Blogs e Colunistas

27/10/2011

às 22:34

Democracia de farda reprime maconheiros na USP. É o certo!

Aguardo mais informações. A reportagem da VEJA Online está lá, vendo a coisa de perto. Ainda voltarei ao tema. O fato é o seguinte: no dia em que a Polícia Federal prendeu 35 pessoas numa operação contra o tráfico internacional de drogas, o tema rendeu confusão no campus da USP.

A PM abordou três pessoas, que seriam estudantes, fumando maconha num carro, e, ora vejam!, a confusão começou. Alguns alunos e militantes ligados ao sindicato dos funcionários da universidade decidiram tentar impedir a ação da polícia. E parece que algumas bombas de gás lacrimogêneo foram usadas para acalmar os exaltados. Normal. Na USP ou em Nova York, alguns precisam de Lexotan; outros de bomba de efeito moral.

A PM, num regime democrático, é uma das manifestações da democracia de farda. E o consumo de drogas ilícitas não é permitido. Nem dentro da universidade. Tal prática não está abrigada pela autonomia universitária. Sim, é bem verdade que alguns ditos “estudantes” acreditam que a lei que vale para o conjunto dos brasileiros não vale pra eles. Vale.

O mato que aqueles valentes queimavam na USP é vendido pela turma presa pela Polícia Federal. Entenderam? Não houvesse quem consome, aqueles bandidos não teriam a quem vender. São elos da cadeia criminosa.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

166 Comentários

  1. Wilson Mota

    -

    13/04/2012 às 23:11

    É muito fácil resolver o problema, basta a PRIVATIZAÇÃO das universidades públicas (federais e estaduais).Chega de o contribuinte sustentar salários de professores corporativistas e alunos baderneiros, a maioria das vagas as universidades públicas são oferecidas no período diurno, quem necessita trabalhar….

  2. Wellington Pinto Oliveira

    -

    15/11/2011 às 22:06

    Seguinte, se o pessoal da USP não quer a polícia perto mando a seguinte dica para a PM: Sai do campus, sai dos arredores e deixa o crime comer solto lá, deixa a bandidagem ir toda para lá e deixa todo mundo conviver com balas, tiros, assaltos, estupros, etc… Deixa o pessoal da USP ser feliz com tudo isso. Simples… :)

  3. Marcos

    -

    09/11/2011 às 15:48

    Acredito que as dependências da universidade pública não devam ser usadas para uso de drogas como a maconha. E haja visto o caso de morte dentro do campus, se faz necessária a presença da polícia para a própria proteção dos estudantes. E se alunos querem fazer manifestação que o façam, mas não dentro da universidade, universidade é local de estudo, não de palanque político-partidário. E o que se viu não foi manifestação pacífica e sim baderna, quebra-quebra e indisciplina. Se é legítimo porque se viu alunos encapuzados?
    Manifestação legítima o foi de alunos contrários ao que esses radicais fizeram, e afirmando a presença da polícia dentro do campus universtário como algo importante e necessário, como ocorre em escolas públicas de ensino básico e médio. Essa conversa de que a polícia não sabe lidar com os alunos “ta muito manjada”. São os alunos rebeldes que veem a polícia como um inimigo e não como amigo que está ali para ajudar. Disciplina nos radicais!

  4. eduardo santos farol

    -

    09/11/2011 às 14:28

    ESPERO QUE A JUSTIÇA CONDENE ESSES 73 CRIMINOSOS “VERGONHA DA SOCIEDADE” PARABÉNS POLÍCIA, JUSTIÇA, UNIVERSIDADE E IMPRENSA. VCS SIM CONTRIBUEM PARA UM PAÍS MAIS JUSTO. E OS BANDIDO AINDA COLOCARAM A FOTO DO MAO TSE TUNG (O MAIOR PORTADOR DE SIFÍLIS DE TODOS OS TEMPOS) NO ONIBUS. ETÂ MONTE DE VAGABUNDO.

  5. ed santos

    -

    09/11/2011 às 14:24

    Certamente. Esses alunos da USP parecem mais que saíram de Woodstock, festival esse realizado no país que eles tanto odeiam (EUA). A pergunta que deixo no ar, quanto será que a sociedade brasileira que paga seus impostos em dia gastou para a policia e a própria universidades e a justiça para coibir a ação desses criminosos, sim criminosos isso é que eles são.

  6. an

    -

    09/11/2011 às 12:41

    Interessante que o que os estudantes querem não é o uso de maconha, e “jornalistas” sem formação, como o escritor desse blog fala merdas como essas.

  7. maikon

    -

    09/11/2011 às 11:49

    Boa tarde, Reinaldo!

    Meu caro amigo elitizado, como disse o FHC, nesse país não existem políticas descentes em relação a drogas ilícitas. As drogas cujo consumo é legal como; cigarro e o álcool são muito mais prejudiciais à saúde, á problemática em relação ao acontecido está na opressão ao direito do direito, o estado repressor usa a força policial para oprimir aqueles que realmente defendem a democracia. O fato é que aproveitando da situação o estado aproveitou-se da oportunidade coloca seus bonecos para oprimir os estudantes, as cabeças pensantes, os que muitas vezes estão fora do proletariado, que defendem a classe trabalhadora.

  8. Leonel

    -

    09/11/2011 às 9:55

    Que fumem,que se droguem,que badernem,que se liberem em tudo, mas fora da USP.E tanta gente boa querendo estudar na USP ou que seus filhos estudem lá.Fiquem de olho na liderança do grêmio local, que eles que são os cabeças da baderna.Já não chega os trombadões de Brasília, ainda temos de aturar mais isto?Sem esquecer que esses baderneiros financiam o crime local.O alívio é saber que a maioria dos estudantes da USP são pessoas decentes.

  9. Everaldo da Silva

    -

    09/11/2011 às 1:44

    Todas as universidades seja ela, municipal, estadual ou federal tem que ter a presença da policia sim. Aqui em Campinas – SP na Unicamp a policia não entra então é um otimo lugar para todo tipo de ilicitude, porque não pensem que ali so tem universitario existem traficantes faturando muito com isso então esses viciadinhos nada mais são do que ( paú mandado de traficante) ou seja ficam fazendo frente para o comercio do trafico.
    BELO TRABALHO DA POLICIA QUE SIRVA DE EXEMPLO PARA AS OUTRAS UNIVERSIDADES.

  10. Viviane

    -

    08/11/2011 às 23:04

    QUE VERGONHA DESSA JUVENTUDE! UNIVERSITÁRIOS…FEDERAL… MOSTRANDO APOIO A TRAFICANTES? Tenho tanta dó da família desses vagabundos. Que vergonha devem sentir. Devem torcer todo dia para que um traficante meta uma bala na cabeça do filho deles, afinal, isso eles já estão procurando. O pior é que quem morre é o coitado do policial que ganha mal pra caramba e tem que passar por tudo isso.Tanta gente honesta, batalhadora se sacrificando para entrar na USP e um bando de vagabundos lá dentro quebrando tudo e se dizendo a favor da democracia. Acho que estudaram pouco para o vestibular, porque na verdade não sabem o que é democracia, estão a favor da bandidagem. ELES PRECISAM URGENTEMENTE SEREM JUBILADOS POR JUSTA CAUSA. Querem fumar para esquecerem suas vidas podres? Façam isso na casa de seu amiguinho traficante. Ninguém…ninguém…ninguém precisa conviver com isso. Já dizia o Renato Russo em uma de suas músicas. “Vamos celebrar a estupidez humana…nosso Estado que não é Nação…” E trocaria sua música “Que país é esse” por “Nas universidades, ninguém respeita a constituição, um bando de maconheiros sem cérebro e sem razão…” Nenhum notícia me causou tanto nojo e revolta como essa. É uma pena que chegamos a esse ponto.

  11. cristina c. alves

    -

    08/11/2011 às 21:11

    Que tipo de estudantes são esses que defendem a democracia e, no entanto, se acham no direito de fumar droga ilícita em uma universidade e achar que os cidadão têm a obrigação de aceitar esta ato como normal e lícito? Quem são eles? Pessoas diferentes, acima de qualquer lei que rege um país? Não. São apenas estudantes alienados, que vivem em um mundo à parte e que,definitivamente, não respeitam nossas leis e muito menos a maioria, graças à Deus, dos brasileiros que repudiam o uso de drogas. Pessoas como essas estão apenas ajudando a traficantes ficarem mais fortes e armados, trazendo como consequencias: assaltos, crimes, estupros e tantos outros crimes mantidos pelo tráfico de drogas. Espero que esses estudantes reflitam em suas atitudes, repensem seus conceitos e descubram, embora que tardiamente, o que significa democracia e respeito ao próximo.

  12. Thiago

    -

    08/11/2011 às 19:13

    Correto sim! Sou Universitário e tenho plena certeza e convicção que nós estudantes não estamos acima da lei… ao contrario nós que somos o futuro de uma nação temos que mostrar que seremos responsáveis pelo nosso Brasil, pelas nossas Leis… Se não toleramos a corrupção porque seremos corruptos agora??? mas muitos poderão dizer fumar um baziado não tem nada haver com corrupção… Sim, tudo está ligado, roubar é contra a Lei assim como drogas são contra as Leis… então o que nos torna diferentes??? Outra coisa, se quer se drogar vá se drogar em outro lugar… deixe a oportunidade de estudar para quem realmente quer estudar… Como aluno digo que isso que aconteceu foi uma palhaçada… bando de vagabundos e filhinho de papai… tenho raiva de quem não quer nada e quer ter razão… tomara que seja feito uma Lei para reprimir e acabar com essa vergonha… Sim, vergonha… esse é o real sentimento que sinto de ser aluno perante os meus “colegas” que não querem nada da vida… apenas fazer parte do “sistema”… Patetico tudo isso…

  13. Fabiano

    -

    08/11/2011 às 18:16

    Bem feito, aprovo a atitude dos policiais! Cambada de vagabundo que em vez de estudar fica se drogando, e ainda ocupam a vaga de uma pessoa que poderia estar estudando!

  14. Marcio

    -

    08/11/2011 às 15:59

    Perfeito !!!! Maconheiro tem de ser preso. Filhinho de papai que fica anos a fio “fazendo festa” na Universidade, ao invés de botar a mão na roda e fazer a sua parte na sociedade… triste, enfim, é a participação de sindicato apoiando essa balbúrdia…

  15. marcio

    -

    08/11/2011 às 13:10

    Estava na hora da policia começar a prender esses vagabundo que só prestam para usar drogas no campus da USP, ao inverso de irem estudar, esses vagabundo que se jugam superiores e usam o campus para fazerem batuques e usar drovas…..Vai pra sala de aula é lá que é o lugar de vocês….O povo brasileiro não precisa de mais drogados, já temos doentes aqui.

  16. Ricardo

    -

    08/11/2011 às 9:31

    As pessoas que fizeram parte desse movimento deveriam ter o nome divulgado para tomarmos cuidado com elas. Ostracismo neles!

  17. País medíocre

    -

    08/11/2011 às 9:17

    Em primeiro lugar, aquilo não são estudantes…são uma cambada de vagabundos sem pai nem mãe, que sustentam o tráfico de drogas. Aliás, estes viciadinhos são os principais responsáveis pelo caos em que se encontra o nosso país. Estes viciados vagabundos deveriam ser excluídos da instituição e responderem por crime.

    Em tempos de tamanha violência, quem não gostaria de ter proteção policial? Os vagabundos da USP, não!

    O usuário de drogas deve ser tratado como criminoso, afinal, ele financia o crime, é cúmplice.

    FERRO NESTES VICIADINHOS

    Este é o futuro do Brasil…

  18. NELSON

    -

    07/11/2011 às 20:10

    A matéria da Veja do Marcelo Sperandio é a síntese da situação: cambada de filhinhos de papai mimados (minoria – a maioria pretende estudar), depredando patrimônio público (nosso)por questões “relevantes” tais como fumar maconha…Borracha neles! Demorou!

  19. junior

    -

    05/11/2011 às 11:31

    Sou estudante daUSP E prédio de História e geografia é um covil de ratos, toda a malandragem desocupada fica por ali….se levantar a ficha destes baderneiros, boa parte deles nem aluno é..são livreiros, traficantes e o lumpen que privatiza o Crusp

  20. junior

    -

    05/11/2011 às 11:23

    A policía está certa tem que reprimir sim.
    Esse bando de “estudante” desocupado que alimenta traficantes…

  21. camily

    -

    04/11/2011 às 23:55

    O que eles querem é liberdade sem leis. exclusiva para eles.usar drogas na privacidade não é a deles. e.es querem é aparecer, são extremamente carentes de atenção.típicos filhinhos-da-mamãe, independente da classe social. sao uns filinhos da mamãe, loucos para ter o que contar em casa.”mamãe estou desafiando o sistema, estou fazendo ele se dobrar às minhas reinvidicaçoes. eu sou o máximo mamãe”.

  22. João

    -

    04/11/2011 às 15:31

    É muita descerebração, estes universitários de hoje estão engajados em promover só desgraças sociais, espero que a policia faça sua parte invadindo e tratando com ferro a situação.

  23. carlos edu

    -

    04/11/2011 às 12:55

    maconheiros. isso tem cara de crak liberado no campos PF NELES

  24. Keila

    -

    03/11/2011 às 20:17

    Tenho absoluta certeza de que aqueles bandidos que invadiram a reitoria não representam sequer 10% dos estudantes da USP.
    Bando de traficantes.

  25. Anónimo

    -

    03/11/2011 às 17:18

    -MACONHA É ILÍCITA NINGUÉM ESTÁ ACIMA DA LEI! A POLÍCIA ESTÁ É FROUXA, CADEIA PRA VAGABUNDO USUÁRIO, POIS QUEM PAGA POR ELES SOMOS NÓS, PESSOAS DE BEM QUE NÃO TEMOS VÍCIOS, NEM SOMOS CRIMINOSOS! CADEIAS NELES…(É MAIS FÁCIL ACABAR COM O MARGINAL..CABEÇA FRACA..EGOISTA DO USUÁRIO, QUE O TRAFICANTE…PENSEM NISSO……..

  26. laerte

    -

    03/11/2011 às 13:42

    mudou os valores o comando da policia não fala nada estão dando valor para maconheiros invadiram a reitoria infelismente tem que dar borrachada nos manifestantes e expulsa-los da faculdades mas como não vai acontecer estes serão o nosso futuro em um pais de bricadeira

  27. FREDERICO DE ALBUQUERQUE PARAÍSO

    -

    02/11/2011 às 17:22

    ACHO QUE A POLÍCIA TEM SIM QUE AGIR NA USP, POIS LÁ DENTRO EXISTE MUITO MAIS DO QUE UM SIMPLES USUARIO, EXISTEM TRAFICO DE DROGAS INTENSO E PESADO, CARROS CLONADOS E ARMAS. ESSES ALUNOS QUE PROTESTAM CONTRA A PRESENÇA DA PM SE ACHAM BLINDADOS DENTRO DESTA INSTITUIÇÃOE DIGO MAIS ACHO RIDICULO QUE A MIDIA ACUSE OS POLICIAIS DE EXCESSO POIS A POLÍCIA NÃO PODE APANHAR DE ESTUDANTES SE OS ESTUDANTES TEM CORAGEM PARA BATER EM PMS,TEM QUE TER CORAGEM PARA LEVAR GÁS DE PIMENTA E CACETADAS, AQUI NA UFBA EM SALVADOR A POLÍCIA MILITAR NÃO TEM CONVENIO COM A UNIVERSIDADE E O TRAFICO ROLA SOLTO

  28. William Silva

    -

    02/11/2011 às 13:32

    Realmente é lamentável que qualquer pessoa se sinta no direito de exigir que qualquer parte de nosso território seja terra sem lei. O papel da polícia é fazer cumprir a legislação. Vale lembrar que os que estão ali fardados são também pais de família… o que faz alguém pensar que tem o direito de agredir um outro trabalhador? A maioria dos estudantes da USP é coerente e sabe que a presença da polícia é benéfica. Não vamos nos deixar levar por um bando de maconheiros que, por um momento, fizeram mais barulho e fizeram parecer que eram maioria.

    Um homem sabe segurar o B.O de algo que faz sabendo ser ilegal!

  29. Laerte

    -

    01/11/2011 às 13:32

    Seria melhor pro país se tivessem sido contruídos 3 mil presídios e esses 3 milhões de usuários (usuários REGULARES, dados de 2008) estivessem atualmente encarcerados?
    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2008/06/26/ult5772u193.jhtm

  30. Rafaela

    -

    01/11/2011 às 11:50

    como falava a música: polícia para quem precisa de polícia.
    sou estudante da FFLCH e sou usuária e não faço mal a ninguém, não sustento o tráfico, e tenho a maconha para uso recreacional. Se eu não dou dinheiro pro traficante, qual o problema de eu fumar uma planta? Não é uma droga sintética! O que eu acho absurdo é a polícia militar, que já dominou o Brasil, matando inúmeros inocentes na época do regime militar, prender três alunos que estavam tranquilos! O que eles fizeram? USAR DROGAS ENTRE ELES?

  31. Matheus

    -

    01/11/2011 às 11:43

    Nossa, não acredito no texto que acabei de ler. Por estar no site da veja, achei que fosse algo coerente e de bom gosto.
    E se a erva que os caras estivessem fumando lá, eles mesmos tivessem plantado? IA EXISTIR TRÁFICO? NÃO. MAS IA EXISTIR REPRESSÃO. REPRESSÃO POR QUE? PORQUE BATER NA GENTE POR FUMAR UM BASEADO? ISSO TÁ PARECENDO REGIME MILITAR! PROIBIÇÃO SUBINDO A CABEÇA DE TODOS NO BRASIL!
    NÓS NÃO QUEREMOS REGIME MILITAR!

  32. victor

    -

    01/11/2011 às 3:30

    aff pra vc reinaldo, democracia eu a quero muito, eu preciso disso, eu quero mostra pro meu filho que ser gay é lindo, que fumar maconha é normal, e quero dizer a ele que bater é feio, não escuta a voz de uma pessoa é o pior castigo do ser, eu acho que se nos fossemos humanos nos respeitaremos, mas somso animais, e os tidos animais são gente. Eu tenho a pureza das matas, e quero que todos vivam em paz e harmonia, direita e esquerda. O mais engraçado e que eu vejo esses ”maconheiros” lutando pelo meio-ambiente, pela o fim da fome, por justiça social,politica e sexual.. E eu não vejo nenhum ação do tipo em outro fardinhas, e nem de você! vai dizer que nunca dei um tapa na malvada quando estava na faculdade?

  33. ana

    -

    31/10/2011 às 17:29

    A questão é mais ampla do que a presença ou não da PM no campus da Usp. Devemos observar que todas a sociedade, com o decorrer dos séculos passa por mudanças. Mtas vezes as pessoas têm dificuldades para rever conceitos e reclassificar parâmetros retrógrados. A maconha seria mesmo uma droga tão prejudicial assim? Será que o álcool não está trazendo mais malefícios para a atual sociedade? Não seria o caso de fazer uma pesquisa de equiparação de danos para quebrar antigos paradigmas ultrapassados.

  34. Dantas

    -

    31/10/2011 às 16:19

    Todos que hoje estão roubando, assaltando e matando pra poder comprar uma pedra de Crack, algum dia começaram com “Lóló” e Maconha.
    Pense aí e tente parar de falar besteiras!
    BRASIL ACIMA DE TUDO!

  35. Dantas

    -

    31/10/2011 às 16:11

    Allyson, pense meu filho… Se não houvessem pessoas para comprar as drogas não haveriam vendedores, correto?

  36. allyson (kabal)

    -

    31/10/2011 às 11:59

    UMA VERGONHA! isso sim,
    esses porcos fardados ao inves de pegar bandido fica reprimindo usuarios ! seus hipocritas

    PROIBIÇÃO = TRAFICO, morte, entre outras coisa piores
    inclusive assasinatos de menores

    vamo intensificar as marchas!

    REVOLUÇÃO! BRASIL

  37. Jaqueline Angelotti

    -

    31/10/2011 às 2:07

    é claro, porque o enorme problema do tráfico de drogas reside nos usuários, e não no tráfego enorme de dinheiro que a própria PM põe em movimento. e é dentro de um campus universitário com 3 bodes expiatórios que isso será resolvido.
    obviamente.
    espero que você entenda que estou sendo sarcástica (pelo seu leviano entendimento dos fatos, achei necessário explicitar o que estou querendo dizer aqui)

  38. Zangão

    -

    30/10/2011 às 18:57

    Cadeia para usuarios! Demorou……

  39. valdecir

    -

    30/10/2011 às 17:20

    Sim para presença da PM no campus e Não para o trafico e uso de drogas no campus. Não só no campus mais também em toda cidade. Fora traficantes e usuários!!!!!!!

  40. Priscila Arakaki

    -

    30/10/2011 às 15:57

    Lamento, como estudante formada pela Letras-FFLCH, mas tenho que declarar que estou totalmente de acordo com a posição do Reinaldo.
    Se há algo que a Legislação qualifica como crime, tem que ser considerado crime seja na praça da Sé, nos bairros nobres ou na Cidade Universitaria. “Dura lex sed lex”
    Nada de duas medidas, ou de dizer que a prisão de usuários de drogas na USP seja uma afronta à autonomia universitária.

  41. Anónimo

    -

    29/10/2011 às 16:38

    Vocês realmente acham que a existência do tráfico é unicausal, isto é, culpa somente e exclusivamente do usuário? E outra, lexotan não seria uma versão legalizada da droga? E a discussão aqui é qual: a legalização da maconha ou a presença da PM no campus? Acho que é preciso esclarecer tudo isso antes de começar a discussão.

  42. Carlos

    -

    29/10/2011 às 14:56

    Concordo plenamente, como universitários, elite intelectual desta pobre pátria, deveriam sim dar o exemplo. Mas o que vemos é uma total inversão dos valores. A polícia agiu certo, e deve coibir práticas que pelo menos não encontram abrigo no Estado democrático de direito. Pau neles!!!

  43. Carolina

    -

    29/10/2011 às 14:19

    Sou estudante da FFLCH e sou completamente a favor da permanência da PM dentro do campus. Apesar de ter ocorrido diversas situações relacionadas à truculência dos policiais com os estudantes, dessa vez creio que a situação seja diferente. A agressão começou por parte dos estudantes ao resistirem a prisão de alguns que foram FLAGRADOS usando drogas ilícitas. O que a polícia fez foi o cumprir da lei, ou seja, seu papel, e ao haver resistência (agressiva, ressaltando), teve de apaziguar a confusão se utilizando da força; e é claro que não seria diferente, visto que seria meio impossível 15 policiais colocarem ordem em 400 estudantes de forma pacífica. E para quem acha que todo mundo que tá na FFLCH é vagabundo, como vi em diversos comentários por aí, procure na internet o ranqueamento dos cursos dessa faculdade dentre os da USP. Seis de nove cursos da FFLCH são os melhores da universidade inteira.

  44. Marcelo

    -

    29/10/2011 às 13:49

    Perfeito o trabalho da PM., no campus da USP.
    Alguns “universitários” acham que só pq. são da USP., podem fazer o que querem.
    Maconha é droga ilícitam, e vai continuar sendo, e se existe pratica criminosa na USP., a polícia tem o direito e o dever de reprimir.
    Ou eles só querem a polícia quando convém.
    Chega de maconheiros tentando dominar a USP.

  45. Fernando Baiocco

    -

    29/10/2011 às 12:27

    Rafael – 28/10/2011 às 21:57 a maconha não é a mesma? Então qual é? Eles que produzem? Se o fazem estão contra a lei. Deixe de ser ridiculo… Estão certos os policiais e estão errados esses “estudantes”. Fui estudante da USP – São Carlos, e sempre quiz que a polícia entresse no campus para acabar com essa palhaçada… Mas vocês conhecedores de tudo acham que a Universidade é um local neutro… Não é a Lei federal se sobrepoe a tudo.

  46. valdecir

    -

    29/10/2011 às 12:14

    Enquanto existirem viciados haverá o traficantes. Será que os “estudantes” sabem disso? A sociedade exige que os baderneiros sejam punidos para não haver uma sensação de impunidade neste caso da USP.

  47. valdecir

    -

    29/10/2011 às 12:08

    A sociedade deve apoiar a PM. Chega de drogas na USP e em toda cidade. Quem precisa de drogas-qualquer tipo delas-para encarar a vida, torna-se imaturo e despreparado para enfrentar os reais problemas que dilaceram a sociedade. Na Roma antiga a politica do “pão e circo” evitavam as revoltas sociais…agora é o álcool, a maconha, a cocaína, o futebol, etc.

  48. Rubens

    -

    29/10/2011 às 10:46

    Parabéns Reinaldo
    Estudantes????

  49. Anónimo

    -

    29/10/2011 às 1:29

    Gostei do seu artigo, percebi nos comentários que algumas pessoas fazem queixas de assuntos que não são o focados neste, não entendem que quem faz as leis não são os PMs são os Deputados Federais (no caso de leis federais como a sobre drogas) se existe algum erro, este esta na Lei, quem é encarregado de cumprir a lei esta OBRIGADO a segui-la a risca, sob pena de serem penalizados por prevaricação, Lei é Lei, se querem mudar algo que elejam seus representantes e peçam pra que eles façam as mudanças, mas eu acho que estes “universitários” não sabem votar, afinal se eles são maioria como aprovaram a PM entrar no campus? E outra se eu fosse o comandante da PM tiraria o efetivo do interior da USP, mas triplicaria o policiamento no acesso, pegou errado leva pra Delegacia. Finalizando ao Danilo que disse que “foram presos”, amigo leia mais aprenda a diferença de prisão, detenção e captura pelo menos ai faça seu comentário.

  50. Rafael

    -

    28/10/2011 às 21:57

    Amigo, a maconha da Usp não é a mesma comercializada por aí, antes de abrir sua boquinha cheia de palavras bem encaixadas procure saber a verdade e não só a opinião que você têm aí do seu apartamento e não da verdade.

    Grato.

  51. Cil

    -

    28/10/2011 às 21:14

    Fez bem a PM!!! Engraçado, chacotar a PM em plena marcha dos alucinados elles acham que pode não é? Agora a PM botar em cana dois cúmplices do tráfico de drogas não pode. Parabéns a PM!

  52. evansanmor

    -

    28/10/2011 às 21:05

    Enquanto cometer acidentes/homicidios drogado/bebado for considerado atenuante e não agravante..Enquanto os piores crimes cometidos por menores forem classificados como infrações…. Enquato desviar dinheiro público/privado tiver penas leves e sem confisco…. Enquanto os historicamente considerados depravados e safados tiverem o direito de agir e manifestarem-se.. Nada mudará.Mudanças requererem novas atitudes. Perdoar faz você se sentir melhor, mas o perdoado, na maioria das vezes, sente-se incentivado a reincidir ou fazer cada vez pior. Homicidas que morrem não reincidem.

  53. Anónimo

    -

    28/10/2011 às 20:50

    O que nos deixa mais incoformados nessa situação é que essa droga é consumida por playboys que tem discernimento do que é certo ou errado e sabem que estão fianciando o crime e o tráfico de drogas ilícitas que dizimam a vida de centenas pessoas todos os dias!!
    Democracia é isso mesmo, se a lei deve impede que leigos cometam esse crime, o mesmo deve valer para os filhinhos de papai.

  54. simone maria

    -

    28/10/2011 às 20:46

    A Venda de bebidas alcoólicas e cigarros de tabaco são legalizados… e daí? As mazelas causadas por acaso diminuiram? Claro que não. Os frabricantes custeiam os reparos dos danos causados a saúde publica e financeira do país? Na-na-ni-na-não! Legalizar/descriminalizar só fará com que os que3 sempre levam vantagem em tudo fiquem legalmente ricos e não na clandestinidade, e aumentará a facilidade de aquisição dos produtos, não necessariamente de melhor qualidade ou mais baratos. Pois sempre existirão os produtos alternativos e as novidades. Aquele que sempre foi prejudicado pelo uso de drogas direta ou indiretamente, continuarão a ser vitímas amordaçadas pelo livre comércio. Para os fabricantes/vendedores nós não somos seres humanos que merecem respeito, mas apenas consumidores finais, com um final nada glamuroso.

  55. rosimeiry

    -

    28/10/2011 às 20:19

    Desculpem-me reconheço que exagerei em meu comentário logo abaixo. Nem todas as mortes são por homicidio doloso..há também o homicidio culposo, o por impericia (a droga afeta o cérebro), os suícidios (por achar que a vida é uma droga com a droga), os acidentes de consumo (overdose). É sabido que a diferença entre remédio e veneno é a dose, seja ela de uíque ou cachaça. Quando você é levado a acrdeitar que a droga é coisa boa, por ingenuidade, é até perdoável. Mas fazer apologia do uso de algo que é mais que comprovadamente danoso ao ser humano, física, mental, ou moralmente, ai já é coisa de canalha. O pior é que certamente muitos tem orgulho de sê-lo.

  56. degleison

    -

    28/10/2011 às 20:18

    Para mim um bando de idiotas esta minoria que suja o nome da instituição,não sabem quanto custa uma barra de sabão, estes porcos têm o participação passiva no financiamento da violência ocorrida muitas vezes atualmente na USP.
    Gente como estas deveriam ser banidos da Universidade retro citada.
    Respeitem no mínimo, o povo brasileiro que os custeiam
    seus palhaços ignorantes.

  57. Paulo Machado

    -

    28/10/2011 às 19:54

    O problema, além da droga que eles usam é a droga que eles estudam. Sinceramente, curso de filosofia e sociologia pago com dinheiro público é um absurdo. Alguém sabe pra que serve um filósofo ou um sociólogo.
    Tem alguém que possa apontar como estes merdas contribuem para o progresso deste país.

  58. rosimeiry

    -

    28/10/2011 às 19:48

    Quem tem com que pagar a mim não deve nada. Enquantos os intelectuais de boutique tiverem “dim-dim” para pagar aos fornecedores da “erva” e “pom-?om” tudo tranquilo…Para as classes pobres/miserávei/despreparadas/ignorantes , o bicho pega.As opções são clássicas: alugar o corpo, trombada e carreira, ferro na venta dos manés, fazer amizade com o alheio, e sair pela janela com bagulho debauixo do braço. Ai seu traficante fica contente, e o credito é restabelecido.Porém, há sempre um porém, troque de fornecedor, deixe de consumir, ou não pague sua divida, e você ganhará uma azeitona de chumbo, ou sentirá o frio do metal nas tripas, logo logo. Centenas de jovem morrem e matam diariamente no Brasil em nome da liberdade e livre arbítrio.

  59. Paulo Machado

    -

    28/10/2011 às 19:18

    Maconheiro é maconheiro, na USP ou em qualquer lugar, o problema é que estes bostas agridem a PM invadem um espaço público em defesa das drogas e a justiça não faz o dever de casa. Todos os identificados devem ser processados, condenados e presos. Universidade não é abrigo de vagabundo. O povo tem que deixar de ser omisso. E os estudantes tem que deixar de ser idiotas.

  60. luciana

    -

    28/10/2011 às 19:01

    Quanto egoísmo se revela nos defensores da liberalização das drogas, quanta alienação e desconhecimento. Como eles são das ditas classes média e alta, há ainda alguns degraus sociais e econômicos para cair, mas para quem já esta lá em baixo droga é o fundo do poço.Seja líquida, gasosa ou em pó. Fazer a coisa certa é mais dificil e trabalhoso, e isto os que vagam pelo mundo detestam, não é mesmo?

  61. Daniel Sthefano

    -

    28/10/2011 às 17:43

    Eu sou estudante da FFLCH, não sou à favor da legalização da maconha e sou contra a presença da PM no campus por várias razões, sobre a segurança pública é um problema nacional não só da USP, a USP tem a guarda universitária, a história da USP, principalmente da FFLCH, demonstram que a PM no campus não é a solução, a PM não sabe lidar com os universitários. Os estudantes já discutiam isso há tempos, isso foi pauta de rodas de conversação dos estudantes e esse evento foi usado como pano de fundo para a pedido da saída do Rodas com sua administração que para muitos alunos é duvidosa (particularmente eu não tomo partido, e sinceramente, essa ação era esperada, os estudantes que não idiotas fizeram uso disso para mostrar que a presença da PM incomoda, principalmente a FFLCH.

  62. Didu

    -

    28/10/2011 às 17:27

    Calma,
    Daqui um pouco mais vamos ter Ato Institucional para preservar os direitos da maioria.

    Cuidado rapaz, sabemos como começa e sabemos como termina.

    Um abraço de quem o admira.

  63. Alessandro Faga

    -

    28/10/2011 às 17:16

    Como diria o Capitão Nascimento (o original do primeiro filme, não aquele pasteurizado e terraplanado pelo politicamente correto da continuação): a PM estava lá para desfazer a m… que essa maconheirada faz.

  64. soares

    -

    28/10/2011 às 17:11

    aqueles que dizem que a escravidão acabou esquecem-se que que ela só mudou de formato, hoje as drogas te fazem escravo, tudo em nome da “liberdade”,,,hahaha! a humanidade não evoluí pelo simples fato que a cada nascimento começa tudo de novo.Mudam-se apenas os rótulos e as ferramentas, mas ações são as mesmas.

  65. Nathalia

    -

    28/10/2011 às 17:06

    Caro Reinaldo, concordo plenamente! Seu texto é curto, mas contundente. É disso que as pessoas precisam saber. Sou estudante da USP, mas, para mim, maconha é sinônimo de criminalidade. Entretanto, o problema é mais embaixo… Há centenas de substâncias alucinógenas por aí, que não são proibidas pelo governo e estão causando mais desavenças que a maconha. Estou falando, por exemplo, da noz-moscada. Trata-se de um alucinógeno muito poderoso, e tenho visto por aí jovens fumando cigarros de noz-moscada. O sr. não acha que o governo deveria proibir a venda e o consumo dessa especiaria antes que vire baderna? Abraço!

  66. camily lima

    -

    28/10/2011 às 16:50

    A maior mentira que todo viciado diz para si mesmo é que pára com o vício quando quizer, tanto é verdade que eles conseguem abandonar o vício milhares de vezes…..Quem diz que controla a droga não se dá conta que já é escravo dela, seja cerveja, maconha, cocaína, ou xarope para tosse….

  67. Sandra

    -

    28/10/2011 às 16:32

    Logo após o assassinato de um estudante no campus da USP, os pais dos estudantes e os próprios se queixaram de não terem segurança, sendo assim o governo do estado, imediatamente, tomou a atitude correta, sinceramente não estou entendendo, eles querem que a polícia se retire pra que? É isso mesmo, para ter liberdade para fumar maconha? E a segurança daqueles que realmente vão à faculdade para estudar como fica? Meu Deus o que está acontecendo com as pessoas desse mundo, será que realmente está no fim?

  68. evandalo

    -

    28/10/2011 às 16:26

    Usar drogas é sinônimo de liberdade segundo pseudos intelectuais. Porém as estatísticas hospitalares e policiais revelam justamente o contrário: Droga é escravidão. Aqueles que querem sua liberalização ou lucram com o negócio, ou têm a tola esperança que com a legalização baixem os preços.

  69. clotildes

    -

    28/10/2011 às 16:12

    se com o uso do alcool já temos tantas desgraças provocadas pelos usuarios, acrescente-se a legalização das demais drogas e teremos o inferno para usuarios e sociedade e o paraiso/ceu para aqueles que enriquecem com as opçoes dos otáros que se acham espertos.

  70. valdecir

    -

    28/10/2011 às 16:00

    O Brasil deve legalizar o acesso a educação de qualidade, dar condições de uma pessoa ser tratada com dignidade em um hospital público,etc. Legalizar drogas não é a solução.Encarar a vida de cara limpa é sinal de força.

  71. valdecir

    -

    28/10/2011 às 15:51

    O uso de drogas ilícitas é crime. A policia deveria ter bases
    dentro do campos para reprimir essas e outras práticas inaceitáveis! Quem pensa diferente é contra a lei, quem é contra a lei NÃO merece estudar na USP, mais sim, ir pra cadeia.

  72. Daniel

    -

    28/10/2011 às 15:49

    E também não precisa nem ser muito inteligente pra saber que se há consumo, há mercado.

    E vê-se que o mercado é um dos mercados mais lucrativos do mundo.

    Aí só resta aos moralistas pararem de deixar o mercado na mão dos “criminosos”(ilegalidade) e tomar para si a responsabilidade e o DINHEIRO, P**rra

  73. ana

    -

    28/10/2011 às 15:01

    O mundo não é o mesmo do século passado!! È necessário que se faça uma reformulação no conceito de droga. Se a maconha continuar a ser classificada como tal, o álcool tbm deverá o ser. È hora de evoluirmos e assumirmos que o álcool é mais mais prejudicial que a maconha!! Ou proibe os dois ou descriminaliza a maconha.È bom senso, e evolução de conceitos retrógados da sociedade.

  74. João Paulo

    -

    28/10/2011 às 14:53

    Reinaldo,

    Pelo que vi o Centro Acadêmico da FEA USP (CAVC) lançou uma nota se colocando a favor da presença da Polícia Militar e criticando a ocupação do prédio da FFLCH.

    Acho que dá pra encontrar o texto deles no site da entidade.

  75. evandro

    -

    28/10/2011 às 14:42

    as drogas sempre exitiram, assim como canalhas e vagabundos. legalizar ou descriminalizar o usos de drogas é o mesmo que regularizar a profissao de assaltante.o que, convenhamos, falta pouco, tendo em vista a quantidades de direitos dados aos criminosos. a vítima? ah, é apenas um detalhe.

  76. Maria Amelia de Oliveira Nogueira

    -

    28/10/2011 às 14:07

    A única coisa que não fica claro pra mim é que esse mesmo pessoal que está reclamando que a polícia deteve três indivíduos que fumavam maconha dentro de um carro na USP, no meio da noite, é o mesmo que clamava por segurança há alguns dias atrás. Como é isso? não vale pra maconheiro de grife, mas vale pra maconheiro pobre? Houve um tempo em que os universitários carregavam bandeiras mais nobres, como em defesa da anistia, contra a ditadura e pelas diretas já! invadirem uma universidade pra defender puxadores de fumo é um pouco demais pro meu conceito de Direitos Humanos.

  77. Lily

    -

    28/10/2011 às 13:44

    Não. A melhor piada foi chamar PLAYBOY MACONHEIRO de “oprimido”. Faz-me rir!
    Quem financia o crime também é criminoso. Sem mais.

  78. ccc

    -

    28/10/2011 às 13:40

    Hoje esse bando de vagais ataca a PM e vocifera suas palavras de ordem ridículas.
    Porém essa mesma rapaziada, em sua maioria bem nascida, quando se vê frente à frente com “uzmanú du crime” se borra de medo e reza para que apareça um policial que garanta a sua segurança, para assim poderem voltar correndo para seus papais e seus todinhos quentes.

  79. jorge

    -

    28/10/2011 às 13:32

    tudo que o sistema quer .Brancos contra negros,pobres contra ricos,drogados contra “cida dões de bem”,enquanto isso politicos ,militares de alta patente,industriais do setor belico principalmente ,se deleito de bilhões em suas contas.
    combate a maconha é tão absurdo como combater a homossexualidade,sempre existiram,antes desses hipocritas que acham que o problema do mundo e a droga ,esquecendo se que eles mesmos ajudam a violência quando expõe algum tão banal como fumar um baseado.Enchendo a cabeça de informaçoes de guerra.enquanto alguns poucos ficam podres de ricos .

  80. ccc

    -

    28/10/2011 às 13:30

    BRAVO ZULU, PM-SP!
    É pau e bomba no lombo destes vagabundos travestidos de estudantes e sustentados pelo nosso dinheiro.

  81. Marcella

    -

    28/10/2011 às 12:07

    Democracia se faz no voto, e não com farda!!!

    E se a droga fosse legalizada também não seria vendida por aqueles que a PM prende!!!

    Antes de falar procure saber mais, você julga os oprimidos como únicos culpados, mas o buraco é bem mais embaixo para tantas pessoas se voltarem contra a PM, e não só pelo fato de 3 estudantes terem sido presos, e sim pelo abuso de poder, e uso da força antes do diálogo!!!

  82. Bruno Tarpani

    -

    28/10/2011 às 12:02

    “Democracia vestida de farda”. Obrigado Reinaldo Azevedo, a melhor piada do feriado!

  83. oi

    -

    28/10/2011 às 11:59

    o tratamento ao usuario de droga está errado nesse país. O usario é um doente e não se deve prender um doente e sim dar um tratamento. Essa política vem diminuindo muito o uso de drogas em muitos países da europa.

  84. Luis

    -

    28/10/2011 às 11:55

    Tinha que ser mesmo o prédio da FFLCH a ser invadido. Às vezes, dá até vergonha de dizer que estudei lá… Nada mudou na cabeça oca dos alunos. Continuam agindo como se estivéssemos na ditadura! Antes, a polícia carecia de legitimidade, assim como os governos militares, instituídos após um golpe de Estado. Mas hoje, não. Estamos numa democracia! A polícia é democrática sempre que atua dentro da lei para fazer cumprir a lei. Autoritários e truculentos são os estudantes!

  85. Rodolfo

    -

    28/10/2011 às 11:53

    Se não houvesse um lei proibindo, não seria bandidos que venderiam. ESSES são os eles da cadeia criminosa. É a lei que faz o crime.

  86. Vinicius

    -

    28/10/2011 às 11:39

    Reinaldo.

    Vc so fala BOSTA.
    Qdo vc for na USP e saber como as coisas funcionam vc vai saber emetir opinião.
    Se vc quizer que eu mostre a realidade para vc, terei o maior prazer.

  87. Pedro

    -

    28/10/2011 às 11:13

    Sou estudante da FFLCH, sou a favor da presença da polícia no campus e considero absurdo os estudantes reagirem contra a prisão de estudantes que infrigiam a lei.
    Entretanto tenho algumas ressalvas aos comentarios feitos; dizer que a FFLCH possui um grande numero de maconheiros, esquerdofilos anacronicos e vagabundos é verdadeiro mas:
    1. Grande parte dos estudantes (mesmo varios que se declaram de esquerda ou vinculados a partidos politicos) não de sentem representados pelos militantes de esquerda anacronicos e inconsequentes, os quais provavelmente são responsaveis pelo ataque à PM.
    2. nem todo maconheiro é vagabundo, burro ou inconsequente e, embora muitos possuam os três atributos e da maconha ser de fato prejudicial em varios aspectos, muitos estudantes da USP que fumam maconha são estudiosos e empenhados em seu curso, tiram boas notas e provavelmentes serão bons profissionais no futuro.
    3. a FFLCH é provvelmente o lugar da USP que mais seconsome maconha e isso se da, entre outras coisas ao fato de ser o lugar com mais estudantes na USP; alem disso é bastante facil fumar ou encontrar pessoas fumando em outras unidade, como FAU, ECA, biologia, entre outros.

  88. Pedro

    -

    28/10/2011 às 11:13

    Sou estudante da FFLCH, sou a favor da presença da polícia no campus e considero absurdo os estudantes reagirem contra a prisão de estudantes que infrigiam a lei.
    Entretanto tenho algumas ressalvas aos comentarios feitos; dizer que a FFLCH possui um grande numero de maconheiros, esquerdofilos anacronicos e vagabundos é verdadeiro mas:
    1. Grande parte dos estudantes (mesmo varios que se declaram de esquerda ou vinculados a partidos politicos) não de sentem representados pelos militantes de esquerda anacronicos e inconsequentes, os quais provavelmente são responsaveis pelo ataque à PM.
    2. nem todo maconheiro é vagabundo, burro ou inconsequente e, embora muitos possuam os três atributos e da maconha ser de fato prejudicial em varios aspectos, muitos estudantes da USP que fumam maconha são estudiosos e empenhados em seu curso, tiram boas notas e provavelmentes serão bons profissionais no futuro.
    3. a FFLCH é provvelmente o lugar da USP que mais seconsome maconha e isso se da, entre outras coisas ao fato de ser o lugar com mais estudantes na USP; alem disso é bastante facil fumar ou encontrar pessoas fumando em outras unidade, como FAU, ECA, biologia, entre outros.

  89. Aristemio

    -

    28/10/2011 às 11:11

    Ritual de passagem – Com um acurado senso de oportunidade, políticos do PT correram para a USP assim que souberam da ocorrência. Um dos primeiros a chegar ao local e, depois, a acompanhar os estudantes na delegacia, foi o deputado federal Paulo Teixeira. Para ele, o episódio “foi um exagero de ambas as partes”.

    “O uso de drogas na faculdade faz parte de um ritual de passagem”, disse à reportagem o deputado do PT. “A presença da PM junto aos estudantes é uma química que não dá certo e gerou esse problema hoje.”

    A polícia militar passou a patrulhar o campus da USP em setembro, depois de um aluno da Engenharia ter sido morto no estacionamento da faculdade. A presença da PM no local foi aprovada pelo Conselho Gestor da universidade em maio.

  90. Danilo

    -

    28/10/2011 às 11:03

    Como sempre a veja e seu posicionamento tacanha. Diz a Lei que o uso de drogas ilícitas não pode ser punida com prisão. Logo, se os policiais iam prender os estudantes, não estavam agindo de acordo com a Lei. Se foi encontrada quantidade suficiente para configurar tráfico, isto a justiça avaliará – e até o momento não aparenta ser isso o ocorrido.

  91. Renato

    -

    28/10/2011 às 10:55

    Se violencia resolvesse alguma coisa nesse mundo, era para estarmos vivendo em paz a muitos anos.

    Mais, enquanto não nos pacificamos, vamos continuar vendo cenas como essa e lendo comentarios absurdos pregando a violencia contra nós mesmo.

    Violencia dos marginais, agora violencia da policia e agora violencia dos estudantes. Será que resolveu alguma coisa? Mudou alguma coisa ? O ciclo vai sempre se repetir, enquanto voces quiserem ficar brigando com coisa tao pequena, quanto um planta.

  92. Andre

    -

    28/10/2011 às 9:31

    Me pergunto como a população se posicionaria caso o consumo de álcool fosse criminalizado (como é em diversas partes do mundo) e esses estudantes tivessem sido presos por beber cerveja… o bordão “sem consumo não tem venda” continuaria a ser proclamado e a repressão policial continuaria a ser elogiada?

    No meu ponto de vista, a repressão policial só deveria ser vista como solução para qualquer coisa em último caso, após exauridas todas as alternativas existentes…

  93. MARCOS

    -

    28/10/2011 às 9:23

    Rei, nos dê o sabor de ler os comentários destes vagabundos. Borrachudo nestes desclassificados. É bem simples resolver este problema, só não permitir que alunos repetentes ou prestes a jubilar frequentar o mesmo campus dos alunos que estudam realmente. Estou formado há 10 anos, e pelo menos na minha época os maconheiros não tinham capacidade de acompanhar os estudos e viviam organizando uma revolução – qual nem eles sabiam.

  94. Eduardo

    -

    28/10/2011 às 9:00

    Quando um jovem é assassinado no campus por marginais, todos cobram uma ação mais efetiva da polícia. Agora quando os safados, maloqueiros, maconheiros sem-vergonha resolvem consumir sua maldita erva e a polícia intervém, os alienados malditos querem interferir e protestar contra a presença da polícia. Burros, inuteis, pesos pra sociedade, pseudo-estudantes malditos, morram todos na mão do crime que vocês ajudam a financiar consumindo drogas!

  95. Samanta

    -

    28/10/2011 às 8:39

    Engraçado como algumas pessoas perdem o verniz de civilidade quando alguém, no caso, o Reinaldo, decide deixar claro que é contra o consumo da maconha. Além de criminosos, os usuários querem que todos entremos na onda?? Deve haver algum estudo mostrando que o consumo da maconha inibe as boas maneiras…

  96. Géssica

    -

    28/10/2011 às 8:27

    Se é democracia de farda pq político que rouba não é preso?

  97. Nelson Fordelone Neto

    -

    28/10/2011 às 8:21

    Claudio, você sem querer, apontou para um enorme problema. Se é um negro morador de periferia quem contesta a polícia, certamente ele apanharia, talvez até a morte, sem sequer precisar depredar coisa alguma.

    Há um sério problema crônico em um país em que o regime mudou diversas vezes entre autocracia e democracia, mas suas instituições permaneceram a mesmas, com as mesmas práticas. Isto leva a pensar que o autoritarismo e a violência ilegal do Estado é um reflexo de sua população. Isto é bastante grave.

  98. Tobias de Aguiar

    -

    28/10/2011 às 8:07

    Dia não às drogas.
    Sr Pedro de Oliveira “trouxa”,
    O Sr Reinaldo é muito maior moralmente, tanto que não se vale do anônimato – raro, principalmente nesse tema.
    Em tese isso configura ameaça, que tb configura crime! Não seja tolinhao, leia livros antes de ter computador.
    E não use drogas!

  99. Pino

    -

    28/10/2011 às 7:49

    Caro Escriba Reinaldo, não esquenta a cabeça nem perca seu precioso tempo replicando maconheiro. Duvido que consiga penetrância na cabeça desses caras. Seus neurônios trabalham em baixa voltagem!

  100. Tomaz

    -

    28/10/2011 às 7:45

    “077 diz- é melhor se comunista, maconheiro…” Não precisa dizer mais nada. Ve-se que o cérebro do cara tá cozido.

  101. Adelaide

    -

    28/10/2011 às 7:40

    Não sabia que a USP tá virada num fumaceiro, lamentável.
    Tantos jovens sonhadores, humildes… buscando loucamente uma universidade de peso igual a USP, no entanto, está ocupada por maconheiro.

  102. Exilado

    -

    28/10/2011 às 6:59

    A ironia chega a ser cruel: os maconheiros-pensadores que estudam na FFLCH figuram na mediocridade academica e nao sao capazes de um dialogo sem violencia. Parabens, FFLCH!

    Acho incrivel quantos defensores dos bandidos se apresentam neste blog. Vergonha para a USP (concordo que a FFLCH nao representa a USP, mas…), que e’ financiada com dinheiro de impostos do cidadao de bem. Acho que o contribuinte merece que seu dinheiro seja usado para educar quem realmente quer educacao, nao maconha.

    Os comentarios sao ainda de ordem violenta. E’ fato indisputavel que a FFLCH figura entre as notas de corte mais baixas da FUVEST, mas eu gostaria de pensar que mesmo seus alunos, menos privilegiados pelo sistema de educacao (sarcasmo a parte), seriam capazes de um debate inteligente. Claramente nao sao. E estamos falando dos filosofos, historiadores, e outros ditos pensadores.

    Nao ha’ o que discutir. Existem dois tipos de pessoas na sociedade civilizada:os que seguem a lei e os bandidos. Fumar maconha e’ crime, logo quem fuma e’ bandido. A policia nao tem que NEGOCIAR a aplicacao da lei – isso e’ abusurdo. Agredir a policia tambem e’ crime e quem pratica e’ bandido. Bandido com diploma ou nao, e’ bandido.

    Parabens para a policia. Na minha epoca de USP, estariamos aplaudindo a policia e agradecendo pela protecao que alunos de verdade precisam de bandidos.

    Quanto ao nobre PTralha, fumar maconha e’ ritual de passagem: passa-se de cidadao a criminoso. Universidade e’ para abrir horizontes e aprender a pensar, nao para cometer delito.

    Aos FFLCHENTOS maconheiros, voces financiam a violencia. Dentro de todas as suas teorias esquerdopatas e outras bobagens pateticas, voces procuram argumentos para a contravencao. Nao ha’ argumento superior a forca da lei: ate’ que a lei seja mudada, fumar maconha e’ crime, quem vende e’ bandido e quem compra tambem. Ou a lei nao se aplica a todos? O que voces andam estudando?

  103. Samurai Cuia

    -

    28/10/2011 às 6:52

    Gostaria muito que um traficante destes que vende drogas para estes estudantes matasse os pais deles em uma esquina destas da cidade ai depois eles fossem pedir liberdade para eles . Ou iriam pedir ajuda para policia chorando ??

  104. David Fernando

    -

    28/10/2011 às 6:24

    É lamentavel que um jornalista que tenha um espaço numa revista tão conceituada do país tenha uma cabeça tão pequena, e fale tanta asneira, você deve ter estudado o minimo, para ter um senso do que é certo e do que é errado, não é culpa de um ou outro policial, é culpa do sistema e principalmente de jornalistas que tentam por a maconha como a grande culpada pelos problemas do país com o tráfico, se o post do nosso amigo fosse mesmo baseado em fatos, como deve ser toda e qualquer reportagem, ele não falaria tamanha asneira, pare, pense e evolua meu caro Reinaldo.

  105. pedro couto

    -

    28/10/2011 às 6:18

    Lendo os comentários sobre o assunto em pauta. É de arrepiar até o cabelo de relógio (dos antigos), porque os de hoje já saem de fabrica totalmente carecas. São comentários intimidatórios, aos quais não devemos dar créditos. Porque o pessoal é tão metido a valente, mas na verdade não são homens para se identificar, preferindo atacar no anonimato. Usando de apelidos e nomes que não fazem o menor sentido. Talvez nem mesmo os nomes usados sejam os verdadeiros. Agem no anonimato, que é a arma dos covardes. Portanto a Policia tem que cumprir o seu papel de prender estes vagabundos e preservar os que realmente usam a USP.como uma Instituição Educacional. Temos que separar o joio do trigo, enquanto é tempo.

  106. pedro couto

    -

    28/10/2011 às 5:33

    Estou de pleno acordo com a Policia, neste caso do uso da maconha no Campus da USP e também porque não, nas suas imediações? Tem mesmo é que prender esta corja de desocupados. Que alem de estarem dando péssimos exemplos aos demais estudantes, ainda por cima, ocasionando despesas aos cofres do Estado. O qual arca com todos os compromissos gerados por esta Unidade de Ensino, em beneficio dos alunos. Agora por causa de três elementos, sacrificar uma coletividade, aí já é demais. Por isso a Policia tem mesmo é que agir e prender os malfeitores. E se for preciso, usar a força bruta, para conter a fúria do cidadão.

  107. ZULEIKA AMARAL

    -

    28/10/2011 às 3:54

    Reinaldo: estamos no LIMITE DOS LIMITES DE PASSIVIDADE E
    COVARDIA,concorda?!Estas hervas extremamente venenosas que estão crescendo desbragadamente no nosso chão e na nossa cara precisam ser ARRANCADAS PELA RAÍZ,e não será
    através destas conversinhas nojentas,cínicas,descaradas,
    que que seremos iludidos de novo!Você sabe o que penso à
    respeito da solução definitiva para o BRASIL:com o EXÉRCITO NAS RUAS,DEMOCRÁTICAMENTE,e SÓ ATÉ RESOLVEREM A
    QUESTÃO,O POVO,TAMBÉM,IRÁ ÀS RUAS PORQUE CONFIA NOS MILI-
    TARES.CONFIA QUE ELES SERÃO A FORÇA CAPAZ DE DEFENDER O PAÍS E SEU POVO CADA VEZ MAIS SOFRIDO.Pelo amor de Deus,não pense que seria outra ditadura,não,porque depois
    de extinguidas as raízes malígnas definitivamente,as eleições se darão dígnamente e sem compras de votos-40 mi-
    lhões para a Dilma!-o povo já terá entendido muito bem, e
    como votar certo NUM CIDADÃO GENTE BOA!!!”

    ZULEIKA AMARAL

  108. Anonymous

    -

    28/10/2011 às 3:31

    Ah, sim. Grande sabedoria, carequinha. A grande motivação de não quererem polícia no campus é que todo mundo quer ficar fumando maconha e a polícia guerreira impede a universidade de virar um inferno de narcotraficantes. Alguém realmente leva esse tipo de opinião a sério? Que tipo de protozoário fundamenta a própria opinião lendo esse site?

  109. José Freitas

    -

    28/10/2011 às 3:29

    Todo o caso deveu-se à revista de três alunos que não estavam fazendo nada. Não houve consumo de drogas, nem suspeita que motivasse a revista. Além do mais, foi na área de convivência do prédio da História que tudo aconteceu, não num carro. Cheque seus fatos antes de sair acendendo pavios por aí.

  110. Leonardo

    -

    28/10/2011 às 3:26

    O mais estranho pra mim é o fato de que se os estudantes estivessem bebendo ao invés de fumando maconha seria “normal”.Mas o que é normal? O que se vende no buteco?ou na biqueira? O q “a lei diz” é normal?Acho que ja esta na hora de uma libertação de ideias gastas,mal formuladas e baseadas na hipocrisia!DA-LHE DITADURA DA MÍDIA

  111. Durruti vive.

    -

    28/10/2011 às 3:21

    Eis que a hora vai chegar, sempre chega ReiNADA Azevedo. Você que proclama aqui sabias palavras, acumula um ódio brutal por qualquer setor da população que não seja da sua linda burguesia paulista, cuidado, a lei tambem enquadra você fascistinha de apartamento. Se tens tanto poder, por que não o vejo em atos pequeno-burgueses proclamando esse ódio na frente de um marginalizado (alias, marginalizado pela sua classe) ? Claro, por que é muito fácil esconder-se atras das páginas online de uma revista decadente e enganadora. E não me venha com papos e mais papos, na grande verdade tu é um bonachão da direita, que caga nas calças de saber que sua cabeça está na fila da história, pois como um de seus mentores intelectuais falidos, Fukuyama, registrou erradamente, não é o fim da história parceiro.

  112. Cesar Tiossi

    -

    28/10/2011 às 2:56

    A questão é a quem interessa a venda e o consumo de drogas na USP. Será que por tras desse apoio não existe um interesse financeiro? Será que dentre os manifestantes não estão aqueles que querem manter esse negócio das drogas em um local tão lucrativo como a USP, cheio de playba disposto a queimar a grana do papai no vício? É para se investigar.

  113. Pedro Oliveira

    -

    28/10/2011 às 2:36

    O Reinaldo, sorte sua eu não encontrar você na rua.

    REINALDO RESPONDE
    Mas a sua sorte pode ser menor. É possível identificá-lo se algo me acontecer. Ademais, isso prova que você precisa mesmo é de polícia, não?

  114. Anónimo

    -

    28/10/2011 às 2:29

    São os capitalistas os culpados? Sim. SÃO. São os pais dessa pelayboysada que coloca seu prazer acima de tudo e de todos. O pai rico acredita que os vermelhos da USP estão estudando, mas eles estão torrando a grana do papai em maconha. E, além do mais, a quem interessa o tráfico no campus da USP? Quem se preocupa em perder a clientela?

  115. Tharley Mota

    -

    28/10/2011 às 2:19

    A FFLCH NÃO É A USP.. NÃO MERECE E NÃO HONRA FAZER PARTE DESSA UNIVERSIDADE!!!
    MACONHEIROS FDP’S FINANCIADORES DO TRÁFICO SUA HORA VAI CHEGAR: OU NO CASSETETE DA POLÍCIA, OU NA ARMA DO TRAFICANTE QUE VIER LHES COBRAR OU PELA JUSTIÇA DA SOCIEDADE QUE NÃO TOLERA SUSTENTAR VAGABUNDOS QUE FINGEM SER ESTUDANDES…

  116. Porta Torta

    -

    28/10/2011 às 2:07

    Faço a ressalva antes de mais nada: há muitos estudantes sérios e trabalhadores na História e Geografia, na Ciências Sociais e Filosofia, e nas Letras, a imensa maioria. Mas,… Todo frequentador da Cidade Universitária SABE que é no prédio da História e Geografia que traficantes e maconheiros parecem viver sua idílica repúbliqueta independente, ao arrepio da Lei!!! Há maconheiros na Poli, na Fea, na Medicina? É claro que há! Mas eles foram fumar na História e já voltam…

    Fato lamentável é que em matéria de maconha, trocar USP por PUC ou outra escola privada dá quase na mesma, a única diferença é que os maconheiros da última pagam mensalidade…

  117. Juliana Oliveira

    -

    28/10/2011 às 1:59

    REINALDO RESPONDE
    Vai procurar tua turma, Mafaldinha! Aqui não há remelentos!

  118. carlos

    -

    28/10/2011 às 1:51

    Diga lá, rei: e pq a maconha deve ser proibida e o álcool não? qual a diferença?

    REINALDO RESPONDE
    Procure no arquivo do blog

  119. Lucas

    -

    28/10/2011 às 1:36

    REINALDO COMENTA
    Vai procurar tua turma, rapaz! Seu amor não é correspóndido.

  120. Anônimo

    -

    28/10/2011 às 1:23

    Ei, maconheiros…
    O que é vocês vão dizer em casa, para as suas mamães?

  121. 077

    -

    28/10/2011 às 1:11

    É melhor ser comunista , maconheiro do que ser um capitalista burro e alienado.

    REINALDO COMENTA
    Como você sabe, babaca? Um capitalista pode decidir ser comunista e maconheiro, mas um comunista e maconheiro não pode decidir ser um capitalista.

  122. Roberto Kenard

    -

    28/10/2011 às 0:57

    Há momentos em que penso: Dilma ou é aluada ou debochada. Mandar livros de presente de aniversário para Lula!! Vão ser jogados na lata de lixo da cozinha. Esse senhor sequer um dia abriu um catálogo telefônico, imagina um livro.

  123. Carlos

    -

    28/10/2011 às 0:55

    REINALDO RESPONDE
    Vai procurar tua turma, cretino!

  124. Groß São Paulo

    -

    28/10/2011 às 0:49

    A grande nação paulista vai mostrar o que é bom pra esse bando de comunista maconheiro!

  125. Censurado

    -

    28/10/2011 às 0:41

    O incidente foi sem duvida orquestrado. Os minoritarios de sempre visavam o tumulto e seu ápice: a ocupação do predio da administração da FFLCH.
    Pobre Faculdade, refem dos rebentos ignorantes e sem moral nutridos em sua retorica radical saudosista.

  126. Francisco

    -

    28/10/2011 às 0:28

    Diferentemente desses maconheiros, que são só alunos, sou aluno e estudante da USP e finalmente alguma providência foi tomada contra essa minoria vagabunda que acha que está acima da lei e mancha o nome da nossa Universidade.

  127. anonimo

    -

    28/10/2011 às 0:21

    este país está ficando insuportável!

  128. Felipe blumen

    -

    28/10/2011 às 0:18

    REINALDO RESPONDE
    Vai procurar tua turma, cretino!

  129. frantieska

    -

    28/10/2011 às 0:18

    os maiores consumidores de drogas estão nas escolas e faculdades. Como educar e ensinar esses rebeldes? e quando se fala em rebeldes os olhos de muita gente brilha como um elogio, uma admiração, mesmo que esses rebeldes sejam cabeças ocas e são fortes concorrentes para destruir não somente suas vidas e de suas familias, mas de muitas outras pessoas.

  130. frantieska

    -

    28/10/2011 às 0:14

    alguém aí quer um professor maconheiro para seus filhos? onde essa thurma vai parar? nas salas de aula? padrinhos eles tem… os desconstrutores da moral e da ética;

  131. Jonathan

    -

    28/10/2011 às 0:14

    Legal passar na USP pra fumar maconha… aula de amanhã como queimar um baseado sem ser visto pela PM… lamentável este país.

  132. anônima-RJ

    -

    28/10/2011 às 0:11

    É o fim das instituições:
    “Dnit: TCU permite aditivos em obras suspeitas” no Globo online
    Se não roubam de um lado, roubam do outro!

  133. Carlos Eduardo Carvalho Ribeiro Machado

    -

    28/10/2011 às 0:10

    Acabei de ver as fotos no Uol, caramba tem uma foto de um livro vermelho em riste! E um “aluno” em cima da patrulha. Engraçado aqui na minha terra seria borrachada na rapaziada, mas filho de bacana tem que ter muito diálogo… e depois gás. Fez bem a polícia e sem essa de liberdade, legalização e outras bossas e farândolas!!!

  134. Anônimo

    -

    28/10/2011 às 0:10

    Os maconheiros vão prender a polícia!
    .
    Sóóóóóóó….

  135. EDUARDO

    -

    28/10/2011 às 0:09

    Não adianta,essa gente se acha o máximo, com seus cigarrinhos… Não gostam da polícia, e sempre tem aqueles idiotas que dizem “isso é coisa da Ditadura”, nessa altura do campeonato! Até um deles tomar um tiro de um latrocida drogado e depois reclamar da falta de segurança (e culpar o capitalismo, é claro).

  136. Claudio

    -

    28/10/2011 às 0:05

    Se um negrinho e pobre sobe um carro da polícia; danifica vidros e lataria de viaturas e atira pedras contra policiais imaginem o quanto de pontapé e soco ele vai levar na boca do estômago. Agora esses mérdinhas de classe mérdia (não é classe média, que trabalha e cumpre as leis) acham que podem fazer tudo que lhes dá na telha. A polícia precisa parar de ter medo dos pais desse moleques e usar a mesma força que usam para coibir o crime nas periferias. Se na periferia vão chutando o traseiro de quem não cumpre a lei até a delegacia devem fazer o mesmo com esses panaquinhas de universidade. Aprendam com a polícia americana, que emprega a força de verdade com esse tipo de mequetrefe vagabundo. Eu juro que, se sou polícia, não levaria uma pedrada de um merda desse sem que ele levasse muita porrada depois. Se a polícia usa o porrete pra fazer valer a ordem nas periferias que faça o mesmo nessa porcaria de universidade aí. E um recado pro reitor da USP, recolha os nomes de quem depredou os carros da polícia e mande esses @#$%&* pra fora da universidade. Uma ação dessa desses moleques renderia a eles uns 10 anos de prisão nos EUA, mas no país de merda; país desgraçado e sem ordem, que é o Brasil, onde cada verme acha que pode tudo nego apronta até achar um mais “sangue no olho que ele”. Quando mataram aquele moleque na USP foram todos chorosos atrás da apolícia, né filhas da ****?! A esquerdalha está procurando confusão faz tempo, intimidando alunos de universidades, atacando policiais etc., mas na hora que o caldo entornar nêgo vai rezar pra nunca na vida ter vestido uma camisetinha vermelha na vida. Estamos todos nós, cidadão corretos e cumpridores dos nossos deveres cívicos, já ficando de saco cheio de toda essa merda! Uma hora essa por** toda vai explodir e nêgo vai chorar lágrimas de sangue.

  137. Walter Assis

    -

    28/10/2011 às 0:04

    Dá-lhe PM de SP. 1×0 para a civilização.

  138. Ramon Navarro

    -

    28/10/2011 às 0:00

    Eis aí a minha oportunidade, ara te perguntar pela enésima vez: A PM é uma das manifestações da democracia de farda; tudo bem, concordo plenamente,está aí para a defesa da sociedade e do estado de direito, creio assim; pois bem, quanto a defesa do patrimônio público, formado pelos impostos que nós pagamos, que polícia usaremos ante os fumegadores do erário público formado há tempos, não pelo petismo, mas convenhamos, consolidados por eles? Todos paticam os crimes, maconheiros e partidos, pra uns uma polícia de farda, e pros outros?

    REINALDO RESPONDE
    Tratamento idêntico. Os vagabundos da USP atacaram a polícia. Aliás, quem apanhou foram os PMs

  139. Anônimo

    -

    27/10/2011 às 23:57

    Maconheiro, como todo degenarado,
    no fundo gosta de apanhar das “otoridadfes” (PMs)
    .
    Elas, “as maconheiras”, vivem brincando de gato e rato com as “otoridades” (PMs e “civil”)
    .
    É uma relação de amor & ódio, essa, a dos degenerados maconheiros com as “otoridades” (PMs)
    .
    E tome fumacê, tráfico na favela e bordoada de cassetete (ui!)

  140. Felipe

    -

    27/10/2011 às 23:57

    Quando é que essa escória comunista irá parar de denegrir o nome da USP? Será que esses vândalos (Não são estudantes!) não sabem que a lei é uma, e deve ser aplicada a todos? É isso que eles chamam de comunismo? Eu chamo de bandidagem! A PM não basta! A Tropa de Choque deveria ter sido acionada. Um desrespeito para com os professores e os verdadeiros alunos da instituição! Expulsão para essa ralé, não por ser uma ralé intelectual (afinal, numa democracia, os cidadãos podem ser idiotas… quer dizer, comunistas), mas por desrespeitar as normas básicas do convívio humano! Reinaldo, continue denunciando essa bandidagem que se camufla de estudante!

  141. Eduardo

    -

    27/10/2011 às 23:53

    Agora vem o movimento maconheiro para tentar tirar a POLICIA DA DITADURA da USP.

    Só faltava estes caras quereren que a policia faça vista grossa.

    Só não esqueçam que o aluno foi morto por usuários de drogas que estavam lá dentro.

  142. Anônimo

    -

    27/10/2011 às 23:50

    Srs maconheiros, os srs são financiadores e cúmplices do tráfico e de todas as suas nefastas consequências.

  143. SidneyCWB

    -

    27/10/2011 às 23:47

    Mas não estavam reclamando da falta de policiamento, roubos e até latrocínio no campus? O que querem, afinal?

  144. lvza

    -

    27/10/2011 às 23:42

    Penso que o lugar de aprender é escola e todas suas derivações. É o lugar onde a honestidade, o caráter e as leis tem que ser preservadas e ainda mais exaltadas para serem entendidas. Drogas, bebidas alcoolicas e afins deveriam ser mantidas fora dos campus e repartições publicas (sabemos que nem sempre são). O governo como grande nacionalista, somente comprar o que é produzido em solo nacional, ele fala em barreira comercial para beneficio a industria nacional enquanto prefeitos, governadores, deputados e outros andam de carro mexicano, argentino, ou outros paises? Sobretaxa a população os importados enquanto eles mesmo compram os importados, e a preço de custo? Sabemos que essas taxas são só meios de aumentar a arrecadação, porem deveriam ao menos encenar o certo, fica menos feio.

  145. Nanico

    -

    27/10/2011 às 23:38

    O pior é o estado de maconha mental desses inúteis,diletantes da erva,
    fardo social sustentado com dinheiro dos trabalhadores.
    Nanico

  146. Decio

    -

    27/10/2011 às 23:36

    E cada dia que passa se vê a grande busca por profissionais em quase todas as áreas. O Brasil não produz técnicos pra atender a demanda. Tá uma dificuldade danada conseguir um operador de (vejam só!!!) máquina agrícola. Nossa (nossa?) indústria evolui conforme a evolução agrícola brasileira (a mais perfeita do mundo), e não nos surpreendemos em termos que ‘importar’ mão-de-obra. Mas como nosso governo insiste em importar alimentos, que por aqui sobram (são usados como ração animal), é TUDO NORMAL importar também mão-de-obra, já que nossas universidades, na maioria dos casos, conforme cita a reportagem, formam drogados. E êsses ‘formandos’ só irão contribuir prá ‘indústria bélico/traficante’.

  147. Octávio

    -

    27/10/2011 às 23:26

    Enquanto não se criminalizar o consumo de drogas ilícitas, será esta palhaçada que assistimos todos os dias. Quem vende é monstro, quem compra é santinho. Ora, faça-me o favor!

  148. Fernando

    -

    27/10/2011 às 23:24

    Que vergonha ver esse bando de maconheiros impedir a polícia de trabalhar, agredi-la e ainda ser apoiado por professores da USP. Em tempo: a FFLCH não é a USP inteira, e os marxistas que lá se escondem também não. Tomara que o exemplo dos estudantes da UNB seja seguido em todo o Brasil. UCC da USP, força!

  149. Marcelo - Vítima da Bancoop

    -

    27/10/2011 às 23:22

    Tio, vc já me conhece de outros carnavais. Estudei na FFLCH até o primeiro semestre deste ano (me formei, finalmente). Estudei na PUC quando eu era mais jovem.
    Nas duas instituições, cigarrinhos do capeta eram encontrados facilmente. Inclusive nos Centros Acadêmicos.
    Sempre bati de frente com esses hipócritas maconheiros que se julgam acima do bem e do mal. Sempre achei um ABSURDO que eles sejam os GRANDES FINANCIADORES DOS TRAFICANTES. É isso. A venda da canabis é que sustenta a compra da pasta de cocaína.
    E esses desgraçados sempre se acham vítimas do sistema, tadinhos!!! São oprimidos!!!
    A erva serviria para uma suposta expansão da mente…
    E nós, caretas, seriamos antiquados, quadrados, infelizes. TÁ LEGAL.
    Esses “pra-frentex” sempre me irritaram, com suas falas moles e cérebros idem.
    Passou da hora: a sociedade PRECISA enfrentar essa corja desgraçada. Para o bem do Brasil.
    Abaixo a maconha, porta de entrada do mundo perverso das drogas.

  150. Decio

    -

    27/10/2011 às 23:21

    VÊZES CORRETO, REINALDO!!!
    Sempre defendi, aqui, e onde tive oportunidade: O grande criminoso é, e sempre será, o CONSUMIDOR/USUÁRIO da droga.
    Se não houver comprador, não haverá vendedor, nem produtor, nem traficante… Acabem com a hipocrisia!!!

  151. Nilson Gabriel

    -

    27/10/2011 às 23:20

    Assim é o pessoal da USP: Roubar seus carros importados não pode, mas fumar um baseadinho pode… São os mesmos que aplaudiram o Tropa de Elite 1 fazendo o que viram no filme. Pelo amor, viu?

  152. Gabriel Moura

    -

    27/10/2011 às 23:14

    Punição séria ao usuário também! Quem usa droga dá dinheiro para as FARC.

  153. Ditoso

    -

    27/10/2011 às 23:13

    >>

    Ditoso

    Ditoso seja aquele que somente
    se queixa de amorosas esquivanças;
    pois por elas não perde as esperanças
    de poder n’algum tempo ser contente.

    Ditoso seja quem, estando ausente,
    não sente mais que a pena das lembranças;
    porque, inda que se tema de mudanças,
    menos se teme a dor quando se sente.

    Ditoso seja, enfim, qualquer estado
    onde enganos, desprezos e isenção
    trazem o coração atormentado.
    Mas triste quem se sente magoado
    d’erros em que não pode haver perdão,
    sem ficar n’alma a mágoa do pecado.

    Luiz Vás de Camões

    <<

  154. Ditoso

    -

    27/10/2011 às 23:11

    >>

    Ditoso

    Ditoso seja aquele que somente
    se queixa de amorosas esquivanças;
    pois por elas não perde as esperanças
    de poder n’algum tempo ser contente.

    Ditoso seja quem, estando ausente,
    não sente mais que a pena das lembranças;
    porque, inda que se tema de mudanças,
    menos se teme a dor quando se sente.

    Ditoso seja, enfim, qualquer estado
    onde enganos, desprezos e isenção
    trazem o coração atormentado.
    Mas triste quem se sente magoado
    d’erros em que não pode haver perdão,
    sem ficar n’alma a mágoa do pecado.


    <<

  155. José Maria Pessoa de Melo

    -

    27/10/2011 às 23:10

    Afinal essa rapaziada estuda, ou enche de torpeza os
    neurônios. Jovens isto não passa de uma fantasia! Vocês
    serão a nossa esperança científica, porém nesse rítimo,
    que, o “SENSUS SANO” fica fora da lucidez CIENTÍFICA, por-
    tanto cuidem-se, porque, senão jamais chegarão ao píncaro
    DA GLÓRIA CIENTÍFICA. Tenho dito.
    JM. Olinda, 27 de outubro de 2011.

  156. André

    -

    27/10/2011 às 23:01

    discutir “problemas” dentro de universidades é ridiculo,acho que deveria dar mais atenção a problemas de verdade,por exemplo a dilma caga e ela mesma limpa e depois suja e depois limpa,e o brasileiro acha que é faxina!isso é ridiculo! o reinaldo,fale de assuntos mais relevantes ao pais.

    abraços.

  157. Barba

    -

    27/10/2011 às 23:00

    Provavelmente esses “alunos” querem ser conhecidos como maconheiros de vanguarda. E pensar que isso tudo se acentuou a partir de 2003. E tem gente que defende o direito dos “progressistas” de fazerem uso do mato na universidade, justo lá! Borracha democrática não mata ninguém!

  158. OFF TOPIC - ROUBO DA PETROBRAS NA CARA DO EXÉRCITO E DO TCU

    -

    27/10/2011 às 22:53

    COMO INVESTIR NO COMUNISMO USANDO VERBA DA PETROBRÁS SEM DEIXAR RASTRO NO T.C.U.?
    .
    SIMPLESMENTE FORJANDO UM GOLPE DE ESTADO CONSISTINDO DE TOMADA DE UNIDADES PETROLÍFERAS ALHEIAS E ASSIM O LULA FICA LIVRE DE PRESTAR CONTAS DA ROUBALHEIRA QUE SERIA SACADA DOS COFRES DA PETROBRAS. ACEITOU MÍSEROS 100 MILHÕES E OBTEVE A PETROBRÁS DESVINCULADA DO BRASIL PARA REPASSAR OS LUCROS P/ O FORO DE SÃO PAULO.

  159. Marcelo

    -

    27/10/2011 às 22:48

    Tô com a PM. Esses maconheiros poderiam se reunir nas suas respectivas casas para o consumo do mato. Mas optaram por fumar abertamente no campus. Ao consumir substâncias ilícitas em público eles se sujeitam ao rigor da lei. A refrega entre esses vagabundos e a PM autoriza o uso da borracha no lombo desses pilantras. É o melhor a fazer. Quando cessam os argumentos, canta a borracha.
    Vão queimar capim no inferno, maconheiros de m….

  160. Mr. Carcaju

    -

    27/10/2011 às 22:44

    Já pararam para pensar que muitos abraçam a esquerda pois tem dificuldades de amadurecer? De assumir responsabilidades? Tem horror ao esforço, ao estudo, repetem chavões militantes e ganham diplomas por isso, gostam da bagunça, de serem tutelados pelo estado.

    Querem sempre ter uma teta para mamar!

    Se são contrariados, fazem beicinho! Batem pezinho! Se jogam no chão!

    São eternos Peter-Pans queimando erva e fazendo tumulto!

    Cresçam!

  161. Rubens Costa

    -

    27/10/2011 às 22:42

    Reinaldo, boa noite! Minha filha estuda na USP. Não fuma e não consome nenhum tipo de bebida alcóolica. Segundo o que ela me conta, o pessoal que do PSTU, que comanda o grêmio (não tenho certeza se o nome é correto) é tudo maconheiro e desocupado.

  162. anonimo

    -

    27/10/2011 às 22:40

    Perfeito! A lei tem que ser respeitada.
    Universidade não lugar de se drogar, independente de qualquer outra coisa.
    E polícia também se respeita. Vai lá nos países do primeiro mundo, onde os trogloditas são poucos, e desacate a polícia!
    Molecagem é um saco! Que voltem para o Jardim de Infância. Lá é o seu lugar.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados