A conspiração dos analfabetos de Haddad – Candidata entrega tudo em branco e tem nota superior à mínima; MEC lhe envia resposta de quatro linhas com cinco erros de português; ao responder a repórter, erra de novo!

Lembram-se daquela história de o candidato ter como nota mínima a média da área, ainda que entregue a prova em branco? Pois é… Uma outra candidata só se limitou a assinar a ficha e, oh surpresa!, teve uma nota mínima SUPERIOR à… mínima!!! Decidiu enviar um questionamento ao MEC. O Inep lhe enviou uma curta […]

Lembram-se daquela história de o candidato ter como nota mínima a média da área, ainda que entregue a prova em branco? Pois é… Uma outra candidata só se limitou a assinar a ficha e, oh surpresa!, teve uma nota mínima SUPERIOR à… mínima!!! Decidiu enviar um questionamento ao MEC. O Inep lhe enviou uma curta resposta, como segue, com um erro de concordância, três de acentuação e um de padrão. Vocês acompanharão a história, relatada por Rafael Targino, do Uol. Questionado pelo portal, o MEC-Inep se limitou a explicar como funciona a Teoria da Resposta ao Item (que não responde, diga-se, ao problema apontado) e mandou outra bala na nuca da língua portuguesa: “(…), pois não pode-se (sic) afirmar a partir do teste (…)”

É essa gente que andou zerando a redação de milhares de alunos Brasil afora, a menos, claro!, que eles demonstrassem apreço pelos “direitos humanos” – o mesmo apreço, é evidente, do corretor…

Fernando Haddad está para cair fora do Ministério da Educação e passa a ameaçar, aí oficialmente, a cidade de São Paulo. Em seu lugar, vai entrar Aloizio Mercadante, que já prestou relevantes serviços à língua portuguesa. Em seu dicionário, por exemplo, “irrevogável” quer dizer “revogável”, assim como “incompetente”, para Haddad, significa “competente”.

Vamos ser sintéticos: o Enem é uma zona!

Leiam a resposta do MEC. Segue depois texto do UOL.
“Foi divulgado (divulgada) uma nota técnica no portal do inep (Inep) explicando o TRI, assim como tambem (também) foram divulgadas as notas máximas e minimas (mínimas) para cada matéria, sendo que ninguém ficará abaixo do minimo (mínimo) disponibilizado como também não ficará acima da máxima disponibilizada. Atenciosamente, MEC/INEP.”
*
Uma candidata que fez o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2011 e entregou a prova em branco tirou notas maiores que as mínimas registradas no teste. Além disso, ao questionar o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) sobre o motivo, recebeu um documento com uma série de erros de português.

Mônica Nunes é professora de física em um cursinho de Campinas (SP) e foi fazer a prova para poder levar o caderno de questões. A docente afirma que chegou a resolver a prova da disciplina que leciona, mas não passou a resposta para o gabarito -nem da prova de física, nem de nenhuma outra. Ela somente assinou a folha de respostas e preencheu a frase de verificação. “Eu deitei e dormi. Dormi o tempo inteiro”, diz.

Prova Nota
mínima
Nota da
candidata
Ling. e códigos 301,2 304,2
Matemática 321,6 321,6
Ciências Humanas 252,6 252,9
Ciências da natureza 265,0 269,0
Redação 0 0

Mônica diz que foi checar o resultado por curiosidade e se assustou quando viu que só tinha uma nota zero – a da redação. “Imaginei que fosse encontrar um monte de zero. Um professor de matemática, que é meu namorado, preencheu matemática direitinho. Ele tinha chutado todo o resto da prova. Mesmo com os chutes, havia tido uma nota razoável”, conta.

Por causa da TRI (Teoria de Resposta ao Item), não é possível tirar nota zero nas provas objetivas, só na redação. As menores notas possíveis são exatamente as mínimas, divulgadas pelo MEC (Ministério da Educação) no final de dezembro. Ao saber disso, Mônica decidiu questionar o Inep o motivo de não ter ficado com o mínimo em três provas.

Erros de português
Ela entrou em contato com o “Fale com o Inep” no dia 2 de janeiro. A resposta continha problemas de concordância e de acentuação:

“Foi divulgado uma nota técnica no portal do inep explicando o TRI, assim como tambem foram divulgadas as notas máximas e minimas para cada matéria, sendo que ninguém ficará abaixo do minimo disponibilizado como também não ficará acima da máxima disponibilizada. Atenciosamente, MEC/INEP.”

Mônica, então, enviou outro comunicado ao Inep, refazendo o questionamento. Na resposta, o órgão explica simplesmente como funciona a TRI, sem dizer o motivo de a candidata ter conseguido notas maiores que a mínima.

Outro lado
O Inep, em nota, afirmou que “as notas mínimas divulgadas referem-se a uma prova especial. Como o candidato estava inscrito para provas regulares, as notas apresentadas mostram uma pequena variação a maior”. Ou seja: de acordo com o órgão, a prova “especial” (como, por exemplo, a aplicada a estudantes deficientes visuais) é mais difícil -apesar de ser exatamente o mesmo exame- o que reduziria as notas.

Apesar disso, em uma nota técnica em que explica como é feita a correção das provas objetivas, o órgão diz claramente que quem, por exemplo, erra todas as questões, recebe a nota mínima. “Assim, uma pessoa que erra todas as questões recebe o valor mínimo do teste, e não uma nota zero, pois não pode-se (sic) afirmar a partir do teste que ela possui conhecimento”, diz o documento. O texto está disponível no site do instituto.

Em relação aos erros de português, o Inep disse que não se pronunciaria.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Walter Azeredo

    Prezado Reinaldo,
    Sou seu leitor assíduo.
    Como sou engenheiro estou aprendendo muito sobre nossa língua em virtude de seus comentários sobre erros de gramática portuguesa.
    Também vou ser sintético: discordo ( vide artigo seu acima) quando você diz ” Vamos ser sintéticos: o Enem é uma zona!”. Já vivi o bastante para poder defender que zona, como as pessoas dizem, quando querem se referir a situação ou lugar caótico e onde não existem regras e/ou elas não são respeitadas é exatamente o contrário. Ou você quando jovem nunca foi a um lugar destes?. Cordialmente,
    Walter Azeredo

    Curtir

  2. Comentado por:

    Angelo

    Senhores,é a anarquia educacional,nestePaís despreparado
    de inteligências,só estamos perdendo para os Países
    Africanos,tudo registrado em cartório.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Andorinha solitária

    É assombroso e revoltante ver o desconhecimento da nossa língua dentro das instituições ligadas à educação.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Rosemary Woodhouse

    Reinaldo isso é uma estratégia de socializar as notas, é nivelar os estudantes pelo meio é o cúmulo do intervencionismo estatal nas virtudes da inteligência humana, não se socializa apenas dinheiro, socializa-se também notas em provas.

    Curtir

  5. Comentado por:

    mts

    Enquanto existirem ao nosso redor, varios bobões nos chamando de exagerados ou radicais, pq achamos o obvio,os gafanhotos
    petralhas vao comendo as instituicoes, espalhando seu cancer.
    Nao basta apenas nao votar no pt.
    Eh preciso se indignar, odia-los por representarem o oposto do que queremos para o futuro de nossos filhos.
    Representarem a ancora que segura esse pais. Que da maus exemplos vindos de cima, servindo como espelho para uma sociedade sem consciencia politica.
    O pt representa no inconsciente coletivo desse pais, a falta de vergonha, a mentira, o desejo de levar vantagem em tudo, a falta de compromisso, a incoerencia, a falta de principios, a etica variavel e voluvel seguindo conveniencias.
    Esse partido, nao pode ser ignorado. Nao pode ser tolerado.
    Tem que ser confrontado, combatido.
    O problema , Reinaldo, eh que do nosso lado, ha muita gente com esse dna psdbista. Que oferece a outra face, que quer dialogar com quem nao quer.
    Conheco varias pessoas probas, honestas, que nao compactuam com os meios petralhas , e que no entanto,
    tem uma atitude morna diante do estrago sendo feito.
    Essa atitude morna, que nao existe do lado petralha, pois todos sao engajados na causa “mensaleira” de PUUUDE, nos da uma terrivel desvantagem.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Luis Correa

    REINALDO!
    Você conhece a piada do “Cumpadi Varti”? Pois é! Minha “muié” vai dar pro “cumpadi”, fico espiando e, envergonhado,na medida que ela vai se despindo, comento: Ai que vergonha do Cumpadi Varti!!!(A vergonha não é por me trair, mas pelas partes expostas cendendo à “Lei da Gravidade”.
    Os PeTralhas, faz muito tempo, perderam a “Vergonha do Cumpadi Varti”.
    Estou Certo?

    Curtir