Blogs e Colunistas

19/09/2013

às 23:12

Leia a íntegra da entrevista do papa. Sua fala não é a melhor, mas conteúdo sobre aborto foi miserável e escandalosamente distorcido

Não vai demorar, acho eu, talvez se possam contar as horas, para que o Vaticano esclareça que diabos (com todo o respeito) quis dizer o papa Francisco sobre o aborto. Não retiro uma vírgula do que escrevi. Reitero que o Sumo Pontífice está misturando coisas de grandezas escandalosamente diferentes, mas suas afirmações sobre o aborto foram miseravelmente deturpadas.

A íntegra da entrevista, em português, está publicada no site Fratres in Unum.com. Transcrevo o trecho que gerou mais barulho e que já levou gente na imprensa brasileira a afirmar que ele abriu a Igreja para o aborto. Leiam. Volto em seguida.
(…)

“Esta é também a grandeza da confissão: o facto de avaliar caso a caso e de poder discernir qual é a melhor coisa a fazer por uma pessoa que procura Deus e a sua graça. O confessionário não é uma sala de tortura, mas lugar de misericórdia, no qual o Senhor nos estimula a fazer o melhor que pudermos. Penso também na situação de uma mulher que carregou consigo um matrimónio fracassado, no qual chegou a abortar. Depois esta mulher voltou a casar e agora está serena, com cinco filhos. O aborto pesa-lhe muito e está sinceramente arrependida. Gostaria de avançar na vida cristã. O que faz o confessor?”

“Não podemos insistir somente sobre questões ligadas ao aborto, ao casamento homossexual e uso dos métodos contraceptivos. Isto não é possível. Eu não falei muito destas coisas e censuraram-me por isso. Mas quando se fala disto, é necessário falar num contexto. De resto, o parecer da Igreja é conhecido e eu sou filho da Igreja, mas não é necessário falar disso continuamente”.
(…)

Voltei
Acho, sim, que a fala do papa está transitando por terrenos perigosos, e minha crítica está mantida, mas considerar que o que vai acima significa condescender com o aborto é de uma falsidade escandalosa. A matéria de que se cuida acima é outra. O papa está a falar de arrependimento e de perdão. E, a rigor, não há novidade nenhuma nisso.

“Mas por que você mantém a crítica?” Porque ele não deve ignorar o ambiente em que faz considerações dessa natureza e porque as palavras não são duras o bastante em relação à questão em si. Espera-se do pastor por excelência da Igreja que seja mais preciso ao acolher a mulher que abortou e ao repudiar o aborto em si.

Assim, é fato que Francisco, em alguma medida, criou condições favoráveis à distorção intelectualmente dolosa do que disse. O lobby em favor da legalização do aborto é um dos mais organizados do mundo. E demonstra, uma vez mais, a sua força. Entender por que alguém se dedica a essa causa com tanto afinco, como se estivesse a propugnar por um novo iluminismo, é um dos grandes enigmas morais do nosso tempo. 

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

95 Comentários

  • joao paulo ferreira ferreira

    -

    6/7/2014 às 7:14 pm

    alguem pem de da um estudo biblico para o papa ofim desse sistema de coisas estar terminando e deus ja sabe oque vai fazer para resouver todos os problemas .leia salmo,capitulo37,verssiculo,9,diz . pois os proprios malfeitores serao decepados mas os que esperao em jeova sao os que possuirao a terra . mas enformasao no jw.org sait,oficial

  • Nani

    -

    4/10/2013 às 3:35 pm

    Sua colocação, sua visão e sua lucidez, fazem toda diferença!

  • Edison Pinto

    -

    23/9/2013 às 6:25 pm

    homossexualismo e aborto: OS DOIS FILHOS DE FRANCISCO. Depois não adianta reclamar que estamos perdendo adeptos.

  • Kaka correia

    -

    22/9/2013 às 7:07 pm

    STF e o Ministro de R$ 2 milhões
    setembro 14, 2013

    Luis Roberto Barrosos, indicado pelo Governo do PT a Ministro do STF, na metade de 2013, teve seu nome oficialmente publicado no Diário Oficial da União no dia 07 de junho.
    Na sequencia, em entrevistas, fez elogios abertos a um dos condenados do Mensalão, José Genoino, além de criticar publicamente os métodos que levaram o STF a condenar boa parte dos mensaleiros.
    Seu cartão de visitas, na prática, indicava o que estava por vir.
    Dias depois, 29 de julho, a ELETRONORTE, empresa governamental, gerida pela cúpula do PT, decidiu-se pela inexibilidade de licitação para contratar os serviços de arbitragem de um escritório de advocacia, pagando R$ 2.050.000,00 prelo serviço.
    Em 12 de agosto, quinta-feira última, dia em que Barroso defendeu arduamente os embargos infringentes no STF, sua empresa, a Luis Roberto Barroso Associados – escritório de advocacia, saiu no Diário Oficial da União como contratada da ELETRONORTE.
    Não teve concorrentes.
    Receberá, portanto, os mais de R$ 2 milhões.
    Ilegal ?
    Não.
    Imoral ?
    Eis a questão…

  • HENRIQUE ARBEX

    -

    20/9/2013 às 11:28 pm

    É muito claro: É PETRALHA!!!
    Gosta de CHAFURDAR NO LIXO MORAL!!
    A LIBERDADE que eles querem é a de MATAR INOCENTES… INDEFESOS.
    FUZILADOS NO PAREDÃO. Sem a menor razão… E sem apelação.
    No ventre da MAMÃE FERA, em gestação.
    A DEMOCRACIA que eles cantam é a de CUBA… “LIBRE”.
    E o deus que eles adoram é LULALAU:
    A “SANTA IGNORÂNCIA” DA CARA DE PAU.

  • marcos

    -

    20/9/2013 às 5:49 pm

    Sinceramente, não entendi as criticas ao PAPA.

  • Tavares

    -

    20/9/2013 às 5:36 pm

    Reinaldo,

    Esse artigo aqui também é muito bom:

    http://www.deuslovult.org/2013/09/20/o-papa-francisco-e-o-aborto-a-esquizofrenia-da-grande-midia/

  • Willian Matos

    -

    20/9/2013 às 5:01 pm

    O Papa não parece muito preocupado em falar sobre o pecado, mas parece bastante interessado em ser “politicamente correto”! Esse Papa é de “esquerda”. Ele não me engana!

  • Jorge Silva

    -

    20/9/2013 às 3:05 pm

    Talvez o Papa não conheça bem as militâncias e suas mídias. A forma como eles distorceram o que Francisco disse foi terrível. As declarações não eram novidade nenhuma, na doutrina católica, que são instruídos a não atirar a primeira pedra. Veja esse trecho:
    .
    “Em Buenos Aires recebia cartas de pessoas homossexuais que são verdadeiros ‘feridos sociais’, porque me diziam que sentiam que a Igreja os condenava. Mas a Igreja não quer isso”, comentou Francisco. “Nesta vida Deus acompanha as pessoas e é nosso dever; acompanhá-las a partir de sua condição. É preciso acompanhar com misericórdia”.
    .
    Então vem a mídia cooptada e faz ilações que o Papa condescende com o homossexualismo e o aborto.
    Para desmentir, basta ver o que ele falou hoje:
    .
    “O papa Francisco condenou nesta sexta-feira o aborto como um sintoma da “cultura do jogar fora” e encorajou médicos católicos a se recusarem a realizar o procedimento.”
    http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/papa-faz-declaracoes-criticando-aborto

  • Malu - Rio

    -

    20/9/2013 às 2:54 pm

    Será que os argentinos conhecem algo como “Devagar com o Andor que o Santo é de barro”? Amo o Papa Francisco, mas esta latinidade ! Um bom papo com o Papa Emérito fará bem. Pode até levar o chimarrão. Ai,Jesus!

  • Malu - Rio

    -

    20/9/2013 às 2:52 pm

    Será que os argentinos conhecem algo como “Devagar com o Andor que o Santo é de barro”? Amo o Papa Francisco, mas esta latinidade ! Um bom papo com o Papa Emérito fará bem. Pode levar o chimarrão.

  • uni.pet@uol.com.br

    -

    20/9/2013 às 2:40 pm

    O Papa falou somente do perdão. Qualquer pessoa que se arrependa do mal que tenha praticado, seja ele qual for, merece perdão e uma nova vida. Para o desencanto dos “progressistas” ele não estava defendendo as abortadeiras pós baladas.

  • Dick Tracy

    -

    20/9/2013 às 2:20 pm

    Os “progressistas” já estão falando que a igreja vai admitir a pratica do aborto e de pílula anticoncepcional baseados nas “palavras do Papa” moderno.
    Já está na hora dele se recolher pois realmente seus pronunciamentos não são suficientemente claros, está deixando margem à duvidas o que não é bom para a religião católica. Já vivemos uma época de mediocridade intelectual portanto estes “comentários” são muito perigosos.

  • João Calvino

    -

    20/9/2013 às 2:17 pm

    -
    Cristo, aqui na terra não era progressista.
    .
    Cristo era CONSERVADOR.
    .
    Os fariseus no entanto eram progressistas e os Saduceus ainda mais progressistas.
    .
    Estas vertentes do judaísmo reduziram sua religião a meros rituais superficiais para satisfazer uma sociedade superficial, Cristo varias vezes denunciou este fato.
    O Cristo Jesus era conservador, pois ele cobrava para os judeus retornarem aos valores de seus primórdios, já os fariseus sob uma capa de falso conservadorismo defendiam os rituais e a lei judaica por pura tradição, mas mantinham um entendimento da lei bastante progressista para seu tempo, como por exemplo defendiam o divorcio.
    A interpretação da lei pelos fariseus assim como o POLITICAMENTE CORRETO dos dias de hoje exigem que a pessoa seja do “bem”, mas não exige da pessoa caráter e valores substanciais.
    .
    Cristo veio para trocar esta lei que havia sido deturpada pelo progressismo farisaico por valores conservadores da fé, pois as leis dos homens mudam conforme a circunstancias, contudo valores não.

  • AbuCarnib

    -

    20/9/2013 às 2:13 pm

    Reinaldo:
    Nem tanto ao mar, nem tanto à terra, mas … o Papa Francisco corre o risco de, sem querer, servir de subida para as gangs de abortistas e militantes gays. Depois que eles encherem o mundo com a conversa de que o Papa mandou abortar, ai a coisa pega. A Igreja, no seu rigor doutrinário e teológico, não pode se apresentar como um vovozinho, que deixa o neto subir com pés sujos no sofá por ser bonachão. CRISTO era doce nas suas falas, mas em certos momentos dizia:”filhos de víboras”. A Pedro disse: “Afasta-te de mim, satanás” Mandou sacudir o pó das sandálias como maldição onde não quisessem ouvir a palavra da Salvação. Calma, Francisco,calma! Seu texto, Reinaldo, é sereno.

  • Marcelo Sampaio

    -

    20/9/2013 às 2:11 pm

    Muito “besteirol” do Papa. Combata o pecado em sua essência, que teremos bem menos pecadores. O problema não está em acolher quem pecou, isso é o mínimo que uma igreja séria pode fazer. Mas o pecado tem que ser combatido em sua raiz. Promiscuidade, luxúria, homossexualismo, sexo fora do casamento e também na adolescência, enfim, se houver um combate sério a estas coisas (que são a raiz do problema), não teremos mais esse sem-número de mulheres querendo abortar, não teremos tantas pessoas sofrendo com a Aids e outras DST’s. O falta é pulso, coragem…tá comedo de perder o rebanho, e pelo jeito vai perder do mesmo jeito. “Nossa luta não é contra carne nem sangue, e sim contra os principados e potesdades nas regiões celestiais”. Efésios 6:12

  • Carla

    -

    20/9/2013 às 2:10 pm

    [Veja, penso que o Papa está adotando uma linha de ensinar o caminho que julga correto, não de impor esta linha. Os grandes ensinamentos Cristãos foram assim ministrados. As pessoas escolhem se seguem o caminho, ou não. Não sou Católico, mas estou admirando muito o Papa Francisco na sua forma de agir.] Concordo em tudo!

  • T.Rex

    -

    20/9/2013 às 2:08 pm

    O Papa Francisco está se comportando como um comentarista autônomo. Deve ser chamado atenção porque seus pronunciamentos são dúbios. Com todo o respeito está muito preocupado com a imagem, está falando demais e vai meter os pés pelas mãos na tentativa de agradar jornalistas, artistas e políticos.

  • Wanda

    -

    20/9/2013 às 1:52 pm

    Reinaldo, boa tarde. Entendo que o Papa está falando em perdoar alguém que cometeu o aborto em uma determinada época em que estava em crise o seu casamento. Ele está livrando o sentimento de culpa que essa pessoa carrega, visto que ela hoje, novamente casada vive bem e tem 5 filhos, e permitindo que volte a ser uma pessoa católica praticante. Será que você não está vendo chifre em cabeça de cavalo? Não vejo nas entrelinhas, da fala do Papa, um certo apoio ou liberação para o aborto. Um abraço.

  • manoel da graça

    -

    20/9/2013 às 1:52 pm

    ReinaldoXXXXXXX na cascuda!

  • populista... não gosto, nem de PAPA

    -

    20/9/2013 às 1:25 pm

    -
    As primeiras impressõess que tive do Papa Chico não oram boas, o achei POPULISTA DEMAIS PARA O MEU GOSTO….depois, em entrevista ao Fantástico, gostei do que disse, mas, AQUELA SENSAÇÃO DE POPULISTA, VOLTOU, e ……. Obs: não gostei quando ouvi dizer que ele foi escolhido para fazer reformas…. será de esquerda… será que as esquerdas tomaram conta do Vaticano???????
    -
    padres já temos aos montes…..
    -
    Por tudo isso, CREIO NELE LÁ DE CIMA, aqui embaixo, não admiro ninguém…

  • Franklin

    -

    20/9/2013 às 12:58 pm

    é verdade. O papa deve ter muito cuidado com o que diz; tudo está sendo distorcido. os gays já estão imaginando casar na igreja, depois das declarações do papa.

  • José Carneiro

    -

    20/9/2013 às 12:23 pm

    Os “progressistas” são terríveis. Do jeito que distorciam as palavras de Bento XVI para que cheirasse a museu e a reacionarismo e tivesse menos valor por isso, agora distorcem o que o Papa Francisco diz para que se pareça uma revolução, uma iluminação em relação a “escuridão” do passado da Igreja. Foi mais ou menos isso que o Bispo auxiliar de Aracaju, Dom Henrique Soares, disse numa rede social. O Bispo está mais do que certo e eu concordo plenamente com ele.

    Ora se Francisco fosse revolucionário com relação à Igreja e a mudasse na essência, ele viraria um protestante, um herege. Houve casos de papas hereges, mas estes foram devidamente julgados por Deus e pela história, e Francisco não é herege nem doido para criar uma heresia.

    Mude o Papa um dogma crucial da Igreja ou um entendimento óbvio como a pecaminosidade mortal do aborto ou da desordenada homossexualidade, e outro cisma veríamos se formar, das mesmas proporções que o do Oriente. Os tradicionais com certeza se ligariam ao legado de Bento XVI, Pio XII, Pio XI, São Pio X e etc. enquanto os liberais fariam do resto da Igreja(certamente esse resto seria a maior parte) uma igreja como a anglicana. Os tradicionais sobreviveriam com o tempo e até cresceriam, ao passo que os liberais atrofiariam até um ONG barata e patética em que ninguém acredita em nada divino, além de perder toda a moral e, com o tempo, seriam extintos ou reduzidos ao mínimo. Mas isso é só uma hipótese do que aconteceria se um papa herege liberal tentasse mudar a Igreja, que em seu essencial é imutável.

    Lembremo-nos que Francisco é favorável ao ecumenismo entre os ortodoxos, os católicos do Oriente. Neste caso o ecumenismo é sadio e apoiado pelo Magistério histórico da Igreja. Os ortodoxos se separaram mais por política que por outra coisa, mas vivem dizendo que foi justamente a “abertura” da Igreja Católica Romana ao mundo que motivou o cisma. Portanto se Francisco quer a comunhão com os ortodoxos, e demostra a querer, ele jamais mudaria um dos poucos resquícios da Igreja Católica de antes do Concílio Vaticano II, que é a Moral. Só a moral, porque a liturgia e o patrimônio novos da Igreja não valem nada, apesar de dizer-se o contrário.

  • João Calvino

    -

    20/9/2013 às 12:19 pm

    -
    Não sou Católico, contudo sou cristão.
    .
    Respeito o Papa como líder dos católicos que é, além do que, é um importante dirigente de Estado e quando se pronuncia repercute-se muito.
    .
    Para variar os militantes da impressa estão deturpando o que o Papa pronunciou. Não entendo seu pronunciamento como que “liberou geral” e sim como uma defesa, por ele estar sempre saindo pela tangente nestes assuntos. Concordo plenamente com o sr. Reinaldo que afirma que se a instituição deixar seu lado espiritual deixará o porque de ser.
    O Papa assim como alguns protestantes esta em busca de uma maior aceitação alinhando-se ao politicamente correto. A meu ver um grande erro. Além do politicamente correto ser um terreno perigoso, foi justamente o enfraquecimento do conservadorismo da instituição que diminuiu seu crescimento a exemplo dos Protestantes da América do Norte que se alinharam com o politicamente correto e que se enfraqueceu ao passo que os evangélicos conservadores aqui no sul das Américas cresceram. Além do que, Cristo não foi e não é politicamente correto Ele nunca aceitou a religião de aparência dos Fariseus.

  • Escritor

    -

    20/9/2013 às 12:18 pm

    Caro Reinaldo: Quando daqui a 20 anos o povo brasileiro for 99% evangélico ou pertencente a outras denominações religiosas, agente vai olhar o passado e entender o porquê. Estou estarrecido com as declarações do Papa. Ele causou mais danos aos princípios cristãos em uma única fala, do que toda idade média juntas. Porque no caso da idade média agente sabe que foi errado. Mas sobre o que ele falou, agente sabia que era errado, mas ele esta dando margens para que as pessoas achem que coisas absurdas como aborto talvez estejam corretas.

  • Ferrabraz

    -

    20/9/2013 às 12:14 pm

    O que entendo é que o Papa, apenas disse de a igreja perdoa quem errou. Não avalizou nenhuma forma de aborto e continua considerando criminoso interromper a gravidez e considera assassinato este ato. Aliás, é assassinato sempre do ponto de vista animal, eliminar um ente futuro de uma espécie, qualquer uma.
    Mulher, fêmea não tem direito algum sobre o destino de um feto. Não existe duvida alguma sobre isto. Nascer é um direito natural.

  • Centurião

    -

    20/9/2013 às 12:13 pm

    Reinaldo,
    Este Papa fala demais e está preocupado com repercussões na mídia. Ele positivamente não é claro em seus discursos.
    Peixe morre pela boca.

  • ERNESTO

    -

    20/9/2013 às 11:58 am

    Segundo o Jornal Nacional o Papa diz que o consideraram de DIREITA por determinadas atitudes que tomou.
    Mas ele faz questão de repudiar tão abjeta classificação.

  • Homer Salvador

    -

    20/9/2013 às 11:44 am

    È realmente lamentável que se disponha da vida de outro como se um objeto fosse, concordo que as ressalvas do Papa Francisco devem ser duras e contínuas, pois a distorção do que disser e os “interpretismos”soarão alto e se tornarão ferramentas fantásticas na mão de pessoasmal intencionadas.

  • Marta

    -

    20/9/2013 às 11:33 am

    Penso que o Papa Francisco brevemente vai se tocar que não é possível dizer certas coisas em qualquer ambiente. Pessoas sérias se dão ao trabalho de estudar e refletir sobre assuntos, para só então tirar conclusões definitivas. Mas a maioria das pessoas não é assim, convenhamos. Se o Papa diz que homossexuais devem ser acolhidos na Igreja – o que é verdadeiro- logo vem alguém para dizer que “Francisco é a favor do homossexualismo!” E por aí vai.Entendo a posição do estimado Papa.Quer que a Igreja seja algo vivo e transformador na vida dos indivíduos e não apenas um conjunto de normas e proibições. O problema é que a maioria ainda necessita de explicações muito claras, sem dúvida.

  • Sandra

    -

    20/9/2013 às 11:26 am

    Não acompanhei a briga, mas não vi nada demais nas palavras do Papa. Ele fala em perdão, não em aplauso.

  • Luiz Fernandez

    -

    20/9/2013 às 11:22 am

    No fim como todos sabem, o método é MENTIR O TEMPO TODO!!!
    lançar SOFISMAS…mentir, mentir, mentir, MENTIR é como o diabo gosta, é gostoso mentir…milhares de idiotas a seguir a mentira…

  • Robson

    -

    20/9/2013 às 11:22 am

    Pelo que eu entendi, o papa recomendou aos confessores que não expulsem a tapa do confessionário a fiel que acabou de dizer que realizou um aborto. Só isso. Deve ser concedido uma chance de perdão e reconciliação.

  • Luiz Fernandez

    -

    20/9/2013 às 11:19 am

    Neste item estás correto!! o exército da morte é forte e arregimenta quantidades espetaculares de seguidores, principalmente os “moderninhos“ sou a favor do controle da natalidade, mas se foi concebido tem que ir até o fim.

  • Augusto Magno.

    -

    20/9/2013 às 11:15 am

    A fala de um Papa não contém infalibilidade quando não se pronuncia ex-catedra e sem a intenção de definir dogmas. Se ele afirma algo que está em desacordo com a Tradição da Igreja ou contrária a dogmas, errado estaria o Papa (falo genericamente, não me refiro ao Papa Francisco) e não a Igreja. Apesar desta posição categórica do Magistério da Igreja, de 2000 anos, evidentemente o católico que não estuda a doutrina e que constitui maioria, se mostra estupefato. Não foi por acaso que o Papa Emérito Bento XVI iniciou um processo de interpretação do Concilio Vaticano II em comunhão com a Tradição eclesial ininterrupta, em uma correta recepção dos textos do Concilio Vaticano II à luz da bagagem doutrinal da Igreja. Não existe Igreja antes e depois do Concilio Vaticano II.

  • Francisco Roberto

    -

    20/9/2013 às 11:04 am

    * distorceu a fala do Papa…

  • Francisco Roberto

    -

    20/9/2013 às 11:03 am

    Reinaldo, a Patrícia Poeta fez uma chamada para o Jornal Nacional onde ela disse que “O Papa falou que se a igreja não mudar seus dogmas com relação ao aborto e ao casamento homossexual a igreja desmoronaria como um castelo de cartas”. Mas durante o próprio Jornal Nacional, ficou claro que ele não havia dito nada disso. Ou seja, a Patrícia Poeta – ou a direção de jornalismo do JN – distorceram a fala do Papa para dar um contorno excessivamente progressista ao maior representante político do conservadorismo. Lamentável!

  • Ivan

    -

    20/9/2013 às 11:00 am

    O seu a seu dono. A entrevista foi publicada pelo Fratres, mas foi feita pela Revista Brotéria, de Portugal: http://broteria.pt/component/content/article/46-noticias/101-entrevista-exclusiva-do-papa-francisco-as-revistas-dos-jesuitas.

  • Fagundes

    -

    20/9/2013 às 10:42 am

    Caro Reinaldo e leitores,
    Parece-me que o Papa apenas quis dizer que todos merecem perdão dependendo da situação e do real arrependimento, seja qual for o pecado cometido.

    Salvo melhor entendimento, o único pecado imperdoável é a “Blasfêmia contra o Espírito Santo”.

    Agora proclamar, em interesse próprio, que o Papa é a favor do aborto, como querem alguns, aí é que mora o pecado.

  • S. Lincoln

    -

    20/9/2013 às 10:34 am

    Ops, ia esquecendo de cumprimentar os inventores do novo vocabulário, a conhecida turma da distorção pelo feito: conseguiram ‘distorcer’ o sétimo mandamento…

  • S. Lincoln

    -

    20/9/2013 às 10:28 am

    Entendo que o papa falou de perdão. Sem aprovar o pecado, exortou os pecadores contritos à busca do perdão e o retorno à comunhão, em obediência à doutrina de Jesus. Simples assim… E, a distorção das palavras faz parte da estelionatária agenda ‘gramsciana’…

  • Malu

    -

    20/9/2013 às 10:23 am

    O Papa Francisco esteve em missão peregrina ao Brasil. Padronizou o seu falar. Em suas mensagens, usou as palavras mais simples. Mas por falar que a Igreja é uma mãe que acolhe a todos, deu margem a interpretações. Se a Igreja é uma mãe, penso que precisa falar com AUTORIDADE, sem margem a questionamentos, como falava o tão criticado Papa Ratzinger, Bento XVI. Eu acredito que o ser humano é manipulador. Assim que Francisco deixou o Brasil, cada grupo entendeu as palavras do Papa conforme os seus INTERESSES. Dizem alguns que a Igreja aceitará que padres se casem, o aborto, gays, casamento de divorciados, etc. Prezados, porque uma mãe acolhe, não quer dizer que aceita. Voltamos a questão da minoria barulhenta e da maioria calada. O católico, onde me incluo, deseja uma Igreja sem concessões, que siga os princípios, os dogmas. Exatamente, por isso, ela não sucumbiu e não sucumbirá. Ainda que se apequene.

  • josé reis barata

    -

    20/9/2013 às 10:18 am

    “NÃO ARRUMEM ENCRENCA COM OS IDOSOS”
    .

    A pregação do Papa que copio em seguida, coloquei numa moldura e fixei na parede da sala da minha casa.Pretendo presentear amigos coetâneos e jovens.
    .
    Papa Francisco:

    “Não arrumem encrenca com os idosos
    .
    Penso que neste momento a civilização mundial entrou em parafuso. Há uma “rosca”, porque é tal o culto que tem feito ao deus dinheiro, que estamos presenciando uma filosofia e uma práxis de exclusão de dois polos da vida que são as esperanças dos povos: idosos e jovens. Exclusão dos idosos, é claro, porque alguém poderia pensar que poderia haver algum tipo de eutanásia escondida. Não se cuida dos idosos, mas isso significa também uma eutanásia cultural. Não os deixam falar e nem mesmo agir. Exclusão dos jovens! A porcentagem de jovens sem trabalho e sem emprego é muito alta; e é uma geração que não tem a experiência de dignidade conquistada pelo trabalho. Ou seja, esta civilização nos levou a excluir as duas pontas que são o nosso futuro.
    Então os jovens têm que sair e lutar para serem valorizados e por seus valores; e os idosos têm que abrir a boca para ensinar, transmitir a sabedoria dos povos.
    Dentre a população argentina eu peço de coração aos idosos, não vacilem em ser a reserva cultural do nosso povo que transmite a justiça, que transmite a história, que transmite os valores, que transmite a memória do povo. E vocês, jovens, não se coloquem contra os idosos; deixem que eles possam falar; escutem e procurem seguir seus conselhos. Mas saibam, saibam que neste momento vocês, jovens e idosos, estão condenados ao mesmo destino: a exclusão. Não se deixem excluir. Está claro? É por esta causa que penso que devem trabalhar.”

  • Pedro Rocha

    -

    20/9/2013 às 10:06 am

    Desculpem: ….fico com o Pastor.

  • Pedro Rocha

    -

    20/9/2013 às 10:02 am

    A chamada de capa do Jornal Nacional de ontem, mais a matéria, foram feitas com a clara intenção de distorcer ainda mais, a infeliz declaração de Francisco.
    Por isso que, entre uma frase “branda”, ou dúbia como essa, e a contundência indubitável sobre aquilo que pensa ou acredita, do Malafaia, fio com o Pastor.

  • Silvio

    -

    20/9/2013 às 10:01 am

    Não vejo nada demais nas palavras do Papa.Ele somente exemplificou a disposição da Igreja ( Cristo perdoando Madalena é um dos grandes exemplos ) para o perdão das pessoas verdadeiramente arrependidas. Citou o aborto pois, mesmo a Igreja sendo veementemente contrária à sua prática,jamais se furtaria a integrar e perdoar alguém que se arrependesse do ato praticado. Mesmo reconhecendo que existem pessoas e entidades de mau caráter que distorcem suas palavras, o pontífice não deve ser responsabilizado por exemplificar o total compromisso da religião católica para com o perdão.

  • Pedro Paulo

    -

    20/9/2013 às 9:51 am

    Hoje o Papa fez um discurso duro contra o aborto no encontro com médicos ginecologistas: http://attualita.vatican.va/sala-stampa/bollettino/2013/09/20/news/31708.html

  • Berlatto

    -

    20/9/2013 às 9:45 am

    Reinaldo, a imprensa “progressista” se encarrega de distorcer as palavras do Papa. eles não perdem tempo. Tal como o PT, eles tem método. E como vc diz, o lobby que trabalha em favor da liberação do aborto e das drogas é fortíssimo, não? E, também, usando tuas palavras, “como entender que alguém se dedique a essa causa com tanto afinco, como se estivesse a propugnar por um novo iluminismo, é um dos grandes enigmas morais do nosso tempo”. Gente imoral, abjeta, materialista, é o que não falta para defender o indefensável. Infelizmente.

  • O

    -

    20/9/2013 às 9:41 am

    Socorrer as vítimas de si mesmas dos crimes perpetrados contra a vida é um dever das religiões, a pergunta que a mulher deve ser induzida a fazer é se quer matar seu filho, a palavra aborto dá um distanciamento da gravidade da situação principalmente pela imaturidade e a falta de educação formal séria.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados