Beneficiário do Bolsa Família fica pouco no emprego e demora a achar nova vaga

Por Marta Salomon, no Estadão: Os beneficiários do Bolsa Família passam menos tempo no emprego e, quando o perdem, demoram mais para encontrar nova vaga com carteira assinada. É o que mostra pesquisa encomendada pelo Ministério do Desenvolvimento Social, numa indicação de que será longo e complicado o caminho para que os beneficiários da transferência […]

Por Marta Salomon, no Estadão:
Os beneficiários do Bolsa Família passam menos tempo no emprego e, quando o perdem, demoram mais para encontrar nova vaga com carteira assinada. É o que mostra pesquisa encomendada pelo Ministério do Desenvolvimento Social, numa indicação de que será longo e complicado o caminho para que os beneficiários da transferência de renda do governo abram mão dos pagamentos mensais do Bolsa Família e encontrem a chamada “porta de saída” do programa.

As primeiras sondagens sobre a relação do público do Bolsa Família com o mercado de trabalho feitas após sete anos de vida do programa mostram que a maioria dos empregos não tem registro em carteira. Entre os beneficiários ocupados, 75,2% não têm cobertura da Previdência Social, calcula o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Na população economicamente ativa do País, o porcentual é de 49,8%.

“A inserção dos beneficiários do Bolsa Família no mercado formal, quando existe, é bastante precária. Menos de um ano depois da contratação, metade dos beneficiários é desligada, 30% perderão seus empregos em menos de seis meses. Fora do mercado de trabalho, menos de 25% são recontratados nos quatro anos seguintes”, resume estudo de Alexandre Leichsenring, doutor em estatística e consultor do Ministério do Desenvolvimento Social.

Leichsering pesquisou o comportamento dos beneficiários do Bolsa Família durante quatro anos, de 2003 a 2007, nos registros de emprego do Ministério do Trabalho. A pesquisa identificou entre os beneficiários taxas de admissão menores no mercado formal de trabalho, combinadas com taxas mais elevadas de desligamento do emprego.

A comparação teve como base as demais pessoas com renda até meio salário mínimo inscritas no Cadastro Único do governo: ou seja, pessoas pobres, mas não tão pobres quanto os beneficiários do programa. Durante o período pesquisado, cresceu a participação dos pobres no mercado de trabalho nos dois grupos analisados, anota o estatístico. A passagem pelo emprego é mais rápida entre os beneficiários com menos tempo de estudo e nas Regiões Sudeste, Norte e Centro-Oeste, afirma o estudo Precariedade Laboral e o Programa Bolsa Família. Aqui

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    sara alves

    eu recebo bolsa familia ha mais de tres anos so agora aromei um trabalho de carteira asinada estou naduvida sim asino ou nao uque eu faso

    Curtir

  2. Comentado por:

    Perla de Moura Lemes

    Porque a SABESP não faz parte do programa do bosa familia dando desconto na tarifa igual a CPFL, ou existe eta lei e não sabemos.

    Curtir

  3. Comentado por:

    elymar

    Oi, Tive uma empregada domestica que disse e assinou um documento por escrito confirmando que recebia bolsa familia e trabalhou na minha casa por 90 dias e exigiu que a carteira nao fosse assinada. Na realidade era mentira e depois ela entrou na justiça do trabalho exigindo que o INSS fosse pago e carteira assinada diante do juiz num enorme constragimento para mim.Ja sou o segundo patrao a cair nesse golpe dela, se fazendo de pobre e dizendo que precisa de dinheiro para cuidar de 03 filhos pequenos, e depois pede de 3 mil a 2 mil reais na justiça do trabalho. Cuidado com esse tipo de golpe. Nao aceitem que o trabalhador nao assine a carteira por estar recebendo bolsa familia e ser uma pessoa pobre, pois na verdade sao pobres, nao de dinheiro, mas da presença de deus em sua vida.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Fura Brocas

    tenho um funcionário discutio com ofura brocas para que pudece ser mandado embora da empresa só para receber o seguro desemprego , oque faço , manda embora ou não?

    Curtir

  5. Comentado por:

    CRISTIANE

    BOM ACHO ERRADO POIS CONHEÇO GENTE QUE MENTIU PRA CONSEGUIR BOLSA FAMILIA E CONSEGUIU, COMO UMA CONHECIDA REGILA , E TEM UMA OUTRA AMIGA E ATE EU MSMA QUANDO PRECISEI NÇAO LIBERARAM ACHO ISSO ERRADO DEVERIAM AVALIAR MELHOR IR A CASA DA PESSOA E ATE PERGUNTAR SOBRE A PESSOA PARA VIZINHOS, CONHEÇO GENTE KE PRECISA E NAO CONSEGUE O BENEFICIO KE DIZEM KE É .

    Curtir

  6. Comentado por:

    Daniele da Silva

    E ainda falam que tem gente que não quer trabalhar.
    Como a Rede globo que disse que quem recebe bolsa família tende a não querer trabalho formal.
    Estudo,presto concursos,por várias vezes passo fome e sede procurando emprego na rua,por vezes pedindo dinheiro emprestado para o trasporte,cópias de documentos e até foto originam exigem.
    Por vezes não contratam,apenas ficam com as cópias e fotos minhas.Será que estão querendo o quê?
    POR DUAS VEZES EU TRABALHANDO USARAM MEU NOME PARA FALCATRUAS.
    Ando ano inteiro,comprando jornais,gastando com lan houses para preencher formulários de trabalho,fazendo entrevistas e o único que permitem é de atendente 1 semana no carnaval para ganhar 30,00 dia.
    E ainda exigem aparência!Quanta hipocresia!
    Não é permitido nem o de comer,que dirá vestir,muito menos ainda as maquiagens que nos obrigam a encher no rosto jovem e discriminado.
    Sempre uma barreira como me obrigar a abrir conta salário.Mandando-me até em 5 bancos uma empresa.
    Ou, como, quando me mandam até de uma agencia a outra para a mesma vaga e nada de mandar a empresa me mandando a uma terceira agencia.
    Ou, como, quando me mandam a duas agencias para a mesma vaga.E ainda dizem que terei de pagar o transporte,lanche durante 1 semana de treinamento.Que treinamento se tenho o curso que já foi pago?
    Ou ainda certas promessas de emprego como certo RH.
    Não foi isso que me prometeram na escola quando diziam: – Estude para vc ser alguém!
    Se eu estudei para ser uma das melhores sempre,por que só me é dado promessas?
    Quem vive de promessa é santo.Eu tenho que comer,vestir,comprar medicação e investir nos meus estudos e no meu filho.
    É PRECISO ACABAR COM OS ABUSOS DE PODER QUE ESTÃO LEVANDO A POPULAÇÃO A AGONIZAR,JÁ QUE UNS DESISTIRAM DE LUTAR CONTRA AS MENTIRAS DO MUNDO E ESTÃO A MENDIGAR NAS RUAS,OUTROS SE ENTREGARAM ÀS DROGAS,OUTROS A PROSTITUIÇÃO E OS QUE LUTAM HUMILHADOS ESTÃO.

    Curtir

  7. Comentado por:

    elivania

    quem tem o carteira asinada perde o bolsa familia?

    Curtir

  8. Comentado por:

    dalila

    so poraue um pessoa tem carteira adinada perde o beneficio eles tinham era que achar e bom que ia diminuir a pobreza

    Curtir

  9. Comentado por:

    Valdete Brandao

    se eu trabalhar de carteira assinada corro o risco de perder o bolsa familia

    Curtir

  10. Comentado por:

    Quaker

    Bolsa família é só um exame de admissão na escola facista onde o dinheiro dos outros é para o socialismo.
    Está fantando uma cadeira elétrica? Uma guilhotina ou uma forca?

    Curtir

  11. Comentado por:

    Gonçalves

    Penso que não é só os beneficiários do Bolsa Família que tendem permanecer menos tempo no emprego. Prá eles interessa ficar o tempo necessário para receber o complemento salarial através do Seguro Desemprego, o saque do FGTS e continuar trabalhando no mesmo lugar sem vínculo.

    Curtir

  12. Comentado por:

    anonimo

    Conversa de um taxista nordestino:
    – meu irmão exporta frangos, mas não consegue trabalhadores.
    – quem tem a carteira de trabalho assinada perde o bolsa-família e eles não querem perder essa bolsa.
    – meu irmão está comprando equipamentos que substituem essa mão-de-obra.
    Enquanto aquela Cuba pseudo-comunista começa a retomar, após 50 anos, o empreendorismo, demitindo os ‘pendurados no governo, aqui faz-se o contrário.
    A preguiça e o populismo trazem a fome, o desabastecimento.

    Curtir