Blogs e Colunistas

08/03/2012

às 6:51

A única perseguição religiosa que há no Brasil é aos crucifixos. Ou: O argumento tolo de que ou todas as religiões são representadas ou nenhuma. E digo por que é tolo

Direitos e valores coletivos, à diferença do que pensam os que se auto-intitulam “progressistas”, estão correndo riscos. As minorias organizadas estão, aos poucos, minando valores universais para impor a sua pauta. Vale para a turma da bicicleta ou para aqueles que se querem representantes do “laicismo” e defendem que se cassem e se cacem os crucifixos dos tribunais. Nesse caso, com o devido respeito também a alguns leitores por quem tenho estima, o mais tolo dos argumentos é o que sustenta que “ou se contemplam todas as religiões ou não se privilegia nenhuma”. Então vamos pensar.

Fundamento
O crucifixo não está nos tribunais porque os juízes vão julgar segundo os dogmas de uma religião, mas porque aquele signo concentra valores, ATENÇÃO!, da nação brasileira, de sua história e de sua formação. Eliminá-los corresponde a uma tentativa de reescrever essa história. Quando alguém diz que, então, elementos de outras religiões deveriam estar presentes, passa a operar com outro critério, que é o da REPRESENTAÇÃO. Ora, caso se vá levar adiante esse critério, é preciso ser sério: mais de 90% dos brasileiros são cristãos. Logo, a exposição desses elementos teria de ser feita segundo uma hierarquia, certo? Mas esperem.

Os ateus continuariam excluídos, uma vez que, para eles, aqueles elementos todos são inúteis e não espelham o seu pensamento. Ao se eliminar o crucifixo, o que se tem por óbvio? Já que é impossível expressar todas as convicções, então que não se expresse nenhuma! Logo, os que abraçaram o critério da representação acabam se dando por satisfeitos que prevaleça a convicção da minoria: a parede nua! Em nome da justiça, folgam, então, com a injustiça. É bonito isso?

Não! O meu critério, já disse, não é esse. Aqueles crucifixos, para começo de conversa, não estavam lá — e não se espalham Brasil afora — por força de uma lei, mas de uma herança cultural. É UMA EXPRESSÃO DA NAÇÃO, NÃO DO ESTADO. SIM, O ESTADO É LAICO, A NAÇÃO É RELIGIOSA. A religião da maioria, é bom destacar, vive em harmonia com todas as outras crenças. A ÚNICA PERSEGUIÇÃO QUE HÁ NO BRASIL É AOS CRUCIFIXOS. Eliminar esses signos corresponde a tentar levar confusão onde ela não está instalada.

Ademais, há uma covardia essencial nisso tudo, de que tratarei em outro post — nele, farei um desafio ao presidente da OAB do Rio. Se ele tiver uma boa resposta, publicarei de bom grado. Mas sigo. Ora, caso se leve, então, a sério a representação, o que estariam querendo dizer seus defensores? Que as demais religiões tiveram na formação da nação brasileira e sua mentalidade a mesma importância do cristianismo? Bem, acho que ninguém correria o ridículo de afirmá-lo.

A verdade, lamento, é que os novos perseguidores de crucifixo, em nome da igualdade, estão é sendo notavelmente intolerantes. Na Internet, com raras exceções, os que defendem a proposta com unhas, dentes e poucos argumentos afirmam as maiores bobagens sobre a Igreja Católica, a Santa Inquisição, as Cruzadas… No fim das contas, tudo restolho de anos de marxismo chulé nas escolas, nos cursinhos, nas faculdades, em que rematados ignorantes deixam de lado os fatos para fazer proselitismo de suas convicções.

Um bobalhão mandou um comentário pra cá: “Não venha me dizer agora que a Inquisição não matou ninguém…” Claro que não vou dizer! Ele é que não se conforma com o fato de que a Revolução Francesa tenha matado em quatro anos mais do que o Santo Ofício em quatro séculos. Ademais, o que isso tudo tem a ver com o caso? Devo considerar agora que todas as idéias republicanas são essencialmente más porque Robespierre cortava cabeças?

Se o debate devesse se concentrar nos valores essenciais do cristianismo e nos valores essenciais do laicismo, tentando saber, vá lá, quem matou mais, a conta seria amplamente favorável aos cristãos. MAS O DEBATE NÃO É ESSE!!! Eu me oponho à caça aos crucifixos porque vejo nisso a intolerância de uma minoria e a tentiva de apagar a história. A ação foi de uma tal Liga Brasileira de Lésbicas. Suas representantes deveriam se envergonhar. O cristianismo foi a primeira grande corrente religiosa e de pensamento a dignificar as mulheres e a lutar de maneira organizada para protegê-las de práticas homicidas.

Não! Não é o laicismo do estado que está na base dessa escolha. É a intolerância.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

122 Comentários

  • Fabiana Palácios

    -

    31/3/2012 às 9:14 pm

    Caro Reinaldo, boa noite!
    Como “principiante” blogueira, quero aproveitar o espaço para parabenizá-lo por suas postagens. O senhor é um semeador do bem, pode acreditar.
    Quanto à essa questão dos crucifixos, eu realmente não entendo porque tanta irritação. Mesmo que eu não fosse cristã (e graças a Deus, sou), penso que um crucifixo não me incomodaria em absolutamente nada! é um absurdo. Essas pessoas que se sentem tão incomodadas, certamente não tem o que fazer, e poderiam usar o tempo ocioso, deveriam seguir o meu exemplo e criar um blog que pudesse ajudar as pessoas, como eu tenho feito com o meu. Através de meu testemunho da cura da síndrome do pânico, tenho levado esperança e fé às pessoas (tanto do Brasil como de outros países, em que já recebi mensagens) que hoje passam pelo que eu passei.
    Chamo sim esse povo de bando de desocupados, que deveriam fazer um trabalho social em vez de se importarem tanto com um crucifixo na parede. É triste isso…
    Abraços Ricardo!
    http://nuncadeixedeacreditar.blogspot.com

  • Eduardo Caldas

    -

    29/3/2012 às 9:07 pm

    Hermes resumiu a discussão:

    Mancha: Militância anti-religiosa é uma forma de IMPOR o ateísmo e não a laicidade do Estado.

    Gaviões: Crucifixo cristão é uma forma de IMPOR o cristianismo e não a laicidade do Estado.

    Escolha a sua torcida e que vença o mais forte.

  • Caio

    -

    13/3/2012 às 3:24 pm

    Acho que as instituições e práticas evoluem; existem dezenas de itens que ajudaram a formar a cultura brasileira e hoje não mais em voga. |Creio que a manutenção dos crucifixos em qualquer repartição pública remete sim à suposta necessidade de um poder divino protegendo o que ali se faz e os que ali circulam; o que é incompatível com o estado laico.

  • João Ricardo

    -

    11/3/2012 às 10:02 am

    …e a tentiva de apagar a história? Que história? É para o passado que o mundo caminha? O senhor escreveu um blog falando que o mito Lula precisa morrer para o Brasil contemporaneo nascer, e agora vem com esse papo furado de símbolo, história. A história tem o seu valor… e se hoje a religião já não tem mais a força que tem é porque suas teorias falharam, e sucessivamente irão falhar ainda mais. As pessoas procuram uma forma de viver, e se decepcionam com a religião, ficam malucas sem saber para onde ir e tudo a sua volta tenta dizer que ela precisa de uma formula para viver. Basta parar e refletir, utilizar algo de mais precioso da qual somos dotados, nossa mente e ai sim seguir adiante, sem simbolos, é por isso meu caro Reinaldo Azevedo, os crucifixos (simbolos) precisam morrer para o brasil contemporaneo nascer.

  • Daniel

    -

    11/3/2012 às 1:28 am

    Caro, Reinaldo.
    Sou ateu e concordo plenamente com seu post acima.

    Parabéns por mais um post que demonstra o tipo de civilidade e visão coletiva que esse país deveria incentivar.

    Infelizmente,vemos justamente o contrário: o país ficando cada vez mais burro e intolerante.

    Grande abraço.

  • Rubens Mesquita

    -

    10/3/2012 às 9:39 pm

    A Manuela Davila acha que todos os cristãos são a favor de imagens. Ou seja, cristianismo pra ela é só o dela.

  • Manuela Davila

    -

    10/3/2012 às 1:24 am

    Vivii na India por varios anos. Pais de diversidade e intolerância religiosas. Em conversas com indianos ateus, hindus e muçulmanos, sempre reiterei o orgulho de pertencer a um povo tolerante, onde adeptos de diferentes religiões viviam em harmonia, nAo se agrediam em nome desta ou daquela crença. No dia-a-dia num pais culturalmente diverso, onde hindus representam
    a maioria da população, senti, como nunca antes, o quanto a cultural molda nossas vidas,nossos
    valores. Certa vez, mesmo nao sendo uma crista fervorosa, surpreendi-me chorando ante a um
    crucifico feito de troncos de arvores, numa pequena igreja do século XVIII. A razão das
    lagrimas? Identificação cultural. Depois de tanto ir a templos hindus, budistas e muculmanos,
    estava eu la, em contato com algo familiar, que me remetia a minha terra Natal. Cultura e o que
    nos distingue de outros povos, que nos une e nos faz certos de que temos um lugar no mundo
    para onde podemos voltar, um lugar onde todos com artilham a mesma história. História da qual cristianismo e crucifixos fazem parte, muito antes de a Constituição prever, em seu preambulo, que somos um pais laico.
    O cristianismo, mais do que a religião da maioria dos brasileiros, faz parte desta história comum.

  • Rubens Mesquita

    -

    9/3/2012 às 7:44 pm

    E continua o ad populum e ad antiquitatem em alguns comentários… ~:/

  • Carlos fc

    -

    9/3/2012 às 4:27 pm

    Entendi.”Meu filho morreu,o filho da outra continua vivo…Salomão, pode partir a criança ao meio”.

  • affonso h.g. sampaio

    -

    9/3/2012 às 3:44 pm

    Ainda uma vez mais um comentario sobre os simbolos religiosos.Ao eleger como criterio da escolha dos simbolos o da representaçao, ou representatividade, a mim me parece ser um argumento nao tolo,mas manco talvez sim. Por que digo isto? Por um criterio referente a quantidade; quantidade de pessoas, o que no meu entender e exclusivista e excludente. Manco porque ve um so lado da questao.Governos totalitarios fizeram e fazem isto.Melhor seria o criterio albergado em nossa Carta Magna, qual seja o da igualdade de direitos.Fraternalmente abraços

  • affonso h.g. sampaio

    -

    9/3/2012 às 2:12 pm

    Reinaldo:que coisa terrivel os abortistas e aborteiros; querem agora tambem o infanticidio.Otimo programa para ditadores seria aquele que dispusesse que a melhor de se acabar com a fome seria matar os famintos.So os famintos nao abortistas e que deveriam ser mortos.Soluçao final moderna e,sobretudo,econômica aos cofres publicos.Reinaldo desculpe-me pelas palavras e/ou frases repetitivas, sem fluidez.Preocupo-me sim pela correçao e elegancia da escrita.Sou ,contudo, novato no campo digital, estou apanhando muito. Espero,um dia,fazermos juntos uma tertulia literaria. AbraçosPS nao seria melhor aqui dizer”nois vai fazer? Regras que estariam vigentes , canones ortograficos oficiais dos mequistas de plantao?

  • TucaSampa

    -

    9/3/2012 às 11:46 am

    Caro Reinaldo,

    Primeiramente, eu gostaria de dizer que gostaria de ter escrito este comentário anteriormente, contudo, estive envolvido em um árduo estudo para uma prova do meu mestrado. Eu sou ciclista urbano em São Paulo há mais de 6 anos. Conheço bem os percalços deste trânsito louco e sei que não há inocentes. Contudo, apesar de não ter participado do protesto, preciso discordar de você no que se refere à manifestação dos ciclistas na Paulista ocorrida nesta semana. Este foi o terceiro caso de morte de ciclista por ônibus na região desde 2009. Qual seria a sua opinião caso houvesse um protesto pedindo uma passarela em uma via onde 3 pessoas tivessem morrido atropeladas nos últimos 3 anos? Iria chamá-los de terroristas? Sei que os ciclistas não costumam respeitar as leis de trânsito, mas nenhum destes acidentes aconteceu por causa da imprudência de suas vítimas. Como você adora escrever, leis existem para serem cumpridas. Um carro, ônibus ou caminhão deve passar a 1,5 m de uma bicicleta. Você poderia dizer: “Ah, brasileiro não vai respeitar isso”. Se este for o caso, fico muito triste, pois só confirmará que nosso país não tem jeito mesmo. Para piorar a situação, preciso ler comentários como os da amiga da Mônica Waldvolgel sobre o fato de São Paulo não ser uma cidade feita para ciclistas. Paris, Londres, Barcelona, Lion, cidades com quase 2.000 anos de idade, foram planejadas pelos romanos para serem usadas por ciclistas do século XXI? Fala sério! Será que o pensamento desta digna senhora se estende aos pedestres? Seria nossa cidade feita apenas para quem tem carro e que o usa para ir de casa para o clube, do clube para o trabalho, do trabalho para o shopping e do shopping para casa? E sabe o que mais me espanta? Como é possível que um pensamento tão tacanho como este encontre eco? Por fim, só tenho uma coisa a escrever: enquanto formos tão mesquinhos e focados nos nossos problemas, pouco conseguiremos mudar o mundo em que vivemos.

  • Anónimo

    -

    9/3/2012 às 11:46 am

    Brilhante, Reinaldão.
    Como sempre.

  • affonso h.g. sampaio

    -

    9/3/2012 às 11:28 am

    Sou espirita,e, como sou cristao,eis que aceitamos de Jesus a sua moral; combatem-nos – ah essa palavra!-catolicos e protestantes; dizem que, em absoluto nao o somos e citam-nos passagens biblicas do velho testamento(Deutoronomio,Levitico) e, fraudulentamente colocam palavras como espiritismo, mediuns.Neologismos criados por Kardec em 1857 la estao a atestarem a falta de respeito que deveriam para com aqueles que tem a “ousadia” de pensarem diferente deles.A meu isto está relacionado a uma arrogância humana de donos da verdade. Pergunto a eles :o que e ser CRISTAO?Religiao pra mim e Amor; Deus´é Amor;contrapomos ao lema “Fora da Igreja Nao ha Salvaçao”originado no papado Pio IX,1870,contrapomos “Fora da Caridade Nao Ha Salvaçao” .Caridade e Amor.Dois exemplos apontados por Jesus nos dizem tudo do que e ser religioso e cristao: o contido na parabola do Bom Samaritano e do centuriao; o primeiro se referia a homem nao religioso,odiado pelos judeus; o outro,um pagao a quem Jesus disse nao hver, em Israel, tao grande fe. dire mJesus tambem nos disse que seriamos julgados pelas nossas OBRAS!Sobre a Inquisiçao irrelevante se nos afigura, pouco importa-nos a discussao se foram milhares ou centenas de mortos; o fato e este:mataram! direta ou indiretamente mataram…E nao me venham dizer que, a titulo de justificativa a minimizar esse crime hediondo, que deveriamos compreender que estaria relacionado ao contexto da da epoca pois que isto e infirmado por(ditas a respeito pelo santo angelico doutor Tomas de Aquino:e melhor que se mate o corpo do que se perca a alma;isto e o que se chama coonestar a causa.Nao devemos nos esquecer das matanças dos cataros ,( albigenses, dos huguenotes, das Cruzadas tambem os Protestante tiveram a sua Inquisiçao.Historiadores ha apontamnos que a maioria das guerras humanas foram feitas em nome de religioes e,o que e pior em nome de Deus.Certo escritor espiritualista afirma que se o Cristo aparecesse para nos na Terra ele diria:”tenho uma declaraçao a vos fazer:eu nao sou CRISTAO!De fato:o que temos feito de errado em seu santo nome!Para encerrarmos nossa peroraçao devo dizer que nao sou intolerante tanto que me posiciono no sentido da aceitaçao da colocaçao de simbolos religiosos nos predios publicos;todos eles, de todas as religioes, sem discriminaçao

  • Veronica Maria

    -

    9/3/2012 às 7:39 am

    Um sinal que nos chama à Verdade e à Justiça, é sempre rejeitado por quem não pratica

  • Veronica Maria

    -

    9/3/2012 às 6:44 am

    O nome Terra da Santa Cruz foi o 1º dado a nossa nação,sendo um crucifixo cravado no nosso solo,e celebrada uma Missa para abençoar a nossa nação. Será que este fato protegeu nosso país de tantas catastrofes natutrais? Este fato essa minoria não poderá apagar da nossa história e nossa memória, por mais que príbam a exposição da Santa Cruz.

  • Almirante Kirk

    -

    9/3/2012 às 2:10 am

    Caro “HÁ PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA DESDE QUE CAIM MATOU ABEL!”
    -
    08/03/2012 às 21:24, penso da mesma forma!
    Infelizmente, você sabe, não é bem visto, o que dirá aceitável, um católico fazer uma análise crítica, seja à luz da Doutrina Católica e da Razão, entre outras, entre Catolicismo (Cristianismo)e outras religiões e seitas, as quais se apresentam como cristãs aos incautos e ignaros católicos, mandando às favas as BASES ou FUNDAMENTOS doutrinários!
    Sintomático a perda de fiéis da santa Igreja Católica: a Bíblia alerta, faz séculos, sobre a vinda de falsos profetas e falsos doutores, os quais levariam os católicos (leia-se cristãos) à APOSTASIA!
    Abraços!
    Salve Maria!

  • Almirante Kirk

    -

    9/3/2012 às 1:57 am

    O caro “Edu,o indignado”
    -
    08/03/2012 às 7:51 afirmou, oportuna, pertinente e ajuizadamente, entre outros epítetos:
    “Brigar com o catolicismo e facil,pq este nao se defende”!

  • Almirante Kirk

    -

    9/3/2012 às 1:38 am

    O caro “Madrugão”
    -
    08/03/2012 às 17:54 disse:

    ““Um bobalhão mandou um comentário pra cá: “Não venha me dizer agora que a Inquisição não matou ninguém…” Claro que não vou dizer!”
    Pois você deveria dizer, caro Rei!
    A instituição (Igreja Católica) nunca matou ninguém mesmo.
    Quem condenava à morte e executava a pena, no tempo da Inquisição, era o estado e não a Igreja.
    A Igreja apenas fazia o inquérito (inquisição) para descobrir se o fulano era herege contumaz e se tinha cometido crimes por conta da heresia. Apurada a heresia, a contumácia e prática de CRIMES GRAVES, a Igreja o relaxava ao braço secular, que aplicava a pena segundo as leis criminais da época. Portanto, a “instituição” que matava era o estado, não a Igreja. Simples, assim.”

    Parabéns pelo seu comentário!
    Abraços!

    PS: Aprovietando o ensejo, sugiro aos católicos e não-católico, um excelente site chamado CAI A FARSA, onde são refutadas várias mentiras engendradas contra a santa Igreja Católica!
    Kirk

  • Mateus

    -

    8/3/2012 às 10:56 pm

    Nunca vi tanta bobagem e desespero ao ver que a inteligência e a justiça estão vencendo, pelo menos no simbólico, séculos de horrores causados por “cristão”, que de Cristo só levam o nome. A retirada dos crucifixos de lugares que nunca deveriam ter ido, só significa um pouco mais de respeito a laicidade do direito, da lei, da justiça, dos não cristãos, dos familiares ou descedentes das vítimas do ódio que as religiões pregaram e pregam, pela pluralidade, pela inteligência; esta que será a guia para um novo mundo melhor do que este, destruído pelo fanatismo religioso e falta de amor e respeito ao próximo.

    REINALDO COMENTA
    Deixei seu comentário cheio de generalidades e imprecisões só para sugerir que você mude de nome. Ele traz uma pesada herança cristã.

  • HÁ PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA DESDE QUE CAIM MATOU ABEL!

    -

    8/3/2012 às 9:24 pm

    CARO REINALDO,

    REITERO CADA UMA DAS PALAVRAS QUE ESCREVI ONTEM SOB O TÍTULO “NEOPAGANISMO, RELATIVISMO E DEMOCRATISMO” (EM COMENTÁRIO A OUTRO POST DE ONTEM RELATIVO AO MESMO ASSUNTO: “Num momento em que o cristianismo é a religião mais perseguida do mundo, TJ do RS decide cassar e caçar os crucifixos. Os cristãos podem se preparar: vem uma onda por aí! Com o crucifixo, TJ expulsa também um pouco da Justiça!”).

    NÃO É VERDADE QUE “A ÚNICA PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA QUE HÁ NO BRASIL É AOS CRUCIFIXOS”. TODAS AS SOCIEDADES SECRETAS, QUE NÃO OUSAM REVELAR SEUS PROJETOS À LUZ DO DIA, TRABALHAM PARA DESTRUIR A IGREJA CATÓLICA O TEMPO TODO, EM TODA PARTE, COMEÇANDO PELAS CONSPIRAÇÕES TRAMADAS DENTRO DO VATICANO (BASTA LEMBRAR OS DOCUMENTOS RECENTES RELATIVOS AO PLANO PARA ASSASSINAR O PAPA BENTO XVI NOS PRÓXIMOS MESES – SOBRE ISSO, ATÉ O GILLES LAPOUGE ESCREVEU RECENTEMENTE NO ESTADÃO). NESSE SENTIDO, A DECISÃO DO TJ/RS APENAS EXPRESSA O EMPENHO DE ADEPTOS RADICAIS DO PROJETO DE “DESCATOLICIZAÇÃO” DO BRASIL E DO MUNDO. DE SUA PARTE, OS INIMIGOS MODERADOS (E MODERNISTAS) DA IGREJA NÃO OUSAM FAZER TAIS GROSSERIAS, MAS NEM POR ISSO SÃO MENOS PERIGOSOS.

    TAMBÉM ESTÁ ERRADO DIZER QUE “90% DOS BRASILEIROS SÃO CRISTÃOS”. “CRISTÃO”, POR DEFINIÇÃO É QUEM SEGUE OS ENSINAMENTOS REVELADOS POR NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. ESSE PERCENTUAL ECUMÊNICO ESCONDE O DETALHE FUNDAMENTAL DE QUE OS SEGUIDORES DAS SEITAS FOMENTADAS PELAS TORPES IDÉIAS DE LUTERO, FIÉIS À SUA DOUTRINA, TÊM COMO POSTULADO A TRANSFERÊNCIA DA RELIGIÃO PARA O ÂMBITO PRIVADO E INDIVIDUAL, TENDO EM VISTA SEU FALSO CONCEITO DE FÉ ENTENDIDO COMO “SENTIMENTO RELIGIOSO” E NÃO – COMO PARA NÓS, CATÓLICOS – ADESÃO DA INTELIGÊNCIA ÀS VERDADES REVELADAS POR DEUS. ESSA PRIVATIZAÇÃO DO “SENTIMENTO RELIGIOSO” (!!!) OPÕE-SE À EXALTAÇÃO DOS SÍMBOLOS CATÓLICOS COMO FORMA DE RECONHECIMENTO DE VALORES ETERNOS E UNIVERSAIS QUE DEVEM NORTEAR A VIDA DE TODA SOCIEDADE.

    NESSE SENTIDO, A SECULARIZAÇÃO PROMOVIDA PELA DOUTRINA PROTESTANTE DA PREDESTINAÇÃO TEM COMO MARCO HISTÓRICO A “REFORMA” DE LUTERO DE 1517, QUE, A PROPÓSITO, NUNCA DEIXOU DE SER CONDENADA PELA IGREJA COMO HERESIA.

    ADEMAIS, O FIM DAS GUERRAS DE RELIGIÃO (ENTRE CATÓLICOS E PROTESTANTES), EM 1648, DEU IMPULSO AO PROCESSO DE LAICIZAÇÃO DA SOCIEDADE, COM BASE NA CONSAGRAÇÃO DO CONCEITO DE “RAZÃO DE ESTADO” – DO FAMIGERADO CARDEAL RICHELIEU – NOS ASSUNTOS INTERNOS E NO REALISMO ANÁRQUICO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS.

    FINALMENTE, COM A REVOLUÇÃO FRANCESA DE 1789 INGRESSAMOS NA FASE DE “NEOPAGANIZAÇÃO” DO OCIDENTE, SIMBOLIZADA PELO CULTO IRRACIONAL À “DEUSA RAZÃO”.

    DESSA FORMA, É INSOFISMÁVEL A CONCLUSÃO DE QUE AS LÉSBICAS QUE HOJE FOGEM DO CRUCIFIXO COMO O DIABO FOGE DA CRUZ TÊM O BENEPLÁCITO DE JUÍZES QUE REVERENCIAM LUTERO, RICHELIEU E ROBESPIERRE COMO GRANDES NOMES DA HISTÓRIA NO COMBATE À IGREJA CATÓLICA.

  • Felippe

    -

    8/3/2012 às 8:36 pm

    As causas e os defeitos. Esta crisinha quanto ao transporte de combustível em São Paulo tá explicada. Visitei o espaço virtual(graças a Deus apenas)da liga das asseclas de Safo. Notou a fotinha da primeira página, Reinaldo? Todas estavam lá, nas paragens austrais, portanto como os brutos sobre eixos se movimentariam?
    Silogismo barato puro, meu amigo.
    Abraços e acompanho sedento sempre seus comentários,

  • affonso h.g. sampaio

    -

    8/3/2012 às 8:18 pm

    Reinaldo estava escrevendo-lhe e nao terminei:era sobre seu artigo relacionado a retirada de crucifixo de bens de dominio publico, que, sou contra, Minha banda larga, infelizmente e estreitissima.DEu pane e peesima!

  • Rubens Messquita

    -

    8/3/2012 às 8:17 pm

    O argumento é só um ad populum e ad antiquitatem. Tipo: Tal religião tem a maioria dos fiéis e é a mais antiga do país, então seus símbolos devem ser preservados nas instituições públicas. Ele simplesmente despreza que quase todas as outras denominações cristãs brasileiras abominam imagens religiosas. Simplesmente está desprezando o secularismo e o laicismo.

  • Caldas

    -

    8/3/2012 às 8:07 pm

    O primeiro ato dos portugueses, ao descobriem o Brasil, foi erguer uma cruz e celebrar uma missa.Negar esse símbolo, como elemento fundacional do País, é negar a nossa história.

  • Igor

    -

    8/3/2012 às 8:02 pm

    Diga o que disser, mas ainda continua parecendo que estão tentando impor tal religião, com crucifixos em todos os lugares…

  • Julian

    -

    8/3/2012 às 7:43 pm

    Gosto de que esse assunto continue sendo discutido. Já que tenho opinião contrária, posso contribuir com alguns comentários. Sua afirmação de que “…aquele signo concentra valores, ATENÇÃO!, da nação brasileira, de sua história e de sua formação…” contém, para mim, um grande equívoco. Esses valores podem não ser os meus, já que não sou cristão! Por que tenho que aceitar um símbolo que representa esses valores num espaço que deveria ser isento, sem privilégios de credo? Acho que quem defende um privilégio como esse para uma religião só o faz porque a considera superior às demais, o que deveria ser um ponto de vista pessoal e de forma alguma imposto aos que pensam diferente!

  • armando

    -

    8/3/2012 às 7:17 pm

    interessante que meu comentário não foi aprovado pela moderação. e continha ideias a respeito da vida e do texto. bem… fazer o que? mais uma vez a censura mostra sua utilidade.

  • Felipe

    -

    8/3/2012 às 6:04 pm

    Uma das piores idéias (Pra n dizer ridícula) é dizer q n ter nada é favorável aos ateus, nada é nada e pronto, n é pq tira algo cristão q é a favor dos ateus, a favor dos ateus seria estar escrito “Deus é mito”, isso seria. Se for pro estado ser a favor da maioria, como seu argumento bem formulado diz(Pra n dizer porcaria), transforme logo o país em nazista, pelo menos seria mais honesto do que ficar usando esses tipos de argumentos pra tomar esses tipos de decisão.

  • Madrugão

    -

    8/3/2012 às 5:54 pm

    “Um bobalhão mandou um comentário pra cá: “Não venha me dizer agora que a Inquisição não matou ninguém…” Claro que não vou dizer!”
    Pois você deveria dizer, caro Rei!
    A instituição (Igreja Católica) nunca matou ninguém mesmo.
    Quem condenava à morte e executava a pena, no tempo da Inquisição, era o estado e não a Igreja.
    A Igreja apenas fazia o inquérito (inquisição) para descobrir se o fulano era herege contumaz e se tinha cometido crimes por conta da heresia. Apurada a heresia, a contumácia e prática de CRIMES GRAVES, a Igreja o relaxava ao braço secular, que aplicava a pena segundo as leis criminais da época. Portanto, a “instituição” que matava era o estado, não a Igreja. Simples, assim.

  • Wanderley Filho

    -

    8/3/2012 às 5:31 pm

    Nos processos civilizcionais, via de regra, valores religiosos são incorporados à cultura de um povo. Temos aí vários exemplos, como o islamismo, a budismo, o cristianismo e o judaísmo. Assim, no caso da civilização ocidental, O CRUXIFIXO É UM SÍMBOLO QUE ULTRAPASSOU O SENTIDO RESTRITO DE UMA LITURGIA, PARA REPRESENTAR, PAULATINAMENTE, UM CONJUNTO DE VALORES MAIS AMPLO, FUNDAMENTAIS AO ORDENAMENTO SOCIAL, COMO, POR EXEMPLO, OS PRINCÍPIOS DO RESPEITO AO PRÓXIMO E DO DIREITO INCONDICIONAL À VIDA. Negar isso é retroceder dois milênios.

  • Anderson

    -

    8/3/2012 às 5:17 pm

    Tio Rei, você é um genio com as palavras, quisera eu ter este dom, sorte ter seu blog para partilhar desta dadiva!

    Um grande abraço e que DEUS lhe abençoe.

  • PARTIDO - PÊQUEPÊ

    -

    8/3/2012 às 5:06 pm

    .
    CARISSIMO REINALDO,
    .
    FICO AQUI PENSANDO COM OS MEUS BOTOES….
    .
    AS LESBICAS JA CONQUISTARAM TODOS OS DIREITOS QUE PLEITEIAM ? ELAS NAO TEM MAIS O QUE FAZER ? AGORA RESOLVERAM SE INDISPOR COM A MAIORIA DA SOCIEDADE ? SE VOCE NAO GOSTAR, ELA TE ACUSA DE INTOLERANCIA POR ELA SER LESBICA E DESVIA O FOCO. SABE POR QUE? ISSO É COISA DE PETRALHA, É COISA ORQUESTRADA. AS LESBICAS ESTAO SENDO SO MASSA DE MANOBRA
    .
    SE O BRASIL VIRASSE UMA CUBA GIGANTE OU UMA MINI UNIAO SOVIETICA ; NAO VAI; ENTAO AS LESBICAS, GAYS, PADRES, PASTORES, COMUNISTAS INTELIGENTES, ETC SERIA FUZILAOS. TODOS SABEM QUE ESSA GENTE É USADA ATE TEREM CONTROLE TOTAL, DAI ELES DESCARTAM CERTAS CLASSES E PESSOAS COMO SE FOSSEM INSETOS. É HISTORIA ISSO.
    .
    POR QUE ESSA GENTE NAO IMPLICA COM A IGREJA UNIVERSÁR ???
    .

  • Eduardo

    -

    8/3/2012 às 4:43 pm

    Temos tantos problemas na justiça, pra esse togados ficarem se ocupando de crusifixos……..tenha paciencia.Vejo que eles não tem o que fazer………..

  • André Luis

    -

    8/3/2012 às 4:29 pm

    Concordo. A Religião Cristâ faz parte de nossa história.
    Este ato, de retirar crucifixos, é totalmente intolerante e preconceituoso com a história do Brasil.

  • RONAN Di CARLO

    -

    8/3/2012 às 4:19 pm

    A igreja deve no mínimo tentar se defender e se manifestar judicialmente das mazelas do demônio. A besta se infiltra em todos os seguimentos da sociedade, apressando o seu próprio fim. É a agonia da segunda morte que deve estar próxima. Sou católico, mas, confesso minhas fraquezas em relação aos meus deveres, para tanto. Contudo, ficar só olhando o inimigo nos acuar, não dá. Os políticos e magistrados no Brasil querem nos mostrar que vivemos numa sociedade “laica”, na tentativa burra se mostrarem justos. Entretanto, se esquecem que a grande maioria desta sociedade traz formação cristã dentro de si. Para o verdadeiro cristão, não há como ignorar a cruz de JESUS, tampouco da importância de Sua mãe Santíssima Maria de Nazaré, a escolhida e, por isso, bem aventurada, que O aceitou antes de todos, nessa terra. Com certeza, entre os mais de sete bilhões de pessoas nesse mundo, há os que não acreditam (têm fé) em Deus, o que respeito, assim como, há também os que O tem como inimigo. Esses são os anti-cristos que se travestem e se abrigam nas minorias de grupo. Isto, por conta de brechas na lei e de interpretações errôneas que são veementemente apoiadas por políticos e magistrados que não conseguem sequer enxergar a real finalidade da causa em questão e que vai muito além do entendimento de quaisquer vivente.
    Gostei muito do comentário citado em um artigo, por Beni Soares em março 8, 2012 às 10:03 am
    “Será que um dia vão determinar a DEMOLIÇÃO DO CRISTO REDENTOR?”
    Minha resposta é: Não duvide!
    Logo, minha pergunta é: Será que os inimigos da luz irão ao Sol na tentativa de apagá-lo, ou será mais fácil fazer uma lei, que proibam as pessoas de se exporem à sua luz e ao seu calor em detrimento dos que adoram as trevas?
    Basta de intolerância e perseguição.
    Abraços!

  • Alexandre N.

    -

    8/3/2012 às 4:12 pm

    Como o senhor bem disse, o símbolo da cruz (e mesmo o crucifixo)tem um valor histórico para o Brasil. Deixando de lado o significado do símbolo para o cristianismo, ainda temos um importante valor histórico para o Brasil, como sendo um símbolo da chegada dos portugueses ao nosso território. Foi fixada uma cruz nas areias de Porto Seguro para que fosse rezada a primeira missa por aqui, fato que ilustra a origem de nossa nação. Vale ressaltar que um símbolo pode assumir diferentes significados, como por exemplo a suástica que ficou caracterizada como um símbolo nazista, mas que possui diferentes significados para povos que usavam e usam esse símbolo que vão desde os maias e astecas até os praticantes do budismo e hinduísmo.

  • MINO NETO

    -

    8/3/2012 às 3:58 pm

    REINALDO, PARABÉNS! TEXTO ESPETACULAR! QUE DEUS CONTINUE ILUMINANDO ESSA SUA CABECINHA, MEU AMIGO.

  • Claudius

    -

    8/3/2012 às 3:22 pm

    O ser humano somente chega ao desconhecido a partir do conhecido. É mais fácil o triunfo na superação da dor quando se tem uma imagem real. Xenofonte já dizia quanto aos gregos esculpirem seus deuses como humanos: se os cavalos tivessem deuses eles os esculpiriam como cavalos.

  • José Luiz

    -

    8/3/2012 às 3:15 pm

    Apenas para constar: não foram ateus que pediram a retirada do crucifixo. Foi a Liga Brasileira de Lésbicas. Provavelmente, existem entre elas mulheres das mais diversas religiões. Ademais, os próprios desembargadores, suponho, devem ser, em sua maioria, cristãos. A ignorância não escolhe credo.

  • Claudius

    -

    8/3/2012 às 3:08 pm

    As religiões são divididas em dois grandes grupos: as imanentes e as transcedentais. Todo nosso Ordenamento Jurídico tem em suas normas preceitos de ambas. Isto que fazem com o crucifixo ( não canso de repetir, a cruz é parte da imaginário popular, há nela uma imagética aderida a vida da humanidade e, sob o ponto de vista de Jung, faz parte do Inconstiente coletivo) é uma atitude horrorosa. Não encontro nenhuma justificativa, mesmo que sicofanta. É uma torpoeza pura e simples. Um facínora tem motivação. Esta atitude não tem. E estão fazendo isto na Quaresma, momento em que não celebrações, somente aplicação dos sacramentos de urgência; extremaunção, por exemplo. São traiçoeiros. Sabem que a Igreja somente agirá na Pascoa.

  • Anónimo

    -

    8/3/2012 às 2:46 pm

    “O cristianismo foi a primeira grande corrente religiosa e de pensamento a dignificar as mulheres e a lutar de maneira organizada para protegê-las de práticas homicidas.”
    se a própria biblia é degradante com as mulheres, isso é a própria prova que a religião n segue nem suas escrituras básicas…
    Mas, no assunto, sou ateu, concordo em partes com a retirada de crucifixos. Em hospitais, em que as pessoas são suscetiveis a querer acreditar, e mentes fracas precisam se apoiar em algo, eu não me importo. Mas em escolas, as crianças, não importa sua crença que os pais lhe passam, ter que prestar reverência ou são descriminadas. Cada caso é um caso, não adianta generalizar, nem falar que não existe perseguição religiosa.
    Por que uma camiseta 100% Negro é ter orgulho, e 100% Branco é ser racista? Da mesma forma que em rede nacional um apresentador de influencia falar que todos os presidiários são ateus, mesmo que a população carcerária atéia não represente nem 3%…

  • Rogério Fernandes

    -

    8/3/2012 às 2:40 pm

    Na verdade existe uma página no Facebook ligada ao grupo ATEA, eles colocam links lá de pessoas que falam contra o ateísmo ou a favor da religião. Assim os membros atacam páginas da internet com comentários chulos e trolls. O link desse artigo tá lá agora.

  • Alexandre Gonçalves

    -

    8/3/2012 às 2:32 pm

    Vou contar uma bomba. Pelo que fiquei sabendo, as lésbicas vampiras, depois de eliminarem crucifixos, lutam por um banco de sangue no refeitório.

  • ANTONINO SILVA

    -

    8/3/2012 às 2:27 pm

    Caro Reinaldo
    Meu pai, o saudoso jornalista SILVA NETO, desde cedo me fez apreciar a rara qualidade dos seus colegas cultores da linguagem, no estilo, e agudeza, na análise dos fatos. Recordo que ele elogiava quase sempre o David Nasser. Hoje mantenho aquela tradição para apontar você, não apenas aos meus filhos, mas a todos os meus amigos, como exemplo de jornalista virtuoso. Suas considerações acerca da “caça aos crucifixos” são um belo exemplo para dissecar a hipocrisia dessas minorias e o silêncio ridículo de uma grande maioria.

  • Max

    -

    8/3/2012 às 2:20 pm

    Ricardo, já existe ação do MPF para retirar o Deus seja Louvado da cédula.. Cristo redentor não é órgão público e natal só celebra quem quiser.
    Deixe de ser ignorante, retirar simbolos religiosos( de qualquer religião) de órgãos públicos não é perseguir essa religião, e sim respeitar as demais religiões.
    Infelizmente os moderadores do post apagam minhas msgs, que, apesar de não ter ofensa alguma, ao contrário do texto do blog e de vários comentários aceitos, parece não ser agradável.

  • André Flandres

    -

    8/3/2012 às 2:19 pm

    Sou ateu e concordo com isso tudo que disseste, Reinaldo Azevedo. Reconheço as virtudes morais do cristianismo, inclusive para a cultura brasileira – embora pense que ela se ressinta deles nos últimos tempo… -, e não preciso, para tanto, acreditar em Jesus Cristo como o messias, até porque, repito, sou ateu.

    A simbologia do crucifixo diz muito sobre a humanidade em geral e é algo inteligível para pessoas de quaisquer credos ou falta deles. Ninguém precisa acreditar piamente numa imagem histórica para entender a lógica interna que, quando menos, a narrativa dela carrega consigo.

    E, a partir desse processo cognitivo – que de resto demanda recursos intelectivos os mais elementares -, qualquer um pode compreender a mensagem externa que essa narrativa e seus símbolos transmitem e que pode, então, ser aplicada em vários contextos, já aí de forma universal.

    Trata-se precisamente da mensagem ignorada por aqueles que, na exata medida em que a não compreendem, querem apagar uma de suas mais importantes fontes simbólicas.

  • Marcelo Trincado

    -

    8/3/2012 às 2:03 pm

    Acho interessante essa questão de caçar crucifixos. Por exemplo: Eu sou budista (ou simpatizante dessa filosofia), quer dizer que como não sou católico e o estado é laico eu não poderia usar expressões de espanto como “minha nossa senhora” ou “santo Deus”? Se eu ficar bravo não poderei mandar ninguém para “o inferno” ou desejar que “o diabo carregue”? Pois pelo argumento dessas pessoas o estado não é laico ele tem que ser um estado sem crença.

  • Nacimento

    -

    8/3/2012 às 2:01 pm

    O interesse desses desocupados não é a pura remoção dos simbolos de nossa história mas sim recriá-la, recontá-la pela narrativa do politicamente correto. Afinal o Brasil foi descoberto em 2003, antes era o verbo.

    Seu interesse maior é substituir o crucifixo por uma foto do demiurgo, do big brother.

    Ao entrarmos nas repartições públicas não veremos mais simbolos religiosos da nossa cultura, mas sim “santinhos”, fotos e esculturas de nossos novos deuses.

  • Jonas

    -

    8/3/2012 às 1:58 pm

    Se hoje o cristianismo é considerado a religião mais importante do Brasil, é porque os europeus abafaram à força a memória dos povos dominados. Mas ela permanece latente, inconsciente, marginalizada, sempre esperando a próxima erupção cultural. Por isso é absurdo o que escreveu o autor: “Ora, caso se leve, então, a sério a representação, o que estariam querendo dizer seus defensores? Que as demais religiões tiveram na formação da nação brasileira e sua mentalidade a mesma importância do cristianismo? Bem, acho que ninguém correria o ridículo de afirmá-lo.”

    O cristianismo tem se utilizado de vários artifícios pra se manter no poder, e um deles é a ubiquidade: cristianismo em toda parte. Estratégias contemporâneas de publicidade já eram praticados pela Igreja há séculos. O crucifixo é uma logomarca dessa religião que tem por tradição enfiar sua crença goela abaixo de povos alienados das próprias raízes históricas.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados