Blogs e Colunistas

21/11/2006

às 3:37

Empreiteiras que trabalham para a Petrobras doaram R$ 2,5 milhões a petistas

Por Rubens Valente e Leandro Beguoci na Folha desta terça: “Cinco empreiteiras associadas da Abemi (Associação Brasileira de Engenharia Industrial) e que mantêm contratos com a Petrobras doaram, juntas, R$ 2,5 milhões para políticos do PT em vários Estados. As empresas UTC, Genpro, Engevix, Potencial e Odebrecht mantêm pelo menos R$ 775,6 milhões em negócios com a petroleira, segundo levantamento feito pela Folha. Ontem, o jornal ‘O Globo’ revelou que em março último a Petrobras e a Abemi assinaram um convênio, sem licitação, no valor de outros R$ 228,7 milhões, com validade até 2008. Em nota divulgada ontem, a Petrobras afirmou que os recursos enviados à Abemi, para um programa de qualificação profissional, não chegam às empresas filiadas. A estatal não confirmou se mantém contrato direto com as empresas filiadas da entidade. A análise da base de dados da estatal confirmou dois contratos com a UTC, no valor de R$ 177,4 milhões, dois com a Genpro, de R$ 20 milhões, sete com a Engevix, no valor de R$ 460,5 milhões, 20 com a Potencial Engenharia, no valor de R$ 100,7 milhões, e um no valor de R$ 17 milhões com a Norberto Odebrecht. A maioria dos contratos foi feita pela modalidade de convite, que prevê uma disputa entre concorrentes. A Abemi, entidade sediada em São Paulo que reúne empresas de engenharia, é presidida por Ricardo Ribeiro Pessoa, proprietário da UTC Engenharia. A empreiteira doou R$ 1,3 milhão para políticos do PT -88% do total que distribuiu na campanha. A maior parte das doações da UTC, de R$ 700 mil, foi para o candidato derrotado ao governo de Mato Grosso do Sul, senador Delcídio Amaral (PT-MS). Antes de entrar no partido, Delcídio foi diretor da área de gás da Petrobras, em 1999. O último repasse da UTC para Amaral, de R$ 400 mil, ocorreu no dia 26 de outubro. Um dia depois, a Genpro, outra empreiteira com negócios com a Petrobras, depositou R$ 300 mil na conta do comitê financeiro único do PT de Mato Grosso do Sul. Outra empresa integrante da Abemi, a Potencial Engenharia, fez uma única doação em seu nome. Foram R$ 60 mil para Jaques Wagner (PT), governador eleito da Bahia. Integrante da Abemi, a Engevix Engenharia também privilegiou políticos do PT. De um total de R$ 880 mil em doações, a empresa destinou R$ 365 mil para políticos do partido. Como nos casos da UTC e da Genpro, a Engevix destinou recursos à campanha de Delcídio Amaral (PT-MS), R$ 200 mil.” Assinante lê mais aqui
Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

16 Comentários

  • Yuli Daniel Dantas

    -

    8/4/2010 às 12:09 pm

    ATT:

    A Empresa.

    Gostaria de uma oportunidade de estágio em alguma empresa que preste serviço a Petrobrás,pois sou estudante do curso de Tecnólogo da FIB em Petróleo e Gás, cursando o 3° semestre.

    Atenciosamente,

    Yuli Daniel Dantas

    Salvador- Ba

  • Amilton

    -

    24/12/2009 às 1:56 pm

    Por favor encaricidamente peço a gentileza de qualquer pessoa que veja esse recado que possa me encaminhar o email ou telefone de contato das empresas que prestam serviços tercerizados para a Petrobras pois necessito urgente de uma oportunidade de trabalho pois tenho familia para sustentar e proporcionar uma condição digna e prospera aos meus familiares pois me encontro cerca de 3 anos sem trabalho e imaginem so um pai de familia sem condições de sustento para a sua familia e que natal poderia estar proporcionando a eles cito minha familia nessas condições agradeço a quem puder me ajudar e me escrever e desejo boas festas e um feliz 2.010 a todos aqueles que leiam essa mensagem Amilton

  • Fernando Fraga

    -

    6/12/2009 às 7:43 pm

    Bom dia, estimado(a) Senhor(a),
    Me perdoe por utilizar este meio para tentar encontrar empresas que estejam a serviço da Petrobrás, em montagens módulos ou equipamentos, instrumentos, Start-up de plantas, etc,,, Cheguei recentemente de outro país, onde estive fazendo un post-grado, mesmo sendo brasileiro por ter estado,mais de meia dúzia de anos fora, busco através de pessoas virtuosas que ajudem a retomar o camnho.
    Podem me ajudar ?

    Desde já meus sinceros AGRADECIMENTOS

    Fernando Fraga

  • Paulo Pedro

    -

    14/11/2009 às 5:55 pm

    Que tamanha bondade,ou melhor caridade,com o dinheiro do povo brasileiro,mas reclamar, pra que vc tem algum amigo nesta boquinha da Petroleo Brasileiro,que pena que eu não consigo,nem passar perto,pois aos amigos da corte,a lei,aos inimigos o rigor da lei,quem sabe um dia,tudo muda……vc acredita em papai noel,chapéuzinho vermelho,etc…..então vai esperando a melhor maneira é aprendemos a votar e participar das questões em nossas comunidades…..grato…..p/p

  • Anônimo

    -

    21/11/2006 às 7:14 pm

    Alô Reynaldo!

    Lembra-se a forma discreta com o que o Senador Eduardo Dutra (PT/SE) saiu (de fininho,diria Bob Jeferson) da presidência da Petrobrás, logo que começaram as investigações do “valérioduto”? Se o TCU pudesse e a oposição quizesse, uma boa auditoria (po rque não uma CPI?) ajudaria a desvendar a caixa-preta da petrossaura petrobrás. Tome ufanismo e proselitismo contra a privatização, compreende-se bem por que.

  • Anônimo

    -

    21/11/2006 às 6:43 pm

    PRIVATIZACAO E A SOLUCAO.

  • Anônimo

    -

    21/11/2006 às 6:42 pm

    No pais que mais cresce no mundo – China, os parlamentares nao tem salario. Sao voluntarios. Que exemplo a ser seguido!

  • JustoVeriçimoDeputado

    -

    21/11/2006 às 1:59 pm

    Novidade…
    Esse emaranhado de números tanto faz sair de prestação de contas, de TCU ou tábua de logaritmos, ninguém entende, não serve pra nada.
    Nem revolta mais a gente consegue sentir porque sabe que mudam as moscas mas a m… é a mesma sempre.

  • NÃO ESQUEÇO

    -

    21/11/2006 às 11:57 am

    Essa é mais uma das milhares de provas para justificar uma profunda reforma política no Brasil, inclusive sobre doações de campanha, pois não é admissível que alguém que presta serviços a uma empresa pública dê dinheiro para deputados da base aliada do governo. Isso cheira a maracutaia, para usar um termo lulista.

    Tem de ser feito o seguinte: quem doar dinheiro a político não pode contratar com o futuro governo que recebeu os recursos, nem ao qual esse político servir, caso seja parlamentar. Aí vamos ver quem são os “bonzinhos” que vão financiar os políticos.

    Outra coisa, essa história de financiamento público de campanha: nem pensar! Dinheiro público é para financiar saúde, educação, segurança etc.

    Tenho outra sugestão: que a campanha seja financiada com dinheiro público, mas se os mandatos forem gratuitos.

    Sobre esse tema, tenho outra sugestão, que inclusive é usada em muitas cidades da Alemanha: que os deputados, senadores e vereadores, não tenham salários fixos e sejam remunerados por cada sessão que comparecerem, pois, somente assim evitaremos a transformação de cargos políticos em meio de vida, como ocorre com a maioria dos políticos brasileiros.

  • bira

    -

    21/11/2006 às 11:46 am

    é inveja sua Reinaldo…kakakaka..a cara de pau petralha é motivo para o guiness 2008!

  • Anônimo

    -

    21/11/2006 às 11:01 am

    Reinaldo o Brasil não precisa dessa classe de politicos que só pensam em reais, principalmente os campanheiros. A melhor forma de acabar com bandidos e dificultar a forma de arrumar dinheiro. Cabe aos politicos idôneos organizar um projeto de que dinheiro público é do povo e governos devem gerencia-los para o povo, com muita clareza. Deixar governos adminitra-los sem ter a plicação direta e obrigatoria, e como mandar o lobo cuidar dos três porquinhos. Sem forma de se apoderar do econômico fecha-se o ciclo dos interessados na política suja.

  • Anônimo

    -

    21/11/2006 às 6:35 am

    É decididamente uma festa em que o povo só paga as despesas e nem é convidado.

  • Anônimo

    -

    21/11/2006 às 5:54 am

    Texto corrigido
    Ninguém é ingênuo de acreditar que esta dinheirama toda foi retirada de uma margem de lucros ética, significando tirar o pão e a manteiga da mesa dos doadores para a Petrobrás. São (foram) totalmente embutidos nos negócios passados (inclusive nos tempos de FHC, Sarney, Itamar, Collor, etc). Tudo para que o “cartel” se mantenha “lucrativo” e possa “sobreviver”. No final das contas, é dinheiro público, embora saídas de entidades privadas, pois a “retribuição” às “doações” (“concorrências públicas manipuladas”), é com dinheiro público…

  • Anônimo

    -

    21/11/2006 às 5:24 am

    Ninguém é ingênuo de acreditar que esta dinheirama toda foi retirada de uma margem de lucros ética, significando tirar o pão e a manteiga da mesa dos doadores para a Petrobrás. São (foram) totalmente embutidos nos negócios passados (inclusive nos tempos de FHC, Sarney, Itamar, Collor, etc). Tudo para que o “cartel” se mantenha “lucrativo” e possa “sobreviver”. No final das contas, é dinheiro público, embora saídas de entidades privadas, pois a “retribuição” com “doações” a candidatos, é com dinheiro público…

  • Zappi

    -

    21/11/2006 às 5:23 am

    Isto se chama suborno. Privatizem a PETROBRÁS já!!! O Brasil não pode esperar.

  • no site de Claudio Humberto

    -

    21/11/2006 às 3:53 am

    “Golpe baixo

    É grande a revolta em comunidades do Orkut com o ataque do jornalista Mino Carta ao filho do colunista Diogo Mainardi, que tem paralisia cerebral.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados