Blogs e Colunistas

02/10/2013

às 18:45

Dilma volta a demonizar os médicos brasileiros, acusando-os de negligentes. E dá a receita: os brasileiros não precisam nem de hospitais nem de postos de saúde, mas de cubanos que possam apalpá-los

A presidente Dilma Rousseff esteve no Rio Grande do Norte para inaugurar três institutos federais de educação e concedeu duas entrevistas a rádios locais. E aproveitou para demonizar os médicos, categoria que, pelo visto, vai servir de saco de pancada da campanha eleitoral petista. Disse a governanta:
“Uma pessoa me disse: ‘O médico não me toca’. Ela queria que o médico tocasse nela. Ela queria que o médico lhe tocasse, aquilo que a gente, pelo menos eu, meu médico sempre me apalpou, olhou o coração, olhou a garganta.”
A gente perdoa o uso muito particular que Dilma faz da língua portuguesa, quase um idioleto às vezes. O “apalpar”, claro!, está no sentido mais denotativo possível: “tatear, tocar com as mãos”.

As palavras, então, fazem sentido. Quando a presidente afirma que seu médico “olha o coração”, “olha a garganta”, está fazendo uma acusação generalizada de descaso que atinge toda uma categoria profissional. Por um desses milagres de opinião pública de que só o petismo é capaz — em razão da Al Qaeda eletrônica que o partido controla com o intuito de difamar os inimigos da vez —, Dilma está apontando os supostos culpados pela calamidade que vive a saúde no Brasil: os médicos!!!

Pois é… Quando Dilma assumiu o governo, anunciou as suas metas para 2011 As mais vistosas na área de Saúde eram a construção, NAQUELE ANO, de 2.174 Unidades Básicas de Saúde e de 125 UPAs (Unidades de Pronto Atendimento). Só para não deixar passar: as metas de 2011 incluíam ainda 3.288 quadras esportivas em escolas, 1.695 creches (seriam 5 mil até 2014) e 723 postos de policiamento comunitário. Não tente saber o que aconteceu com cada uma dessas promessas. Elas sumiram do mapa. No ano que vem, a presidente as renova, entenderam?

O fato é que a saúde mergulhou no caos — e Dilma, é bom que vocês saibam, não vê a hora de se livrar de Alexandre Padilha, o ministro da pasta. Vai fazer de tudo para tentar elegê-lo governador de São Paulo. E aí os paulistas que se virem. Não que ela saiba direito o que fazer na área. Ocorre que ele também não. O programa “Mais Médicos” é, assim, um golpe marqueteiro para supostamente oferecer atendimento à população em postos caindo aos pedaços, sem infraestrutura, remédios, ataduras, nada. Na noite de ontem, no entanto, no “Profissão Repórter”, da Globo, comandado por Caco Barcellos, ficamos sabendo que os brasileiros pobres recebem os médicos estrangeiros sob aplausos, com solenidade e até festinha. Restou a sugestão de que as vilãs são mesmo as associações médicas, que resistem ao programa.

O governo petista tem algumas marcas na área de saúde, conforme noticiei aqui no dia 22 de agosto. Entre 2002, último ano do governo FHC, e 2005, terceiro ano já do governo Lula, o número de leitos hospitalares havia sofrido uma redução de 5,9%. Era, atenção!, A MAIS BAIXA EM TRINTA ANOS! Números fornecidos pelo PSDB? Não! Por outra sigla: o IBGE. Em 2002, havia 2,7 leitos por mil habitantes. Em 2005, havia caído para 2,4. A OMS recomenda que essa taxa seja de 4,5. “Ah, Reinaldo, de 2005 para cá, já se passaram oito anos; algo deve ter mudado, né?” Sim, mudou muito! O quadro piorou enormemente: a taxa, agora, é de 2,3 — caiu ainda mais. E caiu não só porque aumentou a população, mas porque houve efetiva redução do número de leitos púbicos e privados disponíveis: só entre 2007 e 2012, caíram de 453.724 para 448.954 (4.770 a menos).

No dia seguinte, em outro post, informava que, entre 2005 e 2012, o SUS havia perdido 41.713 leitos — vale dizer: hospitais privados pediram descredenciamento do sistema por causa da tabela indecorosa.

Mas agora tudo será diferente, não é mesmo? Dilma não fez as UPAs prometidas, não fez as UPs prometidas, e, durante o governo do PT, o número total de leitos no país caiu 15%, e o SUS perdeu 41.713.

Tudo besteira! O que os brasileiros precisam é de cubanos que os apalpem.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

217 Comentários

  • Cinara Marinho

    -

    15/10/2013 às 1:21 am

    a senhora presidente deveria ter mais respeito com a classe medica brasileira. Ao falar isso ela esta confirmando que nossos medicos nao sao capazes de exercer seu trabalho. Ao inves de tantas asneiras falar, porque a presidente nao da qualidade, remedios, alem do salario, e claro, para que esses nossos medicos, uma grande maioria, muito bem intencionado possa exercer sua funcao digninamente?

  • Vladia Carvalho

    -

    7/10/2013 às 3:08 pm

    Só a título de conhecimento, Sr. Ary Magalhães: os bolsistas que são a maioria que o Sr diz, são os que o PT pagou para estudarem fora do Brasil e estão voltando agora pelas portas dos fundos. Porque os que fizeram faculdades públicas no Brasil, com certeza são excelentes médicos, pois tiveram capacidade de passar no Vestibular de Universidades concorridíssimas. E, aí meu ver, a culpa do caos no país, não só na Saúde, é de todos os políticos corruptos que só visam benefício próprio! E em nenhum momento exercem seu cargo para o bem estar do país!!!

  • roberto caldeira soares

    -

    5/10/2013 às 5:40 pm

    É o mesmíssimo caso da Educação Pública: O governo destruiu a disciplina em sala de aula, impedindo os alunos delinquentes de serem punidos, assim como obrigando os professores a aprovar a maioria dos alunos, mesmo se tiverem notas baixas.E ainda coloca a culpa nos professores, que “não sabem lidar com esta nova geração de alunos”. Assim como a cracolândia é uma instituição criada, apoiada e mantida pelo governo, a escola que não ensina é outra grande invenção do comunismo petralha.

  • Daniel Rezende

    -

    5/10/2013 às 2:47 pm

    Dona Dilma, dona Dilma… apalpar pacientes é indevido.
    A senhora como presidente desta nação deveria tomar mais cuidado com o que diz. Seu cargo é muito importante para continuar a proferir as asneiras que o seu ministro Padilha tem lhe orientado a dizer. Lembre-se que ele não é médico de verdade.
    Médico de verdade realiza o exame físico dona Dilma… Não poderia esperar que entendesse a diferença por mais que a senhora e a maioria do povo brasileiro acredite conhecer profundamente a minha bela a antiga profissão. Eu mesmo, após mais de 10 anos de formado, ainda não a compreendo em todas suas nuances, desejos subjetivos e necessidades objetivas mas isto é assunto para quem vivencia o dia a dia de um consultório médico, salvando vidas uma consulta por vez sem demagogias ou pseudociência. Assunto de quem se dedica a manter a honra da medicina brasileira como uma das melhores do mundo, reconhecida por pares internacionais e com grandes nomes em sua história. Gostaria de lembrá-la que também faz parte essencial do ato médico a anamnese mas isso seria muito difícil da senhora entender já que acedita também que o médico não precisa falar a mesma língua do doente bastando que o apalpe para curá-lo. Que o povo brasileiro, mesmo aquele que me aflige neste momento com impropérios descabidos influenciados pela cruel postura deste governo tresloucado, saiba que nós médicos de verdade estaremos aqui para ajudá-los sempre que necessitarem e não os abandonaremos ao xamanismo e retrocesso que a dona Dilma insiste em instaurar em nosso país.

  • Ary Magalhães

    -

    5/10/2013 às 1:04 pm

    Acabou já. A culpa de toda falência da saúde no país é dos médicos brasileiros. Para os bolsitas que são a grande maioria.

  • Nina

    -

    4/10/2013 às 4:12 pm

    Por que Dilma nao foi tratar do câncer com os medicos de Cuba como fez Hugo Chaves?

  • estudante primario

    -

    4/10/2013 às 2:41 pm

    Sr reinaldo eu tenho uma idea !! ja que lamentaveil mente estas dois figuras sao victimas desa enfermedade tao infame !! pergunto perguntandole na cara mesmo!!!!
    PORQUE A SENHORA NAO SE TRATA COM UN ONCOLIGISTA CUBANO ,, AQUI MESMO NO BRAZIL!!!
    E AO OUTRO SENHOR !! PORQUE NAO MANDA FAZER A QUIMIO LA NOS LABORATORIOS DE CUBA , QUIEN SABE DESCUBREN QUE O VIRUS NO E DOS AMERICANOS SI NAO DE SUA PROPIA IGNORANCIA BANDIDA..!!! ALGUIEN SE CANDIDATA A PASAR POR ESTE DESAFIO !! CLARO QUE NO COVARDES … VOCES SAO UMA BANDO DE MEQUETREFES QUE PENSAN QUE ENGANHAN AO POVO…. VAN A ESTUDAR SI E QUE CONSEGUEN!!!

  • estudante primario

    -

    4/10/2013 às 2:38 pm

    Sr reinaldo eu tenho uma idea !! ja que lamentaveil mente estas dois figuras sao victimas desa enfermedade tao infame !! perguntp perguntandole na cara mesmo!!!!
    PORQUE A SENHORA NAO SE TRATA COM UN ONCOLIGISTA CUBANO ,, AQUI MESMO NO BRAZIL!!!
    E AO OUTRO SENHOR !! PORQUE NAO MANDA FAZER A QUIMIO LA NOS LABORATORIOS DE CUBA , QUIEN SABE DESCUBREN QUE O VIRUS NO DOS AMERICANOS SI NAO DE SUA PROPIA IGNORANCIA BANDIDA.. ALGUIEN SE CANDIDATA A PAZAR POR ESTE DESAFIO !! CLARO QUE NO COVARDES … VOCES SAO UMA BANDO DE MEQUETREFES QUE PENSAN QUE ENGANHAN AO POVO…. VAN A ESTUDAR SI E QUE CONSEGUEN!!!

  • Thais

    -

    4/10/2013 às 2:28 pm

    Acho engraçado como é fácil distorcer a real situação e colocar a culpa em profissionais que se dedicam anos a finco, muitas vezes, sem vida própria.
    O governo dissimula a situação para justificar a má administração pública e os extremados desvios de verba.
    É simples promulgar uma MP, inconstitucional,dizer ser a salvação do Brasil. A questão é de estrutura, investimentos!! Não de formação, como é a ideia que se pretende incutir! Ótimo pagar um Albert Einstein e ser atendido pelos melhores BRASILEIROS, difícil e ser um medico PSF nos rincões do país sem qualquer estrutura.
    Com uma política populista o que pretende o governobfederal é a distribuição de pão, pizza e circo a um Brasil ainda carente de espírito

  • MAIS MÉDICOS ESTRANGEIROS?

    -

    4/10/2013 às 11:47 am

    Com a devida vênia, respondendo à má informação do Senhor Paulo – (03/10/13 às 15:46) na sua instrução. Senhor Paulo, talvez, Vossa Senhoria não tenha tido tratamento adequado por um profissional despreparado, inadequado, ou …, muito pior, por um falso médico. Entretanto, em se tratando de CRM, sob o meu ponto de vista é uma instituição autárquica que atua com o extremo rigor em cumprimento às Leis e Regulamentos Internos. Fundamento, assim, porque conheço médicos amigos que atuam por décadas e, os mesmos tem recebido inúmeras advertências quase que punitivas do CRM, em razão da existência de inúmeros casos, tais como, os mais frequentes de Atestados Médicos ilícitos ou falsos expedidos em nome deles. Para se livrarem dessas notificações(advertências), os mesmos, tem tido o trabalho de registrar o Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia, muitas vezes, com muita dificuldade em razão de certas burocracias impostas para, posteriormente, contestar junto ao CRM, justificando e provando que os documentos não são de emissão de suas titularidades. O procedimento é um martírio para o profissional médico, tendo em vista que, o lapso tempo de espera pelo julgamento leva certo tempo para que a comissão de ética de conselheiros analise, até o seu parecer conclusivo. O Senhor, já pensou na dificuldade e bagunça que irá ficar com a contratação de MAIS MÉDICOS ESTRANGEIROS em nosso país? Haja fôlego para as burocracias criadas pelo governo federal e o aumento de trabalho na área de fiscalização médica. Será que o governo irá dar suporte financeiro para as entidades? Dificilmente, não!

  • antonio

    -

    4/10/2013 às 10:59 am

    e muito triste reinaldo como a classe medica esta sendo tratada no governo dessa terrorista.medicos aposentados proibidos de fazer psf,tendo que se conformar com 3 mil reais de aposentadoria.agora querem tirar do conselho federal de medicina o poder de vetar medicos duvidosos,com documentos feitos e cuba. e a classe medica sofre calada.pessoal acabou a dignidade?a vergonha na cara?quanto a presidente ser apalpada no einstein e opçao dela.presidente dizem que os cubanos sao bons apalpadores…….

  • Anónimo

    -

    4/10/2013 às 10:24 am

    Com a devida vênia, respondendo à má informação do Senhor Paulo – (03/10/13 às 15:46) na instrução. Senhor Paulo, talvez, Vossa Senhoria não tenha tido tratamento adequado por um profissional despreparado, inadequado, ou …, muito pior, por um falso médico. Entretanto, em se tratando de CRM, sob o meu ponto de vista é uma instituição autárquica que atua com o extremo rigor em cumprimento às Leis e Regulamentos Internos. Fundamento, assim, porque conheço médicos amigos que atuam por décadas e, os mesmos tem recebido inúmeras advertências quase que punitivas do CRM, em razão da existência de inúmeros Atestados Médicos ilícitos ou falsos expedidos em nome deles. Para se livrarem dessas notificações(advertências), os mesmos, tem tido o trabalho de registrar o Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia, muitas vezes, com muita dificuldade pelas burocracias impostas para, posteriormente, peticionar junto ao CRM, justificando e provando que o documento não é de sua expedição. O procedimento é um martírio para o profissional médico, tendo em vista que, o lapso tempo de espera pelo julgamento leva certo tempo para que a comissão de ética de conselheiros analise o caso, até o seu deferimento. O Senhor, já pensou na dificuldade e bagunça que irá ficar com a contratação de MAIS MÉDICOS ESTRANGEIROS em nosso país, a responsabilidade e o trabalho de fiscalização a ser perseguida pelo órgão do CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA?

  • Cristina Valentim

    -

    4/10/2013 às 10:21 am

    Esse negócio da apalpada deve ter sido ensinado no curso intensivo de medicina, português, de uma semana que os médicos estrangeiros receberam. Ontem assisti uma entrevista com um médico espanhol que alegou que a paciente precisa as vezes somente de um sorriso. E o pior a paciente falou que a consulta tinha sido ótima, comentou até que ele explicou tudo direitinho, é claro, estava om o sorriso no rosto.
    Sei não, quando entrar num hospital público e encontrar um médico participante deste projeto, com um sorriso aberto, vou procurar um outro para checar as orientações.

  • Ana Eliza

    -

    4/10/2013 às 9:52 am

    ReinaldoXXXXXXXX na cascuda!

  • luiz antonio - rj

    -

    4/10/2013 às 9:04 am

    A gerenta deve ficar muito feliz no atendimento médico no Albert Einstein. É examinada e palpada com muita competência. E a custo exorbitante pago pelo contribuinte. Só assim a sílfide se sente “apalpada”. Ela viaja…

  • Luciano

    -

    3/10/2013 às 11:28 pm

    Sou médico formado em 2005. Apesar de alguns não acreditarem ser médico no Brasil já não é mais a profissão do futuro. Trabalho na rede pública e no “sistema” privado, ando tão desanimado e sem perspectivas de que algum dia as coisas vão melhorar que estou pensando em parar de exercer a profissão e abrir um negócio. Nove anos de estudos (faculdade + especialização)para isso. Não somente pelo programa mais médicos. Mas pelo sistema degradante que se transformou a saúde tanto pública como na maioria da rede particular onde somos reféns dos planos de saúde.
    Os próprios médicos se prostituíram em aceitar condições de trabalho inadequadas no serviço público ou por preços irrisórios nas consultas pagas pelos planos de saúde.
    Isso levou a grande maioria a não mais apalpar como diz a presidenta, pois o médico tem que atender rápido ou pela grande demanda muitas vezes mal direcionada devido a falta de funcionamento no fluxo de atendimento da rede pública ou para garantir a sua renda com as consultas a preços vis dos planos de saúde ou vc acha que é barato manter um consultório aberto.
    Hoje parece que todo mundo é contra o médico. O paciente é desconfiado, com os familiares então nem se diga, pois muitas vezes o desrespeito é a regra.Sem falar nos planos de saúde que só sabem dizer Não, Não e não. Para piorar sem a aprovação do ato médico já tem gente diagnosticando e prescrevendo sem fazer medicina.
    Pra vc que é da área da saúde ou entende como funciona o atual sistema de saúde na pratica, deixo a pergunta; Tem jeito? Desanimador não…

  • Gustavo

    -

    3/10/2013 às 10:50 pm

    Claro que os pacientes sofrem com um atendimento inadequado agora: com os malditos “gestores” da saúde exigindo níveis absurdos de produtividade, como alguém pode fazer um exame adequado (o “apalpar” da Dilma)? Não vai demorar nada, e os cubanos escravizados vão fazer a mesma coisa, pois como escravos institucionalizados, eles podem ser submetidos a níveis muito mais absurdos de exigência, sob penalidades provavelmente cruéis. Eles vão começar a tratar só com o olhar. Eu acho ridículo esse governo achar que a saúde só se faz com médico. E a grande maioria, os necessitados, permanecerão padecendo com a ilusão de estarem na bonança. E os índices de saúde não vão melhorar. Do que adianta qualquer tipo de médico se ele só vai poder passar paracetamol? Não adianta nenhum deles, seja o brasileiro, cubano, argentino, marciano, jupiteriano, kriptoniano, do Reino das Águas Claras (que fez a Emília falar)…

  • Jorge

    -

    3/10/2013 às 10:14 pm

    Tio Rei,
    Fila de espera para primeira consulta no INCA beira 03 meses para algumas especialidades. Faltam leitos e recursos humanos em oncologia (alta complexidade). Acontece em todas as áreas de alta complexidade no SUS. Desesperador ver os pobres coitados dos pacientes, perplexos, sem qualquer direção. A contratação de médicos que fingem que clinicam e fingem que recebem é um insulto à população e à classe médica.

  • eduardo

    -

    3/10/2013 às 8:11 pm

    A nossa presidente e o seu cabo eleitoral (Lula) tiveram os
    melhores médicos e hospitais, à custa de nossos impostos.
    Será que eles teriam coragem de entregarem suas vidas nas mãos de médicos Cubanos? Nossos médicos são competentes, o problema é a falta de condições de trabalho. Não tem como tapar o sol com a peneira. Este Brasil não é um pais sério…

  • junior

    -

    3/10/2013 às 7:44 pm

    ReinaldoXXXXXXX na cascuda!

  • Katiane Castro

    -

    3/10/2013 às 7:24 pm

    ReinaldoXXXXXXX na cascuda!

  • réPTil

    -

    3/10/2013 às 6:44 pm

    Prezado Reinaldo: sou médico, portanto suspeito para falar. No entanto posso dar um testemunho, o qual a maioria de seus leitores já sabe por experiência própria. A situação dos leitos hospitalares está tão crítica que nem mesmo na rede particular você consegue encontrar leitos disponíveis. Sei que pode parecer apocalíptico, mas a situação está abaixo da crítica, exceto se você for um dos privilegiados do Sirio-Libanês.

  • Emerson

    -

    3/10/2013 às 6:41 pm

    Caro Paulo, pelo visto você não é da área da saúde, basta abrir o jornal do CREMESP, na penúltima e última páginas para ver as punições e advertências aos médicos, e é assim com todos os CRMs.
    É sim em UPA e UBS que se usam ataduras, afinal são nelas que seriam atendidos todos os pacientes, antes de irem ao hospital e são necessária ataduras para fazer curativos, dos mais simples aos mais complexos.
    Lá também são necessários analgésicos, luvas, fios de sutura, disponibilidade de exames, entre outros, que já cansei de reclamar, e o governo vai levando com a barriga e com o marketing.
    E por fim, qual a diferença que farão 4000 médicos em um país que forma quase 18000 médicos por ano?
    Sem mais

  • Janilson Carvalho

    -

    3/10/2013 às 6:14 pm

    Ela mereceu as vaias!

  • Claudemir

    -

    3/10/2013 às 4:57 pm

    ReinaldoXXXXXXX na cascuda!

  • paulo

    -

    3/10/2013 às 3:46 pm

    CRMs não servem ao país, não punem erros medicos,apenas serem a si mesmos,embora seja verdade quanto aos leitos hospilares, saúde não se faz apenas com internações , e corrigindo ataduras se faz em UPA não em UBS, portanto só o medico serve,mas tudo isso REINALDO ja sabe MAS IGNORA POR CONVENIENCIA,OU SERA MA FE???Agora quem acredita nas boas intenções dos medicos????

  • Valdivino Diniz

    -

    3/10/2013 às 3:35 pm

    A Cada dia mais eu fico impressionado com a forma que este governo Comunista do PT trata a Saúde, trabalhadores da saúde e os pctes do Sus!!
    Será mesmo que o povo Brasileiro acordou????

  • nauseada

    -

    3/10/2013 às 3:14 pm

    PSICOSSEMIÓTICA E O IDIOLETO …
    Idioleto é a atividade semiótica, produtora e/ou leitora das significações – ou o conjunto de textos relativos a isso -, própria de um autor individual, que participa de um universo semântico dado. Na prática das línguas naturais, as variações individuais não podem ser muito numerosas nem constituir desvios muito grandes: elas correriam, assim, o risco de interromper a comunicação interindividual. Neste sentido, são consideradas geralmente como fenômenos de superfície, que afetam, em primeiro lugar, os componentes fonético e lexical da língua. Em estado puro, o idioleto depende da psicolingüística patológica e poderia ser identificado com a noção de autismo.
    GREIMAS, A. J. e J. Courtés
    *
    NO CASO:IDIOLETO=>DIALETO …

  • Francisco Roberto

    -

    3/10/2013 às 2:55 pm

    Reinaldo, se você me permite a sugestão, a matéria que segue abaixo merece ser lida:

    http://m.g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2013/10/universitario-se-recusa-fazer-trabalho-sobre-marx-e-escreve-carta.html

    Acho que merece um comentário seu e se você acessar o link talvez venha a concordar. Abs,

  • Indignado

    -

    3/10/2013 às 2:48 pm

    Eu acho que o PSDB não é oposição coisa nenhuma. No fundo, no fundo, acho que gostariam de se fundir aos petralhas. Ja ouvi essa conversa antes, ainda no tempo da primeira candidatura (derrotada) de Serra.

  • John

    -

    3/10/2013 às 2:35 pm

    Acontecido no MA.

    “Paciente 30 anos , febre há vários dias , hemoptise (sangue + catarro ao tossir) , dor torácica , tosse produtiva. Diagnóstico: Dor muscular. Conduta: Diclofenaco de sódio (antiinflamatório não esteroidal)”

    Aí eu te pegunto? Quem atendeu? Cubano! Óbvio que o cara não tem formação em medicina. Seria impossível isso. No RX dele apareceu uma bela de uma condensação em lobo inferior direito. Diagnóstico verdadeiro: Pneumonia comunitária. Conduta: Internação urgente + antibioticoterapia.

    O paciente já está melhor e foi orientado a registrar BO. Enviaremos as fotos do RX, receituário para o CRM-MA para averiguar o caso.

  • Marcos

    -

    3/10/2013 às 2:20 pm

    Corrigindo social nao, fiscal

  • Marcos

    -

    3/10/2013 às 2:18 pm

    A soluçao para contrataçao de medicos no Brasil é bem simples, tirem a contrataçao de medicos do teto da lei de responsabilidade social. Pensem nisso…

  • luiz ferreira

    -

    3/10/2013 às 2:11 pm

    Que preparo … tem para vir falar mal dos médicos brasileiros? Assim como o Lula, acha que a sua situação atual, lhe dá o direito de sair falando besteiras e asneiras, que tudo vira verdade. No seu raciocínio ilogico e desvirtuado, julga que nossa inteligência está no nível primitivo da “inteligência” dos seus companheiros de partido e a dos seus eleitores. Nós não caímos nesta conversa e respeitamos todos os profissionais
    brasileiros que dedicam sua vida aos estudos a fim de minimizar o sofrimento alheio.

  • Mako

    -

    3/10/2013 às 1:52 pm

    Reinaldo, alguém precisa contar estas coisas para a “oposição” porque sozinhos eles não conseguem descobrir…

  • José Machado

    -

    3/10/2013 às 1:45 pm

    Espero que a classe médica dê uma resposta enérgica nas próximas eleições. Reajam à altura do desrespeito aos CRMs imposto pelo Ministério da Doença. Mas, afinal, o que significa respeito para o PT que sempre passou e continua passando por cima das leis? Cuidado, gente, pelo andar da carruagem, logo veremos em nossa bandeira a inscrição República Bolivariana do Brasil, aquela que transforma as mentiras em verdades.

  • Yrenys

    -

    3/10/2013 às 1:40 pm

    Reinaldo, está chegando uma nova leva de cubanos. Pasme… eles estão com bandeirinhas de time de futebol.

  • Yrenys

    -

    3/10/2013 às 1:35 pm

    Vi o programa do Caco e achei os médicos cubanos muito assanhadinhos. Um deles, ao ser questionado sobre o estado civil, respondeu que a sua esposa é que era casada. Essa história de apalpadelas não vai prestar.

  • rastilho

    -

    3/10/2013 às 1:29 pm

    Os meus pesares aos que se foram.Quem esta vivendo mais:tão certo como eu vivo,os que falam que hoje se vivem mais,espalham uma grande mentira.Aqui,posso escrever alguns dos que já se foram com pouca idade que desmente a tese dos que acham que hoje vive-se mais?Chorão e seu amigo,Raul Seixas,Claudio Cavalcanti,Zacarias,Mussum..,claro que é uma lista grande,posso incluir Cazuza,com isso noticias sobre óbitos. Correu a noticia que estamos vivendo mais,que é uma falácia.Portando,mandou esta noticia,que não tem base nenhuma,inocentes testar:foi para o crack e morreu,foi se meter no olho do furacão,acabou em óbito.Também posso desenhar que testam avenidas movimentadas,atravessando-as.Ora eu já tinha visto mandar pestes,mas em coisas que não se sustentam é a primeira vez.Assim afirmo,só conheci uma pessoa que durou bastante e essa foi vovó margarida,a negra escrava que em sua juventude,viu só Guerra!!

  • JOSÉ DE CPS.

    -

    3/10/2013 às 1:26 pm

    A não ser que o CRM, tambem já esteja contaminado pelo cancer petista, como a OAB, este governo ou seja a sargentona e seus ministros estão merecendo uma resposta a altura da classe médica. A hora que um desses figurões do poder sofrer um “piripaque”, devem pegar um avião e se dirigirem para Cuba, em Havana onde o beiçola de Caracas foi se tratar, cujo resultados todos sabemos. Vão pra lá seus merdas, quando necessitarem de tratamento médico, já que gostam de ser apalpados(as). O CRM, deveria sair em defesa dos médicos brasileiros, dedicados às pesquisas e ao aprimoramento profissional para atender as necessidades e ansiedades daqueles que os procuram, na maioria das vezes são muito mal remunerados. O médico brasileiro é valoroso, é competente, o que falta é o governo fazer a sua parte, oferecer remuneração condizente e condições diginas de trabalho, não estas espeluncas fedorentas que temos visto por aí.

  • João Batista

    -

    3/10/2013 às 1:25 pm

    Mas nem Odorico Paraguasu seria tão discarado. Aliás, se tivesse lido apenas o trecho com o discurso ridículo em vermelho, juraria que se tratava do cachaceiro. A que ponto chegamos.

  • marylago

    -

    3/10/2013 às 1:18 pm

    ReinaldoXXXXXXX na cascuda!

  • Luiz C.

    -

    3/10/2013 às 1:17 pm

    Vamos ver o voto dos médicos e seus familiares em 2014!!!

  • O pecador que se nomeou Juiz dos Juízes escapou por pouco de enfrentar a primavera pendurado em embargos infringentes

    -

    3/10/2013 às 1:16 pm

    Na festa promovida pela OAB para celebrar o 25º aniversário da Constituição de 1988, que o PT se recusou a assinar no dia da promulgação, o ex-presidente Lula confirmou que, se descobrissem que o governo simpatizava com o calendário gregoriano, os ferozes oposicionistas do século passado proporiam a adoção do calendário chinês. “O PT foi o único partido que, no dia da instalação da Constituinte, entregou um projeto de Constituição”, lembrou o palanque ambulante. “Só tínhamos 16 deputados, mas éramos desaforados como se fôssemos 500?. (Desaforado, como ensina o glossário da novílingua lulopetista, é o adjetivo que se deve aplicar a companheiros carentes de juízo e neurônios, que não resistem à tentação da molecagem irresponsável quando deliberam sobre assuntos relevantes).
    “Se a Constituição que a gente apresentou fosse aprovada”, admitiu com o sorriso jocoso de quem retransmite uma previsão de Guido Mantega, “certamente seria ingovernável, porque éramos muito duros na queda”. No glossário da novilíngua, duro na queda é a expressão que designa quem confunde teimosia com coerência, é incapaz de refletir sobre ideias divergentes, rejeita o convívio dos contrários, sonha com o partido único e persegue o poder perpétuo. Há dez anos no controle do governo federal, os devotos continuam tão “duros na queda” quanto nos velhos tempos. O mestre mudou para pior.
    Nesta terça-feira, por exemplo, aproveitou o sarau na OAB para proclamar-se Patrono do Judiciário e Controlador-Geral do Supremo Tribunal Federal. Caprichando na pose de Juiz dos Juízes, informou ter descoberto que os ministros devem usar a toga por menos tempo. “Se tudo no país pode ser renovado, por que um juiz tem que ficar a vida inteira?”, comparou. “Eu acho que tem que ter mandato em tudo quanto é lugar, porque senão as pessoas ficam 35, 40 anos”. Ele garante que a nova fórmula “teria outra vantagem: a alternância”. Mas ainda não decidiu se a idade limite para a aposentadoria “vai ser 75 anos ou vai ficar como está”.
    O fundador do Brasil Maravilha reiterou que, se pudesse voltar no tempo, corrigiria um dos raríssimos erros que cometeu. “Eu teria mais critério para nomear ministros do Supremo”, penitenciou-se com sotaque de pecador no confessionário. Mais critério, no caso, quer dizer mais desfaçatez, ou nenhuma vergonha. Lula nunca levou em conta os dois pré-requisitos constitucionais que antigamente orientavam o preenchimento de vagas no STF: eram indicados pelo chefe do Executivo e sabatinados pelo Senado apenas juristas dotados de notório saber e reputação ilibada.
    Lula sempre indicou (e os senadores engoliram sem engasgos) doutores que lhe pareceram prontos para pagar a toga com a absolvição de bandidos companheiros e cumprir disciplinadamente as determinações do presidente que lhes garantiu o empregão. Com o julgamento do mensalão, descobriu que existem juízes independentes e sem medo. A decepção e o ressentimento induziram o estadista de galinheiro a parir a aberração com que sempre sonharam os bahcaréis de porta de cadeia: a Teoria do Mais Critério.
    Dos ministros nomeados por Lula, permanecem no STF Joaquim Barbosa, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli. Os dois primeiros não chegariam lá se o chefe do Executivo tivesse seguido a teoria que inventou. O nome de Lewandowski foi soprado por Marisa Letícia, que vivia ouvindo da vizinha elogios superlativos ao filho desembargador. A indicação acabou dando certo, mas o primeiro dos selecionados com mais critério foi Dias Toffoli. Duas vezes reprovado no exame para o ingresso na magistratura, ex-advogado do PT, ex-assessor de José Dirceu na Casa Civil, ex-chefe da Advocacia-Geral da União, tinha tudo para brilhar como ministro da defesa dos quadrilheiros do mensalão. Bingo.
    Lula deveria ser mais amável com juízes que qualifica de “ingratos”, caso do já aposentado Ayres Britto e, sobretudo, de Joaquim Barbosa. Se fossem menos clementes, ambos teriam argumentos de sobra para defender a instalação do ex-presidente no banco dos réus. Os ministros fingiram acreditar que Lula nunca soube de nada que ocorria nas salas ao lado, acima e logo abaixo do gabinete presidencial. Também fingiram nunca ter ouvido o que disse José Dirceu mais de uma vez: “Nunca fiz nada sem a autorização do presidente Lula”.
    Se os julgadores optassem por um tratamento menos compassivo, este começo de primavera encontraria o Juiz dos Juízes pendurado em meia dúzia de embargos infringentes. E Dirceu teria muito mais chances de repassar a patente de chefe de quadrilha. ? Augusto Nunes <– Maria Clara

  • Valeria

    -

    3/10/2013 às 1:14 pm

    Quanto custa apalpar, 10.000,00, vou começar a apalpar.

  • JDavid

    -

    3/10/2013 às 1:06 pm

    Vejam, se isto é a forma de um presidente de qualquer país civilizado do mundo se dirigir ao seu povo.
    “Dilma volta a demonizar os médicos brasileiros, acusando-os de negligentes”. E dá a receita: ‘os brasileiros não precisam nem de hospitais nem de postos de saúde, mas de cubanos que possam apalpá-los’”
    Esquece a Presidente Dilma que, já temos casos de assédio moral, pedofilia e ataques de médicos a pacientes, principalmente, às mulheres e às nossas crianças, agora, manda médicos estrangeiros apalparem os brasileiros, mulheres e crianças.
    Nossa polícia não consegue tirar tantos tarados das ruas e agora, já pensou ter que tirar médicos cubanos metidos a “apalpadores” e “engraçadinhos” de brasileiras, brasileiros e de nossas crianças indefesas.
    Esquece também, que o fato, que mais horroriza qualquer pessoa; homem, mulher, idosa ou crianças indefesas é o comportamento “libidinoso” de qualquer profissional, sejam eles, da saúde, segurança, policial, serviço público.
    Talvez, ela goste de ser apalpada por médico cubano, o que é problema dela.
    Ora! Que vergonha excelência das excelências.
    Isto é ridículo e imoral; uma vergonha para o povo brasileiro.
    Até quando teremos que conviver com esta distorção moral em nosso país.
    Convidem os médicos cubamos para apalparem os membros da sua família, apalparem também, o Lula e sua gente.
    Pois vejam, isto é uma desconstrução dos nossos valores mais sagrados, quando sagrado significa; intocável, eterno e de grande valor para nossa gente.

  • toninho malvadeza

    -

    3/10/2013 às 12:56 pm

    Cuidado MÉDICOS do Brasil,vocês são a bola da vez…

  • Muita política, pouca saúde

    -

    3/10/2013 às 12:40 pm

    A cada dia que passa, as peripécias do programa Mais Médicos só reforçam aquilo que se suspeitava desde o seu lançamento – que debaixo da retórica demagógica que o envolve está apenas uma jogada política destinada a favorecer a candidatura do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governo de São Paulo, que é hoje, junto com a reeleição da presidente Dilma Rousseff, o grande objetivo do PT. É isso que explica a sua improvisação – cujas consequências negativas se multiplicam – e o fato de que esse programa não tem muito a ver com as verdadeiras prioridades do setor de saúde.
    Movido pela ânsia de tornar popular o ministro, o governo improvisou aquele programa e atropelou as entidades representativas dos médicos brasileiros. Com uma medida provisória, contornou a obrigatoriedade legal do exame de revalidação dos diplomas dos médicos estrangeiros e dos brasileiros formados no exterior, substituindo-o por um registro provisório a ser dado pelos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs), com base em exigências mínimas.
    Não satisfeito, vem recorrendo à Justiça Federal para obrigar os CRMs de alguns Estados – que a seu ver demoram muito a liberar esse registro – a fazer isso rapidamente. E tem conseguido decisões favoráveis em primeira instância. Inconformado, o presidente do CRM de Minais Gerais, João Batista Gomes Soares, renunciou. Antes dele, seu colega do Paraná, Alexandre Augusto Bley, sentindo-se pressionado pela sofreguidão do governo, já havia feito o mesmo.
    Mas isso ainda é pouco perto do que acaba de acontecer. O governo conseguiu que a Comissão Mista do Congresso que analisa a Medida Provisória do Mais Médicos aprovasse dispositivo que transfere dos CRMs para o Ministério da Saúde o poder de dar o registro provisório aos médicos estrangeiros.
    A matéria ainda precisa ser aprovada pela Câmara e pelo Senado, mas, com a ampla maioria que tem nessas duas Casas, isso será fácil para ele. Em resumo, quem quer que se oponha ao programa será neutralizado.
    O governo não aceita limites e se mostra determinado a passar como um trator sobre as objeções das entidades médicas, que tentam tomar um mínimo de cuidados com relação ao preparo de médicos de cuja competência técnica dependem milhares de vida. Ele vence, mas não convence, porque o seu diagnóstico da saúde no Brasil deixa muito a desejar, para dizer o mínimo. Não podia ser diferente, pois o que o move, antes de tudo, é o interesse eleitoral, não o desejo genuíno de identificar e atacar as deficiências do sistema de saúde brasileiro.
    A falta de médicos, que é real, está longe de ser a principal delas, como quer fazer crer o governo. Antes dela estão, por exemplo, os graves problemas de infraestrutura – referentes a hospitais e equipamentos médicos – que dificultam o trabalho dos próprios profissionais que estão sendo contratados a toque de caixa. Tanto é verdade que o governo parece cego pela paixão política, que o Ministério da Saúde se descuidou de gastar nesse item fundamental o dinheiro que para isso tem disponível em 2013. Até agosto, investiu apenas 26,5% dos R$ 10 bilhões que reservou para a compra de equipamentos e a execução de obras.
    Para onde os médicos cubanos e de outras nacionalidades, que o governo está importando com tanto alarde, vão enviar os casos mais graves que diagnosticarem? Para os corredores de hospitais superlotados que, além de vagas, não dispõem também de equipamentos para os exames necessários?
    Mais grave ainda que esse é o velho e bem conhecido problema da defasagem da tabela de procedimentos do SUS, que cobre apenas 60% dos custos. Como as Santas Casas e os hospitais filantrópicos não têm como arcar indefinidamente com esse prejuízo, já se aproxima o momento em que, ou deixarão de atender pelo SUS, ou irão à falência. E, como respondem por 45% dos atendimentos dos SUS, isto significará o colapso do sistema público de saúde.
    Esses são os verdadeiros problemas da saúde, mas cuidar deles não dá votos a curto prazo. Logo, isso não ajuda o ministro Padilha. [Estadão] Guiomar

  • José Domério

    -

    3/10/2013 às 12:34 pm

    Será que a precisão dela, da magistrada, e daquelas a quem se refere ela, é ser(em) tocada(s)? Mas, diz dos olhos que não tocam. Feliz seu texto. Obrigado.

  • Aninha

    -

    3/10/2013 às 12:34 pm

    O que se viu no “Profissão Repórter” além de aplausos para a TV, foi uma propaganda as avessas da real situação dessa população no dia a dia. A carinha de desolação do médico espanhol com aquilo que encontrou… O que esse desgoverno está fazendo efetivamente com esse programa, é fornecer farto material, para a imprensa internacional, das reais condições de saneamento, infraestrutura e atendimento por parte das “autoridades” para a grande maioria da população. Dona Dilma e seu marketing tupiniquim só estão mostrando para o mundo, ao vivo e em cores, aquilo que a Economist ilustrou em sua ultima capa. Como diz o velho ditado popular “Por fora bela viola por dentro pão bolorento”.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados