desejo mais externado pelos moradores que conheço é exatamente esse: uma UPP. O Beltrame tem dito, e, como estratégia, tenho que concordar… quando entrar nessas megafavelas, é para entrar de uma vez só e ficar. A comunidade que frequento é pequena e impressiona a quantidade de armas, mas essas as milícias conseguiam tomar sozinhas sem o aparato do Estado. Nas maiores, é simplesmente aterrador. Enfim, SE REALMENTE FOREM NO FUTURO ENTRAR NESSAS FAVELAS GIGANTES, não acho uma estratégia ruim. Agora, se não forem, é tudo isso que você disse. PS: A polícia não entra no Complexo do Alemão tem mais de um ano, devido às obras do PAC… gente vivendo sob tirania das armas para o lula fazer obra e aparecer na tv… é uma pouca vergonha mesmo.

  • Dirceu

    -

    30/8/2010 às 10:55 pm

    Já fui petista!! Sim, é verdade!! Desde a fundação do partido !!! Antes fui do “partidão” . Bem , embora discorde em muitos pontos do Sr. Reinaldo Azevedo, devo reconhecer no que diz respeito à falta de ética, populismo desenfreado, oportunismo e obscurantismo em geral, do governo Lula, concordo em genero , número e grau com o nobre jornalista. Ao qual leio já há um bom tempo, mas nunca me atrevi a tecer quaisquer comentários, por pura preguiça . Confesso!! O tempo é implacável!!! Certo???!!! Corrói não só os neuroônios , mas também a disposição intelectual!! Mas, vamos lá , agora que comecei vamos um pouco mais adiante. Uma das coisas que me envergonham no atual discurso da “esquerda” brasileira e de um certo setor da imprensa é quanto ao famigerado ” bolsa família” . Bem , ao fazer a referência ao público atendido, falam em ” bolsÕes de pobreza” ou ” grotôes de pobreza” . Engraçado , na época da ditadura militar, esse tipo de ação assistencialista era fortemente combatida pela ” esquerda brasileira” . Havia algumas eminências pardas do regime , representantes do coronelismo no nordeste, cujas práticas não eram muito diferentes do ” bolsa famìlia” , como: Cesar Cals, adauto Bezerra e um outro que já não me recordo o nome. Esses coronèis , tinham uma prática assistencialista e eram execrados pela “esquerda brasileira” e por boa parte da imprensa do sul-sudeste. Ocorre, que à épocatodos referiam-se a tais práticas como formadores de “currais eleitorais” , bem diferentes dos “bolsões e grotões ” de hoje. Mudaram a “nomenclatura” , mas a prática é a mesma.

  • Jean Paul

    -

    30/8/2010 às 10:47 pm

    A Inez falou tudo, estão usando da “pobresa” pra se promoverem. Como disse o Le Corbeau, e o La Resistence, essa ralé tem é que tomar porrada pra aprender. Concordo também com o Ratoeira. Todos sabemos que a Folha de SP é um órgão infestado de petistas. Tenho “certesa” que até o Tavinho Frias vai votar na Dilma. Absurdo!

  • Vera L.

    -

    30/8/2010 às 10:46 pm

    Reinaldo,
    Sempre achei o fim da picada, transformar favela em ponto turístico. Olhe só a HIPOCRISIA, na Linha Vermelha ESTÃO ESCONDENDO A FAVELA da MARÉ. Lá quando o Gringo chega pelo Galeão, colocaram uns painéis ao logo da via que dificulta à visão da favela. Deram a desculpa de que é para diminuir o RUÍDO para os moradores. ESGOTO a CÉU ABERTO PODE TER A VONTADE, agora RUÍDO NÃO. Quando vi logo pensei, imagina qualquer governo que NÃO fosse a DUPLA- Eduardo Paes e Cabralzinho fazer um negócio daqueles, seria o fim do mundo, no entanto a “intelectualidade carioca” NÃO disse nada. Eu particularmente não achei ruim, acho que dá mesmo um aspecto melhor para o local. Eu NÃO ACHO BONITO MISÉRIA, preferia ver lá casas, moradias dignas, para as pessoas habitarem com saneamento, com iluminação, com tudo o que o poder público pudesse oferecer, aí não seria preciso “painéis” para ESCONDER O FEIO do lugar.

    E CONCORDO INTEIRAMENTE COM O ANTICOMUNISTA-RJ -21:36.
    Tudo o que ele disse é VERDADE. A Polícia descobriu que os traficantes que derrubaram o helicóptero foram CONDECORADOS pelos próprios BANDIDOS com PONTOS DE VENDA DROGAS!!! Descobriu mas ninguém foi PRESO!! Existe o Rio REAL e o RIO DE CABRAL E LULA. O pior de tudo que a farsa se alastra e agora tem uma NOVA versão para a UPP. Dia desses ouvi Sérgio Beserman falando com Lucia Hippolito na CBN (ele faz parte da “intelectualidade carioca” e é um “entusiasta” das UPPs) dizendo que o tráfico, VENDA DE DROGAS É OUTRA HITÓRIA, é ALGO MAIS COMPLEEEEEEXO, o que houve mesmo foi o TERRITÓRIO que foi TOMADO DOS BANDIDOS!!! Resumindo, ele CONFIRMA o que você diz, PACIFICARAM os BANDIDOS. Só que na visão dele o Rio de Cabral mesmo assim é uma MARAVIIIIILHA!!

  • Ratoeira

    -

    30/8/2010 às 10:46 pm

    Reinaldo, desculpe a insistência. Gostaria que você comentasse o que a Folha Online fez, AO DISTORCER UMA DECLARAÇÃO EM BENEFÍCIO DE DILMA! NUNCA SE DEVE DISTORCER NADA. Mas distorcer para AJUDAR É O CÚMULO DA SERVILIDADE! Uma pessoa que lê APENAS a manchete VAI PENSAR QUE DILMA DESCARTOU DIRCEU, MAS ISSO NÃO É VERDADE!!!

  • Emily

    -

    30/8/2010 às 10:44 pm

    Esta história de turista visitar favela é antiga. Não é de hoje que sinto vergonha ao ver uns jipes enormes cheios de gringos subindo a Marquês de São Vicente para visitar a Rocinha. “Feio, não é bonito / O morro existe / mas pede pra se acabar” há muito tempo… tanto tempo…

  • wilson

    -

    30/8/2010 às 10:43 pm

    Rei tem também do Zé Keti : Pode me prender pode me bater!
    Que daqui do morro eu não saio não….
    Favela,morro, RJ e patacoada é a Industria da Seca Morena.

  • CEKA

    -

    30/8/2010 às 10:39 pm

    Faz alguns anos li, numa coletânea de contos fantásticos de Alfred Hitchcock uma história igualzinha. Se passava num tempo, no futuro, onde todos os problemas sociais já haviam sido resolvidos e a vida se tornara monótona. Foi inventado, então, um meio de trazer mais “frisson” à vida daquelas pessoas tão bem aventuradas: uma máquina de viajar no tempo que levava as pessoas às épocas onde haviam acontecido grandes catástrofes,guerras, pestes, etc…Aquele grupo de pessoas pagava pela viagem, ia aos locais, mas não podiam interferir para ajudar, mesmo que soubessem ( como sabiam, já que tinham vindo do futuro)como evitar aquelas catástrofes.Eram apenas turistas frios e desinteressados, divertindo-se com a dor das pessoas presas num passado maldito…Nunca pensei que aquele conto, que li há quase trinta anos e achei fantástico, quase de terror, pudesse se transformar em realidade. Mas Deus é grande!

  • Ratoeira

    -

    30/8/2010 às 10:35 pm

    Parece que a Folha está dando uma “FORCINHA” PARA QUE OS ELEITORES DA DILMA NÃO MUDEM DE OPÇÃO! Ela NÃO DISSE QUE DIRCEU ESTÁ FORA DOS PLANOS, MAS A FOLHA COLOCA UMA MANCHETE COMO SE A DILMA TIVESSE DITO ISSO!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados