A doença de Genoino é real; a sua transformação em mártir é uma farsa; petista e seu advogado recusaram exame do IML no dia da prisão; em seguida, deram início à narrativa do suposto calvário. Vejam o documento assinado por ambos

Decidi manter este texto no alto. Abaixo dele, há posts da madrugada. José Genoino está doente, sim! Mas a sua transformação em herói é uma farsa calculada. Faz parte do seu show e do show do PT. O que vocês veem abaixo é um documento da Polícia Federal. No dia da prisão, em São Paulo, […]

Decidi manter este texto no alto. Abaixo dele, há posts da madrugada.

José Genoino está doente, sim! Mas a sua transformação em herói é uma farsa calculada. Faz parte do seu show e do show do PT. O que vocês veem abaixo é um documento da Polícia Federal. No dia da prisão, em São Paulo, atenção!, O SENHOR JOSÉ GENOINO E SEU ADVOGADO DISPENSARAM O EXAME PREVENTIVO NO IML. Vejam.

Genoino documento dispensa 2

 

O documento está assinado pelo próprio José Genoino.

O documento está assinado por seu advogado, Luiz Fernando Pacheco.

O documento está assinado pelo delegado Eduardo Augusto Afonso.

Não sou cretino. O documento não muda as condições objetivas de saúde do petista. Também não vou dizer “ele que se dane”. A minha questão é outra: por que ele seu advogado recusaram o que lhes foi oferecido como rotina? Para, em seguida, dar início à farsa da saga do mártir que teria sido torturado por Joaquim Barbosa?

Ora, um exame feito naquela sexta-feira, então, atestaria as mesmas condições logo em seguida verificadas. Esse documento, lamento constatar, evidencia que há muito de mentira e má-fé se misturando à verdade.

Não! A doença de Genoino não é uma farsa. É de verdade! Se eu decidisse, mandaria que cumprisse a pena, por enquanto ao menos, em casa. O Genoino transformado em mártir, no entanto, é puro cálculo. O documento que vai acima é parte da pantomima que tenta transformar Genoino em juiz dos juízes. Ah, as esquerdas… Quer coisa mais típica do que recusar o que lhes é oferecido pelo “estado burguês” para, em seguida, reivindicar a mesma coisa com estardalhaço?

Post publicado às 21h17 desta quarta
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s