Blogs e Colunistas

27/10/2011

às 20:01

A VEJA no jornal “The Guardian”. Ou: “Quando recebo um telefonema da revista, sei que minha vida vai piorar”. Ou ainda: “Que país queremos ser?”

O jornal britânico “The Guardian” desta quinta traz uma reportagem de Tom Phillips sobre a corrupção no Brasil, os esforços para banir os corruptos do serviço público, o trabalho da imprensa e a mobilização da sociedade contra os malfeitores. Na verdade, trata-se de uma reportagem sobre a importância que a revista VEJA tem nesse processo de depuração e de aprimoramento da democracia. A íntegra está aqui. O jornal entrevistou Eurípedes Alcântara, diretor de Redação da revista e diretor editorial do “Grupo Veja”.

Segue uma tradução da reportagem, publicada pela VEJA Online:
*

De sua sala na redação instalada no 19º andar, Eurípedes Alcântara desfruta de uma vista espetacular do “novo Brasil”. Helicópteros atravessam o céu, carros novos abrem caminho pela cidade, arranha-céus e shoppings de luxo brotam no cenário urbano.

Mas Alcântara, um dos jornalistas mais poderosos do país, também não perde de vista o Brasil velho. Um país de negociatas, rinhas e corrupção endêmica que custam bilhões a cada ano e continuam a retardar a ascensão desse gigante sul-americano.

Como diretor de redação da influente e polarizadora revista VEJA, Alcântara acredita que é sua tarefa por um fim à baixaria. “É um choque de civilizações. Que tipo de país queremos ser?”, diz ele.

“A maioria das pessoas joga segundo as regras, trabalha de sol a sol e paga os impostos em dia. Mas há um grupo que vive se locupletando do estado, fazendo negócios com aqueles que têm as chaves do cofre. Combater a corrupção é nossa missão.”

O ano de 2011 vai entrar para a história brasileira como aquele em que Dilma Rousseff, a primeira mulher presidente, subiu ao poder. Mas talvez ele também seja lembrado como aquele em que a frustração com a corrupção política sem peias finalmente transbordou.

Desde que Rousseff assumiu, em Janeiro, cinco ministros caíram por causa de escândalos éticos ou de corrupção – sendo o último deles Orlando Silva, ministro do Esporte que se demitiu na última quarta-feira, depois de VEJA denunciar seu envolvimento numa tramoia de 14 milhões de libras.

Protestos em todo o país, ainda que tímidos se comparados com os do Chile ou do Oriente Médio, levaram milhares às ruas, exigindo um fim à pilhagem do dinheiro público

Com a palavra corrupção na boca de todos, a imprensa brasileira desempenhou um papel fundamental na descoberta de malfeitos de alguns dos políticos mais poderosos do país. Em junho, o poderoso ministro da Casa Civil de Rousseff, Antonio Palocci, se viu obrigado a renunciar depois que o jornal Folha de S. Paulo revelou que sua fortuna pessoal havia se multiplicado por 20 em apenas quatro anos.

Três meses mais tarde, o mesmo jornal ajudou a destronar o ministro do Turismo Pedro Novais, que já havia sido acusado de usar dinheiro público para bancar uma farra em um motel chamado The Caribbean. A conta de Novais no motel – onde quartos equipados com piscinas, saunas e camas redondas custam 35 libras por três horas – ficou em 767 libras.

Reportagens de VEJA, enquanto isso, derrubaram o ministro da Agricultura Wagner Rossi, acusado de malversar dinheiro público, o ministro dos Transportes Alfredo Nascimento – com o relato de um esquema de propinas em sua pasta – e o ministro do Esporte nesta semana.

“Os políticos dizem: ‘Quando recebo um telefonema de VEJA é sinal que a minha vida vai piorar’”, diz Alcântara com um sorriso logo interrompido. “Mas isso não me dá prazer… Não vejo isso como uma vitória.”

“Não se trata de uma campanha… mas é uma obsessão”, acrescentou o editor de 55 anos, cuja revista mais recente trouxe na capa a manchete Dez Motivos Para se Indignar com a Corrupção. A reportagem observa que os 85 bilhões de reais de dinheiro público surrupiados a cada ano poderiam erradicar a pobreza, construir 1,5 milhão de casas – ou comprar 18 milhões de bolsas de grife.

Alcântara – cuja revista tem circulação de 1,2 milhão de exemplares e algo entre 6 e 10 milhões de leitores – admite que a maioria dos furos de VEJA sobre corrupção tem origem em “dicas” de pessoas que, com frequência, estão elas mesmas implicadas no submundo da política brasileira.

“Não temos uma Delta Force. Temos antenas”, ele disse, referindo-se às redações da revista em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, a capitas do país, onde um total de 78 repórteres devem manter seus olhos e ouvidos atentos a sinais de negociatas, estejam cobrindo ciências, transportes ou arte.

Separar a política de VEJA de sua cruzada anticorrupção é uma tarefa complexa.

A revista é detestada pela esquerda brasileira, que afirma que ela tem um viés inerentemente contrário ao PT, que está no poder, e seus aliados, prestando atenção excessiva aos pecadilhos dos políticos dessas agremiações, enquanto ignora os deslizes de seus amigos.

Luiz Inácio Lula da Silva, o primeiro presidente brasileiro de origem operária, teve um relacionamento particularmente turbulento com a revista em seus oito anos de mandato. “Vamos ser francos, alguns jornalistas dE VEJA merecem um Nobel por irresponsabilidade”, disse Lula em 2006, depois de uma reportagem afirmar que ele e seus aliados tinham contas secretas em paraísos fiscais. “VEJA não publica acusações. Ela publica mentiras.”

Alcântara reserva termos mais simpáticos para Rousseff, a sucessora de Lula, que deu início ao que se tem chamado de “faxina”, demitindo seis ministros em dez meses no poder.

“Parece-me que ela é muito mais intolerante com a corrupção do que Lula”, diz ele. “Dilma, nas palavras e nos atos, mostrou muito menos tolerância e muito mais compreensão da desgraça que é a corrupção nesta país. Existe agora uma percepção muito forte, e creio que aqui podemos incluir a presidente, de que esse tipo de extorsão é inaceitável.”

A reação de Rousseff à corrupção e a cobertura constante da imprensa fomentou uma série de protestos pelo Brasil.

“Como pode um país tão rico e grande ter níveis semelhantes de pobreza? Uma das explicações, sem dúvida, é a corrupção endêmica e histórica”, disse Antônio Carlos Costa, diretor da ong antiviolência Rio de Paz, em um evento recente que reuniu 2500 pessoas.

“Falamos de algo que atravessa todas as esferas de poder. Vai dos narcotraficantes ao Congresso. Polui tudo, solapa nossas relações. Só é possível combater esse problema com dedicação e perseverança.”

Natalia Lebeis, 23 anos, também se uniu ao protesto – vestida de palhaço.

“Dizem que os brasileiros só saem às ruas para assistir ao futebol ou ao carnaval”, diz ela. “Nós somos a voz da nação. Chegou a hora de as pessoas mostrarem seu rosto e protestarem contra a corrupção e a impunidade.”

Alcântara, que já foi correspondente em Nova York e acaba de assinar uma entrevista de três páginas com o cantor Neil Youg, lembrou-se de Paul McCartney para capturar seu sentimento sobre as chances da guerra contra a corrupção ser vencida no Brasil.

“É um cabo-de-guerra”, disse ele, referindo-se à canção de 1982 do ex-Beatle. “Um cabo-de-guerra entre aqueles que desejam nos arrastar de volta para o século XIX e aqueles que tentam nos levar ao século XXI. Sou um otimista – acredito que o século XXI vai vencer.”

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

71 Comentários

  • altalisio raimundo filho

    -

    8/1/2012 às 7:18 pm

    Infelizmente vivemos no país do individualismo, onde prevalece a máxima:”desde que eu esteja bem, o resto que se dane”, que traduzido em miudos significa:”desde que não mexam no que é meu, podem roubar a vontade”

  • carlos pinto pereira

    -

    8/11/2011 às 5:49 pm

    J´tinha comentado com a família que o tal de Lupi seria o próximo a cair e parece que não vai demorar muito, mesmo com os rompantes de que devemos punir os corruptos e os coruptores. Espero que ele os apresente.

  • Nilo Geronimo Borgna

    -

    31/10/2011 às 4:51 am

    Embora uns precisam se internar em hospitais para gerar midia e com isso tentar abafar escandalos de corrupção e ou vender mais discos. Vejo que o trabalho incessante e ativista desta revista desmente e sempre repetida(na vã tentativa de de tornar verdade) frase de que vcs fazem parte do PIG(partido da imprensa golpista) Agora vejo que Reamente vcs não pertencem a esse partido.
    Parabens! continuem assim ativistas dos nossos direitos de sermos honestos acima de tudo!!!
    Ativismocontraaidstb.blogspot.com

  • clodoaldo

    -

    29/10/2011 às 5:25 pm

    por falar em corrupção da esquerda brasileira, li no blog
    frasesdefinitivas.blogspot.com, uma frase do grande Nelson Rodrigues, falecido 22 anos antes do início do governo do Nunca Dantes e 30 anos antes do governo da Sra Russef com o seguinte teor: em Brasília todos são inocentes e todos são cumplíces.

  • clodoaldo

    -

    29/10/2011 às 5:24 pm

    por falar em corrupção da esquerda brasileira, li no blog
    frasesdefinitivas.blogspot.com, uma frase do grande Nelson Rodrigues, falecido 22 anos antes do início do governo do Nunca Dantes e 30 anos antes do governo da Sra Russef com o seguinte teor: em Brasília todos são inocentes e todos são cumpíces.

  • Cil

    -

    28/10/2011 às 8:51 pm

    ‘os esforços para banir os corruptos do serviço público’ – A falta deles né não???
    -
    Quanto a Dilma ser intolerante com a corrupção, acredito que o editor-in-chief da Veja estava querendo ser delicado, porque ela está sendo intolerante mesmo é com as denúncias, não nas ações como o Apedeuta, mas na demora em tomar decisões, em vir a público para razões para manter ou nomear todos estes figurões da corrupção mamando nas tetas do burro de cargas pagador de impostos!

  • PARTIDO - PÊQUEPÊ

    -

    28/10/2011 às 5:18 pm

    CARISSIMO REINALDO,
    !
    NAO TEMOS TERREMOTOS E GUERRA , MAS TEMOS ESSES ESQUERDOPATAS A SEREM TIRADOS DO CAMINHO DO PROGRESSO NO VERDADEIRO SENTIDO DA PALAVRA E DA BANDEIRA BRASILEIRA. E ORDEM TAMBEM. QUEREMOS ORDEM
    !
    ORDEM E PROGRESSO
    !
    !
    …Mas se ergues da justiça a clava forte,
    Verás que um filho teu não foge à luta,
    Nem teme, quem te adora, a própria morte…
    !

  • naldig

    -

    28/10/2011 às 4:12 pm

    A revista VEJA é motivo de orgulho para os brasileiros sérios, honestos e contribuintes. VEJA é a luz da verdade que destrói os vampiros que sugam a riqueza da nação.

  • Mako

    -

    28/10/2011 às 3:25 pm

    Parabéns a Veja. O reconhecimento internacional confirma a seriedade e a importância da revista para o aperfeiçoamento institucional no Brasil. Vir aqui no blog do Reinaldo e do Augusto todos os dias é o único conforto e canal de expressão que me ajuda e muitos outros leitores, a ir superando a frustração. Somos todos brasileiros e queremos um país honesto e justo. Pelo menos para a próxima geração. Todo nosso potencial e talento só é contido pela falta de ética e pela roubalheira, levada a escala jamais vista pelo molusco. Quem sabe este não é o trauma pelo qual a nação tem que passar antes de avançar em direção à sua ascenção humana, política e econômica que nos transformará num modelo para a América Latina e para o mundo.

  • Elizabeth Correa

    -

    28/10/2011 às 1:37 pm

    Parabéns ao Sr. Eurípedes, assim como toda a equipe da Veja por não se intimidarem. Estamos aqui e daremos sempre o apoio pela excelência do serviço prestado por estes jornalistas.

  • inaldo duprat

    -

    28/10/2011 às 12:06 pm

    Esse jornalista merecia o nobel do combate à corrupção.
    Só discordo no ponto em que afirma ser a sucessora menos tolerante com o malfeito (crime, vamos combinar). Ocorre que não adianta querer ser ameno com a sucessora, pois seria impossível ela não saber das falcatruas que rolam ministérios a fora. Cúmplice, é o que ela é, no mínimo, pois duvido que nào repartam com ela e os seus. Não sejamos tão ingenuos assim.

  • Osvaldo P. Castanha

    -

    28/10/2011 às 10:59 am

    Grande Eurípedes Alcãntara. Você é uma luz nesta bruma que impera na imprensa dominada quase que por completo por esquerdopatas e jornalistas com o rabo completamente preso. Siga adiante que os 6 milhões de leitores da VEJA lhe dão todo apoio.

  • Maria Helena

    -

    28/10/2011 às 9:34 am

    Mas não é bom dar tanto crédito a dilma assim, não. Não nos esqueçamos de que ela fez parte – bem de pertinho – durante oito anos, do estilo inaugurado pelo chefão da coisa. Na época, fazendo parte do esquema, sem ser presidente, não se sentia ameaçada de nada. Hoje, com as evidências chovendo em seu colo, a gente queria que ela fizesse o quê? O lula tinha os respaldos que conhecemos e a cara de pau que detestamos. Pra nossa sorte, ela não sabe copiar-lhe os métodos. Apenas isso.

  • POLY

    -

    28/10/2011 às 9:11 am

    Quem merece o Prêmio Nobel por corrupção é o Sr. Lula,e seus aliados de todas as matizes e, claro, o PT este partido “moralista” de fachada é claro. São salutares estas reportagens sobre a corrupção edêmica, principalmente, após o govêrno do apedeuta e do PT, no Brasil.

  • Hagner Andrade

    -

    28/10/2011 às 2:59 am

    Imprensa independente e livre merece aplausos! Imprensa que está do lado da ética merece aplausos! Imprensa compromissada com a verdade merece aplausos! CLAP CLAP CLAP!

  • Marcos F

    -

    28/10/2011 às 1:49 am

    Uma beleza. Parabéns.
    Agora penso no Clarín em BUE. A Cristina, com essa força toda que lhe deram, vai sufocá-los.
    No Brasil, não há Lula que sufoque a força da nossa Imprensa.

  • Jackson

    -

    28/10/2011 às 12:42 am

    Faxina? Só com Veja!
    Aguardo, ansiosamente, aquela matéria de capa: – “Ele sempre soube de tudo”.

  • Viana

    -

    28/10/2011 às 12:16 am

    A revista Veja sempre foi muito presente na minha vida, seja como fonte de formação ou de informação nesses mais de 30 anos de convivência. Me sinto orgulhoso de ser um leitor e assinante fiel de uma publicação que tem ajudado muito o Brasil, não se deixando curvar aos interesses dos poderosos de plantão, seguindo sempre uma conduta jornalistica honesta e isenta em defesa dos valores morais e democráticos que tanto queremos ter. Portanto esse reconhecimento internacional é até muito pouco pelo tanto que ela faz para que o Brasil não fique a reboque dos oportunistas e demagogos que querem se servir do Brasil e não servir ao Brasil.

  • CONTRIBUINTE ROUBADO

    -

    27/10/2011 às 11:54 pm

    AINDA NESSE CAMPO DE INCOMPETÊNCIA, UMA VERGONHA A DEFESA DOS BACHARÉIS DE DIREITO QUE NÃO QUEREM FAZER EXAME DE ORDEM, NO STF. AO INVÉS DE ATACAREM A INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI QUE REGE A OAB, DE 2004,QUE CONFERIU UMA SÉRIE DE PRERROGATIVAS À ENTIDADE, QUE A ABI, O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA, DE ODONTOLOGIA, ETC NÃO TÊM, FORAM ATACAR O EXAME DE ORDEM , UM ÍTEM ISOLADO, UM GRÃO E AREIA NO mEIO DE UMK IMENSO DESERTO. DEU nO QUE DEU, PERDERAM POR UNANIMIDADE.

  • CONTRIBUINTE ROUBADO

    -

    27/10/2011 às 11:47 pm

    DILMA DEVERIA FECHAR A CGU E DEMITIR SEUS FUNCIONÁRIOS, REFRESCANDO A CONTA DE IMPOSTOS DO BRASILEIRO. É SÓ LER VEJA TODAS AS SEMANAS E IR FAZENDO A LIMPEZA , DEMITINDO OS LARÁPIOS, SUMARIAMENTE. ESSE NEGÓCIO DE PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA PARA ROSTOS LOMBROSIANOS, NÃO FAZ O MENOR SENTIDO, A NÃO SER DAR A NÍTIDA IMPRESSÃO QUE, NO CAMPO ” CORRUPÇÃO”, DILMA É PAUTADA PELA MELHOR REVISTA DO PAÍS.

  • Edmundo Bezerra

    -

    27/10/2011 às 11:43 pm

    Só um retoque: na primeira linha da tradução, “desfrutar” é transitivo direto.

    REINALDO COMENTA
    Desfrutar, no Houaiss:
    ? verbo
    transitivo direto e transitivo indireto
    1 estar na posse de (vantagem, benefício material ou moral); gozar, lograr, usufruir
    Ex.: d. (de) boa condição, (de) boa saúde, (de) bom conceito

  • RitaB

    -

    27/10/2011 às 11:36 pm

    Prezado Rei! Parabéns a você, Augusto Nunes, a Veja e ao Grupo Abril pelo grande esforço e trabalho para um país mais justo e democrático desmascarando esses bandidos que se dizem politicos. Faço parte desta familia com muito orgulho.

  • bereta

    -

    27/10/2011 às 11:35 pm

    Não posso e não devo julgar a presidente sobre as demissões de ministros, quanto a demiti-los em razão de sua intolerância a corruptos e corrupção. Ou demitindo-os, aja em razão da pressão aplicada pela imprensa. Quem conviveu tantos anos junto a ratos, duvido que não aprenda a comer queijo. Afinal, se existe o benefício da dúvida para o acusado, também deve existir tal benefício para eleitores indignados. Só o tempo mostrará se minhas dúvidas foram ou não infundadas.

  • Paulo

    -

    27/10/2011 às 11:34 pm

    Em tempo, o início do século XXI já está marcado pelo crescimento do fundamentalismo islâmico, por um bando de tolos cantando as glórias da economia chinesa e dúzias de tipinhos como o Sr. Obama. Portanto, deixando o avanço científico de lado, é melhor até torcer pelo século XVIII.

  • Maristela, sp

    -

    27/10/2011 às 11:23 pm

    Muito bom!
    Parabens ao jornalista Alcântara pela garra. Faço parte dos 6 milhões de leitores de Veja. Impressa e on line. E recomendo. Veja só faz bem ao Brasil e aos brasileiros.
    Contra a lama espalhada pelos corruptos lullistas, nada melhor para uma limpeza, do que Veja.

  • paulo araújo

    -

    27/10/2011 às 11:22 pm

    Caro

    Ótimo post. Principalmente considerando que The Guardian é tido pelo esquerdismo cool como um dos seus, como um exemplo de imprensa de esquerda.
    Se me permite o pitaco, acho que seus leitores, sobretudo os mais jovens, merecem um post/aula de jornalismo para este interessante fato da reportagem do esquerdista Guardian a respeito das reportagens da reacionária revista Veja, a principal representante para o que os esquerdistas grotenses dizem constituir o PIG. Eu já havia lido por aí críticas ao jornal britânico na ocasião (começo de 2011) das reportagens do jornal com foco em aspectos nebulosos na biografia do fundador do site WikiLeaks. O que será que vão dizer agora?

    Abs.

  • Paulo

    -

    27/10/2011 às 11:19 pm

    Eu realmente gostaria de acreditar que a maioria atua segundo as regras, mas vejo que a cultura da cordialidade está tão enraizada na sociedade brasileira que basta a ocasião para que se faça o ladrão. No mais, há os Francenildos como nós, que sempre sofrem represálias ao agir com o mínimo de decência, enquanto os companheiros de todas as cores, gêneros e espécies continuam a desfrutar do butim. E o pior é que muitos Francenildos não contam com a Imprensa para limpar seu nome, passando a eternos vilões no lugar dos safados e seu seleto compadrio. Essa turma só se estrepa quando a briga é entre eles, e ainda assim, olhe lá, pois rapidinho estão de volta ao comando do circo, onde os palhaços somos nós. O trabalho da Veja, da turma do Voto Distrital e de mais alguns abnegados nos dá alguma esperança, mas sinceramente, acho que o quadro clínico é bastante reservado.

  • ROSANA

    -

    27/10/2011 às 11:16 pm

    A Revista Veja e toda a equipe está de parabéns, sem sombra de dúvida ela é a melhor e mais completa revista do Brasil. Parabéns a todos da revista e especialmente a você Reinaldo.

  • Bibi

    -

    27/10/2011 às 10:56 pm

    Enquanto o apedeuta sem limites estiver comandando a quadrilha de assaltantes dos cofres públicos, inclusive ensinando-os como “endurecer o casco” o País estará cada vez mais mergulhando no obscurantismo, na amoralidade espalhada pelo lulllo-petismo,no desmonte das instituições, no aparelhamento da máquina pública com escroques ideológicos cuja maior ideologia se resume à capacidade de surrupiar bens de todos para o beneficio particular de poucos, sempre se auto desculpando num partido que não passa de uma quadrilha.

  • hugo

    -

    27/10/2011 às 10:41 pm

    Abril News,na TV,já.Quero Reinaldo Azevedo e não Cristiana Petista.Quero Diogo Mainardi,etc.Assino na hora.

  • Santana*100

    -

    27/10/2011 às 10:32 pm

    A Veja é Sniper, “um tiro uma queda”!

  • Marcjaguar

    -

    27/10/2011 às 10:29 pm

    Mestre

    Parabéns à Revista Veja!
    Essa matéria de reconhecimento pela competência profissional e editorial da revista é, sem dúvida nenhuma, um fato a ser comemorado!
    E nós, os leitores e assinantes da Veja, nos unimos à revsita para bradar p/ os corruptos, onde quer que se escondam: “Não, vocês não podem!!”

    Abraço, Reinaldo!

  • Adao Braga

    -

    27/10/2011 às 10:19 pm

    “Operações, controladoria, Polícia Federal, é coisa nova. Decreto dando transparência aos convênios é coisa que entrou em vigor em janeiro deste ano. Portal da Transparência, dando conhecimento ao mundo inteiro dos gastos com dinheiro público, é coisa de cinco anos para cá. Nada disso existia, e as instituições vêm criando esses instrumentos e se fortalecendo, aprendendo a trabalhar juntas: controladoria, polícia, Ministério Público, coisa que nunca tinham sido feito antes”. –

    Hage confirma irregularidade em convênios no Ministério dos Esportes

  • Célio

    -

    27/10/2011 às 10:17 pm

    OU OS CORRUPTOS ACABAM DUMA VEZ COM A LIBERDADE DE IMPRENSA, OU A IMPRENSA FINDARÁ DANDO CABO DOS CORRUPTOS.

  • Hellyétt F.

    -

    27/10/2011 às 10:17 pm

    Tenho muito orgulho de ser assinante desta grande revista. Obrigada Editora Abril por nos informar e nos livrar de tantos malfeitores.

  • Nilson Gabriel

    -

    27/10/2011 às 10:11 pm

    E é por isso que tenho muita satisfação em ser assinante desta revista. Porque, se no voto não consegui remover a bandalheira partidária que postada está no Planalto e no Congresso, pelo menos posso saber que há um grupo de pessoas que sustenta o interesse de milhões de brasileiros interessados em trabalhar honestamente e ter bem utilizado o do dinheiro dos seus impostos, com vistas ao desenvolvimento real do país. E este grupo é o time dos jornalistas da Veja.

  • Noah Shuster

    -

    27/10/2011 às 10:06 pm

    Só posso dá meus parabéns para a Editora Abril.
    .
    Quero assistir na TV ainda, a Abril News. Seria assinante.

  • marcioz

    -

    27/10/2011 às 10:00 pm

    Parabéns a todos: VEJA, Alcantara e sua equipe, Reinaldo e The Guardian. Precisamos de vocês. Espero que a gripe da Dilma não seja nada mais que uma alergia tremenda, após o evento com o Apdta em Manaus, hehehe… É a luz !!!!

  • Ferreira Pena

    -

    27/10/2011 às 9:56 pm

    “Ele (Alcântara)observa que, na comparação com seu antecessor, Dilma parece mais intolerante com a corrupção”, isso quer dizer o Lula o velhaco, teve certa intolerância com a corrupção? Mesmo na Veja às vezes não se fala a coisa completa, como ela é. O Lula é o maior quadrilheiro que esse país tem, e continua solto, fazendo suas maracutaias. E o povo adorando, pois pensa que as tais elites também roubam do mesmo jeito. Deixa o velhaco comandar a farra, é o que a maioria do povo quer, pois quem manda é ele, Dilma é a sua laranja. Coisa vergonhosa!

  • Fabio

    -

    27/10/2011 às 9:55 pm

    15 de Novembro é dia de protestar contra a corrupção Ptista!!!!
    Vamos lá!!!!!!!!

  • K@R!O$

    -

    27/10/2011 às 9:52 pm

    A matéria é ótima. Só não concordo com a parte que diz que “Dilma parece mais intolerante com a corrupção”. Lula fez declarações mais contundentes como: “Fui traído, Bando de Aloprados, Chamou Sarney de ladrão e impostor”,também demitiu o Presidente dos Correios, O presidente do Banco do Brasil, o Palloci, a Erenice e mais 3.000 servidores, por corrupção. Precisa para com esse negócio de chamar Dilma de “faxineira , paladina da justiça, defensora da moralidade…”. Ela é governo há quase 9 anos. Nomeou todos os Ministros e não demitiu nenhum. Todos apresentaram carta de pedido de demissão. Ela é responsável por tudo que está aí.

  • Burduna nelles !!!

    -

    27/10/2011 às 9:52 pm

    Por falar em corrupção aqui veja o que se passa lá na falida Grécia…

    Retirado do fórum do Jornal Económico – 29/06/2011

    Lê-se, por vezes, que os Gregos, coitadinhos, são um pobre povo que
    está a sofrer as agruras de uma crise internacional aumentada pelas
    mãos da pérfida Merkel.

    Já é tempo de sair desta superficialidade, de perceber que os Gregos
    têm culpas no cartório, que não foram sérios e que não o estão a ser.

    Os Gregos levaram a lógica dos “direitos adquiridos” até à demência,
    até à falta de vergonha.
    Contam-se fatos inauditos.

    Os exemplos desta falta de seriedade são imensos, a saber :

    1 – Em 1930, um lago na Grécia secou, mas o Estado Social grego mantem
    o Instituto para a Proteção do Lago Kopais, que, embora tenha secado
    em 1930, ainda tem, em 2011, dezenas de funcionários
    dedicados à sua conservação.

    2 – Na Grécia, as filhas solteiras dos funcionários públicos têm
    direito a uma pensão vitalícia, após a morte do
    mãe/pai-funcionário público.
    Recebem 1000 euros mensais – para toda a vida – só pelo facto de serem
    filhas de funcionários públicos falecidos.
    Há 40 mil mulheres neste registo que custam ao erário publico 550
    milhões de euros por ano.
    Depois de um ano de caos, o governo grego ainda não acabou com isto
    completamente.
    O que pretende é dar este subsidio só até fazerem 18 anos …

    3 – Num hospital público, existe um jardim com quatro (4) arbustos.
    Ora, para cuidar desses arbustos o hospital contratou quarenta e cinco
    (45) jardineiros.

    4 – Num ato de gestão muito “social” (para com o fornecedor), os
    hospitais gregos compram marca-passos quatrocentas vezes (400) mais
    caros do que aqueles que são adquiridos no SNS britânico.

    5 – Existem seiscentas (600) profissões que podem pedir a reforma aos
    50 anos (mulheres) e aos 55 (homens).
    Porquê ? Porque adquiriram estatuto de profissões de alto desgaste.
    Dentro deste rol, temos cabeleireiras, apresentadores de TV, músicos
    de instrumentos de sopro …

    6 – Pagava-se 15º mês a toda a classe trabalhadora.

    7 – As Pensões de Reforma de 4.500 funcionários, no montante de 16
    milhões euros por ano, continuavam a ser depositadas, mesmo depois dos
    idosos falecerem, porque os familiares não davam baixa e não devia
    haver meios de se averiguar a inexatidão dessa atribuição.

    8 – Chegava-se ao ponto de só se pagarem os prêmios de alguns seguros
    quando fosse preciso usufruir deles !

    9 – A Grécia é o País da União Europeia que mais gasta, em termos
    militares, em relação ao PIB (dados de 2009).
    O triplo de Portugal !

    10 – Há viaturas oficiais da administração do Estado que têm 50 condutores.
    Cada novo nomeado para um cargo nomeia três ou quatro condutores da
    sua confiança, mas como não são permitidas demissões na função pública
    os anteriores vão mantendo o salário.

    11 – Na Grécia, cerca de 90% da terra não tem cadastro.
    Sabem o que significa isso ? Significa que os proprietários não pagam impostos.
    Eu já tinha ouvido dizer que os gregos não pagavam impostos.
    Ora, a grande receita do Estado provém dos impostos.
    Isto quer dizer que o erário publico do Estado grego esta vazio,
    totalmente vazio.

    Quer dizer, os milhões da UE é que serviram, durante todos estes anos,
    para manter o nível de vida atingido dos gregos. Não admira que já
    tenham estourado 115 bilhões e agora precisem de mais 108 bilhões.

  • Regina Brasilia

    -

    27/10/2011 às 9:50 pm

    Tá falado! Faladíssimo! :)

  • pedro couto

    -

    27/10/2011 às 9:30 pm

    Um dos meus maiores desejos, parece que está sendo atendido. Quando o Lula começou a pregar mundo afora de que o Brasil em sua mãos se tornara um País rico. Esquecendo-se de dizer que tal riqueza é fruto do não atendimento do nosso povo nos Hospitais por falta de recursos. Também é fruto da falta de escolas para a nossa juventude, por total desleixo do Governo nesta área. Estradas, não existem, o que temos é um verdadeiro corredor para a morte. Assim sendo, o meu sonho era de que os noticiários sobre este estado de coisas fossem divulgados nos principais Jornais Internacionais para que todo mundo tomasse conhecimento de que o Lula fazia propaganda em cima da desgraça dos brasileiros.Agora com esta noticia sobre a Reportagem do Jornal Britanico “The Guadian”,Distinguindo a nossa Revista Veja, sobre o seu trabalho contra a corrução em nosso País. Pelo menos já é o começo amanhã com certeza outro Jornais Internacionais, poderão dar sequencia sobre este assunto, como outros tantos. Só assim se conscientizarão de que foram enganados por uma pessoa sem o minimo de condições para Governar um País.

  • Mr. Carcaju

    -

    27/10/2011 às 9:28 pm

    É inegável que há no ar um sentimento de transformar a presidanta, digo, presidenta, no pt do pt! Explico: querem, com essa história de presidenta ética e intolerante com a corrupção, resgatar a falsa imagem de cordeiro que o PT possuía antes do mensalão. Querem que pensemos, o PT voltou aos eixos, voltou a ser o partido “ético”, ele se regenerou!

    Não caiam nessa!!!!!!

  • Mr. Carcaju

    -

    27/10/2011 às 9:23 pm

    É importante que se diga que tamanho montante de riqueza nas mãos do estado (com minúsculas mesmo), mesmo que hipoteticamente chegassemos a um nível de corrupção baixíssimo, já seria o suficiente para manter o país no atraso.

    Deixemos de recitar o mantra de que o estado resolverá tudo, proverá tudo, tutelará a todos.

    Deixar tamanho porcentagem da riqueza nacional nas mãos do estado é a raiz de todos os males.

  • Gerson de Frias

    -

    27/10/2011 às 9:19 pm

    Parabéns a revista. Sou leitor desde 1989.
    Pena que é uma revista para poucos, pois se a população brasileira tivesse o costume de ler e tivesse acesso a todas as informações que tive ao longo desses anos, eu creio categoricamente que o PT poderia até ter entrado no poder, mesmo porque foi muito bom conhecer o tipo de governo deles, mas o mandato deles não teria durado mais de 4 anos.
    Governo das propagandas enganosas, bem que o Conar poderia ter poder para proibi-las. Eu tenho clientes com dificuldade para pagar mensalidade de 35,00 chegam atrasar 15 dias e não é um, dois, são vários.
    Mas ao assistir as TVs abertas, ler jornais, e até mesmo as vezes a Veja, quando se fala em economia, eu me sinto morando na Escandinávia, tamanho é nosso desempenho na área. Gostaria de saber que desempenho é esse, que nova classe média é essa? Cadê os empregos, ahh! tem um montão para ganhar um, dois salários mínimos, oras me poupem, quem vive com isso?
    A classe média que se fala por aí é a classe dos pobres que conseguiram crédito e entraram felizes para a corrida dos ratos, antes privilégio da verdadeira classe média (que vivia endividada).
    Eu hein! Carro zero, devendo 60, 90 meses, abastecer o carro novo com cartão de crédito e o pior comprar comida a prazo, e pagar juros para comer, é essa é a classe média pomposa que todos os meios de comunicação adoram falar que o Brasil agora tem. A cada novo cartão e linha de crédito que me oferecem eu tenho o prazer de falar para o gerente do banco, NÃO OBRIGADO! Deus que me livre! Essa pompa eu não quero.
    Vamos nos unir e exigir mudanças no que tange a impostos, cargos e esvaziamento da máquina pública (pra que tantos ministérios?) , a economia agradeceria e poderíamos ver uma melhora significativa.
    Mudanças na forma de elegermos nossos políticos (Voto Distrital, eu apoio), reformas na educação, na saúde e na infra-estrutura o que formaria uma nova classe de pessoas capacitadas, porque emprego para pessoas capacitadas tem e muito. Pronto teríamos um aumento real na renda do Brasileiro, e poderíamos nos vangloriar de uma nova e emergente classe média, a que compra e paga a vista, porque pode, tem bala na agulha.

  • Capixaba

    -

    27/10/2011 às 9:14 pm

    Andar a reboque dos fatos e ser pautada pelo noticiário não significa ser mais intolerânte com a corupção! Parece mais um render-se as evidências e deixar os anéis irem para salvar os dedos!

  • PiToquio

    -

    27/10/2011 às 9:14 pm

    Rei so mais uma coisa, o tal Assis Carvalho laranja do WD, foi secretrio de saude do Piauí, estava em curso uma investigação de desvio de recursos que ja tinha atingido 254 milhoes de desvio somente até 2007, advinhe o que aconteceu nesta ultima segunda feira, o predio PEGOU FOGO tAnto da secretaria de saude como da controladoria do estado aonde estavm os processos, diga e MATERIA OU NÃO????

  • PiToquio

    -

    27/10/2011 às 9:07 pm

    Rei esta reportagem foi publicada no PORTAL GP1 de Teresina-PI, dizem as más lingus que a empresa mencionada aqui e do Senador Petralha Wellington Dias e seu laranja Dep. Federal Assis Carvalho, acho que seria uma reportagem com grndes surpresas e emoções:

    GIL SOBREIRA, DO GP1 Atualizada em 27/10/2011 – 18h10
    Alguns empresários podem até reclamar da falta de negócios com o Governo do Estado, mas a Limpel é uma das empresas de maior sucesso empresarial hoje no Estado do Piauí, não têm do que reclamar.

    A empresa constituída em 1994, é um verdadeiro “fenômeno empresarial”, vem batendo todos os recordes de faturamento, graças a polpudos contratos com o Governo do Estado. A Limpel conseguiu faturar no Governo mais que todas as empresas dos Grupos Meio Norte (Paulo Guimarães), Jet (José Elias Tajra) e Jelta (Jesus Elias Tajra), no período. Entre o ano de 2008 (segundo mandato do petista Wellington Dias) a 2011, a Limpel faturou R$ 41.611.488,87 (quarenta e hum milhões, seiscentos e onze mil e quatrocentos e oitenta e oito reais e oitenta e sete centavos) recebidos do Estado. Somente em 2011 já chegou a bagatela de R$ 13.961.636,73.

    Onipresente, a empresa está involucrada em quase todos os órgãos e secretarias. A atividade principal da empresa é a “limpeza em prédios e domicílios” e como secundárias a seleção e agenciamento de mão de obra, locação de mão de obra temporária, construção de edifícios, atividades de limpeza não especificados anteriormente, locação de automóveis sem condutor e serviços de transporte de passageiros – locação de automóveis com motorista.” Nunca se faturou tanto em tão pouco tempo.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados