Blog Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

sobre

Reinaldo Azevedo, jornalista, escreve este blog desde 2006. É autor dos livros “Contra o Consenso” (Barracuda), “O País dos Petralhas I e II”, “Máximas de Um País Mínimo — os três pela Editora Record — e “Objeções de um Rottweiler Amoroso” (Três Estrelas).

A barbárie brasileira e a gritaria dos hipócritas. Ou: Não adote um bandido; adote as pessoas de bem. Ou ainda: O linchamento de Sheherazade

Por: Reinaldo Azevedo

A VEJA fez muito bem em estampar na capa da edição desta semana um emblema da barbárie brasileira. Emblema é mais do que retrato, é mais do que fotografia; é um símbolo. A reportagem aborda os vários fatores que concorrem para o processo de “incivilização” do Brasil. Fazer justiça com as próprias mãos, obviamente, é uma das manifestações de uma sociedade doente. O procedimento tem de ser repudiado de maneira clara, inequívoca, sem ambiguidades. Não custa lembrar que as milícias no Rio e os matadores das periferias das grandes cidades brasileiras nascem do sentimento de autodefesa e logo se transformam em franjas do crime organizado.

O estado tem de conservar o monopólio do uso legítimo da força — até porque essa conversa tem um pressuposto: estamos falando do estado democrático. Exposto o princípio de maneira solar, vamos ver agora como algumas almas e penas farisaicas resolveram se apropriar do tema e sair gritando, como costumo ironizar, feito o coelho do filme Bambi: “Fogo na floresta! Fogo na floresta!”.

Em 2012, foram assassinadas no Brasil 50.108 pessoas. Em três anos, a guerra civil na Síria, estima-se, matou uns 100 mil. No período, 150 mil brasileiros foram assassinados. Boa parte dos que gritam agora contra os justiçamentos e linchamentos — e todos temos mesmo de fazê-lo — estavam onde? Fazendo o quê?

Não sou governo. Não tenho partido político. Não faço política. O único instrumento de que disponho para tratar do assunto é o teclado. Neste blog, sei lá quantas dezenas de textos, talvez centenas, escrevi a respeito! Na Rádio Jovem Pan, já comentei o assunto mais de uma vez. Na Folha, no dia 10 de janeiro, num texto intitulado “Mortos sem pedigree”, escrevi (em azul):

Em novembro, veio a público o Anuário Brasileiro de Segurança Pública com os dados referentes a 2012. Os “crimes violentos letais intencionais” (CVLI) somaram 50.108, contra 46.177 em 2011. A taxa saltou de 24 para 25,8 mortos por 100 mil habitantes. Na Alemanha, é de 0,8. No Chile, 3,2. Os “CVLI” incluem homicídio doloso, latrocínio e lesão corporal seguida de morte. Nota: esses são números oficiais. A verdade deve ser mais sangrenta.
Segundo a ONU, na América Latina e Caribe, com população estimada em 600 milhões, são assassinadas 100 mil pessoas por ano. Com pouco menos de um terço dos habitantes, o Brasil responde por mais da metade dos cadáveres. O governo federal, o PT, o PMDB, o PSDB e o PSB silenciaram. Esse é um país real demais para produtivistas, administrativistas e nefelibatas. A campanha eleitoral já está aí. Situação e oposição engrolarão irrelevâncias sobre o tema. Prometerão mais escolas e mais esmolas. Presídios não!
Algumas dezenas de black blocs mobilizaram o ministro da Justiça, os respectivos secretários de Segurança de São Paulo e Rio e representantes da OAB, do CNJ e do Ministério Público. Rodrigo Janot, procurador-geral da República, quer até um fórum de conciliação para juntar policiais e manifestantes. Sobre a carnificina de todos os dias, nada! Quem liga para cadáveres “pobres de tão pretos e pretos de tão pobres”, como cantavam aqueles? No país em que os aristocratas são, assim, “meio de esquerda”, segurança pública é assunto da “direita que rosna”, certo? Os 400 e poucos mortos da ditadura mobilizam a máquina do estado e a imprensa. É justo. Os 50 mil a cada ano só produzem silêncio. Dentro e fora dos presídios, são cadáveres sem pedigree.

Retomo
O Sindicato dos Jornalistas do Rio pediu a cabeça de Rachel Sheherazade, jornalista e apresentadora do SBT, em razão de um comentário que ela fez sobre aquele rapaz que foi atado pelo pescoço. Não endosso boa parte do que ela disse. É preciso, reitero, deixar claro com todas as letras que aquela não é uma solução — e, a rigor, ela não disse que é. Faz-se necessário evidenciar que se trata de outro crime. Mas parte de suas observações procede, sim, e vai ao ponto: dissemina-se, de maneira perigosa, preocupante, a sensação do homem comum de que lhe cabe fazer alguma coisa, já que, para expor a ideia genérica, “ninguém faz nada”.

Estamos começando a chegar a um limiar perigoso. É claro que a gritaria mais estridente contra Sheherazade — que parte de gente que nunca deu 10 tostões pelos mais de 50 mil cadáveres brasileiros a cada ano — tem muito pouco de humanidade, de piedade, de bondade congênita ou algo assim. É ideologia! Há muito tempo esperavam que ela cometesse um erro para maximizá-lo no limite do insuportável, declarando, então, que ela tem de ter a cabeça cortada. É um caso clássico de farisaísmo, de gente que apela a supostos “fundamentos” para eliminar aqueles que considera incômodos.

Leio, por exemplo, um texto contra Sheherazade assinado por um notório defensor de mensaleiros; que andou se esmerando, há coisa de 15 dias, em, ora vejam!, nos recomendar que ouvíssemos o que Henrique Pizzolato tinha a dizer. É isso mesmo! Imaginem quantas criancinhas poderiam ter sido tiradas da pobreza com aqueles mais de R$ 70 milhões do Fundo Visanet, né? Outro, uma espécie de intérprete permanente da alma de José Dirceu, também quer ver pendurada no poste a cabeça da jornalista. E fica evidente que não é só por causa do comentário que ela fez: é pelo conjunto da obra.

Hipócritas!

Farsantes!

Vigaristas!

Se perguntarem a esses delinquentes morais quem é Fabrício Proteus, eles dirão de primeira: “É a vítima da Polícia de São Paulo” — aquela “vítima”, vocês sabem, que avançou com estilete contra PMs. Mas perguntem quem é Alda Rafael. Nunca ouviram falar. É possível que nem vocês se lembrem porque o caso logo desapareceu. Trata-se da policial que levou um tiro pelas costas no Complexo da Penha, no Rio.

Direitos humanos
Não se trata de saber se direitos humanos devem existir também para bandidos. Os direitos humanos, vejam que coisa!, humanos são — e deles ninguém se exclui ou pode ser excluído. Ponto final. A questão é de outra natureza: cumpre tentar entender por que esses prosélitos mixurucas, esses propagandistas vulgares, jamais se ocupam da guerra civil que está em curso no Brasil há décadas. Então os mais de 50 mil que morrem por ano no país não merecem a sua atenção?

Sei que pode parecer estranho a esses oportunistas, mas Sheherazade não amarrou ninguém. A violência que a gente vê é só um pouco da violência que a gente não vê. Os linchamentos se espalham Brasil afora. Os mais de 50 mil homicídios a cada ano no país é que mereciam uma “Comissão da Verdade”. Por que os que agora pedem a cabeça de uma apresentadora de TV jamais se ocuparam das 137 pessoas (média) que são assassinadas todos os dias no Brasil? Por que não acenderam, como vela, ao menos um adjetivo piedoso por Alda Rafael?

Os imbecis tentarão ler no meu texto o que nele não está escrito. Dou uma banana para os tolos. Quanto mais eles recorrem à tática da desqualificação, mais leitores vão chegando — e, agora, mais ouvintes também. Não dou a mínima. Não me deixo patrulhar. Sim, eu acho que os que prenderam aquele rapaz pelo pescoço têm de ser punidos. Eu acho que os que recorrem a linchamentos também têm de arcar com as consequências.

Mas acho igualmente que essa gente que decide resolver por conta própria — que também é pobre de tão preta e preta de tão pobre — merece ter estado, merece ter segurança, merece ter proteção. Se sucessivos governos se mostram incapazes de dar uma resposta — por mais que eu deteste, por mais que eu ache que o caminho errado, por mais que eu tenha a certeza de que a situação só vai piorar —, as pessoas farão alguma coisa.

Parece-me que foi esse o sentido que Sheherazade deu à palavra “compreensível” — o que não implica necessariamente um endosso. Os historiadores já se debruçaram sobre os fatores que tornaram “compreensível” a eclosão dos vários fascismos na Europa do século passado ou da revolução bolchevique na Rússia. Compreender um fenômeno não quer dizer condescender com ele. Eu, por exemplo, penso que é compreensível que o PT tenha chegado ao poder, entenderam?

Ainda que, reitero, avalie que o comentário foi, sim, desastrado. Mas tentar linchar Sheherazade moralmente, aí já é um pouco demais! Estranha essa gente: defende o direito de defesa para os bandidos mais asquerosos — e nem poderia ser diferente —, mas pede a execução sumária de alguém por ter emitido uma opinião infeliz.

E por quê?
E por que se silencia de maneira sistemática, contumaz, cínica, sobre a guerra civil brasileira? Naquele artigo da Folha, sintetizei a razão (em azul):

E por que esse silêncio? É que os fatos sepultaram as teses “progressistas” sobre a violência. A falácia de que a pobreza induz o crime é preconceito de classe fantasiado de generosidade humanista. A “intelligentsia” acha que pobre é incapaz de fazer escolhas morais sem o concurso de sua mística redentora. Diminuiu a desigualdade nos últimos anos, e a criminalidade explodiu. O crescimento econômico do Nordeste foi superior ao do Brasil, e a violência assumiu dimensões estupefacientes.
Os Estados da Região estão entre os que mais matam por 100 mil habitantes: Alagoas: 61,8; Ceará: 42,5; Bahia: 40,7, para citar alguns. Comparem: a taxa de “CVLI” de São Paulo, a segunda menor do país, é de 12,4 (descarta-se a primeira porque inconfiável). Se a nacional correspondesse à paulista, salvar-se-iam por ano 26.027 vidas.
Com 22% da população, São Paulo concentra 36% (195.695) dos presos do país (549.786), ou 633,1 por 100 mil. A taxa de “CVLI” do Rio é quase o dobro (24,5) da paulista, mas a de presos é inferior à metade (281,5). A Bahia tem a maior desproporção entre mortos por 100 mil e (40,7) e encarcerados: 134. Estudo quantitativo do Ipea (aqui) evidencia que “prender mais bandidos e colocar mais policiais na rua são políticas públicas que funcionam na redução da taxa de homicídios”.
Isso afronta a estupidez politicamente correta e cruel. Em 2013, o governo federal investiu em presídios 34,2% menos do que no ano anterior — caiu de R$ 361,9 milhões para R$ 238 milhões. Para mais mortos, menos investimento. Os progressistas meio de esquerda são eles. Este colunista é só um reacionário da aritmética. Eles fazem Pedrinhas. Alguém tem de dar as pedradas.

Encerro
Boa parte dos que estão vociferando não está nem aí para os pobres, os humilhados etc. Estes coitados servem apenas de pretexto para aquela turma perseguir os de sempre. Não fosse assim, esses bacanas estariam mobilizados, cobrando uma ação do estado brasileiro para pôr fim ao Açougue Brasil, especializado em carne humana.

Voltar para a home
TAGs:

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

*

435 comentários
  1. paulo

    temos que lutar contra esses petralhas.

  2. Apolonio

    Será que vão tomar providencias contra o LULA pelo que ele falou no ultimo comício que participou? Onde da a entender que roubar banco pode, vejam abaixo:

    Lula deu a entender que roubar um banqueiro não é nada de tão condenável. Disse Lula: “A coisa está tão grave que é pobre roubando pobre. Eu, antigamente, via: ‘Bandido roubou um banco’. Ficava preocupado, mas falava: ‘Roubar um banqueiro… O banqueiro tem tanto que um pouquinho não faz falta. Afinal de contas, as pessoas falavam:

    Com isso ele não esta incentivando o roubo a banco ??

  3. Humberto

    Está sobrando tempo para estes servidores. Será que não tem chefe para dar-lhes serviço de verdade?

  4. João José Monteiro da Silva

    Gostaria de ter podido falar exatamente o que ela falou. Faço minha suas palavras .Porque a comunista Jandira Feliz, que se preocupa tanto com direitos humanos, não Propõe a Bandeirantes a mesma sensura ao Boechat, que já falou barbaridade ao vivo? Será porque ele já foi do partidão e a Sherazade é de direita ?

  5. POKA TETA

    neste clairrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

  6. poka teta

    neste clair

  7. Jose Roberto

    A repórter Raquel scheherazade falou e mostrou a verdade, por isso incomodou tantos hipócritas, ( politicos que dão esmolas para se manter no poder, o pessoal dos direitos humanos que defende só bandidos porque ganham pra isso), as pobres vitimas trabalhadoras e honestas que pagam impostos são deixadas a DEUS dará.
    Esse governo é mesmo uma corja de BANDIDOS.
    Parabêns para a jornalista, pela honestidade e goragem,de mostrar a verdade, como você tinha que ter outras 100 milhões de RAQUEL reporter.

  8. Francisco

    A Raquel,simplesmente veio nos mostrar nosso direito de ir e vir, nosso direito a segurança, que nossos políticos direcione recursos para melhoria dos que defendem as leis, e melhoria no sistema prisional, como em países de primeiro mundo ( não teremos a copa das copas).
    Que os presídios sejam privatizados,já!

  9. Antonio Marcelo

    Ah Reinaldo… se eu não acreditasse em Deus passaria a acreditar após ler o seu texto. Ele não nos abandonou. O problema com a Raquel Sheherazade nada tem a ver com estarmos de acordo com o pensamento dela ou não. Tem a ver com a liberdade de expressão, de livre manifestação, de poder expressar sua opinião. Se a violência não se resolve apenas com programas de renda mínima e eu não quero sujar minhas mãos com o trabalho de repressão, me resta apenas usar a verba estatal como se fosse minha e assim, não somente silenciar, mas banir, cassar, tirar do ar, toda e qualquer manifestação contrária.

  10. Emmanuel de sa nunes

    Deveria em época de eleição, serem divulgados, os rostos, e os nomes dos pseudos defensores do pôvo, com aqueles que impedirão a aprovação do codigo penal da maior idade para 16 anos, a sociedade vive acoada por leis desmoralizadas confuzas, sem direito de exprimir sua opinião. pra vocês que defedem os bandidos, adotem um! quem sabe pode tornar-se um futuro genrro!

  11. FRANCISCO DE LIMA GOMES

    Reinaldo, te admiro e gosto de muitas de suas opiniões mas francamente, você escreveu um texto longo para ficar em cima do muro: “a execução sumária de alguém por ter emitido uma opinião INFELIZ” (grifo meu). É demais! Ela foi sintética ao afirmar “eu defendo as pessoas de bem desse país”! Ponto Final. Se você fosse defender as pessoas de bem desse pais ficaria de que lado? Se tiver dificuldade em responder tome o BANDIDO como referência: o que ele praticou constrói ou destrói? E aí você fica de qual lado? Não há tempo para muito parangolé. É como um algoritmo matemático. Tem que chegar ao um resultado, caramba!
    De que lado você ficaria?
    DE QUE LADO VOCÊ – AFINAL – ESTÁ?
    Ouço queixas de pessoas que não suportam a fustigação e os prejuízos financeiros e pensam em fechar seus pequenos negócios.
    DE QUE LADO VOCÊ FICARIA?
    Pense! O cidadão desenvolve solução Econômico-Social para si, para sua família e para a comunidade contratando colaboradores: balconistas, caixas, atendentes, serviçais e etc. Esse mesmo cidadão luta bravamente, persiste, resiste às intempéries do seu Setor Econômico, enfrenta a concorrência, tenta ser fiel ao consumidor. Mas aí vem o bandidinho de varejo e coloca em xeque toda a sua estrutura de trabalho. Ora, vejam só?! Não são as idiossincrasias do Mercado que o cidadão pequeno empresário mais teme.
    VOCÊ FICARIA DE QUE LADO? Me diga pelo amor de Deus?
    O Estado Leviatã traga os recursos daquele cidadão pequeno empresário e não os devolve para a sociedade na forma de aplicação da Lei.
    Nesse vácuo entram esses bandidinhos de varejo, fustigadores do bem estar geral.
    Eu corrigiria o “compreensível” de Sheherazade por “justificável”.
    Temos o direito à segurança, mai ainda porque porque pagamos compulsoriamente e somos logrados. Nossa ira deve ser em dobro.

  12. Wanderson

    Acho que a música que retrata a situação é “Perfeição” do saudoso Legião Urbana.

  13. Terezinha

    Concordo em numero, gênero e grau com tudo que disse meu caro, e continuo me perguntando aonde essa jornalista errou??? …

  14. Leila

    Concordo com tudo o que diz em seu artigo, Reinaldo, mas se pensarmos que pessoas como vc, ela e tantos outros podem influenciar positivamente ou negativamente um maior número de pessoas, repensar, refletir sobre o impacto do que se diz é o mínimo que se espera. Dizer que é compreensível reações violentas, favoreceu a quem? Dizer que adote um bandido, favoreceu a quem?O que tem de relevante nisso, que poderia contribuir para que as pessoas repensassem sua vida cidadã, no que diz respeito à uma participação mais ativa da vida política do país, sobre a responsabilidade de todos nós em cumprir nossos deveres e de cobrar daqueles a quem elegemos, os direitos assegurados pela constituição, de educação para todos, saúde, moradia, cultura, segurança…? Ao expressar uma opinião, assim em rede nacional, não se pode desconsiderar que a capacidade de compreensão das pessoas que a vêem, não é homogênea no nível mais alto… São vários níveis e o risco de se induzir ao equívoco grande parte da população é grande. A violência está em toda parte, não podemos negar, mas justificar mais violência com a insatisfação das pessoas, considerar aceitável que a dignidade humana seja desprezada em função de uma justiça baseada em descontentamento, raiva, medo e até preconceito é ser retrógrado demais, me desculpe… Por mais descontentes que estejamos, existem Leis que regem nossa sociedade e como civilizados e cidadãos temos dever de cumpri-las. Se sairmos por aí fazendo a nossa própria justiça, como fica? Penso que a jornalista é muito competente no que faz e já fez comentários, emitiu opiniões muito acertadas e que direito a opinar todos nós temos, pois vivemos num país democrático(graças a muitas lutas, que aliás todas fundamentadas em direitos humanos, não é?), mas cabe a cada um refletir sobre como contribui para que a sociedade seja melhor, desde o que educa o filho em casa até os que expressam suas opiniões para grandes públicos. Sinceramente,não acho que ela deva ser perseguida por isso. Acho que já deu. Toda essa repercussão, o fato de os justiceiros terem passagens por roubo e estupros, serve para que compreendamos que o mesmo prazer na mente adoecida do criminoso em subjugar, ferir e demonstrar poder está presente na mente dos justiceiros. A justiça só se faz, quando a regra se aplica a todos, sem distinção. No fim das contas, tudo isso nos levou a refletir, sobre muitas coisas que precisam ser revistas nessa sociedade, mas isso não deve isentá-la de ser mais responsável em seus comentários, nem de seus telespectadores de conhecer outras opiniões antes de aceitar como verdade o que qualquer pessoa disser. Cada um deve ter o compromisso de buscar conhecimento e aprender cada vez mais, só assim é que se pode ampliar a visão que temos do mundo e ver as coisas de perspectivas diferentes, antes de concluirmos qualquer coisa e basear nossas atitudes. Passamos a vida educando uns aos outros, portanto o mundo também é reflexo de nossas atitudes mais simples e cotidianas. Parabéns pelo artigo.

  15. consulin

    parabéns Reinaldo, concordo plenamente com suas idéias, a jornalista em questão opinou de maneia correta e com certeza é a opinião da maioria dos brasileiros, sou policial ha cerca de vinte e cinco anos e nunca presenciei alguém ligado aos direitos humanos oferecendo qualquer tipo de apoio a crianças estupradas, mães violentadas, a respeito do caso do cinegrafista da band morto, nenhum integrante dos direitos humanos procurou a família oferecendo qualquer tipo de assistência, em contrapartida já ofereceram apoio jurídico aos homicidas, conheço varios policiais que morreram em serviço ou ficaram paraplégicos ou tetraplégicos e nunca apareceu alguém dos direitos humanos oferecendo ajuda aos policiais , ou seus familiares, um verdadeiro contra censo somado com inversão de valores.

  16. Tasco

    Reinaldo, você é o cara. Acho que vc deve ter mais espaço na mídia pra atingir o grande público nacional, não apenas leitores.

  17. Higor

    ReinaldoXXXXXXX na cascuda!

  18. Mauro Rodrigues

    ReinaldoXXXXXXXX na cascuda!

  19. Matheus Cajaíba

    Tô bastante curioso pra saber afinal de contas qual foi o equívoco que a Rachel Sheherazade cometeu nessa sua fala.

  20. Clayton Moreira

    Já assinou a petição a favor de Rachel Sheherazade, Reinaldo? Eu já:

    http://www.citizengo.org/pt-pt/746-apoie-rachel-sheherazade-contra-ditadura-do-discurso-unico

  21. Carvalho da Fonte'Seca

    Hipócritas, imbecis, mentirosos, esquerdopatas. A Sheherazade tem todo o nosso apoio. Se cometeu um equívoco, a bandidada esquerdopata comete-os às centenas, e não só equívocos, más crimes! O pior culpado de tudo é este pseudo governo que tomou conta do Brasil, mas que iremos derrotar em outubro deste ano! E no primeiro turno!

  22. Maressa Reis

    Concordo com você especialmente quando disse que ela foi infeliz no comentário. O “Açougue Brasil” precisa, além do óbvio, um estado que conceda o aparato necessário para o pleno desenvolvimento, de profissionais responsáveis conscientes de sua importância. Em um país onde educação e esclarecimento é coisa de pouquíssimos, emitir sua opinião pode ser muito enriquecedor ou simplesmente desastroso. Além disso se os artistas querem ser filósofos e os intelectuais celebridades o que será de nós com alguns jornalistas querendo se tornar incendiadores?

  23. Maria Ivete Becker

    Sr. Reinaldo Azevedo!
    É perfeito seu comentário! Forjei meu comportamento no respeito a este princípio de justiça, já mais feita com as próprias mãos. Apenas que, não aprendi a reivindicar das autoridades competentes, que elas cumprissem com o seu papel de segurança, considerando ser, este, uma consequência natural de seus papéis, funções e cargos. E, não mais do que de repente, sentimos a sua ineficiência, a sua verdadeira e silenciosa, omissão! Tenho que exercitar-me, a cada fato agressivo e violento, para não saltar do sofá para fazer a justiça com as próprias mãos. Pagamos impostos e ao não termos garantias de vida, de integridade física e defesa patrimonial, temos a sensação de abandono crescente. Seu texto, acerta, também ao dizer que é esta mesma a reação que estes ideologistas do mal desejam que tenhamos. Querem ver o Circo pegar fogo, pouco importando-se com as nossas vidas. É, mesmo, um momento muito grave o que estamos a viver, e penso que sem fim! Valeu, Sr. Reinaldo Azevedo!

  24. JDavid

    Reinaldo.
    Saudações.
    Infelizmente, todos estes lamentáveis fatos, não aconteceram sem o alerta deste espaço e por reiteradas vezes Reinaldo analisamos os rumos violentos que as quadrilhas e seus admiradores, levavam as manifestações.
    Esta cena grotesca é causa ou consequência.
    Acontece que os bandidos, são cruéis, não sabem prender pessoas, isto é uma prerrogativa do Estado através da Polícia, quando a imprensa e os políticos, na falta do Estado deixam a polícia fazer seu trabalho.
    Não fiquei feliz, mas, me senti bastante aliviado, ao ver este rapaz amarrado num poste, deve ele rezar todos os dias, do resto de sua vida, dando graças de poder estar vivo, pois, outros não tiveram a mesma sorte, poderia estar ele depositado, num terreno baldio sem vida. Assim, amarrado a um poste, permaneceu vivo e deve ser entendido, por aqueles que o amarraram, eu particularmente e a mãe, se este infeliz, tiver uma mãe, estaremos ela e eu muito felizes. Uma vida foi salva, amarrada como um cão, num poste.
    Agora, do ponto de vista da justiça, isto é um crime, caberá à polícia e somente à polícia, fazer com que os malfeitores, que o prendeu, sejam presos imediatamente, por este ultraje de conter um marginal, antes, que matasse ou fosse morto por outros bandidos.
    ———————————–
    Mas, o que quis dizer da jornalista Sheherazade, alias, diz esta jornalista, o que muitos outros marmanjos jornalistas não têm coragem de dizer, preferem ser capachos de editores e subservientes ao sistema, do que serem homens e sustentarem um discurso verdadeiramente democrático, livre, ético e honesto.
    No Brasil desses tempos de PT está acontecendo algo de muito sério com a visão das pessoas. Os meios de comunicação, entidades de Direitos Humanos, jornalistas, políticos, uma porção de gente, que tem dois olhos, mas, não veem, dois ouvidos, mas, não ouvem e uma boca e são mudos. De visão extremamente seletiva, são capazes de ver uma mosca em cima de um elefante, mas, em hipótese alguma enxergar o elefante. Pobre da mosca.
    ——————————-
    Ora! Que pessoas são estas, que País é este e não poderia deixar de ser, que governo é este, irreconhecível e letárgico. Ou é de propósito, querem os esquerdopatas, que o circo pegue fogo. Não é possível! Para esquecer o Pizzolato, eles, pisam na bola com a polícia e acusam “Deus e o diabo em terras brasilis”, esqueceram o Pizzolato sozinho lá na Itália desprezado, pela imprensa brasileira e toda ela, se volta e a carga total, para as badernações do Rio de janeiro. Até quando , teremos que assistir a isto.
    Conveniente, muito conveniente. A solidariedade da imprensa brasileira chega a níveis de extrema sensibilidade. Uma sensibilidade, também, seletiva, onde não são capazes de enxergar, que as manifestações, regradas a violência, assemelham-se, a um barril de pólvora, para que exploda, bastaria um estopim.
    Mas, a quem interessa esta onda de violência nas manifestações, para que todas as autoridades permaneçam quietas e proíbam a polícia de realizarem seu trabalho.
    As manifestações, quando, se tornam badernas, não escolhem suas vítimas, simplesmente, elas matam as pessoas. Suas vítimas podem variar de uma a cem ou centenas.
    Meus mais sinceros sentimentos à Família do Santiago – O Cinegrafista da Band.

  25. Leo

    Um dos seus melhores textos, Reinaldo! Parabéns!

  26. Ailton Leme

    A verdade dói,e quando exposta em rede nacional,incomoda os tiranos do poder,o que a nobre jornalista disse é o retrato do país,onde a inversão de valores esta cada vez mais forte,e ficara pior,muitos cursos criados com viés comunista estão surgindo,fico em um único exemplo,o de serviço social,onde é dito que bandidos são coitados,quando roubam estão desapropriando,quando matam estão se defendendo da injustiça social.Policiais segundo a regra ensinada são inimigos,o capitalismo atacado sem piedade,estão formando jovens de forma a acreditarem que este país foi descoberto em 2003,e seu descobridor LUÍS INÁCIO LULA DA SILVA PEDRO ÁLVARES CABRAL DE GOUVEIA,odeiam militares,são serviçais de ONGS,que tem como protetores políticos,nicho dos mesmos,não temos oposição pois o regime que adotaram é o da tesoura,são farinha do mesmo saco,o aparelhamento do estado é notório,em todas as esferas,a maquina inchada são nomeações apadrinhamentos,desde as subprefeituras,prefeituras,congresso,assembleias,autarquias,onde alocam seus cabos eleitorais,o exemplo vem de cima,onde vários deputados federais estaduais,respondem a processo,cível e criminal,inclusive homicídio.A sociedade tem sim que reagir,inclusive reavermos a lei do desarmamento,o cidadão tem sim o direito de se defender,o covarde do bandido,partindo da presunção que eu estou armado,vai pensar mais antes de me atacar,não é possível continuarmos a servir e dar ibope aos narradores de tragédia em rede nacional,paladinos da justiça e que andam de blindado e torcem para que o crime prospere,a televisão não pode ser vitrine para promotores,delegados,juízes,não sou a favor da censura,mas anunciantes deveriam parar de expor seus produtos e serviços nesses programas mundo cão.Estamos a caminho do incerto,quem nos governa hoje independente de partido,estão ricos e se esbaldam na desgraça alheia,são frios,não conhecem a realidade,andam com seguranças e blindados,tem ótimos hospitais,inclusive no exterior,aviões a disposição inclusive para casamentos e implantes capilares,dinheiro o país tem pagamos um dos maiores impostos do mundo,o problema é o ralo por onde escoa,onde já se viu um vereador em SÃO PAULO,são indicados e são cabos eleitorais,pagos com nosso dinheiro.

  27. Fernando

    E vocês viram as
    lágrimas de crocodilo da jornalista @
    LeilaneNeubarth da Globo News ontem ao ler a carta da
    filha do cinegrafista morto? PATÉTICA!

    Ela, que ironizou a Raquel no twitter outro dia e dizia que ficava “emocionada” ao ver os Black Blocs em ação… Lixona!

  28. Fernando

    “rodolfo – 10/02/2014 às 16:50

    Este rapaz conhecido como Tsavkko é um dos
    que está defendendo o linchamento de Raquel.
    Observe como ele é meigo e pacifista. OBS: Ele
    é Doutorando em Direitos Humanos…”

    Esse Rafael Tsavkko não passa de um terrorista! Quem ele pensa que é pra falar mal da Rachel? Ele deveria estar PRESO!!!
    Ele é um extremista de esquerda do PSOL, mas JURA que é moderado! Basta dar uma olhada na TL desse sujeitinho para ver o quanto ele é “moderado”. Vejam essa discussão dele com a jornalista Monica Waldvogel:

    https://twitter.com/MonicaWaldvogel/status/433015894034219009?screen_name=MonicaWaldvogel

  29. Fernando

    Luíza – 10/02/2014 às 22:35

    Ela JAMAIS pode se retratar por que pra esquerda, isso é um sinal de fraqueza.
    Lembre-se que a esquerda avança, conforme nós recuamos!

  30. Ruth Moura

    Também sou admiradora da Rachel… O problema, é que, ser competente, corajosa, verdadeira, além de ser bonita, incomoda muita gente. Quem deve receber críticas e censuras, num todo, é o Brasil, com seus órgãos públicos incompetentes, que não fazem coisa alguma pelo cidadão, limitando-se apenas, a “mamar nas tetas desse Brasil” cheio de corrupção, injustiças e falta de moral!

  31. Marcos

    Só li fatos. Esse texto me representa. Se não soubesse que não foi eu (até porque não saberia escrever tão bem) diria que foi sim fui eu que escrevi. E isso porque não foi citado os mortos e feridos no transito assassino do Brasil, também numa conjuntura de resultados de décadas de desgovernos e de podridão, começando pelos carros de terceira linha da lucrativa e protegida indústria automobilística nacional, passando pelos órgãos reguladores que só servem pra burocratizar visando “doações $$” e terminando na falta de educação do povo combinada a uma cavalar dose de impunidade = açougue com ar condicionado e som MP3.

  32. Marcos/Recife

    Reinaldo,
    Já vi e li o comentário da Rachel e não encontro nada nele que não seja a estrita verdade, clara e cristalina.
    O fato dela dizer que é compreensível que se chegue ao ponto da sociedade prender os bandidos, que foi esse o foco do seu comentário, em nenhum momento ela abordou a agressão sofrida por ele, ou seja, não estava na discussão.
    Fora que não é de agora que na sociedade brasileira quando pega-se um criminoso esse é linchado, se não até morto e nunca ninguém se levantou para dizer ai ou para criticar a sociedade como se isso fosse uma coisa de outro mundo. Sempre houve e sempre irá acontecer isso!
    Ou seja, essa crítica a Rachel é hipocrisia pura, grumosa e fedorenta! Coisa de ptralha!!!
    Só posso dizer que de tudo que Rachel falou assino em baixo, não precisa mudar uma só vírgula! Em nenhum momento, quem sabe ler, leia que não estimulou qualquer ato de vandalismo ou mesmo criminoso.
    Quando ao comentário aos Falsamente intitulados defensores dos direitos humanos (que cachorro, gato, tartaruga, etc tem mais valor que uma criança, idoso, etc), foi uma ironia inteligentíssima, pois estes nunca defenderam uma só vez direito humano algum. Então, que façam alguma coisa: adotem um bandido, é menos um na rua!
    Ou seja, o que Rachel falou é tudo a verdade! E verdade não se discute, ajoelha-se a ela!
    Rachel, vc me representa! Para frente, avante e coragem! Muito obrigado por sua voz quase única na TV brasileira! Fica com Deus.

  33. padock

    sherazade pra presidente já,nossa futura presidente falou a verdade,ha tantas presidantas q só mentemquando aparece uma futura falando a verdae é aquele esoanto como se todos ja ñ soubesse-mos da real,na verdade sua cabeça ja estava pedida ha muito tempo pelos babões de ovos de plantão atraz de benesses do erario incluindo seu sindicato,nunca vi o sindicato pedir a cabeça do seu associado pra fazer medias com a quadrilha ” DE LADRÕES “PTISTA

  34. Ana Santos

    Não entendi por que motivo, ao compartilhar o link, aparece uma foto de futebol?!?!?

  35. Mauro Maracajá

    Perfeito comentário!!!!

  36. roby

    Rachel Sheherazade, na posição que ocupa, não pode dizer o que disse. Eu, na qualidade de mero cidadão que a ninguém representa, (senão a mim) POSSO, SIM. Aliás, DEVO.
    Nós, o povo, já estamos saturados de tanta ideologia, da falta de segurança que isso representa e das terríveis perspectivas que a continuidade desse estado de coisas representa.
    Entre tantos outros malefícios, a ascensão do petismo trouxe uma famigerada gana pelo desarmamento civil — CONTRARIANDO A VONTADE POPULAR CLARAMENTE MANIFESTADA NO REFERENDO DE 2005. Conheço diversos casos de cidadãos que têm armas de fogo há mais de trinta anos, mas, por conta das ridículas dificuldades impostas pelo Ministério da Justiça para renovação das respectivas licenças, essas pessoas estão todas fora-da-lei. Não podem sequer comprar munição (a não ser das mãos de traficantes, talvez os únicos beneficiados pela “nova legislação” petista), estando sujeitas à apreensão das armas e à prisão em flagrante (e inafiançável) por sua posse, MESMO DENTRO DE SUAS RESIDÊNCIAS. Num caso de assalto, não podem defender-se, sob risco de sofrerem punição maior que a dos bandidos. Se chamam a polícia, quando ela chega (via de regra), os meliantes já estão há tempos usufruindo o “merecido” butim. A quem recorrer?
    Sei que milícias armadas, volantes de cidadãos e equivalentes não funcionam, posto que — a exemplo do que acontece no Rio de Janeiro — inexoravelmente acabam se tornando verdadeiras tiranias, cujo poder empregam em oprimir o povo.
    Então, qual é a solução? Somos todos (inclusive você e sua família, Tio Rei), carne barata para alvo de marginais cuja “atividade” é não apenas tolerada como encarada sob um prisma de “reparação social” que contribui somente para o agravamento da violência que já se tornou lugar-comum em nossa sociedade. Se você não pode fazer nada para impedir a violência contra uma filha, que diabos de cidadão se tornou?
    Sempre que possível, também acho que a diplomacia é a melhor maneira de resolver conflitos; que a guerra só pode existir quando essa diplomacia se extingue; que é melhor conversar do que partir para a ignorância. Mas, como você mesmo disse, temos mais de cinquenta mil assassinatos por anos: MAIS DO QUE UMA VERDADEIRA GUERRA.
    Agora eu gostaria de dizer PORTANTO, mas vou deixar por E ENTÃO?

  37. Adu ElShari

    o ódio contra a Raquel é nítido. Pudera: a moça além de bonita é inteligente e articulada, ou alguém aí prefere as sapatas do naziptralhismo? Horrorosas, fedorentas, ignorantes e arrogântes.

  38. jose carlos

    Tenho certeza que a maioria dos que estao pedindo a cabeça da jornalista, e chapa branca e baba ovo.

  39. Euler Baltar

    concordo em gênero, número e grau com o REINALDO AZEVEDO!!!!

  40. Ferdinand

    Se o estado não funciona, nem vai voltar a funcionar tão cedo, e a população não pode reagir, porque o monopólio da força é do estado, então deixemo-nos morrer, é a única solução que resta.

  41. odisseu

    didático!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!pedradas neles! tava pensando isso ontem à tarde: essa balbúrdia toda, esse proselitismo barato de comissão da verdade, em cima de 400 mortes, e nenhum ai para 50 mil mortes anuais/ 2 anos de brasil= 2 anos de uma guerra atroz e maldita, com os piores facínoras na síria. quantos seriam os mortos por ano, relação habitante a cada 100 mil, na ditabranda? não sou favorável a ditadura, mas o getúlio vargas, não teria matado mais, do que os militares ? ele o herói nacional, que todo político gosta de louvar, inclusive o lula, aquela patife ,pilantra, que me dá , sempre deu: náuseas, nojo, ânsia de vômito…e veio aí sim, endossar o que essa cambada de hipócritas sempre pensou e quis. poder, centralizar o comando, as custas dos outros..bando …! na época da ditabranda tinha essa matança? comissão da verdade é uma palhaçada e tanto, bem como essa história de renomear lugares, a ponte rio niterói(costa e silva?) segundo o mpúblico deve ser renomeada. eles não nada mais sério a fazer? bom que coloquem então ponte macaco tião, ou joaquim nabuco, machado de assis…talvez coloquem, ponte mao tsung…esse pessoal do mp, eu sei, pq já estudei com eles: a maioria é “esquerdista””progressista” mal informado, adepto de wagner moura,, que decora doutrina e lei, mas não enxerga um palmo a frente no que concerne a cultura geral., bom senso…e gostam de dinheiro e muito, como todo bom “democrata” comuista

  42. odisseu

    corrigindo abaixo: qto ao mp, não posso afirmar que a maioria, mas boa parte é esquerdista alienado

  43. Jonathas

    Parabéns, Sheherazade! Tenho convicção de que você não é a favor da violência, mesmo contra bandidos. Seu comentário foi uma denúncia e um desabafo que representou 99% das pessoas de bem do Brasil. Parabéns aos policiais que em sua maioria são heróis. Reinaldo continue escrevendo, use o seu talento para ajudar o Brasil.

  44. Fahidolan

    ReinaldoXXXXXXX na cascuda!

  45. José PI

    Muito bem, Reinaldo…
    Quando iniciei a leitura de seu post, levei um susto… E, confesso, me indignei.
    Foi preciso voltar ao texto por duas vezes, para entender sua linha de raciocínio. E me senti aliviado…
    Como já mencionei aqui, por diversas vezes, eu “chutei o balde” do “politicamente coreto”, no instante em que entendi se tratar de uma das inúmeras armas do arsenal revolucionário, para, numa primeira fase, intimidar as pessoas a exprimirem o que pensam, dentro da Cultura que receberam de seus ancestrais; numa segunda fase, ridicularizar o pensamento contrário a seu “avanço” no processo de destruição de conceitos , finalmente, criminalizar o pensamento dissonante.
    Entendi o processo e, desde então, venho fazendo um trabalho de “contra revolução cultural”.
    Se o método empregado por eles foi de, “para cada tese, apresentar uma antítese”, no momento que sinto que ela está passando para a síntese, defendo a tese original, de volta ao princípio e ridicularizo, de todas as formas que posso, a antítese deles.
    Assim o é com as “passeatas gay”, a criação do neologismo “homofóbico” e a tentativa de criminalizar a simples expressão do ridículo que representa a degradação do ser humano. E por aí a fora.
    O objetivo da anti cultura é deixar a Sociedade sem convicções firmes em que se apoiar e sem defesa, pela via do Direito, adulterado, de tal forma, por legisladores juridicamente analfabetos, conduzidos por maliciosos que sabem onde querem chegar.
    De outro lado, a apresentação do marginal, que ofende a Sociedade, com sua simples existência maldita, como “vítima” e a Sociedade, que está sendo agredida, como “malvada” que, portanto, colhe o que plantou.
    Eu não tinha assistido ao comentário da jornalista do SBT e, de seu texto, colhi o nome, pedindo ajuda a “São Google”, localizando uma entrevista que outro jornalista fez com ela, a respeito do assunto.
    A página que encontrei foi esta:
    http://gente.ig.com.br/tvenovela/2014-02-08/rachel-sheherazade-sobre-nota-de-repudio-irresponsavel-e-inidoneo.html
    Li a entrevista e as explicações dela e lhe afirmo, com todas as letras: Assino em baixo de todas as suas afirmações, a começar pela sugestão que gerou tanta polêmica.
    Eu acho HIPÓCRITA, não só os jornalistas abduzidos pela ideologia vermelha, que mais matou inocentes, do que todas as guerras juntas, mas uma Sociedade lunática, que parece que cheirou o que não devia e está viajando num mundo imaginário, ao se queixar da Segurança Pública, por não poder sair de casa, com a certeza de chegar de volta vivo, mas achar que a Polícia deve enfrentar essa marginalia fedorenta, que sai de suas tocas imundas para praticar assaltos e assassinatos nos bairros onde Brasileiros pagam impostos para viver com dignidade e segurança.
    Eu acho Hipócrita essa Sociedade, a começar pelos formadores de opinião e artistas que vivem no mundo da lua em suas ilhas de fantasia, quando um Policial perde o controle emocional e dá umas borrachadas e chutes num marginal que só se rendeu, quando acabou a munição e aí passa por “coitadinho” e ela cai como carniceira em cima do Policial, que arriscou sua vida para defender essa mesma Sociedade que o achincalha.
    Eu acho Hipócrita o Governador do Pará (que figura!…), quando mandou o BATALHÃO DE CHOQUE para expulsar marginais de uma organização criminosa como o MST de uma área invadida, em cumprimento de um mandado de reintegração de posse, esses marginais recebem a FORÇA DO ESTADO, com paus, pedras, foices e pás, os policiais, numa primeira instância, se refugiam e se encolhem atrás de um ônibus, mesmo armados de fuzis, uma ação vexatória, o Comandante faz o que qualquer comandante faria, ordena a reação, a marginalia, na certeza da impunidade, não recua e alguém, La de trás, ainda dispara uma arma de fogo, obrigando a polícia a abri fogo, situação que ocorreria com qualquer polícia do mundo e o maldito governador foge à sua responsabilidade, responsabilizando o comandante da operação.
    Acho hipócrita, toda a estrutura do Estado e a sociedade idiota, que apoiou a perseguição dos policiais que só cumpriram seu dever.
    Polícia não foi feita para apanhar!!! Foi feita para descer o cacete, se desacatada. EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO.
    Se o maldito governador quisesse que “negociasse”, que fosse pessoalmente, arriscar seu pescoço, ou mandasse seu Secretário de Segurança, para fazê-lo.
    Batalhão de Choque é imposição de força EM NOME DO ESTADO e não cabe desacato!
    “Movimentos Sociais”, quando cometem crimes, CRIMINOSOS SÃO e como tal devem ser tratados.
    Marginais que, recusando-se a participar da Sociedade de Consumo, buscam satisfazer seus desejos de consumo, mediante a prática de crimes, devem ser tratados como o que são, um câncer da Sociedade, que precisa ser extirpado, sem dó.
    Fala em “estado de Barbárie”…
    Estado de barbárie é, para mim, quando um menino inocente é arrastado por quilômetros, preso a um carro, até que não sobre pele sobre seu corpo.
    Estado de barbárie é, para mim, quando o Jornalista Tim Lopes, assim como muitass outras vítimas inocentes, sem a cobertura de um jor4nal por sua morte, é colocado, vivo, em uma pilha de pneus e ateado fogo, queimado vivo (imagine a dor…) e um marginal fedorento, que comandou a ação, “valente”, quando com uma arma e capangas para defendê-lo, quando encurralado, ao se render por que não tinha outra opção, ficou com cara de cachorro cagando na chuva e pediu por sua vida. – Aliás, como outro ícone das malditas esquerdas, o sanguinário Che Guevara, inclemente e arrogante, com uma arma na mão, diante de inocentes desarmados, que assassinava e mandava assassinar, ainda com munição, mas sentindo-se encurralado, gritou para seu caçador: – Não atire! Sou o Che! Valho mais vivo do que morto. Felizmente o soldado não acreditou que valesse alguma coisa e liquidou a fatura, livrando a humanidade de um pária assassino sádico.
    Barárie eu considero, quando um jovem, que trabalhou um mês inteiro parta comprar um par de tênis, é friamente assassinado por um fedorento desses, para lhe roubar o calçado
    Portanto, meu caro Reinaldo, me desculpe se o decepciono, mas não senti peninha nenhuma, nem do “rapaz” algemado ao poste por uma tranca de bicicleta, nem do safado assaltante que havia sido flagrado paraticando crime e, perseguido por populares, foi desarmado e chutado, nem do outro “di menó”, “barbaramente” executado por um semelhante seu.
    Enquanto eles estiverem se matando uns aos outros, eu sinto alívio, por que para cada baixa, do lado deles, dezenas de baixas deixarão de ocorrer entre os cidadãos de bem, pagadores dos impostos mais escorchantes do mundo, que os governantes vermelhos usam para se locupletarem e fazer proselitismo, ao invés de nos garantir SEGURANÇA.
    E, para finalizar, concordo com a recomendação da corajosa Jornalista (com letra maiúscula, por sua coragem em nos defender da hipocrisia), no sentido de quem estiver com peninha, adote um marginal. Mas se responsabilize por ele, assumindo as conseqüências de seus crimes, dali para a frente e pagando por eles
    Como dizia o Chico Anísio, em um de seus personagens;
    Tá com pena? Leva prá casa!
    José (politicamente incorreto)

  46. Camila

    São blogueiros como você e jornalistas como a Rachel que me inspiram, pretendo quando me formar ser uma jornalista que chegue pelo menos a ser um pouco do que vocês são. Meus parabéns pelo ótimo texto

  47. sr. viveiros

    Sheherazade está certíssima! Dê uma banana prá esses idiotas que te criticam!

  48. Luiza

    Reinaldo, não assisto esse telejornal..Apenas vi o vídeo que está rolando na internet, Não endosso nada do que ela disse.
    Não acho que ele foi só infeliz no que disse. Ela extrapolou todos o bom senso de uma pessoa.
    Desculpa Reinaldo, mas nessa parte não concordo contigo.
    Claro que não seria o caso de pedir a cabeça da jornalista,mas ela deveria se retratar.

  49. Lothar von Puttkamer

    Mais um texto fantástico. Parabéns!

  50. Magdan

    Raquel. PARAIBA SIM SENHOR !!! Que ninguên se atreva a mexer fisicamente com nossa menina ! Se acontecer, o BICHO vai pegar !!!