AS MASMORRAS DO ESPÍRITO SANTO E A COLUNA DE GASPARI

Leiam o que vai no Portal Imprensa. Trata-se de coisa muito séria. Mesmo! Volto depois: * O jornal A Tribuna, de Vitória, no Espírito Santo, deixou de publicar no último domingo (07) a coluna do jornalista Elio Gaspari. Detentora dos direitos de reprodução do texto, a publicação não explicou o motivo. Intitulada “As masmorras de […]

Leiam o que vai no Portal Imprensa. Trata-se de coisa muito séria. Mesmo! Volto depois:

*
O jornal A Tribuna, de Vitória, no Espírito Santo, deixou de publicar no último domingo (07) a coluna do jornalista Elio Gaspari. Detentora dos direitos de reprodução do texto, a publicação não explicou o motivo.

Intitulada “As masmorras de Hartung aparecerão na ONU”, a coluna afirma que as cadeias em condições precárias do Espírito Santo serão debatidas em Genebra, na Suíça, em um painel paralelo à reunião do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas.

Para Gaspari, o governador do estado, Paulo Hartung (PMDB), tem “um encontro marcado com o infortúnio”. Com diploma de economista e “biografia de um novo tipo de político”, o governador terá, segundo o texto, que enfrentar em Genebra um dossiê sobre a situação prisional do Espírito Santo.

O documento “tem umas 30 páginas e oito fotografias que ficarão cravadas na história da administração de Hartung. Elas mostram os corpos esquartejados de três presos. Um, numa lata. Outro em caixas e uma cabeça dentro de um saco de plástico. Todos esses crimes ocorreram durante sua administração. Desde a denúncia da fervura de presos no Uzbequistão o mundo não vê coisa parecida”.

“As ‘masmorras capixabas’ são antigas, mas a denúncia teve que ser levada à ONU porque as organizações de defesa dos direitos humanos não conseguem providências do governo do Espírito Santo, nem do comissariado de eventos de Nosso Guia. Sérgio Salomão Checaira, presidente do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, demitiu-se em agosto do ano passado porque não teve apoio do Ministério da Justiça para reverter o quadro das prisões de Hartung. Há um mês, uma comitiva que visitava o presídio feminino de Tucum (630 presas numa instituição onde há 150 vagas) foi convidada a deixar o prédio. Se quisessem, poderiam conversar com as prisioneiras pelas janelas”, disse Gaspari.

De acordo com o colunista, “os governantes tendem a achar que os problemas vêm de seus antecessores, que as soluções demoram e que, em certos casos, não há o que fazer. Esquecem-se que têm biografias”. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, o editor-executivo-adjunto de A Tribuna, Rodrigo Couto, não informou a razão da coluna não ter sido publicada. Já o governo do estado declarou que o assunto deveria ser tratado com o jornal.

Comento
Quando acho que Gaspari está errado, escrevo: “Gaspari está errado”. Quando acho que está certo, escrevo: “Está certo”. Sou assim esquisito. Uso esse mesmo critério para o papa, para o porteiro e para Lula. No caso que vai acima, a sua denúncia é absolutamente pertinente. Vi na televisão uma reportagem sobre as condições dos presídios no Espírito Santo. É difícil de acreditar que aquilo exista. E assim é por causa da desídia dos governos estadual e federal.

Gaspari tratou da coisa com a devida contundência. O que me interessa neste post, é o comportamento da Tribuna de Vitória. Não é difícil de imaginar por que a coluna não foi reproduzida no domingo. Não chamo casos assim “censura” porque recorro a essa palavra quando se trata de um ato do Estado contra a sociedade. Nesse caso, tudo indica, trata-se de sujeição voluntária de uma empresa privada ao poder local.

A ausência de uma imprensa realmente independente em vários estados do Brasil é uma desgraça… para o povo desses estados. Vocês sabem o quanto sou crítico de certo viés  dos grandes veículos de comunicação; não economizo palavras para caracterizá-lo. Mas estou absolutamente convencido de que imprensa nenhuma ou totalmente rendida ao governante local representa um mal bem maior.

As fotos a que se referem Gaspari são de estarrecer — e não devem vê-las, é sério, as pessoas muito sensíveis.

LUGAR DE BANDIDO É A CADEIA! MAS A CADEIA TEM DE ESTAR ADEQUADA ÀS EXIGÊNCIAS LEGAIS, OU O SUJEITO ESTÁ PRESO É NUMA CONTRADIÇÃO, NÃO NUMA CELA. E o governador Hartung deve explicações: a) não tinha dinheiro?; b) tinha mas escolheu investir em outra coisa?; c) não tinha e não pediu a Lula?; d) não tinha, pediu ao governo federal, mas não foi atendido? No limite, pode dizer: “Eu não sabia…”

E o papel do jornalismo é relatar o que vê. Deixar de publicar uma coluna porque traz um texto considerado, sei lá, incômodo ao governador transforma o veículo em mera assessoria de imprensa.

E ISSO EXPLICA POR QUE AS CADEIAS DO ESPÍRITO SANTO ESTÃO COMO ESTÃO. Além de ter faltado governo, faltou também imprensa.  O jornal, no caso, deixou de publicar também aquele texto de Gaspari que eu esculhambei. Eu sou assim: a favor da publicação. Se for para esculhambar, só depois.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s