Blogs e Colunistas

25/11/2011

às 6:55

Artista, malabarista, açougueiro e jornalista têm o direito de ter o miolo mole. Mas tem o dever democrático de agüentar a crítica. Ou: Falar mentiras é diferente de ter uma opinião

No mundo inteiro, meus caros, celebridades, especialmente as ligadas ao showbiz e ao mundo das artes, vivem dando opiniões. E falam com ainda mais paixão sobre aquilo de que não entendem. No Brasil, por razões várias, esse traço é ainda mais acentuado. Conversava, na tarde de ontem, com um jornalista amigo, que atua em Brasília, um gigante da profissão, e concluímos que isso vem daquele tempo em que todos combatíamos a ditadura, e qualquer opinião que fosse “contra o regime valia a pena”. Assim, Chico Buarque, Caetano Veloso e Gilberto Gil, para citar três exemplos, digamos, icônicos, se confundiam com autoridades em todos os assuntos, até… música popular! Economia, política, filosofia, poesia, sociologia, relações internacionais, qualquer coisa. Caetano, se não me engano (pode ser apenas uma memória generosa e falsa que tenho dele), chegou a fazer blague de si mesmo, com sua mania de opinar sobre tudo. José Guilherme Merquior afirmou certa feita que ele era um “intelectual do miolo mole”, e o cantor concordou em parte, num exercício de auto-ironia. Bem, Caetano e Chico andam meio afastados das polêmicas; no lugar, há um tal Moron, Moroni ou algo assim. Não parei para ver quem é. Sigamos.

Artista pode opinar sobre temas que estão fora de seu ofício? Ora, claro quem sim! Também são cidadãos. Mas seria recomendável que não procurassem usar a “autoridade” ou apreço que conquistaram em sua profissão para conferir peso a tolices que pura e simplesmente ferem os fatos. As Organizações Globo divulgaram seus Princípios Editoriais, válidos para o jornalismo. Eles regulam, entre outras coisas, o comportamento dos jornalistas que trabalham para as empresas do grupo, que não devem, por exemplo, fazer campanhas políticas. É o correto. Ou a isenção estará comprometida. Artistas não são jornalistas, sei disso, mas como ignorar o fato de que a “autoridade” que supõem ter para se posicionar sobre o Código Florestal, a usina de Belo Monte ou os royalties do petróleo lhes foi conferida por uma marca — a Globo — de quem se espera aquele compromisso com a verdade? Um “Gota d’Água” com estrelas de outra casa seria solenemente ignorado. Não dá para fingir que a emissora não tem nada com isso. Talvez seja chegada a hora de estabelecer alguns “Princípios” também para os artistas contratados.

A Internet é um instrumento poderoso, e cá estamos nós — não é, leitores? na labuta diária: esclarecendo, opinando, levando pancada, batendo de vez em quando, já que a turma “do lado de lá” é chegada a dar rasteira e voadora, e cumpre não se intimidar. Mas as chamadas redes sociais também são instrumentos de propagação da ignorância, do atraso, da vigarice intelectual. Se não estivermos sempre atentos, e vou evocar um jogo de palavras antigo, mas útil neste momento, a força do argumento acaba cedendo ao argumento da força. No caso da Internet, a “força se torna argumento” quando uma maioria relativa (vale dizer: a maioria dos que se expressam na rede) pode dizer ou aderir a uma tolice e, por mais errada que esteja, sufocar aqueles que discordam.

Foi o que aconteceu com o tal vídeo “Gota d’água”, estrelado pelos globais. A quantidade de bobagens, de mentiras, de simplificações e de parvoíces ditas ali é certamente recorde para um filmete de cinco minutos. Mas todos eles estão muito convictos, certos de que aderiram a uma boa causa e de que são os santos guerreiros protetores da natureza contra os dragões da maldade que querem destruir a floresta. O post que escrevi evidenciando algumas das bobagens gerou um baita sururu. Chegou a dar pau no sistema! Houve três ordens de reação: alguns que comungavam do meu ponto de vista ficaram contentes ao vê-lo expresso; outros tantos se surpreenderam porque não haviam se dado conta das tolices, e houve o terceiro grupo que, ao constatar a verdade sem o sutiã da mistificação, ficou ainda mais furioso — este preferiu me atacar e me acusar de querer censurar os atores. Eu não quero censurar ninguém! Ainda que ache que eles cometem uma espécie de “abuso de autoridade estética e ética”, já que usam aquilo de que entendem para sentenciar sobre o que não entendem, que falem! Mas que tenham a decência de ouvir o contraditório. Mais do que isso: cada um pode ter a opinião que quiser; mentir não pode!

Simplificação grosseira
O vídeo traz uma soma vergonhosa de mentiras e é de uma ligeireza absurdamente irresponsável. O Brasil não precisa de energia apenas para que os brasileiros “assistam à novela”, como afirma Marcos Palmeira — até parece que seu ofício principal é outro e que ele ganhou notoriedade por ser produtor de morango orgânico… Também não é para que uma loura lá, outra que não sei quem é, possa carregar as baterias do “iPhone, do iPod, do iPad, do iTudo”, como ela diz, fazendo-se de mais tonta do que provavelmente seja na vida real.

Sem energia, as indústrias têm de parar, e há desemprego em massa. Sem energia, os hospitais públicos têm de parar (os dos ricos contam com gerador), e os pobres ficarão com seus respectivos abdômenes abertos, nas salas de cirurgia. Sem energia, os investidores deixam o seu dinheiro no banco porque não vão se arriscar a ter um apagão pela frente. Sem energia, não há crescimento econômico, e a pobreza e a miséria se alastram, e os remediados ficam pobres.

A novela do Palmeira ou o “iTudo” da loura que se faz de louquinha são só a expressão doméstica e a privada do uso da energia. Belo Monte é uma questão que diz respeito ao planejamento estratégico — ela, as demais usinas em construção e outras tantas que terão de ser feitas. Essa gente, sem querer, expõe um aspecto que sempre apontei no ecologismo doidivanas, embora seja ricamente financiado por potentados econômicos estrangeiros: seu aspecto obscurantista.

Vocês acham mesmo que aqueles bacanas se ocuparam ao menos de ler a respeito? Tentaram se informar? Pensaram minimamente sobre o assunto? Nada! Ou não diriam aquela coisa estúpida: já que a usina vai gerar apenas um terço do seu potencial (na verdade, é mais, em torno de 40%), então não pode ser feita! Como se o Brasil pudesse abrir mão dos 40%. E não pode! E só será assim, como deixei claro, em razão das imposições ambientais. Perguntem à China, à Rússia ou à Índia, países emergentes como o Brasil, se buscariam ou não fazer a sua “Belo Monte” render o máximo… Eles, que não dão a menor bola para danos ambientais gigantescos (e não sugiro que o Brasil siga a trilha) o fariam ainda com mais gosto se o dano ambiental fosse, como seria o nosso ainda que se fizesse o grande reservatório, mínimo!

Que fique claro:
1
– O Brasil não precisa de energia elétrica só para satisfazer os chiliques da turma do “iTudo” e da novela;
2 – a usina não vai inundar terras indígenas;
3 - a usina não vai desalojar índios;
4 – a usina não vai mudar substancialmente o regime do rio Xingu;
5 – a inundação, como o demonstrado, é ridiculamente pequena; mais: parte dela já é inundada hoje no período das chuvas;
6 - a energia utilizada não será usada apenas pelos “grandes capitalistas”; é mentira! 70% será comprada pelas redistribuidoras, que venderão aos brasileiros, NÓS TODOS, que precisamos de energia, sim!;
7 – ainda que fosse energia apenas para empresas, é bom lembrar: elas geram empregos para os brasileiros, que, assim, se livram da pobreza; brasileiros que têm o direito de trabalhar, assim como aqueles atores da Globo;
8 – as populações ribeirinhas, não-índias, que serão desalojadas vivem hoje numa situação de extrema carência, de miséria; se esses atores querem ser úteis, deveriam se organizar para verificar se as condições de reassentamento serão mesmo adequadas. Mas isso dá trabalho.
9 – é impossível — APENAS ISTO: IMPOSSÍVEL — abrir mão das hidrelétricas em favor da energia eólica ou solar porque é técnica e financeiramente inviável;
10 – a crítica que poderia ser pertinente — o custo da usina aos cofres públicos — se perde na boçalidade à medida que os “artistas” não estão debatendo o peso excessivo do estado no empreendimento, mas tentando afirmar que tudo não passa de desperdício. É uma bobagem! UM PAÍS TEM A OBRIGAÇÃO DE FAZER INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURA. Querem lutar contra uma bobagem? Combatam a estupidez do trem-bala. Mas sei: isso não chama a atenção do Sting ou do Leonardo DiCaprio…
11 – índios, senhores patetas, precisam, sim, de educação e antibióticos, como todos nós. A idéia de que eles vivem bem nas carências da mata é coisa de gente estúpida, desinformada ou cruel.

Perversidade dos bacanas
No texto em que fundi um pouco de política com memória texto em que fundi um pouco de política com memória (aquele do ferrorama), abordo a perversidade dos bacanas, que costumam ter uma visão um tanto turística da pobreza. E assim é também com a natureza. Essa gente vê o seu próprio país pelo filtro das celebridades preservacionistas americanas ou européias, devidamente financiadas por entidades que não têm qualquer compromisso com o desenvolvimento do Brasil. Não se trata de nenhum juízo conspiratório, não! Trata-se da coisa mais comezinha do mundo: interesse.

Já lhes falei, por exemplo, daquele estudo intitulado “Farms Here, Forests There”, feito nos EUA. Estava sendo divulgado por uma ONG chamada, imaginem!, “Union of Concerned Scientists”. Trata-se de uma “União de Cientistas Preocupados” com o meio ambiente, amiguinha dos nossos ambientalistas, como Marina Silva, por exemplo. Ora, quem é que deu dinheiro para o tal estudo “Fazendas aqui (nos EUA), Florestas lá (no mundo emergente, como o Brasil)? Os grandes agricultores americanos! Eu estou falando de fatos, não de teorias conspiratórias.

Essa gente pode ser boba o quanto quiser e falar as asnices que desejar. Mas têm de se expor à crítica e saber que asnices são. Num dos posts abaixo, há um vídeo em que um rapaz desmonta, com paciência chinesa, cada uma das mentiras influentes sobre Belo Monte. Fui checar as informações que ele veicula. São absolutamente verdadeiras, e suas contas são tecnicamente procedentes.

Eu não me oponho a que Maitê Proença tire o sutiã. Ao contrário: ainda que com poucas informações, não fornecidas pelo vídeo, eu sou é a favor. Mas não por causa de Belo Monte. Esse negócio de tirar sutiã em razão de causas ficou lá com Betty Friedan. Verdadeiramente contestador hoje é tirar o sutiã sem causa nenhuma. Só porque deu vontade.

Como vou esquecer de Vinicius, nesse caso?
(…)
Vós que levais tantas raças
Nos corpos firmes e crus:
Meninas, soltai as alças
Bicicletai seios nus!
No vosso rastro persiste
O mesmo eterno poeta
Um poeta – essa coisa triste
Escravizada à beleza
Que em vosso rastro persiste,
(…)

Por um mundo sem sutiã e de luz acesa!!!

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

272 Comentários

  • Mozer

    -

    25/4/2012 às 10:55 am

    Excelente post,tem tudo que falta hoje em dia a população brasileira,informação,verdadeira sem interesses pessoais de manipular a opinião alheia.Parabens!!

  • Tiago Bartz

    -

    6/12/2011 às 11:28 pm

    Reinaldo, já percebi meu erro (bem grave, por sinal). Estou formando uma opinião sobre algo que está ocorrendo agora a partir de um princípio que nem sequer existe ainda (o princípio libertário de propriedade privada, que não daria certo se aplicado atualmente no mundo, por mais lindo e justo que seja). É simplesmente maluquice mesmo. Partindo-se desse princípio, retirar pessoas de uma região na base da força está errado (sejam indígenas ou uma população ribeirinha minúscula qualquer), mas não tem outro jeito. Sem contar que eu teria que me alinhar com os ambientalistas mais fanáticos (e pra isso teria que ser muito maluco mesmo, como já demonstrado aqui: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1157). Apenas me precipitei sem ler o suficiente. Erro meu. Abraço.

  • Tiago Bartz

    -

    6/12/2011 às 7:37 pm

    Só não entendi como ‘desalojar’ indígenas não implica justamente em desrespeitar os direitos de propriedade deles (se estão lá por um bom tempo e não roubaram aquilo de ninguém, é deles. Ou tudo é do Estado -fascismo/socialismo- antes de ser de alguém?).

    Antes de serem índios, são pessoas. Desde quando o governo tem direito de remover quem quiser de qualquer área? Não é a propriedade privada um direito fundamental?

    REINALDO PERGUNTA

    Qual indígena será desalojado de onde?

  • Tiago Pache

    -

    28/11/2011 às 5:28 pm

    Excelente post Reinaldo.
    Nessas horas é que vemos o quanto podemos ser manipulados pela “mídia”.

  • Cil

    -

    27/11/2011 às 4:51 am

    Eu até acho que é importante brigar pelo meio ambiente. Mas, no andar em que anda a coisa, não haverá luta pelo meio ambiente que supere a corrupção Brasil afora. Cadê que estes mesmos artistas vem a público para ‘fazer a cabeça’ dos telespectadores contra a corrupção? Sarney foi vaiado duas vezes no Rock in Rio, mas foi repercutido por estes artistas fora da internet? No máximo, eles expressam seu apreço pelos Belos da vida. Esta semana saiu o resultado do Latin NCAP em que ficou mais claro ainda que os carros produzidos no BR por multinacionais Americas, Européias e Japonesas são verdadeiras guilhotinas, sendo que estas podem ser consideradas cúmplices no grande número de mortes que ocorrem no trânsito do BR anualmente, diga-se de passagem empresas que tiveram seu lucro… digo ‘negócio’ devidamente protegido contra os ‘terríveis importados’ pelo governo… algum artista veio a público falar alguma coisa???? Informar a população???

  • natacha

    -

    26/11/2011 às 5:53 pm

    muito lúcido, Reinaldo.Vc sempre passando informaçoes precisas, corretas, centradas na realidade dos fatos e não no romantismo.O papel do jornalista é este mesmo.Manter-se bem informado para para informar os leitores com precisão e …….., queiram ou não ,formar opinião.Parabéns.Continuarei a lê-lo e …..assim, formar minha opinião , a esquerda e os Petralhas queiram, ou não.

  • Reginaldo Gadelha

    -

    26/11/2011 às 2:05 pm

    Essa gente não vê o nível de descalabro que assola nossa política, as roubalherias, as falcatruas, as mutretas, as picaretagens ? Porque eles não se empenham em denunciar os ladrões ao invés de fazer côro sobre matéria da qual não conhecem ?
    Quer dizer que a energia gerada vai só pros ricos ?
    Quanta besteira……

  • Renata

    -

    26/11/2011 às 11:58 am

    China e Rússia são ditaduras, né, Reinaldo…
    Nem precisa ir aos grandes usuários de energia, como hospitais e indústrias. Com a população que temos (no Brtasil e no mundo), e que continua crescendo (ninguém que queira ter filhos vai abrir mão desse direito), acabaremos ficando sem energia é nas nossas casas! Os bacaninhas aí estão dispostos a voltar ao tempo da fogueira, da vela e do lampião a óleo? E como as velas e lampiões serão fabricados e o óleo produzido na quantidade necessária? A fabricação e uso deles também polui. Fogueiras também poluem, e usam lenha que vem da floresta…
    É essa hipocrisia que mata. Todo mundo é a favor do meio ambiente. Mas ninguém quer abrir mão do seu conforto e suas necessidades que são providos pela exploração do meio ambiente. Que tal agir, não jogando lixo no chão, não deixando torneira aberta nem luz acesa? Parem de falar e gastem seu dinheiro investindo em soluções técnicas e arquitetônicas para tornar suas casas ecologicamente corretas! Claro que custa dinheiro!

  • belmiro goncalves do nascimento filho

    -

    26/11/2011 às 12:05 am

    reinaldo por que esses atores nao se mobilizam para o Brasil investir mais em ciencias e tecnologia? Gostaria de saber onde esses artistas moram e qual o padrao de vida que eles tem. morar em uma cobertura na barra com tudo de bom a sua volta e facil falar em natureza. quero ver morar na beira de um rio sem infra-estrutura nenhuma,passando necessidades basicas, na maioria dos casos e nao querer avancos em nome da floresta. Na minha opiniao pra esses artistas quanto mais ignorante o povo melhor. quando as pessoas tem como fazer escolhas na vida, tem mais oportunidades, nao irao passar tanto tempo em frente as tvs.

  • Nelson

    -

    25/11/2011 às 11:54 pm

    Só faltou a Torlone!A defensora da Amazônia(sic)!!!!

  • OBSERVANDO O MUNDO

    -

    25/11/2011 às 8:43 pm

    Reinaldo

    Uma coisa que não consigo entender é a crítica que alguns fazem: “essa energia toda vai para grandes empresas, não é nada para o povo”.

    1. Primeiro é falso, pois aqui mesmo já se demonstrou que 70% será para pequenos consumudores.

    2. Mesmo que fosse o contrário, que a maior parte fosse vendida para grandes industrias, qual seria o problema? Grandes industrias não produzem produtos que são necessários? Grandes industrias não geram empregos diretos? Grandes industrias não mobilizam uma grande cadeia produtiva, que também gera empregos? Grandes indústrias, e as pequenas que as acompanham, também não geram impostos que podem resultar em bem para o povo (se aplicados corretamente)?

    Alguém dirá: O que a indústria produz só é útil aos Brasileiros se for consumido aqui, se for vendido para fora é inútil. Como assim?! Pelo poouco que sei de economia, um pais só consegue comprar o que precisa se vender também a outros, bens e serviços.

    Finalmente alguém dirá: Se for uma multinacional não nos dá vantagem alguma, pois remete parte do lucro para fora. Eu respondo: Além de todas as vantagens que já citei, apenas parte do lucro pode ser remetido, pois a indústria tem de investir para se atualizar. E digo mais: que é melhor? que algo seja produzido e não fiquemos com toda a vantagem dessa produção, ou que se produza menos e fiquemos com toda a vantagem? Sejamos mais racionais e menos mesquinhos.

  • Carlos M.

    -

    25/11/2011 às 7:48 pm

    Tio Rei,

    Assiti ao video feito pelos artistas brasileiros e também ao original americano. O interessante é que o video americano é por uma causa geral ligada à política, ou seja, votar, e o nosso é parte de uma agenda política, ou melhor, politizada, e além disso muito restrita.

    Se vc assistir a ambos os vídeos sem som, verá que os nosso artistas tiveram um razoável desempenho ao chupinar o trabalho de gente mundialmente conhecida, como por ex. o Leonardo di Caprio.

    Ora, tio Rei, imagino só o frisson que deve ter sido p/ essa turma participar de um video que os compare, de alguma forma, aos famosos americanos. Tem gente que não deve nem ter dormido depois disso. Deve ter mexido com a vaidade de muita gente, hehehe.

    E aí vem o nosso querido tio Rei descendo a borduna nos nosso cucarachas pelo conteúdo da mensagem, e foi aí que o bicho pegou. Os nossos cucarachas não estão nem aí p/ o tema. O que queriam é só mostrar que podiam interpretar os originais.

    Errou quem teve a idéia do plágio sem se aperceber das diferenças de tema, e erraram mais ainda os nossos cucarachas em querer aparecer de qualquer maneira. Fico só imaginando as comparações do tipo, o meu Leonardo di Caprio foi melhor do que o original, hehehe. Pobres cucarachas.

    Abs,

  • Anónimo

    -

    25/11/2011 às 7:23 pm

    Diacho!!! Hum!!

  • Raissa Pedra

    -

    25/11/2011 às 7:13 pm

    Reinaldo,boa noite.
    Fiquei pensando sobre a relação da tirada do sutiã com o protesto contra a construção da usina de Belo Monte e não consegui atinar com nenhum objetivo lògico,a não ser que:
    A protagonista tenha feito uma plástica perfeita e tenha querido exibir os belos seios novos,pois já faz tempo que saiu vestida de Eva na novela D.Beija,época em que podia espo-los ao natural,sem necessidade de silicone e/ou bisturi.Se estivesse em campanha de aleitamento,a tirada do sutiã era necessária e convincente.Mas para uma usina,
    só pode ser marketinq pessoal.

  • Cactus

    -

    25/11/2011 às 7:07 pm

    Alguma coisa me diz que estes “artistas” (com aspas mesmo) querem ser os paladinos da consciência humana.

    Estão mais para arautos…

  • jbsilva41

    -

    25/11/2011 às 7:07 pm

    Endossando a idéia de que certas Ongs preservacionistas defendem interesses contrários aos declarados, tenho a seguinte hipótese: tais entidades apregoam que os recursos ambientais dos países subdesenvolvidos sejam preservados pelo simples fato de que quando tais recursos se tornarem necessários eles terão dinheiro suficiente para comprá-los.

  • Osvaldo P. Castanha

    -

    25/11/2011 às 7:07 pm

    A pergunta que não quer calar: Por que a Maitê virou-se de costas assim que tirou o sutiã e a blusa? Será que foi uma estratégia para não mostrar o que os seus 53 anos fizeram com os seus “belos montes”?

  • Anónimo

    -

    25/11/2011 às 7:06 pm

    Alguma coisa me diz que estes “artistas” (com aspas mesmo) querem ser os paladinos da consciência humana.

    Estão mais para arautos…

  • Cláudio de BSB

    -

    25/11/2011 às 7:02 pm

    Prezado Reinaldo,
    Encerrar o seu magnífico texto com versos do Poetinha (V M)foi demais. Só faltou acescentar (também do Poetinha) AS FEIAS (Marina e cia) QUE ME DESCULPEM MAS A BELEZA É FUNDAMENTAL.

  • Soares

    -

    25/11/2011 às 6:31 pm

    Uma das coisas mais peculiares do Brasil, sobretudo dos alardeados “formadores de opinião” – estejam eles em grandes veículos de comunicação ou em pequenos blogs desconhecidos -, é que poucos, muito poucos, são verdadeiramente analistas da situação em que vivemos. Suas preciosas opiniões são normalmente construídas sobre raciocínios sofismáticos que, desde muito tempo, tem sido repetidos à exaustão, martelados como verdades incontestes. E, bom, acaba que eles realmente se tornam verdades incontestes, bem ao estilo goebbelsiano.

    Um grande problema dessas criaturinhas rastejantes é que, quando contestadas por alguém que consegue enxergar além dessa trama de delírios que constitui sua verdade fundamental, são incapazes de defender seu ponto de vista com propriedade. Parece que a argumentação lógica do outro aciona dentro delas um mecanismo de defesa, qual besta acuada: baba, rosna, eriça os pêlos e arreganha os dentes num esgar ameaçador. Mas não se enganem. Essa reação não é voltada apenas para a pessoa que contestou suas verdades, mas, antes de tudo, uma admissão inconsciente de sua patente incapacidade de reagir à altura.

  • Ana Lúcia

    -

    25/11/2011 às 5:58 pm

    Acredito que toda essa confusão, que se faz em torno da construção, ou não, da Usina de Belo Monte, é decorrente, única e exclusivamente, da FALTA DE CONFIANÇA DO POVO BRASILEIRO em relação À ESTE GOVERNO DO pt. Afinal de contas, passados mais de oito anos de mentiras, corrupção desbragada, incompetência, má gestão em todos os níveis de governo QUEM?, em SÃ CONSCIÊNCIA, ACREDITA NAQUILO QUE É DITO E FEITO PELO GOVERNO? Daí as DÚVIDAS, a polêmica à falta de esclarecimentos corretos que deveriam ser dados pelo governo, pela imprensa, pelas pessoas gabaritadas para tal.
    Confesso que só agora, após ler e entender os seus posts sobre esse assunto, e porque CONFIO EM VOCÊ, é que MUDEI DE IDÉIA!

  • Zé Picolé

    -

    25/11/2011 às 5:28 pm

    EU TAMBÉM QUERO ME DIVERTIR. ACHO QUE FALTOU NO VÍDEO A INTELIGÊNCIA DA XUXA! TALVEZ COM OS DOIS NEURÔNIOS DA MOÇA MAIS O PRIMEIRO SUTIÃ TIRADO POR BELO MONTE, COISA QUE NINGUÉM ESQUECE, DARIA A VITÓRIA AOS INDIGNADOS DA GLOBO.

  • Ricardo D

    -

    25/11/2011 às 5:08 pm

    Artista se acha especialista e representante do povo. Será que não entra na cabecinha deles que fama não é mandato?
    Mesmo assim, se eles não dissessem tanta besteira até daria para relevar.

  • Curioso de Matão

    -

    25/11/2011 às 4:12 pm

    E a Globo?
    Vai ter Globo Repórter sobre Belo Monte?
    :-)

  • matheus

    -

    25/11/2011 às 4:11 pm

    Sobre o ponto 10, ressalva-se que, alem do custo da própria hidreletrica, deve ser considerado, ainda, o altíssimo custo para construção do linhão ligando a hidreletrica aos mercados consumidore, bem longe da região amaônica!!!!!!Para colocar essa energia nas restribuidoras estima-se que será um custo, segundo o Jornalista e pequisador Lúcio Flávio Pinto, de até 1/3 do valar da hidreltetrica!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Sergio

    -

    25/11/2011 às 4:10 pm

    concordo vom você Reinaldo.
    Este bando de desinformados acha que o Brasil se resume a Av. Paulsita e Copacabana.
    Quero ver eles viveram com lamparina e fazendo comigo em fogão a lenha lá no meio do mato !!!
    Parabéns!!!

  • odair

    -

    25/11/2011 às 4:09 pm

    Os bonitinhos da Globo tem um potencial muito grande de energica e não necessita de Belo Monte. Basta retirar o Biogas com estrume de amimais no próprio subsolo.

  • matheus

    -

    25/11/2011 às 4:01 pm

    Em relação reitero que, como demonstrado nos artigos de Phiolipe Ferasniside, a minha crença na não viabilidade da tal usina ]! Leiam os textos: http://g1.globo.com/platb/natureza-philipfearnside/2009/09/09/belo-monte-justificativas-goela-abaixo/

  • zamir anjos

    -

    25/11/2011 às 4:01 pm

    A turma de artistas contra Belo Montes é aquela classe de gente burguesa que tem o seu cantinho verde para fazer suas yogas,manter sua alma ligada a natureza fundindo assim a exemplo da turma que gosta da fumaça da folha no cérebro, seu exercício espiritual.Eles acham que isto é possível para toda população, mas a realidade é outra nua e crua.
    Uma parte da população que adere a causa deles normalmente muito mal tem um lugar para morar, o ambiente é fétido,violento e enfumaçado.
    Todos eles no fundo estão vendendo sem dinheiro um processo religioso,por detrás de um movimento ecologista.O deus pan opera na mente desta gente.

  • Matemática

    -

    25/11/2011 às 3:59 pm

    “Falem bem ou mal de mim, mas falem de mim.”
    Pois é. Padoriando Carlos Lacerda …
    Popularidade a todo o custo, mesmo pelo ridículo uso da TV.
    Que vergonha!

  • Nelson Carmona

    -

    25/11/2011 às 3:53 pm

    Duda querido (a), seria um exercício prazeiroso expor aqui os motivos que me fazem acreditar que a construção da usina de Belo Monte é um projeto de néscios. Contudo, e lamentavelmente, meu comentário desagradou o autor do blog tendo sido retirado. Fica claro que minhas considerações sobre o assunto também serão ignoradas. Peço desculpas.

  • LUCIANO VILELA FLAUZINO.

    -

    25/11/2011 às 3:49 pm

    Oi Dr. Reinaldo! Não conheço muito sobre o Tema “Amazônia”, mas penso que esse ecologismo verdopsicótico delirante não nos levará à bom termo. O Estado Brasil tem demandas urgentíssimas nas áreas de infraestrutura, logística, saneamento básico etc. Esses artistas da Globo deveriam estudar e se informar melhor sobre o assunto AMAZÔNIA e suas problemáticas, incluindo Usina de Belo Monte e outros tantos da Região. Seu Post é esclarecedor!

  • Francisco

    -

    25/11/2011 às 3:47 pm

    Parabéns Reinaldo por colocar os artistas em seu devido lugar, já faz tempo que ando de saco cheio de ver artista global falando como se fossem só eles os donos da verdade absoluta.

  • toninho malvadeza

    -

    25/11/2011 às 3:45 pm

    De novo esse tio Reinaldo está coberto de razão.Né JUCA ?

  • Tutano

    -

    25/11/2011 às 3:39 pm

    Sabemos que o grande talento da maioria destas “artistas” reside em ilustrar o folhetim com a beleza de seus respectivos lordos – o que eu, particularmente, acho ótimo. E, lordo por lordo, faltaram os das meninas dos BBBs.
    Amores, façam o que sabem de melhor. Sejam atrizes de novelas – e vendam peças de baixo, produtos dietéticos, lançamentos imobiliários, produtos de limpeza, etc.
    Não queiram entrujar no pacote a massa encefálica.
    Não dá liga, fica digno de pilhéria.
    Uma senadora desocupada quer criminalizar quem chamar Dilma de “presidente”. Outro senador quer botar na Constituição a obrigação do Estado de proporcionar “felicidade” ao cidadão. Sarney diz que não tem mágoas do povo. O Governo Federal institui a “Comissão da Verdade”, sendo que “verdade” nenhum filósofo até hoje definiu o que seja. Atriz de novela quer mostrar sua intelectualidade.
    Brasil – o país da piada pronta.

  • Claudino

    -

    25/11/2011 às 3:35 pm

    Ainda sobre Belo Monte. Se o projeto original convencional tivesse sido escolhido, ao invés deste mutilado que ameaça plasmar-se por obra e graça dos ambientalóides e petralhas em geral,a energia que seria gerada poderia chegar a 9000 Mw. Para suprir a diferença é quase certo que ainda terá que ser construído no mesmo Xingú, um pouco mais a montante, a usina de Babaquara, alangando mais 6200km2. O projeto original de belo monte alagaria apenas 1500 km2.
    É ou não uma desgraça a idéia dessa gente?

  • Kátia Xavier de Azevedo

    -

    25/11/2011 às 3:29 pm

    Vejo que, apesar de estar sempre distante de muitos acontecimentos, penso sobre eles. Sou pesquisadora, jornalista, autodidata, orientadora educacional, ensinei meus filhos a ler desde bebê, leio a Veja com mais frequência, por que hoje leio com maior velocidade, muita velocidade. Graças ao Aletramento Materno, um projeto que desenvolvo para ensinar aos responsáveis como ensinar seus bebês a ler. Consigo ver o vídeo e duvidar. Consigo interpretar estas novas informações e concluir que faz sentido algumas das minhas intuições. Precisamos ler e aprender a pensar sobre o que estamos lendo. Refletir. Mas quando é que alguém vai falar na mídia sobre o Aletramento Materno? Parece que vou precisar ficar rica, estar entre os nobres deputados com poderes, e na Globo, com prestígio, para encantar o povo brasileiro. O que é relativamente fácil para muitos, mas eu não tenho o menor talento para lidar com tanta ficção, tanta maluquice, que acaba dando na nossa tal realidade. Como mudar alguma coisa. Só com muiiitooo Aletramento Materno.

  • NandoEsposito

    -

    25/11/2011 às 3:26 pm

    Não vou me estender, mas este talvez seja o melhor texto já escrito por V.Sa. Uma verdadeira aula de como fazer uma redação. Na forma e no mérito. Mescla conhecimentos técnicos com sinuosa verve crítica sobre os temas apontados, encerrando com a sua marca e propondo a reflexão. Parabéns.

  • Eduardo

    -

    25/11/2011 às 3:23 pm

    Daqui a pouco esses artistas “iluminados” vão começar a dar laudo técninco de engenharia civil e ambiental, parecer jurídico, além de receita médica para bicho de pé, malária e barriga amarela. E nesse compasso, vamos desligar nossas televisões e assisti-los encenar suas peças em praças públicas.

  • Pablo

    -

    25/11/2011 às 3:08 pm

    Vivemos numa época em que parecer é mais importante do que ser. Acho que isto ajuda a explicar por que dão tanta importância a opinião dos especialistas-dublês-de artistas (ou seria o contrario?). De qualquer forma; misturando dois assuntos, se vivêssemos na utopia socialista dos aloprados da USP, os especialistas do globo seriam executados por eletrocução. hahahahahah!

  • Donata

    -

    25/11/2011 às 3:06 pm

    Sou a favor de Belo Monte e a favor da não retirada do sutiã pela Maytê. Viajei no mesmo avião que ela de Lisboa prá São Paulo há pouco tempo e concluí que, pessoalmente, a maioria das celebridades não são nada disso…

  • Rosa

    -

    25/11/2011 às 3:05 pm

    No vídeo eles perguntam se conhcemos a Amazonia, eu infelizmente não conhço. Mas eu perguntaria a eles: vcs conhecem Foz do Iguaçu?
    E na opinião deles, o que seria o oeste do Paraná, sem a maior usina do planeta?
    Mais: O que seria o Brasil sem a energia que Itaipu produz?
    Não é por acaso que Foz do Iguaçu é o destino turístico mais procurado pelos estrangeiros: de um lado as Cataratas do Iguaçu, a grande obra de engenharia Divina; do outro a maior obra de engenharia humana do século passado (ainda a maior do mundo) a Itaipu Binacional.

  • joão silva

    -

    25/11/2011 às 3:04 pm

    Comportamento de quem se acha “semi-deus” esse do grupo de artistas. E ainda por cima plágio de outro grupo de artistas de outro país. Acostumaram mal essa gente ou melhor, aproveitaram da ingenuidade de alguns e a má-fé de outros. Mitos de pés-de-barro que pensam que habitam o Olimpo. Acordem!!!

  • Márcia Freitas

    -

    25/11/2011 às 3:01 pm

    Reinaldo, a forma clara como você expos a situação da usina fico imaginando que alguns atores que entraram nessa onda do vídeo sem se informarem melhor,foram na onda e que e se tiverem a humildade de reconhecer o quanto foram simples e até ingenuos,daqui pra frente vão fazer melhor uso de suas imagens.

  • denis

    -

    25/11/2011 às 2:59 pm

    Tb sou a favor de Belo Monte.
    Artistas hipócritas, vão lamber o jabuti do Chico.
    Tchau.

  • Duda

    -

    25/11/2011 às 2:57 pm

    Querido Nelson, diga o por quê então. Abs.

  • Anónimo

    -

    25/11/2011 às 2:55 pm

    Por falar na novela Pantanal, outro ator, que não aparece no vídeo, mas que fez par com Letícia Sabatella no caso da transposição do rio São Francisco, foi o Marcos Winter (o Joventino de Pantanal). Na época, num programa da Hebe Camargo no SBT, em plena era PT, ele fez um suspense, dizendo que faria duas revelações. A primeira foi de que era socialista e não tinha medo de admiti-lo (em pleno governo Lula!!!!!!); a segunda, de que sabia que fortunas eram desviadas para o “pagamento da dívida externa”, como se fosse um segredo que ele havia descoberto (!!).

    Eu quase rolei de rir.

  • Michele

    -

    25/11/2011 às 2:52 pm

    Confesso que também fico preocupada com a real necessidade dessa obra tão polêmica, mas em nenhum momento me passou pela cabeça que não precisamos de energia…a questão é a falta de esclarecimentos,pois na internet achamos todos os tipos de opinião,contra, a favor, piadas…etc.Agora gostaria de saber como ter certeza se a informação é verdadeira?? O cidadão merece essa orientação, porque muitas vezes de forma ingênua,achamos que estamos defendendo o país e seus recursos naturais devido a falta de trasparência em tudo que é planejado.

  • José Brasil

    -

    25/11/2011 às 2:51 pm

    TEM UMA FORMA BEM EFICAZ PARA QUE AS EMISSORAS COMECEM A FAZER PROGRAMAS QUE DESENVOLVA NÓS BRASILEIROS E NÃO QUE DEIXEM ALIENADOS NESSAS NOVELINHAS DE MERDA, NESTE EXATO MOMENTO ESTÁ PASSANDO O PROGRAMA DE ANGÉLICA QUE MEU IRMÃO INOCENTE ESTÁ ASSISTINDO. VOLTANDO, TEMOS QUE DEIXAR DE ASSISTIR ESTAS EMISSORAS PROMISCUAS, ELES DEPENDEM DE AUDIÊNCIA, VAMOS PARAR DE ASSISTIR ESSAS NOVELINHAS, FAUSTÃO, GUGU, JORNALZINHO DA GLOBO, SE TODOS FIZEREM ISSO, COM CERTEZA MELHORARÁ…

  • JUNIOR

    -

    25/11/2011 às 2:50 pm

    Um texto absolutamente fascinante, domínio perfeito da imformação e exibição bruta dos fatos. E viva Belo monte

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados