Blogs e Colunistas

28/09/2007

às 14:19

“Desse” ou “desce”?

Amiguinhooos,

A expressão original é “ou dá ou desse”. A variante “ou dá ou DESCE” é, como direi?, uma versão fescenina, motorizada e bem mais recente do jogo de palavras. Na combinação já clássica, a alternativa entre o presente do indicativo e o pretérito do subjuntivo expressa uma forma de fatalismo, de fato consumado. Na outra, a mocinha ainda pode escolher entre os modos indicativo e imperativo. Se escolher o segundo, ou vai a pé ou pega um táxi.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

41 Comentários

  • postingob

    -

    22/10/2010 às 3:50 am

    ??????? ???? ?????????? ?? 5000 ?????? ????? ?? 5 wmz ??? ????? icq: 8-490-299

  • Lah

    -

    27/9/2009 às 9:28 pm

    Não da pra entender nada,fala mais fácil !
    fala assim:
    “Ou dá ou desce” significa que a pessoa não tem escolha, é um significado sexual, ou dá ou desce as calças.

  • Eronildo

    -

    29/9/2007 às 1:24 pm

    Rei, já que é para trazer a verdade e DESMITIFICAR o homem, disponibilize em seu blog este vídeo:

    Documetário do Jornalista Cubano Luis Guardia, que propõe um novo olhar sobre Ernesto Che Guevara, para além dos esteriótipos e da imagem criada pelo regisme castrista.”[...] o documentário apresenta filmagens da década de 50/60 tomadas em Cuba, Guatemala, México e Bolívia, depoimentos valiosíssimos como os de Enrique Ros, investigador e historiador, autor de “Ernesto Guevara: mito ou realidade”, uma das mais completas obras sobre a vida desta “máquina de matar”, depoimentos de Huber Matos, companheiro desde as primeiras horas de Fidel, hoje no exílio, além do General Luis Reque Teran, autor da prisão de Guevara na Bolívia em 8 de outubro de 1967, data também de sua morte.

    Che Guevara – Anatomía de Un Mito (Completo)
    http://www.youtube.com/watch?v=B8U-bhwNOD4

    É MUITO BOM!!!

    Manda ver, meu REI!!!

  • Anônimo

    -

    29/9/2007 às 8:28 am

    Rei,

    É por isso que não saio deste blog, em que outro estaríamos discutindo lingua portuguesa? Continue humilhando os petralhas!

    lu

  • Anônimo

    -

    29/9/2007 às 1:51 am

    Tio Rei não fale assim difícil, aí que os petistas não entendem mesmo.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 8:47 pm

    Ingênuo Reinaldo, em Osasco, a expressão “Ou dá ou desce” significa que a pessoa não tem escolha, é um significado sexual, ou dá ou desce as calças. Entendeu?

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 7:57 pm

    Rei, vai explicar isto para os fraldinhas que aparam e babam pelas tagarelices do Apedeuta e da Chauí!!!

    N-U-N-C-A entenderão nem o original nem a versão e menos ainda a gramática.

    Manda pastar que esta boaida peteísta entende ou relaxar e gozar já estão entendendo também.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 7:45 pm

    Apesar da explicação, eu fico com a segunda forma que faz mais sentido no contexto, isto é ou dá ou desce.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 7:37 pm

    Eita.
    Ao anônimo das 3.18:
    “Se escolher o PRIMEIRO, ou vai a pé ou pega um táxi.”
    Primeiro = modo indicativo (frase anterior: ” …pode escolher entre os modos indicativo e imperativo.”).
    Assim, fica difícil!

  • Elstir

    -

    28/9/2007 às 7:21 pm

    Que paulificância…
    Elstir

  • simplesmente maria

    -

    28/9/2007 às 6:32 pm

    Tendo a achar que no quadro de grosserias expressas pelo Bispo no vídeo, ele não estava meramente a filosofar sobre o efeito da não dação derivado da decisão dos que optaram por não dar. A afirmação do Bispo parece ser muito mais na linha da argumentação tipo “não deu, o pau comeu (ou desceu)” – quiçá até mesmo, se quisermos inserir um contexto de espiritualidade em excesso de boa-vontade para com o Bispo, “ou dá, ou desce para os quintos dos infernos”.

    Desculpe as vulgaridades das expressões, mas acho que a linguagem está adequada ao vídeo.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 6:31 pm

    Eita…que fora…fui um dos que pensou ter se tratado de um erro de digitação. Enfim, aprendi mais uma coisa! hehehe Um grande abraço e parabéns!

  • Cris

    -

    28/9/2007 às 5:39 pm

    Eba, adoro essas coisas. Vcs sabiaaaaaaaaaam…. que o tal “cuspido e escarrado” é, na verdade, ESCULPIDO EM CARRARA?

    Verdade! O povo, por não entender que diacho aquilo significava, passou a falar o que ouvie e conseguia entender.

    Bah, interessante…ou dá ou desse. Tipo ” se querer, queres, se não queres , diz!” que é falado bem depressa aqui em Floripa, saindo uma coisa assim? siquesh quesh sinãoquéshdish”.

  • Fernando

    -

    28/9/2007 às 5:27 pm

    Reinaldo, tem imagem mais “comovente” que essa? Na Folha On-line: http://f.i.uol.com.br/folha/ilustrada/images/07270196.jpg

    Abraços.

  • Silva

    -

    28/9/2007 às 5:17 pm

    Reinaldo:

    Entendo que “ou dá ou desce”, no sentido de “ou dá dinheiro ou desce para o inferno”. Não sei se alguém já pensou nisto aqui nos comentários ou se você mesmo já aventou essa possibilidade.

    Cordialmente

    Silva

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 5:14 pm

    Primeira vez que ouço essa… Mas será que o bispo Macedo queria dizer isso mesmo? Sei não… Parece que ele costuma usar metáforas mais vulgares do que você acredita. Você não deve ter lido, pois o livro só merece um lugar na lata de lixo, não na biblioteca, mas em “Nos Bastidores do Reino” o autor, ex-pastor, conta sobre reuniões do bispo com os pastores:

    “Nestas reuniões passamos a conhecer a faceta latin lover do bispo que até então era exclusividade de sua mulher. Ele se mostrava como o grande homem capaz de satisfazê-la. ‘Plena e completamente’, fazia questão de deixar bem claro. Na piscina com a mulher, Sua Excelência não perdia a oportunidade de dar uma demonstração rapidinha do dragão sexual que era. Afirmava que, se todos seguissem seus conselhos, não haveria necessidade de se procurar sexo fora do casamento. ‘Quem come bem em casa não tem fome na rua’, profetizava.
    Na medida em que estes encontros aconteciam, os casais iam se descontraindo e participando mais confortavelmente do debate. Mulher de pastor, que no princípio corava somente de ouvir a palavra ‘cueca’, já levantava a mão, toda assanhadinha, para perguntar se banho-de-gato era pecado.
    O auge dessas reuniões foi quando chegamos ao consenso de que o casal tinha liberdade para fazer o tipo de sexo que bem quisesse. Ponto para a democracia. Só não era permitido usar chicotes ou algemas. Mesmo assim, ponto para a democracia. Também ficou permitido visita a motéis e assistir filminhos de sacanagem durante a ‘trepada’. Era o liberou geral. A partir dali, sempre que um pastor encontrava o outro, já não mais trocavam conhecimentos bíblicos. Em vez disso, comentavam os últimos lançamentos do cineasta David Cardoso e da porno-star Cicciolina.”
    M. JUSTINO, Nos Bastidores do Reino, 2ª ed., São Paulo, Geração Editorial, 2002, p. 77.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 5:07 pm

    É que só se tem na cabeça aquela estória: ou dá… ou desce as calças.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 5:05 pm

    boa aulinha mestre, e nao foi só pra petralha,(porque quem reclamou achou que estava colaborando e ganhou uma ulinha de gratis rsrs) uns ai tentam se enganar hehe, pra quem nao entendeu o desse no caso é do verbo dar.GRANDE.Te mete?!?!?

  • Akhenathon

    -

    28/9/2007 às 5:03 pm

    Procurei no Google e não achei: “esdrúcula” deve ser aquele tipo de alface amargo, né não? É pior que bosta de mamute…

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 4:44 pm

    Não entendi.

    Qual a graça na sua versão ??????

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 4:35 pm

    Reinaldo,

    Você é mais liso que bagre ensaboado!

    :)

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 4:35 pm

    Prezado Reinaldo, você está superestimendo o bispo.
    Foneticamente, disse o dito, desce ou desse.
    Ou disse o dito os dois.
    O do forró disse desce.
    O que pede óbutos disse desse.
    Mas, de um jeito ou doutro, é desesperadora a imagem desses.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 3:57 pm

    Vivendo e aprendendo…

  • Publius

    -

    28/9/2007 às 3:56 pm

    Sorry. Aprendi mais uma.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 3:46 pm

    Caro Rei:

    Você precisa saber reconhecer seus erros. Não é feio errar. Feio é dar uma explicação esdrúcula para tentar se justificar. Você tá parecendo o Renan.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 3:46 pm

    O quê Edir Macedo tinha em mente quando proferiu a célebre frase?
    Claro que não era o presente do indicativo e o pretérito do subjuntivo! Era sacanagem pura!
    Ou dá ou desce.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 3:40 pm

    Tio Rei
    Não judia. Quando é que vai lançar o seu livro?
    Se sair aquela frase “o orgulho do nosso ziriguidum …” vai para a estante, na seção dos livros especiais.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 3:23 pm

    Reinaldo é cultura! Essa eu não sabia.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 3:21 pm

    Reinaldo,
    Bárbaro! Aprendi mais uma com você.
    O “desse” é bem mais incisivo e até mais engraçado que o “desce”.

  • abstrato

    -

    28/9/2007 às 3:20 pm

    eita tio Rei,

    todo dia tem que dar aula de portugues pra petralhada…ahaha

  • Covallini

    -

    28/9/2007 às 3:20 pm

    Neste caso, explicado. Mas ainda acho que o auto-intitulado bispo quis dizer “desce”.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 3:18 pm

    Se escolher o segundo, ou vai a pé ou pega um táxi.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 3:15 pm

    No Google:

    11 ocorrências p/ “dá ou desse”
    38.000 ocorrências p/ “dá ou desce”

    Você está querendo nos enganar?

  • WEIMAR

    -

    28/9/2007 às 3:13 pm

    DESSE OU DAQUELE

    Não sei se este é o local e o momento apropriados a fim de lhe passar importante informação. E pra seus leitores, também. (Ou mesmo, se há alguma ligação entre os assuntos.) É muito grave o que soube.

    Quem me contou foi um irmão meu, professor de Engenharia de Meio Ambiente, ou que outro nome tenha sua área de ensino na universidade. Avisado por um professor de Biologia do Ceará, ele correu a me alertar sobre mais um risco ao aquecimento global. A notícia é mais ou menos assim, editada por mim:

    “Derretimento dos solos da Sibéria expõe matéria orgânica depositada por animais há milhares de anos e pode agravar o efeito estufa. Sergei Zimov se abaixa, apanha uma porção de lama viscosa e a aproxima do nariz. ‘Tem cheiro de cocô de mamute’, diz.

    “Zimov, um cientista de 52 anos que estudou as mudanças climáticas no Ártico russo durante quase 30 anos, acredita que essa matéria orgânica, exposta ao ar, acabará acelerando o aquecimento global.

    “É emissão de dióxido de carbono (CO2), o principal gás responsável por ‘engrossar’ o cobertor de gases que aprisiona o calor irradiado pelo planeta na atmosfera. Pior ainda, há emissão de metano (CH4), que é ainda mais potente que o CO2 para reter calor”.

    Ciente da ameaça, apressei-me a responder a meu irmão:

    Tendo encontrado a merda, encontraram, por conseqüência lógica, o peido do mamute. E é exatamente aí que mora o perigo!

    Esse tipo de gás em si é perigoso; mais ainda quando está envelhecido; e muito mais quando vem do mamute, famoso peidão da pré-história (ou d’antanho, como se dizia à época dos mamutes). Ele assombrava a todos, não pelos seus grandes molares e corpo peludo, mas pelo seu lançador de gazes à distância.

    Mas há um perigo ainda maior. É o perigo de todos os perigos. É gente procurando merda e peido. E, neste mundo que já foi de Deus (hoje não é mais, Deus desistiu), está assim (polegar direito batendo contra as pontas dos outros dedos perfilados, para a ênfase necessária) de gente procurando merda. Antigamente, se procurava chifre em cabeça de cavalo; hoje, busca-se merda em tudo que é lugar.

    No Alvorada não carece de procura; está lá à vista de todos. É só pegar e levar, deixando o cheque.

    Weimar

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 3:11 pm

    Expressãp original?
    Combinação já clássica?
    E eu nunca ví?
    Caraca!

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 2:54 pm

    é tio Rei….

    não é fraco não….

    vivendo e aprendendo.

  • Rodriguinho

    -

    28/9/2007 às 2:52 pm

    Nessa vc exagerou!

  • Akhenathon

    -

    28/9/2007 às 2:51 pm

    Não sei porque, mas me lembrei das liaisons dangereuses Lula/PT + Renan/PMDB: ou a alternativa Jece Valadaniana, ou o Top-top…

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 2:50 pm

    Gargalos na educação devem reduzir o potencial brasileiro de produzir ou atrair profissionais talentosos nos próximos cinco anos, de acordo com um novo indicador elaborado pelas consultorias Economist Intelligence Unit (EIU), de Londres, e Heidrick & Struggles, de Chicago. Da 23ª posição em 2007, o País deve cair para a 25ª em 2012, em um ranking de 30 países escolhidos a dedo pelas duas firmas com base em sua representatividade regional e disponibilidade de indicadores.
    O chamado Índice Global de Talentos (IGT) mede a capacidade de um país de formar ou atrair jovens talentosos e criativos em relação a outros países, em um mundo onde a globalização tornou mais fácil a mobilidade dos profissionais qualificados.
    As estatísticas mostraram que os gargalos na educação atrasarão a formação de novos talentos no Brasil. Dados da Unesco manuseados pelas consultorias apontam que o país tem uma relação ainda baixa de professores para alunos no ensino secundário – 22, contra, por exemplo, 10 da Itália e 14 dos Estados Unidos e do Canadá.
    “Não é que a situação vá piorar no Brasil nos próximos anos, apenas não se desenvolverá de maneira tão rápida quanto em outros países”, explicou, por meio de sua assessoria de imprensa em Londres, a Economist Intelligence Unit.
    Na América Latina, a Argentina e o México também foram escolhidos, e ambos tiveram desempenho melhor que o brasileiro. A Argentina ficou na 17ª posição e o México, na 21ª; daqui a cinco anos, devem trocar de lugar, com os mexicanos subindo para a 19ª e a Argentina caindo para a 21ª, projetaram os consultores.

    É O BRASIL POTÊNCIA DE LULA, O PRESIDENTE QUE MAIS CONSTRUIU FACULDADES, O PRESIDENTE DO PAÍS CUJA SAÚDE PÚBLICA ESTÁ MUITO PERTO DA PERFEIÇÃO, O PRESIDENTE DO
    “NUNCA ANTEZNEZTEPAÍZ”, O PRESIDENTE QUE ACHA QUE NÃO É PRECISO TER ESTUDO PARA SER “PRESIDENTE” DO BRASIL.
    A MEDIOCRIDADE DE LULA SÓ PERDE PARA A MEDIOCRIDADE DOS SEUS ELEITORES.

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 2:37 pm

    Do fuuuuundo do baú do Silvio…

    Versão motorizada heheheh funciona até de bonde…

    einesellesenie

  • Anônimo

    -

    28/9/2007 às 2:34 pm

    Ah, Seu Rei…

    Espetacular…

    Abs
    Bob

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados