Blogs e Colunistas

28/03/2012

às 5:47

A atualização do verbete “Petralha” no Grande Dicionário Sacconi da Língua Portuguesa, aquele que já traz a palavra “mensalão”

Como vocês sabem, o “Grande Dicionário Sacconi da Língua Portuguesa” (Editora Nova Geração), do professor e lexicógrafo Luiz Antônio Sacconi, passou a registrar a palavra “petralha”.

Pois bem. Na mais recente edição do dicionário, houve uma atualização do conteúdo. O verbete ficou assim:

sacconi-petralha

Como viram, o professor teve a gentileza de dar a autoria do vocábulo. A obra é excelente. Um dicionário não pode registrar todos os neologismos e gírias que surgem por aí. Mas o dicionarista competente tem de ter a sensibilidade de identificar as palavras que vão ficar, que serão incorporadas à língua.

Alguém tem, por exemplo, alguma dúvida de que o “mensalão” veio para ficar? Será uma referência para os historiadores no futuro — e, infelizmente, a prática nefasta continuará entranhada na vida pública por muito tempo. No vocábulo “mensal”, Sacconi registrou a derivação “mensalão”, assim definido: “mesada paga a parlamentares, por membros do governo, em troca de votos a favor do governo”. Exato!

Sacconi é autor de mais de 70 livros na área de língua e gramática, incluindo o best seller “Não Erre Mais”.

sacconi

Um dicionário atento à história e que, também por isso, cuida muito bem da língua.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

193 Comentários

  • Renato

    -

    27/7/2014 às 8:31 pm

    Este dicionario e o Mais Completo Do Brasil

  • Edroli

    -

    16/6/2013 às 1:38 pm

    Só hoje li esse interessante texto. Depois me chamou atenção o comentário do “Mauro” em 30/03/2012. Creio que agora ele já deva saber que a palavra “privata” não se refere a ninguém com exclusividade.

  • nanda

    -

    19/4/2013 às 8:25 pm

    Quero muito comprar o dicionário do Sacconi. Mas ele é melhor do que o Houaiss e o Aurélio?

  • maria

    -

    19/3/2013 às 12:13 pm

    preciso de um desse

  • Zanilda Freitas

    -

    7/2/2013 às 3:18 pm

    Muito bom o Grande Dicionário Sacconi, mas existe um erro na página 1157 no verbete India: Rajiv Ghandi não era irmão (como diz o dicionário) e sim filho de Indira Ghandi.

  • Thomas

    -

    22/1/2013 às 8:03 am

    Muito bom gerações futuras poderão saber o significado de algumas palavras o sacconi foi muito útil para todos os brasileiros ao adicionar essas palavras ao dicionário

  • Mauro

    -

    30/3/2012 às 7:40 pm

    O povo brasileiro é sábio. Nem precisa de filólogos para essas coisas. Todo mundo sabe o que é “petralha”, “malufar”, etc. E tem que ser muito burro para não saber o que é e a quem se refere a palavra “privata”.

  • Hugo Conrado

    -

    30/3/2012 às 12:26 am

    Boa Reinaldo!
    PeTralha deveria ser apenas uma alusão a um grupo que nem deveria mais existir! Paciência, vamos ter que aturar essa turba por mais algum tempo… Quem sabe se Deus não dá uma maozinha e chama pro lado de lá o líder máximo dos PeTralhas? Assim fica mais fácil para nós!

  • Luiz José Garcia de Lima

    -

    29/3/2012 às 4:37 pm

    A palavra realmente define com clareza a realidade, o que já não acontece hoje com “democracia, bom senso, dignidade, político etc.”

  • DANIEL SILVEIRA

    -

    29/3/2012 às 2:47 pm

    O ***diamante*** não apenas está no mais alto patamar das pedras preciosas, como também se destaca pelo seu grande valor, pois sua química transforma e o faz brilhar. Então, se alguém lhe criticar pelo que você é, não se importe, afinal, um ***diamante*** – como professor que é – provóca muita inveja no meio de tantas bijouterias…
    ………. * * * ……….

  • Ricardo

    -

    29/3/2012 às 2:38 pm

    Que bom , agora vale chamar de petralha, quem também é simpatizante ou menbro desonesto de outros partidos.

  • Alvaro Nascimento

    -

    29/3/2012 às 4:15 am

    Acho um tiro no pé. 1º – O dicionário servirá apenas para dar embasamento à uma enxurrada de processos (muitos possívelmente improcedentes) por calúnia, injuria e difamação. 2º – Ao generalizar a definição o termo acabou por desfigurar o sentido original. Vai soar muito estranho chamar de petralha um não petista que comprovadamente incorra em alguma do atos citados. Ou alguém em sã consciência acredita que só existam petralhas no PT? Faltou ao professor a coragem de iniciar a definição assim:

    PE.TRA.LHA adj. e s.cdd (o/a) Pejorativo 1. Que ou pessoa simpatizante, filiada ou eleita pelo PT que, sem nenhum escrúpulo…

  • Terrano

    -

    29/3/2012 às 1:07 am

    Morreu o Millôr!
    Grande Millôr.
    Reinaldo Azevedo já estava paralelamente correndo, ao lado (e à frente?), perdoem a ênfase, para assegurar nosso bipedismo (!)

  • Celso Brasil

    -

    28/3/2012 às 11:03 pm

    É uma pena que o totalitarismo, como caminha, condenará o excelente dicionário. Logo estará proibida a sua publicação.
    E não estou brincando. Como andam “as coisas” tudo que for publicado na internet passará por mediação, como fazemos em nossos blogs hoje. Sentirei saudade…

  • Maurício (MG)

    -

    28/3/2012 às 9:37 pm

    Reinaldo

    Em cheio!

  • Joacy fernandes

    -

    28/3/2012 às 9:05 pm

    - Sempre ouvi dizer que a voz do povo é a voz de Deus. Então ao calar a voz do povo está sendo calada a voz de Deus. As artimanhas tão bem urdidas vem escondidas dentro das mais variadas bolsas- escola, família, grávidez, detento, e etc etc.
    Ainda bem que sobraram alguns apóstolos para continuar pregando, mesmo que, aparentemente, sejam como o beija flor tentando apagar incendio com a agua transportada em seu bico. Porém, como o exemplo arrasta, êle acaba trazendo consigo uma montanha de seguidores que juntos conseguem controlar o incendio.
    E, no apagar do fogo no meio das cinzas, ressurgirá a verdade.
    Por estar tudo dominado – imprensa , legislativo, executivo, judiciário – a roubalheira, o abuso de autoridade e outros e outros malfeitos correm soltos. Afinal todos estão amparados pelas moedas de troca ou como se dizia antigamente: pelos “cala boca”. Então merece aplausos aquele que se manifesta, despontando no meio de mar de lama (diga-se sujeira) surgindo para insurgir-se como uma flor do lácio, mostranto beleza ante tanta sujeira.
    PARABÉNS

  • Anhangüera®

    -

    28/3/2012 às 8:42 pm

    Pergunto, na maior inocência: será admissível classificar como “petralhismo” o ato de engordar currículos com títulos de mestrado e doutorado que não sejam verdadeiros?
    Ou talvez como “petralhada” tentar justificar tais falsificações como “pequenos enganos de digitação”?
    Em tempo: alguém poderia me esclarecer se o descrito acima poderia ser considerada “falsidade ideológica”?

  • Renata

    -

    28/3/2012 às 8:05 pm

    Parabéns!! A petralhada vai babar de raiva. Adorei!

  • Tertuliano

    -

    28/3/2012 às 7:46 pm

    Será que o Aloisio Mercadante, o dublê de doutor com aquela da tese de doutorado safadista, puxa-saquista e asquerosa, defendida naquela universidade corrompida e atualmente Ministro ‘irrevogável’ da Educação vai recomendar este dicionário para as escolas da rede pública? Talvez sim, se ele não fosse um dos grandes expoentes do petralhismo ‘deftepaif’ (o ‘f’ é o som do ‘s’ pronunciado com língua prefa).

  • Spitfire

    -

    28/3/2012 às 7:37 pm

    Parabéns Reinaldo!

  • Olavo

    -

    28/3/2012 às 7:17 pm

    Caro Reinaldo,

    “Waldomiror” atacou uma vez mais ás 15:49, ridículo, medíocre e grosseiro. Só podia ser petralha.

    Olavo

  • Affonso Sampaio

    -

    28/3/2012 às 6:50 pm

    Poderia ser tbem “gangalha”em lembrança daquele objeto que faz conexão entre os bois de uma carroça. “Gangalha seria então o que o Fernando (o Procurador) denominou a gangue do mensalão; é so trocarmos a canga pela gangue…

  • Juvencio

    -

    28/3/2012 às 6:43 pm

    A descrição do adjetivo está impecavel! kkkkk

  • Skylab

    -

    28/3/2012 às 5:43 pm

    Não concordo com algumas crenças que o Reinaldo defende e não gosto de bajular ninguém gratuitamente. Contudo reconheço ser o Reinaldo um bravo e incançável lutador do bom combate, que criou um verbete preciso em sua definição. E ser citado em um dicionário do nível do Sacconi não é para qualquer um, algo também que não acontece todos os dias. Para desespero da canalha ele vai aos poucos esculpindo sua marca na história brasileira. Parabéns, meu caro!

  • Elvis Trivelin

    -

    28/3/2012 às 5:34 pm

    A definição anterior mencionava “professor petralha” – que é uma das expressões mais funestas de um petralha: quando alguém se vale de sua autoridade moral de professor para doutrinar alunos de acordo com suas tendências ideológicas e/ou partidárias.
    ____________________
    “Jornalismo é oposição. O resto é armazém de secos e molhados.”
    Que Millôr Fernandes descanse em paz!

  • Paulo Bruno

    -

    28/3/2012 às 5:14 pm

    Muito bom!
    O dicionário também apresenta:
    Tapa – Tragada em cigarro de maconha.
    Popozuda – Mulher que tem o bumbum grande e benfeito, bunduda.
    Chapado – Diz-se de pessoa embriagada ou drogada.
    Mano – Íntimo. Usa-se principalmente em São Paulo para se dirigir a outra pessoa, com certa intimidade, equivalente a “cara”, sendo invariável a gênero.

  • Angelo

    -

    28/3/2012 às 4:57 pm

    Senhores,é com imensa alegria que parabenizo,o mestre Sr.
    Reinaldo,por mais este acontecimento didático,criação do
    neologismo petralha,digo mais uma vez que, em volta da luz
    giram os esclarecidos,obrigado mestre por ser esta Luz.

  • bereta

    -

    28/3/2012 às 4:28 pm

    “OU SE RESTAURA A MORALIDADE NO PAÍS OU NOS LOCUPLETEMOS TODOS”. Millôr (in memoriam).
    “TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI MAS NO BRASIL ALGUNS SÃO MAIS IGUAIS QUE OS OUTROS”. Idem, idem.

  • Ricardo

    -

    28/3/2012 às 4:17 pm

    A petezada deve estar pê da vida.Entretanto ainda falta um verbete.”Político petista”; 1.É,ou será em breve um ladrão.2.mentiroso e caluniador.3.Usurpador dos feitos alheios.4.Uns são amorais,outros imorais.5.Enfim, um ser desprezível que somente os tiranos mundiais os aceitam com ressalvas.

  • Emiliana

    -

    28/3/2012 às 4:10 pm

    Parabéns pra você e uma banana para os petralhas mensaleiros!
    Abraço

  • Marcelo - Vítima da Bancoop

    -

    28/3/2012 às 4:10 pm

    Comentando a resposta de Vicente – 28/03/2012 às 14:33
    (sendo sincero, me parece um petralha disfarçado) ||
    Se um dia os dicionários listarem o neologismo PIG, não iremos nos incomodar. Afinal, sabemos quem somos. Não nos servirá a carapuça imposta por um termo popularizado pelo PHA, o bajulador.
    É importante frisar que a criação do neologismo petralha pelo Reinaldo Azevedo é amparada em fatos!!!
    E dizer que os dicionários não tem de “adentrar” nesse debate é um erro. Os verbetes dos dicionários seguem o curso da história da humanidade e devem espelhar os novos termos, incluindo, evidentemente, os de conotação política.

  • MCLima

    -

    28/3/2012 às 4:08 pm

    E dá-lhe tio Rei.
    Agora só falta a inserção do JEG no dicionário – hehe.

  • Marcos

    -

    28/3/2012 às 4:07 pm

    hahahahahah Tio Rei foi perfeito quando criou o verbete, não há definição melhor, e mais precisa, que esta: Petralha.

    Parabéns Reinaldo e o professor pela excelente inciativa, espero que a corja não tente censurar o dicionário, já viu como é essa turma.

  • Maria Rosa

    -

    28/3/2012 às 4:00 pm

    Batuta o Sacconi, Reinaldo, gostei.
    É isso mesmo, tem de registrar e dar crédito a quem de direito, coisa gratificante para todos nós, seus leitores.

  • Gabriel Birkhann

    -

    28/3/2012 às 3:51 pm

    Millôr morreu,Reinaldo.
    Homenagens a ele!

  • Pedro Tomaz

    -

    28/3/2012 às 3:49 pm

    Reinaldo, o Dicionário Aulete, disponível no Portal UOL, também já incluiu a palavra “mensalão” como um de seus verbetes. Veja:

    (men.sa.lão) Bras.

    sm.

    1. Quantia supostamente paga mensalmente (ou com outra periodicidade, ou de uma só vez) a deputados para mudarem de partido ou para votarem a favor de projetos de interesse do poder executivo: Acusou o deputado de ter recebido o mensalão.

    2. P.ext. A prática ou o esquema de pagamento dessa quantia: políticos envolvidos no mensalão;: “O termo ‘mensalão ‘ entrou definitivamente para o vocabulário político e cotidiano do país com a entrevista que o deputado (…) deu à Folha, quando contou pela primeira vez sobre um suposto esquema de pagamentos mensais a deputados (…), no valor de R$ 30 mil.” (, Folha online, 05.07.2005))

    [Pl.: -lões.]

    [F.: mensal + -ão1. O voc. surgiu na mídia durante escândalo político-administrativo ocorrido no Brasil em (junho) 2005, envolvendo principalmente deputados federais.]

    Fonte: http://aulete.uol.com.br/

  • Anónimo

    -

    28/3/2012 às 3:49 pm

    Nada como dar nome aos bois…

  • Tony

    -

    28/3/2012 às 3:49 pm

    Acabei de comprar o referido dicionário. Vai que amanhã algum petralha resolva ingressar na justiça para que a palavra petralha seja retirada e algum juizeco a soldo do partido resolva acatar o pedido. Eita Reinaldo, tá detonando! Até palavra dita pelo homem tá entrando em dicionário. Vai com tudo que nós agradecemos.
    Abraços

  • Waldomiror

    -

    28/3/2012 às 3:49 pm

    REINALDOXX!!!

  • celia pinto

    -

    28/3/2012 às 3:48 pm

    Reinaldo, extermine esta barata. waldomiror 13:35

  • elisa cristina

    -

    28/3/2012 às 3:42 pm

    Censura disfarçada ou escancarada????
    Na Assembléis Legislativa da Bahia foi aprovado o projeto “antibaixaria” :
    http://www.tribunadabahia.com.br/news.php?idAtual=110267
    Ou
    http://g1.globo.com/bahia/noticia/2012/03/projeto-antibaixaria-e-aprovado-na-assembleia-legislativa-da-bahia.html
    Elisa Cristina

  • Anónimo

    -

    28/3/2012 às 3:29 pm

    Waldomiror – 28/03/2012 às 13:35 leu o verbete, vestiu a carapuça, espumou de raiva e, com a educação típica de um petralha, pediu uma dose caprichada de Reinaldox.

  • Anónimo

    -

    28/3/2012 às 3:17 pm

    Reinaldo, a você e a Sacconi, dou meus parabéns, mas, com reserva, pois, continuo achando tudo isso uma tremenda sacanagem com a família Metralha. Após tantos anos na área, os irmãos Metralha só podem ser responsabilizados pelas recorrentes tentativas de furto ao cofre do Tio Patinhas, muitas vezes, é justo que se diga, a mando de Patacôncio. É também verdade que já deram muito trabalho à polícia – o Coronel Cintra que o diga! – mas nunca ficaram impunes. Por outro lado, os petistas – petralhas! – já se envolveram em praticamente toda sorte de crimes, da mais baixa propinagem ao assassinato de adversários políticos, mas, continuam soltos por aí. Se eu fosse um Metralha, não iria querer que a imagem de minha família estivesse associada a essa gente(?) nunca!

  • Ferreira

    -

    28/3/2012 às 3:16 pm

    Os petralhas entrando para a história:Integrantes do partido politico mais corrupto da históriadestepaiz.

  • ocidental

    -

    28/3/2012 às 3:04 pm

    Vou comprar o dicionário e a gramática .

  • Francisco

    -

    28/3/2012 às 3:04 pm

    CARO REINALDO
    Está disponível, no blog de Fábio Panunzio, uma entrevista dada por Mino Carta ao programa “Provocações”, do Abujamra.
    Antes de assistir, tomei algo para o fígado. Há uma revelação que mostra o caráter do genovês (quando lhe convém). Ele diz, com candura, que “…durante um tempo, trabalhei por dinheiro mesmo, ou seja, quem me comprava me tinha!”. Se, na época, o Partido Nazista o tivesse consultado para fazer o house organ, ele toparia por certo. Na época era Editor-Chefe da Veja, que hoje espanca. Cá entre nós, Mino Carta só ganhou notoriedade e (durante algum tempo) respeito porque nosso país é muito fraco intelectualmente. E o Mino tem o “verniz” que deixa assanhado quem leu pouco. É como o cara que leu a lista telefônica e disse “…o livro é bom, cheio de personagens, só achei o enredo um pouco fraco”. É daquele tipo de intelequitual que só critica, não vê absolutamente nada de bom no mundo. Exceção feita a Lula, seu guia espiritual e amigo.
    FRANCISCO

  • Fernando

    -

    28/3/2012 às 2:55 pm

    Encomendarei o meu exemplar rapidamente. Será que existe versão deste dicionário para Ipad?

  • Rone

    -

    28/3/2012 às 2:55 pm

    Assim como malufar,petralhar, tucanar etc, palavras oriundas da atual politica brasileira o que pode ser traduzida em suborno ,corrupção,roubo etc..

  • lf500

    -

    28/3/2012 às 2:49 pm

    Reinaldo, tem um petralha orgulhoso às 11:45hs. Reinaldox na barata cascuda!

  • capitão

    -

    28/3/2012 às 2:48 pm

    OFF-TOPIC
    Até onde iremos?
    MENORIDADE, ESTUPRO E DECISÕES PERIGOSAS

    Deu no Estadão:
    “BRASÍLIA – O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que nem sempre o ato sexual com menores de 14 anos poderá ser considerado estupro. A decisão livrou um homem da acusação de ter estuprado três meninas de 12 anos de idade e deve direcionar outras sentenças. Diante da informação de que as menores se prostituíam, antes de se relacionarem com o acusado, os ministros da 3.ª Seção do STJ concluíram que a presunção de violência no crime de estupro pode ser afastada diante de algumas circunstâncias.
    Na época do ocorrido, a legislação estabelecia que se presumia a violência sempre que a garota envolvida na relação sexual fosse menor de 14 anos. Desde 2009, prevê-se que a idade de “consentimento” para atos sexuais continua a ser 14 anos, mas o crime para quem se envolve com alguém abaixo dessa idade passou a ser o de “estupro de vulnerável”.
    De acordo com dados da Justiça paulista, as supostas vítimas do estupro “já se dedicavam à prática de atividades sexuais desde longa data”. A mãe de uma delas chegou a dizer que a filha faltava às aulas para ficar em uma praça com outras meninas para fazer programas em troca de dinheiro.”

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados