Blogs e Colunistas

26/03/2012

às 16:44

Israel rompe com Conselho de Direitos Humanos da ONU. Faz bem! Aquilo é um Conselho de Ditaduras

Israel rompeu o Conselho de Direitos Humanos da ONU, que aprovou mais uma resolução contra o país e decidiu investigar os assentamentos judaicos na Cisjordânia. Fez muito bem! Fosse eu governo, faria a mesma coisa. O primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, foi ao ponto. “Este Conselho, com maioria automática hostil a Israel, é hipócrita e deveria se envergonhar. Foram tomadas 91 decisões, 39 delas relativas a Israel, com três referentes à Síria e uma ao Irã.”

A conta dele está certa e fala por si mesma.

Conselho de Direitos Humanos? Aquilo parece uma piada, um antro de ditadores e vigaristas. Trata-se de um arranjo político, para dar “poder aos pequenos”, daí que a distribuição de cadeiras obedeça a um critério regional. Só os EUA se opuseram à resolução contra Israel. Dez países se abstiveram, e os demais votaram a favor. Muito bem. Abaixo, segue a lista a dos países que integram o tal conselho entre junho de 2011 e dezembro de 2012. Volto depois.

ÁFRICA
Angola 2013
Benin 2014
Botswana 2014
Burkina Faso 2014
Camarões 2012
Congo 2014
Djibouti 2012
Líbia 2013
Mauritânia 2013
Ilhas Maurício 2012
Nigéria 2012
Senegal 2012
Uganda 2013

AMÉRICA LATINA
Chile 2014
Costa Rica 2014
Cuba 2012
Equador 2013
Guatemala 2013
México 2012
Peru 2014
Uruguai 2012

ÁSIA
Bangladesh 2012
China 2012
Índia 2014
Indonésia 2014
Jordânia 2012
Kuwait 2014
Quirguistão 2012
Malásia 2013
Maldivas 2013
Filipinas 2014
Qatar 2013
Arábia Saudita 2012
Tailândia 2013

Europa Ocidental e outros países
Áustria 2014
Bélgica 2012
Itália 2014
Noruega 2012
Espanha 2013
Suíça 2013
Estados Unidos 2012

EUROPA ORIENTAL
República Chega 2014
Hungria 2012
Polônia 2013
Moldávia 2013
Romênia 2014
Rússia 2012
Voltei
A África, por exemplo, tem direito a 13 das 47 cadeiras. Tente encontrar 13 países naquele continente que tenham os direitos humanos como fundamento… Não se esforce tanto. Se achar cinco, já está bom… A América Latina fica com oito. Cuba, que acaba de prender 70 pessoas, com boas-vindas ao papa, brilha no grupo. Veja o grupo da Ásia. Alguém conhece país mais humanista do que a China, para citar um caso?

 

As resoluções do Conselho de Direitos Humanos são essencialmente políticas, pautadas, não raro, por um antiamericanismo patológico. Digamos que seja o caso de investigar os assentamentos judaicos na Cisjordânia… Por que não o massacre de cristãos na Nigéria ou na Indonésia, a perseguição aos dissidentes em Cuba e o permanente massacre no Sudão (a divisão mudou muito pouco a realidade do país)?

É claro que todas as nações que aderem à Carta da ONU têm de ter seu assento e coisa e tal. Mas é uma piada grotesca que notórias tiranias façam parte justamente de um “Conselho de Direitos Humanos” e que esse conselho tenha Israel como seu alvo principal. Morrem mais cristãos em um mês na Nigéria ou no Sudão do que palestinos em 10 anos. Todas as mortes nos diminuem, é evidente, mas por que alguns cadáveres não merecem nem mesmo as lágrimas da hipocrisia?

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

56 Comentários

  • Enezio E. de Almeida Filho

    -

    1/4/2012 às 6:52 pm

    Hazak, hazak, hazak Israel. Não haverá Holocausto 2, tenham certeza disso!!!

  • Gustavo

    -

    28/3/2012 às 4:57 am

    OBSERVANDO O MUNDO:

    Eu tive a oportunidade, trabalhando sobre focos de conflitos (desde 2007), de conhecer não somente na prática, mas também na teoria toda a situação do conflito Israel/Palestina. Afirmo uma coisa, sem medo de errar: Israel foi condenado justamente em TODAS as situações referentes aos assentamentos na Cisjordânia.

    Desconheço o que de fato aconteceu em Pinheirinho. Não sei se realmente abusos foram cometidos. Acho melhor e mais sensato esperar os resultados das investigações oficiais. Mas posso afirmar uma coisa com certeza, em Pinheirinho foi colocada em prática a letra da lei. Um juiz brasileiro determinou a reintegração do terreno e assim foi feito. Em várias situações Israel já foi ‘condenada’ a devolver os territórios ocupados da Cisjordânia e tal medida não foi efetivada até hoje. É lamentável porque ignora e despreza o Direito Internacional como se esse fosse mero joguete nas mãos de quem tem de fato o poder, o poder de vetar.

  • Zezinho

    -

    27/3/2012 às 8:32 pm

    Caro Reinaldo,
    O Conselho de Direitos Humanos tem, sim, um vies pronunciado contra Israel, e inegavel. Porem, os assentamentos israelenses sao tao ilegitimos que nem mesmo os EUA os reconhecem. Sao recorrentes os desentendimentos entre americanos e israelenses sobre esse ponto.

    A resolucao tradicional do Conselho sobre os assentamentos era normalmente votada favoravelmente por TODOS os membros, exceto os EUA. Desta vez, por conta da missao de investigacao, houve algumas abstencoes, mas so o voto contrario dos EUA. Democracias indiscutiveis, como Suica, Noruega, Belgica, Austria, Chile e Mexico votaram a favor da resolucao. Portanto, mesmo admitindo uma certa obsessao do Conselho com Israel, trata-se, na substancia, de materia em que o pleito palestino e absolutamente legitimo.

    Assentamentos em territorios ocupados sao proibidos pelo direito internacional. Ponto. Mesmo os paises que votaram contra a resolucao ou se abstiveram fizeram explicacao de voto em que questionaram a utilidade da missao de investigacao, mas reconheceram que os assentamentos sao ilegais.

    Sobre a composicao do Conselho e seu suposto vies antiamericano, acho que isso nao se observa na pratica. Salvo Israel, nenhum pais desenvolvido JAMAIS foi objeto de resolucao condenatoria do Conselho ou de sua antecessora, a Comissao de Direitos Humanos. Somente nos ultimos dois anos, por outro lado, foram ” condenados” o Ira, aCosta do Marfim, a Libia, a Siria, a Coreia do Norte, o Mianmar, a Bielo-Russia e o Sudao; no passado, Cuba tambem foi condenada em resolucao. Estao na lista de monitoramento cooperativo o Haiti, a RDC, o Sudao (se nao me falha a memoria), a Libia, o Iemen, a Tunisia, o Camboja, a Guine e outros que devo estar esquecendo. Evidentemente, podem estar faltando muitos outros, como Arabia Saudita, Iraque, Afeganistao, Nigeria, Egito… O Brasil, com a taxa absurda de homicidios e a situacao dos presidios, tambem poderia entrar na danca se nao fosse uma democracia que, de 20 anos para ca, passou a ser respeitada mundo afora.

    Mas a lista dos paises condenados e sob monitoramento da uma dimensao da relativa predominancia ocidental no orgao, que se deve a razoes que vao alem da mera composicao do Conselho, mas passam pela importancia das ONGs e da imprensa ocidental, assim como pela capacidade dos paises ricos de pressionarem paises em desenvolvimento. Digo isso sem vies terceiro-mundista, pois nao e impossivel que essa primazia ocidental noConselho contribua, no longo prazo, para a situacao geral de direitos humanos.

    Espero ter contribuido algo para esse debate.
    Abraco
    P.S.: desculpe a falta de acentuacao eos erros de digitacao; ainda estou me adaptando ao iPad…

    REINALDO RESPONDE
    Não entrei no mérito dos assentamentos em nenhum momento. Haver quase 40 votações contra Israel e três contra a Síria é uma piada. Israel ter mais condenações do que o Sudão diz bem o que é aquilo.

  • OBSERVANDO O MUNDO

    -

    27/3/2012 às 6:06 pm

    Gustavo

    A imensa maioria das acusações que você lê e ouve na imprensa contra Israel tem tanta substância quanto o “genocídio de Pinheirinho” e foi criada e publicada por gente que tem tanto amor a verdade quanto aquele pessoal do PSTU.

    Procure os vídeos sobre “palywood” e você começará a ter uma vaga idéia de como surgiu muita coisa que foi apresentada como verdadeira.

  • edgard feitosa

    -

    27/3/2012 às 3:01 pm

    Um erro justifica e legitima outro; israel pode continuar massacrando e destruindo as casas dos palestinos, pois quando alguém questionar, basta justificar : e cuba?? e a nigéria??? e a china?? e isso e aquilo?? e os pinguins no deserto do saara??? e por que a perseguição das focas no deserto do atacama?? e por que a falta de liberdade do tatu bola em ruanda??? UM ERRO JUSTIFICA E ESTÁ LEGITIMADO POR OUTRO.

  • Kaos

    -

    27/3/2012 às 1:17 pm

    E pensar que TODOS estes conflitos tem como raiz a existência de um suposto e imaginário “DEUS” que, segundo uns, disse: “Vocês são o meu povo”, e, segundo outros, disse a mesma coisa para outros povos.
    O dia em que a humanidade se esquecer que foi OBRIGADA a acreditar em deuses, sem dúvida viveremos UM POUCO melhor!

  • Gustavo

    -

    27/3/2012 às 12:12 pm

    Questionar a legitimidade do Conselho de Direitos Humanos da ONU, partindo do princípio que pequenos países e ditaduras têm o mesmo poder de voto de grandes potências, é de uma ignorância sem tamanho. A regra do jogo democrático, defendida por qualquer pessoa de bem, impediria qualquer interferência no princípio da igualdade de peso entre os votos de qualquer membro do Conselho. Já quanto a aceitação da participação de ditaduras ou países que desrespeitam os Direitos Humanos, é ainda a dor que se paga pela necessidade contínua de diálogo entre todos os atores da diplomacia multilateral. Não se pode pretender criar um órgão com legitimidade global que ao mesmo tempo que negaria a entrada de Cuba, celebraria a participação dos Estados Unidos (ainda que após todas as denúncias de desrespeito contumaz da administração americana em todos os atuais conflitos que mantém e financia no Oriente Médio). Portanto, está longe de ser uma clássica situação de antiamericanismo barato. Trata-se de uma conclusão histórica de que somente através do diálogo e das pressões diplomáticas legitimadas pela maioria da comunidade internacional é possível estabelecer mudanças concretas em áreas tão sensíveis como é a dos Direitos Humanos.

    Muito mais válido do que simplesmente retirar-se de um órgão que o condenou em diversas ocasiões seria analisar cada uma dessas condenações e oferecer respostas baseadas em argumentos. Ou agora estamos defendendo que os assentamentos na Cisjordânia são moralmente aceitáveis e legalmente permitidos? O Tribunal Internacional e diversas outras organizações internacionais e não governamentais já se manifestaram quanto à absoluta ilegalidade da grande maioria desses assentamentos. Então seria o caso de questionar a legitimidade das decisões do Tribunal Internacional e de todos os demais agentes internacionais que agem em nome dos Direitos Humanos?

    Sim, Netanyahu sabe contar! Foram exatas 39 condenações a Israel pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU. E algum de vocês, e aqui incluo também o Reinaldo, já estudou cada uma dessas condenações? Advirto que é preciso ir além da mera letra condenatória, é também preciso entender o que acontece na prática, compreender a história que permeia cada uma dessas decisões. Israel tem sim desrespeitado o Direito Internacional há quase tanto tempo quanto existe como país.

    É impensável que se aplauda o abandono de um órgão internacional como se isso fosse uma ato de bravura. Pelo contrário, aos olhos da diplomacia esse ato acoberta uma verdade. Aquela verdade que Israel se recusa a discutir em um fórum global. Se não concordam comigo eu me retiro da sala? Acho que o Reinaldo estaria comigo nessa resposta óbvia: claro que não! Toda e qualquer decisão de órgãos da ONU podem ser contestadas dentro do sistema do órgão que a proferiu. Por que então recorrer ao “Magoei, não brinco mais.”? Razão há de ter.

  • MASS

    -

    27/3/2012 às 10:31 am

    A ONU É UMA PIADA, de mal gosto.

  • carlos

    -

    27/3/2012 às 9:57 am

    Não é só nos direitos humanos que a onu virou uma piada. Na saúde, espalhou tanto pânico com as gripes animalescas, que se um dia aparecer uma epidemia realmente perigosa, nenguem vai acreditar.
    No caso do aquecimento global, que depois virou mudanças climáticas, pois já não sabem se o mundo esta esquentando ou esta friando, também, fizeram um carnaval. Assim funciona a onu e seus mais de 10 mil funcionários. Como não conseguem acabar com a miséria, não conseguem evitar uma guerra ou um golpe, vão salvar o mundo e justificar seus salários e mordomias. Cabidão internacional de empregos.

  • Daniel Amurab

    -

    27/3/2012 às 9:51 am

    Está na hora de todo o mundo civilizado romper com a Onu depois que o Conselho chamou um dirigente do Hamas para sobre direitos humanos. COmo uma organização séria convida alguém que busca matar o maximo de civis israelenses em seus ataques terroristas.

  • Ronaldo

    -

    27/3/2012 às 8:38 am

    Reinaldo:
    Não só o Conselho de Direitos Humanos. A ONU, além de inútil, tornou-se nociva, inclusive por intrometer-se em assuntos internos que não lhe dizem respeito, e por ter sido transformada em instrumento das maquinações revolucionárias.

  • Roberto Flores Martins

    -

    27/3/2012 às 8:13 am

    A ONU é uma entidade que perdeu a isenção e parece mais um antro de ditaduras e aparelho de movimentos sectários.A impressão que êles passam é que deste jeito não dá e a entidade vem visivelmente perdendo sua autoridade.

  • Marcos

    -

    27/3/2012 às 2:01 am

    Para Kaos: ” Jerusalém, um cálice de tontear ” e ” O Dia do juízo – o Islã, Israel e as nações “, ambos de Dave Hunt, além de ” Mitos e Fatos – A verdade sobre o conflito árabe-israelense “, que pode ser baixado gratuitamente no site Beth Shalom.

  • Kaos

    -

    27/3/2012 às 12:14 am

    Li o livro “A invenção do povo judeu” do escritor israelense Sholomo Sand e estou na metade de “O mundo muçulmano” do Peter Adamet. Quantos mais terei que ler para entender o mínimo sobre o Oriente Médio? Alguém me indica outros?

  • Affonso Sampaio

    -

    26/3/2012 às 11:11 pm

    Como os deshumanos que violam os Direitos Humanos podem ter moral de julgar, e sobretudo,condenar quaisquer outros paises?

  • VRM

    -

    26/3/2012 às 11:09 pm

    O governo de Israel tomou a decisão que devia já ter tomado no século passado. O que falta agora e dar um “trato legal” nas instalações atômicas dos aiatolás da morte, assim como fez com as instalações nucleares do Sadam Hussein, que também acalentava o desejo incontido de varrer Israel do mapa, através de um ataque nuclar.

  • OBSERVANDO O MUNDO

    -

    26/3/2012 às 10:52 pm

    Respondendo ao “Observador” das 17:03

    Você inverte os fatos:

    1. Israel devolveu ao Egito um território muito maior que a Cisjordânia, com que tinha gás e petróleo, em troca de uma assinatura num pedaço de papel. Seja mais inteligente; se as “lideranças” palestinas quisessem um acordo, já teriam a muito tempo.

    2. Na sua auto-biografia, Clinton conta um fato que os “defensores” dos palestinos fazem questão de esconder. Durante sua intermediação, o 1º ministro israelense derrepente ofereceu ao palestinos muito mais do que jamais os israelenses tinham oferecido. Clinton conta que Arafat pareceu perdido, ficou sem resposta, e logo abandonou as negociações SEM FAZER CONTRAPROPOSTA. Voou imediatamente para a Csijordania e iniciou no ato uma intifada. Se há uma coisa que Arafat não queria de jeito nenhum era a paz. No fundo, ele nunca deixou de ser um agente dos russos. O serviço secreto romeno tinha filmagens bastante comprometedoras dele, do período que viveu na Europa Oriental, para incentiva-lo a se manter sempre um agente do conflito permantente. Quem herdou essas fitas, herdou o poder de chantagem.

  • judeu

    -

    26/3/2012 às 9:47 pm

    Que beleza ô israel, você me orgulha, é o unico povo de cabra macho da face da terra. Te afasta desta quadrilha da ONU, pois só tem comunistas comandado pelo anticristo.

  • Jacques Nordeau

    -

    26/3/2012 às 9:08 pm

    Reinaldo
    Direitos humanos é coisa de países civilizados, muitos dos que você citou são povos primitivos que, recentemente, abandonaram o canibalismo. Comiam o fígado dos inimigos como prova de fidelidade às hediondas criaturas que cultuavam. Na guerra religiosa não há porque se falar de direitos humanos. É coisa dos homens e não dos deuses. Ela é o enredo cujo script é representado por milênios na história dos conflitos em todo o mundo. No caso dos direitos humanos aos EUA não cabe o direito de veto. Daí, uma única abstenção. E as posições de China e Rússia na Síria não deixam de ser contraditórias, inconsequentes. Porque passam ao largo em relação aos direitos humanos, que, no caso de Israel, condenam. Este é o tipo de conflito em que o Brasil não deve botar o bedelho. No Evangelho diz que quando Israel estiver cercado e isolado, será o prenúncio do retorno de Cristo. Bem, para uma crise religiosa, nada melhor que a solução religiosa. Diplomacia, neca de catibiriba!

  • Carapinha

    -

    26/3/2012 às 8:31 pm

    Reinaldo

    Você conferiu o rol de países que votaram favoravelmente para o reconhecimento do estado de Israel? A votação foi suspensa pelo secretário geral, Oswaldo Aranha para que desse tempo para a diplomacia Britânica e Americana conseguisse votos favoráveis. Alguns, desses países, recém criados.

  • CerradoemChamas

    -

    26/3/2012 às 8:26 pm

    Povo da Casa de Israel e da Casa de Judá: “Se vis pacem, parabellum”

  • PARTIDO - PÊQUEPÊ

    -

    26/3/2012 às 8:22 pm

    .
    CARISSIMO REINALDO,
    .
    “PÔ ! ESSES JUDEUS NAO QUEREM SER PREJUDICADOS PELOS POGREÇÇISTA” !
    .
    ESTAO CERTISSIMOS. NESSE DUELO, O OPONENTE É AMIGO DO FERREIRO
    .

  • Noah

    -

    26/3/2012 às 8:21 pm

    Direitos Humanos com esse grupo acima, só pode ser piada de mal gosto.

  • Grazina

    -

    26/3/2012 às 8:20 pm

    Só para lembrar: Ditaduras oficiáis que fazem parte do famigerado conselho da ONU, que defende os direitos humanos. Ícone da DITADURA, Cuba, Uganda, Angola, Líbia, China. Quase todos os países da Africa não respeitam direitos humanos. Se mata muita gente, que seja pela etnia,autoritarismo dos governantes, ou religioso. Muçulmanos contra Católicos, sempre minoria.

  • Bruno

    -

    26/3/2012 às 8:04 pm

    pq vc considerou os eua como país europeu ocidental?

    REINALDO CORRIGE E EXPLICA A ORIGEM DO ERRO:
    A ONU classifica esse bloco como “Europa Ocidental e outros países”. Já corrigi no post; obrigado pela advertência.

  • Aero Willys

    -

    26/3/2012 às 8:01 pm

    Certíssima a atitude de Israel.
    Nekan Adonai, aos inimigos da democracia!!!

  • Curioso

    -

    26/3/2012 às 7:50 pm

    Israel fez bem. Agora falta as Mídias divulgarem CLARAMENTE o porque que aconteceu isso. Um exemplo seria mostrar o que o Reinaldo escreveu acima:
    …É claro que todas as nações que aderem à Carta da ONU têm de ter seu assento e coisa e tal. Mas é uma piada grotesca que notórias tiranias façam parte justamente de um “Conselho de Direitos Humanos” e que esse conselho tenha Israel como seu alvo principal. Morrem mais cristãos em um mês na Nigéria ou no Sudão do que palestinos em 10 anos. Todas as mortes nos diminuem, é evidente, mas por que alguns cadáveres não merecem nem mesmo as lágrimas da hipocrisia?…
    ===========
    Será que a mídia vai falar? Se não falarem eles serão exatamente iguais à frase que o Reinaldo falou acima.

  • junes marta paris

    -

    26/3/2012 às 7:41 pm

    Fazer parte de um Conselho desses e ser tratado da forma que vem sendo, fez muito bem o Governo de Israel, sabia?

  • Ana Lucia

    -

    26/3/2012 às 7:23 pm

    Anote aí Reinaldo!
    Israel vai ser o primeiro País (com “P” maiúsculo), a desligar-se definitivamente da ONU. Será em breve, é ver para crer!

  • Vales

    -

    26/3/2012 às 7:17 pm

    Parabéns Israel. Belo chute no trazeiro da ONU, mas infelizmente na OEA vamos ter que esperar um pouco.

  • Marcos

    -

    26/3/2012 às 6:55 pm

    Agora, uma notícia fresquinha sobre outro país-membro, a China.

    Polícia descobre igreja doméstica na China

    25 mar 2012China

    Para muitos cristãos do ocidente a perseguição religiosa na China é coisa do passado, mas o fato é que nas áreas rurais e mesmo em algumas regiões das grandes metrópoles como Pequim, milhares de cristãos ainda se reúnem secretamente em igrejas domesticas

    Uma igreja doméstica no oeste da região chinesa de Xinjiang que realizavam suas reuniões e cultos de oração por quase duas décadas foi descoberta pela polícia no domingo e 70 cristãos foram levados sob custódia.

    O incidente aconteceu por volta das 10 horas da noite, no dia 18 de março em uma igreja doméstica na região agrícola de Aral Shehri, uma divisão de produção e construção de indústrias em Aksu.

    A igreja doméstica, que funcionava há quase 20 anos na região, foi descoberta e mais de 70 cristãos junto com o pastor He Enjun foram surpreendidos por mais de 10 oficiais de polícia e agentes da Agência de Proteção a Segurança Doméstica.

    Os oficiais disseram que a reunião não foi oficializada junto ao Estado e por isso era ilegal. Eles ordenaram que o culto se encerasse naquele exato momento. Após forçarem cada um dos cristãos a serem fotografados, eles levaram cada um deles até a delegacia para serem interrogados. Nenhum deles foi liberado durante dois dias.

    A polícia também confiscou Bíblias, hinários, computadores, DVDs de educação cristã e outros materiais, mas eles se recusaram a registrar todos os itens confiscaram da igreja, o que de acordo com as leis do país, é ilegal.

    O pastor e sua esposa, que eram os anfitriões da Igreja que se reunia secretamente, foram chamados para responderem a mais perguntas na segunda-feira à noite. Eles foram ameaçados pela polícia que ordenou que parassem de se reunir.

    Assista ao DVD Bambus no Inverno e conheça mais sobre a perseguição dos cristãos na China.

    FonteChina Aid
    TraduçãoLucas Gregório

    Fonte: Portas Abertas

  • Marcos

    -

    26/3/2012 às 6:38 pm

    Mais uma notícia da Arábia Saudita, extraída do site Gospelprime….. aposto que o tal Conselho de Direitos Humanos na ONU não fará nada contra seu ” legítimo ” membro…….

    Maior líder muçulmano da Arábia Saudita pede a destruição de todas as igrejas cristãs

    Perseguição aos cristãos no Oriente Médio pode resultar em conflito global

    O sheik Abdul Aziz bin Abdullah, o grão-mufti da Arábia Saudita, maior líder religioso do país onde Maomé nasceu, declarou que é “necessário destruir todas as igrejas da região.”

    Tal comentário do líder muçulmano foi uma resposta ao questionamento de uma delegação do Kuwait, onde um membro do parlamento recentemente também pediu que igrejas cristãs fossem “removidas” do país.

    O grão-mufti salientou que o Kuwait era parte da Península Arábica, e por isso seria necessário destruir todas as igrejas cristãs de lá.

    “Como acontece com muitos muftis antes dele, o sheik baseou sua fala na famosa tradição, ou hadith, que o profeta do Islã teria declarou em seu leito de morte: ‘Não pode haver duas religiões na Península [árabe]’. Isso que sempre foi interpretado que somente o Islã pode ser praticado na região”, explicou Raymond Ibrahim, especialista em questões islâmicas.

    A importância dessa declaração não deve ser subestimada, enfatiza Ibrahim: “O sheik Abdul Aziz bin Abdullah não é um líder muçulmano qualquer que odeia as igrejas. Ele é o grão-mufti da nação que levou o Islã para o mundo. Além disso, ele é o presidente do Conselho Supremo dos Ulemás [estudiosos islâmicos] e presidente do Comitê Permanente para a Investigação Científica e Emissão de Fatwas. Quando se trata do que o Islã prega, suas palavras são imensamente importantes “.

    No Oriente Médio, os cristãos já estão enfrentando perseguição maior, incluindo a morte, nos últimos meses. Especialmente nos países onde as facções militares islâmicas têm aproveitado o vácuo de poder criado pelas revoluções da chamada “Primavera árabe”, como Egito, Líbia e Tunísia, Jordânia, Marrocos, Síria e Iêmen.

    Os cristãos coptas, por exemplo, que vivem no Egito há milênios estão relatando níveis mais elevados de perseguição de muçulmanos. No Norte de África, os muçulmanos prometeram erradicar o cristianismo em alguns países, como a Nigéria. No Iraque, onde os cristãos tinham algumas vantagens durante o governo de forte Saddam Hussein, populações cristãs inteiras fugiram. O Irã também tem prendido crentes e fechado igrejas mais do que de costume.

    Ibrahim escreveu ainda em sua coluna: “Considerando a histeria que aflige o Ocidente sempre que um indivíduo ofende o Islã, por exemplo, uma pastor desconhecido qualquer, imagine o que aconteceria se um equivalente cristão do grão-mufti, digamos o papa, declarasse que todas as mesquitas da Itália devem ser destruídas, imaginem o frenesi da mídia ocidental. Imediatamente todos os veículos gritariam insistentemente ”intolerância” e “islamofobia”, exigiriam desculpas formais e apelariam para uma reação dos políticos”.

    O estudioso acredita que uma onda de perseguição sem precedentes está prestes a ser iniciada na região, que ainda testemunha Israel e Irã viverem ameaçando constantemente fazerem ataques. O resultado disso pode ser um conflito de proporções globais.

    Traduzido e adaptado de Arabian Business e WND

    Fonte: Gospelprime

  • Miguel Fernandes

    -

    26/3/2012 às 6:38 pm

    Reinaldo, não me chame intilectual, petista, esquerdista ou outro ista qualquer… não sou nada disso sou português. Dou-me bem e estou grato pela “democracia ocidental”. Agora sai provocação: Dando razão a Israel, será que as resoluções do conselho de segurança não funcionam como contra-poder ao poder Americano? Não significando que estejam certas, não poderam elas funcionar como o peso do outro lado da balança?

    Abraço deste lado do Atlântico

    http://atribunadeviseu.blogspot.pt/

  • Marcos

    -

    26/3/2012 às 6:29 pm

    Vejam só esta notícia: Arábia Saudita invade casa e prende cristãos simplesmente por praticarem o cristianismo….. qual moral tem um regime nazista como esse para julgar direitos humanos em nível internacional?

    Organização protesta a favor de cristãos etíopes presos na Arábia Saudita

    35 cristãos etíopes estão presos na Arábia Saudita por “praticarem o cristianismo”

    Os cristãos em Washigton fizeram um protesto contra a prisão de 35 cristãos etíopes na Arábia Saudita. A organização “Internacional Christian Concern” (ICC) e alguns cristãos etíopes protestaram em frente da Embaixada Saudita na segunda-feira, exigindo a libertação dos cristãos que permanecem atrás das grades desde 15 de Dezembro.

    Eles foram presos em uma reunião de oração na casa de um crente chamado Jeddah. Alguns deles já vivem há mais de 16 anos na Arábia Saudita e a promessa de deporta-los no mês de fevereiro não foi cumprida.

    O porta-voz do ICC, Jonathan Racho relata: “Isso foi há mais de três meses, e ninguém ainda foi apresentado perante o tribunal”. Numa conversa telefônica alguns etíopes informaram ao ICC que no início o tratamento com eles foi áspero e que foram pressionados a “abraçar” o Islã.

    Disseram que durante o interrogatório as autoridades sauditas acusavam os etíopes de ter se misturado com o sexo oposto na reunião religiosa. Lei da Árabe Saudita proíbe homens e mulheres, que não sejam membros da mesma família, ficarem juntos no mesmo lugar tal como os crentes estavam.

    Assim eles são acusados de cometer o crime de mistura de sexos na prática do cristianismo. Quando o patrão de um dos detentos perguntou sobre a razão da prisão do seu funcionário a resposta do funcionário saudita foi : “ele estava praticando o cristianismo”.

    Afirmaram a ICC que funcionários sauditas revistaram as mulheres, inclusive nas suas partes íntimas, e espancaram os homens fisicamente e que quando um dos funcionários Saudita chamou os irmãos de animais ouviu destes que eles é que eram incrédulos, disse Racho.

    O porta-voz de ICC está incentivando as pessoas a contatar a Embaixada da Arábia Saudita, especialmente durante o protesto no dia 26 de março, e pedir que eles liberem os nossos irmãos cristãos etíopes, e permitem que eles voltem para a sua terra.

    Traduzido e adaptado de Baptist Press e One New Snow

    Fonte: Gospelprime

  • Chacon

    -

    26/3/2012 às 6:29 pm

    Tudo carta marcada, o que você acha de uma organização que tem seu edifícil num terreno que foi foi doado pelo Rockfeller?

  • neoliberal otimista

    -

    26/3/2012 às 6:20 pm

    Está provado que quem tinha mesmo razão era George W. Bush, que deu um PÉ-NA-BUNDA nesse bando de vagabundos (ONU), ignorou solenemente suas resoluções e mandou bala no Iraque de Saddam Hussein ! Existem no mundo poucas coisas mais INÚTEIS do que a ONU !!!

  • Estado de Direito, já!

    -

    26/3/2012 às 6:14 pm

    -
    -
    GOSTARAI DE sABER O QEU ESSA MOÇADA JÁ FEZ CONTRA O FIDEL E CIA.
    -
    -
    até parece aquele juizinho espanhol que se meteu com o pinochet, quando ele estava mais para lá do que pra ca´…. MAS COM O FIDEL, nada, por que será ????????????????
    -
    -
    DFITADOR DE ESQUERDA, POOOOOOOOOOOODE!!!!!!!!!!!
    -
    -

  • Marcos F

    -

    26/3/2012 às 6:09 pm

    Santa Maria do Rosário em Geral! O Brasil não está?

  • Flavio

    -

    26/3/2012 às 6:04 pm

    Todos os inimimigos de Deus são inimigos de Israel. É fato!

  • Rolando

    -

    26/3/2012 às 6:03 pm

    Eu não sei como algum país civilizado ainda faz parte desse conselho de ditadores, eles deveriam tirar as ditaduras do conselho ou então montar um conselho a parte só com países livres.

  • Marcos

    -

    26/3/2012 às 6:01 pm

    Boa decisaão!!! Parabéns para Israel!!!!

    Realmente, esse tal Conselho de Direitos Humanos da ONU é um lixo.

    Isso aí fez o que acerca do genocídio contra cristãos que está acontecendo no norte da África e no Oriente Médio?

    Fez o que contra Cuba, aquela ditadura genocida?

    Fez o que contra a Farc, o grupo narco-nazista terrorista, que está cometendo genocídio contra o povo colombiano? Aliás, é sempre bom informar que esse grupo terrorista Farc também promove perseguição contra cristãos, atacando igrejas e perseguindo seus membros e líderes.

    Fez o que em relação ao pastor iraniano Youssef Nadarkhani, que foi condenado à morte simplesmente por ser cristão? E fez o que em relação à cristã paquistanesa Asia Bibi, presa, igualmente, por ser cristã?

    E fez o que em relação aos grupos terroristas Hamas, Hezbollah, Jihad Islâmica, cuja finalidade é destruir Israel e exterminar o povo judeu?

    Agora, pra encher o saco de Israel, essa porcaria não perde tempo…..

  • Franklin

    -

    26/3/2012 às 5:54 pm

    O que mais me enoja é covardia desses países que escondem em tais decisões seu verdadeiro, porém não declarado, anti-semitismo.

  • GamoR1

    -

    26/3/2012 às 5:53 pm

    Estamos solidários com Israel.
    ISRAEL é Eterno!

  • Jeremias-no-deserto

    -

    26/3/2012 às 5:53 pm

    Ponto para Israel. O Conselho se transformou no maior valhacouto de porta vozes das tiranias árabes, africans e latinoamericanas. Não serve para nada, a não ser encher a bola desses tiranetes fajutos.

  • Walter

    -

    26/3/2012 às 5:53 pm

    Parece piada e o nosso pais se cala perante aos ditadores que impõem suas regras em prol de um “mundo melhor”. Aqui, nossos governantes, para ficarem bonitinhos aos olhos do conselho, fazem de tudo e mais um pouco. Parabéns povo de Israel estão se livrando do conselho da hipocrisia. Até que enfim uma notícia boa.

  • bastião

    -

    26/3/2012 às 5:44 pm

    Até que enfim acordaram.

  • Cassio

    -

    26/3/2012 às 5:36 pm

    Cuba faz parte do Conselho de Direitos Humanos da ONU. Maria do Rosário e mais 10 mil petistas curtiram isso.

  • os396

    -

    26/3/2012 às 5:31 pm

    O PSTU parece que está a altura do ideal de diretos humanos da ONU.

  • ioca100

    -

    26/3/2012 às 5:23 pm

    Que o povo de Israel viva e, também, todos os outros povos, em paz e em harmonia.Um dia isso acontecerá, que seja o mais breve possível.
    Amém e amém, selah.

  • @Medeyer

    -

    26/3/2012 às 5:16 pm

    Um orgão q convida um terrorista do Hammas para palestrar sobre direitos humanos na ONU ( http://t.co/HmwqqRAI ), vc quer o quê? Os Eua já haviam alertado a ONU sobre esse viés tendencioso ( http://t.co/wk1eMydg )
    Hipócrita ainda é pouco… dê uma olhada nesse link e segure seu queixo, Rei: http://t.co/XyCeNh8K
    #ShameUNHR!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados